20.6.06

PENNZOIL

Durante décadas, famosos carros com pintura amarela dominaram as pistas das mais populares competições automobilísticas americanas. Enquanto isso, óleos e aditivos acondicionados em embalagens amarelas se tornaram os preferidos dos motoristas americanos, transformando a marca PENNZOIL em um verdadeiro ícone do segmento.
-
A história
A história da famosa e tradicional marca PENNZOIL tem suas origens no dia 27 de maio de 1889 na cidade de Oil City quando foi formada a South Penn Oil Company, uma unidade subsidiária da Standard Oil Company no estado da Pensilvânia, controlada pelo magnata do petróleo John D. Rockefeller. Com a invenção do carro no início do século, a empresa deu início a produção de uma pequena linha de óleo para motores. Somente em 1911, com a ordem de dissolução Standar Oil Company pela Suprema Corte americana, a empresa se tornaria independente. Os fundadores da nova empresa, chamada Pennsylvania Refining Company, Henry Suhr, Samuel Justus e Louis Walz investiram US$ 400 mil e começaram a produzir querosene. A marca propriamente dita surgiu somente no ano de 1916, quando foi registrada pela empresa para ser utilizada em sua linha de óleos e lubrificantes. O nome PENNZOIL era uma junção das iniciais do estado da Pennsilvanya com a palavra óleo em inglês (oil).
-
-
Na década de 30 a empresa começou a investir pesado no automobilismo como patrocinadora do carro de Russell Snowberger nas 500 Milhas de Indianápolis, começando seu grande envolvimento com as competições automobilísticas americanas. Rapidamente, a marca PENNZOIL, em virtude de suas vitórias e recordes de velocidades, se tornou extremamente popular no país. Na década seguinte foi a primeira marca do segmento a desenvolver óleos exclusivos para competições automobilísticas. Nas décadas de 60 e 70 os lubrificantes e óleos da PENNZOIL dominaram as competições automobilísticas americanas, desenvolvendo óleos especiais para motores de dois e quatro tempos.
-
-
A PENNZOIL que conhecemos hoje foi formada em 1963 com a união da South Penn Oil Company, Stetco Petroleum Corporation e a Zapata Offshore Oil Company, empresa texana de petróleo que tinha como fundador um jovem chamado George Bush. Em 1983 uniu forças com a tradicional escuderia Penske, conquistando a vitória das 500 Milhas de Indianápolis com o piloto Ricky Mears. Nessa época, a PENNZOIL era líder de mercado no segmento de óleos para performance e uma das marcas mais populares dos país.
-
-
Foi também nesta década, que a PENNZOIL começou a comprar pequenas produtoras de filtros de óleo, dando início a diversificação de sua linha de produtos. No início da década de 90 a PENNZOIL comprou a Jiffy Lube International, uma rede de centros de trocas de óleos, ingressando assim no segmento de varejo. Nos anos seguinte a empresa introduziu no mercado inúmeros produtos inovadores, aumentando ainda mais sua extensa linha de óleos e lubrificantes. A PENNZOIL se uniu a rival Quaker State em 1998, formando uma nova empresa com o nome de Pennzoil-Quaker State Company, tornando-se líder no mercado americano de óleos lubrificantes automotivos, da qual controlava quase dois terços. Pouco depois, em 2002, a empresa foi comprada pela gigante holandesa Shell, que assim passou a ser proprietária das marcas PENNZOIL e QUAKER STATE.
-
-
A relação com o automobilismo
A marca PENNZOIL sempre teve uma relação íntima com o automobilismo americano desde a década de 30. Mas, sua forte exposição começou em 1979, na primeira temporada da Fórmula Indy sancionada pela CART. O piloto Al Unser, um lenda do automobilismo americano, correu com um carro da equipe Chaparral Racing #2 patrocinado pelas cores (entenda-se amarelo) da PENNZOIL. Em 1980, a equipe continuou com o patrocínio da PENNZOIL, e o piloto norte-americano Johnny Rutherford foi o campeão daquele ano com o carro de Nº 2. No ano de 1983, a equipe mais tradicional do automobilismo norte americano, a Penske, tinha em sua carenagem estampada a marca PENNZOIL e seu carro todo pintado de amarelo. No ano seguinte, o piloto Rick Mears venceu as 500 milhas de Indianapolis pilotando um “amarelinho” patrocinado pela PENNZOIL. Na década de 90, a marca foi patrocinar a equipe Hall Racing, onde com o piloto John Andretti, venceu a corrida inaugural australiana na história da Indy. Gil de Ferran foi o brasileiro a defender as cores da PENNZOIL na categoria. Em 1995, o piloto que depois viria a ser bicampeão da CART, realizou duas temporadas pela equipe Hall Racing, vencendo duas provas. Em 1996, com a divisão da Fórmula Indy, a PENNZOIL manteve um carro no campeonato organizado pela CART, o de Gil de Ferran, mas a empresa via nas 500 milhas de Indianápolis o seu maior marketing. Sendo assim, a marca também patrocinou uma equipe no campeonato organizado pela Indy Racing League. O piloto colombiano Roberto Guerrero correu pela equipe Pagan com uma pintura pouco diferente da tradicional na história da Indy.
-
-
Depois da cisão, os diretores de marketing da empresa decidiram por manter apenas o patrocínio direcionado para o campeonato que tinha em seu calendário a mítica corrida de Indianápolis. Foi então que a PENNZOIL firmou contrato com a equipe Panther e o piloto Scott Goodyear. Na virada do milênio, a equipe Panther manteve seu contrato de publicidade com a marca, e Sam Hornish Jr. foi bicampeão da categoria ostentando a marca PENNZOIL em seu carro. A marca permaneceu até o ano de 2005 da Indy Racing League patrocinando a equipe Panther. Hoje a PENNZOIL tem sua maior divulgação no automobilismo na categoria Nascar (mais popular dos Estados Unidos) patrocinando o piloto Kevin Harvick.
-
-
A evolução visual
Ao longo de sua história, a PENNZOIL modificou e modernizou seu logotipo algumas vezes, mas sempre manteve como símbolo principal o tradicional sino vermelho, baseado no tradicional “Liberty Bell” (Sino da Liberdade), um símbolo americano.
-
-
Os slogans
Not just oil, Pennzoil.
We’re Driving Protection.
Stop. Go. Pennzoil.
-
-
Dados corporativos
● Origem:
Estados Unidos
● Lançamento:
1916
● Criador:
Pennsylvania Refining Company
● Sede mundial: Houston, Texas
● Proprietário da marca: Royal Dutch/Shell Group
● Capital aberto: Não (subsidiária)
● Presidente:
Marvin E. Odum
● Faturamento:
Não divulgado
● Lucro: Não divulgado
● Presença global:
15 países
● Presença no Brasil: Não
● Funcionários:
2.500
● Segmento: Automotivo
● Principais produtos:
Óleos e aditivos
● Ícones:
As embalagens amarelas de seus óleos
● Slogan: Not just oil, Pennzoil.
● Website:
www.pennzoil.com
-
A marca no mundo
Os produtos da marca PENNZOIL, que incluem uma vasta gama de óleos e lubrificantes, estão presentes em toda a América do Norte, sendo também comercializados em outros países do mundo. Por mais de 15 consecutivos anos a PENNZOIL é a marca de óleo e aditivo número 1 do imenso mercado norte-americano com aproximadamente 22% de participação.
-
Você sabia?
A tradicional sede mundial (headquarters) da PENNZOIL, localizada na cidade de Houston no Texas, é conhecida como Pennzoil Place, um enorme arranha-céu projetado pelo arquiteto Philip Johnson na década de 70.
-
-
As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).
-
Última atualização em 28/7/2009

3 comentários:

Anônimo disse...

Já existe distribuidor Pennzoil no Norte.
A empresa chama-se Starlub, é em Braga e o site é: http://www.starlub.pt

Mauro disse...

Cara show o blog Parabens descobri ao acaso pesquisando sobre a Pennzoil só por curiosidade e acabei aqui um abraço e parabens novamente

Cadu disse...

Conheci essa marca no jogo Gran turismo 2 do PlayStation one, hehe