30.7.06

ALFRED DUNHILL


A beleza do design trabalhado em matérias primas de alta sofisticação faz dos produtos da marca britânica ALFRED DUNHILL objetos de desejos. Das canetas ao tabaco para cachimbo, das abotoaduras e ternos aos relógios, a marca tem hoje uma coleção de produtos Premium e sofisticados que a insere entre a nata das grifes de luxo.

A história
A história da prestigiosa marca inglesa teve início em 1887 quando o jovem Alfred Dunhill resolveu ajudar seu pai, Henry, na oficina de arreios, que produzia acessórios para carruagens. Porém o espírito irrequieto de Alfred percebeu que o cavalo, como meio de transporte, estava com os dias contados e que o futuro traria novidades. Mal ouviu falar dos primeiros automóveis, o jovem se entusiasmou com a ideia, e, foi ali mesmo ao lado do seu escritório, no George Fouthorp’s Coffe Rooms, que começou a traçar os planos da sua nova empresa fundada em 1893. Batizada de DUNHILL MOTORITIES e divulgada sob o slogan “Everything for the car but the motor”, a empresa vendia tudo o que era necessário ao automobilista: chapéus, óculos, buzinas e até faróis. No início do século XX, ele inventou novos produtos que logo tiveram imenso sucesso, como o “Hippo” (um tratamento de impermeabilização de peles que vinha dar mais conforto aos motoristas em dias de mau tempo) e o “Bobby Finder”, primeiro aparelho que detectava a aproximação da polícia e que permitia aos condutores reduzirem a velocidade e evitarem as multas (sem esquecer que nessa época já se podia andar à “estonteante” velocidade de 10 km por hora).


À medida que Alfred comprava e vendia produtos para melhorar sua oferta, mais a empresa crescia, e, em 1904, o catálogo da DUNHILL já contava com 1.300 produtos. O mundo de DUNHILL tinha tantas ofertas que logo começou a inaugurar showrooms no edifício Windsor de Edimburgo, na Escócia, e também no luxuoso Hotel Cecil, de Londres. Em 1907 deu mais um passo para a construção de um verdadeiro império ao abrir uma loja de tabacos, tratando de resgatar um acessório de grande sucesso na DUNHILL MOTORITIES: o Windshield Pipe, um cachimbo que não apagava com o vento. Inicialmente vendendo apenas cachimbos e tabaco, rapidamente deu um toque muito pessoal à sua nova loja ao instituir a “My Mixture”, uma mistura de tabacos feita na hora e ao gosto de cada cliente. E como achava fraca a qualidade dos cachimbos fabricados na Inglaterra, inaugurou a sua própria fábrica em 1910. Cada um dos seus cachimbos se distinguia de todas as outras marcas por conter uma pintinha branca (White Spot) que se tornou um ícone da marca.


Alfred estava decidido a tornar-se um grande distribuidor de charutos, cigarrilhas, fumo para cachimbo e outros artigos relacionados à tão nobre prazer, como piteiras de prata, bolsas para fumo de cachimbo, cortadores de charutos etc. Em 1914, Alfred já tinha conquistado fama e em 1918 os cachimbos DUNHILL eram conhecidos no mundo todo. Em 1921, logo depois da Primeira Guerra Mundial, apareceram os primeiros e tradicionais isqueiros da marca. A ideia surgiu de uma lata de conserva de mostarda da tradicional marca Colman’s, que serviu de inspiração para criar o protótipo, que fora batizado de “Unique”. O lançamento em 1924 foi um grande sucesso e logo se tornou um acessório indispensável aos cavalheiros da época. A marca garantia que o isqueiro acendia sempre e podia ser manuseado só com uma das mãos.


Nesta época, Alfred Dunhill já havia recebido seu primeiro selo de “provedor real” como fornecedor oficial de fumo de cachimbo para o príncipe de Gales em 1921. Com isso, a empresa cresceu. Criou um departamento de exportação e abriu mais duas lojas, em Nova York, localizada em plena 5ª Avenida, e Paris. Em 1926 sua filha Mary abriu um salão de beleza iniciando a produção de peças femininas e criando assim, o primeiro perfume com a marca DUNHILL. Em 1928, Alfred aposentou-se e seu irmão Herbert assumiu os negócios. Surgiram assim canetas, gravatas, relógios de pulso, novos perfumes, bolsas, cintos, além de joias para mulheres, aumentando ainda mais o prestígio da marca. Nessa altura, ser cliente da DUNHILL era sinônimo de se ser chique, sofisticado, rico e famoso.


A DUNHILL encerrou definitivamente a divisão de produtos e acessórios para automóveis em 1931. Durante a Segunda Guerra Mundial a loja de Londres foi severamente afetada pelos bombardeios, ficando praticamente destruída. Mesmo assim, a marca continuou vendendo seus produtos, fato que chamou a atenção da mídia e tornou a marca ainda mais respeitada. A partir da década de 50, a DUNHILL, com o intuito de atender a demanda cada vez mais crescente por seus produtos no mercado internacional, especialmente nos Estados Unidos, além abrir uma nova loja em Londres, inaugurou novas lojas em endereços chiques como a Rodeo Drive em 1951, Chicago em 1958 e São Francisco em 1961. Pouco depois, em 1963, teve início a produção dos famosos cigarros DUNHILL.


Após uma sucessiva expansão na Europa e nos Estados Unidos, a DUNHILL começou a se desenvolver na Ásia e Oriente Médio, inaugurando lojas em Hong Kong (1966) e Tóquio (1969). A partir da década de 70 a marca passou a se envolver com competições esportivas, como por exemplo, torneios de velas, alpinismo, polo a cavalo e principalmente golfe, introduzindo em 1985 a famoso DUNHILL CUP, onde países se enfrentam em uma competição de golfe, e que hoje é chamada de ALFRED DUNHILL LINKS CHAMPIONSHIP. A marca ALFRED DUNHILL é atualmente patrocinadora de eventos esportivos de prestígio, como a “Queens’s Cup Polo Tournament”, um torneio de polo a cavalo que acontece anualmente com a etapa final disputada em Smith’s Lawn, Windsor, habitualmente na presença de sua majestade, a rainha da Inglaterra.


Depois de passar pelas mãos de alguns proprietários, a marca foi adquirida pelo conglomerado de luxo Richemont em 1998. Nos anos seguintes a sofisticação e diversificação de seus produtos aumentaram ainda mais e a empresa se desfez de suas marcas de cigarros e tabacos. Em 2005, o alfaiate Richard James, o relojoeiro Tom Bolt, o estilista Nick Ashley e o artesão em couro Bill Amberg foram contratados para revitalizar a marca DUNHILL, criando produtos contemporâneos, mas com ares clássicos. Atualmente a grife continua a criar a expressão do estilo contemporâneo inglês e sua alta qualidade é reconhecida no mundo inteiro. Afinal, alguns dos maiores ícones masculinos dos últimos 100 anos foram clientes fiéis da marca, incluindo o Duque de Windsor, Winston Churchill, Frank Sinatra e Truman Capote. De Daniel Craig e Jude Law a Ranulph Fiennes e o arquiteto David Adjaye, o homem DUNHILL do século XXI é uma potente mistura de estrela cinematográfica, aventureiro e visionário.


Os templos masculinos da marca britânica
Indo muito além do conceito de lojas, a marca britânica mantém unidades que mais parecem um templo do bem-estar para homens elegantes e sofisticados. Batizadas de HOME of ALFRED DUNHILL, essas quatro unidades estão localizadas em Londres (parece um clube privado para homens, localizado próximo ao museu Wallace Collection e à área de Marylebone), Tóquio (com frente em vidro, três andares e vista para a sofisticada Rua Ginza Chuo), Xangai (localizada em uma vila com estilo neoclássico dos anos 20) e Hong Kong (situada em Landmark Prince, no centro do distrito financeiro). Nessas espécies de “clube privados”, como por exemplo, em Londres, os clientes podem adquirir peças exclusivas de couro, provar ternos feitos sob medida, cortar os cabelos, jantar, beber vinhos de safras raras e excepcionais, experimentar charutos em um lounge para degustação e até mesmo assistir filmes clássicos em salas de projeção suntuosas. A casa de Londres possui ainda um espaço exclusivo para os membros do primeiro clube fechado da marca, o ALFRED’S, que oferece bar e restaurante, sala de jogos e uma pequena hospedagem para os convidados que moram em outras cidades.


Além disso, essas unidades recriam de maneira primorosa o universo da marca britânica, que incorpora desde canetas Revolette, com mecanismos inspirados no tambor de revólveres, até os relógios Key e Facet, baseados em peças clássicas e com movimentos da renomada suíça Jaeger-LeCoultre. Ecoando o espírito inovador de ALFRED DUNHILL, tecidos raros são usados na criação da moda masculina, incluindo o blazer Camdeboo, de cabras angorá do Karoo, na África do Sul. Os acessórios usam materiais exóticos e rústicos; presa de mamute esculpida e meteorito esmagado já foram utilizados em alguns produtos. De camisetas feitas sob medida a sapatos Derby perfeitos, suportes de iPad a óculos aviador, o estilo ALFRED DUNHILL é forte e contemporâneo. Ele representa o máximo do luxo britânico utilizando os artesãos e fabricantes mais modernos e habilidosos na Itália e no Reino Unido.


A identidade visual
Em muitos de seus produtos a marca britânica utiliza o tradicional logotipo que contem apenas a palavra DUNHILL em formato alongado.


Dados corporativos
● Origem: Inglaterra
● Fundação: 1893
● Fundador: Alfred Dunhill
● Sede mundial: Londres, Inglaterra
● Proprietário da marca: Compagnie Financiére Richemont S.A.
● Capital aberto: Não (subsidiária)
● Chairman: Johan Rupert
● CEO: Eraldo Poletto
● Faturamento: Não divulgado
● Lucro: Não divulgado
● Lojas: 174
● Presença global: 55 países
● Presença no Brasil: Não
● Funcionários: 600
● Segmento: Acessórios de luxo
● Principais produtos: Artigos em couro, artigos de tabacaria, relógios e perfumes
● Concorrentes diretos: Ermenegildo Zegna, Salvatore Ferragamo e Brioni
● Ícones: Os tradicionais cachimbos e abotoaduras
● Website: www.dunhill.com

A marca no mundo
Atualmente a ALFRED DUNHILL, que pertence ao poderoso conglomerado de luxo Richemont, está presente em mais de 55 países ao redor do mundo com 174 lojas próprias, tendo seus produtos vendidos também em sofisticadas e badaladas tabacarias e lojas de departamento.

Você sabia?
Ao ingressar no segmento da alfaiataria a ALFRED DUNHILL estabeleceu um nível inédito de qualidade e sofisticação. Feita a escolha e tiradas as medidas (são aproximadamente 35 medidas, para dar uma ideia precisa do corpo do cliente), começa o meticuloso trabalho dos alfaiates. Só o paletó de um terno da marca tem 200 peças de tecido e requer 165 etapas de corte, costura e ajuste até ficar pronto, num processo que demora várias semanas. Para ser exato, doze semanas, a preços que partem de €5 mil.
A ALFRED DUNHILL é uma das poucas marcas de luxo exclusivamente voltada para o público masculino.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Última atualização em 16/11/2012

Um comentário:

Guilherme Moreira disse...

Vale lembrar que tem um Whisky single malt dessa marca.
Parabéns pelo blog