20.8.06

MICKEY MOUSE


Esse pequeno roedor, grande apreciador do calção vermelho, sapatos amarelos e luvas brancas, com um eterno sorriso estampado no rosto é o grande embaixador da DISNEY pelo mundo. Walt Disney e o desenhista Ub Iwerks não imaginavam que ao criarem Mickey Mouse, que virou símbolo máximo do Grupo DISNEY e o personagem mais conhecido do planeta, estariam inventando também uma verdadeira máquina de fazer dinheiro. Mickey sozinho é uma indústria gigantesca, estampando sua marca em produtos dos mais variados tipos.

A história
A origem mítica do pequeno rato foi estabelecida pelo próprio Walt Disney. Ele teve a ideia de criá-lo durante uma viagem de trem de Nova York para Los Angeles. Foi então que se lembrou de um camundongo que havia em seu antigo estúdio, com o qual brincava com a ponta do lápis e que chegou até mesmo a batizar com o nome de Mortimer. Mas sua esposa, Lilian, achou o nome formal demais para o personagem e sugeriu MICKEY MOUSE. O personagem tomou forma pelas mãos do talentoso desenhista Ub Iwerks pela primeira vez em 1928, nos curtas-metragens “Crazy Plane” (lançado em 15 de maio) e “Galloping Gaucho” (lançado no dia 2 de agosto) que passaram praticamente despercebidos aos olhos do público. Apesar disso, a data oficial de seu nascimento é o dia 18 de novembro de 1928, quando o curta-metragem STEAMBOAT WILLIE (O Vapor Willie), no qual Mickey é marinheiro de um barco, comandado pelo malvado capitão João Perneta (Peg-Leg Pete), sendo condenado a descascar batatas por gostar muito de música, estreou no Old Colony Theatre de Nova York. Dirigido e produzido pelo próprio Walt Disney e Ub Iwerks, ao custo de US$ 15 mil, foi o primeiro desenho animado a utilizar trilha sonora sincronizada (missão cumprida pelo maestro Carl Edouard e sua orquestra), ou seja, o filme tinha som, diálogos e efeitos sonoros (os personagens animados podiam falar, cantar e tocar instrumentos), e isso fez a diferença, embora nenhum dos espectadores pudesse adivinhar que assistia ao nascimento de um dos mais populares heróis do cinema de animação.


O título era uma paródia do filme “Steamboat Bill Jr.” de Buster Keaton. A música foi adicionada por Wilfred Jackson e incorpora melodias populares como “Steamboat Bill” e “Turkey and the Straw”. A maior dificuldade na produção foi conseguir um dublador que fizesse a voz do camundongo exatamente como seu criador, Walt Disney, queria. Como ninguém conseguia acertar, não teve dúvida: ele mesmo gravou a voz que ficou famosíssima no mundo todo. No filme de aproximadamente 8 minutos, Mickey tinha uma aparência bem diferente da atual: olhos representados por dois pontos negros, um focinho mais pontudo e comprido e a cor da pele de sua cara branca e não bege. O filme foi uma espécie de apoteose antecipada para um personagem destinado a tornar-se um dos ícones do século passado. O sucesso foi tanto nos cinemas, que desencadeou a criação de “Silly Symphonies”, uma série musical para a abertura das sessões de cinema. Esse curta-metragem apresentava Mickey em preto-e-branco e a inovação do uso da câmera multiplano. Mickey pronunciou suas primeiras palavras (“Hot-dogs, Hot-dogs”) em 1929 no curta animado “The Karnival Kid”, no qual vendia cachorros-quentes em um parque de diversões. Em 1930, o pequeno personagem havia conquistado não apenas os corações dos americanos como também audiência e popularidade no mundo inteiro, passando a chamar-se Michel Souris (França), El Miguelito Ratón (México), Mikki Kuchi (Japão), Micky Maus (Alemanha), Mikki Mús (Islândia), Mikki Maus (Rússia), Topolino (Itália), Miki Fare (Turquia), Míky Máous (Grécia), Myszka Miki (Polônia), Miki ha-`akhbar (Israel) e Mikki Hiri (Finlândia).


Ao longo de sua carreira Mickey Mouse passou por várias transformações em suas formas e a voz do personagem, dublada inicialmente pelo próprio Walt Disney, passou a ser feita por Jim Macdonald (entre 1947 e 1977) e depois por Wayne Allwine (1977-2009), que faleceu recentemente, em 2011, e curiosamente era casado com Russi Taylor, que faz a atual voz de Minnie Mouse. Atualmente o personagem é dublado por Bret Iwan. A primeira tira (ainda em preto e branco) diária do personagem surgiu em 13 de janeiro de 1930 com a aventura “Lost on a Desert Island” ainda desenhada pelas mãos de Iwerks, que pouco depois entregou a tarefa a Floyd Gottfredson, que para ele criou aventuras onde o pequeno rato se passava por detetive e jornalista, encontrando pelo caminho diversos personagens, entre os quais o amigo Goofy (Pateta), o seu cachorro Pluto, a sua namorada Minnie, entre muitos outros. Em 1932, a Academia de Hollywood premiou a DISNEY com um Oscar pela criação do personagem. Ainda neste ano, Mickey começou a aparecer em tiras dominicais de jornais desenhadas por Earl Duvall e escritas por Ted Osborne e Merill de Maris. Um dos primeiros produtos a contar com a imagem do personagem foi o famoso relógio do Mickey, produzido por Ingersoll em junho de 1933 ao preço de US$ 3.25. O primeiro desenho colorido do personagem, chamado “The Band Concert” (O Concerto da Banda), estreou no dia 23 de fevereiro de 1935. Foi neste momento que o personagem ganhou o tradicional calção vermelho e os sapatos amarelos, uma homenagem que Walt Disney fez à Ordem De Molay, da qual era membro.


Nos anos quarenta ocorrem as primeiras alterações gráficas que surgiriam em um de seus mais famosos filmes: “Fantasia” (1940). A revista nº 1 do Mickey foi publicada somente em outubro de 1952. O Mickey Mouse Club, um marcante programa infantil, foi levado ao ar pela rede ABC em 1955 e estendeu-se até 1959, apresentando uma variedade de entretenimento: dança, música, astros de cinema e televisão, desenhos clássicos DISNEY, séries e um grupo de talentosas crianças que se tornaram uma sensação na época. Em 1978, na celebração de seus 50 anos, Mickey se tornou o primeiro desenho animado a ter direito a uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood. Em 2008, Mickey comemorou seus 80 anos de vida. Mas ele não parou no tempo, e mesmo depois de tantos anos continua na ativa em diversas mídias. Além de atuar nos parques DISNEY, ele conquistou a televisão, e formou uma legião de fãs ao redor do globo a partir do saudoso “Clube do Mickey”. Seus quadrinhos continuam em alta em vários países, com o lançamento de novas séries e gibis especiais. E o ratinho invadiu até mesmo os modernos games e também foi adaptado para os mangás. Apesar de tanta inovação, ele continua desempenhando seu melhor papel, o de entreter e até educar crianças e adultos em todo o mundo.


Ao longo de sua carreira o simpático rato fez mais de 130 filmes, embora tenha saído praticamente de cena nos anos 50, com exceção de filmes esporádicos, o último nos anos 80. Mickey também teve vários animais de estimação: o inseparável Pluto (cão), Tanglefoot (cavalo), Bianca (peixe), Milton (gato), Leeza (gata), Bobo (elefante) e Oscar (avestruz). A principal razão do sucesso do Mickey Mouse está na construção de sua imagem nas últimas oito décadas. Ainda continua sendo a cara da DISNEY, o garoto-propaganda dos pacotes turísticos, o símbolo maior do mundo da fantasia (o famoso camundongo, ao lado da parceira Minnie, é o anfitrião oficial dos parques temáticos Walt Disney World). O simpático rato tem sua imagem estampada em chaveiros, roupas, bichos de pelúcia, inúmeros souvenires, e até computadores (que possuem monitores com as inconfundíveis orelhas do rato mais famoso do mundo). Mickey Mouse tem 175 modelos diferentes de roupa. Acompanhe abaixo a evolução ao longo dos anos da cara de Mickey Mouse. Apesar das modificações, o mais importante é que com o passar das décadas, Mickey não perdeu a essência da sua identidade. Ficou mais tranquilo, estabeleceu um compromisso sério com a Minnie, virou um rato de família, com seu cachorro de estimação, mas sempre Mickey, com suas orelhas redondas e pretinhas.


Para quem não sabe Hidden Mickey, algo semelhante com °o°, é a denominação dada a toda silhueta das orelhinhas do Mickey incluídas sutilmente e estrategicamente nos desenhos animados, na arquitetura dos parques, no chão, nas suas atrações, dentro dos hotéis da DISNEY e que inúmeros visitantes adoram descobrir e observar. Segundo consta, surgiu nos anos 80 durante a construção do Epcot, quando os Imagineers decidiram esconder a silhueta do rato mais famoso do mundo em toda parte: atrações, latas de lixo, decoração e até no chão. Para ser considerado um Hidden Mickey, a imagem não pode ser percebida imediatamente. Além disso, deve estar inserida dentro de um parque ou loja e em um contexto que normalmente não teria Mickey Mouse. Por todo o império DISNEY Mickey parece ser onipresente: no design dos prédios, móveis e portais, assim como em todas as atrações em seus parques temáticos; e até o sorvete tem o formato de suas orelhas.


O primeiro desenho 
Mickey Mouse fez sua verdadeira estréia no desenho STEAMBOAT WILLIE no dia 18 de novembro de 1928, que revolucionária o cinema mundial por suas inovações. Assista abaixo o filme original.

 

A evolução do personagem
Apesar de manter suas características e traços iniciais, o personagem passou por mudanças visuais ao longo do tempo. Com o rabo e o focinho menores, ele ganhou jovialidade. Acompanhe abaixo a evolução da cara do Mickey.


E para os designers e ilustradores a imagem abaixo é um guia rápido para aprender a desenhar o famoso ratinho.


Dados técnicos
● Origem: Estados Unidos
● Estréia (oficial): 18 de novembro de 1928
● Estréia (televisão): 1955
● Criador: Walt Disney
● Desenhista: Ub Iwerks
● Proprietário da marca: Walt Disney Company
● Faturamento: US$ 750 milhões (somente na América do Norte)
● Filmes: 29
● Presença global: + 180 países
● Presença no Brasil: Sim
● Segmento: Desenhos animados tradicionais
● Website: www.disney.com

A marca no mundo
Mascote oficial da Walt Disney Company, Mickey Mouse é tão onipresente em todas as áreas da empresa como seu criador, Walt Disney. Um dos personagens mais conhecido do mundo, o simpático ratinho é uma verdadeira mina de ouro para a empresa, faturando todos os anos aproximadamente US$ 750 milhões (em anos passados o camundungo já chegou a registrar vendas superiores a US$ 10 bilhões ou quase um terço da receita do grupo DISNEY), somente na América do Norte com licenciamento de produtos. O personagem está presente na televisão, em filmes, gibis, livros, revistas, jogos de videogames, nos parques temáticos e em centenas de produtos licenciados. Os livros Mickey Mouse Clubhouse são publicados em 25 línguas e 48 países, vendendo anualmente 21 milhões de cópias.

Você sabia?
Mickey Mouse posou para fotografias com praticamente todos os presidentes americanos, desde Harry Truman em 1945.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas), sites (viajandoparaorlando.com e wdwnews.com), livro “A magia do Império Disney” (da autora Ginha Nader) e Kadu Dias (Publisher & Founder do Mundo das Marcas, que há mais de 20 se dedica a pesquisar e estudar a Walt Disney Company).

Última atualização em 15/1/2013

Um comentário:

amanda disse...

gostei muito de todo esse histórico. vai me ajudar bastante no meu TCC

queria saber informações,sobre onde posso encontrar,esses livros que você indicou no final.