19.9.06

† Swissair (1931-2002)


A Swissair foi fundada em março de 1931 através da fusão da Ad Astra Aero, com base em Genebra, com a Balair, baseada em Basle. Os primeiros vôos regulares da empresa foram então iniciados em abril de 1932, com um Lockheed Orion, na rota Zürich-Munique-Vienna, já naquela época proporcionando um novo padrão em transporte aéreo. Após a Segunda Guerra, foi elevada à condição de empresa de bandeira, em 1947. Neste ano realizou seu primeiro vôo transatlântico, ainda que em caráter experimental, entre Genebra e Nova York com um Douglas DC-4. Vôos regulares nesta rota foram estabelecidos somente em 1949. Os primeiros jatos foram introduzidos em 1960, com a chegada dos primeiros Douglas DC-8 e até 1962 estavam também em operação os Caravelle, nas rotas européias, e os Convair 990, inclusive utlizados nos vôos para o Brasil. Em 1971 foram recebidos dois Boeing 747-200B, seus primeiros wide-body, e mais tarde também o Douglas DC-10-30. Nos anos 90, iniciou a formação do Qualiflyer, grupo formado por empresas em que a holding SAir Group investia: entre as principais empresas que fizeram parte do SAir Group, destacam-se a South African, Sabena, LTU, Portugália, Crossair, AOM e Air Liberté. Essa política expansionista mostrou-se desastrosa: o SAirGroup perdeu mais de 1 bilhão de dólares em apenas um ano (2000), levando à uma insurreição administrativa e queda de seus principais executivos, substituídos por Mario Corti (ex-CEO da Nestlé) que logo tratou de trazer sua equipe. Tarde demais: atolada em dívidas e sangrando capital, a Swissair foi pega em cheio pelos acontecimentos de 11 de setembro. De forma humilhante, no dia 2 de outubro algumas aeronaves da empresa foram retidas em aeroportos da Europa por falta de pagamento de combustíveis, levando no dia seguinte à paralisação dos vôos. Os bancos suíços, credores da empresa, anunciaram o fechamento das torneiras de capital, causando o colapso de uma das mais tradicionais e melhores empresas aéreas do mundo. O governo interveio e anunciou um pacote de salvação, restabelecendo parte dos serviços. Mas o estrago estava feito. Encomendas (A340-600) foram canceladas, vários serviços suspensos. As participações acionárias nas empresas do Qualiflyer saíram dos aeroportos e foram dar nas barras dos tribunais. A empresa não aguentou. A marca Swissair desapareceu dos céus do mundo em 1º de abril de 2002, quando deu-se a mudança oficial para a marca Swiss, resultante da fusão do que sobrou da Swissair com sua sucessora, a também suíça Crossair. Ao pousar em Zürich na manhã de 1° de abril, o MD-11 prefixo HB-IWA fazendo o vôo SR145 proveniente de São Paulo, encerrou definivamente 71 anos de tradição, eficiência e respeito ao passageiro. A Swiss pretende dar continuidade ao legado de sua antecessora, uma tarefa nada fácil, substituir uma das mais eficientes, carismáticas, competentes e charmosas companhias aéreas do mundo, capaz de produzir um serviço que muitas vezes chegava às raias da perfeição.

2 comentários:

Biju disse...

Ontem vi um filme chamado "Os últimos dias da Swissair" e fiquei chocada com a história ! Nem sabia que a marca havia sido extinta. Realmente, uma pena que uma empresa tão sólida e séria tenha acabado dessa forma. Seu post foi de grande esclarecimento para mim, pois eu estava mais chocada do que atenta ao filme, e agora posso entender mais claramente o que ocorreu. Parabéns pelo post.

roberto disse...

onde vc conseguiu o filme quero muito ver