17.10.06

COPAG


Um baralho é sempre igual, 52 cartas dividas entre quatro naipes e os curingas. Disso a COPAG sabe mais do que ninguém. Afinal, quem nunca jogou baralho? E no Brasil, muito provavelmente, quem já segurou algumas cartas na mão ao menos uma vez na vida, certamente estava com um COPAG, que se transformou em sinônimo de sua categoria. Com cartas de baralho a cigana prevê o futuro, o mágico faz seu espetáculo, o educador ensina, o psicólogo aplica testes e o jogador se diverte, e, em todos esses cenários dificilmente a COPAG não está sempre presente. 

A história 
A história da marca está diretamente ligada à dos jogos de baralho no Brasil. Pioneira na produção de cartas para jogar no mercado brasileiro, a COPAG se transformou em uma das principais empresas mundiais do segmento de baralhos com mais de 100 anos de atuação. Sua origem data de 1908, quando o imigrante português Albino Dias Gonçalves fundou a Albino Gonçalves e Cia. Importadores, no centro da cidade de São Paulo. No início, a empresa atuou apenas como importadora de baralhos, especialmente da marca alemã Wüst (incluindo também da Nintendo, sim a marca japonesa já fabricou baralho) e produzia papelaria em geral como envelopes, blocos de papel, rótulos para indústrias, folhinhas e cartazes. Foi somente em 1918 que passou a produzir os seus próprios baralhos no Brasil e adotou a razão social Companhia Paulista de Papéis e Artes Gráficas (de onde originou a marca COPAG). A fabricação utilizava a técnica da litografia, sendo que a celulose vinha de países europeus, como Suécia e Noruega, e as máquinas, da Alemanha e da Inglaterra.


Na década de 1920, a nascente indústria brasileira ganhou o reforço dos imigrantes que chegavam aos montes da Europa. Na COPAG, Albino passou a contar com o conhecimento do italiano Bernardino de Palma, que já atuava como mecânico em uma fábrica de papel brasileira. Nesse período, a COPAG chegou a comercializar nove modelos de baralhos, número que depois foi reduzido para cinco. Um dos maiores sucessos da COPAG, o baralho 139, foi criado em 1923 e continua sendo produzido até os dias de hoje. Por volta de 1930, passou a utilizar a impressão offset e assumiu a liderança na produção nacional de baralhos. Nesta década, a empresa teve um incremento na produção graças à fabricação de baralhos-fantasia e sob encomenda de cassinos, associações e empresas. O desenvolvimento de produtos sempre foi uma estratégia utilizada pela COPAG para crescer no segmento de baralhos.


Catálogos da década de 1940 já mostravam estojos especiais para bridge, com maços de baralhos, blocos de anotações e lápis. A época de esplendor dos cassinos brasileiros foi um período muito criativo na COPAG, com muitos lançamentos e a sofisticação na produção. Entretanto, uma lei de 30 de abril de 1946, assinada pelo então Presidente Eurico Gaspar Dutra, proibia os jogos de azar e os cassinos no Brasil. Como impacto dessa lei, a COPAG chegou a vender parte das máquinas de tipografia. Para superar as dificuldades, fabricava outros artigos de papelaria, como notas fiscais e cadernos, que se manteve em produção até 1954, quando a empresa passou a concentrar-se na produção apenas de baralhos. Por outro lado, o reconhecimento no exterior já começava a aparecer: a COPAG conquistou o primeiro prêmio na Convenção Internacional dos Fabricantes de Baralho, em Londres, com o baralho 139, carro-chefe de vendas até os dias de hoje. Além disso, com o jogo se descentralizando dos cassinos e migrando para redutos menores e mais numerosos, como clubes e residências, as vendas de baralhos aos poucos aumentaram.


Na década de 1970, já sob a gestão da terceira geração da família, a COPAG assumiu o compromisso de retomar o fôlego e se reposicionar, investindo em mais tecnologia e inovação. Em julho de 1987 a empresa inaugurou sua unidade industrial em Manaus (AM) e, desde então, novos processos produtivos foram incorporados à planta, com investimentos em equipamentos de impressão, automatização e ganhos de produtividade. No ano de 1993, quando a empresa fez um grande investimento em uma máquina impressora de tecnologia de ponta, também decidiu iniciar seu trabalho no mercado internacional. A COPAG começou a participar da maior feira do segmento de baralhos - G2E, em Las Vegas (antes conhecida como World Gaming Congress) - onde passou em poucos anos de desconhecida a uma das mais importantes fabricantes de baralho no mundo.


A COPAG iniciou a produção de cartas em PVC para pôquer no final dos anos de 1990. Apesar de mais caros e de terem um deslize diferente do papel, os baralhos de plástico possuem maior durabilidade. No mercado brasileiro, a empresa também se movimentou. Em 2000, a COPAG adquiriu seu principal concorrente direto, a Sociedade Impressora Caxiense, incorporando os modelos de baralhos Pinguim à sua linha de produtos. A COPAG USA foi criada em 2001 para atender com agilidade o enorme mercado americano. A empresa implantou um estoque de baralhos localizado em Miami (Flórida), como entreposto logístico para os Estados Unidos. Em pouco mais de um ano, a empresa consolidou sua presença no mercado internacional, exportando para diferentes países da Europa, Ásia, África e Américas, e atendendo diferentes segmentos, como cassinos, varejo e promocionais. Em 2003 lançou a primeira versão de sua loja virtual, comercializando cartas, marcadores, bolachas, seguradores, embaralhadores, feltros, cinzeiros e vários acessórios de jogo.


Desde 2005 a empresa passou a fazer parte do grupo belga Cartamundi, maior do segmento de baralhos no mundo, quando este adquiriu 50% da empresa brasileira. Foi a partir da aquisição que a COPAG pode começar a operar em outras divisões e aproveitando o acordo de licenciamento da nova proprietária com a Disney para produzir jogos de cartas educativos. Além disso, a união permitiu também que baralhos da COPAG fossem manipulados por crupiês de cassinos americanos, argentinos, franceses e do território chinês de Macau, considerada a “Las Vegas Asiática”. Ainda este ano, a COPAG se tornou a fornecedora oficial do World Series of Poker – principal campeonato de pôquer do mundo – e o baralho plástico da marca chegou aos principais cassinos do planeta.


Em 2008, como comemoração do centenário da empresa, a COPAG reformulou todas as embalagens de seus produtos; lançou um baralho comemorativo, uma edição especial de cartas com design moderno dos naipes em um estojo de metal; fez uma campanha de marketing de guerrilha em São Paulo com algumas pessoas nas ruas vestidas de curinga e de cartas de baralho e que ficavam fazendo malabarismos; lançou uma campanha publicitária estrelada pelos principais jogadores brasileiros de pôquer como Christian Kruel, André Akkari, Leo Bello, Cinthia Escobar, Leandro “Brasa”, Igor “Federal” e Raul Oliveira; e lançou o livro do centenário contando a história da empresa. Ainda este ano, a COPAG foi escolhida pelo Poker Stars, uma importante liga de jogadores profissionais, para a produção da linha de baralhos 100% plástico com a marca da Poker Stars. Desenvolvidos a partir de pesquisas com jogadores profissionais, dealers e crupiês, os baralhos 100% plásticos da COPAG são fabricados com matérias-primas especiais, e proporcionam facilidade no manuseio e no deslize das cartas, além de flexibilidade adequada às necessidades dos jogadores. Perfeitos para a distribuição das cartas, que não amassam e não marcam com facilidade. Em março deste mesmo ano, a empresa adquiriu 50% das ações da Barajas y Naipes do México, passando a ser sócia da 2ª maior empresa fabricante de baralhos mexicana.


Em 2011 a COPAG conseguiu a licença da marca Pokémon para produzir e comercializar a versão brasileira do Trading Card Game da franquia. Desde então, a empresa vem investindo para ir além das cartas tradicionais, conquistando novos públicos e transformando Pokémon em um de seus carros-chefe. Em março de 2012 foi lançado o Battle Scenes – Universo Marvel, um card game totalmente desenvolvido no Brasil, expandindo ainda mais seu segmento de atuação. Pouco depois, em 2013, em homenagem ao Baralho 139, foi criado em 13 de setembro o Dia do Baralho. Para marcar o primeiro ano da comemoração, a COPAG lançou um documentário sobre a origem das cartas e realizou um grande concurso valendo uma viagem para um cassino no Uruguai. No ano de 2015, aproveitando toda sua experiência adquirida em mais de um século de existência, desenvolveu e lançou as versões de Paciência, Truco e Buraco para tablets e smartphones. Além disso, lançou o COPAG PLAY, uma linha de produtos inovadora que disponibiliza a interação digital aos card games, uma maneira dinâmica e moderna de jogar com as cartas, no intuito de complementar as partidas físicas. A nova linha chegou ao mercado com três jogos entre os quais o Jogo do Mico. Em 2016, em mais uma diversificação de sua linha de produtos, a COPAG lançou no mercado o famoso UNO, card game nº 1 do mundo.


Sobreviver vendendo um produto tão simples durante mais de um século, porém, não é tarefa fácil. Para se destacar da concorrência, a COPAG investe em materiais diferenciados, cores e modelos variados, produções para ações promocionais de outras marcas, e em parcerias para a fabricação de novos jogos. A COPAG vive do entretenimento, mas leva a sério o negócio do baralho.


Os produtos 
A COPAG tem uma completa linha de produtos composta por mais de 50 modelos de baralhos (incluindo para tarô e mágica), divididos em produtos confeccionados em cartão (papel especial importado) e em plástico, que é uma tendência e um segmento que vem crescendo, inclusive em exportações, para atender ao segmento de cassinos, pois eles têm qualidade e durabilidade excelentes, não permitindo, inclusive, que as cartas sejam marcadas. Entre os principais produtos estão: 
100% PLÁSTICO: disponível em duas linhas, uma mais tradicional (100% plástico) e outra mais moderna (100% plástico new). 
139: feito de papel couché, é o baralho mais popular da COPAG e preferido dos jogadores de todo o Brasil. Disponível nas versões Bridge e Poker Size, Truco, Naipe Convencional, Grande e Gigante, pode ser encontrado em sete cores diferentes (como vermelho, preto, azul, verde, ciano). O seu curinga é representado por uma taça com arabescos e um cavaleiro com escudo. 
157: baralho em cartão 275g em caixinhas unitárias. Este modelo é um pouco mais flexível que o COPAG 139. 
PINGUIM e ESPANHOL: baralhos tradicionais de 50 cartas (48 cartas + 1 curinga + 1 carta garantia), ideais para jogar truco ou escopa. 
TEXAS HOLD’EM: baralho especialmente produzido para jogar pôquer, fabricado em PVC de alta qualidade e internacionalmente reconhecido por sua fórmula exclusiva que garante um agradável manuseio. Disponível em Naipe Grande e Peek. 
POKERSTARS: especialmente produzida com a marca POKER STARS, este baralho de plástico 100%, desenvolvido especialmente para o jogo de pôquer, está disponível em naipe grande. 
CASSINO: baralho em cartão 290g em caixinhas unitárias com 55 cartas (52 cartas + 2 curingas + carta garantia). 
DUNGA: baralho profissional de qualidade com suave manuseio, perfeito para ser usado em qualquer tipo de jogos de cartas. 
CASES POKER: maleta metálica acompanhada fichas profissionais de pôquer.


A COPAG possui também uma ampla linha de produtos voltada para o público infantil, composta por mais de 50 itens, com imagens licenciadas de personagens Disney, jogos de memória, Rouba Monte, dominó com cartas e cards games, que hoje representam 15% das vendas. O produto mais vendido é o Mico. Outra linha com forte crescimento atualmente é a do Trunfo, chamada SUPER COPAG. Além disso, a COPAG possui uma linha de baralhos promocionais, procurada pelos clientes para ações de marketing e brindes com o logotipo da empresa.


A mascote 
Em agosto de 2008, a COPAG, visando atingir também o público infantil, criou a mascote COPAGUINHO, filho do Rei de Espadas com a Dama de Copas – por isso ele é uma mistura desses dois naipes. Rapidamente o personagem passou a estampar produtos voltados para este público, como por exemplo, jogo da memória e dominó. Um boneco do personagem também foi especialmente criado para a animação em feiras, eventos e ações em pontos de venda. Desde que foi criado, o boneco já visitou mais de 60 escolas em São Paulo, participando de eventos e brincadeiras educacionais. Além disso, a mascote ganhou um blog onde interage com as crianças e também apresenta as novidades da marca, como a nova linha dos Super Copags, jogos de baralho personalizados com temas infantis e que trazem cartas metalizadas. Hoje em dia, o personagem tem também o seu próprio site, onde as crianças podem se divertir com diferentes jogos. Mais recentemente, em 2011, foi lançada As Aventuras de Copaguinho, um webgame infantil estrelando a sua mascote. Pouco depois, em maio de 2012, foi lançado o game Copaguinho no Espaço para iPad, a primeira investida da COPAG em dispositivos móveis.


A evolução visual 
Há alguns anos atrás a COPAG mudou sua identidade visual, substituindo seu tradicional logotipo verde com o cavalheiro por um mais moderno e sóbrio, alinhado ao da Cartamundi, proprietária da marca.


Dados corporativos 
● Origem: Brasil 
● Fundação: 1908 
● Fundador: Albino Dias Gonçalves 
● Sede mundial: São Paulo, Brasil 
● Proprietário da marca: Grupo Cartamundi 
● Capital aberto: Não 
● Presidente: Ricardo Albino Gonçalves Filho 
● Faturamento: Não divulgado 
● Lucro: Não divulgado 
● Presença global: 40 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 400 
● Segmento: Jogos 
● Principais produtos: Baralhos, jogos de carta e cards colecionáveis 
● Concorrentes diretos: Bycicle, Bee, Kem, Aviator, Tally-Ho, Maverick e Piatnik 
● Ícones: O baralho 139 
● Mascote: Copaguinho 
● Slogan: COPAG. Tenha Sempre à Mão. 
● Website: www.copag.com.br 

A marca no mundo 
Hoje em dia, os baralhos COPAG, que detém aproximadamente 90% de participação no mercado brasileiro, podem ser encontrados nos cinco continentes (incluindo Estados Unidos e diferentes países da América Latina, Europa, África, Ásia e Oceania) e nos maiores e mais conceituados cassinos e campeonatos de cartas do mundo. A empresa é a líder em cartas para jogar no mercado latino-americano, possuindo fábrica em Manaus, estado do Amazonas, com capacidade de produção superior a 35 milhões de baralhos por ano (15% deste montante é exportado), e escritórios de vendas na Flórida e em Santiago do Chile. No Brasil, a COPAG conta com um amplo portfólio de produtos, que inclui também jogos infantis (como Jogo da Memória) e cartas personalizadas. Além dos jogos, a empresa comercializa em sua loja virtual acessórios com sua marca e estampas ligadas a jogos como coqueteleira, petisqueira, toalha para mesa de jogos, estojos e cooler. No Brasil, é possível encontrar os baralhos da marca em pontos de venda, que vão de bancas de revistas e padarias a supermercados e até postos de combustível. 

Você sabia? 
O produto denominado 139 é o baralho mais conhecido da marca e carro-chefe, correspondendo a 60% das vendas. Afinal, mesmo que não o diferenciem pelo nome, quase todos os brasileiros nascidos no último século reconhecem um baralho 139, quando o têm nas mãos. O fundo azul ou vermelho e o símbolo de uma taça prata com arabescos, com o cavaleiro empunhando lança e escudo nas cartas da marca COPAG, preencheram horas de lazer de gerações e gerações ao longo das décadas. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Isto é Dinheiro, Exame e Época Negócios), jornais (Valor Econômico, Folha e O Globo), sites especializados em Marketing e Branding (Mundo do Marketing) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 17/1/2017

18 comentários:

Copiador Descarado disse...

Excelente blog!
Escrevi um post recomendando-o.
Abraços.


Cópia Carbono

Bruno Pedrozo disse...

Finalmente um novo post =D
adoro esse blog

Raphael Cunha disse...

Odiei o blog, ele não conta as historias das MARCAS(desenhos) mas sim das EMPRESAS.

Nao deveria se chamar Mundo das MARCAS, mas sim.. PUXO OS SACO DAS EMPRESAS CAPITALISTAS DO MUNDO.

Bruno Pedrozo disse...

Esse raphael cunha tem problema... Marca é o nome de uma empresa registrado propriamente
os desenhos são logotipos e nem vem falar de logomarcas que logomarca é uma palavra que não existe
se o nome é Mundo das Marcas é claro que fala de empresas ou seria só um histórico de como surgiu o nome

Edson disse...

Mas que falta um pouco matar a curiosidade sobre o nome e sobre o logotipo, isso falta...

Andrei Skavinski disse...

A qualidade do blog é gigantesca, e recebe algumas criticas infundaveis eu acho...

Bom, importa que é bom, segue o caminho cara, sucesso!

Diandra Leandro disse...

Olá!
Acompanho o blog a algum tempo, mas é a primeira vez que deixo um comentário. Preciso dizer que esse blog é um dos meus sites favoritos, você deve com toda certeza continuar o seu trabalho, que é muito bem feito.
Parabéns! E sucesso!

ohana disse...

D++++++++++!! Para que estuda Publicidade, Comunicaçao ou Marketing este é um otimo SITIO.

Anônimo disse...

Olá, primeiramente parabéns pelo seu blog!
Além de ter um conteúdo interessantíssimo a respeito da história das marcas e de suas respectivas empresas, é completo em suas informações e essa infinidade de marcas é algo impressionante.
Costumo inclusive postar alguns de seus textos num blog que tenho sobre comunicação e arte, e claro, sempre citando a fonte e fazendo um link para seu site.
Grande abraço,
parabéns mais uma vez,
Fabrício Alves
insight.fcraft.com.br

Anônimo disse...

opa, comentário lá sobre seu blog!
Abraço,
http://www.fcraft.com.br/blog/?p=415

fabrício Alves

Alpha & Ether disse...

Ameiiiiiiiiiiiii o blog, bem interessante a história de algumas marcas, ainda não vi todos, dei só uma olhada por cima, mas adorei...
Estou te linkando no meu blog, depois dê uma olhada.. t+

http://alphaeether.blogspot.com

adolfo® disse...

Grande blog!!! Quem tem problema são seus criticos!!
Continue com seus ótimos posts!!
Vlw

Adolfo Jr
ppuniube.blogspot.com

Alex Gonçalves disse...

atualiza aeh, pelo amor de Deus!


Precisa de ajuda?



Alex Gonçalves
www.publiloucos.blogspot.com

JPMS disse...

Rafael Cunha queria oq??

Uma ilustração infantil de como surgiu a Marca UHAuhaUHA

Acorda muleke, isso aqui é um site que fala sobre empresas e suas marcas(BRANDS) não sobre ilustrações UAHuhaUAHuha

Joilson Silva disse...

Meus parabéns por esta idéia sobre marcas. Gostei deste post e estou recomendando no meu Blog.

http://www.mundodosnaipes.blogspot.com

Joilson

Professor disse...

Porque o numero 139?

Gustavo Wenceslau disse...

Nossa cara vkcece doente???? Como não fala da marca??? Além disso, o blog usa de fontes para falar da marca e obviamente da empresa detentora. Se voce odeia o blog, simples, ignore. Seu ignorante. Agora vá la e crie um blog do karl marx e seus gloriosos sucessores!!!

Pedro Malheiros disse...

Você é muito burro. O post se refere a marcas como empresas (coca-cola, Disney...), n como símbolos. '-'