11.6.08

DIPPIN' DOTS

Imaginem um sorvete em formato de pequenas bolinhas que derretem ao entrar em contato com a boca? Acrescentem a isso muitas cores, sabores e uma consistência exclusiva, em uma verdadeira explosão de gostosura sem igual no mercado. O nome deste revolucionário sorvete é DIPPIN’ DOTS, que se tornou uma verdadeira mania entre os americanos.

A história
A história começa em 1986 quando Curt Jones, um microbiologista responsável pelo setor de produção de bactérias de uma empresa americana, teve a idéia de produzir sorvetes congelados a baixíssimas temperaturas. Na época, ele inventou um sistema de congelamento de bactérias e resolveu testar com sorvetes, que mesmo num calor intenso, de temperaturas de até 40 graus, não derretiam facilmente. O resultado surgiu no ano seguinte: um sorvete de mini-bolinhas que não se grudavam, criado a partir de um método diferente de congelamento chamado criogenia (técnica de congelamento com nitrogênio líquido a baixíssimas temperaturas). A massa era feita de pequenas bolinhas que não derretiam e só se dissolviam ao entrarem em contato com a boca. A receita do sorvete era a mesma de um sorvete de massa convencional, porém, com a vantagem de utilizar menos conservantes e estabilizantes.


O produto usava a temperatura como meio de conservação. Enquanto um sorvete convencional é mantido a 10º graus abaixo de zero, os DIPPIN’ DOTS têm que ser armazenados a 40º negativos e servidos, preferencialmente, a 26º abaixo de zero. Finalmente em 1988 o microbiologista fundou uma empresa para produzir o revolucionário sorvete e mostrar ao mundo sua nova invenção. A produção começou de maneira modesta na acanhada garagem da casa de seus pais em Grand Chain, estado do Illinois. Era preciso ver a aceitação do público diante da novidade. Uma loja em Lexington, estado do Kentucky; amigos e familiares; e o primeiro contrato para vender seus produtos dentro do parque de diversão Opryland em Nashville, estado do Tennessee, foram o principal cartão de visita do novo sorvete até 1989. Mais do que o simples prazer de degustar, o produto foi considerado uma vanguarda para o setor, ao oferecer uma experiência sensorial completa ao consumidor (visual diferente, consistência exclusiva que chega a fazer barulho no copo, cheiro e gosto de sorvete gelado). Começava então uma verdadeira mania pelos Estados Unidos.


Com o aumento da demanda pelo produto, a garagem onde o DIPPIN’S DOTS era produzido ficou pequena, e Curt Jones, resolveu mudar a produção para uma pequena loja na cidade de Paducah no estado do Kentucky. Em 1991 a empresa estabeleceu uma rede de distribuição para atuar em feiras, festivais e áreas comerciais. Deste momento em diante, o estopim do sucesso havia sido aceso.


Nos anos seguintes a expansão foi rápida: em 1995 assinou contrato de licenciamento com o Japão e a Austrália, iniciando a internacionalização da marca; inaugurou uma enorme fábrica em Paducah, Kentucky; introduziu, em 1998, o programa de máquinas automáticas, primeiramente instaladas em salas de cinema espalhadas pelo país; assinou o primeiro contrato de franquia em 2000; iniciou as vendas via Internet em 2002; começou a ser oferecido como item regular do cardápio do McDonald’s da cidade de São Francisco, logo se espalhando por centenas de lojas da rede; inaugurou, em 2002, a primeira fábrica no exterior, localizada na Coréia do Sul, para atender ao mercado asiático. A este altura o produto já era uma verdadeira febre em parques temáticos e lojas do McDonald’s nos Estados Unidos. E o sucesso aumentou depois que o fundador da empresa apareceu em programas de televisão como o popular Oprah Winfrey Show, fazendo com que a marca ingressasse em mercados tão distintos como Panamá, Holanda e Colômbia. Recentemente seus sorvetes começaram a serem vendidos em grandes varejistas. Além disso, a marca lançou outras delícias como o Dotwich, um sanduíche de bolachas recheados com o tradicional sorvete da DIPPIN’ DOTS.


Os produtos
Os sorvetes são vendidos em copinhos ou saquinhos de 85 gramas, e podem ser encontrados, dependendo das regiões, na versão tradicional, diet e light, em mais de 60 sabores como café, chocolate, baunilha, morango, laranja, banana-split, algodão-doce, chiclete, melancia, cookies, melão, limão e menta com chocolate. A partir de 2005 a marca começou a diversificar sua linha de produtos com a introdução de bolos e sanduíches de bolachas (Dotwiches) recheados com as tradicionais bolinhas de sorvetes. Mais recentemente, em 2006, introduziu uma linha de sorvetes convencionais misturados com as tradicionais bolinhas DIPPIN’S DOTS, assim como bolos, milkshakes, cafés, sundaes e iogurtes em suas lojas.


A evolução visual
A identidade visual da marca passou por algumas alterações ao longo dos anos, mas sempre manteve seu caráter lúdico.


Dados corporativos
● Origem:
Estados Unidos
● Fundação: 1988
● Fundador: Curt Jones
● Sede mundial: Paducah, Kentucky
● Proprietário da marca: Dippin’ Dots, Inc.
● Capital aberto: Não
● Chairman: Curt Jones
● CEO & Presidente: Tom Leonard
● Faturamento: US$ 115 milhões (estimado)
● Lucro: Não divulgado
● Lojas: + 500 (lojas, quiosques, carrinhos e máquinas automáticas)
● Presença global: 15 países
● Presença no Brasil: Não
● Funcionários: 800
● Segmento: Sorveterias
● Principais produtos:
Sorvetes e derivados
● Ícones: As pequenas bolinhas de sorvetes
● Slogan:
Ice Cream of the Future.
● Website: www.dippindots.com

A marca no mundo
Os produtos DIPPIN’ DOTS podem ser encontrados em mais de 2.500 pontos de vendas localizados em parques temáticos (Disneylândia, Six Flags, Cedar Fair e SeaWorld), zoológicos, aquários, feiras, festivais, cinemas e arenas esportivas, em mais de 800 lojas do McDonald’s da costa oeste, além das quase 500 lojas próprias, quiosques e máquinas automáticas localizadas, geralmente, dentro de shopping centers e áreas comerciais. México, Japão, Canadá, Israel, Filipinas, Colômbia, Holanda e Coréia do Sul são outros países que já conhecem o produto e aderiram ao sistema de franquias para a comercialização. A empresa possui, além da enorme fábrica nos Estados Unidos, uma na Coréia do Sul e um centro de distribuição na Austrália.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Última atualização em 29/5/2011

Um comentário:

Pablo Bandeira disse...

PERFEITO o sorvete..