30.8.08

ORANGE COUNTY CHOPPERS

Motocicletas psicodélicas com guidão alto, tanques finos e pneu lá na frente. O grande diferencial delas é que são temáticas e para poucos: não saem da oficina por menos de US$ 40 mil. A lista de clientes é estrelada. Lance Armstrong, Keanu Reaves, Ewan McGregor, Joe Perry (guitarrista do Aerosmith) e Peter Fonda são alguns dos que possuem uma máquina exclusiva da ORANGE COUNTY CHOPPERS, uma empresa familiar, comandada por Paul Teutul, e sua cara de mau, que fatura milhões de dólares vendendo rebeldia e criatividade sobre duas rodas.

A história
O conceito de moto chopper (motocicletas personalizadas), originado nos Estados Unidos, foi disseminado mundo afora através do filme “Easy Rider” (Sem Destino), lançado em 1969, em que os atores Peter Fonda e Denis Hopper interpretam os dois motociclistas que viajam pela América sobre suas incríveis maquinas. As motos do filme, que tinham nome (chamavam-se: Capitão América e Billy Bike), talvez sejam até hoje as “Choppers” mais famosas do mundo todo. Outro filme famoso da época que trazia as motocicletas choppers em destaque foi “The Wild One” (O Selvagem), interpretado pelo galã Marlon Brando. Com suas motos potentes, os astros de Hollywood inspiraram muitos jovens nas décadas de 60 e 70.


Foi nesse contexto, da febre das motocicletas choppers dos filmes de Hollywood, que o americano Paul Teutul, dono de um inconfundível e grande bigode, braços tatuados e cara de mau, teve o seu amor despertado pelas máquinas de duas rodas. Porém, a origem dos negócios da família Teutul foi outra. Na década de 70, Paul iniciou, em Montgomery, Nova York, uma empresa de montagem de estruturas de aço chamada Orange County Ironworks (conhecida pela sigla OCI). Na época, o endereço da firma era a caçamba da camionete de Paul e fazia desde escadas de prédios a carrocerias de carro. Ao mesmo tempo em que a OCI ia prosperando, o empresário foi desenvolvendo a idéia de usar sua paixão pelas motos para criar um novo negócio. Foi o sucesso da pioneira OCI que permitiu a Paul desenvolver o sonho de montar motocicletas, nas horas de folga, com a ajuda do seu filho, Paul Jr.


Com apenas 12 anos, Paul Jr. passava a maior parte das férias escolares na empresa do pai, aprendendo tudo sobre a utilização de aço, que seria usado mais tarde para a montagem das motocicletas. Quando ainda cursava o ginásio, participou do programa de Serviço Educacional Cooperativo, aperfeiçoando sua habilidade de montagem. Logo após graduar-se, foi trabalhar com o pai na Orange County Ironworks, tornando-se chefe da sessão de trilhos e grades. Em 1999, já com três fábricas próprias, o empresário resolveu transformar seu hobby - a montagem de motocicletas “chopper” – em uma nova empresa localizada em Rock Tavern a 130 quilômetros de Nova York: a OCC (ORANGE COUNTY CHOPPERS). Foi aí que entrou em cena o talento de Paul Jr., que deixou a OCI para ser chefe de design e fabricação da recém-criada empresa. A ORANGE COUNTY CHOPPERS deu o passo inicial no mundo das máquinas personalizadas no festival de motos de Daytona, conhecido como “Biketoberfest”, em 1999, com a apresentação da moto “True Blue”, fabricada no porão da casa da família.


A criação do time, formado por pai e filho, causou um grande interesse nos consumidores. Outras motos temáticas foram surgindo em seguida, como a “Spider Bike” (em tons de vermelho, com pára-lamas imitando teias de aranha), desenhada a partir do personagem em quadrinhos Homem Aranha e comprada pelo músico Wyclef Jean, do The Fugees.


O destino da pequena e familiar empresa iria mudar em 2001, devido ao enorme sucesso dos famosos “reality shows”. Em virtude do grande sucesso dos programas de carros customizados como o “Monster Garage”, Sean Gallagher, diretor de desenvolvimento do canal de televisão Discovery, tinha a intenção de expandir este gênero com um tipo diferente de “reality show”, que retratasse um fabricante de motos com excelente design e talento. Na busca por fabricantes de motocicletas, o diretor encontrou o site da OCC. A família Teutul tinha um talento diferenciado na fabricação de motocicletas sob encomenda. A partir de uma lista composta por mais de 20 lojas de motos que tinha em consideração, o relacionamento entre um pai e seu filho, trabalhando juntos em um negócio familiar de sucesso, atraiu o interesse do produtor e a OCC foi escolhida para fazer o programa. No dia 29 de setembro de 2002, foi ao ar o primeiro capítulo da série AMERICAN CHOPPER, no canal por assinatura People+Arts, da BBC e Discovery Networks, voltado ao gênero estilo de vida.


A grande sacada do programa e da família Teutul para fazer sucesso rapidamente foi explorar o patriotismo americano em um momento delicado de sua história. O programa de TV, que não à toa leva a palavra “American” no início do nome, se tornou extremamente popular quando Paul Jr. inventou uma moto para homenagear os bombeiros mortos no trágico atentado terrorista no dia 11 de setembro. Depois, veio um modelo para os soldados que lutavam no Afeganistão e outro chamado “Air Force One” (como o avião presidencial dos Estados Unidos). Não por acaso, na sede da empresa foi colocada uma placa enviada pelo Pentágono, com os dizeres: “Orange County Choppers – True American Heroes” (“Verdadeiros Heróis Americanos”). A tensão entre os membros do programa e a fascinação do público pelas super máquinas garantiram a audiência do programa.


Aproveitando o sucesso, Paul Teutul fez o que quase todos os astros da mídia americana vinham fazendo: emprestou sua imagem para produtos. Daí surgiram as motos em miniatura, fabricadas pela Matchbox, e até mesmo a colônia pós-barba. A série estabeleceu uma conexão com os telespectadores porque a família Teutul representava o verdadeiro herói da classe trabalhadora americana: vieram do nada, montaram a loja e estão na TV. Impulsionada pelo sucesso na televisão a empresa começou a se destacar mundialmente como referência na fabricação de motos choppers. Em 2002, a OCC foi reconhecida pela revista “American Iron Magazine” como uma das 12 melhores montadoras de motos do mundo; assim como foi citada no livro Haute Motor: The Art of Chopper (novembro de 2003), entre as 19 melhores montadoras. As motos da oficina também foram capas de revistas de renome, como “American Iron Freeway” (França), “Norsk Biker Journal” (Noruega), “Street Chopper” e “V-Twin Motorcycles”.


O sucesso do programa, e conseqüentemente da empresa ORANGE COUNTY CHOPPERS, pode ser medido, quando o faturamento da família Teutul atingiu US$ 360 milhões. Desse total, apenas cerca de pouco mais de 10% vieram das motos customizadas. O restante veio do contrato com a Discovery e da venda dos produtos licenciados com a marca OCC. Nesta época, o fenômeno já havia tomado conta do mundo. Tanto que a loja de produtos licenciados recebe encomendas do Japão, da Rússia, da Coréia do Sul, da Nigéria e até mesmo do Brasil. Entre outros modelos famosos construídos e criados pela empresa estão a “The Comanche” (que tem como referência o helicóptero Bell RAH 66, usado pelo exército americano); a futurista “I Robot” (inspirada no filme “Eu, Robô” e encomendada pelo ator Will Smith), duas das mais famosas máquinas, cujas construções foram exibidas em episódios de grande audiência do programa; e a “The Original”, moto preta e prata, com detalhes em azul e motor S&S (Smith and Smith) de 1638 cilindradas. Além disso, em 2009, a OCC apresentou a SMART CHOPPER, sua primeira moto elétrica, construída em parceria com a Siemens, que forneceu a tecnologia das baterias, motor e sistema de recarga. A motocicleta foi a leilão em 2010 para levantar fundos para um projeto de caridade.


A lista de clientes da empresa traz diversos nomes famosos. Com um custo entre US$ 35 mil e US$ 150 mil (uma Harley-Davidson tradicional custa em média, sem modificações, US$ 20 mil), as “choppers” fabricadas pela empresa já foram vendidas para estrelas como o ciclista Lance Armstrong, o roqueiro Tommy Lee, o ator Will Smith e o apresentador Jay Leno.


O Reality Show
A idéia inicial do programa (visto em mais de 170 países) era centralizar as ações na criação e na montagem das motocicletas, que quase foi deixada em segundo plano quando se observou o que estava acontecendo na tela da televisão. Os membros da família possuíam um intenso e explosivo relacionamento e isso saltou aos olhos dos diretores do programa. O AMERICAN CHOPPER passou a ser menos sobre as motos e mais sobre a dinâmica por trás da fabricação delas. Na relação entre Paul Teutul e Paul Jr., seus estilos de trabalho são contrastantes (estavam sempre brigando por problemas na construção das motos ou até mesmo por pequenos motivos, como uma broca perdida ou pela sujeira na oficina), mas nota-se uma série interessante de “conversas” entre pai e filho, enquanto se esforçam para cumprir, com prazos de entrega aparentemente impossíveis de realizar, um trabalho de alta qualidade que represente a OCC. A cada semana, eles criavam um novo modelo e apresentavam ao longo programa todo o processo de elaboração das motos. Os desenhos temáticos são marcas registradas da família. Além de Paul Teutul e Paul Jr., Michael Teutul (o “Mikey”) também era destaque no enredo do programa. Nos Estados Unidos, cada episódio do programa chegou a atrair em média quatro milhões de espectadores. No Brasil, a atração também foi um estrondoso sucesso de audiência da televisão paga. No Orkut, existem mais de 70 comunidades brasileiras dedicadas ao programa e seus personagens. Em 2010, o programa acabou de forma precoce em fevereiro, resultado da briga final entre o pai, Paul Sr. e o filho, Paul Jr., ter sido levada para os tribunais do Estado de Nova York. O continuou com a OCC e o filho abriu sua própria empresa. Pois bem, não demorou muito os dois voltaram a trabalhar em um mesmo programa, só que com gravações separadas. O programa, batizado de “Paul Senior vs. Paul Junior”, foi gravado com duas equipes de produção, independentes e sem nenhuma forma de comunicação entre si, onde pai e filho entraram em uma disputa construindo motocicletas diferentes, que competem entre si.


A sede
Até poucos meses atrás, se você perguntasse a qualquer fanático por motos onde ficava a cidade de Montgomery, a resposta viria de forma invertida: fica onde está a oficina ORANGE COUNTY CHOPPERS (OCC). Porém, a partir de 24 de abril de 2008, os fãs do bigodudo Paul S e de seus filhos Paul Junior e Michael tem na memória o nome de outra cidade nas redondezas de Nova York, além de Montgomery: a cidade de Newburgh, onde foi inaugurada a enorme e belíssima sede da empresa. Ás margens de uma rodovia interestadual e de frente para o luxuoso Hotel Hilton, um gigantesco galpão de fachada de vidro medindo 30 mil m2 e lembrando mais um shopping center do que uma oficina mecânica, é a nova casa da OCC. A nova sede abriga, além da linha de produção de motos, a central de serviços, uma loja da marca OCC, escritórios, showrooms, e uma enorme área dedicada a produção e filmagem do programa American Chopper. Apesar da nova sede, a antiga, que estava localizada desde 2004 em Montgomery, deixará saudades.


A evolução visual
A identidade visual da marca passou por pequenas modificações ao longo de sua história.


Dados corporativos
● Origem:
Estados Unidos
● Fundação: 1999
● Fundador:
Paul Teutul e Paul Teutul Jr.
● Sede mundial: Newburgh, New York
● Proprietário da marca:
Orange County Choppers, Inc.
● Capital aberto: Não
● CEO: Paul Teutul
● Chefe de design:
Jason Pohl
● Faturamento: US$ 50 milhões (estimado)
● Lucro: Não divulgado
● Lojas: 2 (+ 1 quiosque)
● Concessionárias autorizadas: 13
● Presença global:
2 países
● Funcionários: 100
● Segmento: Motociclístico
● Principais produtos:
Motocicletas personalizadas e produtos licenciados
● Ícones: O programa American Chopper
● Slogan:
Premier builder of distinctive custom bikes.
● Website: www.orangecountychoppers.com

A marca no mundo
O reality show American Chopper transformou a pequena oficina de motos do empresário Paul Teutul em um negócio capaz de gerar pelo menos US$ 360 milhões, dos quais US$ 50 milhões provenientes da venda das máquinas customizadas. O restante é proveniente do contrato com a Discovery e da venda de produtos da marca, como camisetas, jaquetas, bonés, brinquedos, óculos, canecas de cerveja, DVDs, jogos eletrônicos, perfumes e até bonecos de seus protagonistas, pacatos habitantes de uma cidadezinha interiorana no estado de Nova York. A empresa tem uma pequena rede de concessionárias em cidades como San Antonio e Houston, Texas; Jackson, Michigan; Fort Lauderdale, Flórida; Newburgh, Nova York; Las Vegas, Nevada; e Tulsa, Oklahoma. A OCC ainda possui duas lojas, uma localizada em sua sede e outra no Palisades Center Mall em West Nyack, além de um quiosque sazonal no Woodbury Commons Outlet Mall em Central Valley, Nova York. Hoje a empresa é uma das mais importantes fabricantes de motos customizadas do mundo.

Você sabia?
A ORANGE COUNTY CHOPPERS, desde sua fundação, já fabricou mais de mil motocicletas exclusivas e personalizadas.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Última atualização em 14/6/2011

4 comentários:

carlos disse...

Gostaria de saber, se a marca OCC ja e vendida no Brasil e se existe alguma possibilide de revenda de seus produtos no Brasil.

D. disse...

Oi. será que vc poderia me ajudar?

Procuro informações sobre a empresa nextel, mas quase não acho informações na internet.. vc teria algo sobre?

Obrigada pela atenção,

Ariadne

Robson disse...

Gostaria de saber se no Brasil existe algum lugar para comprar produtos da OCC, como bonê, camisetas, etc. Se existe por favor passe- me o tel e ou endereço grato.

Robson

Amanda Landulfo disse...

Comprei uma camiseta deles em 2008. Nunca mais encontrei os produtos.