23.7.11

DUANE READE

Você saberia responder quais são os principais símbolos da cidade de Nova York? Se você disse a Estátua da Liberdade, Wall Street, a estação Grand Central, Broadway, o edifício Empire State, Central Park ou a Times Square, acertou em cheio. Mas acrescente a essa lista a DUANE READE, uma tradicional rede de drogarias que faz parte do dia a dia dos nova-iorquinos há mais de 50 anos, e que se transformou em um dos maiores símbolos corporativos da metrópole americana.

A história
A ligação da rede com a cidade de Nova York começou na Broadway, na região de baixa Manhattan, no ano de 1960 quando os irmãos Abraham, Eli e Jack Cohen abriram um armazém, localizado entre as ruas Duane e Reade (daí a origem do nome da rede), para vender artigos de beleza e saúde. Em 1973, a rede já possuía nove lojas, todas localizadas em Manhattan. Nesta época, os principais clientes da rede eram os trabalhadores dos escritórios da região, o que explicava o horário de funcionamento das lojas: das 8 da manhã às 6 da tarde. Durante as duas décadas seguintes, a empresa cresceu em um ritmo frenético, ainda que meio desordenado, com suas lojas fazendo parte da paisagem urbana da cidade. Neste período a oferta de produtos também foi ampliada, abrangendo também alimentos, brinquedos, revistas, utilidades domésticas, entre outros itens.


Em 1992, a família Cohen vendeu a rede, então com 37 lojas, por US$ 239 milhões para o fundo de investimento Bain Capital. A DR, como ficou popularmente conhecida pelos habitantes da cidade, entrou realmente nos trilhos em 1996 quando contratou o executivo Anthony Cuti, um ítalo-americano que deu um impulso sem tamanho à rede. Um ano depois, a rede já possuía 97 lojas, crescendo à uma velocidade proporcional ao seus lucros. Além disso, a rede iniciou a venda de produtos com marcas próprias, essencial para o aumento de seus lucros. No ano de 2001 durante os terríveis atentados de 11 de setembro, em mais uma prova de amor a cidade, as lojas da DUANE READE, mesmo as localizadas próximas ao “ground zero”, se converteram então em postos de atendimento e socorro para os feridos. Uma delas foi literalmente destruída. E justamente a que detinha o maior faturamento e rentabilidade da rede. A DUANE READE, orgulhosa de ter se estabelecido e crescido com Nova York desde a sua fundação, demonstrou, mais uma vez, sua ligação emocional com a cidade.


Durante todas essas décadas, suas lojas estavam longe de serem as mais bonitas, seu layout interno era um tanto caótico, mas a DUANE READE conquistou o coração dos nova-iorquinos que esbarram em uma loja da rede quase quarteirão sim, quarteirão não. Reconhecível pelo tradicional logotipo vermelho e azul, e pelas vitrines abarrotadas de uma infinidade de itens, desde produtos de beleza até utensílios para casa, comidas e até vitaminas, em nenhuma ordem coerente, em 2008, a rede iniciou um processo de modernização. Um novo logotipo, um novo layout para suas lojas, que ganharam um visual mais sofisticado e ordenado, produtos mais descolados, e funcionamento 24 horas. Algumas lojas da rede ganharam um centro “skin fitness”, com produtos europeus, onde a consumidora encontra consultores de pele e cabelo. Além disso, o cliente se depara com um quiosque de venda de café, caixas automáticos que alugam DVDs, entre outros serviços variados.


Recentemente, pela primeira vez em sua história, a rede lançou uma enorme campanha publicitária cujo slogan era “Your city. Your drugstore” (algo como “Sua cidade, sua farmácia”). A idéia central? Ser a farmácia predileta do nova-iorquino. Em meados de 2010, a Walgreens, um gigante com vendas de US$ 67.4 bilhões e 7.690 lojas espalhadas por todos os estados do país, anunciou a aquisição da rede nova-iorquina DUANE READE por US$ 1.07 bilhões. Foi uma aquisição estratégica que literalmente colocou a Walgreens no maior mercado para farmácias e drogarias dos Estados Unidos. Apesar do gigantismo da Walgreens, a rede mantinha apenas 70 lojas na cidade de Nova York. O baixo número era explicado justamente pela forte presença da DUANE READE na área.



Em 2011, a mais emblemática rede de drogaria de Nova York inaugurou uma loja diferente de tudo o que a cidade (e com certeza boa parte do mundo), já viu. Em um espaço de mais de 2 mil m², instalado no histórico nº 40 da Wall Street, a enorme Flagship Sotore funciona 24 horas e tem um foco mais evidente na sua oferta de cuidados com a saúde, beleza e alimentação, oferecendo serviços e mimos nunca vistos em nenhuma loja da rede. Um dos destaques da nova loja é a ampla oferta de serviços. O consumidor tem a disposição um quiosque com Virtual Makeover, que possibilita testar os produtos e ver quais serão os resultados deles em diferentes estágios de uso; análise computadorizada da pele e um demonstrador de fragrâncias automático com mais de 40 perfumes disponíveis. A loja ainda oferece aos clientes os serviços de um salão de manicures, com marcas como OPI e Essie, e um salão de cabeleireiro assinado pela marca francesa Phyto. Além de toda a oferta de produtos e serviços de saúde e beleza, a nova loja oferece um mix com propostas inéditas e, até certo ponto, inusitadas para uma drogaria. Centrada no conceito de tornar a vida dos nova-iorquinos ainda mais fácil, é possível encontrar dentro da loja um bar de Sushi, um mercado de sucos e uma cafeteria Starbucks. A seção de produtos naturais e orgânicos, já presente em outras lojas da rede, foi expandida para incorporar frutas frescas, vegetais, wraps, sanduíches e saladas produzidas diariamente. Os profissionais de passagem pela região também poderão contar com engraxates atendendo em uma área construída com mogno. Toda a receita obtida com o serviço será doada para a DUANE READE CHARITABLE FOUNDATION, que repassará o dinheiro para outras entidades filantrópicas da cidade. Por fim, uma banca de jornal oferece jornais de negócios dos principais centros financeiros do planeta. Com tantas novidades e inovações para o varejo farmacêutico, o atendimento da nova loja não poderia ficar no lugar comum. Por isso, a presença de uma assistente virtual, é como se fosse a “cereja do bolo”. A modelo recebe e introduz os clientes há muitos dos predicados e serviços da nova loja e utiliza a mais moderna tecnologia audiovisual, para criar a ilusão de uma pessoa real.


Por que tanto sucesso?
O que deixa muita gente atônita é como uma rede de drogarias, competindo em um ambiente voraz com gigantes como Walgrens, Rite Aid e CVS, atuando exclusivamente na região de Nova York e com o estilo meio caótico de suas lojas, conseguiu não só sobreviver como se tornar um aspecto da paisagem da cidade mais badalada dos Estados Unidos. Ao contrário de seus concorrentes, que sempre procuram lugares vistosos para erguer suas lojas, a DR sempre se preocupou com um único quesito: locais onde há tráfego de gente. Erguendo lojas em lugares que seus concorrentes nem pensariam em passar, a rede esteve sempre no caminho de um nova-iorquino. Antes mesmo de reformar o imóvel – que justamente por sua localização muitas vezes pouco nobre, possui um aluguel mais barato – a rede aloca pessoas que ficam no futuro lugar da loja medindo o fluxo de pessoas que por ali passam.


Por exemplo, em 1998, a empresa levantou US$ 102 milhões para comprar lojas em bairros periféricos. Com essa estratégia, e sob o comando de Anthony Cuti, a DR cresceu mais do que a maioria de seus concorrentes. Ao executivo deve-se também a tática de inaugurar lojas nas avenidas e nos cruzamentos das principais ruas dos bairros nova-iorquinos, garantindo a massa de transeuntes necessária para a viabilidade do negócio. Uma DR, para ser considerada operacional precisa estar em um ponto por onde passem pelo menos 25 mil pessoas por mês. Como opera em uma cidade fervilhante, com os metros quadrados disputados centavo a centavo, a DR estuda até de que lado de uma torre de escritórios, por exemplo, instalará sua loja. Quando a empresa “acha que encontrou” o local, é para a área que são deslocados os chamados “people counts” – contadores de gente – que registram o número de pessoas que passam pelo ponto em várias horas do dia. Para a rede, o nova-iorquino cliente da DR não se importa com corredores estreitos, pequenos, com pessoas se esbarrando o tempo todo. Se ele precisa de um item básico, de conveniência, é na DR que irá encontrar, vagueando por corredores que, por mais aleatórios e confusos que possam parecer, espelham, no fundo, algum critério e planejamento.


A evolução visual
Em 2008, o tradicional logotipo vermelho e azul da marca, que imperou durante décadas, foi completamente remodelado. A nova identidade visual, que também utiliza as iniciais DR, tão fortemente associadas à marca, passou a contar com uma imagem mais sofisticada, nova tipologia de letra e a cor preta.


Dados corporativos
● Origem: Estados Unidos
● Fundação: 1960
● Fundador: Abraham, Eli e Jack Cohen
● Sede mundial: New York City, New York
● Proprietário da marca: Walgreen Company
● Capital aberto: Não (subsidiária)
● Chairman & CEO: John A. Lederer
● Presidente: Joe Magnacca
● Faturamento: US$ 2 bilhões (estimado)
● Lucro: Não divulgado
● Lojas: 257
● Presença global: Não (presente somente nos Estados Unidos)
● Funcionários: 7.000
● Segmento:
Drogarias
● Principais produtos: Medicamentos, alimentos, cosméticos e bebidas
● Principais concorrentes:
CVS Pharmacy e Rite Aid
● Slogan: Your city. Your drugstore.
● Website: www.duanereade.com

A marca nos Estados Unidos
Hoje em dia a rede DUANE READE, adquirida recentemente pela Walgreens, possui mais de 255 lojas em Manhattan, região metropolitana de Nova York e arredores. A DUANE READE é a rede de drogaria com maior venda por metro quadrado nos Estados Unidos. 60% de suas lojas estão localizadas em Manhattan, onde é praticamente impossível andar e não passar por uma. O resultado? Mais de 300 mil pessoas fazem compras em alguma loja da rede todos os dias. A maioria das lojas oferece entre 18 mil a 20 mil itens diferentes.

Você sabia?
A rede possui tantas lojas em um território pequeno, que até pouco tempo atrás utilizava o slogan “Onde quer que você vá, nós estaremos lá”.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Última atualização em 23/7/2011

Um comentário:

Anônimo disse...

Realmente estas farmácias são incríveis. Têm de tudo e estão em qualquer canto de NY.