20.8.11

QUATRO RODAS


Falar hoje em dia da gloriosa e reconhecida indústria automobilística brasileira, é falar de seu principal veículo de comunicação, seu espelho, seu auto-falante, caixa de ressonância, guia orientador e formador dos milhões de proprietários de automóveis do país: a revista QUATRO RODAS, um dos produtos editoriais de maior sucesso da história das publicações no mercado brasileiro. Muito mais do que uma simples revista, é uma referência para apaixonados por carros. 

A história 
A ideia de se criar a revista foi do visionário Victor Civita, então fundador da Editora Abril, que já estava confortavelmente instalada no segmento das publicações infantis. Ele queria criar um veículo de comunicação que ajudasse o brasileiro a entender e, assim, viver melhor com o automóvel. Ao chegar às bancas no mês de agosto de 1960, a primeira edição de QUATRO RODAS já mostrava que seria uma publicação diferente. Falava de automóveis, é claro, mas também ensinava e orientava a comprar um carro usado, alertava para os perigos do álcool e dos beijos ao volante e trazia um mapa rodoviário com todas as atrações turísticas da Via Dutra. A bordo de uma Kombi, Mino Carta, então chefe de redação, Victor Gouveia, redator-chefe, e Roberto Civita, diretor de publicidade, testaram os serviços disponíveis ao longo dos 406 quilômetros da rodovia. Um mapa central desdobrável ilustrava a reportagem. Foi uma revolução em matéria de serviço ao leitor, e o que era para ser um brinde virou parte da revista. Inicialmente muitos dos mapas de QUATRO RODAS foram feitos por um jovem cartógrafo espanhol, J.R. Duran, que mais tarde se especializaria em revelar outras curvas na revista Playboy.


Na Carta ao Leitor, Victor Civita explicava as razões do lançamento da nova publicação: o crescimento da indústria automobilística brasileira, a necessidade de orientação dos proprietários de automóveis e os recantos do país ainda por serem descobertos. A primeira capa da revista trazia o outrora famoso Karmann-Ghia. Foi uma grande revolução no segmento editorial, afinal era a primeira revista especializada em automóveis do mercado brasileiro, apesar de também abordar o turismo apresentando aos leitores as belíssimas paisagens brasileiras, com seus roteiros e mapas de viagens, que deveriam ser desfrutados pelos novos proprietários de automóveis. Mas foi também uma ousadia. Nesta época a produção mundial de veículos era de 16.5 milhões de unidades e no Brasil o automóvel era ainda um artigo de luxo que poucos tinham acesso. Com esse cenário, os céticos apostaram que a nova revista teria vida muito curta, vivendo de automóveis e mapas em um país de tão poucas estradas. Ledo engano.


Exatamente um ano após seu lançamento, chegou às bancas a revista de número 13, que trazia o primeiro teste com um carro nacional: o DKW-Vemag 1000. Auscultada durante dias, a máquina passou por uma prova de dinâmica - à base de cronômetro e fita métrica - entre os quilômetros 41 e 46 da rodovia Presidente Dutra, que liga a cidade de São Paulo ao Rio de Janeiro. Em 1962, ocorreram grandes mudanças, como o lançamento da seção Impressões ao Dirigir, onde os repórteres contavam suas experiências em dirigir os carros mais desejados do momento. A partir de 1965, novas mudanças na linha editorial: a revista passa a ter o padrão de qualidade das principais publicações internacionais e realizou o primeiro concurso de carros nacionais fora de série. Alem de testar carros, a QUATRO RODAS também se dedicou ao turismo e as reportagens investigativas. Entre as reportagens de destaque estão duas relacionados a emissão de documentos. Em 1965 a revista publicou uma reportagem em que um motorista obteve um licenciamento de um carro roubado e rodou por um mês. Outra reportagem, de 1968, mostra como um deficiente visual conseguiu uma carteira de habilitação.


Na década de 1970 a QUATRO RODAS introduziu uma de suas mais populares seções até os dias de hoje: “Longa Duração” (que surgiu em 1973), onde a revista compra um carro e o avalia por milhares de quilômetros, analisando a resistência, durabilidade e qualidade. Ainda nesta década, a revista intensificou a cobertura das competições automobilísticas em especial da Fórmula 1. Nas décadas seguintes, seus fiéis e apaixonados leitores não compravam e, nem muito ao menos, trocavam de automóvel sem recorrer à revista para conferir os testes e refletir sobre o verdadeiro preço dos veículos considerando-se todos os custos envolvidos, tanto na aquisição como na utilização e manutenção. Com isso, a QUATRO RODAS se tornou uma das publicações mais importantes da Editora Abril.


Em agosto de 2010, a revista comemorou 50 anos com o lançamento de uma super edição com 276 páginas. Ainda neste ano, como presente aos seus fiéis leitores, a QUATRO RODAS disponibilizou todo o acervo (edições) da revista na internet, mais de 70 mil páginas de informação, onde era possível conferir grandes histórias do setor automobilístico brasileiro, assim como importantes marcos do segmento diretamente na tela do computador. Pouco depois, seguindo a evolução do mercado editorial, a revista lançou uma versão digital, para ser lida, ouvida e assistida no tablet. Em 2015 a revista completou 55 anos, lançou um novo projeto editorial (mais limpo) e adotou um novo posicionamento no mercado.


Hoje a revista oferece um vasto conteúdo, como por exemplo, as seções Auto-Serviço (um verdadeiro manual para o proprietário de um carro, com dicas de manutenção e de tudo que acontece no mundo automotivo), Grandes Brasileiros (conta com os automóveis nacionais que mudaram a história do país), O Carro (testes, comparativos e avaliações completas para o leitor), Segredo (previsões de futuros carros do mercado, antecipando lançamentos e mostrando flagras antes disso acontecer), Via Expressa (suas notas trazem o que há de mais novo e quente no universo das quatro rodas, não só em termos de produto, mas também quem são os homens que estão por trás das máquinas) e Zero KM (apresenta todos os lançamentos do mercado no mês). Além é claro da tradicional seção Longa Duração, onde um modelo recém-lançado é testado por 60.000 quilômetros e cuja avaliação, ao longo de meses, é feita não somente em relação ao carro, mas também os serviços de pós-venda da rede autorizada, a disponibilidade de peças e o preço.


Nessas mais de cinco décadas, a revista cumpriu sua missão. Ninguém prestou mais e melhores serviços a seus leitores motoristas e proprietários de veículos do que a popular QUATRO RODAS. E, de quebra, prestou serviços complementares e relevantes a toda a cadeia de valor do negócio de automóveis em nosso país. Para quem ama carro, não existe o verbo folhear uma QUATRO RODAS. O certo é apreciar. Há 55 anos é assim. A cada página, um novo assunto. E a cada edição, essa paixão ganha ainda mais sentido.


O famoso guia 
Com a abertura de novas estradas e a proliferação do automóvel, o cidadão brasileiro descobriu nos anos de 1960 a possibilidade de conhecer o país usando este tipo de transporte. Atenta a essa transformação, a revista lançou, em setembro de 1965 (com data de 1966), o famoso Guia Quatro Rodas Brasil. Minuciosa tomografia rodoviária e turística do país, logo se tornou padrão de referência para milhões de viajantes, sinônimo de precisão, confiabilidade e cobertura nacional. As primeiras classificações de hotéis e restaurantes no Brasil surgiram nesse guia. O sucesso gerou outros frutos, como os guias de estradas, de praias, de cidades e até de fim de semana. Em 2006 foi lançado no mercado o navegador portátil do Guia Quatro Rodas, cujas versões eram um verdadeiro “co-piloto” que conhecia rodovias federais, estaduais, municipais e as ruas de 1.600 cidades brasileiras.


Ao longo das décadas, os repórteres do Guia Quatro Rodas percorreram centenas de milhares de quilômetros a cada ano, recolhendo informações sobre estradas, atualizando mapas, visitando atrações, testando hotéis e restaurantes. Isto fez do guia líder de seu segmento, a maior e mais respeitada publicação do setor turístico do país. O guia ficou conhecido também pelo seu popular slogan “Um guia tão pequeno contém um país tão grande”. Mais recentemente, a editora anunciou que o Guia Quatro Rodas, que editava doze títulos e vendia aproximadamente 800 mil unidades por ano, deixará de ser publicado e o conteúdo será incorporado pelas revistas Viagem e Turismo, Veja São Paulo e Veja Rio.


A evolução visual 
O tradicional logotipo da revista, cujo principal símbolo de identificação é o número 4 com a palavra “quatro” escrita dentro, passou por algumas modificações ao longo dos anos. Ganhou novas tipografias de letras e o formato do número 4 foi sendo estilizado. O atual logotipo é mais limpo e impactante que os anteriores.


Os slogans 
É, a gente só sabe falar disso. (2015) 
Uso obrigatório.


Dados corporativos 
● Origem: Brasil 
● Lançamento: Agosto de 1960 
● Criador: Victor Civita 
● Sede mundial: São Paulo, Brasil 
● Proprietário da marca: Editora Abril S.A. 
● Capital aberto: Não 
● Presidente: Alexandre Caldini (Editora Abril) 
● Redator chefe: Zeca Chaves 
● Faturamento: Não divulgado 
● Lucro: Não divulgado 
● Assinantes: 141.000 
● Presença global: Não (presente somente no Brasil) 
● Segmento: Comunicação 
● Principais produtos: Revista automobilística 
● Concorrentes diretos: Auto Esporte e Motor Show 
● Slogan: É, a gente só sabe falar disso. 

A marca no Brasil 
Publicada mensalmente, a revista QUATRO RODAS, que já lançou mais de 650 gloriosas edições, tem uma circulação média de 250 mil exemplares, conta com mais de 141 mil assinantes e está presente em todo território nacional, atingindo mais de 2 milhões de leitores todos os meses. Apesar de ser uma revista voltada para o público masculino, hoje a publicação também tem as mulheres como seu público leitor, apesar desse número ainda ser pequeno, aproximadamente 14% do total. Além de temas como segredos, lançamentos, testes e avaliações, QUATRO RODAS aborda aspectos da vida do leitor como motorista, cidadão e apaixonado por carro, trazendo matérias sobre segurança no trânsito, radiografia de estradas e muito mais. 

Você sabia? 
A publicação também ficou conhecida pela premiação anual “Os Eleitos”, que ocorre em dezembro e premia os carros que mais satisfazem os leitores. 
QUATRO RODAS fechou 2014 apontada como a 7ª revista mais admirada do mercado brasileiro, segundo pesquisa realizada pelo Meio&Mensagem. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Isto é Dinheiro, Exame e Época Negócios), jornais (Meio Mensagem), sites especializados em Marketing e Branding (Mundo do Marketing) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 10/8/2015 

3 comentários:

David J. Pereira disse...

Boas!

Devo dizer que gosto imenso deste blogue!

Podem adicionar os meus aos vossos links? Eu prometo que retribuo :p

http://davidjosepereira.blogspot.com/

Saudosos cumprimentos!

Andressa disse...

Olá!
Os dados sobre circulação e assinantes são de 2011, data do post, ou de 2015, data da última atualização?
Obrigada, desde já :).

Mundo das Marcas disse...

Andressa, os dados de circulação são de 2015. Aliás, todas as informações estão atualizadas até a data de 10/8/2015. Esperamos ter ajudado.