6.8.11

SKF


Você já parou para pensar na importância dos rolamentos para o mundo e seu desenvolvimento? Não. Mas a sueca SKF só pensa nisso há mais de um século, fazendo com que máquinas, sistemas, ferrovias, caminhões e automóveis funcionem com precisão e total eficiência para transportar milhões de pessoas e mercadorias. Afinal, a SKF possui um amplo e exclusivo entendimento de equipamentos rotativos e de como os componentes e processos industriais estão interrelacionados. 

A história 
Tudo começou na Suécia quando o jovem engenheiro Sven Gustaf Wingqvist, que trabalhava em uma indústria de tecelagem, projetou e construiu o primeiro rolamento auto-compensador de esferas do mundo, que solucionou assim seus problemas de manutenções constantes, nos longos eixos de transmissão das máquinas de tecer. O rolamento funcionou tão bem que ele então começou a fabricar em escala e assim deu início, no dia 16 de fevereiro de 1907, à Aktiebolaget Svenska Kullagerfabriken, que significa Fábrica Sueca de Rolamentos, hoje conhecida internacionalmente pela abreviação SKF. O pedido de patente foi feito no dia 6 de junho. Eventualmente, foram concedidas patentes em dez países. E a primeira fábrica foi construída em Säve Strandgata, na cidade de Gotemburgo. Desde o início a empresa se concentrou intensivamente em qualidade e desenvolvimento técnico, realizando pesquisas, testando graxas e analisando como os lubrificantes se deterioram durante a vida útil do rolamento. No fechamento de seu primeiro ano fiscal, a empresa contava com 15 funcionários e, no balanço, apresentava prejuízo. Apenas 2.200 rolamentos tinham sido produzidos. Foi um começo modesto, mas as bases haviam sido lançadas.


No ano seguinte, escritórios de representação foram abertos na Alemanha e França. Além disso, agentes foram designados para trabalhar na Finlândia, Suíça, Bélgica, Dinamarca, Áustria e Austrália. Nesse mesmo ano teve início a produção de rolamentos axiais de esferas. Já em 1909, sua expansão internacional foi acelerada com a abertura de uma subsidiária em Nova York e uma pequena oficina em Paris. A fábrica de Gotemburgo foi ampliada e a produção dobrou para atender a enorme demanda de mercado. Nesse mesmo ano, o primeiro caminhão equipado com rolamentos auto-compensadores de esferas produzidos pela SKF fez uma longa viagem experimental saindo da cidade de Malmo para Estocolmo. A primeira fábrica fora da Suécia foi estabelecida em 1911 na cidade de Luton no Reino Unido, produzindo aproximadamente 180 rolamentos por dia. No ano seguinte, o primeiro laboratório de pesquisa foi inaugurado em Gotemburgo. Nesta época, a demanda pelos produtos da empresa começava a exceder o fornecimento. Nos próximos anos a empresa estabeleceu a assistência técnica ao cliente (1914); iniciou em 1915 a fabricação de rolamentos rígidos de uma carreira de esferas com rasgos de entrada, chamado rolamento Volvo; e adquiriu, em 1918, a Hofors Bruk, seguindo uma cuidadosa avaliação das instalações de fundição de aço existentes na Suécia mais apropriadas para a produção de aço de rolamento de alta qualidade.


Já em 1920 a empresa estava bem estabelecida na Europa, América do Norte e Latina, Ásia e África. Até 1924 a linha de produtos foi ampliada, compreendendo rolamentos de rolos cônicos, cilíndricos e esféricos. A produção anual atingiu um novo recorde de aproximadamente 6.5 milhões de rolamentos. No ano de 1926, a AB VOLVO, então uma subsidiária da SKF, iniciou a produção de 10 carros experimentais. A montadora se tornaria independente da SKF em 1935. Pouco mais tarde, em 1938, teve início a produção da unidade de rolamento de duas carreiras de esferas de contato angular para rodas de automóveis. Em 1939 a empresa inventou o rolamento axial de rolos esféricos, desenvolvido para cargas axiais pesadas. No final desta década a teoria da SKF para cálculo da vida dos rolamentos foi publicada pela ISO e adotada como padrão mundial. Após a Segunda Guerra Mundial, período em que a empresa se dedicou a fabricação de componentes bélicos, a produção foi reiniciada, e pouco depois, em 1950, a linha de produtos foi novamente ampliada, compreendendo praticamente todos os tipos de rolamentos e acessórios, como caixas, buchas, etc. Além disso, foi introduzido um novo rolamento auto-compensador de rolos, o “rolamento C”. Infelizmente, Sven Wingquist morreu no dia 17 de abril de 1953, aos 76 anos, mas deixou um enorme legado ao setor.


Nas décadas seguintes a empresa continuou crescendo mundialmente, chagando aos anos de 1970 com 68 fábricas e 67.000 funcionários, dos quais 78% trabalhavam fora da Suécia. No final desta década, em 1979, introduziu o rolamento de rolos esféricos do tipo CC com rolos auto-compensadores, que trabalha com até 20% menos fricção que os rolamentos de rolos esféricos anteriores. Os anos de 1980 foram marcados pelo surgimento do conceito de atendimento Trouble-Free Operation (TFO) e da política de meio ambiente. Na década seguinte a empresa sueca introduziu várias novidades: unidade de rolamento de roda HUB 3 equipada com sensor para uso em sistemas de freios ABS (1993); rolamento de rolos toroidal CARB® (1995), que anos mais tarde seria estabelecido como padrão da indústria para máquinas de fundição contínua na metalurgia; e a unidade de cubo 5, um novo e exclusivo projeto de rolamento que combina a vantagem do peso de uma unidade de rolamento flangeada com as distorções reduzidas conseguidas com projetos de tambor integrado, lançada em 1997.


Em 2007, a SKF celebrou seu centenário; iniciou a produção em três novas fábricas na Ásia, uma na China e duas na Coréia do Sul; e lançou novos produtos e serviços, que incluía uma nova gama de rolamentos com menor consumo de energia, uma solução de re-lubrificação para implementos agrícolas e uma ferramenta de avaliação baseado na internet e utilizada em operações industriais. Desde sua criação, a SKF detém posição de destaque pela alta qualidade de seus produtos, pela assistência técnica que tem prestado a seus clientes e pela variada seleção de rolamentos que mantém disponível, além de uma linha completa de produtos, como retentores, graxas, ferramentas de montagem e desmontagem, alinhadores a laser e capacitação técnica através de seu departamento técnico.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por algumas alterações ao longo dos anos. Primeiro perdeu o símbolo do rolamento; depois o fundo azul e a listra vermelha; e mais recentemente ganhou um novo fundo azul; mas sempre manteve a tradicional tipografia de letra.


Os slogans 
Moving innovation. 
The Power of Knowledge Engineering. 
The highest priced bearing in the world.


Dados corporativos 
● Origem: Suécia 
● Fundação: 16 de fevereiro de 1907 
● Fundador: Sven Gustaf Wingqvist 
● Sede mundial: Gotemburgo, Suécia 
● Proprietário da marca: Svenska Kullagerfabriken AB 
● Capital aberto: Sim (1916) 
● Chairman: Leif Östling 
● CEO & Presidente: Alrik Danielson 
● Faturamento: US$ 8.73 bilhões (2016) 
● Lucro: US$ 900 milhões (2016) 
● Valor de mercado: US$ 9.28 bilhões (setembro/2017) 
● Fábricas: 108 
● Presença global: 130 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 45.000 
● Segmento: Peças e sistemas 
● Principais produtos: Rolamentos, vedantes e sistemas de lubrificação 
● Concorrentes diretos: Timken, Goodyear, NTN, Schaeffler, NSK, JTEKT, Beka e ACDelco 
● Slogan: Moving innovation. 

A marca no Brasil 
A história da SKF do Brasil teve início exatamente no dia em 27 de janeiro de 1915. Nessa época a SKF instalou no Rio de Janeiro uma loja que realizava importações de diversos tipos de rolamentos para suprir o mercado brasileiro. Em 1943 seus escritórios de representações foram transformados oficialmente em subsidiária. Somente no mês de junho de 1963 foi inaugurada sua primeira unidade fabril, às margens da Rodovia Presidente Dutra, e durante todos esses anos ocorreram muitas alterações na fábrica de Guarulhos, acompanhando o ritmo do desenvolvimento do país. Atualmente, a moderna fábrica da SKF no Brasil está instalada na Rodovia Anhanguera, km 30, no município de Cajamar, São Paulo. A capacidade da fábrica é de aproximadamente 37.6 milhões de rolamentos por ano. Apesar de ter iniciado tão cedo suas operações no país, o mercado brasileiro representa ainda apenas 4.5% do seu faturamento.


A marca no mundo 
Atualmente a SKF, um dos fornecedores líderes globais de produtos, soluções para clientes e serviços em rolamentos, vedações, mecatrônica, serviços e sistemas de lubrificação, que incluem suporte técnico, serviços de manutenção, monitoração de condição e treinamento, mantém suas vendas por meio de uma grande rede composta por mais de 17.000 distribuidores autorizados espalhados por mais de 130 países. Contando com 108 unidades fabris instaladas em mais de 30 países e 18 centros técnicos, a empresa faturou em 2016 mais de US$ 8.7 bilhões. A SKF realiza negócios basicamente através de três divisões: Industrial e Serviços, realizando, respectivamente, a manutenção de fabricantes de equipamentos originais industriais (OEMs) e de clientes do mercado de reposição; e Automotiva, fazendo a manutenção de OEMs automotivos e de clientes do mercado de reposição. A empresa possui também um comércio eletrônico largamente utilizado e um eficiente sistema de distribuição global. A SKF agrupa suas tecnologias em cinco plataformas: rolamentos e unidades, vedações, mecatrônica, serviços e sistemas de lubrificação. Ao utilizar as capacidades de todas ou algumas das plataformas, a SKF desenvolve ofertas personalizadas para cada segmento de cliente, ajudando-os a melhorar o desempenho, a reduzir o uso de energia e a diminuir custos totais, trazendo com isso aumento de valor agregado para a empresa. A empresa sueca opera em aproximadamente 40 segmentos de clientes, que incluem carros e caminhões leves, energia eólica, ferrovias, máquinas-ferramenta, indústria médica, de alimentos e bebidas e de papel. 

Você sabia? 
Os resultados dos esforços da SKF na área de pesquisa e desenvolvimento levaram a um número crescente de inovações que criaram novos padrões e novos produtos no mercado de rolamentos. 
O menor rolamento que a SKF produz pesa apenas 1 grama e o maior 55 toneladas. 
Pelo 17.º ano consecutivo, a SKF foi classificada como uma das empresas mais sustentáveis do mundo pelo Dow Jones Sustainability World Index (DJSI). 
A SKF pertence à multibilionária família Wallenberg, que detém também participações nas suecas Ericsson, Electrolux, ABB e AstraZeneca. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Exame), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 21/9/2017

2 comentários:

Aline disse...

Adoro seu blog

observador disse...

Olá
Parabéns pelo blog. Já faz tempo que acompanho seu ótimo trabalho nele. Muito bom o texto sobre a NASCAR. Deu vontade de acompanhar mais de perto esta emocionante categoria.