6.4.12

REUGE

Românticas, delicadas e infantis. Se por acaso é essa a imagem que você tem em mente quando se fala em caixinhas de música é porque não conhece a marca suíça REUGE, cuja tradição de seus habilidosos artesões há quase 150 anos cria verdadeiras obras-primas que atendem até aos mais exigentes ouvidos. A marca suíça transformou este objeto singelo em música embalada em luxo com valor equivalente ao de um apartamento.

A história
Tudo começou no ano de 1865 na pitoresca localidade de Saint-Croix, encravada da região suíça do Cantão do Jura, quando Charles Reuge instalou uma pequena oficina para produzir relógios de bolsos, que além de mostrarem as horas tinham movimentos musicais que reproduziam belas melodias. O pequeno negócio se desenvolveu ainda mais assim que seu filho mais velho, Albert, abriu o primeiro workshop da empresa em 1886. Ele deu continuidade ao trabalho do pai e se especializou em movimentos musicais, produzindo incríveis e sofisticadas caixinhas de música. Rapidamente o pequeno workshop se transformou em uma fábrica. Sempre a frente da indústria musical mecânica, os precisos movimentos da REUGE foram aplicados em diversos objetos, alguns deles impensáveis para a época, como por exemplo, caixas compactas de pó e isqueiros.


Guido Reuge foi a força motriz da empresa durante os próximos 60 anos. Na década de 1930 ele ampliou a fábrica e através da compra de pequenos competidores adicionou valores à marca. Com intuição, inovação e pioneirismo ele transformou a REUGE em sinônimo de caixas de música de luxo. Além disso, a empresa diversificou sua linha de produtos com as caixas de jóias, e claro, com peças tradicionais, como as caixinhas de música com bailarinas e passarinhos, alguns deles em maravilhosas gaiolas musicais. Em 1988, a empresa foi passada da família Reuge para uma sociedade anônima.


A crise econômica que assolou o mundo a partir de 2008 provocou um forte revés nos negócios e a tradicional marca suíça, com uma clientela extremamente seleta precisou se reinventar. Os executivos da empresa precisaram decidir se iriam adotar o papel de empreendedores e tomar alguma providência, ou apenas o papel de diretores e dirigir o negócio. Foi então que a REUGE decidiu continuar os quase 150 anos e chegar aos 200. Uma das apostas para a reinvenção da marca foi a utilização de tecnologia de ponta em seus produtos. O resultado desta atitude pode ser comprovada em uma moderna caixinha com espaço separado para iPhones, que ao vibrarem, fazem com que as cordas se movimentem e uma música leve comece a tocar, em vez do ringtone original do aparelho.


Hoje em dia, além da linha 1865, uma coleção clássica de caixas de música, embutidas nas melhores madeiras e com flores entalhadas à mão; da linha contemporânea, com design moderno e materiais inovadores, que são sofisticados objetos de decoração; a marca suíça oferece produtos exclusivos e modernos, como uma caixa de música com melodia criada por Phil Collins, outra para comemorar os 60 anos da escuderia Ferrari ou até mesmo porta-retratos e caixas com vinho ou charutos cubanos para presente, tudo embalado em melodias incríveis para entrar no clima e mexer com as emoções.


Há quase 150 anos no mercado, a marca suíça é reconhecida mundialmente por fabricar caixinhas de música que de simplórias não têm nada. Na sofisticada loja da marca, localizada na exclusiva Rue Du Rhône, em Genebra, os preços dos objetos variam de R$ 600 a R$ 600 mil reais. Isto porque, design contemporâneo e tecnologia de ponta enriquecem o produto. O modelo mais simples é uma caixinha de acrílico que deixa a mostra o caminho da deliciosa melodia. Já o modelo mais caro à venda tem um toque brasileiro: cristais extraídos no país. Não é à toa que as caixinhas da REUGE são consideradas jóias raras e passadas de geração para geração. Na filosofia da marca, sentimento não tem preço, mas muitos abonados, inclusive brasileiros, estão dispostos a pagar por ele.


Enquanto Genebra vende o luxo, a pequena cidade de Saint-Croix, localizada á uma hora e meia da capital e aos pés dos Alpes Suíços, o produz. Com apenas quatro mil habitantes, o ritmo da economia local é ditado pelo som das caixinhas na única fábrica da empresa no mundo. É justamente lá que os incríveis trabalhos artísticos feitos pelos habilidosos artesãos da REUGE podem ser testemunhados. Cada uma das caixas de música é cuidadosamente montada de forma manual, minuciosamente afinada pelos ouvidos e inspecionada visualmente para garantir a qualidade suprema pela qual a REUGE é justificadamente reconhecida. Seja a preferência musical por Mozart ou Beethoven, ou a música do Deep Purple e Pink Floyd, tenha certeza de uma coisa, é possível encontrar uma caixa de música da marca suíça para atender à qualquer gosto musical.


A evolução visual
A identidade visual da tradicional marca passou recentemente por uma modificação acentuada, adquirindo um visual mais sofisticado e exclusivo, alinhado ao posicionamento atual da REUGE.


Dados corporativos
● Origem:
Suíça
● Fundação:
1865
● Fundador:
Charles Reuge
● Sede mundial:
Saint-Croix, Suíça
● Proprietário da marca:
Reuge S.A.
● Capital aberto:
Não
● CEO:
Kurt Kupper
● Faturamento:
Não divulgado
● Lucro:
Não divulgado
● Presença global:
+ 80 países
● Presença no Brasil:
Sim
● Maiores mercados:
Japão, China e Rússia
● Funcionários:
120
● Segmento:
Musical
● Principais produtos:
Caixas musicais
● Slogan:
The Art of Mechanical Music.
● Website: www.reuge.com

A marca no mundo
Atualmente a REUGE, que oferece uma rara oportunidade para se encontrar um presente sofisticado e luxuoso, criado com um bom gosto impecável, comercializa suas caixinhas musicais em mais de 80 países através de revendedores exclusivos, além de duas lojas próprias (Genebra e Saint-Croix). Aproximadamente 80% da produção (em 2011 foram 5.000 peças) é exportada, tendo como maiores mercados o Japão, China, Rússia e Oriente Médio. A marca também conta com uma divisão para presentes corporativos, que em menos de cinco anos, já responde por 30% das vendas da empresa.

Você sabia?
Uma simples caixinha de música produzida pela REUGE pode levar até três meses para ser fabricada.
A fábrica da REUGE, localizada no mesmo endereço desde sua fundação, em Saint-Croix, é responsável por criar e produzir uma incrível gama de movimentos, desde os mais simples até os mais complexos com 144 notas.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), programa Mundo SA, Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Última atualização em 7/4/2012

Nenhum comentário: