24.3.13

INSTAGRAM


Há poucos anos atrás bater uma fotografia, editá-la e divulgá-la era uma coisa restrita aos profissionais. Com o avanço da tecnologia e da comunicação móvel bater uma foto passou a ser uma coisa banal até para uma criança. E editá-la e compartilhá-la mais fácil ainda com a ajuda do aplicativo INSTAGRAM. Com a possibilidade de utilizar os filtros do aplicativo para dar efeitos às fotos, fotografar passou a ser mais divertido para milhões de pessoas. Se você ainda não usou o INSTAGRAM, tenha certeza que muito em breve o fará. Afinal de contas, se tornou uma epidemia mostrar o que você está fazendo no momento através de uma foto.

A história
A história de sucesso começou no mês de março de 2010 quando o brasileiro Mike Krieger, que estudou Ciências da Computação na renomada Universidade de Stanford, e o americano Kevin Systrom resolveram fundar a empresa Burbn para desenvolver um serviço de check-in e fotografia móvel baseado em HTML 5. Inicialmente a jovem empresa recebeu investimento externo no valor de US$ 500. No dia 17 de julho Kevin postou a primeira imagem do serviço (onde aparecia um cachorro e o pé de sua namorada), durante o teste do aplicativo, na época batizado de Codename. Finalmente no dia 6 de outubro de 2010, já com o nome de INSTAGRAM (junção das palavras “instant” e “telegram”) foi lançado ao público como um aplicativo de edição e compartilhamento de imagens para aparelhos iPhone. Exatamente as 0h15 o novo aplicativo já estava disponível gratuitamente na loja de aplicativos da Apple. Em menos de 24 horas, se tornou o aplicativo gratuito mais baixado na loja da Apple. Em dezembro, dois meses após seu lançamento, o INSTAGRAM já alcançava 1 milhão de usuários, provando seu enorme sucesso. Para um início modesto com apenas 80 usuários, era um grande marco alcançado pelo novo aplicativo, que permita ao usuário tirar uma foto, aplicar filtros, efeitos e depois compartilhá-la em uma variedade de redes sociais.


Em janeiro de 2011 o aplicativo passou a disponibilizar o recurso da “hashtag” (#), que serve para interligar assuntos (neste caso fotos) sobre um mesmo evento ou acontecimento. No mês seguinte, Kevin anunciou uma rodada de investimentos provenientes de inúmeros investidores no valor de US$ 7 milhões, que permitiria melhorar a experiência dos usuários com o aplicativo. O INSTAGRAM terminou o ano com 15 milhões de usuários, uma média de 60 fotos publicadas por segundo e um total de 400 milhões fotos em pouco mais de um ano no mercado. No dia 3 de abril de 2012, o aplicativo que até então funcionava apenas no iPhone e já tinha 30 milhões de usuários, ganhou uma versão para o sistema Android. A chegada do INSTAGRAM à plataforma móvel mais popular do mundo foi um verdadeiro e esperado sucesso, fazendo com que o aplicativo tivesse mais de 1 milhão de downloads em menos de 24 horas. Dias depois, em 9 de abril, Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, anunciou em sua página na rede social a compra do INSTAGRAM por impressionantes US$ 1 bilhão. Em maio, o aplicativo alcançou a marca de 50 milhões de usuários. O sucesso também foi impulsionado pelas inúmeras celebridades que passaram a utilizar o aplicativo.


No mês de novembro, o INSTAGRAM lançou um perfil de usuários na web similar ao do Facebook, permitindo aos usuários curtirem e comentarem as imagens e seguir outras pessoas. O mês de dezembro foi extremamente polêmico para o INSTAGRAM. Primeiro porque foi desativada uma integração com o Twitter que permitia que as fotos fossem visualizadas diretamente na rede de microblogs. E as polêmicas não pararam por aí: no dia 17 o INSTAGRAM anunciou uma mudança em seus termos de serviço, com a promessa de entrar em vigor no dia 16 de janeiro. Na primeira versão anunciada, as regras permitiam que a empresa gerasse receita publicitária para o Facebook dando aos anunciantes o direito de exibir fotos de usuário e outras informações pessoais para a publicidade. A interpretação dos usuários foi a seguinte: vender suas fotografias sem qualquer compensação. O caso gerou enorme revolta, principalmente nos Estados Unidos, e muitos usuários ameaçaram fechar sua conta no serviço. No dia seguinte, 18 de dezembro, assustado com a repercussão, o INSTAGRAM veio a público afirmar que não tinha a intenção de vender as fotos de seus usuários. Segundo a empresa, tudo não passou de um mal entendido. Dias depois divulgou um novo texto, baseado no feedback dos usuários. Passada a polêmica, o dia 26 de fevereiro de 2013 se tornou emblemático para o aplicativo. Isto porque atingiu a marca de 100 milhões de usuários ativos mensalmente.


A evolução visual
A identidade visual da marca passou por pequenas atualizações desde seu lançamento. Para os mais desatentos pode até passar despercebidas as pequenas modificações ocorridas em 2011 no principal ícone do INSTAGRAM: a máquina fotográfica.


No mês de maio de 2013 o INSTAGRAM modificou sutilmente sua identidade visual, desta adotando uma nova tipografia de letra mais leve. O designer e tipógrafo americano Mackey Saturday, responsável por esta mudança, se inspirou em marcas famosas que tem um logotipo retro/nostálgico.


Dados corporativos
● Origem: Estados Unidos
● Lançamento: 6 de outubro de 2010
● Criador: Kevin Systrom e Mike Krieger
● Sede mundial: San Francisco, Califórnia
● Proprietário da marca: Facebook, Inc.
● Capital aberto: Não
● CEO: Kevin Systrom
● Faturamento: Não divulgado
● Lucro: Não divulgado
● Membros: + 100 milhões
● Presença global: + 90 países
● Presença no Brasil: Sim
● Funcionários: 250
● Segmento: Tecnologia
● Principais produtos: Aplicativos para fotografias e rede social 
● Concorrentes diretos: Twitter Photo Filters, Leme Camera, Hipster, Picplz, Pixlr-o-Matic
● Ícones: A máquina de seu logotipo
● Slogan: Fast beautiful photo sharing.
● Website: www.instagram.com

A marca no mundo
Atualmente o INSTAGRAM, que pertence ao Facebook, está disponível em vários idiomas, como por exemplo, inglês, mandarim, francês, alemão, italiano, japonês, latim, coreano, português e espanhol, alcançando a marca de mais de 100 milhões de membros ativos em aproximadamente 90 países. Desde seu lançamento o aplicativo já foi utilizado para compartilhar mais de 1.5 bilhões de fotografias.

Você sabia?
O INSTAGRAM se tornou tão popular que foram publicadas fotos até da isolada Coréia do Norte.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Isto é Dinheiro), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Mundo Marketing) e Wikipedia (informações devidamente checadas).

Última atualização em 11/5/2013

Nenhum comentário: