21.6.18

KIDZANIA


Imagine parques de diversão inspirados na realidade e que colocam os visitantes, neste caso crianças, para trabalhar imitando os papéis desempenhados por adultos na vida real. As crianças escolhem uma profissão, aprendem sobre o seu trabalho, vestem um uniforme, e estão prontos para ganhar e gastar uma moeda fictícia como bem entenderem. Desde coleta de lixo a dentista, passando por bombeiro, cirurgião ou policial, elas aprendem na prática como funciona a sociedade através de educação financeira, trabalho em equipe, cidadania e independência. E tudo em mini-cidades que imitam as reais em quase tudo, exceto nas medidas: tudo tem um terço do tamanho normal. Esse é o sucesso da mexicana KidZania, cuja missão é “preparar os pequenos para um mundo melhor!”

A história 
O empresário mexicano Xavier López Ancona (à direita na foto abaixo) sempre teve paixão para entreter e educar as crianças. Quando o seu melhor amigo e seu sócio, Luis Javier Laresgoiti, sugeriu a criação de um parque infantil baseado na interpretação de papéis (utilizando o conceito de “edutainment”, que mistura entretenimento e educação), o empresário rejeitou a ideia inicialmente. Afinal, ele estava satisfeito com seu cargo de alto executivo na empresa General Electric e não tinha planos de abrir o próprio negócio. Mas Laresgoiti insistiu e a ideia começou a ganhar vida. No entanto, era extremamente difícil conseguir financiamento para uma nova proposta de negócio no México no fim da década de 1990. Afinal, o país ainda se recuperava de uma grave crise financeira e não havia apoio do governo. A dupla começou aplicando todas as economias no projeto, mas não foi suficiente. Pediram ajuda a um amigo e a um dos seis irmãos de López para um investimento maior. Mas só conseguiram o dinheiro (55% do investimento inicial) para abrir o primeiro parque quando decidiram criar vínculos com empresas que concordaram em pagar para ter presença e exposição no espaço dedicado as crianças.


Inicialmente conhecida como La Ciudad de los Niños (A Cidade das Crianças, em português), o primeiro parque indoor foi inaugurado no dia 1 de setembro de 1999 no centro comercial do distrito de Santa Fe, nos arredores da Cidade do México. Concebido no modelo de uma mini-cidade, o parque promovia experiências práticas para crianças (com idades entre 4 e 14 anos) que simulavam a rotina de diversas profissões em estabelecimentos como lojas, indústrias, restaurantes, cinemas, hospitais, etc. Ou seja, o parque permitia que as crianças fizessem o que é da natureza delas: brincar e imitar as atividades adultas, como pintor, engenheiro, piloto de avião, médico, veterinário ou jornalista. O parque educacional indoor era uma cidade construída à escala das crianças, com prédios, ruas pavimentadas, veículos, economia própria e estabelecimentos patrocinados por importantes marcas. Por exemplo, hoje em dia, as crianças em alguns dos parques não assam qualquer pizza, é da Domino’s Pizza. Os voos são da American Airlines e a conta bancária é do HSBC. Ou podem trabalhar no McDonald’s fazendo hambúrgueres. E essas e muitas outras marcas (hoje são mais de 800) são uma importante fonte de renda para a KidZania.


A ideia de cobrar para que crianças imitem a rotina diária dos adultos, foi um sucesso surpreendente e no primeiro ano de funcionamento superou todas as expectativas ao atrair mais de 800 mil visitantes, conquistando inclusive o prêmio de melhor novo negócio da Expansion Magazine. Embora a marca tenha feito enorme sucesso no México, levou algum tempo até conquistar outros mercados pelo mundo. E para tornar os parques (que agora chamavam KidZania) economicamente viáveis, o empresário decidiu operar todas as unidades internacionais como franquia. Com isso, em 2006, mesmo ano em que foi aberta a primeira franquia no país, na cidade de Monterrey, a KidZania inaugurou sua primeira unidade em Tóquio, no Japão. A aposta deu tão certo que a KidZania teve um rápido crescimento em toda a Ásia, com mais franquias abertas na Malásia, Tailândia e Filipinas.


Três anos mais tarde, em 2009, a KidZania ingressou no continente europeu, instalando uma unidade em Lisboa. Em 2010, inaugurou novos parques em Dubai (Emirados Árabes Unidos) e Seul (Coréia do Sul). Em 2012 a empresa inaugurou seu maior parque até então, o KidZania Cuicuilco, localizado na Cidade do México, sendo o primeiro a ter uma área ao ar livre. O parque não apenas apresenta novas profissões, adaptadas ao século XXI, mas também, pela primeira vez, integra experiências inovadoras para ensinar às crianças consciência sobre assuntos globais como a conservação do meio-ambiente ou a empatia por crianças com necessidades especiais. As experiências profissionais ambientais são totalmente envolventes, incluindo uma central elétrica, turbinas eólicas, painéis solares, centros de reciclagem e central de tratamento de águas, para sublinhar a importância mundial da conservação do meio-ambiente. Entre as 120 profissões que o parque oferece as crianças, estão a de treinador de cães-guia (com direito a um cachorro de verdade), operador de central elétrica, criminologista, chefe de cozinha e muito mais. Além disso, as crianças podem fazer comida saudável, escolhas de lazer, e até experimentar uma condução segura de veículos (através de uma frota de carros amigos do meio-ambiente e adaptados ao seu tamanho). Existe até um centro de proteção civil com três andares, que simula enchentes, incêndios ou terremotos e ensina as crianças como responder a essas situações.


Depois de desembarcar na América do Sul, ainda em 2012, com a inauguração de uma unidade na cidade de Santiago, no Chile, a KidZania chegou ao Brasil no início de 2015 com um espaço de 8.500 m² localizado no segundo subsolo do shopping Eldorado (onde por 18 anos funcionou o Parque da Mônica) em São Paulo. De médico a chefe de cozinha, a unidade brasileira oferece aproximadamente 50 interpretações de atividades em mais de 70 estabelecimentos. Logo depois a KidZania inaugurou parques em cidades como Londres (2015), Manila (2015), Singapura (2016) e Nova Déli (2016). Atualmente são 13 unidades em desenvolvimento em diversos países do mundo, como por exemplo, Costa Rica, França, Catar, Estados Unidos e África do Sul.


Baseado no conceito de “edutainment”, os parques indoor da KidZania funcionam como se fossem cidades fictícias em miniatura. Nesses ambientes realistas, as crianças simulam e agem como adultos e podem escolher entre 100 profissões diferentes (por parque), em diversos estabelecimentos que também estão presentes em cidades reais. Entre eles, aeroportos, teatros, fábricas, lojas, bancos, tribunais, postos de gasolina, circuitos, delegacias de polícias e de bombeiros, estádios e muito mais. Cada parque leva em conta a cultura, alimentação e profissões da região. “Zupervisors” (adultos treinados que orientam e ajudam as crianças a realizarem suas tarefas) estão à disposição para apresentar e prestar apoio para cada atividade. Essas cidades possuem inclusive uma moeda própria, chamada de kidZos, com as quais as crianças podem utilizar os diversos serviços oferecidos pelos estabelecimentos dentro do parque, como supermercado ou aluguel de carro, por exemplo. Para recebê-los, as crianças precisam trabalhar, além de gerenciá-los como quiserem. Podem, também, guardá-los para visitas futuras aos parques da marca. Além disso, as crianças permanecem em um ambiente seguro e controlado por monitores treinados, incluindo a utilização de pulseiras eletrônicas que permitem aos pais acompanharem remotamente seus filhos.


Um conceito lúdico 
A KidZania foi construída em volta de uma história fictícia, que está enraizada em uma visão inspiradora de garotos idealistas que formaram uma nação com seu próprio governo, moeda e símbolos nacionalistas. Quem vive na KidZania é um KidZanista (ou KidZaniano), cidadão honorário que personifica o espírito desta comunidade. A lúdica história é representada pelos RightZKeepers, cinco personagens (espécie de mascotes) com personalidades distintas: Urbano (aventureiro), Beebop (criativo), Chika (atenciosa), Vita (carinhosa) e Bache (um simpático e alegre cachorro). Juntos eles representam os valores e princípios da KidZania, sendo os cidadãos mais proeminentes, com direito a monumentos dedicados a eles em cada parque.


A evolução visual 
Mais recentemente, no início de 2018, a marca apresentou uma nova identidade visual. O logotipo adotou uma fonte de letra mais arredondada e moderna. Uma curiosidade: a etimologia do nome KidZania foi criada combinando a palavra “kid” que é a abreviação do alemão “kinder” que significa “crianças”, com o sufixo latino “ania” que significa “terra de” e a letra Z que une os dois significados com um estilo divertido.


Dados corporativos 
● Origem: México 
● Fundação: 1 de setembro de 1999 
● Fundador: Xavier López Ancona 
● Sede mundial: Cidade do México, México 
● Proprietário da marca: KidZania de México S.A. de C.V. 
● Capital aberto: Não 
● CEO: Xavier López Ancona 
● Faturamento: US$ 500 milhões (estimado) 
● Lucro: Não divulgado 
● Parques: 24 
● Presença global: 19 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 11.000 
● Segmento: Entretenimento 
● Principais produtos: Parques de diversão e entretenimento infantil 
● Concorrentes diretos: Legoland e Nickelodeon Universe 
● Ícones: O conceito de edutainment 
● Slogan: Prepare-se para um mundo melhor. 
● Website: www.kidzania.com.br 

A marca no mundo 
Hoje em dia a KidZania, uma das maiores empresas de entretenimento infantil do mundo, possui 24 parques temáticos localizados em 19 países como México, Brasil, Inglaterra, Portugal, Egito, Emirados Árabes Unidos, Índia, Coréia do Sul, Japão, entre outros. Geralmente, as franquias da KidZania estão localizadas em shopping centers, mas em alguns casos estão em ambientes menos usuais, como a unidade de Cuicuilco, localizada no sítio arqueológico de mesmo nome, na Cidade do México. Desde a inauguração do primeiro parque, a KidZania já recebeu mais de 60 milhões de visitantes. Anualmente são mais de 9 milhões de visitantes. 

Você sabia? 
Muitos especialistas dizem que a KidZania tem potencial para se transformar na “nova Disney”. 
Como sugere o lema da KidZania, “Prepare-se para um mundo melhor”, a esperança é que o mundo em miniatura ajude a preparar as crianças para um mundo socialmente mais responsável e menos corrupto, que ofereça igualdade de oportunidade para todos. 
Apesar do enorme sucesso, para os críticos nem tudo parece perfeito. O modo como cada posto de trabalho é vinculado a uma corporação do mundo real é encarado como algo que vai em direção contrária ao ideal de Ancona. Segundo eles, obrigar as crianças que frequentam os parques a conhecerem estas marcas quando são tão pequenos e ainda cobrar por isso é muito consumismo. Já Ancona rejeita essas críticas e afirma que as marcas fazem com que as mini-cidades fiquem mais realistas. O empresário diz ainda que os parques apenas reproduzem o que as crianças já vivem todos os dias nas ruas das cidades reais e em suas casas. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Exame), jornais (Valor Econômico, Folha e Estadão), portais (BBC e G1), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 21/6/2018

3 comentários:

Local Packers And Movers Bangalore disse...

Really impressive post. I read it whole and going to share it with my social circules. I enjoyed your article and planning to rewrite it on my own blog.
Local Packers And Movers Bangalore

Packers And Movers Bangalore disse...

Really impressive post. I read it whole and going to share it with my social circules. I enjoyed your article and planning to rewrite it on my own blog.
Packers And Movers in Bangalore Local

Packers And Movers Bangalore disse...

Really impressive post. I read it whole and going to share it with my social circules. I enjoyed your article and planning to rewrite it on my own blog.
Packers And Movers Bangalore