14.6.06

CARAN D'ACHE


“Deus escreve certo por linhas tortas, e quando quer desenhar ou pintar, abre sua caixa de CARAN D’ACHE”. Sonho de qualquer ser humano que tenha algum dia usado um lápis de cor, os produtos desta marca há um século são sinônimos da mais pura perfeição suíça, praticamente imbatíveis na qualidade e na preferência de quem entende do assunto. Sempre a serviço dos apaixonados pela cor e máxima qualidade na hora de desenhar, pintar ou escrever, os produtos CARAN D’ACHE oferecem ao imaginário uma liberdade ilimitada na hora de criar ou finalizar um trabalho. Distribuída por todo o planeta, a linha artística da marca é reconhecida como uma das melhores do mundo, utilizada pelas mãos dos mais renomados artistas, arquitetos, designers, cartunistas e ilustradores. 

A história 
CARAN D’ACHE é uma história de amor que nasceu da paixão de um homem pela cor, e que ainda hoje, se mantém fiel às suas origens. Tudo começou em 1915 com a fundação da fábrica de lápis Fabrique Genevoise de Crayons, situada na cidade de Genebra na Suíça. Em 1924 o empresário Arnold Schweitzer assumiu o comando da empresa e trocou seu nome para CARAN D’ACHE SWISS PENCIL FACTORY. O nome foi inspirado no caricaturista e ilustrador naturalizado francês que trabalhava sob o pseudônimo de Caran D’Ache e ficou conhecido pelas tiras publicadas em jornais. O artista nasceu na Rússia, seu verdadeiro nome era Emmanuel Poiré (1859-1909) e seu pseudônimo foi baseado na palavra russa “Karandash”, que significa lápis. Pouco depois, a marca começou a construir sua alta reputação com o lançamento do Technograph, um lápis grafite de madeira de cedro, identificado por sua cor amarela. Um dos slogans publicitários da fábrica de lápis nesta época era “Caran d’Ache à toujours bonne mine” (em tradução livre “Tem sempre boa mina”, ou seja, um bom cilindro de grafite no interior do lápis). Juntamente com esse slogan surgiu o personagem conhecido como “Bonne-Mine”, um simpático lápis segurando sua cartola, que com um toque de humor representava a qualidade e confiança da marca. No ano de 1929, a empresa lançou no mercado a primeira lapiseira mecânica do mundo toda feita de metal e com sistema de garra, chamada de Fixpencil, inventada pelo engenheiro Carl Schmid.


Dois anos depois introduziu o primeiro lápis solúvel em água, batizado de Prismalo, revolucionando assim o segmento da pintura e desenho. Bastava umedecer a ponta do lápis para que o grafite produzisse um efeito semelhante ao da tinta guache. Essa linha rapidamente se tornou marca registrada da CARAN D’ACHE, com seus lápis feitos em madeira de cedro da Califórnia, em cores vibrantes, solúveis em água e que vinham acondicionados dentro de uma charmosa caixa de metal. Depois de um período difícil durante a Segunda Guerra Mundial, em 1952, a CARAN D’ACHE lançou no mercado a linha Neocolor, composta por lápis pastéis, mais conhecidos como lápis de cera (cuja versão solúvel em água seria introduzida em 1972); e no ano seguinte a caneta esferográfica de ponta redonda Ecridor, que com seu corpo hexagonal ganhou status de um ícone moderno. Pouco tempo depois, em 1955, adotou o Colour Guide (um sistema de classificação de cores) para designar seus lápis coloridos que ficariam tão famosos em todo o mundo.


A década seguinte foi marcada pelo lançamento, em 1963, da linha Modela, composta por massas e material para modelar, fazendo com que a marca ingressasse em um novo e rentável segmento de mercado. Nos anos seguintes a CARAN D’ACHE se transformou em um verdadeiro ícone para o mundo da pintura, escrita e design, com o lançamento de produtos revolucionários e de alta qualidade, ingressando inclusive no segmento de instrumentos de escrita de luxo, que possuem garantia vitalícia, com a introdução de sua primeira caneta tinteiro (batizada de Madison) em 1970. No final desta década, em 1978, a empresa lançou seu primeiro isqueiro, estabelecendo uma marca em termos de tecnologia e design no segmento. Na década seguinte a CARAN D’ACHE introduziu no mercado grandes novidades, entre as quais a linha de caneta com formato hexagonal (1983) e a linha Neopastel (1985), composta por lápis de cera oleoso.


Os anos de 1990 foram marcados pela grande quantidade de edições limitadas de canetas de luxo, além da Neoart Aquarelle, uma coleção de lápis de cera solúvel em água direcionada para o mercado artístico, introduzida em 1999. Este ano também foi marcado pelo lançamento da caneta “La Modernista Diamonds”, exclusivamente para ser vendida na Harrods de Londres (a mais luxuosa e elegante loja de departamentos do mundo). A caneta, criada em memória do arquiteto Antonio Gaudi, era feita em prata sólida, com pena de ouro 18 quilates, possuía 5.072 diamantes e 96 rubis, e custava nada menos que US$ 265.000. Por anos a La Modernista Diamonds figurou no livro Guinness dos recordes como a caneta mais cara do mundo até ser desbancada pela italiana Aurora. Com a chegada do novo milênio a CARAN D’ACHE continuou investindo no segmento de luxo com o lançamento de canetas de ouro adornadas com pedras preciosas, além de acessórios de escrita de altíssima qualidade. Além disso, em 2009, a empresa criou um conceito de exposição de seus produtos no ponto de venda, batizado de Bar à Couleurs (bar das cores), espaços especiais para que o consumidor tenha uma experiência intensa ao entrar em contato com as coleções fazendo com que as cores evoquem emoções.


A partir de 2010, a CARAN D’ACHE iniciou a abertura de lojas próprias em cidades como Genebra, Zurique, Hong Kong, Dubai e Kuala Lumpur. Outra novidade foi o lançamento da exclusiva caneta 1010, inspirada em relógios e cujo nome nasceu “do equilíbrio que se produz nos ponteiros de um relógio às 10:10”. O luxuoso modelo era decorado com engrenagens de metais preciosos visíveis através de sua cobertura transparente e estava repleto de pequenas surpresas, que incluíam uma safira, um par de rubis e uma terminação de ródio para dar um efeito branco brilhante, o mesmo utilizado nas joias de platina e ouro branco. O modelo 1010 estava disponível pela bagatela de US$ 19.000. Uma das linhas mais populares da marca é Fancolor, desenvolvida especialmente para divertir e fomentar a criatividade das crianças, sempre com total segurança em relação à saúde. Repleta de cores alegres e luminosas, e de fácil utilização, esta linha é composta por lápis de cor (47 tons), canetinhas (cuja ponta, muito resistente e flexível, não desgasta nem resseca) e guaches (disponíveis em 15 cores). Outra novidade é a linha de lápis CARAN D’ACHE LUMINANCE, especialmente desenvolvida para artistas profissionais, totalmente resistentes à luz e em conformidade com os mais altos padrões internacionais de qualidade.


Outra novidade: para assinalar o 50º aniversário do primeiro voo espacial tripulado, ocorrido em 12 de abril de 1961, a Maison de Haute Écriture (casa da alta escritura) criou uma edição limitada de canetas permanente e roller. Repletas de simbolismos, estas canetas foram produzidas com materiais nobres. A laca preto mate, que representa a escuridão do universo, envolve o corpo e a tampa da caneta, contrastando de forma elegante com a camada de ródio banhada a ouro ou prata. No corpo de cada instrumento é possível ler a famosa e inspiradora frase proferida por Yuri Gagarin, quando voltou da sua primeira viagem espacial: “Ao completar a órbita da Terra na nave especial, vi quão belo é o nosso planeta. Vamos preservar e reforçar esta beleza e não destruí-la!”. Para tornar estas canetas ainda mais emblemáticas, os artesãos da CARAN D’ACHE conseguiram gravar uma fotografia do cosmonauta diretamente na tampa, através de um novo processo e de técnicas inovadoras. Uma das mais recentes criações da marca, lançada em 2012, é a Caelograph, que inclui vários instrumentos de escrita capazes de mapear o movimento das estrelas. A nova linha inclui caneta tinteiro, esferográfica, um tinteiro e um compasso. As constelações e um mapa estão gravados no corpo da caneta, que sendo calibrada, permite aprender as posições das estrelas em qualquer época do ano, bem como os pontos cardeais e a linha do horizonte.


Seus lápis são sinônimos de alta qualidade e para celebrar seus 100 anos, em 2015 a marca lançou no mercado a Caran D’Ache Anniversary Collection, uma coleção exclusiva composta por cinco modelos icônicos que encarnam a história da Maison e que homenageia alguns artistas que fizeram parte dessa trajetória. Baseada em um país que é famoso mundialmente por seus relógios e joias, não é de se surpreender que a empresa tenha obtido reputação internacional de qualidade e beleza excepcional de seus produtos, que são desenhados, desenvolvidos e produzidos em sua totalidade na cidade de Genebra.


A marca cria instrumentos de escrita que são distinguidos pelo seu excelente design, a excepcional qualidade dos materiais empregados e sua perfeição técnica. Estas qualidades são reunidas pela perícia de seus artesãos especializados, cujo objetivo é alcançar a autenticidade e a atemporalidade, juntamente com absoluta precisão e confiabilidade. Assim como um legítimo relógio suíço. Os produtos da marca CARAN D’ACHE são desenvolvidos para satisfazer à todas as necessidades, quer seja de profissionais, amadores, estudantes e crianças. Instrumento de escrita e materiais para colorir. É desta forma que, de uma maneira geral, se divide o negócio da empresa, sendo que cada uma das áreas responde por metade do volume de negócios.


A evolução visual 
O logotipo original da marca foi baseado e inspirado nas assinaturas (foto abaixo) do caricaturista e ilustrador Emmanuel Poiré, que trabalhava sob o pseudônimo de Caran D’Ache.


O primeiro logotipo da marca, todo em preto, tinha inspiração no estilo Art Deco. Em 1929 passou a adotar a cor vermelha, extremamente ligada à suíça, e ganhou uma nova tipografia de letra. Em 1958 a identidade visual ganhou nova tipografia de letra, um fundo vermelho e a silhueta do tradicional personagem da marca (“Bonne-Mine”) do lado direito. Em 1974, nova mudança: o personagem foi posicionado entre o nome da marca e a frase “Swiss Made” posicionada abaixo.


Na década de 1970, com o lançamento de sua linha de instrumentos de escrito de luxo, a empresa resolveu adotar dois logotipos distintos: um para sua linha de canetas e instrumentos de luxo (adotado a partir de 1981, foto a esquerda) e outro para sua linha artística (adotado em 1977, foto a direita), inspirado na assinatura de Emmanuel Poiré e cujo design decorava suas caixas de lápis coloridos desde 1930.


A partir de então a marca suíça utilizou dois logotipos bastante distintos: o tradicional e mais despojado na cor vermelha para designar sua linha de lápis e acessórios artísticos; e outro mais sóbrio e elegante que estampava sua linha de canetas e acessórios de luxo, sendo utilizado também como logotipo corporativo, cuja última alteração havia ocorrido em 1998. No início de 2015, como comemoração de seu 100º aniversário, a marca revelou um novo logotipo único para todos os seus produtos, que deliberadamente mantém a essência do gráfico existente, mas é uma versão contemporânea da assinatura de Emmanuel Poiré. Um claro retorno às suas origens, enriquecida pelos elementos mais marcantes dos gráficos que moldaram a evolução da marca. A nova identidade visual pode ser aplicada na cor vermelha, preta e com fundo vermelho.


Dados corporativos 
● Origem: Suíça 
● Fundação: 1915 
● Fundador: Arnold Schweitzer 
● Sede mundial: Genebra, Suíça 
● Proprietário da marca: Caran D’Ache S.A. 
● Capital aberto: Não 
● CEO: Jean-François de Saussure 
● Presidente: Carole Hubscher 
● Faturamento: Não divulgado 
● Lucro: Não divulgado 
● Presença global: 90 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 300 
● Segmento: Papelaria e escrita 
● Principais produtos: Lápis de cor, canetas, lapiseiras, guaches e acessórios para escrita 
● Concorrentes diretos: Faber-Castell, Staedtler, Koh-I-Noor, Prismacolor, Giotto, Aurora e Mont Blanc 
● Ícones: A enorme variedade de cores de sua linha de lápis 
● Slogan: The art of beautiful writing. 
● Website: www.carandache.com 

A marca no mundo 
Atualmente a CARAN D’ACHE, que possui uma completa linha de instrumentos de escrita (canetas, lapiseiras e acessórios) e cores (lápis), além de acessórios de luxo, comercializa seus produtos em mais de 90 países ao redor do mundo através de uma rede de distribuição especializada. Com subsidiárias na Alemanha, França, Estados Unidos, Japão e Oriente Médio, a empresa tem uma forte presença internacional e mantém relações próximas com seus clientes e parceiros. A empresa mantém uma pequena rede de lojas próprias, boa parte delas localizadas na Suíça, Ásia e Oriente Médio. Seus tradicionais lápis coloridos (em mais de 120 tonalidades diferentes e com produção anual superior a 75 milhões de unidades) estão disponíveis em sets de 12, 18, 24, 30, 40, 48, 60, 80, 120, 160 e também avulsos. Em seu portfólio, a marca suíça tem peças cujos preços vão desde €50 até mais de €500.000. 

Você sabia? 
A CARAN D’ACHE mantém o mesmo conjunto de pigmentos estáveis em seus lápis, com décadas de pesquisas e tradição na fabricação, e excelente resistência à luz. A codificação da resistência à luz vem gravada no próprio lápis assim: * = 25 anos de garantia do fabricante, ** = 50 anos, *** = resistência total à luz. 
Todos os produtos CARAN D’ACHE são feitos na Suíça e marcados com o conhecido selo de qualidade “Swiss Made”, que garante aos clientes qualidade excepcional, elevada precisão, fiabilidade e resistência fora do comum, estética refinada, elegância e originalidade no design e produção. 
A empresa tem por tradição contratar funcionários que amam desenhar. 
Mesmo com tantos avanços em termos tecnológicos, o curioso é que a atmosfera de exclusividade da marca foi mantida. Até hoje a empresa recebe cartas de clientes contando histórias de estojos coloridos de lápis que estão na mesma família – e na ativa – há mais de 60 anos. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 26/3/2015

8 comentários:

Fabiana ( Biana *Kika* ) disse...

Aos 8 anos de idade ganhei de uma amiga de minha mãe uma lata Caran d'Ache meio enferrujada com 30 lápis semi novos. Sempre gostei de desenhar e fiquei maravilhada com a qualidade do lápis, eu munca tinha visto um lápis de cor "milagroso"...Meus desenhos sempre ficavam lindíssimos e até hoje guardo na lembrança o cheiro dos lápis.A lata se foi, alguns cotocos ficaram e com eles o sonho de hoje, aos 32 anos,comprar uma lata com 120 cores.

Cristiano Rodrigues disse...

Muito boa a matéria sobre esta marca.... Sou vendedor de canetas... Acho esta marca muito interessante.

carlos rui teodoro disse...

Excelente artigo sobre uma marca de referência. Parabens ao autor.
(PS: gostaria de saber se posso colocar este arigo num loja virtual de uma papelaria com a devida referência autorizada pelo seu autor.)

Anônimo disse...

Parabéns pelo texto informativo. mmeu sonho de consumo é um estojo completo!
Sonia

pablo henrique disse...

Tenho uma caneta tinteiro dessa marca que ganhei de um amigo , modelo :caran d'ache swiss gold plated..G.
14K 585. , M
Queria saber ano de fabricaçao e valor

Anônimo disse...

qual a diferença entre lapis cor suoracolor soft versus swisscolor

Anônimo disse...

queria saber como comprar no site deles...se alguem souber ajuda ae faz uhm tutorial e coloca no youtube e deixa o link a que ^^

Michelle Moschella disse...

Nossa Fabiana, temos histórias parecidas... Rs aos 12 anos ganhei do meu Tio alguns lápis da Caran e hoje tb tenho 32 anos. Arrumando minhas caixa de desenho encontrei um lápis Da linha Prismalo novinho...