14.9.12

SHAKE SHACK


Os vegetarianos que se cuidem, existe uma tentação difícil de resistir. É o hambúrguer, mas não como o conhecemos, símbolo da alimentação rápida. Esses hambúrgueres – frescos, tenros, com um sabor incrível que se mistura ao queijo derretido e ao molho especial - são preparados como se fosse uma iguaria gourmet com ingredientes sofisticados. Este é o segredo de sucesso da rede SHAKE SHACK. As filas em quase todas as suas lojas para saborear o sanduíche sinônimo de fast food, mas que, no SHAKE SHACK, toma ares de prato gourmet ao ser consumido com calma, privilegiando o convívio social, é apenas o resultado do nível de diferenciação que a rede conseguiu atingir em um segmento tão padronizado. 

A história 
Tudo começou em 2001 como uma modesta e despretensiosa barraquinha de hot-dog no aprazível Madison Square Park, supostamente para funcionar apenas por um verão e que tinha como objetivo angariar fundos para a exposição de obras de arte no parque e seus arredores, como por exemplo, nos táxis. Ideia de Danny Meyer, responsável por alguns dos mais importantes restaurantes de alta gastronomia da cidade de Nova York, como por exemplo, o Gramercy Tavern, Eleven Madison Park e o Union Square Café. O empreendedor resolver apenas utilizar produtos de primeiríssima qualidade, mesmo que a um preço um pouco mais elevado do que os outros hot-dogs vendidos naquela região. O carrinho “I ♥ Taxi” fazia tanto sucesso apesar da estrutura simples, com filas enormes diariamente, que ele resolveu abrir em outros dois verões.


Finalmente em 2004, ele conseguiu um contrato do departamento de parques de Nova York para criar um quiosque permanente no Madison Square Park, situado em um espaço arborizado extremamente relaxante. O restaurante, batizado de SHAKE SHACK, nome escolhido para literalmente “grudar na cabeça do consumidor”, foi inaugurado no dia 12 de junho, com mesas na área externa, interagindo assim com a bela paisagem do parque. E Meyer resolveu incrementar o cardápio com deliciosos milkshakes, sundaes, batatas-fritas crocantes e onduladas cobertas com queijo derretido (um dos ícones da rede), sorvetes e claro, os tradicionais hambúrgueres, que acabaram se tornando responsáveis principais pelo enorme sucesso que a rede faria no futuro. Porém Meyer sabia que precisava encontrar um diferencial para se sobressair diante da enorme concorrência na cidade. A solução encontrada foi a criação de hambúrgueres gourmets. Mas por quê? Simplesmente porque eram feitos na hora, com carnes orgânicas certificadas de qualidade (da linha Angus beef), um queijo americano feito especialmente para a rede, salada fresquinha e um pão de batata macio. Além da boa comida, o restaurante resolveu inovar nos detalhes: funcionava totalmente com energia eólica, utilizava produtos orgânicos e o atendimento era exemplar.


A rede também deu atenção aos vegetarianos: em seu cardápio inclui também uma versão sem carne e surpreendentemente tão deliciosa quanto o famoso hambúrguer: um bolinho de cogumelos, recheado com queijo, salada e o pão fresquinho (batizado de ShroomBurguer). Em 2007, o restaurante que já oferecia excelentes opções de cervejas, acrescentou ao seu cardápio opções de vinhos. Uma tremenda ousadia de combinar o hambúrguer gourmet com a bebida preferida dos Deuses. O enorme sucesso, traduzido em filas gigantescas, fez com que a empresa abrisse outras filiais espalhadas por bairros descolados de Manhattan, como por exemplo, em Upper West Side, Queens, Theater District e Upper East Side.


A ensolarada Miami foi a primeira cidade escolhida para receber o primeiro SHAKE SHACK fora da “Big Apple”, inaugurado na badalada Lincoln Road em 2010. Pouco depois veio a loja de Coral Gables, uma das maiores da rede. E o sucesso não parou por aí. Em 2011 novas unidades foram inauguradas na capital Washignton e em Westport (estado de Connecticut). Além disso, a rede inaugurou suas primeiras unidades internacionais, localizadas em Dubai e na cidade do Kuwait. Mais recentemente, em 2012, a rede se expandiu para o estado da Pensilvânia com a inauguração de um restaurante na cidade da Filadélfia. E no ano seguinte desembarcou na belíssima Boca Raton, estado da Flórida, além de inaugurar unidades nas cidades de Londres e Istambul, iniciando assim sua expansão pelo continente europeu.


Atualmente SHAKE SHACK é a rede mais badalada no segmento de alimentação rápida do mercado americano e conseguiu se destacar em uma indústria onde a rapidez geralmente prevalece sobre a qualidade. Ingredientes orgânicos e altamente selecionados, cada hambúrguer feito em no mínimo 7 minutos, com receita elaborada pelo chef americano Mark Rosati. Além disso, uma cúpula especializada em alta gastronomia e uma rede de lojas que se autodefine “anti-rede”, porque, ao contrário de adotar a padronização de todos os pontos de venda, prefere estudar o local onde vai se instalar e construí-los conforme as características do bairro. Seu mais famoso sanduíche, o suculento ShackBurger (um cheeseburger com alface, tomate e um molho especial), chegou a ganhar uma estrela no guia gastronômico do The New York Times, feito nunca antes alcançado por uma rede de alimentação rápida.


O segredo do sucesso da rede é a qualidade de todos os ingredientes usados em seus sanduíches e acompanhamentos e isso realmente faz toda a diferença. E tem mais. Hoje em dia, consumidores com maior poder de renda e mais educados estão optando por produtos de maior valor agregado. Isto explica porque as lojas da rede SHAKE SHACK faturam, em média, US$ 5 milhões por ano, o dobro do que obtêm os restaurantes do McDonald’s.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por uma única pequena alteração ao longo desses poucos anos de vida, mudando apenas a tipografia da letra.


Toda comunicação visual dos restaurantes e das embalagens dos produtos utilizam ícones inspirados nos letreiros de neon das décadas de 1950 e 1960.


Dados corporativos 
● Origem: Estados Unidos 
● Fundação: 12 de junho de 2004 
● Fundador: Danny Meyer 
● Sede mundial: New York City, New York, Estados Unidos 
● Proprietário da marca: Shake Shack Inc. 
● Capital aberto: Sim (2015) 
● Chairman: Danny Meyer 
● CEO: Randy Garutti 
● Faturamento: US$ 140 milhões (2013/2014) 
● Lucro: US$ 4.5 milhões (2013/2014) 
● Valor de mercado: US$ 1.6 bilhões (fevereiro/2015) 
● Lojas: 64 
● Presença global: 9 países 
● Presença no Brasil: Não 
● Funcionários: 1.680 
● Segmento: Alimentação rápida 
● Principais produtos: Hambúrgueres, batatas-frita, hot-dogs e milkshakes 
● Concorrentes diretos: In-n-Out, Smashburger, Five Guys e Nathan’s Famous 
● Ícones: O ShackBurger 
● Website: www.shakeshack.com 

A marca no mundo 
Hoje em dia, a badalada rede SHAKE SHACK possui 64 restaurantes espalhados por mais de 34 cidades pelos Estados Unidos (principalmente na costa leste) e outros 8 países, incluindo unidades em Londres, Istambul, Moscou, Beirute, Dubai, Abu Dhabi, Doha e Kuwait City. Somente a loja do Madison Square Park, em dias movimentados, chega a vender mais de 6.000 ShackBurgers, o nome dado pela rede ao seu mais famoso sanduíche, elaborado com ingredientes orgânicos e de primeira qualidade. 

Você sabia? 
O mais curioso da loja localizada no Madison Square Park é que ele oferece um cardápio para cachorros, que inclui biscoitos com manteiga de amendoim e creme de baunilha. A justificativa para “os pratos caninos” é que muitos consumidores chegavam ao local acompanhados de seus animais de estimação. 
Em mais uma ousada jogada de marketing, a empresa instalou uma câmera em sua unidade localizada no Madison Square Park, para que os consumidores possam acompanhar o movimento e o tamanho da fila pela internet e decidam a melhor hora de ir saborear seus tradicionais hambúrgueres. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 15/2/2015

Um comentário:

Gabi P disse...

O Brasil precisa disso... Sdds Shake Shack :(