13.6.06

TOPPER


A TOPPER, há mais de três décadas, tem participado ativamente do dia-a-dia do futebol brasileiro e do esporte em geral, tendo sempre a preocupação e o compromisso em produzir artigos que despertem garra, emoção e que ofereçam um melhor desempenho ao esportista, quer seja ele amador ou profissional. 

A história 
A história da marca começou no início da década de 1970 quando a empresa São Paulo Alpargatas, estimulada por um momento de glórias sucessivas no esporte brasileiro, especialmente no futebol, automobilismo e atletismo, resolveu lançar no mercado, argentino e brasileiro, a marca de material esportivo TOPPER em 1975. O sucesso inicial da marca, que atuava basicamente no segmento de calçados esportivos, se deveu ao fato do período coincidir com o momento inicial da preocupação com a saúde corporal e boa forma por parte da população brasileira. Rapidamente a TOPPER ampliou sua linha de produtos, passando a produzir bolas voltadas para a prática de futebol, basquete e voleibol. Em 1979, a empresa passou a produzir também chuteiras, produto que ajudou a marca a se consolidar no mercado.


A década de 1980 representou um período de prosperidade para a marca. Patrocinando as transmissões das Olimpíadas de Moscou, em 1980; tornando-se a marca oficial da seleção brasileira de futebol, entre 1980 e 1991, estando presente em três copas do mundo (Espanha em 1982, México em 1986 e Itália em 90); e patrocinando craques da época, como por exemplo, Sócrates, Zico, Falcão e Júnior (além do patrocínio a diversos clubes de futebol como Corinthians, Botafogo, São Paulo, Internacional, Cruzeiro, Sport, Vitória, Goiás, entre outros), a TOPPER alcançou reconhecimento, credibilidade e confiança do público do segmento esportivo.


Na década de 1990, a TOPPER iniciou seus primeiros passos no Futsal, quando ampliou sua linha de produtos para esta modalidade e apoiou atletas de destaque da categoria como o atacante Schumacher. Durante anos, ganhou visibilidade como uma marca que transpira futebol e sempre buscou trazer para o mercado as mais avançadas tecnologias em artigos esportivos para praticar o esporte. Porém, nos últimos anos a TOPPER se transformou em uma marca de pouca expressão, ofuscada pelas grandes grifes esportivas globais e mesmo pelas rivais brasileiras mais agressivas, como por exemplo, a Penalty. Era preciso reagir. E foi, e está sendo, o que a marca vem fazendo desde 2005.


Durante toda sua história a TOPPER sempre esteve fortemente relacionada à trajetória de glórias do futebol brasileiro, sendo reconhecida pelo público como uma marca que entende do esporte mais popular do país. E era preciso resgatar essa relação através do lançamento de novos produtos com alta tecnologia, como os tênis e chuteiras Dynatech Visible, que contavam com o mais avançado sistema de anti-impacto em calçados para prática de futebol; a bola KV Carbon, a primeira com um substrato de microfibras de kevlar e carbono perfeitamente entrelaçados, uma mistura que resultou na redonda mais resistente, estável e precisa do planeta; e o tecido Maxi Dry, que possui a mais alta tecnologia em microfibra, proporcionando melhor controle da umidade produzida pelo suor, mantendo assim o corpo mais seco e a temperatura estável. Produtos como estes, aos poucos, foram recolocando a marca definitivamente entre as melhores do mercado nacional. Além disso, de olho tanto no consumidor que prática esportes como no que busca uma linha mais despojada e casual, a TOPPER também reforçou sua estratégia de lançar produtos que associem moda com tecnologia, designs arrojados e diferenciais tecnológicos voltados para melhora do desempenho dos atletas nos campos e nas quadras.


A partir de 2009, a TOPPER iniciou uma nova fase em sua história, com a mudança de identidade visual; a adoção de um novo posicionamento de mercado (deixou de ser uma marca segmentada para os praticantes de futebol para se tornar poliesportiva e unissex, aumentando a oferta de produtos relacionados à diversos esportes); o lançamento de produtos mais tecnológicos, como a chuteira One Professional, feita de couro de canguru; e o tênis Royal, utilizado pelo tenista Thomaz Belucci; além do ingresso em dois novos países, Peru e Colômbia. Também investiu em patrocínios de grande visibilidade como o torneio de tênis Brasil Open (ATP 250) e inaugurou sua primeira loja em São Paulo, onde vendia também roupas para ginástica e tênis femininos. Esse novo posicionamento da marca culminou com o lançamento de novos produtos, entre os quais a TOPPER INSTINCT, linha de chuteira, introduzida em 2011, que oferece três modelos: Velocity (indicada para jogadores rápidos e dribladores), Clássico (indicada para os atletas com maior categoria e visão de jogo) e Fuerza (concebida especialmente para os jogadores que têm como características força, precisão e faro de gol).


No futebol, atualmente, a TOPPER fornece material esportivo para grandes times brasileiros, como por exemplo, Grêmio; além de atuar no mercado argentino, onde a marca está presente desde a década de 1990, com o patrocínio de equipes tradicionais como Vélez Sarsfield e Newell’s Old Boys, e outras modalidades esportivas como basquete, rúgbi e tênis. A marca também patrocina alguns atletas, como o ex-goleiro Marcos, o argentino Conca e Diego Souza. Além disso, mantém parceria com a Federação Paulista de Futebol (FPF) e a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERI), renovada até 2016, que envolve o fornecimento da bola e do uniforme dos juízes.


A união com a Argentina 
A compra da Alpargatas Argentina pela São Paulo Alpargatas em 2008 possibilitou que as operações da marca TOPPER nos dois países fossem unificadas. Até então, apesar de manterem o mesmo nome, uma origem em comum, já que foi lançada pelas duas empresas em 1975 em seus respectivos países, seguiram caminhos diferentes quando as companhias se separaram na década de 1980. Enquanto no Brasil a TOPPER trabalhou exclusivamente com roupas e acessórios apenas para modalidades de futebol masculino, na Argentina trabalhou com um portfólio mais variado e amplo, que atendia esportes como basquete, vôlei, rúgbi e tênis, incluindo produtos para o sexo feminino. Até mesmo a identidade visual era diferente em ambos os países. Ao adotar um novo posicionamento, que unificou não apenas a operação, mas também o marketing de ambas, a TOPPER deu um importante passo para uma expansão internacional mais sólida.


A evolução visual 
Desde o início de 2009, a marca tem passado pelo mais radical processo de reformulação de sua história. O logotipo da TOPPER foi completamente redesenhado. A antiga identidade visual, calcada em um logotipo com um T estilizado, em preto e vermelho, desenhado na década de 1970, deu lugar à um logotipo mais moderno, que pretende fazer uma associação de garra e irreverência latina. O objetivo desta reformulação foi criar uma marca global com atuação na América Latina, gerida a partir do Brasil. A mudança também atingiu a identidade visual utilizada na Argentina.


Os slogans 
Coração Manda. (2009) 
El Corazon Manda. (Argentina) 
Futebol é coisa séria. 
A marca oficial do brasileiro. 
A marca que o Brasil convocou.


Dados corporativos 
● Origem: Brasil 
● Lançamento: 1975 
● Criador: São Paulo Alpargatas 
● Sede mundial: São Paulo, Brasil 
● Proprietário da marca: Alpargatas S.A. 
● Capital aberto: Não 
● Presidente: Márcio Utsch 
● Diretor de artigos esportivos: Fernando Beer 
● Faturamento: Não divulgado 
● Lucro: Não divulgado 
● Presença global: 10 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Segmento: Materiais esportivos 
● Principais produtos: Uniformes, tênis, bolas e chuteira
● Concorrentes diretos: Penalty, Olympikus, Nike, Adidas, Puma, Diadora e Lotto 
● Slogan: Coração manda. 
● Website: www.topper.com.br 

A marca no mundo 
Atualmente a TOPPER, considerada líder em artigos esportivos para prática de futebol no mercado brasileiro, produz uma diversificada linha de produtos para a prática do futebol (uniformes, chuteiras, bolas, luvas, caneleiras, joelheiras, tornozeleiras, entre outros itens), futsal, basquete, rúgbi, voleibol, tênis e roupas casuais (camisas, camisetas, regatas, sungas, shorts, bermudas, bonés, moletons, agasalhos e jaquetas acolchoadas). A marca, além de estar fortemente presente no Brasil, atua em outros países sul-americanos e até no Japão (onde os calçados clássicos de futsal recebem cores e ganham status de peça de moda), com destaque para a Argentina, onde a TOPPER detém 30% do mercado de material poliesportivo e mantém uma rede exclusiva com mais de 15 lojas próprias. Apesar do novo posicionamento adotado pela marca anos atrás, aproximadamente 70% de suas vendas são de artigos de futebol (campo, society e futsal). 

Você sabia? 
A TOPPER é patrocinadora oficial da seleção brasileira de rúgbi (masculina e feminina). Uma estratégia importante, pois o rúgbi se tornará esporte olímpico em 2016 - e apoiá-lo é um meio de garantir visibilidade. Para divulgar este patrocínio a marca utiliza o slogan “Rugby, isso ainda vai ser grande no Brasil”
Em 2003, Pelé foi protagonista de uma enorme campanha publicitária da marca. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Isto é Dinheiro, Exame e Época Negócios), jornais (Valor Econômico e Meio Mensagem), sites especializados em Marketing e Branding (Mundo Marketing) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 9/7/2013

4 comentários:

Logos Handebol disse...

Algum dos amigos sabe me informar aonde comprar as camisas para árbitro da Topper?
Se sim, me informem por e-mail: fernandes.edf@hotmail.com

Grato.

Gerson Petrucelli Neto disse...

Tenho algumas dúvidas sobre a história da Topper contada aqui. Primeiro, sobre o país de lançamento da marca. No site da Alpargatas S.A. (acionista brasileira) e no site da Alpargatas Argentina, dizem que a marca foi lançada primeiro na Argentina. Elas são as donas da marca.
No wikipédia da Argentina diz que a marca é argentina, foi lançada lá em 1975 e adquirida em porcentagem pela São Paulo Alpargatas (subsidiária na época) independente da casa matriz da Argentina. Foi o único site que explicou a presença da Topper nos dois países.
Um site aqui no Brasil que eu fiz recentemente conta essa história inteira, gostaria que você lesse e dissesse quais informações estão erradas e quais a sua fontes para dizer que a Topper é brasileira e sua origem foi no Brasil.
Respeito muito o autor desse site e sempre me mantenho acessando-o para saber das marcas, mas em relação a Topper pelo que pesquisei não dá para dizer que é brasileira e nem que foi lançada aqui. Vou deixar o link do site, lei-o e faça uma crítica bem positiva. Aguardo resposta, espero que me atenda e obrigado.

http://curiosidades-do-mundo-esportivo.webnode.com/news/topper-empresa-brasileira-ou-argentina-/

http://www.alpargatas.com.br/#/marcas-alpargatas

1- clique na marca Topper e leia sua história

Vitor Albuquerque disse...

Muito Boa A Marca, Gosto Muito Desses Modelos De Chuteiras !

http://www.compraexpert.com/abracadabra/

Anônimo disse...

Na minha opinião, a marca deveria continuar com o primeiro logotipo. Dá de
10x0 nos outros, que se não tiverem o nome escrito, não representam a marca. Além de muito feios. Gostaria de saber, se alguém lembra do nome de um modelo de tênis de basquete, acho que é do final dos 70/ início dos 80. Tinha uma bolinha de basquete estampada em borracha no cano, no lado externo do pé. O bico era meio elevado (um amigo dizia que, era tênis de dançar break). Lembro que tinha nas cores azul, laranja, vermelho e branco. Tive um azul. Não acho nada a respeito,
nem imagens. Se alguém tiver alguma informação, agradeço.