20.6.06

OLYMPUS


Como fabricante líder de tecnologia ótica e de precisão digital, a OLYMPUS contribui de forma significativa para a medicina, a ciência e a indústria. Nas mãos de seus clientes, os produtos de alta tecnologia ajudam a tornar as vidas de milhões de pessoas mais saudáveis, mais seguras e mais gratificantes. Desde câmeras digitais, microscópios, binóculos até equipamentos óticos avançados para o setor médico, científico e industrial, a marca OLYMPUS é a mais pura tradução do pioneirismo e alta tecnologia colocada a disposição dos olhos humanos. 

A história 
A história teve início exatamente no dia 12 de outubro de 1919 quando o advogado Takeshi Yamashita, juntamente com seu amigo Shintaro Terada, primeiro japonês a criar microscópios utilizando técnicas industriais, fundou a empresa Takachiho Seisakusho, que tinha como objetivo principal produzir microscópios e termômetros clínicos. O primeiro microscópio fabricado pela nova empresa foi batizado de Asahi, e apresentado oficialmente no mês de março de 1920, comercializado sob a marca Tokiwa. Com o preço de ¥ 125 ienes (aproximadamente US$ 12.000, em valores atualizados), o modelo foi considerado um produto de alto valor industrial pelo seu preço, sendo o único modelo produzido com bronze de canhão, uma liga de zinco e bronze utilizada na fabricação de canos para canhões. Somente no mês de fevereiro de 1921 a empresa começou a utilizar oficialmente o nome OLYMPUS como marca registrada para seus produtos. O nome “Olympus” foi escolhido como marca porque o monte Olimpo, na mitologia grega, era o lar dos deuses e deusas. Essa marca comercial também trazia a aspiração da OLYMPUS de iluminar o mundo com seus dispositivos óticos.


Pouco depois, em 1923, a empresa vendeu seu negócio de termômetros. A empresa que adquiriu a divisão de termômetros foi autorizada a usar OLYMPUS como sua marca comercial. A maior parte dos recursos dessa venda foi investida no desenvolvimento de novos microscópios. No começo dos anos de 1930, a empresa foi responsável por desenvolver o primeiro microscópio metalúrgico do país. Pouco depois, em 1935, inaugurou o centro de pesquisas óticas, dedicado a criar e desenvolver lentes fotográficas. Com isso, já ano seguinte, lançava no mercado a primeira lente fotográfica (ZUIKO) para a primeira máquina OLYMPUS, chamada Semi-Olympus I. O rápido crescimento da empresa foi interrompido pela Segunda Guerra Mundial. No período do pós-guerra, a OLYMPUS voltou com força total e, em 1948, retomou sua atitude pioneira ao lançar a primeira máquina 35 mm do mercado japonês. Pouco depois, em 1949, o nome da empresa foi alterado para Olympus Optical Co. Ltd. em uma tentativa de melhorar a imagem da corporação. Paralelamente ao desenvolvimento dos microscópios e máquinas fotográficas, a OLYMPUS investiu também em pesquisas para equipamentos de uso médico e científico criando a primeira gastrocâmera (que possibilitava fotografar e examinar o interior do estômago do paciente), em novembro de 1950.


Nos anos seguintes, a OLYMPUS aperfeiçoou sua experiência desenvolvendo produtos para o mercado fotográfico profissional e amador. Com isso surgiram produtos como câmeras compactas, que eram totalmente automáticas; o sistema electrophoresis automático; uma impressora com dispositivo de íon; e um protótipo de estática do transistor de indução. A expansão internacional da marca começou em 1964 com a abertura do primeiro escritório de vendas na cidade de Hamburgo na Alemanha; e continuou em 1968, quando iniciou suas atividades nos Estados Unidos com a formação de uma subsidiária para comercialização de produtos médicos e microscópios, além de câmeras fotográficas. A década de 1970 começou com lançamentos voltados para a área médica, como por exemplo, o primeiro analisador clínico da marca (o Vanox) e um novo modelo de microscópio. Em 1972, a empresa inventou o sistema OM e também foi considerada pioneira no desenvolvimento de câmeras SLRs compactas, abrindo assim um leque para diversas outras empresas fazerem o mesmo.


Os anos de 1980 foram marcados por maciços investimentos no setor médico, que resultaram em produtos inovadores como aparelhos de pré-transfusão, sistemas de teste de sangue e analisador imunológico. Além disso, a OLYMPUS foi responsável, também nesta década, por trazer ao mercado endoscópios, sistema coletor ótico, e pelo desenvolvimento de um reagente que detectava os anticorpos da AIDS – doença tão temida na época. No final desta década, a OLYMPUS experimentou uma nova fase de expansão internacional com a abertura de escritórios de vendas em Miami, voltado para o mercado caribenho e latino-americano, em 1987; e dois anos depois, quando completava 70 anos, com a inauguração de escritórios em Hong Kong, Cingapura e Taiwan, além de fábricas na China e Hong Kong. A década de 1990 foi marcada por inúmeras novidades como as primeiras câmeras digitais, a câmera digital de alta resolução, além do lançamento da mini-televisão. Em 2003, a empresa abriu um novo capítulo em sua história ao adotar o nome OLYMPUS CORPORATION, cujo desejo era criar uma marca corporativa dinâmica com a unificação do nome corporativo e uma marca famosa. Nos últimos anos, a OLYMPUS se concentrou no desenvolvimento da “tecnologia ótico-digital” para maximizar o valor corporativo e tornar-se um dos principais fabricantes desse segmento, especialmente no mercado de equipamentos médicos.


Atualmente a OLYMPUS trabalha com as seguintes divisões de negócios: Divisão de Sistemas Médicos (oferece tecnologias terapêuticas e de diagnóstico de última geração que incluem desde endoscópios a dispositivos elétricos para cirurgia), Divisão de Soluções Científicas (uma vasta gama de instrumentos e serviços inovadores para profissionais das ciências e da indústria, como microscópios para ciências da vida ou tecnologia de testes industriais) e Divisão de Produtos de Consumo (câmeras fotográficas, lentes, sistemas de câmaras sem espelho, gravadores de áudio de elevada qualidade e dispositivos para ditado profissional). Por isso, os produtos premiados da marca japonesa são fundamentais para a detecção, prevenção e cura de doenças, impulsionando a investigação científica e documentando a vida com liberdade artística através de fotografias.


A linha do tempo 
1948 
Lançamento da primeira câmera japonesa com obturador de lentes, batizada de OLYMPUS 35
1952 
Lançamento da OLYMPUS FLEX, câmera fotográfica com lentes reflexivas gêmeas. 
1955 
Lançamento de seus primeiros equipamentos de precisão. 
Lançamento da OLYMPUS WIDE, câmera fotográfica com ângulo largo. 
1959 
Lançamento da câmera fotográfica OLYMPUS PEN, de meia chapa, com capacidade para tirar 72 fotos. 
1963 
Lançamento da OLYMPUS PEN F, primeira câmera do mundo de lente compacta única reflexiva. 
1968 
A empresa ingressou no segmento de endoscópios industriais. 
1969 
Lançamento do Zuiko Pearlcoder, primeiro gravador microcassete do mundo. 
1970 
Ingressou no segmento de análises clínicas com o desenvolvimento do ACA-III, um sistema automático de análise bioquímica. 
1972 
Lançamento da M1, uma câmera compacta e leve de lente simples reflexiva. O modelo foi renomeado para OM-1 no ano seguinte. 
1978 
Lançamento da câmera fotográfica compacta. 
1979 
Lançamento da primeira câmera fotográfica do mundo com proteção de lente deslizante. 
1982 
Lançamento de um sistema de endoscopia por ultrassom. 
1983 
Lançamento da OLYMPUS AFL, primeira câmera compacta totalmente automática com bateria de lítio. 
Lançamento do PK 7000, um sistema de teste de sangue de transfusão automática. 
1986 
Lançamento da primeira câmera fotográfica compacta à prova d’água do mundo. 
Lançamento do disco ótico magnético. 
1991 
Lançamento da OLYMPUS STYLUS, câmera fotográfica automática mais leve do mundo na época. 
Lançamento da menor câmera de endoscopia do mundo, a InfinityStylus OTF-F2
1996 
Lançamento de suas primeiras câmeras digitais chamadas CAMEDIA
1997 
A câmera digital STYLUS atinge a marca de 10 milhões de unidades comercializadas. 
1999 
Lançamento da câmera digital de alta resolução C-2000 Zoom
Lançamento dos endoscópios veterinários, ingressando assim em um novo segmento de mercado. 
2000 
Lançamento nos Estados Unidos, em parceria com a Polaroid, a G-211 Zoom, primeira câmera digital instantânea. 
2001 
Lançamento do gravador equipado com MP3. 
2002 
Lançamento de seu primeiro sistema de revelação digital em quiosques. 
Lançamento do VISERA, um sistema de vídeo integrado para endoscopia cirúrgica e exames. 
2003 
Lançamento da E-1, câmera digital SLR com sistema intercambiável de lentes. 
2004 
Lançamento da OLYMPUS STYLUS VERVE, câmeras digitais com design revolucionário e várias opções de cores. 
2005 
Lançamento da primeira câmera digital com corpo resistente ao choque e a profundidades de até 5 metros. 
Lançamento da câmera digital equipada também com leitor de música. 
2007 
Lançamento da E-3, câmera digital SLR com o sistema AF mais rápido do mundo na época. 
2009 
Lançamento da OLYMPUS PEN E-P1, câmera digital com lentes intercambiáveis. 
2012 
Lançamento da OM-D E-M5, concentrando assim todos os seus esforços na sua bem sucedida linha de câmeras sem espelho. Uma das características dessa câmera era sua tela traseira de 3″ e do tipo OLED e que pode ser rebatida tanto para cima quanto para baixo. Além disso, tinha o corpo feito com liga de magnésio totalmente selado, tornando-a especialmente resistente à contaminação de pó e respingos d’água.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por algumas remodelações ao longo dos anos. O primeiro logotipo corporativo continha a palavra TOKIWA TOKYO, sua primeira marca comercial. A marca OLYMPUS foi introduzida somente em fevereiro de 1921 juntamente com um novo logotipo, que trazia a palavra TOKYO escrita abaixo do nome. Já o logotipo utilizado de 1970 até 2000, todo em azul, foi projetado para passar a impressão de qualidade e sofisticação. Em 2001, uma linha amarela foi acrescentada abaixo do logotipo. Essa marca é denominada “padrão ótico-digital” e representa a luz e as ilimitadas possibilidades da tecnologia digital. Simboliza a natureza dinâmica e inovadora da tecnologia ótico-digital e a OLYMPUS.


Os slogans 
Your Vision, Our Future. (2009) 
Capture it all. (2008) 
Nothing’s impossible. (2001) 
Focus on life. (2000)


Dados corporativos 
● Origem: Japão 
● Fundação: 12 de outubro de 1919 
● Fundador: Takeshi Yamashita 
● Sede mundial: Tóquio, Japão 
● Proprietário da marca: Olympus Corporation 
● Capital aberto: Sim 
● CEO & Presidente: Hiroyuki Sasa 
● Faturamento: US$ 7.1 bilhões (2017) 
● Lucro: US$ 760 milhões (2017) 
● Valor de mercado: US$ 10.1 bilhões (novembro/2018) 
● Presença global: 110 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 35.930 
● Segmento: Equipamentos óticos 
● Principais produtos: Câmeras digitais, microscópios e equipamentos médicos 
● Concorrentes diretos: Canon, Nikon, Pentax, Panasonic, Sony, Casio, Fujifilm, Konica Minolta, Karl Storz e Philips 
● Slogan: Your Vision, Our Future. 
● Website: www.olympus-global.com 

A marca no mundo 
Atualmente a OLYMPUS, que emprega mais de 35 mil funcionários, está presente em mais de 110 países do mundo, vendendo produtos fotográficos digitais, equipamentos óticos para o setor médico (como endoscópios), científico e industrial, música e áudio (gravadores de voz), mantendo ainda sua tradicional produção de equipamentos óticos analógicos, de câmeras com filme e binóculos. Aproximadamente 80% de seu faturamento (US$ 7.1 bilhões no ano fiscal 2017/2018) foi gerado por equipamentos médicos. São mais de 6.700 patentes no setor de medicina, com 70% de participação no mercado global na área de endoscopia gastrointestinal. Por ano, são efetuadas 7.35 milhões de colonoscopias com os endoscópios da OLYMPUS somente na Europa. 

Você sabia? 
Em 2011, o então CEO da empresa Tsuyoshi Kikukawa foi demitido sob a alegação de omitir perdas contábeis resultantes de investimentos no valor de US$ 1.7 bilhões. Os promotores alegaram que a empresa começou a usar um mecanismo complexo de contabilidade para esconder as perdas resultantes de investimentos feitos na década de 1990, com executivos do alto escalão, incluindo ex-presidentes, aprovando esses movimentos. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Exame), jornais (Valor Econômico e Folha), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Última atualização em 28/11/2018

2 comentários:

* Nan * disse...

Comprei uma camera fotográfica digital da Olympus D-100 a algum tempo atrás e estou satisfeito com a camera, porém a tampa do compartimento de pilhas quebrou e não estou conseguindo encontrar um lugar para a substituí-la.

Ana Paula disse...

TENHO UMA OLYMPUS X 760 E A TAMPA DA PILHA QUEBROU E COM ISSO ELA NÃO FECHA MAIS O LOCAL DA PILHA VOCE TERIA UMA TAMPA NOVA? SE SIM QUANTO CUSTA?
ap_cesario@hotmail.com