23.5.06

CISCO SYSTEMS


Provavelmente muitos nunca ouviram falar dela. Pois saiba que a empresa americana CISCO é uma das principais responsáveis por permitir que pessoas, empresas, governos e países possam comunicar-se, ampliar a produtividade, melhorar a satisfação dos clientes ou até mesmo aumentar as vantagens competitivas, mudando a maneira como as pessoas trabalham, vivem, brincam e aprendem. Após mais de três décadas, a CISCO conseguiu se manter na vanguarda da tecnologia de sistemas de rede e manteve a sua posição como um líder no campo da tecnologia da internet. 

A história 
Ninguém imaginaria que a história de uma das mais valiosas empresas do mundo começou por causa do casal de namorados Leonard Bosak e Sandra Lerner, funcionários da área de computação da tradicional Universidade de Stanford, que trabalhavam em departamentos diferentes. Por causa da distância de sua amada no trabalho, Bosak teve a brilhante ideia de criar um aparelho - chamado Router - que permitia mandar correios eletrônicos de um computador para outro em redes diferentes, mantendo assim a comunicação com a namorada. Baseado nessa grande inovação o casal viria a criar, com a ajuda de Richard Troiano, no dia 10 de dezembro de 1984 na cidade de Menlo Park, a empresa CISCO SYSTEMS. O que começou sendo uma ligação amorosa acabaria por dominar, em algum momento, mais de 80% do mercado mundial. O nome da empresa tem origem nas letras finais da cidade californiana de San FranCISCO. De acordo com John Morgridge, 34º empregado da empresa e ex-presidente corporativo, os fundadores chegaram ao nome e ao logotipo enquanto dirigiam para Sacramento para registrar a empresa. Eles viram a ponte Golden Gate, principal símbolo da cidade de San Francisco, emoldurada pela luz do sol. Por isso o logotipo original era uma representação da famosa ponte.


Em 1986 a empresa lançou seu primeiro produto inovador na área de roteamento: o Advanced Gateway Server (AGS). A primeira venda foi fechada com a Universidade de Utah. A internet jamais seria a mesma. No ano seguinte, a empresa lançou o protocolo IGRP, o primeiro protocolo criado para rodar em redes de grande porte. No começo de suas operações a CISCO fabricava apenas roteadores de grande porte para empresas, mas gradualmente diversificou o seu negócio passando a atender também ao consumidor final com tecnologias como o Voip ao mesmo tempo em que seu segmento corporativo era ampliado. Embora não tenha sido a primeira empresa dos Estados Unidos a produzir roteadores, foi a primeira a vender de forma sucedida roteadores multi-protocolos, permitindo que computadores antes incompatíveis pudessem se comunicar usando diferentes protocolos de redes. Desde o início, os engenheiros da empresa se destacaram no avanço do desenvolvimento do IP (Internet Protocol) - a linguagem básica para se comunicar através da internet e das redes privadas. A tradição de inovação da empresa permaneceu através da criação de produtos líderes e tecnologias-chave que tornariam a internet mais útil e dinâmica. Essas tecnologias incluem: roteamento e comutação avançada, voz e vídeo sobre IP, redes óticas, wireless, redes de armazenamento, segurança, banda larga e redes de conteúdo.


Em 1990 a empresa começou a ter suas ações cotadas na Bolsa de Valores Nasdaq, e conseguiu capitalizar US$ 224 milhões. Pouco depois, em 1992, a empresa conseguiu sua primeira patente, e abriu escritórios em Toronto (Canadá) e Tóquio (Japão), iniciando assim sua internacionalização. O casal saiu da empresa com uma quantia de US$ 170 milhões e se divorciaram pouco depois. O amor do casal pode ter acabado, mas a CISCO permaneceu. Ainda nesta década a empresa teve um crescimento acentuado, de um faturamento anual de US$ 500 milhões em 1993, superou a marca de US$ 1 bilhão em 1995. Pouco depois, em 1996, a CISCO iniciou sua incursão no segmento de Service Providers. Além disso, lançou o primeiro site com suporte ao idioma chinês. Em 1998, a CISCO se tornou a primeira empresa da história a alcançar um valor de mercado acima dos US$ 100 bilhões em apenas 14 anos. Durante o boom da internet em 1999, adquiriu a Cerent Corporation, uma jovem empresa fabricante de equipamentos utilizados em linhas de fibra óptica, localizada em Petaluma, Califórnia, por aproximadamente US$ 7 bilhões. Essa foi, na época, a mais expressiva aquisição feita pela CISCO até então.


No final de março de 2000, em pleno pico do boom das empresas ponto-com, a CISCO tornou-se a empresa mais valorizada do mundo, com uma captação de mercado superior a US$ 500 bilhões. Além disso, a CISCO adquiriu mais de 20 empresas apenas neste ano e realizou a primeira transmissão de vídeo full-motion via rede IP, e – mais uma vez – fez história. Em 2001, a empresa lançou a primeira plataforma multiserviço a operar a 10Gb. Como resultado do estouro da bolha da internet, em 2002, pela primeira vez em sua história, a empresa realizou os primeiros cortes de funcionários e assistiu sua receita despencar. Com suas aquisições, desenvolvimento interno, parcerias com outras empresas, a CISCO fez avanços em vários outros equipamentos de redes fora da linha de roteadores, incluindo switchers ethernet (comutadores), acessos remotos, redes para máquinas de auto-atendimento bancário (ATM, segurança, telefonia por IP, e outros). Em 2003, adquiriu a Linksys, conhecida produtora de equipamentos para rede e se posicionou na liderança do mercado doméstico americano de redes. Nesta época, a empresa foi apelidada como a próxima superpotência da informática, sendo considerada pela revista Forbes como a empresa de alta tecnologia mais dinâmica da América. Em 2004, lançou a linha CRS, fato que lhe rendeu uma entrada no Guinness Book (livro dos recordes), como o router de internet com maior capacidade no planeta.


Nos anos seguintes a empresa manteve uma forma vigorosa: desenvolveu em média 85 novos produtos a cada seis meses, além de ter registrado 8 mil patentes, investido US$ 5.3 bilhões em pesquisa e desenvolvimento anualmente (13% do faturamento) e realizado impressionantes 145 aquisições estratégicas de empresas. Nos últimos anos a CISCO tem focado grande parte de suas ações no segmento de arquitetura das redes para a transformação dos negócios, apostando no que se chama “internet das coisas” (Internet of Things) e na simplificação das estruturas para trazer mais rapidez e retorno aos negócios. Isto porque, as dificuldades para se manter na liderança na venda de roteadores e switches, está fazendo com que a CISCO se torne cada vez mais uma empresa centrada no fornecimento de serviços voltados a data center, softwares e segurança na nuvem. Através desse novo posicionamento a empresa lançou máquinas capazes de lidar com o astronômico tráfego da internet, seus próprios softwares de ferramentas de rede e serviços de segurança. Um exemplo, foi o lançamento do processador de rede mais escalável e programável do mundo, projetado para suportar a Internet de Todas as Coisas (IoE - Internet of Everything), à medida que mais pessoas, processos, dados e coisas tornam-se interconectadas. O processador de rede integrado Cisco nPower™ oferece novos níveis de desempenho e largura de banda, bem como controle programável usando APIs abertas e recursos de computação avançados. E também fez aquisições estratégicas, como por exemplo, a da Jasper Technologies, uma promissora startup que conecta aparelhos como carros e equipamentos médicos à internet; e da AppDynamics, que produz software que administram e analisam aplicativos, tendo aproximadamente 2 mil clientes. Por toda essa revolucionária história a CISCO tem feito a Internet funcionar desde 1984.


O grande escândalo 
Em outubro de 2007 a Polícia Federal em uma operação denominada Persona, prendeu 40 funcionários da multinacional, entre eles o presidente da empresa no Brasil, Pedro Ripper, o ex-presidente Carlos Roberto Carnevali e mais 39 funcionários públicos, empresários e funcionários de 30 empresas acusadas de envolvimento com o esquema de fraudes em três estados brasileiros (São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia) e nos Estados Unidos. As investigações apontaram fraudes em importações, ocultação de patrimônio, falsidade ideológica, corrupção ativa e passiva, sonegação fiscal e evasão de divisas. O esquema montado subfaturava software e hardware, usava laranjas e empresas em paraísos fiscais beneficiando a CISCO, sua subsidiária e suas distribuidoras no Brasil. Em cinco anos foram movimentados aproximadamente US$ 500 milhões em valores declarados de produtos para a multinacional americana e um volume mensal de 50 toneladas de mercadorias, o que poderia gerar lançamentos tributários no montante de R$ 1.5 bilhões. A sede americana, diante da controvérsia, informou na época que “a empresa estava cooperando totalmente com as autoridades brasileiras para apuração do caso”. No entanto em 22 de novembro de 2007 a empresa anunciou o desligamento do ex-presidente e ativo colaborador da empresa, Carlos Carnevalli, por envolvimento em atitudes não aprovadas pelo regime de conduta da CISCO. Para poder sanar todo este mal entendido a empresa continua passando por auditorias internas. A operação brasileira, criada em 1994, faz parte da América Latina, dentro da área de Mercados Emergentes.


A evolução visual 
O tradicional logotipo da marca, que possui a bela ponte Golden Gate como símbolo, passou por algumas alterações no decorrer dos anos. O logotipo original, criado em 1985, foi remodelado em 1990 e 1996, adquirindo uma imagem mais moderna e impactante.


Em outubro de 2006, a CISCO apresentou publicamente um novo logotipo que era graficamente mais simples e estilizado do que o anterior. A tradicional ponte Golden Gate ganhou traços modernos e estilizados, e a palavra “systems” foi retirada. Mais recentemente esse logotipo adotou a cor azul-clara.


Os slogans 
There’s Never Been A Better Time. (2016) 
Tomorrow Starts Here. (2012) 
Built for the human network. 
Together we are the human network. (2010) 
Welcome To The Human Network. (2006) 
This is the power of the network. Now. (década de 2000) 
Discover All That’s Possible On the Internet. (2000) 
The network works. No excuses. (1995) 
Empowering The Internet Generation. (década de 1990) 
Agora é a hora! (2016, Brasil)


Dados corporativos 
● Origem: Estados Unidos 
● Fundação: 10 de dezembro de 1984 
● Fundador: Leonard Bosak e Sandra Lerner 
● Sede mundial: San Jose, Califórnia, Estados Unidos 
● Proprietário da marca: Cisco Systems Inc. 
● Capital aberto: Sim (1990) 
● Chairman: John Chambers 
● CEO: Chuck Robbins 
● Faturamento: US$ 49.2 bilhões (2016) 
● Lucro: US$ 10.3 bilhões (2016) 
● Valor de mercado: US$ 169.3 bilhões (fevereiro/2017) 
● Valor da marca: US$ 30.948 bilhões (2016) 
● Presença global: 165 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 73.700 
● Segmento: Tecnologia 
● Principais produtos: Roteadores, comutadores, softwares, aplicativos móveis, serviços na nuvem e segurança 
● Concorrentes diretos: Microsoft, Juniper, Avaya, IBM, HP e Polycom, Brocade e Alcatel-Lucent 
● Slogan: There’s Never Been A Better Time. 

O valor 
Segundo a consultoria britânica Interbrand, somente a marca CISCO SYSTEMS está avaliada em US$ 30.948 bilhões, ocupando a posição de número 16 no ranking das marcas mais valiosas do mundo. A empresa também ocupa a posição de número 54 no ranking da revista FORTUNE 500 de 2016 (empresas de maior faturamento no mercado americano). 

A marca no mundo 
A CISCO SYSTEMS, líder mundial em soluções de rede e comunicações para a internet, comercializa seus mais de 19.000 produtos e serviços em 165 países, com mais de 85% de todo o tráfego da internet passando por equipamentos da empresa. A atividade principal da empresa, que emprega mais de 73 mil pessoas e faturou mais de US$ 49 bilhões em 2016, é oferecer de soluções para redes e comunicações, quer seja na fabricação e venda (destacando-se fortemente no segmento de roteadores e switches) ou mesmo na prestação de serviços como softwares, aplicativos móveis, serviços na nuvem e segurança. Em 2016 a CISCO investiu mais de US$ 6 bilhões em pesquisas e desenvolvimento de novos produtos. 

Você sabia? 
Para ajudar a fomentar o acesso às oportunidades de educação e desenvolvimento profissional ao redor do mundo, a empresa criou em 1997 o Programa Cisco Networking Academy. O programa proporciona à estudantes capacitação profissional e desenvolvimento de carreiras no setor de TI para instituições de ensino e pessoas em todo o mundo. Desde sua criação o programa foi implantado em 165 países. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek, Isto é Dinheiro e Exame), jornais (Valor Econômico, Meio Mensagem, Folha e Estadão), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 19/2/2017

3 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom, ótimo blog!
Sucesso ;-)

Thais disse...

muito0 bom este blog cm elee pode fazer um trabalho0 de geografia e tirei 10 xD indico0 muito bom mesmo

Matheus Falcão disse...

Ótimo texto consegui entender tudo