24.6.10

GRENDENE


Que menina nunca calçou uma sandália Melissa. E que menino nunca usou um confortável chinelo Raider. Isto sem contar as sandálias Ipanema, vistas desfilando nas principais praias do país e do mundo. Todos esses ícones do segmento foram criados pela GRENDENE, uma empresa que produz calçados inovadores e originais, de forma mais rápida, com maior precisão, com qualidade superior a custos altamente competitivos. 

A história 
Tudo começou exatamente no dia 25 de fevereiro de 1971 quando o empresário Pedro e seu irmão Alexandre Grendene Bartelle, atentos às inúmeras possibilidades do plástico, fundaram a GRENDENE na cidade gaúcha de Farroupilha para produzir telas para os garrafões de vinho produzidos na Serra Gaúcha, uma grande novidade para época, já que as telas até então eram feitas em vime. Desde então, nunca mais outra embalagem abraçou a bebida com tanta funcionalidade. Em 1976 a empresa iniciou a fabricação de peças de plásticos para máquinas e implementos agrícolas, e, em seguida, de componentes para calçados, tais como solados e saltos. A empresa foi pioneira na utilização da poliamida (náilon) como matéria-prima para a fabricação desses componentes. No final desta década, em 1979 lançou a NUAR, primeira marca de sandálias da empresa, e começou suas exportações.


A história da empresa começaria a mudar de rumos ainda neste ano quando observando as sandálias de tiras dos pescadores da Riviera Francesa, Pedro teve a ideia que revolucionou a GRENDENE e a moda brasileira: nascia a Melissa Aranha. Muito mais que um calçado de plástico injetado, a marca virou símbolo fashion e literalmente caiu no gosto das brasileiras. E inaugurou o merchandising de calçados em novela: a partir dos pés de Júlia, personagem interpretada por Sônia Braga na novela Dancing Days, a Melissa ganhou milhões de outros pés pelo Brasil afora. Em 1980 a empresa inaugurou uma matrizaria localizada em Carlos Barbosa, também no estado do Rio Grande do Sul, para produzir matrizes próprias para a fabricação de calçados de plástico.


Em 1983, o casamento de sucesso da marca Melissa com os grandes designers mundiais começou com as invenções de Jean-Paul Gaultier, Thierry Mugler, Jacqueline Jacobson e Elisabeth De Seneville. Pouco depois, em 1984, a GRENDENE ganhou os pés das meninas brasileiras quando foi lançada a Melissinha, a versão da sandália voltada para um público infantil e sempre acompanhada de algum brinde. Desde então, a linha Kids da empresa não parou mais de crescer. A aposta foi abusar dos licenciamentos, com personagens como Barbie, Hot Wheels e Disney, utilizando em boa parte o apelo emocional e lúdico dos calçados com acessórios, que expressassem o universo infantil.


A década contou ainda com outra grande novidade: em 1986, com design diferenciado e priorizando o conforto, a GRENDENE lançou os chinelos de tira única Rider, direcionados ao público masculino (as versões, feminina e infantil, foram acrescentadas a linha na década seguinte) e que ficaram conhecidos por “dar férias para os seus pés”. O chinelo continua um sucesso até os dias de hoje, sendo comercializada em 70 países. A década seguinte tem início com a instalação em Fortaleza da primeira unidade fabril no estado do Ceará, que tinha capacidade anual de produção de 5 milhões de pares. Pouco depois, em 1993, a GRENDENE inaugurou outra fábrica, desta vez na cidade de Sobral, também no estado do Ceará, motivada pelos benefícios fiscais, menor custo de mão-de-obra e localização estratégica para acesso ao mercado internacional.


No ano seguinte, pensando atingir diferentes tipos de mulheres, surgiu a linha Grendha, com opções para todos os estilos, desde os modelos mais clássicos até moda praia, casual e fashion, que tinha a frente dos lançamentos, celebridades como a cantora baiana Ivete Sangalo. Em 1996 tem início o reposicionamento da marca Melissa, que após dois anos sem lançamentos, inovou ao trazer a modelo Claudia Schiffer para desfilar os novos modelos da marca. No final desta década, em 1998, a GRENDENE criou uma divisão somente para cuidar especificamente da grife Melissa e entrar no novo milênio como ícone da moda. Em julho de 2001, para ingressar de vez na linha praia, a empresa lançou no mercado a marca Ipanema, composta por chinelos e sandálias femininas a preços competitivos. No ano seguinte, para dar nome a um produto GRENDENE, nada como uma celebridade que fosse sinônimo de moda: era a estreia da linha com a cara – e o nome – da super modelo Gisele Bündchen, que incluía sandálias e chinelos com design diferenciado com a marca Ipanema GB. Neste mesmo ano, a Melissa estreou na São Paulo Fashion Week, com modelos desenhados pelo renomado artista plástico Romero Britto. Era a GRENDENE cada vez mais inserida no universo da moda.


Em 2005, com ares high-tech e moderno, foi inaugurada a Galeria Melissa, na badalada Rua Oscar Freire, um dos endereços mais valorizados de São Paulo. A loja não se limitava a vender os produtos Melissa, mas também objetos de arte e design, e contava a história de um dos calçados mais tradicionais do país, que se renova a cada coleção. No final de 2006, houve o lançamento de uma nova marca, a Ilhabela, voltada para um público jovem feminino, na faixa etária de 18 a 25 anos. Já no ano seguinte a empresa lançou uma nova marca no mercado: Zaxy, linha de combate, vendida mais barato para concorrer com as cópias piratas da Melissa. O ano de 2009 foi repleto de novidades para a empresa: primeiro atingiu a expressiva marca de 150 milhões de calçados inteiramente produzidos no Brasil; depois, reposicionou a marca Rider no mercado; e por fim lançou a Cartago, uma nova marca de chinelos para o público masculino. Em 2012, além de inaugurar a Galeria Melissa em Nova York, a empresa comemorou pelo décimo ano a liderança em pares de calçados exportados pelo Brasil.


E a GRENDENE conseguiu um fato notável na indústria: ano após ano, a empresa gaúcha vem aumentando o número de pares vendidos na China (os maiores fabricantes de sapatos baratos), provando que é possível jogar também no contra-ataque e não apenas ficar lamentando a invasão dos artigos Made in China no Brasil. O segredo? Uma combinação de marca, produtividade, design e escala.


Marcas que vestem pés 
A GRENDENE oferece uma extensa e versátil linha de calçados composta por diversas e consagradas marcas: 
MELISSA (1979): seus lançamentos encantam fashionistas brasileiros, adolescentes americanas e consumidores de cinco continentes. Full plastic, ícone de moda e referência de comportamento, a Melissa criou um conceito de vanguarda para o mercado da moda. Divertida, fashion, original. Em mais de 30 anos, a Melissa criou mais de 550 diferentes modelos, fabricou mais de 100 milhões de pares, exportou outros 50 milhões para mais de 80 países e produziu sapatos para as mais renomadas figuras da moda. 
RIDER (1986): é o “after-sport footwear” da GRENDENE. Voltado para o mercado masculino, esta marca líder segue conquistando novos consumidores no Brasil e no exterior. Rider busca em todos os esportes sua inspiração para desenvolver produtos que reinventam a categoria. Recentemente, em uma tentativa de reinventar a marca, Rider virou sandália de dedo semelhante a Havaianas. 
GRENDHA (1994): é a marca feminina que mais cresce no portfólio da empresa, com uma linha extensa que atinge os mais diversos tipos de consumidoras. Com grandes volumes de vendas, consegue agregar tecnologia, atualidade e preço competitivo. Seu diferencial é traduzir as tendências da moda para as necessidades da mulher prática, dinâmica e trabalhadora. Seja no Brasil ou no mundo. 
IPANEMA (2001): um verdadeiro sucesso de vendas. É leve, sensual e tropical como a mulher brasileira. É sucesso na Europa, Américas e Ásia. É charmosa até no nome, que remete a uma das praias mais famosas do Brasil. O ano de 2009 foi marcante para a Ipanema, que se consolidou como a mais versátil marca brasileira de sandálias de dedo. Neste ano foram lançados mais de 70 novos modelos, extrapolando o universo da moda praia com mais estilo e informação de moda. As sandálias Ipanema hoje são exportadas para 90 países. Pioneira no lançamento de novidades foi a primeira a criar grafias na palmilha e nos cabedais e também foi quem lançou a anatomia nessa categoria. As sandálias têm uma grande vantagem ambiental, pois são fabricadas com um composto de polímeros (plástico) 100% reciclável. 
GRENDENE KIDS: é líder de mercado, com aproximadamente 30 linhas voltadas para o segmento baby e infantil. Sob o guarda-chuva desta marca são vendidos produtos através de contratos de licenciamento, utilizando grifes, nomes de apresentadoras, cantoras, artistas, personagens de desenho animado e do universo infanto-juvenil, agregando apelo emocional aos produtos e um aspecto lúdico. As principais linhas licenciadas são Disney, Barbie, Xuxa, Hello Kitty, Galinha Pintadinha, Hot Wheels e Marvel. 
ILHABELA (2006): meninas de atitude, que se destacam pelo seu comportamento e estilo, encontram nesta coleção produtos dedicados a elas e que falam a sua língua. 
ZAXY (2007): inspirada na campeã de vendas Melissa é uma linha de calçados mais em conta, composta por modelos mais simples. Uma espécie de linha de combate, que é vendida mais barato e concorre com as cópias piratas da Melissa. 
CARTAGO (2009): uma linha de sandálias abertas idealizada para homens versáteis, elegantes, que valorizam seu estilo nos momentos de lazer, aliando a moda ao seu lifestyle contemporâneo. 
ZIZOU (2013): marca de calçados infantis, criada para atender a forte demanda do segmento infantil feminino, na faixa etária entre 6 e 8 anos, por uma moda em calçados inspirada em tendências da moda adulta.


A identidade visual 
A identidade visual da marca passou por pequenas modificações ao longo de sua história. A mais aparente delas foi a adoção de uma cor de azul mais clara.


Dados corporativos 
● Origem: Brasil 
● Fundação: 25 de fevereiro de 1971 
● Fundador: Alexandre e Pedro Grendene Bartelle 
● Sede mundial: Sobral, Ceará, Brasil 
● Proprietário da marca: Grendene S.A. 
● Capital aberto: Sim (2004) 
● Presidente do conselho: Alexandre Grendene Bartelle 
● CEO: Rudimar Dall Onder 
● Faturamento: R$ 2.23 bilhões (2014) 
● Lucro: R$ 490.2 milhões (2014) 
● Valor de mercado: R$ 5.1 bilhões (julho/2015) 
● Fábricas: 13 
● Presença global: 90 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 25.000 
● Segmento: Calçados 
● Principais produtos: Sandálias, sapatos e chinelos 
● Concorrentes diretos: Alpargatas, Vulcabras|Azaleia, Dakota, Beira Rio e Klin 
● Slogan: Há mais de 40 anos nos pés e no coração de todos os brasileiros. 
● Website: www.grendene.com.br 

A marca no mundo 
Atualmente a GRENDENE, uma das maiores produtoras de calçados do mundo, emprega 25 mil funcionários, tem capacidade instalada de produção de 250 milhões de pares/ano; exporta para mais de 90 países, lança 1.000 novos produtos por ano; tem faturamento superior a R$ 2.2 bilhões e, em 2014, comercializou 204.9 milhões de pares de sapatos sob marcas consagradas como Melissa, Rider e Ipanema. O mercado externo responde por algo entre 25% e 27% do faturamento anual da empresa. A empresa possui 13 fábricas de calçados, uma fábrica de PVC e uma matrizaria que estão distribuídas no estado do Ceará, nas cidades de Sobral, Fortaleza e Crato; no estado do Rio Grande do Sul, nas cidades de Farroupilha e Carlos Barbosa (matrizaria); e no estado da Bahia no município de Teixeira de Freitas. A GRENDENE vende seus produtos por meio de representantes comerciais, distribuidores, exportações diretas e via subsidiárias no exterior, atingindo aproximadamente 30 mil pontos de venda fora do país e 60 mil no mercado brasileiro, além de uma área de vendas separada e distribuição seletiva para a marca Melissa. 

Você sabia? 
A GRENDENE também atua através de licenciamentos de celebridades e personagens do universo infanto-juvenil e de histórias em quadrinhos para serem estampados em seus produtos como Xuxa, Gisele Bündchen, Ivete Sangalo, Guga Kuerten, Senninha, Hot Wheels, Barbie, Hello Kitty, Homem Aranha e Disney. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Exame, Isto é Dinheiro e Época Negócios), jornais (Valor Econômico e Meio Mensagem), sites especializados em Marketing e Branding (Mundo do Marketing) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 5/7/2015

3 comentários:

Anônimo disse...

valeu achei tudo que precisava para o mel trabalho!!!!!!!!!

leandro disse...

vale achei tudo que precisava para o meu trabalho!!!!!!!!!!!

Duda Azevedo disse...

Amei o site muito obrigada ajudou muito