9.4.20

NEXCARE


A NEXCARE é uma marca para cuidados pessoais com diversas opções que protegem, previnem, restauram a pele e aliviam a dor com conforto e total segurança. São produtos para cuidados e primeiros socorros com qualidade hospitalar na sua casa. Afinal, pequenos ferimentos, como cortes e arranhões superficiais, podem infeccionar e a melhor coisa a fazer para garantir uma cicatrização limpa e adequada é usar os produtos NEXCARE. 

A história 
Tudo começou no início da década de 1990 com a 3M Company, fundada em 1902 como uma fabricante de lixas de papel, dona de ícones como a fita adesiva Durex™, as esponjas Scotch Brite™ e os bloquinhos de recado Post-It™, e considerada uma das empresas mais inovadoras do mundo. A 3M já possuía vasta experiência na fabricação e desenvolvimento de materiais para uso hospitalar como máscaras de proteção respiratória, máscaras descartáveis, gazes, esparadrapos, ataduras cirúrgicas e bandagens adesivas como a Steri-Strip™ (lançada nos anos de 1960). A empresa também desenvolveu e lançou em 1960 o Micropore™ Surgical Tape, espécie de esparadrapo hipoalergênico (antialérgico), que foi a chave para o sucesso de sua divisão de negócios médico-hospitalares. Foi então que a 3M resolveu bater de frente com a poderosa Johnson & Johnson em um segmento onde a rival reinava absoluta com a marca Band-Aid, que se tornou sinônimo de uma categoria de produto no mundo. E para isso iria utilizar de toda sua experiência e confiança de médicos e enfermeiros em seus produtos.


Já líder nos hospitais com seus curativos absorventes e transparentes e fitas adesivas, a empresa combinou suas avançadas tecnologias com um pensamento inovador para desenvolver uma linha de bandagens adesivas e itens para tratamento de feridas para o consumidor final. Foi então que no ano de 1994 a empresa lançou no mercado a Nexcare Active™ Strips Bandages, uma bandagem adesiva com poder de aderência extra à transpiração da pele graças ao adesivo resistente ao suor. O nome da nova marca era uma montagem clara das palavras em inglês “next” (próximo ou junto) e “care” (cuidado ou zelo), indicando um posicionamento de proximidade, carinho e atenção. No ano seguinte introduziu uma versão colorida de suas bandagens adesivas. Em 1996, a NEXCARE já era a segunda marca de bandagens adesivas do mercado americano, incomodando e muito a rival Band-Aid em tão pouco tempo.


Em 1997, apostando na inovação a marca lançou o primeiro curativo (bandagem adesiva) à prova d'água do segmento, permitindo adultos e crianças a brincarem e se divertirem em ambientes molhados como o mar e a piscina sem prejudicar a cicatrização de feridas. Nesse mesmo ano a marca foi introduzida no mercado canadense. E pouco depois, lançou o Tattoo™ Waterproof Bandages, primeiro curativo à prova d’água desenvolvido especialmente para crianças, que continha estampas de desenhos e imagens. Em julho de 1999 a marca NEXCARE, voltada para a linha de primeiros socorros, foi oficialmente lançada no Brasil. E depois, em muitos outros países do mundo, iniciando assim a construção de uma marca global. Nos anos seguintes a marca NEXCARE passaria também a englobar os produtos de cuidados pessoais e primeiros socorros anteriormente produzidos pela empresa, como por exemplo, gazes, esparadrapos, ataduras, máscaras descartáveis de proteção e até o esparadrapo Micropore™ (ideal para peles sensíveis), produtos antes comercializados com a marca 3M.


Por volta de 2004 a marca lançou o curativo líquido (spray), que ao ser aplicado, seca rapidamente criando uma película uniforme e transparente sobre a pele, que facilita e acelera o processo de cicatrização. O produto também pode ser aplicado nas rachaduras dos seios de lactantes, em cortes cirúrgicos (protege a pele previamente à aplicação de curativos adesivos convencionais) e após tratamentos estéticos de peeling. Em 2007, a marca NEXCARE revolucionou o segmento novamente ao lançar a bandagem adesiva patenteada em forma de diamante. O formato exclusivo fornecia uma vedação de 360º ao redor da almofada e vinha em uma variedade de suportes para oferecer o máximo em conforto e proteção contra água, sujeira e germes. No ano seguinte, a marca ingressou em uma nova categoria ao lançar no mercado um tratamento para afta, chamado Nexcare with Microvex Cold Sore Treatment, que continha benzocaína para alívio da dor e alantoína como protetor da pele, bem como vitaminas E e C. Nesta época, também apresentou o emplastro para reduzir pequenos inchaços e entorses, além de tratar dores e tensões musculares.


E, em 2009, lançou com pioneirismo, primeiramente no Brasil, a fita adesiva de proteção para os pés, ideal para a proteção do calcanhar e dos dedos - regiões frequentemente agredidas pelo atrito com os sapatos. Discreta e resistente, a fita cria uma barreira protetora que impede o contato direto do sapato com a região dos pés vulnerável à formação de bolhas e feridas, prevenindo, assim, os machucados. Desde então, a NEXCARE apresentou uma linha completa apropriada para os machucados nos pés, com produtos para prevenir, proteger, hidratar e aliviar a dor. Incluindo um creme para os pés, cuja formulação possui propriedades hidratantes que auxiliam no tratamento da pele, reduzindo significativamente a descamação e o ressecamento da pele. Outra novidade foi o lançamento, em 2012, da bolsa térmica gel infantil, uma opção divertida para baixar a febre ou aliviar a dor de cólicas das crianças. Nessa época a marca lançaria um de seus produtos mais famosos: Nexcare Acne Patch, bandagens adesivas que funcionam como uma esponja para absorver a secreção e a oleosidade de espinhas. Originalmente, este produto era um curativo médico com Tegasorb™ patenteado pela 3M para absorver o pus da ferida quando enfermeiras em Taiwan experimentaram cortá-los em pedaços pequenos para colocar na acne.


Além disso, a marca ampliou sua linha com os curativos superflexíveis, que tem como grande diferencial não descolar, o que contribui para a melhor cicatrização, mesmo quando aplicado em regiões de maior movimentação como joelhos e cotovelos; fita Micropore™ bege, um grande destaque por proporcionar cuidado e proteção com descrição na pele; e as bandagens adesivas para peles sensíveis, que são feitas em silicone e contam com uma tecnologia patenteada que garante a remoção sem dor, além de não irritar a pele e garantir perfeita adesão. E a marca NEXCARE também investiu em comunicação. Como por exemplo, em 2014, quando lançou uma campanha publicitária com a personagem “Nexcare Nana”, uma simpática idosa que era a dublê e testadora oficial de produtos da marca. A idosa de 87 anos aparecia em vídeos originais experimentando os produtos NEXCARE na água, na sujeira e fazendo testes de germes em situações divertidas e hilárias. Uma das recentes novidades da marca é o Nexcare Animal Print Waterproof Bandages, bandagens adesivas com estampas que imitam pele de onça, zebra, tigre, girafa, entre outros animais.


Hoje em dia milhões de pessoas ao redor do mundo têm a NEXCARE como sua marca de referência em cuidados de ferimentos e saúde da pele. Em resposta a essa confiança, a marca continuamente amplia sua linha e alcance, para que possa atender à crescente demanda por produtos de tratamento de ferimentos e primeiro socorros de alta qualidade. A NEXCARE possui apenas um compromisso: fornecer os melhores produtos em desempenho de cicatrização e proteção da pele.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por algumas alterações ao longo dos anos, como mostra a imagem abaixo.


Os slogans 
Incentive. Cuide. (2018) 
Tough. Love. (2018) 
Com Nexcare, o machucado para de incomodar e a brincadeira continua. (2016) 
Serious About Healing. (2013) 
Proteção de verdade, Proteção da 3M. (2011) 
Cuida lo que más querés. (espanhol)


Dados corporativos 
● Origem: Estados Unidos 
● Lançamento: 1994 
● Criador: 3M Company 
● Sede mundial: St. Paul, Minnesota, Estados Unidos 
● Proprietário da marca: 3M Company 
● Capital aberto: Não 
● CEO: Mike Roman 
● Faturamento: Não divulgado 
● Lucro: Não divulgado 
● Presença global: 80 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Segmento: Cuidados pessoais 
● Principais produtos: Bandagens adesivas, compressas de gaze, esparadrapos e spray antissépticos 
● Concorrentes diretos: Band-Aid, Elastoplast, Dettol Plasters, Handyplast e Curad 
● Slogan: Incentive. Cuide. 

A marca no mundo 
Atualmente a NEXCARE, marca de cuidados pessoais da 3M, está presente em mais de 80 países ao redor do mundo comercializando uma completa linha de produtos com mais de 75 itens que inclui bandagens adesivas, gazes, esparadrapos, ataduras elásticas, álcool em gel, máscaras de proteção, protetor para os pés, protetores auditivos e oculares, entre outros. 

Você sabia? 
A NEXCARE mantém parcerias com Bancos de Sangue e a Cruz Vermelha em vários países da América do Norte, Europa, Ásia e América Latina. O objetivo dessa parceria é tornar a doação de sangue uma prioridade global e “criar uma cultura de doação”. A marca chegou até a lançar uma linha de bandagens de edição limitada com designs de inspiração global para celebrar a doação de sangue. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Exame), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 9/4/2020

31.3.20

BALMAIN


Durante décadas o nome Pierre Balmain esteve associado a um conceito único de elegância, a um charme cinematográfico e reconhecido como um marco do mundo da moda de luxo. Caiu no ostracismo, mas ressurgiu das cinzas como uma verdadeira Fênix. Hoje em dia a essência da BALMAIN pode ser resumida em uma palavra: Incontrolável. A marca é sexy, confiante, moderna, mas ao mesmo tempo obcecada pelo passado e tradição de sua história. Tachas, vestidos curtos, calças com rasgos e aquele monte de brilho que a BALMAIN trouxe de volta à moda e fez algumas mulheres, principalmente celebridades como Angelina Jolie, Penelope Cruz, Kate Moss, Céline Dion e Kim Kardashian, gastarem seus milhares de dólares em roupas e acessórios da grife francesa. 

A história 
Das aulas de arquitetura para os ateliês de alta costura de Paris: assim foi o caminho do francês Pierre Alexandre Claudius Balmain (foto abaixo) para o mundo da moda. Ele nasceu no dia 18 de maio de 1914 na pitoresca cidade de Saint Jean de Maurienne, na região da Sabóia, no sul da França. Desde pequeno, costumava desenhar vestidos até que um dia mostrou seus esboços para o estilista Edward Molyneux. Nesta época Pierre estudava arquitetura na Escola de Belas Artes de Paris. Encantado com o trabalho, Edward lhe ofereceu um emprego como aprendiz em sua Maison, onde ficou durante 5 anos. No ano de 1936, entretanto, Pierre foi chamado para cumprir o serviço militar obrigatório. Após finalizá-lo, em 1939, se juntou a Maison do estilista Lucien Lelong, onde foi colega de Christian Dior e com quem trabalhou durante a ocupação alemã em Paris. Em 1943, o jovem estilista desenhou um vestido de crepe preto que fez muito sucesso e que deu o impulso decisivo em sua carreira. Com o fim do conflito mundial que devastou a Europa, Pierre Balmain resolveu criar sua própria Maison, em 1945, para atender a elite parisiense no pós-guerra. Seu estilo trazia o retorno da opulência, do charme e da elegância perdidos nos anos da guerra. Um estilo que ele mesmo batizou de “O novo estilo francês”. Desde o início o estilista prezava pela qualidade. Era famoso por seu rigor no trabalho. Sempre afirmava que “se durante as provas um vestido não estivesse com a estrutura correta, era melhor destruí-lo, porque nem mesmo um belo acessório poderia salvá-lo”.


Além de se antecipar a Christian Dior no lançamento de roupas com cintura bem marcada e saias mais compridas e rodadas, Pierre Balmain foi um pioneiro também na criação de uma linha prêt-à-porter, que passou a vender nos Estados Unidos, a partir de 1951. A grife do estilista fez muito sucesso no continente americano por ter sido capaz de traduzir a moda francesa em roupas que a mulher americana podia usar. Uma de suas marcas registradas dessa época foi a estola, feita dos mais diversos materiais, que se popularizou até bem longe dos requintados salões de alta costura. Estilista fino e elegante, Balmain vestia as mulheres com roupas que valorizavam seu corpo, e que dosavam na medida exata o clássico e uma comedida extravagância. Ele se tornou conhecido pelas saias de corte A, com uma base larga e uma cintura fina. Durante os anos de 1950, Pierre Balmain popularizou-se com variadas peças, como vestidos com transparências, casacos cintados, capas, entre outras. E nesse período se transformou em um embaixador da moda francesa no mundo. Exportava suas criações para outros países, fato que não era comum naquela época. Entre os quais estavam Austrália, Ásia e América do Sul, além de vários países do Oriente Médio.


Além disso, entre 1951 e 1972, Pierre Balmain desenhou peças para 16 filmes de Hollywood, entre os quais contavam obras do cinema com a participação de estrelas como Vivien Leigh e Mae West. Também concebeu peças para filmes franceses, incluindo o famoso “E Deus Criou a Mulher”, que apresentou Brigitte Bardot ao mundo. E chegou até a desenhar uniformes para aeromoças. Isto catapultou Pierre Balmain para o mundo e a alta sociedade. E conquistou uma clientela repleta de celebridades e figuras reais, como a Rainha Sirikit da Tailândia, Ava Gardner, Marlene Dietrich, Sophia Loren, Katherine Hepburn, entre outras. Após o lançamento de várias fragrâncias (Vent Vert foi o primeiro em 1947), em 1979, a marca apresentou ao mercado o Ivoire, um perfume que expressava todo o estilo de elegância da Maison BALMAIN. Este perfume trazia nas notas de cabeça uma quantidade maior de componentes. Isso resultou em uma fragrância profunda e intensa.


Pierre Balmain faleceu no dia 29 de junho de 1982. A marca passou para o comando de Erik Mortensen, assistente pessoal de Balmain desde 1951 e o colaborador mais próximo do estilista. Este manteve as tradições da marca, desenvolvendo peças atuais, mas mantendo o espírito do seu fundador. Apesar disso, a BALMAIN começaria a enfrentar seu pior momento dentro do universo da moda e um lento declínio. Em 1992, o cargo de diretor criativo foi assumido por um dos grandes nomes da moda, o estilista dominicano Oscar de La Renta, que ficou encarregado do departamento de Haute Couture da marca. Mas no início dos anos de 2000 a BALMAIN estava à beira da falência e tinha caído no ostracismo. O ressurgimento começou quando Christophe Decarnin assumiu o posto de diretor criativo em 2005, salvou a marca da falência e a colocou de volta no radar e nos holofotes da moda. O estilista ficou conhecido por investir em um estilo que remetia à herança couture de BALMAIN, misturando essas referências com o universo do rock. Ele criou coleções inspiradas em músicos e ícones fashion como Prince e Michael Jackson.


A partir de 26 de abril de 2011, o cargo de diretor artístico foi assumido por Olivier Rousteing, segundo mais jovem estilista, tinha apenas 25 anos, a já ter assumido uma Maison francesa da moda de luxo. E o jovem elevaria a BALMAIN a uma potência ao longo dos próximos anos. Mas tinha uma árdua missão: conquistar uma nova geração de consumidores e transformar a BALMAIN em uma grife global. Afinal, nesta época a BALMAIN tinha perdido projeção e apelo junto ao público e contava com uma única butique, em Paris. Inicialmente sua moda sexy, com roupas justas, cheias de recortes, foi massacrada pela crítica especializada, que achou tudo muito vulgar. Mas ele apresentou peças que se tornariam objetos de desejo, como por exemplo, os jeans e os tops e blusas, além do casting das campanhas publicitárias assinadas por ele reunirem as modelos mais disputadas do mundo da moda. Alvo de muitas críticas pela exuberância de suas peças, Olivier conseguiu com sucesso quebrar as regras de uma moda antiga e arcaica, reforçando um conceito de empoderamento e feminismo.


Além da imagem recuperada, Olivier também investiu na expansão da BALMAIN para outras áreas, como por exemplo, em 2013, quando lançou a Care and Styling for Hair Couture, uma sofisticada linha para tratamento de cabelo com xampus, condicionadores, máscaras de tratamento e cremes. Já para o lançamento da coleção de 2014, o estilista contratou a cantora Rihanna para estrelar a campanha publicitária, ficou amigo de Kim Kardashian e outras pessoas influentes e converteu isso em valores e vendas para a marca. Era o definitivo renascimento de um ícone da moda. Além disso, em novembro de 2015, a BALMAIN lançou uma coleção em colaboração com a varejista H&M, que arrastou milhões de mulheres para as lojas da marca sueca. No mês de junho de 2016, enxergando o potencial da marca BALMAIN e de seu líder criativo, o Mayhoola, fundo de investimentos controlado pela família real do Qatar (proprietária também da Valentino), adquiriu a grife por €500 milhões, que até então pertencia aos herdeiros do empresário Alain Hivelin, responsável por ressuscitar a BALMAIN nos anos de 2000. A partir de então, com pesados investimentos, a BALMAIN voltou a ser uma marca desejada no universo da moda. Em poucos anos a marca iniciou a abertura de várias flagship stores em cidades como Milão, Las Vegas, Miami, Nova York e até São Paulo (a loja foi inaugurada em 2019).


Como forma de expandir a marca para outras categorias de luxo, a marca BALMAIN lançou novos produtos como uma linha de roupas para crianças de 6 a 14 anos (2016), composta por roupas e calçados; sua primeira linha de acessórios (2017), como sapatos, bolsas e óculos; uma luxuosa linha de batom (2017); e até uma coleção cápsula com a Victoria’s Secret (2017), composta por lingeries. Além de tudo isso, 2019 marcou o retorno da BALMAIN à alta-costura, depois de um hiato de 16 anos: pérolas, tweeds, estampas grafite ou plástico acolchoado, correntes tecidas, jeans e plumas de couro, tudo competindo pela atenção contra as silhuetas em tamanho super. E ainda lançou um aplicativo (democratizando a moda pelo meio digital) e inaugurou uma sofisticada flagship store na Rue Saint-Honoré em Paris.


Olivier Rousteing (foto abaixo) já marcou a história da BALMAIN. Após assumir em 2011, a marca aumentou sete vezes seu faturamento, a moda masculina representa 40% da receita, se tornou a primeira grife francesa a chegar a milhões de seguidores no Instagram e passou de 1 loja em Paris para 35 lojas em todo mundo. Além disso, com mais de 5.9 milhões de seguidores no Instagram (@olivier_rousteing), que fazem dele o estilista mais popular da plataforma, Olivier entendeu desde muito cedo o poder das redes sociais para construir uma imagem de marca e se conectar com o consumidor. Por meio delas, estabeleceu também seu Balmain Army, termo criado pelo próprio para se referir ao squad que formou e que ajudou a marca a cravar um lugar no zeitgeist, como Kim Kardashian, Gigi Hadid, Jennifer Lopez, Rihanna, Brigitte Macron, Joan Smalls e Rosie Huntington estão entre as celebridades sempre vistas usando suas criações com a marca BALMAIN. Todo esse marketing de novos rostos da grife, fora as supermodelos presente em seus desfiles, fez com que muitas mulheres quisessem fazer parte do chamado Balmain Army.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por algumas alterações ao longo dos anos. Em dezembro de 2018 a marca apresentou um novo logotipo com design contemporâneo, mas ao mesmo tempo vintage. Além de uma nova tipografia de letra, mais sóbria e elegante, o logotipo apresentou um símbolo (a princípio, é possível reparar somente a letra B). Mas, ao olhar com atenção, é possível perceber que o ícone combina de forma única as letras B e P, uma referência ao fundador da Maison, Pierre Balmain, e também a Paris. Pouco depois, o símbolo ganhou uma pequena atualização como mostra a imagem abaixo.


Dados corporativos 
● Origem: França 
● Fundação: 1945 
● Fundador: Pierre Balmain 
● Sede mundial: Paris, França 
● Proprietário da marca: Pierre Balmain S.A. 
● Capital aberto: Não (subsidiária da Mayhoola Investments) 
● CEO: Jean-Jacques Guével 
● Diretor criativo: Olivier Rousteing 
● Faturamento: €220 milhões (estimado) 
● Lucro: Não divulgado 
● Lojas: 35 
● Presença global: 80 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 250 
● Segmento: Moda de luxo 
● Principais produtos: Roupas, bolsas, perfumes e acessórios 
● Ícones: A grande letra B estilizada 
● Website: www.balmain.com 

A marca no mundo 
Atualmente a BALMAIN comercializa roupas (feminina, masculina e infantil), acessórios e perfumes em mais de 80 países através de 35 lojas próprias localizadas em cidades como Nova York, Los Angeles, Las Vegas, Londres, Miami e Milão. Com faturamento anual superior a €220 milhões, a marca francesa também vende seus produtos em lojas de departamento e lojas multimarcas de luxo. Entre roupas e acessórios, o time criativo da BALMAIN coloca no mercado 10.000 itens diferentes por ano. 

Você sabia? 
Junto com o francês Christian Dior e espanhol Cristóbal Balenciaga, Pierre Balmain formou o centro pós-guerra da indústria da alta-costura na França. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, BusinessWeek, Vogue, Elle, Veja, Isto é Dinheiro e Exame), sites de moda (Farfetch), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 31/3/2020

17.3.20

MAYTAG


Construídos para durar. Essa é a principal característica que define os produtos da marca americana MAYTAG. De máquinas de lavar e refrigeradores à trituradores de alimentos, microondas e cooktops, os produtos aliam beleza, alta tecnologia e garantia de durabilidade. A MAYTAG é impulsionada pela crença de que todos precisam de um lugar confortável que possam chamar de casa e tem uma história centenária em desenvolver as melhores formas de cozinhar, limpar, refrigerar e armazenar através de aparelhos duráveis que foram criados para lidar com todas as tarefas domésticas com facilidade e eficiência. 

A história 
Tudo começou no ano de 1893 quando Frederick Louis Maytag, os dois cunhados e George W. Parsons contribuíram com US$ 600 cada para fundar a empresa Parsons Brand Cutter and Selg-Feeder Company e começaram a fabricar implementos agrícolas na pequena cidade de Newton, no estado de Iowa. Inicialmente a nova empresa fabricava máquinas de debulhar, cortadores de fita, entre outros itens. No início dos anos de 1900 a empresa ampliou sua linha de produtos com o lançamento de debulhadores e trituradores de milho. Nessa época, como havia uma grande desaceleração nas vendas de implementos agrícolas no período do inverno, Frederick resolveu ampliar a linha de produtos, o que mudaria radicalmente o destino da MAYTAG. Com isso, em 1907, a empresa lançou no mercado a MAYTAG PASTIME, uma máquina de lavar roupa com cuba de madeira (cipreste). Apesar de ser manual, essa máquina de lavar roupa possuía uma polia que permitia operá-la a partir de uma fonte de energia externa, como um trator ou um moinho de vento. A máquina possuía um agitador na tampa que se movia ao girar uma alça de metal e funcionava como uma grande batedeira. Essa máquina fez tanto sucesso entre as donas-de-casa das zonas rurais, que em pouco tempo a empresa passou a dedicar boa parte de seu tempo a sua produção.


A inovação no setor de eletrodomésticos começou em 1911 quando a empresa lançou no mercado sua primeira máquina de lavar roupas com um motor elétrico. Era uma grande comodidade para as donas-de-casa, já que com a eletricidade o ato de lavar roupas se tornou mais prático e rápido. É desta época um dos primeiros anúncios publicitários da marca, que se baseava na facilidade de operação da máquina de lavar com o slogan “So simple, a child could do it” (algo como “Tão simples que uma criança poderia fazê-lo”). Pouco depois, em 1915, lançou um modelo de máquina de lavar equipado com motor a gasolina. Isso permitiu que clientes em áreas rurais sem acesso a eletricidade utilizassem as lavadoras automáticas da MAYTAG. Antes do início da próxima década, em 1919, a MAYTAG lançou uma inovação: a primeira lavadora de roupa em alumínio, que oferecia inúmeras vantagens sobre a de madeira, que apresentava problemas com vazamentos e apodrecimento. No ano seguinte L.B. Maytag, filho do fundador, assumiu o cargo de presidente da empresa, que passou a comercializar seus produtos nacionalmente. Pouco depois, em 1922, Howard Snyder inventou o agitador, cujo conceito era que, ao invés de lavar as roupas ou batê-las, elas seriam levemente agitadas, ampliando assim o poder de limpeza. A MAYTAG, além de apresentar pela primeira vez uma lavadora com esse mecanismo, batizado de Gyrafoam, tornou-se exclusivamente uma empresa de eletrodomésticos.


Em 1924, além de ampliar sua linha de produtos com o lançamento do ferro de passar, um dado demonstrava o sucesso da empresa: uma em cada cinco máquinas de lavar roupa era produzida pela MAYTAG, que era líder nesse segmento no mercado americano. Em 1926, um fato chamou a atenção para o gigantismo da MAYTAG: em 12 de outubro, cinco trens carregados com máquinas de lavar da marca foram enviados para outras regiões do país. Naquela época, foi a maior remessa única de mercadorias do mundo. No ano seguinte a MAYTAG atingiu a produção de sua milionésima máquina de lavar e detinha 43% do mercado americano no segmento. Em 1935, a publicidade da marca usava um argumento poderoso para as mulheres: a MAYTAG poderia propiciar mais tempo para gastar em outras atividades. No final desta década, a marca usou uma foto e o nome Master Washer para anunciar sua primeira máquina de lavar roupa totalmente branca. Durante a Segunda Guerra Mundial, a empresa interrompeu a produção de máquinas de lavar, contribuindo assim com os esforços de guerra. Com isso, de 1941 a 1945, a MAYTAG fabricou componentes especiais para aviões militares. Essas peças foram usadas em dezesseis tipos diferentes de aeronaves de combate.


Com o término do conflito mundial, em 1946 a empresa retomou a produção de máquinas de lavar e ampliou sua linha de produtos com o lançamento de refrigeradores e fogões. No final desta década, em 1949, além de inaugurar uma segunda fábrica, a empresa lançou no mercado as primeiras lavadoras automáticas. Foi o início de uma nova era em máquinas de lavar roupa para a MAYTAG. Em 1953 ampliou sua linha com o lançamento das secadoras automáticas de roupa, um grande complemento para seu principal produto. E no ano seguinte veiculou o primeiro anúncio de televisão da marca, ganhando assim ainda mais reconhecimento perante os consumidores. Pouco depois, em 1956, a MAYTAG lançou uma linha comercial de máquinas de lavar e secar direcionadas para lavanderias e até hospitais e hotéis. Em 1966 lançou sua primeira linha de máquinas portáteis de lavar louça. Além disso, a empresa licenciou seu primeiro centro de eletrodomésticos com a marca MAYTAG. Outra novidade foi o lançamento de trituradores de resíduos de alimentos. Nos anos seguintes a marca investiu muito em comunicação e se tornou praticamente um sinônimo de máquina de lavar roupa para os americanos. O sucesso de seus produtos entre os consumidores também era em virtude da durabilidade e da garantia, que se tornaram grandes características da marca. Em 1985 a marca inovou mais uma vez ao lançar a primeira lavadora/secadora de roupa na vertical.


Até 1989, a MAYTAG CORPORATION adquiriu várias empresas do setor e passou a comercializar uma linha completa de eletrodomésticos, como por exemplo, geladeiras e freezers. Com isso, se tornou presença cada vez mais constante em milhões de lares americanos. E também reforçou sua presença no continente europeu. Além disso, neste período a MAYTAG introduziu inovações em suas máquinas como ciclo de lavagem especial para roupas delicadas, lavagem a frio, ciclo de lavagem, ciclo de lavagem de lã e ciclo de lavagem extra-rápido. Outras novidades foram a máquina de lavar roupa com gabinete de plástico e a máquina de lavar louça de aço inoxidável. Apesar disso, a onda de aquisições levou diretamente a um período problemático no início dos anos de 1990, com queda nos lucros devido à recessão econômica e pelo aumento da concorrência, além de uma dívida alta.


Em 1997 a marca apresentou ao mercado a primeira lavadora de roupa de alta eficiência (entenda-se economia de água e eletricidade) produzida nos Estados Unidos, a Maytag Neptune, que provou ao longo dos anos ser uma enorme dor de cabeça devido a problemas técnicos e inúmeros recall. A partir dos anos de 2000, a empresa ampliou sua participação no México e países latino-americanos. No mês de março de 2006 a Whirlpool, fundada em 1911 e tradicional fabricante de eletrodoméstico, concluiu a aquisição da MAYTAG por US$ 1.7 bilhões, que passou a ser uma marca em um importante portfólio deste segmento. Nos anos seguintes, a Whirlpool revitalizou a marca MAYTAG com uma enxurrada de novos produtos. E recuperou percepção de credibilidade e durabilidade que haviam sido perdidas. Além é claro, de ampliar sua distribuição por vários países do mundo.


Hoje em dia ao levar para casa um eletrodoméstico MAYTAG, o consumidor está comprando um ajudante poderoso. Um parceiro em confiabilidade e eficiência. Afinal, uma casa em pleno funcionamento precisa de uma geladeira que forneça um resfriamento poderoso. Uma máquina de lavar louça que remove os mínimos detritos de alimentos. Fornos que cozinham todos os tipos de alimentos de forma rápida e consistente. E máquinas de lavar roupa sempre prontas para remover as sujeiras mais difíceis. Por isso, os eletrodomésticos MAYTAG dão à qualquer cozinha uma aparência elegante e poderosa, mantendo a comida fria, a louça limpa e o jantar quente.


Um ícone da publicidade americana 
A partir da década de 1960 a marca MAYTAG passou a investir fortemente em comunicação, especialmente utilizando a televisão, que na época se tornava cada vez mais popular. Com isso, a marca apresentou aos consumidores americanos o que viria a ser um dos maiores ícones da publicidade dos Estados Unidos. Isto aconteceu em 1967 com o lançamento do comercial de TV chamado “Maytag Repairman”. A ideia de usar um técnico de manutenção (com o nome Lonely George e apelido de Ol ‘Lonely) provavelmente surgiu depois de uma carta de um cliente comentando que nunca precisaria de um técnico. O conceito era simples. George (interpretado inicialmente pelo ator Jesse White) nunca teve trabalho porque os produtos MAYTAG foram tão bem produzidos que não precisavam de manutenção ou consertos. O personagem era apresentado como “The loneliest guy in town” (algo como “O cara mais solitário da cidade”), e cultivava hábitos como paciência, palavras cruzadas e trabalhos com miçangas, porque raramente era chamado para consertar uma máquina. Em uma época em que os eletrodomésticos dos principais fabricantes atingiram a maturidade, diferindo principalmente em pequenos detalhes, a campanha foi projetada para lembrar os consumidores do valor agregado percebido nos produtos MAYTAG, derivado da reputação de confiabilidade da marca. Os anúncios da marca declaravam que a situação de Ol ‘Lonely era um testemunho da durabilidade e confiabilidade dos aparelhos eletrodomésticos da MAYTAG. Em 1986 o personagem ganhou uma companhia: um carismático basset hound chamado Newton, nome em homenagem à cidade em Iowa, onde Fred Maytag construiu suas primeiras máquinas de lavar.


Em 1989, a marca resolveu rejuvenescer o personagem através do comediante Gordon Jump. No total, Jump apareceu em mais de 77 comerciais e anúncios impressos da marca. Além disso, ele participou de eventos para funcionários e clientes e também ativamente de várias causas filantrópicas e de caridade. Mas até o final do século XX, a figura do técnico de manutenção da MAYTAG permaneceu em seu escritório com uma vida tediosa. Ele nunca saía e lamentava seu destino na vida (não ter o que consertar pela qualidade dos produtos MAYTAG). O personagem havia se tornado uma metáfora icônica para um profissional cujos serviços raramente eram necessários. Nos anos seguintes o famoso personagem foi interpretado pelos atores Hardy Rawls (2003), Mark Devine (este como um aprendiz de técnico reparador) e Clay Earl Jackson, como mostra a imagem abaixo.


Porém, em janeiro de 2014, a marca apresentou aos Estados Unidos o Maytag Man (interpretado pelo ator Colin Ferguson) - uma personificação humana da durabilidade, confiabilidade, beleza e potência de todos os aparelhos da MAYTAG. Mas, em vez de comerciais mostrando o reparador (que ganhou um uniforme moderno e um biótipo mais esbelto) aguardando em sua loja um aparelho da marca quebrar, ele passou a fazer o papel do produto real, como máquina de lavar louça, refrigerador, máquina de lavar roupa.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por acentuadas remodelações ao longo dos anos. A primeira modificação ocorreu em 1942 quando o logotipo adotou uma nova tipografia de letra e a cor vermelha. Em 1963 ocorreu uma remodelação radical e surgiu assim o popular logotipo com o clássico símbolo do M ondulado. Pouco depois da aquisição da MAYTAG pela Whirlpool Corporation foi apresentada uma nova identidade visual: o logotipo ganhou o formato de um escudo com o nome da marca dentro. A aparência “blindada cinza” era para fazer uma referência a duas características dos produtos da marca: resistência e durabilidade. Em janeiro de 2014 o logotipo passou por uma modernização: o escudo foi alargado e esticado e apresentou cor azul escuro no fundo interno.


Os slogans 
What’s Inside Matters. (2011) 
Built strong to last long. 
Better Built. 
Depend On Us. 
Our repairman are the loneliest guys in town. (1967) 
The best you can buy. (1961) 
The Dependability People. (década de 1960) 
The Dependable Automatics. (década de 1950)


Dados corporativos 
● Origem: Estados Unidos 
● Fundação: 1893 
● Fundador: Frederick Louis Maytag 
● Sede mundial: Benton Harbor, Michigan, Estados Unidos 
● Proprietário da marca: Maytag Corporation 
● Capital aberto: Não (subsidiária da Whirlpool Corporation
● Presidente: Marc Bitzer 
● Faturamento: US$ 4.7 bilhões (estimado) 
● Lucro: Não divulgado 
● Presença global: 80 países 
● Presença no Brasil: Não 
● Funcionários: 3.000 
● Segmento: Eletrodomésticos 
● Principais produtos: Máquinas de lavar, refrigeradores, fogões, microondas e secadoras 
● Concorrentes diretos: Viking, Bosch, Miele, Wolf, GE, Electrolux, Frigidaire, Samsung, Panasonic, LG e Beko 
● Ícones: Maytag Man 
● Slogan: What’s Inside Matters. 
● Website: www.maytag.com 

A marca no mundo 
Com faturamento anual estimado em US$ 4.7 bilhões, a MAYTAG está presente em 80 países ao redor do mundo com forte presença nos Estados Unidos, Canadá, México, Reino Unido, Japão e Austrália, comercializando uma completa linha de eletrodomésticos que engloba desde máquinas de lavar (roupas/louça), secadoras, refrigeradores, freezers, fogões, cooktops, microondas até coifas, ferros de passar, aspiradores, e sistemas de aquecimento/resfriamento e de tratamento de água. A marca também oferece uma completa linha de equipamentos industriais. A MAYTAG faz parte da Whirlpool Corporation, proprietária de marcas famosas como Kitchen Aid, Brastemp e Consul

Você sabia? 
A MAYTAG utilizou o merchandising como uma poderosa ferramenta de comunicação. Isto aconteceu durante as décadas de 1930 e 1940, quando vários filmes de Hollywood incluíram máquinas de lavar da marca em suas cenas. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Exame), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 18/3/2020

18.2.20

SMART FIT


“Democratizar o acesso à prática de atividade física de alto padrão, com planos acessíveis e adesão facilitada”. Essa é a principal missão, quase um mantra, da rede de academias de baixo custo Smart Fit. Com equipamentos modernos, ambiente limpo e organizado, preços acessíveis e com unidades tanto em bairros humildes quanto nos mais abastados, a Smart Fit se consolidou de forma transversal, conversando com gente que dá valor ao dinheiro em qualquer classe social. E colocou centena de milhares de pessoas que nunca tinham feito atividade física na academia para se exercitar. 

A história 
Tudo começou com o engenheiro químico e empresário Edgard Corona (foto abaixo), que em 1996 havia inaugurado no bairro de Santo Amaro em São Paulo a primeira unidade da academia Bio Ritmo, voltada para um público de classe média alta. Em meados dos anos de 2000, em uma pausa para um café no Conjunto Nacional, na Avenida Paulista, Edgard ao bater papo com uma atendente ouviu um pedido: “Será que você não poderia abrir uma academia dessas (Bio Ritmo) na periferia?”. Naquela época as academias do bairro em que morava a atendente eram ruins, feias, com equipamentos enferrujados e ultrapassados. Ele, em troca, ficou de pensar e perguntou: “E quanto você pagaria por uma academia dessas”? A réplica, R$ 79, não sairia mais da cabeça do empresário e se tornaria um novo negócio. Edgard rapidamente percebeu que era um mercado (academia de bairro de baixo custo) mal atendido no Brasil. Os planos para esse novo negócio ganhariam força após obter referências de outros mercados, especialmente o americano, tomando como exemplo a rede de academias de baixo custo Planet Fitness, com milhares de alunos matriculados nas unidades atraídos pelo preço de US$ 10 - mas somente centenas deles usavam de fato as academias - que apesar de serem baratas, eram feias e não estavam em um nível satisfatório.


O empresário então se deu conta que, em se tratando do segmento de academias, uma grande faixa da população brasileira ainda não estava atendida com qualidade. Ele também percebeu que 70% dos seus alunos só estavam interessados em “musculação e cárdio” - os exercícios para queimar calorias, como bicicletas e esteiras - e reclamavam de pagar pelo que não usavam. Com um plano de negócios estabelecido (oferecer instalações e aparelhos de primeira qualidade com mensalidades de academia de bairro) e utilizando também a experiência adquirida na gestão da Bio Ritmo, ele inaugurou em 2009, nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Porto Alegre, as primeiras quatro unidades da rede de academias Smart Fit, que oferecia mensalidade pouco superior a R$ 50. Para oferecer algo com mais qualidade, apesar da infraestrutura enxuta (ausência de salas de aula para economizar espaços e professores) e serviço mais simplificado (tinha um instrutor, caso alguém precisasse de ajuda, mas não era como um personal trainer), ele investiu em fatores como iluminação cênica, equipamentos novos e de última geração e contratou uma empresa para desenvolver design e ambientação que aumentassem a eficiência das unidades. Além de comprar equipamentos (os mesmos da sofisticada Bio Ritmo) em volume para tornar os custos mais baratos.


No ano seguinte, o Banco Pátria, um dos maiores fundos de investimento do país, injetou R$ 70 milhões no negócio. Com isso, a Smart Fit ganhou musculatura e fôlego para iniciar um forte ciclo de crescimento com a inauguração de novas unidades. Somente em 2010 inaugurou 12 novas unidades. No seguinte, foram 18. No ano de 2012, em uma atitude ousada, a rede Smart Fit resolveu inaugurar suas quatro primeiras unidades estrangeiras no México, iniciando assim o processo de internacionalização da marca. Pouco depois, em 2014, a rede inaugurou 65 academias em várias cidades brasileiras, além de ingressar no mercado chileno. O sucesso da Smart Fit pode ser comprovado no ano de 2016, quando a rede atingiu a marca de 337 unidades em 22 estados brasileiros e países como México, Colômbia, Peru, Chile e República Dominicana, recebendo duas matrículas por minuto, superando a marca de 1 milhão de clientes e atingindo faturamento de R$ 1 bilhão, mesmo em um período de recessão econômica. E para manter a experiência entre tantas unidades niveladas, o resultado foi criar uma universidade corporativa que propague a cultura da marca e unifique a linguagem entre professores, recepcionistas e gerentes.


Em uma rede que estava crescendo tão rápido e em escala muito grande, se não pensar em inovação sob o aspecto de treino, equipamentos, não se consegue ganhar escala. Por isso, a novidade implantada ao longo de 2017 foi o Smart Shape, um treino intervalado de alta intensidade desenvolvido pela empresa. Os treinos duram 30 minutos, com pouco mais de 20 de execução pura, e foram desenvolvidos para cidades repletas de pessoas com pouco tempo disponível. Outra novidade foi a inauguração de unidades flagships da Smart Fit 24 horas, como a da Av. Paulista e a da Vila Olímpia, atendendo assim um maior público. Depois de tanta expansão, ainda em 2017 a Smart Fit se viu obrigada a rever alguns conceitos pela pressão da chegada ao mercado de novos concorrentes oferecendo preços baixos, mas outros tipos de aulas, como lutas e danças. Até então suas academias não tinham quase nada além de bons equipamentos e de dois a três professores simultâneos pelos corredores. Forçada a ampliar o leque de opções para não perder clientes, a Smart Fit teve que fazer diversas intervenções em unidades já existentes para construir salas de danças e áreas para exercícios funcionais, alongamento e abdominais, em uma tentativa de atrair parte dos clientes para aulas em turmas.


Essas mudanças faziam parte da “Nova Smart Fit” - como divulgou a marca em seus novos anúncios - e deviam também ajudar a empresa a concorrer com as academias especializadas que têm surgido oferecendo apenas uma ou duas modalidades de exercícios como crossfit, funcional e ioga. A oferta de aulas não foi a única novidade. A Smart Fit investiu milhões de reais na criação de linhas próprias de isotônicos, suplementos (whey protein, BCAA, glutamina, creatina) e até roupas para ginástica. Esses produtos e serviços especiais (pagos a parte da mensalidade), além de agregar experiência, gerava uma entrada de receita adicional para sustentar o negócio. Pouco depois, em 2018, lançou mais uma inovação: o aplicativo Smart Fit Coach, capaz de sugerir treinos personalizados, após uma análise do perfil da pessoa, e acompanhar a evolução, incentivando à prática de exercícios físicos. Em 2019 a rede Smart Fit atingiu marca histórica ao inaugurar sua primeira unidade em São Luís, no Maranhão, o que representou a chegada da rede em todas as capitais brasileiras e Distrito Federal. Além disso, ingressou em três novos mercados: Equador, Guatemala e Argentina. Mais recentemente, no início de 2020, a Smart Fit estreou em El Salvador e chegou ao seu 12º mercado mundial.


Uma das razões de sucesso da marca também são os planos ofertados, incluindo o Black, que oferece ao cliente a chance de se exercitar em qualquer unidade da rede ou até mesmo treinar com um amigo; além de serviços especiais para complementar a experiência como acesso ao aplicativo Smart Nutri (permite postar fotos das suas refeições e receber comentários e avaliações de nutricionistas, scanear produtos, acompanhar sua evolução e conversar online com as nutricionistas para tirar dúvidas) e Smart Fit Energy (uma assinatura mensal que dá direito a consumir 1 dose de 300 ml de isotônico por dia).


Por que tanto sucesso? 
A Smart Fit oferece comodidade e menos burocracia desde os serviços online até o autoatendimento nas unidades da rede. Em suas academias todos os treinos são personalizados de acordo com os objetivos do aluno e oferecem equipamentos de altíssima tecnologia, visando a melhor performance e segurança. Além disso, oferece serviços especiais como Shape (circuito em formato de treinamento intervalado de alta intensidade, elaborado de forma que atende à praticantes de diferentes níveis de condicionamento), HIT (executado nas esteiras, oferece diferentes fichas com sugestões de treinos, que atendem a pessoas com diversos níveis de condicionamento físico, desde o iniciante até o atleta profissional, e que buscam o emagrecimento), Sala de ginástica (espaço para a realização de aulas de abdominal, alongamento e os ritmos como Zumba e Fit Dance) e HIIT (pode ser realizado em uma área livre, com uma TV instalada, na qual os participantes podem acompanhar as orientações para diferentes treinos). As academias também oferecem Remo (equipamento cardiovascular muito eficaz capaz de trabalhar uma grande variação de músculos. O aparelho, que é um simulador de remo indoor, é indicado para a queima calórica), Esteira (um dos equipamentos mais eficientes quando o assunto é treino cardiovascular) e Equipamentos de Musculação (conta com duas áreas principais, sendo uma delas com equipamentos de musculação e pesos livres, e a outra com aparelhos voltados à prática de atividades cardiovasculares, com esteiras e elípticos, além de equipamentos para membros inferiores e superiores e treinos específicos para a região do abdômen e da lombar).


O segredo do sucesso não é só fazer uma academia com equipamentos de boa qualidade e ambiente agradável. Vender uma experiência fitness tem a ver com dar resultados. As pessoas buscam algo: seja emagrecer, fortalecer músculos, reduzir o estresse ou aumentar o condicionamento físico. E um atendimento eficiente e bom é essencial. Por tudo isso, a Smart Fit inova como a “academia inteligente”, ou seja, cada unidade da rede oferece aparelhos modernos para a prática de várias atividades físicas e como pode atender diversos alunos sem perder a qualidade, o valor das mensalidades é bem abaixo do mercado.


Os slogans 
A academia inteligente. 
Vida Smart. Vida Fit. 
Você #naopara. A Smart Fit também não.


Dados corporativos 
● Origem: Brasil 
● Fundação: 2009 
● Fundador: Edgard Corona 
● Sede mundial: São Paulo, Brasil 
● Proprietário da marca: Smartfit Escola de Ginástica e Dança S.A. 
● Capital aberto: Não (subsidiária do Grupo Bio Ritmo) 
● Presidente: Edgard Corona 
● Faturamento: R$ 1.5 bilhões (estimado) 
● Lucro: Não divulgado 
● Academias: 800 
● Presença global: 12 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 3.800 
● Segmento: Fitness e bem-estar 
● Principais produtos: Academias de ginásticas 
● Concorrentes diretos: Bluefit, Selfit, Fórmula, Contours, Curves e Snap Fitness 
● Ícones: As cores amarela e preta 
● Slogan: A academia inteligente. 
● Website: www.smartfit.com.br 

A marca no mundo 
A Smart Fit, maior rede de academias do Brasil e da América Latina, possui mais de 800 unidades e 2.7 milhões de alunos, espalhados por 12 países latino-americanos como Brasil, Chile, República Dominicana, Peru, Colômbia, Equador, Paraguai, Panamá, Argentina e México. Com faturamento superior a R$ 1.5 bilhões, depois do Brasil, com mais de 460 unidades, os maiores mercados da marca são o México (mais de 170 unidades), a Colômbia e o Chile. Outro segmento onde a Smart Fit atua é o de benefícios corporativos com a Total Pass, que basicamente faz planos para empresas que querem ver os seus funcionários fazendo algum tipo de atividade física. A Total Pass atende mais de 350 empresas com 45.000 clientes ativos. 

Você sabia? 
Em 2019, a Smart Fit passou a figurar na terceira posição no ranking da International Health Racquet & Sportsclub Association (IHRSA) em número de unidades. A meta para o fim de 2021 é ultrapassar a holandesa Basic-Fit e se consolidar na vice-liderança - hoje, a primeira colocada é a americana LA Fitness. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Isto é Dinheiro, Época Negócios, PEGN e Exame), sites (UOL e Glamurama), jornais (Valor Econômico e Meio Mensagem), sites especializados em Marketing e Branding (Mundo do Marketing) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 18/2/2020

28.1.20

SAUDI ARAMCO


Provavelmente você não saiba qual é a empresa mais valiosa do planeta. Oriunda de um país ditatorial e polêmico, muito em virtude de suas posições políticas e religiosas controversas para muitos, ela possivelmente tem boa parte da responsabilidade em fazer o “mundo rodar”. Afinal, é responsável pela produção de aproximadamente 10% do petróleo no mundo. Mais poderosa que muitos países, a petrolífera estatal saudita conhecida pelo nome de SAUDI ARAMCO, é um verdadeiro titã no mundo dos negócios, apontada como a maior e mais rentável empresa energética do planeta. 

A história 
A origem da SAUDI ARAMCO (em árabe أرامكو السعودية‎) data de 29 de maio de 1933, quando um contrato de concessão foi assinado entre o rei saudita Ibn Saud e a companhia americana Standard Oil Company of California (conhecida como SOCAL). Com isso, foi criada uma empresa subsidiária, a California Arabian Standard Oil Company (CASOC), para gerenciar o contrato de concessão de prospecção, perfuração e exploração de poços de petróleo no país. O trabalho começou imediatamente. Depois de pesquisar por todo o vasto deserto da Arábia Saudita em busca de petróleo, a perfuração começou em 1935. Após um período de um árduo esforço com pouco resultado prático, em 1937, os executivos da SOCAL procuraram o conselho de seu geólogo-chefe, Max Steineke. Com base em anos de trabalho de campo e muita experiência, Steineke aconselhou continuar a perfuração. E finalmente a empresa alcançou o tão almejado objetivo ao descobrir a primeira jazida de petróleo. Em 1938 teve início a produção comercial de petróleo no poço Dammam No. 7 - apropriadamente chamado de “Poço da Prosperidade”. Esse poço produziu imediatamente mais de 1.500 barris por dia, dando à empresa confiança para continuar sua procura pelo “ouro negro”. Nos anos seguintes, com petróleo jorrando em abundância, a empresa seria responsável por criar um oásis de riqueza para o país árabe.


Em 1949, a produção de petróleo bruto da empresa atingiu o nível recorde de 500.000 barris por dia e seguiu aumentando após a descoberta de outros grandes campos petrolíferos, como por exemplo, Ghawar, o maior do mundo, com reservas comprovadas de 60 bilhões de barris. Pouco depois, em 1950, o rei Abdulaziz ameaçou nacionalizar as instalações de petróleo de seu país, pressionando a empresa a concordar em compartilhar os lucros 50/50. Além disso, no ano seguinte a empresa descobriu o Safaniya, o maior campo do mundo de petróleo offshore (produção e serviços prestados no mar na indústria petrolífera). Era uma descoberta e tanto para começar a transformar a empresa em um gigante do setor. A década de 1970 foi extremamente importante para uma reviravolta na história da empresa. Isto porque, no ano de 1973, em pleno “boom” dos preços do petróleo no mundo, vinculado ao embargo árabe do chamado “ouro negro” contra os Estados Unidos por seu apoio a Israel na Guerra do Yom Kippur, a Arábia Saudita, então governada pelo rei Faisal Abdulaziz Al Saud, aproveitou a oportunidade para adquirir 25% da empresa, com os quais o percentual do Estado Saudita chegou a 60%, tornando-o acionista majoritário. Era o início da nacionalização da empresa.


Essa década também foi marcada pela diversificação dos negócios da empresa com o início da produção de gás por volta de 1975. Foi uma maneira de gerar fluxos adicionais de valor além do petróleo bruto. Hoje, a SAUDI ARAMCO é a única fornecedora de gás natural para a Arábia Saudita e a sétima maior do mercado mundial, além de operar a maior rede mundial de hidrocarbonetos, batizada de Master Gas System (uma extensa rede de dutos e instalações de processamento que conecta seus principais locais de produção de gás a centros de demanda em toda a Arábia Saudita). Na década de 1980, a empresa foi totalmente nacionalizada e oito anos mais tarde, rebatizada de Saudi Arabian Oil Company ou SAUDI ARAMCO. No final desta década, o primeiro CEO saudita da companhia, Ali al-Naimi, assumiu o comando com a visão de que a SAUDI ARAMCO poderia se tornar uma empresa global de energia integrada. Ao longo de seus anos como CEO, ele expandiu os ativos da empresa para incluir o downstream (refino, que hoje inclui produtos como GLP, nafta, gasolina, combustível de aviação/querosene, diesel, óleo combustível e asfalto) e outros ativos nos Estados Unidos, Coréia do Sul, China, Indonésia, Japão e Europa. Ali al-Naimi e seus sucessores também ampliaram a presença da empresa na Arábia Saudita por meio de joint ventures com refinarias e petroquímicas.


A partir dos anos de 1990, a SAUDI ARAMCO investiu bilhões de dólares em projetos de expansão para ampliar ainda mais sua capacidade produtiva, muito em virtude das consequências da Guerra do Golfo. Foi neste período também que a empresa iniciou uma expansão das vendas de petróleo no mercado asiático, incluindo acordos com a Coréia do Sul, Filipinas e China. Além disso, em 1998, a empresa resolveu ingressar no segmento de produtos químicos, procurando maximizar o valor de cada molécula de hidrocarboneto que produzia e criar um portfólio diversificado de fontes de receita não petrolíferas. Já em 2005, a SAUDI ARAMCO era considerada por especialistas a maior empresa do mundo, com um valor estimado de mercado de US$ 781 bilhões. Apesar de seu gigantismo, toda produção da SAUDI ARAMCO está em um país localizado na região mais conturbada e tensa do mundo. Os riscos em potencial ficaram evidentes no dia 14 de setembro de 2019 quando ataques realizados por drones atingiram a refinaria de Abqaiq (maior instalação de estabilização de petróleo bruto do mundo) e o campo de Khurais. E o impacto para o mundo foi grande. A empresa suspendeu a produção de 5.7 milhões de barris de petróleo bruto, o equivalente a aproximadamente 60% da produção do reino e 6% da produção mundial de petróleo. O preço do petróleo bruto Brent (a referência internacional) aumentou mais de 10% nas primeiras horas do dia 16 de setembro.


Até pouco tempo atrás envolta em mistério e pouca transparência, a SAUDI ARAMCO se transformou nos últimos anos à medida que se preparava para se tornar uma empresa de capital aberto. A SAUDI ARAMCO começou então a publicar seus resultados financeiros, realizar sessões de perguntas e respostas sobre a companhia e até mesmo levar jornalistas para visitar suas instalações. Também contratou mulheres ocidentais para alguns de seus principais cargos. E finalmente no dia 11 de dezembro de 2019, a SAUDI ARAMCO chamou a atenção do mundo ao protagonizar a maior oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) de todos os tempos, conseguindo levantar US$ 25.6 bilhões, sendo avaliada em impressionantes US$ 1.7 trilhões. O que mais impressiona é que a empresa colocou míseros 1.5% do seu capital social, com dois terços destinados a investidores institucionais e o restante para particulares. Esta iniciativa faz parte do programa “Saudi Vision 2030”, anunciado em 2016 pelo príncipe herdeiro Mohammad Bin Salman. O propósito é modernizar a Arábia Saudita, tanto internamente como sociedade e também como potência financeira mundial. O programa tem como principal objetivo eliminar a dependência que o país tem sobre combustíveis fósseis. Apenas dois dias depois da entrada na bolsa de Riad, capital da Arábia Saudita, a empresa já havia se valorizado a ponto de atingir a marca dos US$ 2 trilhões. Com isso, tornou-se a primeira empresa multitrilionária do mundo dos negócios. O valor de mercado da SAUDI ARAMCO nesse dia foi maior que o PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil em 2018, estimado em US$ 1.8 trilhões.


Um dos aspectos do enorme sucesso da SAUDI ARAMCO em um segmento altamente competitivo é o baixo custo de produção. Enquanto a extração de petróleo no mar custa caro devido à sua localização a dezenas de metros debaixo da água, o petróleo na Arábia Saudita está relativamente próximo da superfície. A empresa tem muitos campos de petróleo com custo barato para extração (especialistas estimam que em torno de US$ 10 o barril). Isto explica o enorme lucro da SAUDI ARAMCO. Durante sua história, a SAUDI ARAMCO construiu uma reputação de confiabilidade incomparável no fornecimento de petróleo bruto aos mercados de energia em todo o mundo.


Hoje em dia a SAUDI ARAMCO tem uma grande missão: atender mercados globais, resolver desafios globais e criar impacto global. A empresa saudita acredita no poder da energia para transformar vidas, melhorar comunidades, avançar o progresso humano e sustentar nosso planeta. Com a previsão de aumento da população global nos próximos 25 anos, será necessária ainda mais energia para atender à crescente demanda. Serão necessárias todas as fontes de energia disponíveis para atender a essa necessidade - fontes herdadas e alternativas. E a SAUDI ARAMCO está comprometida em impulsionar a eficiência energética e enfrentar o desafio das emissões globais. E, como maior empresa integrada de petróleo e gás do mundo, acredita estar qualificada de maneira única para fazer contribuições efetivas para a solução geral desse enorme problema.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por algumas alterações ao longo dos anos. No dia 31 de janeiro de 1944, quando o nome da empresa foi alterado para Arabian American Oil Co. (conhecido pela abreviatura de ARAMCO), foi adotado um novo logotipo. Em 1988 com a mudança para Saudi Arabian Oil Company, pela primeira vez o nome SAUDI ARAMCO apareceu no logotipo. Posteriormente a marca apresentou um logotipo mais moderno e colorido. Este logotipo passou por uma modernização há alguns anos atrás.


Dados corporativos 
● Origem: Arábia Saudita 
● Fundação: 29 de maio de 1933 
● Fundador: Governo da Arábia Saudita 
● Sede mundial: Dhahran, Arábia Saudita 
● Proprietário da marca: Saudi Arabian Oil Company 
● Capital aberto: Sim (2019) 
● Chairman: Yasir Al-Rumayyan 
● CEO: Amin H. Al-Nasser 
● Faturamento: US$ 355.9 bilhões (2018/2019) 
● Lucro: US$ 111.1 bilhões (2018/2019) 
● Valor de mercado: US$ 1.8 trilhões (janeiro/2020) 
● Presença global: 60 países 
● Presença no Brasil: Não 
● Funcionários: 76.000 
● Segmento: Energia e químico 
● Principais produtos: Petróleo, gás natural e produtos petroquímicos 
● Concorrentes diretos: Shell, Exxon Mobil, BP, Total, Petronas, Chevron, ConocoPhillips, ADNOC’s, Sinopec, Lukoil, Petrobras, Equinor e Marathon Petroleum 
● Slogan: Where energy is opportunity. 
● Website: www.aramco.com 

A marca no mundo 
Não é nenhum exagero afirmar que a SAUDI ARAMCO, responsável pela riqueza da Arábia Saudita, é um verdadeiro titã difícil de ser superado. Afinal seus números impressionam: aproximadamente 260 bilhões de barris de reservas comprovadas de petróleo (tornando a Arábia Saudita o segundo país com as maiores reservas mundiais, atrás apenas da Venezuela), produção diária superior a 10 milhões de barris, mais de 76 mil empregados, faturamento de US$ 356 bilhões e lucro líquido de US$ 111.1 bilhões (dados de 2018/2019), que supera em mais de três vezes os lucros combinados de cinco das maiores petrolíferas do mundo. Além disso, a empresa saudita produz diariamente 1.1 milhões de barris de gás natural liquefeito (GNL) e 8.9 milhões de metros cúbicos de gás natural. A empresa está presente em mais de 60 países nos três principais mercados globais de energia (Ásia, Europa e América do Norte), através de filiais, refinarias e redes de oleodutos, nacionais e internacionais. A SAUDI ARAMCO exporta mais de 5 milhões de barris de petróleo por dia para países asiáticos (onde seus maiores clientes são China, Índia, Coréia do Sul e Japão), mais de 1 milhão de barris para a América do Norte e perto de 900 mil para o mercado europeu. A empresa mantém 11 centros de pesquisa & desenvolvimento e escritórios de tecnologias em países como Escócia, China, Estados Unidos, Coréia do Sul, Holanda, Rússia e França, além da Arábia Saudita. 

Você sabia? 
A empresa gerencia mais de cem campos de petróleo e gás na Arábia Saudita, incluindo 288 trilhões de pés cúbicos padrão de reservas de gás natural. A SAUDI ARAMCO ainda opera o Ghawar, o maior campo petrolífero onshore do mundo, e o Safaniya, o maior campo petrolífero offshore do mundo. 
Pesquisas de 2019 mostraram que a SAUDI ARAMCO, com emissões de 59.2 bilhões de toneladas de CO2 desde 1965, foi a empresa com as maiores emissões do mundo durante esse período. 
A SAUDI ARAMCO é hoje a maior exportadora de petróleo - e a única produtora que mantém pelo menos 2 milhões de barris por dia de capacidade ociosa que podem ser colocados rapidamente no mercado. 
O Governo da Arábia Saudita é dono de 98.5% da petrolífera. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, BusinessWeek, Isto é Dinheiro e Exame), jornais (Valor Econômico, Folha, O Globo e Estadão), portais (G1 e BBC), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 28/1/2020