20.7.16

AMC THEATRES


Há quase 100 anos a AMC oferece a melhor experiência de cinema. Imagem e som de alta qualidade com as mais avançadas tecnologias, conforto através de poltronas aconchegantes, ambiente moderno, programação diversificada e muita conveniência, que inclui deliciosas comidas e bebidas. Tudo para que o espectador se sinta no confortável sofá de sua casa. 

A história 
Tudo começou no ano de 1920 quando os irmãos Dubinsky (Maurice, Edward e Barney), que viajavam pelo centro-oeste americano apresentando melodramas e peças teatrais com a atriz Jeanne Eagels, resolveram comprar o cinema Regent Theatre, localizado no centro da cidade de Kansas City, estado americano do Missouri. Era o tímido início do que se tornaria uma das maiores redes de cinemas do mundo. Anos depois, os irmãos mudaram seu sobrenome para Durwood e a empresa foi rebatizada para Durwood Theatres. Tudo para facilitar a pronúncia entre os americanos.


Em 1961, quando um dos irmãos faleceu, Edward, seu filho Stanley, assumiu o controle da empresa, na época uma pequena rede com 10 cinemas. Formado pela tradicional Universidade de Harvard e com grande visão de negócios, ele iniciou um plano de desenvolvimento e expansão, que teve início com a troca de nome para American Multi Cinema. Depois, em 1962, inaugurou em um shopping na cidade de Kansas o primeiro Multiplex, complexo de cinema com duas salas de exibição. No futuro esse formato seria adotado por boa parte das empresas do mercado. Além disso, a empresa foi estruturada sob a crença de que cada cliente era um “convidado”, focando seus esforços no atendimento de alta qualidade. No final desta década, inaugurou na cidade de Omaha, no estado de Nebraska, o primeiro complexo de cinema com seis salas do mundo. Finalmente, no início da década de 1980, a rede adotou as iniciais AMC como marca, muito em virtude porque era assim que os consumidores se referiam informalmente a American Multi Cinema.


Em 1981, de forma pioneira, a AMC introduziu em suas salas de cinema confortáveis poltronas com braços que continham compartimento para apoiar os copos de bebida (o popular porta-copo). Ainda nesta década, a empresa inaugurou seu primeiro complexo de cinema no Reino Unido. Além disso, inaugurou na cidade de Houston, estado do Texas, um complexo com 14 salas de cinema, na época o maior do país. Em 1990, a rede disponibilizou o primeiro programa de fidelidade do segmento, batizado de AMC MovieWatcher®. No ano seguinte, a AMC apresentou ao público Clip®, um divertido personagem animado (representado por rolos de filmes) para servir como embaixador da marca, aparecendo por inúmeras vezes nas vinhetas de abertura de cada filme exibido. Além disso lançou o programa Silent is Golden®, que visava conscientizar que o silêncio é uma regra de ouro dentro das salas de cinema. Antes de cada filme era apresentada uma vinheta com ondas sonoras e efeitos de som alto (como o choro de um bebê ou o toque de um celular) e, em seguida, o texto “Por favor, não estrague o filme adicionando sua própria trilha sonora”. Outra grande inovação deste ano foi o TeleTicket™, um sistema automático para comprar ingressos por telefone.


Em 1995 a AMC, de forma pioneira no mercado americano, inaugurou na cidade de Dallas, um enorme complexo com 24 salas de cinema (megaplex) com o conceito “All Stadium”, com diferentes níveis entre cada fileira (o equivalente a três degraus, como um estádio), proporcionando ao espectador uma perfeita visualização da tela. Além disso, ofereceu ao público o LoveSeat®, poltronas reclináveis extremamente confortáveis (acolchoadas), com extensão para as pernas. Em 2001, começou a testar em algumas de suas salas o Digital Theatre Distribution System® (DTDS), sistema de som digital. No ano seguinte, lançou sua primeira marca própria de guloseimas, as balas de goma Clip Gummi Stars®. Outra novidade apresentada pela rede foi o AMC SELECT, um programa lançado em 2006 para a exibição em algumas de suas salas de filmes independentes. Ainda neste mesmo ano, a empresa comprou a rede de cinema Loews Theatres, a mais antiga dos Estados Unidos, que na época possuía 198 complexos com 2.235 salas, ingressando assim em importantes mercados do país.


No ano de 2007, através de uma parceria com a canadense IMAX trouxe aproximadamente 125 sistemas de projeção digital de tela grande para seus cinemas, criando uma nova experiência para os consumidores. Já em 2008, revolucionou a indústria ao lançar o Dine-In Theatres, um serviço que permite ao cliente pedir comida de um vasto cardápio a partir do conforto de sua própria poltrona. Em 2009, a AMC continuou inovando, como por exemplo, com a implantação da tecnologia digital e 3D em suas salas de cinema. Além disso, em 2010, ao adquirir a Kerasotes Theatres, a AMC expandiu suas operações para a região centro-oeste do país e se tornou a segunda maior rede de cinema do mercado. Dois anos mais tarde introduziu o AMC Stubs, um novo programa de recompensas que oferece inúmeros benefícios ao membros associados.


O pioneirismo e o enorme sucesso da AMC chamaram a atenção do grupo chinês Wanda, um poderoso conglomerado de entretenimento, que adquiriu a empresa em maio de 2012 por US$ 2.6 bilhões. Nesta época a AMC tinha 347 complexos com 5.048 salas. Nos anos seguintes, com o dinheiro do poderoso grupo chinês, a AMC reformou muitas de suas salas (instalando equipamentos ultramodernos). Além disso, anunciou duas gigantescas aquisições em 2016. Primeiro comprou por US$ 1.1 bilhões a americana Carmike Cinemas, fundada em 1982 e com 2.954 salas de cinema, tornando-se assim a maior rede do segmento no mercado americano, com presença em 45 estados. E pouco depois, adquiriu por £921 milhões a Odeon & UCI Cinemas Group, maior operadora de salas de cinema do continente europeu (243 complexos e 2.238 salas) com 90 milhões de bilhetes vendidos e forte presença na Inglaterra, Irlanda, Itália, Espanha, Áustria, Portugal e Alemanha. Com essas duas aquisições a AMC se tornou a maior operadora de salas de cinema do mundo.


O enorme sucesso da AMC no mercado americano se deve também as inúmeras comodidades que oferece aos milhões de clientes. Entre as quais o serviço Dine-In Theatres (disponível em 19 complexos), que oferece a experiência de um jantar em luxuosas poltronas de cinema, com direito a garçom e um amplo cardápio; AMC MacGuffins Bar (disponível em 133 complexos), que serve cervejas, vinhos, coquetéis e deliciosos petiscos; e a tecnologia RealD® 3D em todos as salas e projeção digital, com resolução 4K da Sony Digital Cinema.


Além disso, recentemente a AMC anunciou uma parceria com a Dolby para trazer uma experiência de ponta para suas salas de cinema. O avançado pacote de tecnologias de projeção e som, que inclui projetores 4K duplos a laser e poderão reproduzir versões HDR dos filmes feitas especificamente para serem reproduzidas com a melhor qualidade possível, resulta em uma imagem significativamente mais brilhante e detalhada, com contraste e latitude de exposição muito superior aos de qualquer sistema anterior. O pacote Dolby Cinema foi inicialmente instalado em salas luxuosas, conhecidas como AMC PRIME, que já possuem um sistema de poltronas reclináveis motorizadas que vibram de acordo com os sons emitidos pelos filmes, de forma que a novidade deve aumentar ainda mais a sensação de imersão. A AMC deseja expandir esse pacote para 50 salas até o fim de 2018 e para 100 até 2024.


A empresa opera o complexo de cinema mais movimentado dos Estados Unidos: AMC EMPIRE 25 (foto abaixo), localizado em plena Times Square na cidade de Nova York. Inaugurado em 21 de abril de 2000, este enorme complexo abriga 25 modernas salas de cinema e recebe aproximadamente 2 milhões de espectadores anualmente. Outro enorme complexo de cinemas da rede está instalado dentro da Disney Springs na cidade de Orlando na Flórida, oferecendo mais de 20 salas de cinema com serviços diferenciados. Com confortáveis assentos reservados e um botão pessoal para chamar o garçom com rapidez e facilidade, esta é a opção perfeita para os amantes do cinema que procuram uma experiência cinematográfica ainda melhor.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por mudanças radicais ao longo dos anos. Inicialmente conhecida como AMERICAN MULTI CINEMA, somente no dia 1 de abril de 1980 a marca adotou as iniciais AMC em seu logotipo. Em 1994 a marca apresentou um novo logotipo que adotou a cor vermelha e a letra C ganhou contornos mais redondos.


Em 2010 a identidade visual ganhou um círculo vermelho de fundo. Pouco depois, a marca apresentou um novo logotipo: o círculo vermelho foi simplificado (perdeu sombras e detalhes) e a palavra Theatres foi retirada. O logotipo também pode ser aplicado com o slogan “amazing”.


Os slogans 
AMC Amazing. (2012) 
Where movies live. (2011) 
Experience the Difference. (2002) 
There is a Difference. (anos de 1990)


Dados corporativos 
● Origem: Estados Unidos 
● Fundação: 1 de janeiro de 1920 
● Fundador: Maurice, Edward e Barney Dubinsky 
● Sede mundial: Leawood, Kansas, Estados Unidos 
● Proprietário da marca: AMC Entertainment Holdings, Inc. 
● Capital aberto: Sim (2013) 
● CEO & Presidente: Adam Aron 
● Faturamento: US$ 2.94 bilhões (2015) 
● Lucro: US$ 103.8 milhões (2015) 
● Valor de mercado: US$ 2.97 bilhões (julho/2015) 
● Cinemas: 387 
● Presença global: 10 países 
● Presença no Brasil: Não 
● Funcionários: 20.000 
● Segmento: Entretenimento 
● Principais produtos: Salas de cinemas e serviços de comida 
● Concorrentes diretos: Cinemark, Cineplex, Regal, Marcus Theaters e B&B Theatres 
● Ícones: A cor vermelha 
● Slogan: AMC Amazing. 
● Website: www.amctheatres.com 

A marca no mundo 
Atualmente a AMC possui 387 complexos de cinemas com 5.426 salas de exibição, grande parte localizada nos Estados Unidos. A empresa ainda possui complexos de cinemas em Hong Kong, China, Canadá e alguns países europeus. Em 2015 a rede recebeu 197 milhões de espectadores e faturou US$ 2.94 bilhões. O preço do ingresso foi em média de US$ 9.61. Nos três maiores mercados americanos (Nova York, Los Angeles e Chicago) a AMC é líder. Além disso, a AMC opera 22 dos 50 complexos de maior bilheteria nos Estados Unidos, incluindo quatro dos cinco primeiros. Os maiores complexos da AMC nos Estados Unidos chegam a ter 30 salas de cinema. 

Você sabia? 
Em 2015, comidas e bebidas foram responsáveis por mais de US$ 910 milhões em receitas. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Exame), jornais (Valor Econômico), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 20/7/2016

14.7.16

CANADA GOOSE


Sempre aquecido, seco e confortável nas piores condições climáticas de frio extremo. Essa é a principal missão da marca CANADA GOOSE, que com seus casacos e parcas aquece e protege do frio e do vento, até mesmo no Ártico. Suas roupas e acessórios são produzidos somente no Canadá utilizando materiais nobres, e exibem o design que é a assinatura da grife. E experimente perguntar para quem usa uma de suas parcas porque CANADA GOOSE e a resposta será: “é a peça mais quente que se pode comprar”. Afinal, a marca se tornou uma declaração de moda global como um escudo contra o frio. 

A história 
A história começou nos anos de 1950, quando o polonês Sam Tick se instalou no Canadá. Depois de trabalhar como costureiro em diversas fábricas de parcas e casacos para o intenso frio canadense, seguindo seu espírito empreendedor ele fundou em 1957 na cidade de Toronto a Metro Sportswear, que iniciou em um pequeno galpão a fabricação de casacos capazes de suportar o rigoroso frio dos invernos canadenses. Originalmente produzindo casacos, jaquetas e coletes à base de lã, além de capas de chuva, no início da década de 1970, com o desenvolvimento de novas tecnologias, a empresa iniciou a fabricação de casacos e parcas com penas de ganso para invernos rigorosos e climas adversos. A empresa então se concentrou principalmente na fabricação de casacos e parcas pesadas para os Rangers canadenses (que normalmente realizam o papel de vigilância do Ártico), departamentos municipais de polícia, Polícia Provincial do Ontário, trabalhadores municipais, do Ministério do Ambiente e do Ministério de Serviços Penitenciários. Nesta época a empresa também fabricava casacos e parcas para outras marcas.


No início da década de 1980, seu genro, David Reiss, que já trabalhava na empresa, assumiu o comando dos negócios. No dia 5 de outubro de 1982, Laurie Skreslet fez história como o primeiro canadense a chegar ao cume do Monte Everest vestindo uma parca projetada e fabricada pela empresa. Em 2011, este icônico casaco seria relançado no mercado como Skreslet Parka. Pouco depois, em 1985, as parcas e casacos da empresa começaram a ser comercializadas com a marca SNOW GOOSE. O nome da nova marca era bastante apropriado, afinal a empresa fabricava casacos para frio (e neve remete a isso) com penas de ganso (goose em inglês). Foi nesta década que, inspirada por um dos lugares mais frios da Terra, a empresa lançou a Expedition Parka, uma parca desenvolvida especificamente para atender às necessidades exclusivas de cientistas na Estação McMurdo, na Antártida. A parca rapidamente se tornou popular entre os exploradores e pesquisadores de regiões extremamente frias e ganhou o apelido de “Big Red”. Nesta época, a marca começou a patrocinar as equipes de pesquisa instaladas no Ártico e rapidamente se tornou indispensável para as expedições polares.


Antes de expandir as vendas para o restante do mundo, a empresa concentrou seus esforços no mercado europeu a partir da década de 1990, pois fazia mais sentido devido ao clima severo encontrado em alguns países do continente. Só que surgiu um enorme problema. O nome SNOW GOOSE já estava registrado na Europa e a empresa então resolveu comercializar seus produtos com a marca CANADA GOOSE em 1993. Rapidamente seus casacos e parcas se tornaram populares, especialmente nos países escandinavos.


A história da empresa e da marca começaria a mudar em 1997 quando Dani Reiss, filho de David, ingressou nos negócios. Quando ele assumiu o cargo de CEO em 2001, a CANADA GOOSE faturava poucos milhões de dólares anualmente. Para tornar a marca  um ícone no seu segmento de atuação, ele tomou duas decisões cruciais: comercializar seus produtos somente com a marca CANADA GOOSE e fabricar suas peças no Canadá (“Made in Canada”), uma decisão arriscada quando a maioria das empresas terceirizava a produção para a Ásia, onde os custos trabalhistas são muito mais baixos. Mas essas decisões deram resultados. Isto porque, nos próximos dez anos, o faturamento da empresa cresceu mais de 2.000% e a CANADA GOOSE construiu enorme reputação de qualidade e luxo nos mercados americano, europeu e asiático, e até em países de clima quente como a Índia e os Emirados Árabes Unidos.


Outros fatores explicam o enorme sucesso da marca canadense nos últimos anos: celebridades e o glamour do cinema. Apesar de não contratar famosos para endossarem seus produtos, inúmeras celebridades já foram fotografadas com suas parcas, como por exemplo, o jogador inglês David Beckham, Emma Stone, Bradley Cooper, Matt Damon, Hilary Duff, Sarah Silverman, Daniel Craig e a modelo Kate Upton (que pôde ser vista usando uma parca da marca na capa da revista Sports Illustrated, em 2013). Além disso, a CANADA GOOSE é a marca não-oficial de parcas para equipes de cinema trabalhando em ambientes de frio hostil, e tem sido usada fora das câmeras para tudo – desde a série “Game of Thrones” até “Garota Dinamarquesa”. Suas parcas também já foram utilizadas em filmes famosos, como por exemplo, “O Dia Depois do Amanhã” e “A Lenda do Tesouro Perdido”. Embora a marca diga que não utilize a estratégia de patrocínio direto à celebridades, ela tem distribuído gratuitamente seus casacos e parcas em eventos que patrocina como o Sundance ou Festival de Cinema de Toronto.


Nos últimos anos a CANADA GOOSE expandiu sua linha de produtos ao lançar luvas, gorros e chapéus para frio extremo. Além disso, introduziu sua linha de produtos voltados para crianças. A CANADA GOOSE se viu recentemente forçada a inaugurar duas novas fábricas, uma em Winnipeg e outra em Scarborough, para suprir a alta demanda por seus produtos. O governo do Canadá, desde então, certificou a empresa como responsável por 6% de toda produção têxtil do país. Além disso, em 2013, a compra de parte de ações da empresa canadense pelo fundo de investimento Bain Capital injetou US$ 250 milhões no negócio, o que possibilitou ampliar sua expansão internacional. E a marca anunciou recentemente, que no segundo semestre de 2016, irá inaugurar suas primeiras lojas próprias, inicialmente em Toronto e Nova York.


Um dos produtos mais antigos e icônicos da marca canadense é a parca SNOW MANTRA (imagem abaixo), desenvolvida especificamente para atender as necessidades dos trabalhadores no Ártico canadense e que tem servido como “uniforme oficial” para os Rangers canadenses e equipes de resgate no Ártico. Pesando aproximadamente 3.4 quilos, testado em campo em temperaturas de até -70°C e composto por mais de 247 peças, a parca se tornou um vestuário indispensável para aqueles que vivem e trabalham em climas hostis de frio extremo.


Hoje em dia, desde as instalações de pesquisas do pólo sul e do Ártico, das expedições ao Monte Everest até as ruas de Nova York, Moscou, Estocolmo, Milão, Toronto e Tóquio, as pessoas usam os produtos da CANADA GOOSE devido à reputação de qualidade, funcionalidade e estilo para enfrentar adversidades climáticas causadas pelo frio extremo.


A alta qualidade 
Peças luxuosas de alta performance para o frio extremo estão no DNA da CANADA GOOSE. Por isso, cada jaqueta ou parca da marca canadense passa por 13 etapas de produção e muitas mãos, todas guiadas pelo compromisso artesanal. Do zíper ao botão, cada elemento é cuidadosamente escolhido e meticulosamente colocado no lugar. E antes que deixe a fábrica, uma competente equipe de garantia de qualidade inspeciona cada casaco à mão, garantindo assim que nenhum detalhe seja esquecido. Alguns de seus casacos e parcas requerem até 450 horas de trabalho para serem produzidos. Em uma época onde a produção é terceirizada para manter os preços baixos e reduzir custos, cada peça da CANADA GOOSE é produzida somente em território canadense. Isto explica o porquê de seus casacos e parcas terem preços que começam em US$ 600 e podem facilmente passar de US$ 1.700. Mas manter a produção local também se transformou em uma ótima ferramenta de marketing. Afinal, o clima frio faz parte da identidade nacional do Canadá, e não há melhores julgadores da qualidade dos produtos CANADA GOOSE do que aqueles para os quais eles são projetados - e por quem eles foram inspirados.


Algumas de suas parcas têm uma tira de pele de coiote no gorro e são preenchidas com penas de ganso. E isto tem despertado a ira dos ambientalistas e defensores dos direitos animais. A CANADA GOOSE responde que apoia o povo canadense que tem a tradição secular de capturar os animais para o uso de suas peles, e a prática é estritamente regulada por autoridades locais.


A evolução visual 
O logotipo da marca canadense passou por algumas remodelações ao longo dos anos. A identidade visual atual adotou uma tipografia de letra mais fina, moderna e elegante. Mas o principal símbolo de reconhecimento da marca (costurado no peito ou manga de cada peça de vestuário) permanece inalterado: um círculo que contém o mapa do Canadá, folhas de Bordo (símbolo nacional do país) e a inscrição “Arctic Program”. Sempre utilizando as cores vermelho, azul e branco.


Os slogans 
Ask Anyone Who Knows™. 
Proudly made in Canada since 1957. 
This Land is Your Brand.


Dados corporativos 
● Origem: Canadá 
● Fundação: 1957 
● Fundador: Sam Tick 
● Sede mundial: Toronto, Canadá 
● Proprietário da marca: Canada Goose Inc. 
● Capital aberto: Não 
● CEO & Presidente: Dani Reiss 
● Faturamento: US$ 300 milhões (estimado) 
● Lucro: Não divulgado 
● Presença global: 50 países 
● Presença no Brasil: Não 
● Funcionários: 1.000 
● Segmento: Esportivo 
● Principais produtos: Jaquetas, parcas, calças, luvas e gorros 
● Concorrentes diretos: The North Face, Patagonia, Moncler, Pyrenex, Millet, Columbia Sportswear e Arc’teryx 
● Ícones: As parcas 
● Slogan: Ask Anyone Who Knows™. 
● Website: www.canadagoose.com 

A marca no mundo 
Hoje em dia a CANADA GOOSE, cujo faturamento anual supera os US$ 300 milhões, comercializa sua vasta gama de produtos para climas severos e adversos em mais de 50 países ao redor do mundo. A marca produz mais de 400.000 parcas e casacos anualmente. 

Você sabia? 
A CANADA GOOSE oferece vestuário para frio (incluindo climas fortemente adversos) para homens, mulheres e crianças. Estes produtos irão proteger de elementos extremos que vão do frio entorpecente da Antártida, dos ventos fortes no Mar do Norte até dos climas severos de cidades gélidas. 
A CANADA GOOSE é extremamente famosa por seus doudounes (aqueles casacos de náilon super acolchoados). 
Com dois terços dos ursos polares do mundo vivendo no Canadá, em 2007 a marca uniu forças com a Polar Bears International (PBI) e lançou a coleção de parcas e casacos PBI. As vendas são revertidas para apoiar a conservação dos habitats do urso polar. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Entrepeneur), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 14/7/2016

7.7.16

TRIFIL


A TRIFIL é a marca de moda íntima que acompanha as transformações da mulher brasileira há mais de 50 anos. Sempre versátil, as peças da TRIFIL são perfeitas para complementar ou criar looks clássicos e confortáveis, sempre aproximando as consumidoras com o mundo da moda. 

A história 
Tudo começou no ano de 1963 no bairro do Cambuci, em São Paulo, em um prédio de quatro andares, quando Ludwig Heilberg, imigrante alemão, alfaiate e proprietário de uma pequena confecção de uniformes, resolveu ampliar os negócios produzindo roupas de tamanhos especiais. Visionário, ele resolveu também explorar um novo nicho de mercado, a confecção de meias femininas. Com isso, surgiu a marca TRIFIL, cujo nome foi inspirado em teares que trabalham com três fios. Rapidamente a marca se consolidou no mercado de confecção de meias femininas pela alta qualidade de seus produtos. A empresa cresceu a passos largos até os anos de 1970, quando as calças compridas passaram a dominar o vestuário feminino. A solução encontrada foi diversificar a produção, confeccionando agasalhos esportivos, sob licenciamento da marca Adidas. Em 1975, começou a produzir, também, camisas pólo, agasalhos e calções de futebol com a marca TRIFIL.


Com a expansão da empresa, o antigo prédio do Cambuci já não dispunha de espaço suficiente para a imensa demanda de produção. No mês de março de 1980, a empresa foi transferida para o bairro de Bonsucesso, em Guarulhos. Em 1986, a empresa abandonou, definitivamente, a produção de agasalhos esportivos e apostou na confecção de moda íntima. A segunda unidade fabril da empresa foi inaugurada em 1990, também em Guarulhos, região metropolitana de São Paulo, e construída a partir de sistema verticalizado, tornando-se autosuficiente para beneficiamento de matéria-prima. Nessa unidade foi criado um centro de texturização e recobrimento de fios. Além disso, o crescimento da TRIFIL se manteve e ocorreram lançamentos de novos produtos como meias esportivas e masculinas. Sempre a frente de seu tempo, a empresa apostou no segmento Sem Costura, importou máquinas italianas de última geração e criou a marca de lingerie SCALA. A empresa foi pioneira do setor a explorar esse tipo de tecnologia, que também foi estendida para a marca TRIFIL, através de sutiãs e calcinhas sem costura. Era o ano de 1998 e sob o slogan “Experimente usar nada”, a marca, rapidamente, conquistou consumidoras exigentes que procuravam peças com informação de moda e extremamente confortáveis. Nesta época, a TRIFIL percebeu que as meias-calças deixaram de ser uma peça básica e se tornaram um acessório de moda. Com isso, a marca adotou estampas de flores e arabescos, cores e diversas espessuras de fios, aproximando os produtos do universo da moda.


No início da próxima década a empresa expandiu ainda mais sua produção com a inauguração de uma nova unidade fabril na cidade de Itabuna, na Bahia. Nos anos seguintes a marca expandiu sua linha de produtos com lançamentos como o sutiã Sensação (extremamente confortável), as meia-calças modeladoras e as meias esportivas com cano invisível Active. Além disso, lançou produtos para crianças e bebês. Em 2010, o fundo americano Carlyle, adquiriu 51% da empresa. Até então, a fabricante das meias e produtos TRIFIL crescia acima de 10%, mas quando o fundo entrou na gestão, quis mudar as estratégias. Infelizmente, para os novos controladores, não funcionou. Além de entrarem em rota de colisão com a família fundadora, a marca TRIFIL começou a gerar prejuízo. Apesar das dificuldades a marca continuou inovando ao lançar, em 2011, a linha Impuls Biofir, cujas peças são confeccionadas com fio especial que contém cristais bio-ativos, capazes de utilizar o calor do próprio corpo para promover a microcirculação, a oxigenação e a drenagem das células. Essa linha, além de disfarçar a celulite, modela o corpo, afina a cintura, levanta o bumbum e segura a barriga, tudo sem abrir mão do conforto. Desde então a marca investe muito no segmento de meias-calças funcionais, que corrigem pequenas imperfeições e até previnem alguns problemas de saúde. Ainda este ano, apostou nos personagens Penélope Charmosa, Looney Tunes e Princesas do Mar para estampar as meias da coleção infantil.


Em 2013, para comemorar 50 anos de sucesso a TRIFIL lançou uma campanha publicitária especial para a coleção de inverno, que continha um vídeo super descontraído embalado pela cantora Rita Lee, que preparou um novo arranjo para a música “Agora só falta você”. Além disso, a marca passou por uma ampla reformulação de coleções, embalagens, identidade visual e logotipo, com a assinatura “Você by Trifil”. No ano seguinte, tecnologia e variedades de shapes marcaram a nova linha de produtos modeladores da tradicional marca de moda íntima. As peças (boxer de cós alto, short, bermuda, meia-calça e corsário) foram desenvolvidas especialmente para modelar as diversas áreas do corpo feminino, ajudando a redesenhar a silhueta e valorizar as curvas da mulher brasileira. Uma das novidades recentes da marca é a coleção + Curvas, que como o próprio nome diz, oferece calcinhas e sutiãs que valorizam as curvas e a beleza real de cada mulher.


É observando e acompanhando as transformações das mulheres brasileiras, há várias décadas, que a TRIFIL cria cada um de seus produtos. Contando sempre com o apoio de uma vasta pesquisa de moda e o que existe de mais moderno em tecnologia. Não é à toa que a TRIFIL se tornou a marca da moda íntima da mulher brasileira. Atualmente a TRIFIL oferece uma linha completa para mulheres, homens e crianças e dividida em quatro linhas de produtos: Feminino (meias-calças, meias esportivas, meias soquetes, leggings, cintas modeladores, lingeries, 2ª pele, meias 3/4, 5/8 e 7/8), Homem (cuecas, meias e meias esportivas), Infantil (meias, meias soquetes, meias-calças e meias esportivas) e Bebê (meias, meias-calças e leggings).


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por uma remodelação radical em 2013. Adotou a cor rosa e uma nova tipografia de letra. Além disso, o logotipo ganhou uma inclinação no nome da marca.


Os slogans 
Você by Trifil. (2013) 
Apaixonada por você. (2011) 
Sai a costura, entra o conforto. (2007) 
Experimente usar nada. (1998)


Dados corporativos 
● Origem: Brasil 
● Lançamento: 1963 
● Criador: Ludwig Heilberg 
● Sede mundial: Guarulhos, São Paulo, Brasil 
● Proprietário da marca: TFL Comércio de Roupas e Acessórios Ltda. 
● Capital aberto: Não 
● Presidente: Bruno Heilberg 
● Faturamento: R$ 400 milhões (estimado) 
● Lucro: Não divulgado 
● Presença global: 10 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 4.500 
● Segmento: Moda íntima 
● Principais produtos: Meias-calças, calcinhas, sutiãs, cuecas, meias e camisetas 
● Concorrentes diretos: Lupo, Puket, Hering, Hanes, Hope, Triumph, Duloren e DeMillus 
● Slogan: Você by Trifil. 
● Website: www.trifil.com.br 

A marca no mundo 
Hoje em dia a TRIFIL, que pertence ao Grupo Scalina, proprietário também da marca de lingerie Scala, comercializa seus produtos (meias-calças, sutiãs, calcinhas, cintas modeladores, cuecas, meias, camisetas, regatas e calças legging) em mais de 20 mil pontos de vendas em todos os estados brasileiros. A marca, referência em meias-calças e lingeries no mercado brasileiro, também exporta seus produtos para outros países. Líder no segmento de meias e de produtos sem costura, com mais de 50 anos de tradição no mercado, a marca possui lojas próprias em São Paulo e Brasília. Os produtos com a marca TRIFIL são produzidos em duas unidades fabris em Guarulhos (SP) e uma em Itabuna (BA). 


Você sabia? 
A TRIFIL é licenciada para fabricar produtos das marcas Olympikus, Mormaii, Red Nose e Speedo. Este segmento de negócio ganhou força a partira de 2005 com as marcas da Turma da Mônica e Mormaii


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Exame, Isto é Dinheiro e Época Negócios), jornais (Valor Econômico, Folha, Estadão e Meio Mensagem), sites especializados em Marketing e Branding (Mundo do Marketing) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 


Última atualização em 7/7/2016

29.6.16

PROTEX


Sinônimo de saúde e proteção, a marca PROTEX se preocupa em oferecer cuidados diários para toda família, desenvolvendo produtos clinicamente comprovados, que criam uma barreira de proteção para ajudar a prevenir a proliferação de bactérias. Com isso, as mães podem ficar despreocupadas em deixar as crianças serem super-heróis, explorando o mundo sem medo, pois estarão mais protegidas com os produtos PROTEX. 

A história 
Tudo começou no início dos anos de 1980 quando a empresa Colgate-Palmolive, que já possuía, através da marca Palmolive, um vasto conhecimento e enorme aceitação popular por seus sabonetes feito à base de óleos de oliva e palma desde 1864, resolveu ingressar em um novo segmento de mercado que parecia ser extremamente promissor: o de sabonetes antibacterianos. Após intensas pesquisas foi lançado oficialmente no mercado americano o PROTEX, inicialmente um sabonete em barra antibacteriano. Pouco depois o produto foi lançado no Canadá e também no Brasil. Nesta época, a preocupação com as bactérias não era tão grande ou pelo menos não para a maior parte da população mundial. Por isso PROTEX ficou meio escondido no enorme portfólio de produtos da Colgate-Palmolive.


Mas a partir do final da década de 1990, com o crescimento das economias mundiais, o acesso à informação e a ampliação das metrópoles, o que tornou cada vez mais difícil se evitar aglomerações de indivíduos em lugares fechados, aumentando assim a probabilidade de contaminação de doenças diversas e consequentemente a preocupação com a prevenção, a marca PROTEX soube aproveitar esse novo cenário para conquistar cada vez mais participação de mercado, principalmente em nações não muito desenvolvidas, como na América do Sul, Ásia e África. E isto resultou no lançamento de novas variações do sabonete (como por exemplo, a versão líquida para o corpo) e novos perfumes e ingredientes, que além de possuírem a ação antibacteriana, hidratavam a pele.


Já no Brasil, a marca iniciou uma tímida diversificação de sua linha de produtos em 2005 com o lançamento de Protex Suncare Líquido (uma opção contra o ressecamento da pele causado pelo sol) e Protex Aveia (que combina a proteção antibacteriana com os benefícios naturais da aveia). E nos anos seguintes literalmente inundou o mercado com inúmeros lançamentos, como por exemplo, versão a que combina a proteção antibacteriana prolongada com a Vitamina E, um conhecido ingrediente essencial para a pele; com Aloe Vera, que limpa e remove suavemente as impurezas deixando a pele saudável, macia e protegida; ou com Própolis, que limpa a pele delicadamente e continua a protegê-la das bactérias mesmo horas após o banho. Outras novidades foram Protex Fresh (uma fragrância refrescante com a proteção antibacteriana prolongada, proporcionando uma incrível sensação de frescor e saúde à pele), Protex Balance (oferece um perfeito equilíbrio entre proteção antibacteriana e ingredientes umectantes e suavizantes), Protex Cream (exclusiva fórmula com agentes umectantes que deixam a pele macia e saudável), Protex Ultra (especialmente desenvolvido para pessoas que necessitam de uma maior proteção antibacteriana e de ação desodorante, para evitar o mau odor do suor provocado pela ação das bactérias) e Protex Suave (especialmente desenvolvido para pessoas com pele delicada).


Até 2010, a marca PROTEX reinou absoluta no segmento de sabonetes antibacterianos no mercado brasileiro. Mas com o advento da gripe H1N1, outras importantes marcas mundiais ingressaram no mercado brasileiro, como por exemplo, Lifebuoy e Dettol. E PROTEX reagiu rápido diante da pesada concorrência com a ampliação de sua linha de produtos, como por exemplo, o lançamento do Protex erva-doce. Além disso, como o lançamento de Protex for Men em 2012 foi muito bem sucedido no mercado brasileiro, iniciando assim sua presença no segmento masculino, a marca lançou em 2013 os sabonetes em barra e líquido Protex for Men Power, variante que possui notas amadeiradas, e que chegou para completar a linha que já contava com as versões Energy e Sports, que oferecem 10 vezes mais proteção contra odores e eliminam 99.9% das bactérias. Os novos produtos ofereciam benefício 2 em 1 e podiam ser usados tanto para o corpo quanto para os cabelos, proporcionando ainda mais praticidade e comodidade para os homens. Ainda em 2013, a marca inovou mais uma vez ao lançar o primeiro e único sabonete antibacteriano com óleo de Ômega 3, um produto inovador que tem como objetivo proporcionar uma pele suave e protegida.


Em 2015, a marca voltou seu foco para o público feminino e lançou o Protex Cuidado Íntimo, ingressando assim na categoria de sabonetes íntimos femininos. Para desenvolver o produto, a marca realizou pesquisas com médicos, especialistas e seu público-alvo, as mulheres. O novo sabonete carrega a tecnologia Protex System, que tem em sua composição o ácido lático, ingrediente que mantém o pH equilibrado e fortalece a barreira natural da área íntima, ajudando a prevenir a proliferação de bactérias que podem causar infecções. O novo produto chegou ao mercado em duas versões: Delicate Care (com uma fragrância floral e um toque de lavanda) e Fresh Equilibrium (com notas florais mais cítricas), que oferecem uma sensação prolongada de frescor além de ser ginecologicamente testados.


Outra grande novidade foi o novo sabonete antibacteriano Protex Complete 12®, que além de eliminar 99.9% das bactérias, possui fórmula exclusiva com Pro-12 System, que oferece 12 vezes mais proteção e pele protegida por até 12 horas. Esse novo produto foi resultado de estudos com consumidores, nos quais a marca percebeu que eficiência e proteção prolongada são benefícios relevantes e aspiracionais para pessoas que buscam uma pele saudável e protegida. Já em 2016, a linha foi ampliada como Protex Pro-Hidrata, que além de eliminar 99.9% das bactérias, também deixa uma sensação de hidratação na pele, devido ao óleo de macadâmia e ingredientes hidratantes.


Durante mais de 30 anos, o marketing realizado pela marca foi atuante, pois aproveitou a preocupação das pessoas com contaminações e criou diversos produtos antibacterianos para atender essa necessidade. Foram lançados então dentro da linha antibacteriana, produtos como álcool em gel, sabonetes líquidos, sabonetes íntimos femininos e uma linha exclusiva para cuidados masculinos fortalecendo a marca e ganhando espaço em importantes mercado mundiais.


Ações sociais 
Mais do que investir em publicidade e marketing, a marca PROTEX acredita na educação. Por isso, realiza diversas ações e eventos em escolas, que ensinam crianças à importância da higiene pessoal e na distribuição de novos produtos em áreas de grande circulação, gerando assim contato direto com seu público alvo. O resultado foi o desenvolvimento do programa “Lave suas Mãos”, para ensinar a população sobre a importância de lavar as mãos corretamente e ter uma boa saúde. Afinal, milhões de bactérias habitam as suas mãos e podem causar doenças como diarréia, pneumonia, gripes, infecções em feridas, problemas de pele, entre outras. Já para as crianças criou ações específicas através de jogos e downloads com a turma do polvinho Manolo, mascote da marca, que ensina hábitos saudáveis de uma forma divertida.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por algumas remodelações ao longo dos anos. Inicialmente identificado pelo X estendido com traços coloridos, mais recentemente o logotipo da marca foi simplificado e adotou uma tipografia de letra mais arredondada e moderna. Dependendo das linhas de produtos, o segundo traço da letra X pode ganhar variações de cores.


Os slogans 
Everyday protection for the whole family. 
For The Good Health Of Your Skin. 
Protex with invisible antibacterial barrier. 
Proteção é Protex. 
Protex. Para uma pele saudável e protegida.


Dados corporativos 
● Origem: Estados Unidos 
● Lançamento: 1985 
● Criador: Colgate-Palmolive 
● Sede mundial: New York City, New York, Estados Unidos 
● Proprietário da marca: Colgate-Palmolive Company 
● Capital aberto: Não 
● CEO: Ian Cook 
● Faturamento: Não divulgado 
● Lucro: Não divulgado 
● Presença global: 60 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Segmento: Cuidados pessoais e higiene 
● Principais produtos: Sabonetes e gel antibacterianos 
● Concorrentes diretos: Lifebuoy, Dettol, Safeguard e Dial 
● Slogan: Proteção é Protex. 

A marca no mundo 
Atualmente PROTEX, líder no mercado de sabonetes antibacterianos na América do Sul e na Ásia, comercializa sua vasta lista de produtos (que inclui sabonetes na versão barra e líquida, além de gel antibacteriano) em mais de 60 países ao redor do mundo. Somente no mercado brasileiro a marca oferece aproximadamente 20 variações de seus tradicionais sabonetes. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Exame, Isto é Dinheiro, Época Negócios e EmbalagemMarca), jornais (Meio Mensagem), sites especializados em Marketing e Branding (Mundo do Marketing) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 29/6/2016

23.6.16

BOWERS & WILKINS


A busca incessante pelo som mais puro que existe. O casamento perfeito entre alta tecnologia e design moderno. Pois é exatamente isso que encontramos em cada produto desenvolvido pela inglesa Bowers & Wilkins, cujas caixas de som estão presentes nos melhores estúdios musicais do mundo. A marca se tornou o sonho de consumo de todos aqueles que prezam pela alta qualidade sonora. Além disso, a beleza dos equipamentos os tornam verdadeiras peças de decoração. 

A história 
Tudo começou em 1965 quando o engenheiro de telecomunicações John Bowers e Roy Wilkins, que se conheceram quando serviam as forças armadas, inauguraram uma modesta loja de reparos de rádios e televisões. No entanto, John era um apaixonado fã de música clássica, que estava desapontado com a reprodução de som que os melhores equipamentos da época ofereciam. Como resultado de sua paixão, ele começou a fabricar alto-falantes em uma garagem localizada na parte de trás da loja. Finalmente em 1966, Jonh Bowers e seu amigo de longa data Peter Haywar fundaram uma pequena empresa de produtos de áudio, chamada B&W Loudspeakers Ltd., na costa sul da Inglaterra, localizada na cidade de Worthing. No ano seguinte a empresa criou seus primeiros alto-falantes que foram adquiridos por uma senhora apreciadora de música clássica, chamada Miss Knight. Esta senhora se apaixonou instantaneamente por Jonh Bowers, devido ao seu vasto conhecimento de música erudita e por ter feito um alto-falante de uma qualidade que ela nunca tinha visto antes. Assim, Miss Kinght pagou a fortuna de £10 mil pelos alto-falantes. Esse dinheiro ajudou alavancar a Bowers & Wilkins para a produção em massa de seus produtos.


Ainda em 1967, a marca lançou no mercado seu primeiro dispositivo, o alto-falante p1. O lucro com a venda deste dispositivo fez com que a empresa investisse em equipamentos de modulação de som, tendo como principal objetivo a produção de alto-falantes de ampla qualidade, além de amplificadores e gravadores, que se tornaram uma solução acessível de preço e ao mesmo tempo, apresentavam uma qualidade superior de som. No início da década seguinte, em 1973, a empresa já exportava 60% de sua produção. A partir de 1974, a marca passou a utilizar o Kevlar como material pela primeira vez e isso deu origem ao excepcional alto-falante B&W 801, lançado no mercado em 1979, de reprodução tão fiel às gravações originais que se tornou referência em quase todos os estúdios de gravação de músicas do mundo, como Abbey Road, Decca e Deutsche Grammophon. Em 1981, a empresa inaugura o mundialmente famoso Steyning Research Establishment, muitas vezes apelidado de “University of Sound” (“Universidade do Som”) pelos jornalistas. Atualmente este laboratório abriga uma competente equipe de engenheiros acústicos e eletrônicos que têm a disposição as melhores tecnologias do segmento para criar produtos inovadores.


Após enorme sucesso do B&W 801, a partir da década de 1990, a B&W lançou inúmeros produtos inovadores, transformando-se em uma marca inovadora no segmento de produtos de áudio, como por exemplo, a caixa Silver Signature, que foi o primeiro alto-falante a utilizar prata ao invés de cobre como condutor de fios e cabos, transformando o hábito de ouvir música em um verdadeiro prazer. A partir do novo milênio, a B&W se popularizou com o surgimento de gadgets como o iPod, modificando a interpretação de ouvir som pela sociedade. Criou assim novos produtos de fácil acessibilidade com uma qualidade diferenciada como fones de ouvido e conquistou novos consumidores. Um dos exemplos é o B&W Zepellin, lançado em 2007 e considerado um dos melhores e mais modernos Dock Stations do mundo, feito sobre o formato único de um Zepellin, aqueles populares dirigíveis do começo do século passado. Essa linha oferece ainda o modelo Air, que permite conectar remotamente todos os produtos da Apple. Tal produto se tornou um cobiçado sonho de consumo para se ouvir musical digital no conforto de casa. Nos últimos anos a B&W, que se tornou referência em áudio de alta fidelidade, ingressou em novos segmentos de mercado com o lançamento de fones de ouvido hi-fi e caixas de som para computadores.


Dos muitos produtos incríveis fabricados pela marca inglesa, provavelmente o mais famoso é o conjunto de caixas de som Nautilus, apresentado ao mercado em 1993. Após cinco anos de desenvolvimento e pesquisas, os engenheiros da empresa descobriram que os cantos vivos das tradicionais caixas de som formavam na verdade gabinetes cheios de distorção, e decidiram buscar nas formas da natureza, mais precisamente na acústica das conchas, uma solução para incrementar a fidelidade do som. E o que se seguiu foi uma música tão real que praticamente poderia ser tocada. E assim, nasceu o conjunto Nautilus, hoje reconhecido por seu design clássico, e que chegou a ser descrito como “talvez o melhor alto-falante que o dinheiro pode comprar”. Por mês, poucas caixas de som Nautilus deixam a fábrica da empresa na Inglaterra, após aproximadamente 44 horas de trabalho artesanal.


Outra estrela em seu portfólio de produto atende pelo nome de B&W 800 Series Diamond, caixas de som com alto-falantes de diamantes lançadas em 2010. Como o diamante é um material extremamente duro, os alto-falantes não sofrem deformações enquanto estão funcionando. E graças a isso, conseguem reproduzir as ondas sonoras de maneira muito mais precisa. Seu formato aerodinâmico, com linhas que lembram as de um avião, não é apenas bonito: também ajuda a reduzir a turbulência do ar na sala, deixando o som ainda mais limpo e agradável. A linha oferece sete modelos de caixas acústicas, que se adaptam a salas e decorações de todos os tipos e tamanhos. Também servem tanto para ouvir música, quanto para ver filmes em home theaters altamente sofisticados, com qualidade de áudio superior à de qualquer cinema. Abbey Road, templo máximo do som, onde John Lennon, Pink Floyd e Radiohead faziam questão de gravar seus álbuns, foi o primeiro estúdio a adotar as caixas de som com alto-falantes de diamantes B&W 800 Series Diamond.


A marca também tem forte presença no segmento de áudio automotivo de luxo. Para se ter uma ideia da qualidade de seus sistemas de som neste segmento, a B&W é responsável pelo desenvolvimento de sistemas de som exclusivos que equipam os automóveis da aristocrática marca britânica Jaguar e os alguns modelos da italiana Maserati e da sueca Volvo. Em 2016, a Eva Automation, uma startup do Vale do Silício, criada em 2014, com foco no desenvolvimento de produtos e sistemas de áudio e vídeo, adquiriu a Bowers & Wilkins, incluindo também as marcas Rotel e Classe Audio – ambas do mesmo grupo.


Há mais de cinco décadas, a B&W busca incansavelmente pela perfeição do som mais puro e isto tem resultado em uma sequência de inovações em caixas acústicas que vêm satisfazendo os ouvintes mais exigentes do planeta. As entusiásticas análises que seus produtos têm recebido e a enorme aceitação global de suas caixas acústicas como monitores para gravações profissionais, como nos famosos estúdios Abbey Road e George Lucas’s Skywalker Sound, ajudaram a B&W a se tornar a marca dominante em caixas acústicas do segmento hi-fi em todo o mundo. Afinal, a fabricante inglesa de alguns dos melhores sistemas de som e alto-falantes do mundo, capazes de reconstruir o ambiente acústico, torna a experiência de escutar sua música preferida em algo indescritível.


Os slogans 
Listen and you’ll see. 
This changes everything.


Dados corporativos 
● Origem: Inglaterra 
● Fundação: 1966 
● Fundador: John Bowers e Peter Haywar 
● Sede mundial: Worthing, Inglaterra 
● Proprietário da marca: B&W Group Ltd. 
● Capital aberto: Não 
● Chairman: Gideon Yu 
● CEO: Joe Atkins 
● Faturamento: £120 milhões (estimado) 
● Lucro: Não divulgado 
● Presença global: 65 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 1.100 
● Segmento: Equipamentos de áudio 
● Principais produtos: Caixas de som, fones de ouvido, home theater e sistemas de áudio 
● Concorrentes diretos: Bose, Bang & Olufsen, Paradigm, KEF, Dynaudio e Harmand 
● Slogan: Listen and you’ll see. 
● Website: www.bowers-wilkins.com 

A marca no mundo 
A Bowers & Wilkins, líder mundial no mercado de caixas acústicas de alto padrão, comercializa sua linha de produtos em mais de 65 países ao redor do mundo. A B&W é a principal exportadora de caixas acústicas do Reino Unido e a número um em importações pelos Estados Unidos. Além disso, a marca produz alto-falantes, sistemas de som e fones de ouvido de alta qualidade para hotéis de luxo, fabricantes de automóveis e estúdios de gravação. 


Você sabia? 
A paixão da B&W pelo melhor som é tamanha, que entre 1988 e 1996, a empresa teve sua própria gravadora. 
Presente nos melhores estúdios musicais do mundo, as caixas B&W são o que há de mais conceitual, moderno e eficiente no mercado de áudio. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Exame), portais (IG), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 


Última atualização em 23/6/2016