10.1.12

LOUIS ROEDERER


Pense em algo que seja realmente um ícone de um segmento qualquer. Em se tratando de champanhe, provavelmente a resposta será a CRISTAL. Tradição e sofisticação em forma de um líquido sagrado, com borbulhas glamorosas, cuidadosamente repousando em uma garrafa transparente. Um caso indiscutivelmente de longevidade e excelência. Foi assim que a francesa LOUIS ROEDERER transformou seus champanhes, especialmente a CRISTAL, em um verdadeiro ícone da vinicultura europeia, presença constante nos ambientes mais badalados do planeta, e bebida preferida dos bilionários e celebridades. 

A história 
A saga de uma das mais prestigiosas Maisons de champanhes do mundo começou no ano de 1776 quando Etienne Dubois fundou a Dubois Père & Fils. Após o negócio ser vendido em 1819 para Nicholas-Henri Schreider, foi somente em 1833 quando seu sobrinho, Louis Roederer, herdou a empresa que os champanhes foram batizados com esse nome. De espírito empreendedor e visionário, Louis cuidava pessoalmente do cultivo das uvas, pois sabia que um grande vinho depende, sobretudo, da qualidade da matéria-prima. Por isso, tomou uma atitude controversa na época: comprar vinhedos próprios em zonas Grand Cru de Champagne, distinguindo-se para sempre em uma região onde 90% dos vinhedos pertencem a pequenos agricultores que vendem sua produção às grandes marcas. Além disso, com a ajuda de seu irmão Eugéne e de Hugues Kraft, um habilidoso vendedor poliglota, a produção de champanhe da Maison, em poucos anos, saltou de 100 mil garrafas para mais de 700 mil, muito em virtude dos mercados internacionais. Sob o comando de seu filho, Louis Roederer II, a Maison experimentou um enorme crescimento, atingindo em 1872 a produção de 2.5 milhões de garrafas, das quais 666 mil eram exportadas para a Rússia e 390 mil para os Estados Unidos.


A história da Maison começaria a mudar em 1876, quando o czar Alexandre II da Rússia, um enorme apreciador de seus champanhes, pediu que a empresa, na época fornecedora exclusiva de champanhe para a família Romanov, criasse um champanhe único e exclusivo. As garrafas de seu champanhe deveriam ser personalizadas para se diferenciarem dos concorrentes - o cristal claro, incomum nas garrafas da época, servia para demonstrar um apreço pelas pessoas a quem era servido tão singular champanhe. Outra história conta que o czar solicitou o desenvolvimento da garrafa de cristal claro (ao invés do verde-escuro) para se assegurar de que seria possível constatar tentativas de envenenamento com substâncias sólidas ou a colocação de artefatos que atentassem contra sua vida, o que explica o fundo reto da garrafa. Foi então que a LOUIS ROEDERER criou a excepcional CHAMPAGNE CRISTAL, que encantava pela elegância nas borbulhas e complexidade nos aromas, e ganhou a fama de ser o primeiro Cuvée Prestige (safra única e excepcional) do mundo. Desse momento em diante não havia recepção na corte imperial russa sem CHAMPAGNE CRISTAL ROEDERER. Conta uma história que assim que terminava de beber o champanhe, o czar ordenava que as garrafas, na época, feitas com o mais puro cristal Baccarat, fossem quebradas.


O champanhe que se transformou no cartão de visitas da Maison surgiu graças ao empenho pessoal de Léon Olry-Roederer que, em 1920, ao ver mais da metade de seus vinhedos destruídos durante a Primeira Grande Guerra, enquanto se empenhava na reconstrução das propriedades, capitaneou a elaboração de um novo champanhe. Louis Roederer Brut Premier é um blend de oito colheitas produzido todos os anos, repetindo em cada garrafa o distinto e delicado caráter da tradicional Maison. A empresa atravessou momentos delicados em virtude da Primeira Guerra Mundial; da Revolução Russa (país que representava um dos maiores mercados da marca); da crise de 1929, que assolou a economia americana, outro importante mercado para a LOUIS ROEDERER; e finalmente pela Segunda Guerra Mundial. Somente em 1945 o champanhe CRISTAL começou a ser vendido, agora em garrafas de vidro branco, para o público em geral, e nos anos seguintes, conquistou uma legião de fãs endinheirados pelo mundo afora. Nas últimas duas décadas o CHAMPANHE CRISTAL caiu no gosto dos bilionários, endinheirados, boxeadores e rappers americanos. Em 2006, os executivos da empresa, ao declararem que era ruim para a marca ser a preferida dos rappers americanos, como Notorious BIG, Puffy Daddy e Tupac Shakur, que, além de consumirem litros e litros da bebida, falavam dela em suas músicas sempre de um ponto de vista do luxo e da ostentação, e compraram uma enorme briga com Jay-Z, um dos cantores mais famosos de hip-hop e apreciador do famoso champanhe, que ele resolveu então boicotar a CRISTAL.


Além da sofisticada CRISTAL (oferecida também na versão Rosé desde 1974), a LOUIS ROEDERER também produz outros excepcionais champanhes, como por exemplo, Brut Premier (encarnação do estilo LOUIS ROEDERER, combinando todos os frutados e o frescor da juventude com a vinosidade de um vinho maduro), Brut Premier Rosé (elaborada a partir das variedades 70% Pinot Noir e 30% Chardonnay), Blanc de Blancs (feita 100% com uvas Chardonnay, é criada exclusivamente de uma seleção fina de crus do vinhedo em Côte des Blancs, impressionando pela complexidade aromática) e Carte Blanche (feita com 40% Chardonnay, 40% Pinot Noir e 20% Pinot Meunier).


Hoje em dia, o champanhe CRISTAL é produzido somente em safras excepcionais. Nos anos de safra inferior a produção do famoso champanhe é simplesmente zero. Em situações ideais são produzidas aproximadamente 600 mil garrafas, que envelhecem por 6 anos, seguidos por mais 6 meses de repouso. O glamoroso champanhe é composto por 60% de uvas Pinot Noir e 40% de Chardonnay. CRISTAL apresenta uma bonita cor amarela com reflexos dourados. Aroma intenso de flores brancas, cítricos e frutas vermelhas, seguido por notas quentes de tostados e madeira. Na boca, notas exuberantes de frutos maduros (pêssegos) e sabores tostados.


Champanhes como obra de arte 
A precisão na elaboração dos champanhes LOUIS ROEDERER é tão meticulosa ao ponto da vinificação, desde a colheita à fermentação das uvas, ser realizada parcela por parcela, preservando as características próprias de cada uma delas Trata-se de um trabalho artesanal. A colheita é toda prensada localmente – há três centros de prensagem, em Verzenay, Aÿ e Avize, para atender aos vinhedos próximos – e, então, o mosto de cada parcela é transportado para a vinícola na cidade de Reims, onde fermenta em recipientes individualizados. Nos seus vinhedos, realiza um trabalho de viticultura de precisão, respeitando a biodiversidade e dando uma importância cada vez maior aos princípios da agricultura biodinâmica. A empresa mantém milhares de litros de seus melhores vinhos envelhecendo durante vários anos nas tradicionais caves, em tonéis de carvalho - é o grande tesouro da Maison. O resultado é uma impressionante paleta de vinhos excepcionais à disposição para compor as irrepreensíveis cuvées - uma arte a cargo do experiente chefe de cave Jean-Baptiste Lécaillon.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por algumas remodelações ao longo dos anos.


Os slogans 
Artistry of Champagne. (2009) 
Á la recherche de l’oeuvre. 
Louis Roederer. Without compromisse. 
Vivez l’expérience.


Dados corporativos 
● Origem: França 
● Fundação: 1776 
● Fundador: Etienne Dubois e Louis Roederer 
● Sede mundial: Reims, França 
● Proprietário da marca: Champagne Louis Roederer S.A. 
● Capital aberto: Não 
● Chairman: Jean-Claude Rouzaud 
● CEO: Frédéric Rouzaud 
● Faturamento: Não divulgado 
● Lucro: Não divulgado 
● Presença global: 100 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 800 
● Segmento: Bebidas alcoólicas 
● Principais produtos: Champanhes 
● Concorrentes diretos: Dom Pérignon, Krug, Perrier-Jouët, Piper-Heidsieck, Bollinger e Taittinger 
● Ícones: O champanhe Cristal 
● Slogan: Artistry of Champagne. 

A marca no mundo 
Uma das mais tradicionais e respeitadas produtoras de champanhes do mundo, a LOUIS ROEDERER exporta suas preciosidades para mais de 100 países no mundo, tendo como maiores mercados Estados Unidos, Inglaterra, Itália, Japão e Suíça, além da França. Com estoque médio nas caves que representa entre quatro e cinco anos de vendas, sua produção anual é de aproximadamente 3.5 milhões de garrafas. Hoje em dia a empresa possui 240 hectares de vinhedos distribuídos em 410 parcelas em zonas Grands e Premiers Crus. Elas ficam em três distritos clássicos de Champagne: Montagne de Reims, Côte des Blancs e Vallée de la Marne. Isso permite que 70% dos champanhes da LOUIS ROEDERER sejam elaborados com uvas próprias a partir de rigorosos critérios de qualidade.  
Você sabia? 
Por ser vendido em garrafa transparente, o que prejudica o champanhe, CRISTAL é comercializada envolta em um sofisticado papel celofane dourado. 
Em 2013 a marca lançou o champanhe mais caro do mundo na época, ao preço de €20 mil a garrafa Jeroboam (de 3 litros) do CRISTAL 2002 (uma safra excepcional). O preço se justificava, pois além da qualidade do champanhe, o número de garrafas era ínfimo, apenas 400. Um detalhe importante: a garrafa era coberta de ouro 24 quilates. 
A LOUIS ROEDERER é uma das únicas Maisons a utilizar ainda a maceração pelicular, método delicado que consiste em macerar a uva com a casca por várias horas, obtendo dessa forma um mosto mais concentrado e mais aromático. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek, Time e Isto é Dinheiro), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 20/8/2018

Um comentário:

1001 formas de ganhar $ disse...

Bom blog, estou seguindo!
Passa no meu e conhece várias formas de ganhar dinheiro, incluindo com o seu blog!
Estou à sua espera :)