7.5.06

VISA


Em qualquer cidade, em qualquer país, com ele possível comprar de um pãozinho a um avião, pagar taxas públicas, contas, mensalidades, consultas e até recarregar um celular pré-pago. É possível ainda realizar compras no varejo, no atacado, por catálogo, pela internet e até em feiras livres, comércio ambulante e venda porta a porta. O “dinheiro de plástico” da VISA mudou o hábito de consumo onde quer que o cliente esteja. Os cartões de crédito e débito, não somente facilitam a vida dos consumidores, como se transformaram em um símbolo de consumo global e a marca VISA é uma das principais responsável por isso. Afinal, como diz o ditado popular, “tempo é dinheiro”. 

A história 
A história da VISA é inseparável de uma das mais significantes inovações na forma de pagamento do século 20: o cartão de pagamento ou crédito. Com o desenvolvimento desta ferramenta flexível e a popularização de sua utilização, a marca VISA não somente facilitou a vida das pessoas, como está presente em qualquer lugar do planeta. Tudo começou em setembro de 1958 quando o Bank of America lançou o cartão de crédito BankAmericard, nas cores azul, branco e dourada, que seria mais tarde adotadas pela VISA, para os consumidores da cidade de Fresno, estado da Califórnia. A chegada do BankAmericard (feito de papel) ao mercado foi uma verdadeira novidade em diferentes aspectos, sobretudo devido ao fato de oferecer aos consumidores uma linha de crédito (US$ 300) que podia ser utilizada e posteriormente devolvida segundo um plano de reembolso previamente acordado. Inicialmente foram disponibilizados 60.000 cartões.
 

Em menos de uma década o BankAmericard conseguiu mais de dois milhões de utilizadores regulares, precipitando o fim de boa parte dos cartões de crédito próprios emitidos por instituições locais. A partir de 1966, por meio de acordos com bancos que operavam fora do estado da Califórnia, possibilitou a afiliação de estabelecimentos e a emissão de mais cartões. Nesta época o BankAmericard iniciou um rápido crescimento, atingindo quase dois milhões de usuários. Com o crescimento dos cartões de crédito, a maioria dos bancos regionais desistiu de seus programas independentes e somou-se a um dos dois sistemas. Até que, em 9 de julho de 1970, os bancos emissores do BankAmericard começaram uma operação conjunta sob o nome National BankAmericard Incorporated (NBI), uma empresa independente, precursora da VISA atual. Em 1973, a NBI criou o primeiro sistema de autorização eletrônico, conhecido como BASE I, e um novo centro de processamento de informações foi inaugurado para dar mais agilidade ao processo. Finalmente, comerciantes e usuários conseguiam autorizações rápidas e eficazes em qualquer parte dos Estados Unidos, a qualquer hora do dia. O sistema de autorização eletrônico possibilitou uma expansão fantástica.


Um ano depois, o Bank of America já emitia cartões em 15 países. Ainda em 1974, foi criado o IBANCO, uma empresa multinacional, que englobava os membros do BankAmericard, destinada a administrar o programa de cartões internacionalmente. Entretanto, fora dos Estados Unidos, os bancos de alguns países se recusavam a emitir cartões associados ao Bank of America. Para superar esse obstáculo, foi necessário buscar uma marca universal, livre de associações com entidades bancárias competidoras. Em 1976, em uma convenção bancária realizada na cidade de Orlando, na Flórida, o presidente da NBI-IBANCO, Dee Ward Hock, anunciou oficialmente a mudança do nome da empresa. O cartão BankAmericard adotou uma nova imagem com a marca VISA, mantendo suas cores tradicionais - azul, branca e dourada. O nome foi escolhido por ser de fácil pronúncia em qualquer idioma e por não ter nenhuma relação com banco ou entidades do sistema financeiro. O NBI transformou-se em VISA USA e o Ibanco mudou para VISA INTERNATIONAL SERVICE ASSOCIATION. Sob a liderança de Dee Hock e com a atenção voltada para seus bancos e instituições financeiras associadas, a marca VISA obteve rápida expansão. Com o crescimento do número de transações, um novo sistema tornou-se necessário. Surgiu assim, em 1977, o BASE II, um sistema de intercâmbio que permitiu aos bancos efetuar transações eletronicamente. Um ano depois, o cartão VISA já era o número 1 do mercado americano.


Em 1979 a VISA iniciou uma forte campanha junto aos estabelecimentos comerciais com o objetivo de incentivar o cartão de crédito como meio de pagamento. Investimentos em marketing, em novas tecnologias e em patrocínios esportivos e culturais ajudaram a tornar a marca conhecida e a fixá-la como a preferida dos consumidores e lojistas. Hock foi o responsável pelo lançamento do primeiro sistema eletrônico na transação com cartão de crédito e criou a primeira rede global de ATM (sigla em inglês para designar caixas automáticos). Nas décadas de 1980 e 1990, a VISA continuou inovando, sendo responsável pelo lançamento dos primeiros cartões de crédito Premium, Smart (cartões inteligentes – com chip), pré-pagos, ou até mesmo conduzindo a primeira transação de um cartão de crédito em Euro, no ano de 1999, e com isso conquistando participação de mercado em todo o mundo, se tornando o maior cartão com circulação mundial, sendo aceito em 12 milhões de estabelecimentos. Desde então, mantém-se na liderança entre os meios de pagamento eletrônicos. No mês de março de 2008 a VISA abriu seu capital na Bolsa de Valores de Nova York, arrecadando quase US$ 18 bilhões, o melhor resultado de uma empresa ao fazer oferta inicial de ações (em inglês IPO) na história dos Estados Unidos.


O produto mais exclusivo e sofisticado da linha de cartões de crédito da marca para pessoas físicas é o VISA INFINITE. O cartão é destinado a pessoas de altíssimo poder aquisitivo, que viajam ao exterior com frequência e necessitam disponibilidade total de serviços, seguros médico e de automóveis. Assim como os demais cartões de crédito da marca, este exclusivo cartão é aceito em mais de 30 milhões de estabelecimentos comerciais em 200 países e territórios e pode ser utilizado para sacar em moeda local em mais de 2 milhões de caixas automáticos.


Por mais de 35 anos, a VISA construiu um cenário global de pagamentos, dedicado a servir consumidores; estabelecimentos comerciais; instituições financeiras e economias em todo o mundo. Hoje em dia, a empresa oferece soluções em uma época na qual a indústria global de pagamentos reconhece o potencial das novas tecnologias, opera em um mundo cada vez mais conectado e desenvolve um papel-chave na infraestrutura de mercados emergentes. O portador de um cartão VISA tem a possibilidade de escolher de que forma quer pagar – usando crédito (“pague depois”), débito (“pague agora”) e pré-pago (“pague antes”). Além disso, a empresa possui plataformas de produtos que atendem segmentos específicos de clientes e situações específicas de determinadas regiões.


A linha do tempo 
1973 
Lançamento de um sistema percussor do VisaNet, possibilitando compreensiva comunicação e processamento de dados com segurança e rapidez. Hoje em dia este sistema é responsável pela afiliação e relacionamento com os estabelecimentos comerciais que aceitam cartões VISA como forma de pagamento; desenvolve e realiza a gestão da plataforma tecnológica de captura e o processamento das transações com os cartões; além de desenvolver e oferecer serviços de monitoramento, captura e processamento de transações eletrônicas para bandeiras particulares e instituições financeiras. O sistema é capaz de realizar mais de 150 milhões de transações diariamente. 
1975 
Introdução da função de débito em seus cartões revolucionando a forma de pagamento. Na década de 1980 passaria a ser conhecido como VISA ELECTRON, estando presente na Ásia, América Latina, América Central, África e Europa, emitindo mais de 400 milhões de cartões anualmente. 
1977 
Lançamento do VISA CLASSIC, o cartão mais popular e conhecido da marca. 
1979 
Introdução no mercado do VISA TRAVELER’S CHECK (cheque de viagem), inicialmente disponível em quatro moedas diferentes. 
1981 
Introdução do cartão VISA PREMIERE, que passaria a ser conhecido como VISA GOLD, e se tornaria o cartão de crédito mais conhecido e utilizado do mundo em 1992. 
1983 
Baseada na premissa “Any Time, Anywhere” (A qualquer hora, em qualquer lugar), a empresa introduziu uma rede de caixas automáticos para saques, proporcionando 24 horas por dia de modernidade aos seus consumidores. Primeiramente os caixas automáticos estavam localizados em lugares com grande movimentação de turistas como, por exemplo, aeroportos. Não demorou muito para postos de gasolina, lojas de conveniência e outros muitos estabelecimentos também ganharem seus caixas automáticos. 
1984 
Introdução do holograma conhecido como DOVE (pomba) em todos os cartões de crédito da marca, geralmente seguido pelos quatro últimos dígitos do número do cartão. O holograma foi introduzido como uma medida de segurança para evitar fraudes e falsificações. 
1986 
Início da parceria com a PLUS ATM aumentando ainda mais sua rede de caixas automáticos. A empresa foi totalmente adquirida pela VISA em 1993. 
1989 
Com a aquisição da empresa Interlink, a VISA passou a ser capaz de disponibilizar a assinatura eletrônica. 
1995 
Em parceria com a Europay e a Mastercard desenvolveu o sistema de Chip nos cartões de crédito. O novo produto, batizado de VISA SMART, apresentou ao consumidor uma nova geração de pagamentos eletrônicos com o objetivo de reduzir a clonagem de cartões e elevar a proposta de valor dos pagamentos com plástico mediante a inclusão de aplicativos múltiplos em um mesmo cartão. 
1996 
Lançamento do cartão de débito VISA CASH durante os Jogos Olímpicos de Atlanta, nos Estados Unidos. Este cartão com chip, que funciona como um porta-moeda eletrônico é utilizado em muitos países do mundo. 
1997 
Atinge a impressionante marca de US$ 1 trilhão em transações. 
1999 
Lançamento dos cartões inteligentes com função de crédito e débito. 
2000 
Lançamento do VISA BUXX, um cartão pré-pago e recarregável destinado para adolescentes com idade a partir de 13 anos. Os responsáveis pela conta do cartão controlam quanto o jovem pode gastar por meio do valor pré-carregado em seu cartão. Aprendendo na prática como administrar o dinheiro que recebe, o jovem é estimulado desde cedo a desenvolver responsabilidade sobre suas finanças pessoais. 
Introdução do ZERO LIABILITY, garantindo assim que os proprietários de cartões não teriam que pagar por despesas em operações fraudulentas. 
2001 
Lançamento do VERIFIED by VISA, um serviço para aumentar a segurança das compras via internet, tanto para os compradores quanto para os lojistas virtuais, agregando segurança devido à verificação de mais dados além da senha. Esta verificação é realizada através do banco emissor a partir da solicitação e validação de informações e que devem ser de conhecimento apenas do titular do cartão. 
Lançamento do VISA GIFT CARD, um cartão pré-pago utilizado para presentear pessoas queridas. Uma alternativa prática e moderna, uma solução diferente e original. 
2002 
Lançamento do VISA TravelMoney, um cartão pré-pago, recarregável, protegido por senha, que pode ser utilizado em qualquer um dos mais de 2 milhões de caixas automáticos da rede Visa/Plus espalhados pelo mundo. O cartão pode ser carregado na moeda que os bancos emissores oferecerem e efetuar compras nos mais de 30 milhões de estabelecimentos comerciais da rede VISA. Além disso, é possível sacar o dinheiro na moeda local, facilitando o pagamento de pequenas despesas no país que o turista se encontra. 
2003 
Lançamento no Brasil do VISA VALE, um cartão de refeição e alimentação que oferece aos trabalhadores um serviço de benefícios muito mais prático e seguro. 
2004 
O volume de transações com cartão de débito supera as de crédito. 
2005 
Lançamento no mercado americano do primeiro cartão VISA CONTACTLESS. Para utilizar este cartão basta o usuário colocá-lo à leitora na hora do pagamento, ao invés de passar ou inserir o cartão. Os pagamentos sem contato possuem uma avançada tecnologia de rádio frequência, que agiliza as transações dos portadores de cartão. 
2007 
Lançamento em setembro do VISA payWAVE, uma iniciativa global que oferece um conjunto abrangente de ferramentas de tecnologia e aplicativos destinado a permitir o desenvolvimento de produtos e a comercialização de serviços de pagamentos por comunicações móveis. O sistema havia sido lançado como teste na Malásia em 2004. Mais recentemente este sistema foi atualizado, permitindo pagamentos sem que seja necessária a leitura da tarja magnética, sem fios e sem marcação do código PIN. 
Lançamento no Brasil do VISA PASSFIRTS, um serviço inédito no mundo que permite a utilização dos cartões VISA não apenas como meio de pagamento de ingressos, mas também como instrumento de entrada em estádios, cinemas, eventos e shows. Desde que foi lançado no mercado brasileiro, já foram comercializados mais de 1.5 milhões de ingressos. Destes, mais de 950 mil em estádios de futebol e outros 600 mil em entretenimento. 
2010 
Atinge a marca de 100 milhões de cartões com chip na América Latina e Caribe. 
2012 
Lançamento do V.me by Visa, um serviço que permite aos consumidores concretizarem transações online através de um computador, notebook, tablet ou smartphone. Uma das vantagens desse serviço é que ele serve como intermediário entre o usuário e o comerciante. Assim, o cliente não precisa inserir números do cartão em portais em que, talvez, não confie. Além disso, há a praticidade já que o processo pode ser finalizado com poucos cliques. Essa plataforma digital tem a difícil missão de concorrer com o PayPal.


A segurança 
Todos os cartões da VISA seguem normas rígidas de segurança como podemos observar na imagem abaixo.


1. Chip (opcional) para aumentar a segurança dos cartões e transações efetuadas. 
2. Número do cartão contendo 16 algarismos agrupados em quatro unidades e começando com o número 4, impresso em alto relevo no cartão. 
3. Pomba (Dove) impressa no cartão que só aparece diante da luz ultravioleta. 
4. Holograma tridimensional da Pomba (Dove) como mais um elemento de segurança do cartão. 
5. Logotipo da Visa. 
6. A letra V como elemento de segurança. 
7. A data de expiração do cartão. 
8. O nome do proprietário do cartão escrito em alto relevo. 
9. Primeiros quatro dígitos do número do cartão impressos. 
10. Um número de segurança, chamado de CVV2, composto por 3 algarismos. 
11. Local de assinatura do proprietário do cartão.


A relação da marca com os esportes 
Além das tradicionais campanhas publicitárias a VISA mantém uma forte relação com os esportes através de patrocínios de grandes eventos ou competições, gerando uma enorme exposição de sua marca. Essa relação começou em 1988 quando a VISA se tornou patrocinadora oficial dos Jogos Olímpicos de Seul na Coréia do Sul. Desde então, a marca está presente tantos nos Jogos Olímpicos de Verão quanto nos de Inverno, com contrato até as Olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016. Outro evento esportivo patrocinado pela marca é a liga profissional de futebol americano, conhecida como NFL, com a qual a VISA mantém relacionamento desde 1995. A partir de 2007 a VISA passou a ser parceira oficial da FIFA em 2007, estreando no Mundial de Futebol de Salão no ano seguinte, realizado no Brasil. A primeira ativação global desta parceria ocorreu na Copa do Mundo da FIFA na África do Sul em 2010, desbancando a Mastercard, antiga parceira da entidade nessas competições. Com isso a VISA se tornou um dos seis parceiros globais da FIFA com direito mundial exclusivo de categoria até 2022. Isto significa que os cartões de crédito, débito e pré-pagos da VISA são os únicos meios de pagamento, além do dinheiro, aceitos nos estádios da FIFA e nos quiosques de brindes e presentes dos estádios. Também é patrocinadora oficial da Copa Libertadores da América e Copa Sulamericana.


Uma campanha marcante 
No início de 2009 a VISA apresentou sua primeira campanha publicitária global, intitulada “Mais pessoas Vão com Visa” (“More people GO with Visa”), refletindo sua evolução para uma comunicação unificada em todos os mercados onde atua. A nova campanha permitiu que a marca alinhasse seu marketing mundial em torno de um só tema, que destacava a superioridade do valor oferecido pelos produtos da VISA em comparação ao cheque e ao dinheiro — incluindo mais segurança, mais controle e mais conveniência. A campanha foi centrada na principal estratégia de crescimento da VISA — migrar os pagamentos realizados por consumidores e empresas em dinheiro e cheque para um método de pagamento eletrônico melhor, ou seja, com cartões VISA.


Ao focar no estímulo ao uso dos produtos da VISA ao invés de dinheiro ou cheque, a campanha ajudou a promover o crescimento dos negócios de pagamentos das instituições financeiras clientes da marca. Ao mesmo tempo, ofereceu a eles a oportunidade de concentrar seus esforços de marketing na diferenciação de seus produtos VISA aos da concorrência e no fortalecimento de seus relacionamentos com os clientes finais. A campanha também apoiava estabelecimentos comerciais parceiros da VISA ao promover a conveniência de usar pagamentos eletrônicos em categorias de comércios-chave.


A campanha era ao mesmo tempo otimista e calcada na realidade de que as pessoas querem viver o momento, mas dentro de suas possibilidades. Reconhecia que, mesmo em tempos de incerteza, as pessoas desejavam seguir adiante, e destacava que a VISA oferecia inúmeros produtos de pagamento e ferramentas de educação e gestão financeira esclarecedoras para ajudá-las nesse sentido.


A evolução visual 
O primeiro logotipo da VISA com suas tradicionais cores azul e dourada, escolhidas para representar o céu azulado e as montanhas da Califórnia, surgiu em 1976. A identidade visual foi modernizada em 1994, quando as cores amarela e azul ganharam tons mais vibrantes. Alguns anos mais tarde, em 2002, o logotipo foi simplificado, adotando um traço amarelo abaixo do nome da marca.


Em 2005 o tradicional logotipo passou por uma enorme reformulação visual ganhando ares modernos. Apesar de manter a mesma tipografia de letra, o logotipo ganhou uma dobra amarela na ponta do “V”. No início de 2014 a VISA apresentou sua nova identidade visual como parte de seu novo posicionamento. A dobra amarela na ponta do “V”, um dos maiores símbolos de reconhecimento da marca, foi aposentada e o nome ganhou um gradiente de azul.


O logotipo da VISA ELECTRON no decorrer dos anos também foi modernizado, ganhando um visual mais limpo. A última atualização aconteceu em 2006. Porém, em 2014, com a nova identidade visual da marca mãe, o VISA ELECTRON também ganhou o nome VISA em tom gradiente de azul.


O design dos cartões de crédito também foi reformulado ao longo dos tempos como podemos ver na imagem abaixo.


Os slogans 
Everywhere you want to be. (2013) 
More people GO with Visa. (2009) 
The future takes Visa. (2006) 
Life takes visa. (2006) 
Visa. Love every day. (2006, Europa) 
All You Need. (2006, Oriente Médio) 
All It Takes. (2005, Ásia) 
It’s everywhere you want to be. (1986) 
Wherever it takes you, the future takes Visa. 
Could be cheap. Could be expensive. Visa. All you need. 
Life takes __blank__. Life takes VISA. 
Enjoy life’s opportunities. 
Best way to pay and be paid. 
Mais pessoas ao redor do mundo vão com Visa. (2009, Brasil) 
Porque a Vida é Agora. (2004, Brasil) 
Em todos os momentos. (antigo, Brasil) 
O seu cartão definitivo. (antigo, Brasil) 
Funciona como cheque, só que melhor. (antigo, Visa Electron)


Dados corporativos 
● Origem: Estados Unidos 
● Lançamento: 1958 
● Criador: Bank of America 
● Sede mundial: Foster City, Califórnia 
● Proprietário da marca: Visa, Inc. 
● Capital aberto: Sim (2008) 
● CEO: Charles Scharf 
● Presidente: Ryan McInerney 
● Faturamento: US$ 11.7 bilhões (2013) 
● Lucro: US$ 4.96 bilhões (2013) 
● Valor de mercado: US$ 140.8 bilhões (janeiro/2014) 
● Valor da marca: US$ 5.465 bilhões (2013) 
● Cartões em circulação: 2.2 bilhões 
● Presença global: + 200 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 9.500 
● Segmento: Financeiro 
● Principais produtos: Cartões de crédito e débito e meios eletrônicos de pagamentos 
● Concorrentes diretos: Mastercard, American Express, Diners Club, Discover e PayPal 
● Ícones: O logotipo 
● Slogan: Everywhere you want to be. 
● Website: www.visa.com.br 

O valor 
Segundo a consultoria britânica Interbrand, somente a marca VISA está avaliada em US$ 5.465 bilhões, ocupando a posição de número 74 no ranking das marcas mais valiosas do mundo. A empresa também ocupa a posição de número 260 no ranking da revista FORTUNE 500 de 2013 (empresas de maior faturamento no mercado americano). 

A marca no Brasil 
No Brasil a marca está presente desde 1971 operando inicialmente com o banco Bradesco. Em 1986 passou a operar juntamente com a Credicard e finalmente poucos anos depois passou a operar por conta própria. Em 1995 a Visa Internacional, o Bradesco, o Banco do Brasil, o Banco Real (hoje Santander) e o extinto Banco Nacional uniram suas forças para desenhar o que viria a ser a VisaNet Brasil. O objetivo do novo empreendimento era administrar as relações com toda a rede de estabelecimentos comerciais afiliados ao sistema VISA. Um ano depois, o desafio era vencido e a empresa já operava com mais de 100 mil comerciantes herdados dos bancos. Em 2009 a VisaNet Brasil passou a se chamar Cielo.


A VISA oferece um completo portfólio de produtos, tanto para pessoas físicas como para empresas, e sempre se destacou pelo seu pioneirismo no segmento. Um exemplo disso é o VISA MINI, um produto inovador, lançado com exclusividade e de forma pioneira no Brasil, pois se trata de um cartão VISA que mede apenas 43% do tamanho de um cartão padrão. Garante ainda mais praticidade às compras do dia-a-dia: por ser menor que o cartão VISA convencional é possível usá-lo, por exemplo, preso ao chaveiro ou a uma pulseira. Um dos produtos mais importantes da empresa no Brasil foi o pré-pago VISA VALE (lançado em 2003 e que atualmente se chama ALELO), principalmente nas versões Refeição, Alimentação, Combustível, Pedágio e Cultura. Sempre inovadora, as recentes novidades da marca no país são o VISA INFINITE EXPERIENCE, um programa que oferece eventos exclusivos com chefs reconhecidos e marcas líderes em seus mercados; e um projeto piloto de pagamentos móveis introduzido em 2008 cuja tecnologia, chamada VISA payWAVE, permite que o pagamento por meio do NFC do smartphone aconteça com o mesmo nível de segurança de um pagamento onde o cartão com chip é inserido no terminal eletrônico. Atualmente, já há mais de um milhão de terminais habilitados para receber pagamentos por celulares com a tecnologia NFC.


A marca no mundo 
Atualmente, a VISA, que opera a maior rede de pagamentos eletrônicos do mundo, oferecendo serviços de processamento e plataformas de produtos de pagamento, possui mais de 14.600 instituições financeiras afiliadas, tendo no mercado mais de 2.2 bilhões de cartões (crédito, débito e pré-pago) sob sua bandeira circulando em 200 países ao redor do mundo. Com cartões aceitos em mais de 30 milhões de estabelecimentos comerciais e 2 milhões de caixas automáticos, a VISA realizou em 2013 mais de 87.5 bilhões de transações no valor superior a US$ 6.9 trilhões. A marca VISA, que possui participação de mais de 60% nas transações com cartão de débito no mercado americano, investiu em 2013 mais de US$ 1 bilhão em marketing e publicidade internacional. 

Você sabia? 
O JPMorgan Chase é o maior banco emissor de cartões VISA do mundo. 
A VISA realiza 87.5 bilhões de autorizações de pagamentos por ano, com capacidade para realizar mais de 47.000 por segundo. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Isto é Dinheiro), jornais (Valor Econômico), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 26/1/2014

Um comentário:

Anônimo disse...

Qual a fonte dessas informações?