6.6.06

HOT WHEELS


Vender dois veículos por segundo. Ter a seus pés uma legião superior a 25 milhões de colecionadores ávidos para comprar todo e qualquer lançamento que chegue às lojas. Cobrir todas as categorias do setor, fabricando modelos clássicos, esportivos, utilitários, ônibus, caminhões e motocicletas. É ou não é o sonho de qualquer montadora? É. Mas quem chegou lá foi a HOT WHEELS com seus carrinhos de ferro. Eles foram e continuam sendo o sonho de muitos pelo mundo afora. Mais de 60 milhões de adultos brincaram com sua linha de carrinhos durante quase cinco décadas. Gerações e gerações cresceram aprendendo a gostar de carros, que apesar do tamanho diminuto, pareciam reais nas brincadeiras cotidianas que refletiam o estilo de vida dos meninos. A marca HOT WHEELS está intimamente ligada à paixão por carros e rodas de muitos marmanjos nos dias de hoje. 

A história 
Os carrinhos da marca HOT WHEELS foram lançados no mercado americano exatamente no dia 7 de setembro de 1968 pela empresa Mattel, como uma forma de preencher o excesso de capacidade de produção resultante do declínio das vendas de réplicas de revólveres de caubói e competir com os modelos em escala 1:64 da Johnny Lightning e da inglesa Matchbox, até então líder do setor. Na época, a empresa americana já era conhecida pelas bonecas Barbie, mas não tinha uma marca forte voltada para meninos. O nome HOT WHEELS foi escolhido porque na época era uma expressão utilizada para referir-se a automóveis poderosos que causavam admiração nas ruas americanas. Duas características marcaram o lançamento da HOT WHEELS e fizeram com que os carrinhos desta época se tornassem inconfundíveis: a pintura Spectraflame (apresentava um visual metálico, chamativo e com uma película que, sob luz forte, exibia um brilho impressionante) e os pneus Redline (com um contorno vermelho no centro). Além disso, tinham dianteira rebaixada e eixo traseiro elevado. Os carrinhos tinham 8 cm, sendo 64 vezes menores que seus equivalentes reais – daí a escala 1:64.


Inicialmente foram colocados a venda 16 modelos diferentes (hoje em dia são conhecidos como “Sweet Sixteen”), onde dos quais onze criados pelo design Harry Bentley Bradley, um dos desenhistas de renome da General Motors: Beatnik Bandit, Custom Barracuda, Custom Camaro, Custom Corvette, Custom Cougar, Custom Eldorado, Custom Firebird, Custom Fleetside, Custom Mustang, Custom T-Bird, Custom Volkswagen, Deora, Ford J-Car, Hot Heap, Python e Silhouette. Outra característica dos modelos era sua forte fricção que fazia os pequenos bólidos alcançarem velocidades bem superiores aos concorrentes. Além disso, a marca tinha como diferencial o design lúdico (não reproduzia um carro real) e a proximidade com as pistas – os esportes a motor atraíam cada vez mais interessados. Foi um tremendo sucesso entre a garotada, vendendo aproximadamente 16 milhões de unidades em apenas um ano. Hoje a coleção “Sweet Sixteen” (imagem abaixo) vale uma pequena fortuna, custando mais de US$ 1.000 cada um.


No ano seguinte, com vendas muito acima do esperado, a Mattel lançou 24 novos modelos, incluindo o VW Beach Bomb (um dos modelos mais raros e valiosos da marca) e a primeira réplica de um carro real, o Chevrolet Corvette. Também, como forma de incrementar o universo de seus pequenos carros, a empresa lançou no mercado a famosa pista de cor laranja chamada “Orange Track”. Com elas, os carrinhos poderiam correr ou disputar uma corrida em um ambiente adequado. As vendas literalmente estouraram. Hoje em dia, as pistas de corridas variam de autódromos comuns ou com looping às pistas acrobáticas que podem ser interligadas, passando por circuitos com monstros do pântano ou tubarões, e até lava rápido. Além de Harry Bradley, dois novos designers passaram a integrar o time de criação: Paul Tam e Larry Wood, este último se tornou o mais famoso designer da HOT WHEELS em sua história. No ano de 1970 foram produzidos os primeiros carros promocionais para a rede de alimentação rápida Jack in the Box. Desde essa época, o pioneirismo da marca já estava evidente quando introduziu no mercado a linha Sizzler, carrinhos com motores elétricos com uma bateria recarregável, que impulsionava os pequenos automóveis a uma alta velocidade. Em 1972, a produção dos carrinhos, feita antes somente nos Estados Unidos, passou a ser desenvolvida em uma fábrica localizada em Hong Kong. Em 1973, para cortar custos devido à alta inflação da época, alguns modelos foram retirados do mercado, fazendo com que, hoje em dia, custem uma boa quantia em dinheiro para os ávidos colecionadores da marca.


Logo depois, em 1975, a marca começou a diversificar sua linha de produtos com o lançamento de sua primeira réplica de motocicleta (o próximo lançamento de motocicleta só viria a ocorrer em 1997 devido ao pouco entusiasmo dos consumidores). No início dos anos de 1980, a Mattel havia percebido que os carrinhos estavam se tornando valiosos para os colecionadores. Reconhecendo o potencial desse público, lançou o seu primeiro catálogo para colecionadores, disponível apenas em um pacote especial com três carros. Outro acordo de grande destaque foi fechado em 1982, quando a marca assinou com a rede McDonald’s para distribuir seus carrinhos nos famosos lanches para crianças (conhecidos no Brasil como McLanche Feliz). No ano seguinte os carrinhos começaram a ser produzidos também no México e na França para atender a demanda mundial. Era uma clara indicação de que a HOT WHEELS estava se tornando uma marca global e seus carrinhos desejados por meninos de vários outros países ao redor do mundo. Em 1985 a Kellogg’s colocou carrinhos HOT WHEELS dentro das embalagens de alguns de seus cereais como itens promocionais. Este tipo de ação gerou ainda mais popularidade para a marca. Nesta época, até nos postos Shell era possível adquirir os carrinhos.


Para comemorar os 20 anos de lançamento da marca HOT WHEELS, em 1988, a Mattel fabricou edições limitadas de carrinhos em ouro e prata cromados. Os modelos fizeram sucesso instantaneamente, especialmente entre os colecionadores. O sucesso da HOT WHEELS foi comprovado em 1991 quando atingiu a marca de 1 bilhão de carrinhos produzidos. Neste mesmo ano o McDonald’s ofereceu novamente carrinhos como itens promocionais dentro do McLanche Feliz. No ano seguinte teve início o lançamento de edições limitadas, cuja produção era bem menor, aproximadamente 12.000 unidades por cor; para incentivar e instigar ainda mais os desejos dos ávidos colecionadores. Os rumos da marca começaram a mudar em 1996, quando alguns de seus carros passaram a conter a inscrição “Made in China”. Era o começo de uma grande mudança na produção geográfica dos produtos da HOT WHEELS, que possuía parques industriais nos Estados Unidos, Malásia, França, México e Hong Kong. Ainda este ano, para impulsionar ainda mais as vendas, a marca patrocinou o popular piloto Kyle Petty em uma série de corridas da NASCAR, categoria mais popular do automobilismo americano. O patrocínio levou a criação de uma nova linha de carrinhos inspirados na NASCAR e outros produtos licenciados da marca.


No ano de 1998, em comemoração aos 30 anos da marca, foram lançados 40 novos modelos de carros. Na década seguinte a HOT WHEELS continuou lançando no mercado produtos inovadores e modernos, fazendo com que a paixão, tanto de crianças como de marmanjos, por seus carrinhos só aumentasse. Em 2011, além de pilotar sua Ferrari nas pistas de Fórmula 1, Felipe Massa passou a ter seu próprio carrinho de brinquedo, resultado de uma parceria entre o piloto brasileiro e a HOT WHEELS. O projeto batizado de “Eagle Massa” era resultado de várias referências usadas no desenvolvimento dos carrinhos, desenhados pelo designer Alton Takeyasu e que fazia parte da linha “Design By”, que já convidou pilotos como Danica Patrick (da Indy) e Jorge Lorenzo (da MotoGP) para criarem seus próprios automóveis e motocicletas. A marca também lançou uma linha de carros de controle remoto, ampliando ainda mais seu alcance.


Atualmente a marca que mais cresce dentro da Mattel está licenciada em artigos escolares e de papelaria; publicações; confecção (roupas); acessórios; artigos para casa; artigos para festa, itens esportivos; eletrônicos; alimentos; brinquedos; saúde e beleza; se tornando uma verdadeira mina de ouro. A força da marca é tamanha que já foram lançados até filmes e jogos de videogame, entre os quais HOT WHEELS WORLD’S BEST DRIVER, cujo objetivo é tornar o jogador o melhor piloto do mundo através de manobras arriscadas, curvas de tirar o fôlego e pistas que, no geral, irão desafiar suas habilidades. Hoje em dia, a marca é símbolo de nostalgia para os mais velhos e objeto desejado por crianças.


A linha do tempo 
1970 
Lançamento da série de carros em escala 1:43 chamada GRAN TOROS
Lançamento da série SNAKE & MONGOOSE, composta por carros dragsters, famosos em competições de velocidade nos Estados Unidos. 
Lançamento da coleção SPOILERS, carros com motores visíveis e descolados spoilers traseiros. 
1972 
A pintura Spectraflame dá lugar a onze cores opacas, denominadas Esmaltes. A pintura esmaltada utilizava duas camadas de laca; uma para a base, e outra colorida por cima. Essa mudança foi realizada não apenas para trazer inovação à linha como também corrigir os desgastes e imperfeições causados pelo passar do tempo pela pintura originais dos carros. 
1973 
Lançamento de apenas três novos modelos de automóveis, entre os quais DOUBLE HEADER, que possuía dois motores, um de cada lado do carro. 
1974 
Pela primeira vez os pequenos carros tiveram sua arte gráfica impressa e não por meio de adesivos. 
1975 
Lançamento do primeiro modelo de motocicleta da marca. 
1976 
Lançamento da série SUPER CHROMES, composta por 18 carrinhos “chrome-plated”. 
1977 
Último ano dos pneus Redline, que foram descontinuados por estarem ultrapassados. 
1978 
Introdução dos pneus Blackwall (totalmente pretos) e dos grupos temáticos de carrinhos, cada um com uma embalagem diferente. 
1980 
Lançamento da série HI RAKERS, composta por carros com suspensão elevada. 
Lançamento da série WORKHORSES, especializada em veículos da construção civil. 
1981 
Lançamento do HOT ONES, um novo modelo de pneu disponível apenas em alguns carrinhos, que possuíam o eixo em cromo dourado. 
1984 
Lançamento da versão ULTRA, considerado o carro mais rápido já produzido pela marca. 
Lançamento do ULTRA HOT, um novo modelo de pneu que possuía brilho, era plano e com design futurista nunca visto antes. 
Lançamento das primeiras garagens acompanhadas por carrinhos de plástico. 
1986 
Lançamento da linha SPEED DEMONS, composta por seis novos modelos de carros inspirados em animais, como por exemplo, escorpião e lagarto. 
1987 
Lançamento do primeiro catálogo que incluía preços, direcionados para colecionadores. 
1988 
Para celebrar os 20 anos da marca foram lançados 12 novos modelos que continham a frase “20th Hot Wheels Anniversary” gravada no carrinho. Além disso, foram introduzidos carrinhos em ouro e prata cromados, que rapidamente se tornaram um enorme sucesso entre os colecionadores. 
1989 
Lançamento da série PARK N’ PLATES, que vinha com uma caixa display para o carrinho com seu nome gravado. 
1990 
Lançamento dos primeiros aviões da marca. 
Lançamento do carrinho PURPLE PASSION, que se tornou uma verdadeira febre ente meninos ao redor do mundo. Inspirado em um Mercury cupê dos anos de 1950 e desenhado por Larry Wood, possuía característica tunada, com o chassi baixo, quase encostado ao chão. 
1995 
Lançamento da linha TREASURE HUNT (Caça ao Tesouro), com produção limitada a apenas 10 mil unidades. Essa linha era composta por 12 carrinhos por ano, cada um com uma pintura especial, maior quantidade de detalhes e tratamento de luxo nas rodas. Hoje em dia os modelos da linha são peças raras que valem muito dinheiro. 
Lançamento de seis novos estilos de rodas. Todas essas novas rodas tinham um design côncavo realístico, onde o centro era mais recuado. 
Lançamento da linha FIRST EDITIONS, composta por modelos totalmente novos, embalagem diferenciada e numerados. A partir deste momento, a cada ano, seria gerada uma expectativa pela chegada dos modelos, pois os consumidores tinham acesso aos carrinhos antes de chegarem às lojas. 
1997 
Lançamento das primeiras réplicas de carros da NASCAR, categoria de automobilismo mais popular dos Estados Unidos. 
2001 
● Lançamento do site HOT WHEELS COLLECTORS, onde os colecionadores podem adquirir edições limitadas e produtos exclusivos da marca. 
2004 
Lançamento do modelo à pilha que podia ser abastecido por combustíveis caseiros. O carrinho andava com xampu, refrigerante e até mesmo água. A grande brincadeira era descobrir qual deles fazia o carro andar mais rápido. 
Lançamento da VOLKSWAGEN DRAG TRUCK, desenhada pelo designer Phil Riehlman, e que se tornou uma das miniaturas mais desejadas por todos os colecionadores da marca. 
2007 
Lançamento em comemoração aos 40 anos da marca de um conjunto composto por 40 modelos representativos da HOT WHEELS durante estas quatro décadas. Foi escolhido para cada ano, um modelo que marcou época. A escolha dos 40 modelos foi feita pelos colecionadores através do site www.hotwheelscollectors.com durante o ano. Os modelos não eram vendidos avulsos, apenas como parte do conjunto, ao preço de US$ 90, e chegaram ao mercado a partir de outubro. Dentre os 40 modelos escolhidos estão clássicos da marca como: Custom Camaro (1968), Plymouth King Cuda (1970), School’ Bus (1971), Corvette Sting Ray (1976), GMC Motorhome (1977), 1965 Mustang Convertible (1984), Volkswagen Beetle (1989), Dodge Ram 1500 (1995), Volkswagen Drag Bus (1996), 69 Dodge Charger (2002), 70 Plymouyth Superbird (2006) e 66 Chevy Nova (2007). 
2008 
Lançamento da linha RUMBLERS, composta por carrinhos que além da tradicional fricção eram equipados com dispositivos de luzes e sons. 
2010 
Lançamento do VOLKSWAGEN SP2, a primeira miniatura de um carro genuinamente brasileiro. Em 2011, foi a vez de outro veículo projetado no Brasil ser cobiçado pelos colecionadores da marca: a VW Brasilia. 
2011 
Lançamento da séria TEAM HOT WHEELS, composta por veículos com rodas coloridas em plástico que possuem desenho inédito de três raios duplos.



Uma verdadeira mina de ouro 
Colecionar HOT WHEELS é um hobby divertido e muito lucrativo para Mattel. O sucesso é resultado da paixão de infância pelos carrinhos que vira hobby com a maturidade. Basta uma busca rápida na internet para encontrar centenas de sites exclusivos para colecionadores da marca, com ranking das coleções, página pessoal para cada membro do clube e espaço para foto do carrinho preferido. Os colecionadores de HOT WHEELS, estimados em mais de 25 milhões e compostos em sua maioria por marmanjos barbados, são um dos públicos mais importantes para a marca, não somente pelos milhões gastos anualmente para aquisições de carrinhos, como também por serem os maiores divulgadores da marca HOT WHEELS. A atenção a esse público começou em 1987, quando foi realizada a primeira convenção de fãs. A partir daí, a marca começou a explorar um novo público: os colecionadores. Durante os anos de 1990, para comemorar os 25 anos da marca, foi lançada uma linha premium com vendas exclusivas pela Toys R Us, uma rede de lojas de brinquedos tradicional nos Estados Unidos. A estratégia era genial: venderia carrinhos especiais para os pais colecionadores e eles também comprariam os carrinhos básicos para os filhos. A ideia de vender produtos exclusivos em determinadas redes funciona até hoje. Por exemplo, há séries especiais só encontradas no Walmart.


Para os colecionadores os carrinhos são catalogados da seguinte forma: Hot Wheels Clássicos (pré-1980), Hot Wheels Modernos (1980-1989) e Hot Wheels Contemporâneos (1990-hoje). Alguns colecionadores possuem mais de 10.000 itens em suas coleções, chegando a pagar mais de US$ 100 por produtos originais do final dos anos de 1960 ou mais de US$ 300 por alguns modelos extremamente raros. Até hoje, o recorde pago em um leilão é ostentado por uma Kombi (com um par de pranchas de surfe na capota), que foi arrematada por impressionantes US$ 72.000. A coleção de HOT WHEELS mais valiosa está avaliada em US$ 1.8 milhões e pertence a Bruce Pascal, um morador da costa leste americana, que possui aproximadamente 3.500 modelos, incluindo 175 protótipos que jamais foram lançados ao público. A média de carros por colecionador no mundo é de 1.550 unidades. A importância deste grupo de consumidores é tamanha que a marca criou o Red Line Club, um clube de colecionadores que dá direito a edições limitadas e versões ainda a serem lançadas no mercado.


Phil Riehlman é um dos mais famosos designers dos carrinhos HOT WHEELS. Ele assina algumas das mais cultuadas miniaturas de quatro rodas já comercializadas pela marca, entre as quais o Ford Truck 1956, o Corvette 1969, o Dodge Hemi Challenger 1970 e Drag Bus (imagem abaixo), introduzida na linha de produtos em 1996. O modelo Chevrolet Corvette R é o mais vendido pela HOT WHEELS nos dias de hoje.


Uma equipe radical 
Com um novo conceito global, durante alguns anos a marca trouxe experiências arrebatadoras com seus veículos para o deleite dos fãs, totalmente integradas ao conceito “Hot Wheels for Real”, ou seja, trazendo a brincadeira de carrinhos para a escala real. Para isso foi formado o TEAM HOT WHEELS, uma equipe de habilidosos e experientes pilotos que faziam incríveis manobras e apresentações em veículos da marca, só que em tamanho real. Esses pilotos raramente revelavam sua identidade, criando assim um clima ainda mais prazeroso ao entusiasmados fãs da marca.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por inúmeras remodelações ao longo dos anos. O original, e agora famoso logotipo da marca HOT WHEELS, foi desenhado pelo artista californiano Rick Irons, funcionário da empresa na época. Inicialmente vermelho e com a inscrição “fastest metal cars in the world”, no ano seguinte ganhou um tom de vermelho mais escuro, além da retirada da inscrição. Em 1973 o logotipo passou a ser laranja e, em 1990, voltou à cor vermelha com um novo design que incluía o nome da marca escrito nas cores amarela e branca. Este logotipo foi batizado de “red and yellow flame”.


Em 2000 uma mudança radical: o logotipo foi alongado e adotou um design totalmente novo e mais moderno. Além disso, o logotipo da Mattel foi retirado da identidade visual da marca. Pouco depois, em 2004, a identidade visual passou por mais uma remodelação, que apresentou um novo formato, mais afinado. A última atualização ocorreu em 2010, quando o logotipo voltou ao formato muito semelhante ao original. Em 2014, esse logotipo ganhou a versão chapada, em vermelho com o nome em amarelo.


Os slogans 
Make It Epic! (2016) 
Beat That! (2009) 
Think fast. (2008) 
Lead the way. Flying Colors. (1974) 
Go With the Winner. (1970) 
Fastest metal cars in the world. (1968)


Dados corporativos 
● Origem: Estados Unidos 
● Lançamento: 7 de setembro de 1968 
● Criador: Mattel 
● Sede mundial: El Segundo, Califórnia, Estados Unidos 
● Proprietário da marca: Mattel Inc. 
● Capital aberto: Não 
● CEO: Margaret Georgiadis 
● Faturamento: US$ 1.2 bilhões (estimado) 
● Lucro: Não divulgado 
● Presença global: 110 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Maiores mercados: Estados Unidos, México e Brasil 
● Segmento: Brinquedos 
● Principais produtos: Miniaturas de automóveis 
● Concorrentes diretos: Maisto, Johnny Lightning, Burago, Matchbox, Schuco, Corgi e Brooklin Models 
● Ícones: O tradicional logotipo da marca 
● Slogan: Make It Epic! 

A marca no mundo 
A marca tornou-se um verdadeiro ícone americano, vendendo 2 carrinhos a cada segundo em todo mundo, sendo comercializada em mais de 110 países (o Brasil é o terceiro maior mercado para a marca, com os produtos presentes em mais de 30.000 pontos de venda). Hoje em dia, as miniaturas da marca (nas escalas 1:64, 1:43, 1:18 e 1:50) são fabricadas na Malásia, China e Tailândia. Calcula-se que aproximadamente 25 milhões de pessoas, incluindo meninos de idades entre 5 e 15 anos, colecionem HOT WHEELS em todo o planeta. Desde seu lançamento já foram desenvolvidos mais de 15.500 modelos (com mais de 5.000 variedades diferentes) e até hoje vendidos mais de 5 bilhões de unidades, cifra superior a produção real em toda história das três maiores montadoras de Detroit (GM, Ford e Chrysler). A marca lança pelo menos 250 novos modelos por ano, cada um custando US$ 1 nos Estados Unidos. É o mesmo preço desde 1968, quando a marca nasceu. E naquele país a garantia é vitalícia. 

Você sabia? 
A marca possui contratos com os principais fabricantes de automóveis do mundo. Durante 15 anos, até 2014, a marca tinha contrato de exclusividade com a mítica Ferrari para a produção de miniaturas, mas perdeu a exclusividade para a rival coreana Maisto. 
Os primeiros carrinhos da marca eram feitos a partir de moldes de madeira, confeccionados à mão por artesãos. Hoje, os desenhos são virtuais e os protótipos são feitos em poucas horas por uma impressora 3D. 
Em comemoração aos 40 anos de existência da marca, em 2008, foi produzido um carrinho cravejado de diamantes, cujo valor é estimado em US$ 140 mil. O “brinquedo” foi criado pelo designer Larry Wood e trabalhado pelo joalheiro Jason Arasheber. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, BusinessWeek, Isto é Dinheiro, Quatro Rodas e Exame), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 5/7/2017

9 comentários:

katia_cristine disse...

Adoro os carrinhos mas pecaram ao deixarem de fazer o Maverick, existem muitos colecionadores que como eu gostaria de ter um.

luigi disse...

Estão de parabens , não entendo de carros , mas sou fissurado por eles, poderiam me dizer onde encontro aquele suporte de plastioos para os carrinhos ,e cabe aproximadamente 65, abraços e parabens. meu e-mail luigi_antunes2008@hotmail.com

Jrquibao disse...

Luigi eu tenho em casa 4 estantes dessas de 100 carrinhos, mas eles fazem varios modelos, até uma que ainda não enchi hehehehehe pros carrinhos do filme Cars.
www.mainbox.com.br
Compre pintado, pois pintar dá um trampo danado!

agencia humanidade disse...

Estão de parabens muito bonito

Luciano disse...

coleciono e adoro hot wheels. fiquei até triste em saber que não existe um maverick... custei tanto para achar um ford galaxie 64 e agora que consegui ia começar a garimpar o maveko.
[]s

Anônimo disse...

Coleciono Hot Wheels mais de 3 anos.Gostaria das pessoas mais experientes que postem a verdadeira historio das Drag;s Bus.

Francisco Hot Wheels disse...

Muito legal dedicar este epaço para o Hot Wheels. Sou fã desde pequeno, montei um catálogo online para poder comercializar minhas repetidas. http://www.carrinhosdeferro.com.br o surpreendente foi saber quem em 30 dias com o site no ar tive 2000 visitas de mais de 200 cidades do Brasil todo. Impressionante a força do Hot Wheels.

jose venancio medeiros disse...

sou um pequeno colecionador tenho 6500 unidades mais vou continuar colecionando, o momento mais legal para mim e ficar curtindo minhas minis, os pequenos detalhes de pintura que uma arte, pneus, estofamentos, entre outros detalhes que me faz viajar no tempo.
colecionar e um ato de amor

Rodolfo Rodrigues disse...

Alguém sabe me dizer qua do começou a venda de hot wheels no brasil?