10.7.06

TIME MAGAZINE

A revista americana TIME parece ter estilo único no mundo. A liberdade de expressão é defendida e seguida com afinco. Os direitos civis, não apenas de cidadãos americanos como também de outras nacionalidades, constituem uma tradição nas páginas de sua revista. O mesmo caminho segue quando o assunto são as mulheres, homossexuais e outras minorias. Tudo sem que se perca a perspectiva da importância da notícia.

A história
Henry Luce e Brit Hadden faziam parte da tradição Wasp, os americanos brancos, anglo-saxões e protestantes que compunham a elite do país. Amigos de adolescência, ambos se formaram pela mesma seletiva e exclusivista universidade de Yale, onde serviam como editor-gerente e presidente, respectivamente, da Yale Daily News, uma revista feita pelos alunos da universidade. E foi a ética deste segmento que se implantou na revista que ambos viriam a lançar. Luce, nascido na China em 1898, seguiu até sua morte, em 1967, os padrões morais do pai, um missionário evangélico. Em sua formação ideológica, foi incorporada também a visão intervencionista do presidente Theodore Roosevelt. O resultado foi uma ideologia devotada a Deus e aos Estados Unidos, com ambições doutrinárias, que ele acreditava civilizadoras, e tendências conservadoras. Já Hadden impôs o estilo leve e brincalhão à revista.


Ambos tiveram a idéia de lançar a revista TIME no ano de 1918 ao perceberem a desinformação do povo americano. Estavam decididos a criar uma revista que sumarizava as notícias da semana no menor espaço possível. Em 1922 fundaram a empresa Time Inc., e no ano seguinte publicaram a primeira edição da revista no dia 3 de março de 1923, com Joseph G. Cannon, da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos na capa, e tiragem de 3.700 exemplares. A revista, primeiro semanário de informações gerais do mundo, praticamente inventou as publicações semanais, e marcou o que se convencionou chamar de “newsmagazines” ou “newsweeklies”, a revista semanal de notícias. Nesta época o que povoava bancas e livrarias eram somente arrazoados com resumos de notícias paroquiais e de leitura indigesta. Somente com o lançamento da revista TIME o mundo se viu ocupado por uma publicação inteligente, cobrindo os eventos importantes do mundo, numa releitura analítica, mais minuciosa e atenta.


Provava-se, também, que estilo e conteúdo não apenas podem como devem conviver harmonicamente. O que pouco se comenta é que essa fórmula se valia da leitura dos mais importantes jornais americanos da época. Ou seja, a revista organizou o país e o mundo, em suas principais áreas de interesse, a partir do que era publicado nos jornais mais importantes. E apresentava o resultado dessa compactação em 28 páginas editoriais, que podiam ser lidas em meia hora. O estilo em que o texto era escrito também fazia parte da novidade: frases curtas, em forma de narrativa, com informações pesquisadas e checadas. O sucesso da revista veio rapidamente: em 1924 a circulação de TIME já alcançava os 107 mil exemplares semanais.


No final desta década, em 1927, a revista lançou o tradicional prêmio Man of the Year (Homem do Ano) tendo como destaque Charles Lindbergh. No seguinte, com a morte de Briton Hadden, Henry Luce, que foi editor chefe da revista até 1964, passou a ser o homem dominante dentro da revista, tornando-se uma das grandes personalidades da mídia no século XX. Durante as próximas décadas a revista se firmou como uma das mais importantes dentro dos Estados Unidos, transformando-se em um verdadeiro ícone da comunicação. O sucesso da revista se deveu em boa parte a fórmula mágica de dividir a semana em assuntos específicos e embalá-los numa publicação que deixava o leitor a par do que estava acontecendo nos Estados Unidos e no mundo. A TIME tornou-se parte da Time Warner em 1989 quando a Warner Communications e a Time, Inc. se fundiram. Em 1993 se tornou a primeira revista a ser publicada on-line, inaugurando seu site no ano seguinte, se transformando na revista mais acessada do mundo pela Internet, tendo mais de 21 milhões de acessos mensais.


Além da revista normal a TIME também publica a Time for Kids, que surgiu como uma divisão da revista principal produzida especialmente para crianças e pré-adolescentes, contendo algumas notícias nacionais, uma charge semanal e outras matérias em suas oito páginas semanais. A revista infantil também produz edições especiais e elege suas próprias Pessoas do Ano. No site, também promove um programa de “repórter infantil”. Parte do sucesso da revista TIME pode ser creditada à sua proposta jornalística de trazer textos claros, contextualizados e de fácil leitura.


A pessoa do ano pela TIME
A principal e mais conhecida característica da revista é sua nomeação de Pessoa do Ano, que já é realizada há mais de 80 anos, na qual a TIME reconhece o indivíduo ou grupo de indivíduos que tiveram o maior efeito nas notícias do ano. A partir de então, ser escolhido passou a ser meta de políticos, empresários, artistas, celebridades em geral. A primeira nomeação ocorreu em 1927 com o aviador Charles Lindbergh, que realizou um histórico vôo transatlântico. Apesar do título, quem o recebe não é necessariamente humano. No passado, até mesmo idéias e máquinas tiveram essa honra. Por exemplo, em 1982, o IBM PC/AT (computador pessoal) foi considerado pela revista o Homem do Ano. A escolha freqüentemente gera polêmica. Em 1938, o escolhido foi Adolf Hitler. Já em 1939 e 1942, Josef Stalin recebeu a honra. No decorrer dos anos pessoas ilustres foram indicadas, entre elas:
1930 – Mahatma Gandhi (primeiro não americano nomeado)
1932 – Franklin D. Roosevelt (ganharia o prêmio outras duas vezes, em 1934 e 1941)
1936 – Wallis Simpson (primeira mulher nomeada)
1940 – Winston Churchill (nomeado novamente em 1949)
1944 – Dwight Eisenhower (nomeado novamente em 1959)
1952 –
Elizabeth II
1958 –
Charles de Gaulle
1960 – Cientistas Americanos (um grupo de 15 cientistas)
1961 –
John F. Kennedy
1962 – Papa John XXIII (primeiro Papa nomeado)
1963 –
Martin Luther King Jr.
1968 – Os Astronautas da Apollo 8 (William Anders, Frank Borman e Jim Lovell)
1971 – Richard Nixon (nomeado novamente em 1972)
1974 –
Rei Faisal da Arábia Saudita
1976 – Jimmy Carter
1977 –
Amwar Sadat
1979 –
Ayatollah Khomeini
1980 – Ronald Reagan (nomeado novamente em 1983)
1981 –
Lech Walesa
1987 – Mikhail Gorbachev (nomeado novamente em 1989)
1991 –
Ted Turner
1992 – Bill Clinton (nomeado novamente em 1998)
1994 –
Papa João Paulo II
1999 – Jeff Bezos (criador do site amazon.com)
2000 – George W. Busch (nomeado novamente em 2004)
2001 –
Rudolph Giuliani
2003 –
Os soldados americanos
2006 – YOU (isso mesmo, você)
2007 – Vladimir Putin
2008 – Barack Obama
2010 – Mark Zuckergerg (criador do Facebook)
2011 – Manifestante (um reconhecimento às pessoas de todo o mundo, em particular do Oriente Médio e norte da África, que saíram às ruas para lutar por seus direitos)


A partir de 1999, o título foi alterado de “Homem do Ano” para “Pessoa do Ano”, para evitar a sugestão sexista, demonstrando que a edição não se limitava somente á homens, mas qualquer tipo de pessoa ou celebridade.


O ícone
A revista TIME é amplamente conhecida no mundo por sua tradicional borda vermelha (Red Border), uma espécie de moldura vermelha que adorna sua capa, introduzida pela primeira vez em 1927. A borda vermelha sofreu apenas duas modificações desde que foi introduzida. Uma delas ocorreu na edição extra publicada depois dos Atentados Terroristas de 11 de Setembro, quando a bordas ganharam a cor preta para simbolizar o luto pela tragédia. Outra modificação ocorreu na edição de 28 de abril de 2008, quando em comemoração ao Dia da Terra (Earth Day) a borda adotou a cor verde.


Campanhas que fizeram história
Em meados da década de 90 as revistas de notícias e variedades eram consideradas dinossauros destinados a extinção. Com o surgimento de novas tecnologias, como por exemplo, a Internet, o desinteresse do público pelas velhas publicações impressas começou a aumentar. Aqueles velhos profetas do apocalipse, os mesmos que “previram” o fim do rádio e do papel, diziam: “É o fim das revistas como fonte de informação”. Bobagem, como sempre. Mas nem por isso a audiência das revistas deixou de cair. A TIME sentiu então que era hora de se reposicionar e recuperar o mercado pedido. Criaram um conceito que refletisse a essência da revista: diversidade de comunicação aliada à profundidade de discussão sobre diversos temas, passando pelo social, cultural e comportamento. Para representar isso, foi escolhido um elemento gráfico bastante característico da revista: a borda vermelha. Os anúncios traziam imagens contendo apenas uma pequena parte envolta pela borda vermelha. Abaixo de cada peça, um texto reflexivo e desafiador sobre determinado assunto. Essa linha de comunicação da revista TIME se estendeu por anos. Começou nos Estados Unidos, mas logo foi levada até a Europa e a Ásia, sendo relançada com novos anúncios em 2003. No início, a assinatura utilizada era: “The world’s most interesting magazine” (“A revista mais interessante do mundo”). No relançamento da campanha passou a ser: “Join the conversation”.




Os slogans
Join the conversation
(2003)
The world’s most interesting magazine. (anos 90)
Understanding comes with TIME.
The most important magazine to the world’s most important people.



Dados corporativos
● Origem:
Estados Unidos
● Lançamento:
3 de março de 1923
● Fundador:
Henry Luce e Briton Hadden
● Sede mundial:
New York City, New York
● Proprietário da marca:
Time Warner Inc.
● Capital aberto: Não (subsidiária)
● Chairman:
Ann Moore
● Editor chefe:
Richard Stengel
● Faturamento:
Não divulgado
● Lucro:
Não divulgado
● Circulação semanal: 3.37 milhões de cópias
● Presença global:
130 países
● Presença no Brasil:
Sim
● Funcionários:
1.000
● Segmento:
Comunicação
● Principais produtos:
Revista de notícias gerais
● Concorrentes diretos:
Newsweek, The Week e The New Yorker
● Ícones:
A borda vermelha de sua capa
● Slogan: Join the conversation.
● Website: www.time.com

A marca no mundo
A TIME, maior revista semanal de informação do mundo, é distribuída em mais de 130 países, com circulação semanal de 3.3 milhões de cópias que atingem mais de 25 milhões de leitores. Atualmente existem várias edições internacionais da revista: edição européia (TIME EUROPE, antes conhecida por Time Atlantic), publicada em Londres, e que cobre o Oriente Médio, a África e (desde 2003) a América Latina; edição asiática (TIME ASIA), editada em Hong Kong; e a edição South Pacific, cobrindo Austrália, Nova Zelândia e Ilhas do Pacífico, editada em Sidney.

Você sabia?
Apenas sete brasileiros foram capa da revista, seis presidentes (Júlio Prestes, Getúlio Vargas, Café Filho, Juscelino Kubitschek, Jânio Quadros e Artur da Costa e Silva), e um diplomata, Osvaldo Aranha.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Última atualização em 6/2/2012

Nenhum comentário: