22.3.10

ASSOCIATED PRESS


Uma pequena sigla composta por apenas duas letras, há mais de 150 anos é sinônimo de solidez, credibilidade e poder quando o assunto é notícias. Muitos dos acontecimentos mais importantes do século passado foram relatados por profissionais da ASSOCIATED PRESS, conhecida popularmente como AP, que os transformaram em notícias para o mundo inteiro. Tendo que se reinventar para sobreviver nos dias atuais, a AP continua fornecendo notícias rápidas e imparciais de todos os cantos do mundo para todas as plataformas de mídia e formatos.

A história
Tudo começou oficialmente no mês de maio de 1846 quando cinco jornais norte-americanos da cidade de Nova York se uniram com o objetivo de baratear os custos de cobertura da guerra, na qual o México perdeu o atual estado do Texas para os Estados Unidos. Na época, as notícias eram levadas por mensageiros que utilizavam telégrafo, barcos, cavalos e até carruagens até chegar à Nova York, quase uma semana depois. Pouco depois, no dia 13 de maio de 1848, reunidos nos escritórios do jornal Sun, os principais editores de influentes jornais, Henry Raymond, do jornal Courier and Enquirer; Greeley, do Tribune; Moses Yale Beach, do próprio Sun; Erastus e James Brooks, do Express; e Hale e Hallock, do Journal of Commerce, fundaram a HARBOR NEWS ASSOCIATION e assinaram um acordo que tinha como objetivo facilitar o transporte das notícias no território americano, pelo qual se comprometiam a pagar US$ 100 dólares por 3.000 palavras de notícias telegráficas que seriam retransmitidas para os jornais afiliados. O Dr. Alexander Jones tornou-se o superintendente do serviço. Já em 1849 inaugurou seu primeiro escritório no estrangeiro, em Halifax no Canadá. O sucesso inicial da nova associação em levar as notícias mais rapidamente até as redações dos jornais filiados despertou o interesse de dois outros jornais em 1850, o Philadelphia Public Ledger e o Baltimore Sun, que começaram a pagar para receber as notícias sem serem membros da cooperativa. No ano seguinte, o tradicional jornal Times se tornou membro da associação que passou a chamar NEW YORK ASSOCIATED PRESS (literalmente “Imprensa Associada de Nova York”) e estabeleceu um rígido controle na transmissão de notícias telegráficas em forma de cooperativa, vendendo seus serviços também a outros jornais.


Em 1899, a AP utilizou o telégrafo sem fio para cobrir a tradicional competição de iatismo America’s Cup, testando pela primeira vez essa nova tecnologia. Apenas na virada deste século foi que a ASSOCIATED PRESS, depois da fusão de todas as associações regionais se tornou uma cooperativa sem fins lucrativos. No ano de 1914, começou a utilizar o teleprinter, um sistema que transmitia as notícias diretamente para as redações dos jornais afiliados através do telégrafo sem fio. Somente no ano de 1919, a AP se tornou uma agência de notícias internacional, prestando seus primeiros serviços para jornais europeus. Em 1935, a instituição iniciou a prestação de um novo serviço: a transmissão de fotografias para os jornais afiliados. Em 1941, a AP expandiu suas atividades além da imprensa escrita, prestando serviço de notícias para estações de rádios. A década de 60 foi marcada pela primeira transmissão de fotografias via satélite no ano de 1967 entre as cidades de Honolulu e Londres. No início da próxima década, em 1972, aos poucos, os computadores começaram a serem instalados nos escritórios da AP, facilitando assim o envio de notícias.


Em 1985 a agência modificou sua estrutura de pacotes de notícias e começou a cobrar dos jornais associados (membros) com base em suas tiragens, em vez da população de suas áreas. Nos últimos dez anos, depois de dominar o cenário jornalístico mundial durante mais de um século, a AP vem travando uma batalha feroz e desesperada contra o avanço da modernidade. Isto porque, o modelo de negócios da AP, desenvolvido na era da informação escassa, já não funciona mais quando o acesso às notícias se tornou tão fácil e comum que seu preço caiu a praticamente zero. Em virtude disto, ficou insustentável manter uma estrutura com 240 escritórios e quase mil correspondentes espalhados em até 121 países.


Neste período difícil, apesar de relutar constantemente contra novas tecnologias, a AP vem aderindo a elas como elemento vital para sua sobrevivência. Em setembro de 2005, lançou um projeto-piloto batizado “asap” (uma abreviação de “as soon as possible”, ou seja, “o mais rápido possível” em português), um serviço de notícias destinado aos mais jovens, com uma variedade de conteúdo multimídia, como clipes de áudio e vídeo. Em março, a empresa se uniu ao MSN, da Microsoft, para dar início à rede de vídeo online da AP, que fornece matérias em vídeo para sites de jornais e emissoras. Além disso, introduziu um pacote de notícias econômicas, chamado Money & Markets. Mais recentemente, em 2008, lançou o serviço AP MOBILE, um aplicativo que agrega as notícias de todo o mundo através de celulares e dispositivos móveis. A aplicação pode ser personalizada de acordo com a preferência de cada usuário, por exemplo, é possível escolher as notícias dos jornais da sua região e juntá-los com as imagens e vídeos da AP nacionais e internacionais. Além disso, a AP renovou o seu contrato com a Liga Nacional de Futebol Americano (NFL) para ser a fornecedora exclusiva de fotos para fins comerciais. Os resultados dessas novas ações é o assombroso aumento anual de acessos em sua página na Internet, onde a AP passou a oferecer mais conteúdo em vídeo para seus jornais filiados.


A evolução visual
A identidade visual da ASSOCIATED PRESS passou por inúmeras modificações no decorrer dos anos. A mais recente ocorreu em 2012 quando um novo logotipo foi adotado: as iniciais AP (com nova fonte de letra) e um traço vermelho abaixo.


Dados corporativos
● Origem: Estados Unidos
● Fundação: 1846
● Fundador: Cinco jornais americanos
● Sede mundial: New York City, New York
● Proprietário da marca: Os membros filiados
● Capital aberto: Não (cooperativa sem fins lucrativos)
● Chairman: Mary Junck
● CEO & Presidente: Gary Pruitt
● Faturamento: US$ 627 milhões (2011)
● Lucro: - US$ 23 milhões (2011)
● Escritórios: 243
● Presença global: 120 países
● Presença no Brasil: Sim
● Funcionários: 3.700
● Segmento: Comunicação
● Principais produtos: Notícias, fotografias e vídeos
● Concorrentes diretos: Reuters, Frech-Presse, Bloomberg e All Headline News
● Slogan: The essential global news network.
● Website: www.ap.org

A marca no mundo
Atualmente a ASSOCIATED PRESS, uma cooperativa formada por jornais, rádios e televisões americanas, conta com 243 escritórios em 120 países, fazendo jornalismo por vídeos, imagens e texto. Como uma cooperativa sem fins lucrativos, as notícias e conteúdo da AP são utilizados por 1.700 jornais e mais de 5.000 estações de rádio e televisão. Apesar do destino da AP estar extremamente relacionado ao dos jornais, a cooperativa – gera 2/3 de seu lucro de outras fontes, como a televisão AP, vendas online e internacionais e outros serviços.

Você sabia?
Hoje em dia, a AP é proprietária de um acervo enorme e único em matéria de dados e informações, possuindo os direitos autorais de mais de 10 milhões de imagens.
A AP já conquistou 49 prêmios Pulitzer, considerado o mais importante do jornalismo.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Última atualização em 16/7/2012

Nenhum comentário: