27.7.06

BAUDUCCO


É difícil imaginar hoje em dia um natal sem o tradicional panettone, um café da manhã sem torrada ou mesmo um lanche sem bolachas e deliciosos bolos. E, é mais difícil ainda imaginar que qualquer um desses produtos não venham embalados nas tradicionais embalagens amarelas da BAUDUCCO, um sobrenome italiano que virou sinônimo, especialmente de panettone, proporcionando momentos deliciosos para milhões de famílias brasileiras há mais de 60 anos. 

A história 
A história da tradicional fábrica de biscoitos e bolos BAUDUCCO tem início em 1948 quando o representante comercial Carlo Bauducco chegou ao Brasil vindo da cidade italiana de Turim. O motivo para cruzar o Atlântico de navio não era agradável. Ele vinha cobrar uma dívida de máquinas de torrefação de café, importadas por um amigo, também italiano. Apesar de não falar uma palavra em português, conseguiu recuperar parte do dinheiro. Em vez de voltar à terra natal, o italiano então com 42 anos encantou-se pela capital paulista e decidiu ficar. O bom faro para negócios ajudou-o a perceber que o panettone era pouco consumido em São Paulo, onde havia muitos italianos e descendentes. Dois anos depois de sua chegada ao país ele já estava produzindo panettone artesanalmente, enxergando assim a possibilidade de ampliar sua produção e comercializar em toda a cidade de São Paulo a deliciosa receita familiar trazida da Itália.


Com o fim da lei que obrigava estrangeiros a terem sócios brasileiros, no ano de 1952, ele inaugurou uma pequena confeitaria chamada DOCERIA BAUDUCCO no Brás, bairro tradicional onde se concentravam os imigrantes italianos em São Paulo, que além dos deliciosos panettones, começou a produzir também biscoitos tipo Champanhe, doces, salgados e petit fours. Carlo logo trouxe de Milão seu único filho, Luigi, para ajudá-lo nas vendas e produção. E a mulher, Dona Margherita, que ficou responsável pela administração. Como as vendas ainda precisavam melhorar o senhor Bauducco resolveu inovar mais uma vez. Ele teve a brilhante ideia de encher um avião de panfletos e “bombardeou” a cidade de São Paulo. Conseguiu ao mesmo tempo divulgar o panettone, desconhecido para muita gente, e vender todo o estoque em apenas três dias. E a receita BAUDUCCO do bolo com uvas passas e frutas cristalizadas, rapidamente ganhou espaço de honra na mesa das famílias brasileiras.


Curiosamente, Carlo Bauducco não cozinhava. Para cuidar da preparação das guloseimas, o patriarca convidou o conterrâneo Armando Poppa, um habilidoso confeiteiro. Quando Poppa saiu para abrir sua própria doçaria, a Cristallo, em 1953, Carlo trouxe outros especialistas para substituí-lo, mas tomou o cuidado de preservar a fórmula original do doce recheado de frutas cristalizadas. O grande salto, no entanto, foi dado em 1962 com a inauguração da fábrica em Guarulhos, cujo objetivo era atender a lata demanda pelo produto. Começava então a passagem de produção artesanal para a produção industrial e o lançamento de novas linhas de produtos. Três anos depois, observando o hábito brasileiro de querer tocar o produto, a marca decidiu criar uma embalagem mais resistente, feito de papelão. Na caixa o panettone encontrava-se devidamente protegido. O mesmo aconteceu posteriormente com a linha de biscoitos.


Pouco tempo depois, também foi fundamental para a expansão da marca a entrada dos produtos em supermercados, onde o consumidor comprava por impulso. Nos anos seguintes a BAUDUCCO lançou no mercado vários produtos inovadores, como por exemplo, as linhas de torradas e grissinis, a deliciosa Colomba Pascal® e o panettone com gotas de chocolate, que fisgou os fãs do tradicional doce incapazes de comer frutas cristalizadas. Os produtos BAUDUCCO (neste caso, entenda-se panettones) cruzaram as fronteiras internacionais em 1979 com as primeiras exportações para os Estados Unidos. A década de 1980 começou com grandes novidades, como a construção da segunda fábrica em 1983 e os lançamentos de dois grandes sucessos da marca: biscoitos amanteigados e wafers.


Foi também nesta época que Massimo, neto do fundador da empresa, assumiu o comando dos negócios e deu início a um ambicioso plano de diversificação na linha de produtos. Na ocasião, os panettones garantiam quase a totalidade do faturamento. Hoje, eles representam apenas 25%. Em um primeiro momento, a família Bauducco definiu dois mandamentos. O primeiro: não abandonariam sua vocação, isto é, “produtos de forno”. O segundo: “A gente não admite fazer nada que já existe no mercado”. Foi assim com os sabores inéditos da bolacha wafer, setor no qual a BAUDUCCO se tornou o segundo maior fabricante do mundo.


No ano de 1997, após uma série de pesquisas em profundidade, a BAUDUCCO fez a maior mudança de identidade visual já realizada por uma empresa de alimentos. Modernizando a sua logomarca, adotou o amarelo como cor predominante em todas as suas embalagens. O amarelo, entre outras coisas, simboliza a luz do sol e o trigo, base de todos os seus produtos. Junto com a mudança das embalagens foi veiculado um filme publicitário contando a chegada da família Bauducco ao Brasil. No ano seguinte a BAUDUCCO recebeu, em Londres, o prêmio Design Effectiveness Awards com a embalagem desenvolvida para a sua lata especial de Natal do panettone. Foi a primeira vez que uma empresa brasileira de alimentos recebeu este prêmio.


Em 1999, com um produto de grande qualidade e versões com recheio, tornou-se líder de mercado na categoria de bolos no mercado brasileiro. Em 2001, a empresa comprou sua principal concorrente, a Visconti. Essa aquisição consolidou a BAUDUCCO na liderança de mercado, com uma fatia de 70% no segmento de panettones. Em 2008, a Pandurata Alimentos, proprietária das marcas BAUDUCCO e Visconti, anunciou a criação de uma joint venture para a fabricação e distribuição dos produtos Hershey’s no Brasil, incluindo chocolates, bebidas achocolatadas e confeitos. O acordo deu à BAUDUCCO 49% das ações da Hershey’s Brasil. Antes concentrada apenas em panettones, biscoitos simples e torradas, na última década a BAUDUCCO passou a apostar também em categorias com margens maiores, como cookies e biscoitos de goiaba. Além disso, a empresa inaugurou sua primeira loja própria em 2012, batizada de CASA BAUDUCCO, e recentemente uma moderna fábrica no estado de Alagoas. A BAUDUCCO também concluiu uma ampla pesquisa para mensurar a aceitação de novos produtos. Sete categorias foram avaliadas. O resultado revela o vigor da marca. Algumas das categorias estão “prontas” para receber a assinatura BAUDUCCO. É o caso de pães, massas e, um pouco depois, chocolates.


A linha do tempo 
1967 
Lançamento da linha primeira linha de torradas do mercado nacional. 
1970 
Lançamento da linha Biskuis, conhecidos também como grissinis, aqueles deliciosos e irresistíveis palitinhos crocantes. 
1976 
A exemplo da receita italiana do panettone, a marca iniciou a produção de forma pioneira da Colomba Pascal® (GRAN PÁSCOA) que se transformou em um sucesso rapidamente. Hoje em dia a linha é composta por oito produtos, além das colombas tradicionais, as recheadas e as recheadas especiais, ideais para presentear. 
1978 
A BAUDUCCO inovou mais uma vez ao lançar o CHOCOTTONE, um panettone com gotas de chocolate no recheio em substituição as frutas cristalizadas. Até hoje é um dos produtos mais importantes da marca. 
1984 
Lançamento dos biscoitos amanteigados e wafer. 
1988 
Lançamento do SALSALITO, primeiro biscoito salgado da marca. 
2001 
Lançamento do MINI-CHOCOTTONE que carregava a mais nova marca da BAUDUCCO KIDS, uma linha infantil de produtos de forno com o licenciamento dos personagens originais do canal Cartoon Network. 
Lançamento da linha VARIEDADES BAUDUCCO, uma caixa com sete tipos diferentes de biscoitos, embalados em porções individuais. 
2002 
Lançamento do BAUDUCCO TODA HORA, um biscoito cracker salgado embalado em porção individual. 
2003 
Lançamento da linha GULOSOS, composta por produtos de forno direcionada para um público infantil, como por exemplo, bolinhos, biscoitos recheados e wafers. 
2005 
Lançamento da TORRADA BAUDUCCO nas versões Light e Light Integral com redução de 40% de gordura. 
Lançamento do GRAN NATALE, um panettone especial de 900g (elaborado para paladares requintados) com uvas passas e cobertura açucarada de amêndoas. 
2006 
Lançamento da MAXI GOIABINHA, uma barrinha com recheio (é claro) de goiabada com baixa caloria (apenas 90), que concorre com as insossas barrinhas de cereal. As barrinhas também foram lançadas nos sabores chocolate e bananinhas. 
Lançamento da Colomba Pascal® no formato oval. 
2007 
Lançamento da linha RECHEADINHO, composta por biscoitos com recheios nos sabores goiaba, brigadeiro, morango e chocolate. 
Lançamento do PANETONE RECEITA DE FAMÍLIA, que trazia a receita exclusiva da Família Bauducco, com uvas passas e frutas cristalizadas e uma cobertura açucarada crocante de amêndoas. 
Lançamento no mês de outubro da PRIMEIRA FORNADA de panettones que chegava para matar a saudade dos amantes de um dos mais tradicionais símbolos natalinos. 
2008 
Lançamento do CHOCOTTONE com SURPRESA, contendo um brinquedo exclusivo em 4 modelos diferentes e direcionado para o público infantil. 
Lançamento do CHOCOTTONE TOP (com uma deliciosa cobertura de chocolate) e do CHOCOTTONE MAXI (mesma massa do tradicional com exagero de gotas de chocolate ao leite). 
Lançamento das novas latas como a Coleção Carlo Bauducco, que homenageava a história do panettone e da própria empresa, através de imagens antigas de peças publicitárias e fotos históricas. 
2010 
Lançamento da COLOMBA EDIÇÃO ESPECIAL (com gotas de chocolate, creme e uma deliciosa cobertura também de chocolate) e COLOMBA MOUSSE (massa de chocolate com recheio cremoso de mousse). 
Lançamento do CHOCOTTONE CROCANTE, com cobertura de chocolate ao leite e bolinhas crocantes. 
2011 
Lançamento dos lanches ROLL CAKE (mini-rocambole com duas opções de cobertura, chocolate ao leite e brigadeiro) e DUO (sanduíche doce disponível nas opções chocolate branco e ao leite, feito com o tradicional bolo da BAUDUCCO e embalado em porção individual para ser consumido entre as refeições). 
2012 
Lançamento do PANDORO, que consiste em um bolo com suave aroma de baunilha e com um formato diferenciado que ao ser cortado em fatias, ganha contornos de estrelas. Dentro da caixa, havia um livreto com seis receitas para ensinar aos consumidores a dar outro acabamento ao produto. 
2013 
Lançamento do pão de mel em formato de estrela com cobertura de chocolate ao leite e massa extremamente macia. A campanha de lançamento do novo produto carregava a assinatura “O verdadeiro pão de mel da Bauducco que caiu dos céus”
Lançamento da linha CREAMY, composta por deliciosos biscoitos recheados. A nova linha combina a crocância do biscoito e a cremosidade do chocolate. 
2014 
Lançamento da linha de COOKIES INTEGRAIS em parceria com a Kellogg’s, empresa especializada em produtos a base de cereais ricos em fibras e barrinhas. 
Para reforçar a linha de produtos saudáveis, a marca lança um novo sabor de torrada: Mix de Castanhas e Grãos. Com o novo produto, a marca divide seu portfólio de torradas em duas linhas: a tradicional com os sabores salgada, integral e light; e a grãos com MultiGrãos, Aveia e Granola e Mix de Castanhas e Grãos.


O ícone 
Existem várias versões sobre a invenção do tradicional panettone. Uma delas conta que um jovem chamado Ughetto Atellani, morador da cidade de Milão, na Itália, se apaixonou pela jovem Adalgisa, filha de um padeiro. Por não possuir o dote necessário e para conquistar a confiança do futuro sogro, ele se disfarçou de ajudante e criou um pão doce, que se tornou um sucesso de vendas na padaria Della Grazia pelo tamanho incomum e por ter o formato semelhante ao da cúpula de uma igreja. Ele, que não era bobo nem nada, em homenagem ao pai da sua amada colocou o nome dele no pão, que passou a ser chamado de “pane-di-Tone”, evoluiu para “panattón” (vocábulo milanês) e depois para “panettone” (italiano). O padeiro concedeu a mão de Adalgisa ao esperto aprendiz. Outra história diz que ele foi inventado pelo mestre-cuca Gian Galeazzo Visconti, primeiro duque de Milão, que preparou a iguaria para uma festa em 1395. Segundo outra lenda, o panettone foi inventado na corte de Ludovico Sforza, conhecido como “O Mouro”, na véspera do Natal, entre os anos de 1494-1500. Em um desses natais, a sobremesa que havia sido preparada queimou ao ser assada. Um dos empregados da cozinha, chamado Antonio, havia preparado uma massa com sobras de ingredientes, que pretendia levar para sua casa. Sem outra opção, ofereceu sua massa para servir como sobremesa para a corte. De acordo com a lenda, a sobremesa foi tão apreciada que Ludovico perguntou qual o nome da iguaria. O jovem então disse que a sobremesa não tinha nome. Ludovico resolveu chamá-la de “Pani de Toni”, dando origem ao nome.


Apesar das belas histórias, para os brasileiros o panettone (bolo recheado de frutas secas e uvas passas que virou uma tradição natalina) “parece ter sido inventado mesmo pela BAUDUCCO”. Mesmo com todas as mudanças ocorridas durante os anos, a empresa continua a utilizar o mesmo processo de fermentação natural, responsável pela leveza do produto. Até o panettone ficar pronto para ser embalado são necessárias 52 horas, vinte das quais para que a massa cresça lentamente. Este processo garante as melhores características como maciez e sabor inigualáveis e uma massa muito mais úmida e leve. “Caso um deles não esteja perfeito, é descartado”, explica o gerente de uma das fábricas. A receita especial, guardada a sete chaves, exige nada menos do que 52 horas para se obter o delicioso PANETONE BAUDUCCO. A empresa, que detém 40% deste segmento no Brasil, comercializa anualmente mais de 65 milhões de unidades em vários tamanhos, que vão desde 80 gramas, 500 gramas, 750 gramas a 1 quilo, além da embalagem de 4 kg, conhecida como “tamanho família”. A BAUDUCCO é a maior produtora de panettone do mundo. Atualmente a linha de PANETTONES BAUDUCCO conta com as versões: 
TRADICIONAL (com frutas cristalizadas) 
LIGHT (com menos 25% de calorias e 40% menos gordura que o convencional) 
RECEITA ESPECIAL (com massa ainda mais rica, frutas cristalizadas, uvas passas e cobertura açucarada com amêndoas) 
GRAN NATALE (sofisticado panettone especial de 900g com uvas passas e cobertura açucarada de amêndoas) 
BOLD’ORO (preparado apenas com a massa tradicional sem frutas e um sachê de açúcar para que a cobertura seja preparada na hora e seus consumidores possam saborear um produto macio e úmido) 
CHOCOTTONE (com gotas de chocolate ao leite) 
CHOCOTTONE LIGHT (com menos 25% de calorias e 50% menos gordura que convencional) 
CHOCOTTONE MAXI (a mesma massa com exagero de gotas de chocolate ao leite Hershey’s) 
CHOCOTTONE TOP (com uma deliciosa cobertura de chocolate) 
CHOCOTTONE MOUSSE (com massa e um recheio cremoso de chocolate) 
CHOCOTTONE BRANCO (com massa branca, recheio e cobertura de chocolate branco)


Conquistando o mundo 
Foi em 1979 que o primeiro carregamento de panettone embarcou de navio rumo aos Estados Unidos. Mas foi a partir de 2000 que a BAUDUCCO começou uma forte expansão internacional para vários países ao redor do mundo. Porém, a grande sedução vem do mercado americano. Lá, a empresa inaugurou em 2005 uma subsidiária, a BAUDUCCO FOODS, responsável pela coordenação de oito distribuidores locais. O principal objetivo é atender as grandes redes de supermercados americanas. A Walmart fechou um contrato para abastecer suas lojas da Flórida. Também é possível encontrar torradas, biscoitos e panettones BAUDUCCO na Walgreens, maior rede de lojas de farmácia e conveniência do país. A menina dos olhos da família, porém, é o contrato com a Target, segunda maior empresa de varejo dos Estados Unidos. A BAUDUCCO foi a primeira marca brasileira a ocupar espaço nas gôndolas deste gigante. Outra subsidiária foi inaugurada na Argentina.


As deliciosas lojas 
Foi no dia 13 de outubro de 2012 que a marca resolveu ingressar no segmento de varejo com a inauguração da primeira CASA BAUDUCCO, no badalado bairro dos Jardins em São Paulo. O conceito era completamente diferente: não havia nenhuma embalagem amarelinha ou nada que pudesse ser encontrado em qualquer outro ponto de venda. Apenas a venda de itens exclusivos e diferenciados como deliciosos e irresistíveis pães, biscoitos, cookies, panettones, crostatas e toda uma linha especial de produtos fabricados com o carinho da BAUDUCCO. O aconchegante ambiente, uma combinação de empório com cafeteria, remete a uma cozinha artesanal italiana e a paixão por deliciosas receitas, com muita madeira, paredes com tijolos aparentes e decoração que traz um grande painel com imagens e a história da família Bauducco, além de textos que dialogam com as pessoas que visitam o local. Esta história e outros fatos interessantes da família e dos produtos também são transportados para os delicados jogos americanos, canecas e outros itens de bazar a venda.


Panettone o ano todo é outro trunfo da CASA BAUDUCCO, que oferece opções de sabores sofisticados como chocolate com laranja, chocolate com figo, damasco, entre outros. É possível sentar, relaxar e saborear uma fatia de panetone quentinha polvilhada com açúcar e canela, um croissant ou um cookie, acompanhado de uma irresistível xícara de café ou capuccino. Cada unidade da CASA BAUDUCCO oferece mais de 70 itens de forno elaborados artesanalmente, em pequena escala, como panettones e chocotones, biscoitos italianos, grissinis, cookies, crostatas, brownies, pães de mel e pães especiais. Tudo feito em uma unidade fabril exclusiva da empresa. Além disso, é possível montar kits com produtos para presentear a família e os amigos em delicadas opções de embalagens especiais. Hoje em dia existem cinco unidades desta deliciosa loja, que espalha um irresistível cheirinho de produtos que parecem ter saído do forno.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por uma grande acentuada modificação em sua história. Isto ocorreu em 1997, quando a BAUDUCCO introduziu uma nova identidade visual, unindo o logotipo vermelho totalmente remodelado com o fundo amarelo das embalagens, para os consumidores identificarem os produtos de longe nos supermercados. Há poucos anos trás a identidade visual foi modernizada, adquirindo formas mais arredondas e dinâmicas.


Os slogans 
Da família Bauducco para sua família. 
O gosto do natal. (Panettone) 
O mais panettone dos panettones. (Panettone) 
Torradas Bauducco. A vida leve é tão mais gostosa. (Torradas) 
From the Bauducco Family to your Family. (Estados Unidos)


Dados corporativos 
● Origem: Brasil 
● Fundação: 1952 
● Fundador: Carlo Bauducco 
● Sede mundial: Guarulhos, São Paulo, Brasil 
● Proprietário da marca: Pandurata Alimentos Ltda. 
● Capital aberto: Não 
● Presidente: Massimo Bauducco 
● Faturamento: R$ 2.6 bilhões (estimado) 
● Lucro: Não divulgado 
● Fábricas:
● Presença global: 50 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 3.500 
● Segmento: Alimentos 
● Principais produtos: Panettones, biscoitos, torradas e bolos 
● Concorrentes diretos: Mondelēz, Nestlé, Adria, Marilan, Mabel, Pullman e Arcor 
● Ícones: O tradicional penettone 
● Slogan: Da família Bauducco para sua família. 
● Website: www.bauducco.com.br 

A marca no mundo 
A empresa comercializa seus produtos através de 150 mil pontos de venda no Brasil. Atualmente a BAUDUCCO possui cinco fábricas (localizadas em São Paulo, Minas Gerais e Alagoas), com capacidade para produzir mais de 200.000 toneladas anualmente, e sete centros de distribuição, empregando 3.500 funcionários. Os produtos da marca são vendidos em 50 países, entre os quais Estados Unidos, Japão, Portugal e Argentina. As exportações representam hoje 15% do faturamento da empresa. O grupo ainda mantém em seu portfólio as marcas Visconti e Tommy. 

Você sabia? 
A BAUDUCCO, uma das maiores doceiras e panificadoras do país, é líder de mercado em alguns segmentos de produtos forneados como panettones, colombas, torradas e biscoitos waffers, produzindo diariamente 23 milhões de biscoitos. No período de pico da produção, entre agosto e a véspera do natal, são assados mais de 188 panettones por minuto nos fornos da empresa, alcançando produção anual de 65 milhões de unidades. Anualmente a empresa também produz mais de 7 milhões de Colomba Pascal®. 
A empresa também se encarrega de preparar panettones com receitas exclusivas para renomados restaurantes, como por exemplo, Fasano e a rede de pizzarias Brás, entre outros. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Veja, Exame, Época Negócios, Isto é Dinheiro e EmbalagemMarca), jornais (Valor Econômico e Meio Mensagem), sites especializados em Marketing e Branding (Mundo Marketing) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 5/9/2014

10 comentários:

silvana disse...

gostaria de saber pq ñ encontro o biscoito da bauducco tortita ou tortilha uma maravilha, vcs n estao fabricando mais. obrig.silvana

Pedro Nastri / Patricia Altafini Nastri disse...

Lí a história desta tradicional doceria. Nasci no bairro do Brás e lembro-me muito bem da Doceria Bauducco. Minha mãe sempre nos levava (eu e meus quatro irmãos) para comprar os petit fours e Biskuis, que tamto sucesso faziam. Se não me engano, a doceria ficava na Av. Celso Garcia quase esquina com a Rubino de Oliveira, em frente a estação de bondes. Meus pais tinham grande amizade com os proprietários da doceria. Bons tempos do Brás de autrora: Bauducco, Pirani, Cinemas, Pizzarias, Cantinas (em especial a do Porccaro)...
Não poderia esquecer do tão famoso bolo folhado que minha mãe tanto adorava. Em 1976, por ocasião de suas Bodas de Prata, eu e meus irmãos mandamos confeccionar um bolo de 50 kilos para a comemoração. Infelizmente, minha mãe já não esta entre nós...
Minha esposa, embora Italiana (Milão) nunca tinha comido um bolo tão delicioso. Para o nosso casamento, em 82, mandamos fazer o mesmo bolo na Rubino de Oliveira.
Meu sogro, quando vem para o Brasil, sempre nos pede para acompanha-lo para deliciar as maravilhas do Bauducco.
Ele é o velho Mazzola - José Altafini- Campeão mundial de futebol em 1958 e que hoje mora em Torino - Itália.
Se não me engano, ele conhece o Sr. Andrea
Abraços e obrigado por manter tão tradicional receita.

Anônimo disse...

Comprei o "Petit Gateau" e gostei mais ou menos porque não tem aquela calda, mesmo assim da para matar a vontade. Se vocês colocarem num supermercado onde vende sorvete, acho que vende com certeza porque estava com dúvidas em comprar, mas peguei desta vez. O sonho deixa muito a desejar, é muito diferente do original. Parece o bebezinho da seven boys.

clovis disse...

Boa noite!!!!!

Amigos,gostaria de saber que fim levou o biscoito waffer,sabor ABACAXI com HORTELÃ,pois fiquem vcs sabendo que era uma DELICIA.

NÃO ENCONTRO EM NENHUM SUPERMERCADOS.

ABRAÇOS
J.C.L

Anônimo disse...

Boa Tarde.
Gostaria de saber se a Bauducco abre filiais ou é uma franquia?
Se é uma franquia, quais as formas de aquisição? Quais são as normas exigidas pela empresa, sendo desde a estrutura até o treinamento de funcionários, por fim qual o valor financeiro desta?
Aguardo resposta
Fabiana -
Telefone 67-36692200
Paranaiba-MS
email. sulestepecas@hotmail.com

Anônimo disse...

Gostaria de saber por que a poucas lojas da Bauduco em São Paulo. Vocês trabalham com franquias ou são filiais. Se forem franquias com que posso falar para adquirir uma. Obrigado Emerson SP
emersonviana@amoregraca.com

MAURA disse...

ESTOU PROCURANDO PANETONE CHOCOLATE BRANCO,Não estÃO FAZENDO MAIS?
AGUARDO BREVE RESPOSTA,SE POSSIVEL NUM.TEL.
Maura

Geisa disse...

Gostaria de saber se suas lojas são filiais ou franquias. Estou interessada, pois onde moro ainda não tem loja bauducco...Aguardo contato.

Anônimo disse...

Bom Dia!

Sou de Joinville/SC, e gostaria de saber da possibilidade da Bauducco colocar no mercados os saches de bolacha salgado e doce. A quantidade é ideal para quem realizou cirurgia Bariátrica, além de que um pacote normal acaba perdendo o sabor. Se possível gostaria do preço, faço parte do grupo e indicarei esses alimentos.
Grande Abraço!
Verônica Oliveira

COZINHANDO PARA AMIGOS disse...

Sua história também é muito boa como a de muitos imigrantes. Adoro ler etmologias familiares.