15.11.09

BRINKS


Solidez e credibilidade. Essas duas palavras são os pilares principais que fazem da BRINKS, há 150 anos, o primeiro fornecedor mundial de soluções de transporte seguro e de soluções logísticas, a quem seus clientes confiam para proteger seus recursos mais valiosos.

A história
Fundada no dia 5 de maio de 1859, na cidade de Chicago, estado de Illinois, por Washington Perry e Fidelia Brink, que investiram US$ 200 em uma carroça e um cavalo, a empresa que levaria seus sobrenomes, chamada inicialmente de BRINK’S CITY EXPRESS, iniciou suas atividades como transportadora de caixas e bagagens de homens de negócio, que viajavam para a cidade em missões comerciais. O negócio prosperou. Porém, com o início da Guerra Civil, eles chegaram a temer que seu negócio fracassasse. Ledo engano. Um aumento inesperado de habitantes na região viu seu volume de entrega multiplicar-se. Vítima de uma inflamação no cérebro morreu, em 1874, Washington Brink faleceu com apenas 44 anos de idade. Seu único filho, de apenas 18 anos, Artur Perry Brink, assumiu a empresa e atraiu novos capitais para o negócio. Foi somente em 1891 que a BRINKS transportou a primeira folha de pagamento, responsabilizando-se assim pelo transporte de milhares de dólares nos anos seguintes. Em 1900 a BRINKS fazia sua primeira entrega bancária – seis sacos de dólares de prata – para o Home National Bank, tornando-se com isso a primeira transportadora de valores do mundo. Nesta época, a empresa já contava com uma frota de 85 carruagens e 200 cavalos, tendo com gerente um veterinário. Pouco depois, em 1904, a BRINKS colocou em serviço seu primeiro carro modelo “Knox” a gasolina, que atingia a 40 km e equivalia a três carruagens e doze cavalos, aumentando assim a segurança e reduzindo o tempo de transporte de valores.


Início de 1917. Quatro homens fortemente armados mataram o guarda da da empresa, que descia do carro carregando dinheiro. O crime organizado, nascido na colonização do Oeste americano, chegava à cidade grande. As transportadoras agora precisavam proteger melhor o dinheiro das suas contratantes. Foi assim que surgiram os primeiros carros-fortes. E já no ano seguinte, em 1918, uma espécie de caminhão fechado, com laterais lacradas por quatro barras de aço, soldadas junto às janelas, tipo vergalhão, passou a fazer parte da frota da BRINKS. Ainda este ano a empresa abriu seu primeiro escritório fora da cidade de Chicago, em Cleveland, e logo depois em Rochester e Filadélfia. Assaltos mais ousados passaram a acontecer, e os carros-fortes foram se tornando verdadeiras fortalezas. Um avanço notável foi à aplicação de vidros resistentes à bala, com 1,9 mm de espessura. Nessa altura, em 1923, os veículos já eram totalmente blindados com chapas de aço. Depois, com teto e piso (antes em madeira) de aço e resistência comparada a de um tanque de guerra, os carros-fortes estavam preparados para enfrentar a desenfreada escalada do crime que atingia a cidade de Chicago.


Em 1925, o lançamento do slogan “Only Brink’s Can Open This Safe”, rapidamente se tornou sinônimo de segurança máxima. Pouco depois, em 1927, a empresa inaugurou seu primeiro escritório na cidade de Montreal no Canadá. Logo após o término da Segunda Guerra Mundial, a empresa, que já empregava 2.000 funcionários, foi a primeira do mercado a equipar seus carros de transporte de valores com blindagem e armas (revólveres calibre 38, rifles de repetição e até submetralhadoras). Em 1956, o primeiro carro-forte movido a diesel foi adquirido pela empresa por US$ 25.000. A expansão internacional fora da América do Norte começou em 1961 quando a empresa inaugurou filiais e novas instalações por diversos países europeus, começando pela França. Em 1962 a BRINKS foi adquirida pela empresa Pittston.


No Brasil a empresa chegou em 1966, e ao longo dos anos mantém um espírito pioneiro no desenvolvimento de seus produtos e serviços, incorporando cada vez mais valor às cadeias de produção de seus clientes. Assim, evoluiu-se do tradicional transporte de valores para uma completa rede de serviços integrados, chegando hoje a oferecer, a exemplo de sua constante inovação, uma completa solução tecnológica para correspondentes bancários. A década seguinte tem início com a inauguração de filiais na Venezuela e no México, e, termina, em 1978, com a abertura de seu primeiro escritório na Ásia. Além disso, nesta década a empresa fortaleceu o transporte de valores via aérea, iniciado em 1962, incrementando ainda mais os serviços oferecidos. Nos anos seguintes, a empresa adotou estratégias agressivas e bem estabelecidas de crescimento no mundo, que contemplavam oportunidades de aquisição, aliadas à constante oferta de novos produtos e soluções, como por exemplo, em 1983 quando estabeleceu a divisão de segurança doméstica; ou em 1993, quando iniciou a manutenção de caixas automáticos.


Além disso, investiu fortemente no desenvolvimento de novas e avançadas tecnologias e na capacitação de seus funcionários visando à melhoria contínua da qualidade dos serviços prestados, para satisfação dos clientes. A partir de 1996, a BRINKS iniciou uma nova expansão internacional ingressando no mercado sul-africano e posteriormente na região do Oriente Médio. Em 1998 a empresa introduziu, de maneira pioneira, o cofre computadorizado CompuSafe para ser instalado nas lojas com o objetivo de executar automaticamente armazenamento de diversos tipos de valores; validação e contabilização de cédulas por meio eletrônico; conciliação e controle de recebimentos por turno, dia e operador; fechamento de turno e dia de trabalho; e emissão de relatórios gerenciais.


Com a chegada do novo milênio, a empresa lançou no mercado novos produtos como o Brinks Cash Logistics, que oferecia soluções e tecnologias para valores; e agenciamento de carga e despacho aduaneiro. Em 2008, a BRINKS HOME SECURITY, divisão que presta segurança doméstica e comercial, foi separada da empresa e passou a se chamar BROADVIEW SECURITY. No ano seguinte, a BRINKS completou 150 anos de atuação mundial, e, mesmo com o cenário de crise internacional, consolidou sua atuação no Brasil com a aquisição de duas empresas do setor de segurança e transporte de valores: Sebival e Setal.


Tradição e solidez
Durante sua longa história, BRINKS foi escolhida para proteger alguns dos maiores e mais valiosos tesouros do mundo, como por exemplo, o taco de baseball com o qual Hank Aaron quebrou o recorde de homerun do lendário Babe Ruth; as primeiras amostras da rocha trazidas da lua pelos astronautas; o diamante que Richard Burton deu a Elizabeth Taylor; a declaração de independência dos Estados Unidos; e o maior diamante bruto do mundo.


Dados corporativos
● Origem: Estados Unidos
● Fundação: 5 de maio de 1859
● Fundador: Washington Perry e Fidelia Brink
● Sede mundial: Richmond, Virginia
● Proprietário da marca: The Brink’s Company
● Capital aberto: Sim
● Chairman & CEO: Thomas Schievelbein
● Faturamento: US$ 3.88 bilhões (2011)
● Lucro: US$ 74.5 milhões (2011)
● Valor de mercado: US$ 1.3 bilhões (outubro/2012)
● Frota: 9.600 carros-fortes
● Presença global: + 50 países
● Presença no Brasil: Sim
● Funcionários: 70.200
● Segmento: Segurança e logística
● Principais produtos: Soluções de transporte seguro e soluções logísticas
● Concorrentes diretos: Protege e Grupo Nordeste
● Ícones: Seus carros-fortes
● Slogan: People. Trust. Innovation.
● Website: www.brinks.com.br

A marca no mundo
A BRINKS está presente em mais de 50 países dos seis continentes, transportando, processando e custodiando valores através de uma complexa malha de comunicação internacional e uma frota de 9.600 carros-fortes. Além do transporte de dinheiro em carro-forte, a empresa cuida também da tecnologia, segurança, manutenção e abastecimento de caixas eletrônicos e de correspondentes bancários, custódia e atua no segmento de gestão de pedágios, entre outros serviços. No Brasil a empresa tem cerca de 9 mil funcionários, uma frota de mais de 700 carros-fortes e mais de 50 filiais distribuídas por 16 estados.

Você sabia?
Em 1993, um assalto a um carro-forte da BRINKS em Rochester, Nova York, foi considerado o quinto maior dos Estados Unidos. Quatro ladrões roubaram US$ 7.4 milhões.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, BusinessWeek, Time e Isto é Dinheiro), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Última atualização em 23/10/2012

4 comentários:

Anônimo disse...

Só quem faz parte desta instituição sabe o valor que ela tem

cRiPpLe_rOoStEr a.k.a. Kamikaze disse...

A frota da sucursal brasileira da Brinks foi padronizada com chassis Mercedes-Benz, mas ainda tem ao menos um carro-forte com chassi Ford remanescente da aquisição da Sebival.

Anônimo disse...

Tenho 14 na empresa e me orgulho muito do respeito que ela tem junto a clientes e funcionários estou muito feliz em fazer parte dessa equipe.

Unknown disse...

Empresa muito boa, show de bola...