24.5.06

UPS


De Macau a Nova Zelândia. De Paris a Londres. De Varsóvia a Las Vegas. Todos os dias milhares de pessoas cruzam com os tradicionais caminhões marrons da UPS em seus bairros, na porta de seus trabalhos, ou até mesmo, em uma simples caminhada. São eles que garantem um mundo sem fronteiras, fazendo entregas em lugares inimagináveis. Como a maior empresa de entrega expressa do mundo e fornecedora de transportes especializados e serviços de logística, a UPS continua a desenvolver as fronteiras de logística, gerenciamento de cadeia de suprimentos e comércio eletrônico oferecendo as melhores opções para seus clientes. Tudo para que milhões de pessoas poupem tempo e dinheiro. 

A história 
Tudo começou em 1907 quando existia nos Estados Unidos uma enorme necessidade de serviços privados de entrega e de mensageiro. Para ajudar a suprir esta necessidade, um jovem de apenas 19 anos, James E. “Jim” Casey, pediu emprestados US$ 100 a um amigo, e juntamente com Claude Ryan, estabeleceu no dia 28 de agosto a American Messenger Company na cidade de Seattle, estado de Washington. Em resposta às chamada telefônicas que recebiam na sede da empresa que ficava em um porão de um hotel, os mensageiros entregavam mensagens e pacotes, transportavam notas, bagagem e bandejas de comida de restaurantes. Inicialmente a maior parte das entregas era feita a pé, usando bicicletas somente para as viagens mais longas. Com ajuda de outros jovens, incluindo seu irmão, George Casey, e o bom serviço prestado, a empresa cresceu rapidamente sob o slogan “Best Service and Lowest Rates” (“melhor serviço e menores preços”, em português). Em 1913, a empresa adquiriu o seu primeiro carro de entregas, um Ford Modelo T, com uma nova inscrição na parte lateral: Merchants Parcel Delivery. O novo nome, resultado do acordo de Jim Casey na fusão com o seu concorrente Evert “Mac” McCabe, refletiu na mudança de foco da empresa que concentrou seus serviços na entrega de pacotes para grandes lojas de departamento.


A empresa começou então a crescer rapidamente e, devido a sua alta qualidade nos serviços prestados e atenção personalizada que dedicava a cada pacote processado, criou uma forte reputação entre as lojas da cidade. Em 1916, Charlie W. Soderstrom ingressou na empresa, trazendo consigo mais automóveis e experiência. Trouxe também a cor marrom, que se tornaria um dos ícones da marca. Nesta época, foi pioneira em concentrar as entregas divididas por bairros, utilizando veículos distintos para cada região. Por volta de 1918, três das maiores lojas de departamento de Seattle tinham se tornado clientes regulares, abrindo mão de seus próprios carros de entrega (que Jim e seus sócios frequentemente compravam). Em 1919, além de estender seus serviços para as cidades de Oakland e Los Angeles, adotou oficialmente o nome United Parcel Service. A palavra “United” serviu como recordação de que as operações da empresa em cada cidade faziam parte de uma única organização, “Parcel” identificava a natureza do negócio, e “Service” indicava a oferta.


Em 1922, a UPS adquiriu uma empresa em Los Angeles com uma técnica inovadora, conhecida como serviço de “transportadora comum”, que incorporou muitos dos recursos e princípios operacionais do serviço de entrega para lojas do varejo aos recursos que, até então, não eram oferecidos por muitas outras transportadoras privadas ou até mesmo pelo serviço de entrega de pacotes. Os recursos diferenciados do serviço de transportadora comum incluíam ligações de coleta diária automática, aceitação de cheques emitidos para o remetente para o pagamento de C.O.D.s (Pagamento na Entrega), tentativas de entrega adicional, retorno automático dos pacotes que não foram entregues e documentação dinâmica com faturamento semanal. Talvez o maior recurso tenha sido o fato da UPS ter sido capaz de fornecer serviços extensivos a preços comparáveis aos do serviço de entrega de pacotes. Pouco depois, em 1924, a UPS estreou outra inovação tecnológica que iria moldar o seu futuro: o primeiro sistema de esteiras rolantes de transporte para o processamento de pacotes. Embora o serviço de transportadora comum tenha sido inicialmente limitado a uma pequena área nos arredores de Los Angeles, em 1927 a empresa expandiu-se até uma área de 125 milhas ao redor do centro da cidade. Nessa mesma época, os serviços de entrega do varejo também se expandiram para incluir todas as maiores cidades da Costa do Pacífico nos Estados Unidos.


Em 1929 a empresa inaugurou a United Air Express, fazendo entregas aéreas, inclusive para o estado do Texas. Infelizmente, a falta de volume (causada em grande parte pela grande recessão econômica), contribuiu para o fim deste serviço nesse mesmo ano. Nesta época, todos os caminhões de entrega da empresa foram pintados na cor marrom. Nos anos seguintes a empresa tem um grande crescimento devido a suas ousadas ações, como na década de 1930 quando expandiu seus negócios para as cidades de Nova York e Newark, e na década de 1950, quando o segmento de entrega ou remessa de encomendas das lojas de departamento estava se tornando limitado, diversificou seus negócios fazendo entrega de qualquer tipo de encomenda. Em 1953, a UPS retomou o funcionamento do serviço aéreo, oferecendo entrega expressa em dois dias nas principais cidades da costa leste e oeste do país. Mais uma vez, os pacotes UPS eram transportados nos compartimentos de carga dos voos regulares de aviões comerciais através do serviço UPS Blue Label Air. Durante três décadas, a UPS lutou sistematicamente para obter autorização para transportar os seus pacotes livremente ao longo de todos os estados americanos. Finalmente em 1975, recebeu autorização federal para entregar encomendas em todo território americano. A UPS formou então a “Conexão Dourada”, tornando-se a primeira empresa de entrega de pacotes a servir todos os endereços nos 48 estados americanos. E investiu também nas entregas para a cidade de Ontário no Canadá, um enorme passo rumo à expansão internacional.


A empresa continuava aperfeiçoando seus serviços com tecnologia e métodos que facilitassem e mantivessem a boa qualidade dos serviços. Três anos mais tarde começou a operar na Alemanha, expandindo-se pela Europa na década de 1980. Nesse mesmo ano a empresa entregava encomendas aéreas com até dois dias para todos os estados do país. A procura de serviços de entrega de pacotes por via área aumentou nos anos de 1980 e a desregulamentação federal da indústria das companhias aéreas criou novas oportunidades para a UPS. No entanto, essa desregulamentação originou mudança, obrigando as companhias aéreas estabelecidas a reduzir os voos e a abandonar completamente algumas rotas. Para garantir a viabilidade de seus serviços, a UPS começou montar sua própria frota de aviões, comprando sua primeira aeronave em 1981, o que possibilitou a implantação, no ano seguinte, do serviço de entregas noturnas. Com a crescente procura de um serviço cada vez mais rápido, ingressou no segmento de entregas aéreas em 24 horas e, por volta de 1985, o serviço UPS Next Day Air encontrava-se disponível em todos os 48 estados americanos e Porto Rico. O Alasca e o Havaí foram adicionados depois. Nesse mesmo ano, ingressou em uma nova era com o serviço de entrega de documentos e pacotes via aérea internacional, que ligava os Estados Unidos e seis nações europeias.


Somente em 1988 a UPS recebeu autorização da Federal Aviation Administration (FAA) para operar os seus próprios aviões, tornando-se assim, oficialmente, uma transportadora aérea. Recrutando os melhores profissionais disponíveis, a UPS fundiu diversas culturas e procedimentos em uma operação uniforme, denominada UPS AIRLINES. Em 1990, realizou os primeiros voos planejados para Ásia. Por volta de 1993, a UPS já entregava 11.5 milhões de pacotes e documentos por dia para mais de um milhão de clientes regulares. Com um volume tão grande, a empresa teve a necessidade de desenvolver uma nova tecnologia para manter a eficiência, manter os preços competitivos e fornecer novos serviços ao cliente. A tecnologia UPS tem uma expansão incrível, desde pequenos dispositivos handheld (permite que o motorista fique em contato constante com sua central, mantendo-se atualizado sobre mudança de planejamentos de coleta, padrões de tráfego e outras mensagens importantes) até veículos de entrega de pacotes especialmente projetados, computador global e sistemas de comunicação. Ainda em 1993, foi criada a divisão de logística para fornecer soluções de gerenciamento de cadeia de suprimentos mundial. Em 1994, foi criado o UPS.com e a demanda do consumidor por informações sobre os pacotes em trânsito suprida. No ano seguinte, a UPS adicionou funcionalidade ao seu site que permitiu que os clientes rastreassem os pacotes em transporte.


Através de aquisições a UPS conseguiu penetrar em vários segmentos de mercado. Ao comprar a empresa Challenge Air em 1999, a UPS tornou-se a maior transportadora de carga aérea e encomendas expressas de toda a América Latina. Ainda em 1999 adquiriu a Fritz Companies consolidando sua presença no transporte de cargas pesadas que somado ao volume de cargas de pacote (courier) a tornou a maior transportadora (em volume) do mundo. Em 2001, a empresa ingressou no mercado de varejo com a aquisição da Mail Boxes Etc., então maior empresa mundial de serviços postais, de remessas e negócios de varejo. No prazo de dois anos, aproximadamente 3.000 lojas Mail Boxes Etc. nos Estados Unidos receberam a marca The UPS Store®, oferecendo a mesma variedade de serviços postais e de remessas, com a conveniência e serviço de categoria mundial. Em 2004 a empresa adquiriu a Menlo Worlwide Forwarding aumentando assim o seu poder de transporte aéreo. No ano seguinte ao adquirir a Overnite ampliou os seus serviços rodoviários na América do Sul.


Tendo a região da Ásia como objetivo principal de crescimento, ainda em 2005 a UPS lançou o primeiro serviço de entrega non-stop entre os Estados Unidos e Guangzhou na China. No mesmo ano, conquistou o interesse de seu parceiro na China, concedendo-lhe acesso a 23 localidades responsáveis por mais de 80% do comércio internacional do país. Em 2014, como forma de encontrar a ferramenta perfeita para acelerar a entrega de pacotes e reduzir custos a empresa lançou o UPS Access Point™, pontos de retiradas de encomendas dentro de varejistas (como lojas de conveniência de bairro e mercearias). O novo serviço foi colocado em prática em 300 locais nas cidades de Chicago e Nova York. A ideia é deixar a encomenda a uma curta distância da casa do cliente, reduzindo assim as tentativas falhas de entregá-la quando alguém não está em casa para recebê-la.


Ao longo dos mais de 100 anos, a UPS se tornou uma especialista em transformação, passando de uma empresa de mensageiros de pequeno porte à líder na indústria de transporte aéreo, marítimo, rodoviário e de serviços eletrônicos. Nas duas últimas décadas a UPS tem expandido significativamente suas capacidades, principalmente através da aquisição de mais de 40 empresas, incluindo líderes dos setores de frete rodoviário e aéreo, remessas no varejo e serviços empresariais, despacho aduaneiro, finanças e serviços de comércio internacional. Atendendo a demanda de seus clientes, a UPS criou uma empresa capaz de oferecer estes serviços, a UPS Supply Chain Solutions, divisão que desempenha de maneira eficiente serviços logísticos com nível internacional e financeiro, e trata também da correspondência e documentos de modo a aperfeiçoar a competitividade dos seus clientes melhorando também as suas cadeias de suprimentos.


O tradicional caminhão marrom 
A UPS é conhecida principalmente pelos seus caminhões marrons, internamente chamados de Package Cars, e que renderam a empresa o apelido de The Big Brown Machine (a grande máquina marrom). Esta história começou em 1920 quando a empresa adotou a cor marrom, escolhida por significar sobriedade, seriedade e profissionalismo. Foi nesta década que todos os veículos da empresa foram pintados na cor marrom (conhecida oficialmente como Pullman Brown). Porém uma outra história conta a adoção da cor marrom. Jim Casey desejava inicialmente que os caminhões fossem amarelos. Ele foi convencido a adotar a cor marrom por Charlie Soderstrom, que argumentou que com a cor amarela seria impossível manter a frota limpa. A cor marrom está tão ligada à marca UPS que o tradicional uniforme dos funcionários, claro, na cor marrom, é um símbolo corporativo da América. O design da carroceria dos caminhões é feito exclusivamente para a UPS e quando os veículos antigos são retirados da frota eles são totalmente desmontados para não poderem ser reutilizados. Os caminhões marrons da empresa se tornaram extremamente familiar e uma marca registrada da UPS.


Os clássicos caminhões de entrega da UPS durante anos foram construídos sobre um chassi General Motors ou Ford, e tinham uma transmissão e direção manual, facilmente reconhecíveis devido aos seus faróis redondos. Os automóveis de entrega mais recentes na América do Norte, já possuem um chassi Freightliner ou Navistar International. A UPS também utiliza Dodge Sprinter nas zonas rurais, bem como Dodge Grand Caravan Minivans. Atualmente a frota de veículos da empresa é de 104.926 (incluindo os tradicionais caminhões, vans e motocicletas) e cada um de seus motoristas entrega mais de 500 pacotes por dia. Uma curiosidade interessante: em 2001 a UPS começou a incorporar a sua frota veículos elétricos (apesar dos primeiros veículos elétricos terem sido utilizados pela primeira vez em 1933) e com combustíveis alternativos na cidade de Atlanta, e, atualmente possui mais de 7.000 destes modelos em sua enorme frota.


A companhia aérea 
A UPS AIRLINES não começou tão grande. Em fevereiro de 1929, o serviço United Air Express foi inaugurado, posicionando pacotes nos compartimentos de carga dos aviões de passageiros de outras companhias aéreas. A quebra da Bolsa de Valores e a consequente retração da economia americana fizeram com que a empresa fosse obrigada a paralisar o serviço aéreo em 1931. Somente em 1953, o serviço aéreo foi retomado; desta vez, para ficar. Nos primeiros três meses, os voos iam apenas para o leste, partindo da Califórnia. Hoje, os Browntales, como são popularmente chamados seus aviões, voam o mundo (com um estilo cuidadosamente planejado e meticulosamente sincronizado, é claro). Voos operam entre o Worldport da UPS em Louisville, o centro de distribuição internacional central da UPS Airlines, e outros 720 aeroportos no mundo.


Além de pilotos, tripulantes, e mecânicos, a UPS emprega meteorologistas para obter cobertura antecipada das condições climáticas. O departamento de meteorologia foi formado em 1994 quando era prevista uma leve nevasca, mas uma tempestade empilhou 41 cm de neve em Louisville. Os meteorologistas da UPS também desenvolveram uma técnica inovadora de previsão de neblina, pelo fato de muitos voos pousarem nas primeiras horas do dia, e também criaram planos de contingência para evitar atrasos causados pelo mau tempo, para que as entregas sejam realizadas a tempo. Todos os envios são importantes para a UPS, mas alguns recebem até atenção especial da mídia. Em 1999, a empresa e a Fundação UPS causaram um “panda-mônio” quando uniram forças para trazer ao Zoológico de Atlanta dois ursos-panda gigantes de seu lar em Beijing na China. Lun Lun e Yang Yang, como eram chamados os ursos, voaram em um Boeing 767, batizado de “Panda Express”, em contêineres construídos especialmente para mantê-los seguros em sua jornada. A UPS forneceu todo o apoio logístico e transporte terrestre até a nova casa dos ursos. Seis anos depois, transportou Ralph e Norton, um par de tubarões-baleia desde Taipei até Atlanta. A única linha aérea que transportou tubarões-baleia através do Oceano Pacífico, re-configurou um Boeing-747 freighter com um avançado sistema de suporte marinho, tanques e acomodações para os veterinários.


Atualmente a UPS AIRLINES possui uma frota de 237 aeronaves em serviço (uma das maiores companhias aéreas dos Estados Unidos), além de 305 aviões fretados, que atendem 382 aeroportos nos Estados Unidos e outros 346 internacionais. Seus aviões realizam diariamente 940 voos nos Estados Unidos e mais de mil no mundo. A UPS AIRLINES utiliza alguns dos mais avançados sistemas de informações do mundo, como a Monitorização de Operações Computadorizadas, Sistema de Planejamento e Organização (COMPASS), que fornece informações para planejamento de voo, planejamento e manuseio de carga. O sistema, que pode ser utilizado para fazer o planejamento mais adequado dos vôos com até seis anos de antecedência, é único na indústria.


O gigantismo da UPS 
Para entender o gigantismo da UPS é preciso dar um mergulho em seu impressionante centro logístico, que funciona 24 horas por dia e movimenta 6% do PIB americano. Todas as noites, infalivelmente às 23h, os céus se abrem sobre a cidade de Louisville, no estado americano de Kentucky. O movimento é preciso, no exato ponto de encontro entre a latitude 38°09' Norte e a longitude 85°44' Oeste. Começa, então, uma diferente revoada. Pássaros metálicos gigantes, de corpo branco e cauda marrom, decolam e pousam as centenas até o amanhecer seguinte, em um ritmo cadenciado: um a cada 90 segundos. Chegando ou partindo, estão sempre carregados. Em terra, descansam alinhados enquanto alimentam um imenso ninho, com o tamanho equivalente a 80 campos de futebol, e dão vida a uma frenética atividade em plena madrugada. Naquele pedaço de 480.000 m² encravado dentro dos limites do aeroporto internacional de Louisville não se dorme nunca. Some-se a isso 122 milhas (200 quilômetros) de esteiras de alta velocidade (longas o bastante para esticarem-se de Louisville a Indianápolis) e uma base de dados capaz de manejar 60 milhões de transações por hora. Dali, a UPS se conecta com sua frota de 237 aviões a mais de 220 países e territórios em todos os continentes. Naquele período, o espaço aéreo pertence apenas às aeronaves de carga da empresa (que, em número, tornam a UPS uma das maiores companhias aéreas do planeta). E, a partir dos milhares de contêineres que elas despejam todas as noites, tem início uma operação quase invisível, mas de proporções impressionantes.


A cada hora, 416 mil (mais ou menos 115 por segundo) pacotes e caixas de todos os tamanhos passam por ali, numa conexão entre o seu ponto de partida e o seu destino final. São tocados apenas duas vezes, ao serem desembarcados na chegada e reembarcados na saída, embora mais de sete mil pessoas estejam trabalhando simultaneamente em meio a uma incrível teia de esteiras rolantes de alta velocidade. Em termos de volume e automação, não há nada que se compare ao que acontece no Worldport, o maior e mais importante centro de operações da UPS no mundo. Erguido a partir de 1982, com sucessivas expansões, a um custo de US$ 1 bilhão, o Worldport colocou uma tranquila cidade interiorana no mapa da economia mundial. Por que Louisville? A geografia e a meteorologia têm a resposta. O clima da região, mais estável que em outros pontos do país, é perfeito para quem depende de pistas de pouso permanentemente abertas. Estrategicamente localizada no centro da metade mais densamente povoada dos Estados Unidos, dali se pode alcançar, de caminhão, 80% da população americana em menos de 48 horas. Embora a companhia seja hoje global, a demanda doméstica ainda é crucial para seus negócios. A UPS transporta 6% do PIB americano. Em uma conta rápida, aproximadamente US$ 1 trilhão em encomendas vão e vêm por ano nos aviões e nos caminhões marrons da empresa - e o entroncamento de Louisville tem tudo a ver com esse movimento todo. O Worldport, assim, vira também um indicador da atividade econômica do país.


Mais que o orgulho de uma empresa centenária, o Worldport é o principal cartão de visita da UPS na captação de clientes para suas outras áreas de atuação. A eficiente complexidade daquela cidade de vias superpostas atesta a capacidade da empresa em assumir tarefas grandiosas e com alta exigência tecnológica. A UPS investe US$ 1 bilhão ao ano em pesquisa e desenvolvimento - e parar, por alguns minutos, a observar um simples envelope com documentos viajar pelo Worldport permite entender como esse dinheiro é gasto. No trajeto entre a entrada e a saída do centro, cada encomenda permanece em média apenas de 12 a 15 minutos trafegando a uma velocidade de 55 quilômetros por hora. Num sobe e desce aparentemente desordenado, passa por seis leitores ópticos, que, automaticamente, definem o trajeto a ser percorrido até o contêiner que o levará ao seu destino final. Hoje, em 24 segundos, duas mil encomendas são processadas no Worldport. Quando tudo começou, em 1982, levava-se uma noite inteira para fazer o mesmo trabalho. Dentro e no entorno do aeroporto, o tráfego de veículos com a cor e o logotipo da empresa é incessante.


Amor à logística 
Após uma década de trabalho e investimento de bilhões de dólares em melhorias, a UPS lançou em 2010 uma nova plataforma de comunicação que demonstrava a evolução do conceito de “Logística” e posicionava a empresa como líder indiscutível do seu setor, ao oferecer a mais ampla gama de serviços logísticos. A nova campanha que teve início nos Estados Unidos, México, Reino Unido e China, foi centrada na capacidade que a UPS tem para ajudar as empresas de qualquer porte, setor ou região, a aproveitar o poder da logística para seu crescimento e obter vantagem competitiva no mercado global. A campanha global tinha como foco o slogan “NÓS [símbolo estilizado de um coração = amamos] LOGÍSTICA” (“We [heart] Logisitcs”) para demonstrar o entusiasmo que a UPS tem em oferecer soluções de transporte e para a cadeia de suprimentos que possam gerar maior competitividade para seus clientes.


A evolução visual 
Ao longo dos anos o logotipo da UPS foi modificado algumas vezes. As mudanças começaram em 1916 quando a empresa adotou o logotipo com uma águia carregando um pacote com os dizeres: “Safe, Swift, Sure” (Seguro, Rápido, Garantido). Os funcionários da UPS ainda referem-se a esse logotipo como “Shield”. A segunda mudança ocorreu em 1937 quando apenas o nome UPS e a frase “THE DELIVERY SYSTEM FOR STORES OF QUALITY” integravam o logotipo. No ano de 1961 foi introduzido o logotipo que continha um pacote com um laço criado pelo renomado designer Paul Rand.


Em abril de 2003 ocorreu a quarta mudança que modernizou radicalmente o logotipo da marca, que ganhou um visual mais limpo. Dez anos mais tarde, em 2013, a identidade visual ganhou uma leve atualização. As cores, amarela e marrom, ganharam tons mais claros e vivos, e os detalhes como sombra e reflexo desapareceram.


Os slogans 
United Problem Solvers. (2015) 
We Love Logistics. (2010) 
Deliver more. (2005) 
Your business. Synchronized. (2003) 
Synchronizing the World of Commerce. (2003) 
What can BROWN do for you? (2002) 
We want to race the truck. People love the truck. (2001) 
Consider it done. (1996) 
Moving at the speed of business. (1995) 
The package delivery company more companies count on. (1993) 
As sure as taking it there yourself. (1988) 
We run the tightest ship in the shipping business. (1985) 
UPS saves you money from the ground up. (1982)


Dados corporativos 
● Origem: Estados Unidos 
● Fundação: 28 de agosto de 1907 
● Fundador: James Casey e Claude Ryan 
● Sede mundial: Atlanta, Geórgia, Estados Unidos 
● Proprietário da marca: United Parcel Service, Inc. 
● Capital aberto: Sim (1999) 
● Chairman: Scott Davis 
● CEO: David Abney 
● Faturamento: US$ 58.3 bilhões (2015) 
● Lucro: US$ 4.84 bilhões (2015) 
● Valor de mercado: US$ 97.3 bilhões (julho/2016) 
● Valor da marca: US$ 14.723 bilhões (2015) 
● Lojas: 4.908 
● Frota: 237 aviões e 104.900 veículos 
● Presença global: 220 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 444.000 
● Segmento: Logística 
● Principais produtos: Entrega expressa, transportes de carga, serviços e sistemas de logística 
● Concorrentes diretos: Fedex, DHL, TNT Express, United States Postal Service, Canada Post, Correios e Royal Mail 
● Ícones: O caminhão marrom de entrega e a cor marrom 
● Slogan: United Problem Solvers. 
● Website: www.ups.com 

O valor 
Segundo a consultoria britânica Interbrand, somente a marca UPS está avaliada em US$ 14.723 bilhões, ocupando a posição de número 29 no ranking das marcas mais valiosas do mundo. A empresa também ocupa a posição de número 48 no ranking da revista FORTUNE 500 de 2016 (empresas de maior faturamento no mercado americano). 

A marca no mundo 
A UPS, maior empresa de entrega de bens do mundo, e fornecedor global de serviços de logística (aérea, marítima, terrestre e ferroviária) e transporte, opera uma rede internacional em aproximadamente 220 países e territórios, que se estende aos oceanos Pacífico e Atlântico. Com o seu serviço internacional consegue atingir a 10 milhões de pessoas entregando e coletando diariamente uma média superior a 18.3 milhões de encomendas (anualmente são mais de 4.7 bilhões), empregando mais de 444 mil funcionários e alcançando um faturamento superior a US$ 58 bilhões em 2015. No mundo inteiro são 542 aviões (237 deles próprios e o restante fretado), 35.000 contêineres que carregam encomendas em seus aviões, e quase 105 mil veículos (carros, vans, tratores, motocicletas de entrega, incluindo 7.000 veículos de combustível alternativo) que voam e rodam para que as encomendas cheguem ao destino final o mais rápido possível. A UPS possui ainda 4.908 The UPS Store®, mais de 1.000 UPS Customer Centers, 10.100 centros autorizados, 24.000 pontos de acesso em comércios locais (conhecidos como UPS Access Point™) e 38.100 caixas de postagens (conhecidas como UPS Drop Boxes). No Brasil, presente desde 1995, a empresa opera diretamente em aeroportos como Viracopos (Campinas), Belém, Belo Horizonte, Curitiba, Fortaleza, Guarulhos (São Paulo), Goiás, Manaus, Navegantes, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e Vitória. 

Você sabia? 
Em 1991, a empresa foi a primeira a realizar entregas aos sábados. E já em 1992, começou a rastrear todos os pacotes terrestres. 
Quando a UPS expandiu-se para a antiga Alemanha Ocidental, teve que mudar o tradicional uniforme marrom para o verde, devido a semelhança com as camisas pardas usadas pelos nazistas. 
O site da UPS, que entrou no ar em 1994, recebe aproximadamente 23 milhões de pedidos diariamente. Aproximadamente 64.9 milhões de encomendas são rastreadas diariamente no site da empresa. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek, Exame, Época Negócios e Isto é Dinheiro), jornais (Meio Mensagem, Valor Econômico, O Globo, Estadão e Folha), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 13/7/2016

Nenhum comentário: