18.7.06

LEXUS


Sua filosofia é a busca da perfeição sobre rodas. E ao analisar seus modelos pode se chegar à conclusão que essa filosofia é seguida a risca. Os modelos da marca LEXUS são a mais autêntica tradução de tecnologia avançada, design moderno e alto desempenho, tanto nas ruas como nas estradas. Por isso, em 30 anos de história, a marca estabeleceu um novo padrão de qualidade e conforto, nunca antes atingido no mercado de luxo de automóveis. A LEXUS se destaca pela sua liderança em inovação tecnológica, pelo design refinado, pela qualidade artesanal do acabamento de seus carros e pelo excepcional nível de serviço oferecido aos seus clientes. Desde seu nascimento, a LEXUS sempre buscou nada menos que a perfeição. 

A história 
Tudo começou no mês de agosto de 1983 quando o então presidente da montadora japonesa Toyota, Eiji Toyoda (foto abaixo), desafiou seus principais executivos com uma simples pergunta: “Podemos criar um carro de luxo que possa desafiar os melhores automóveis do mercado?”. A montadora havia decidido que era hora de lançar um automóvel de alto luxo, que pudesse mudar o mercado, e especialmente cativar o exigente consumidor americano. Com isso foi criado um comitê formado por 15 pessoas para conduzir o projeto que ficou conhecido como “Circle F”. Dois anos depois um grupo de pesquisadores da montadora desembarcou na cidade de Laguna Beach na Califórnia, um dos principais refúgios das famílias ricas americanas, com o propósito de investigar os gostos, preferências e estilo de vida dessa classe econômica. Daí resultou a necessidade de criar uma nova marca que fosse autônoma da Toyota. Foi então criada uma divisão de automóveis de luxo da montadora japonesa, batizada de LEXUS. O responsável pelo projeto técnico era o engenheiro-chefe Ichiro Suzuki, que desejava um carro que pudesse atingir 250 km/h, enquanto a velocidade máxima dos concorrentes era de 210 km/h. Que fizesse 9.5 km/l enquanto a marca dos concorrentes era de 8,5 km/l. Que tivesse um coeficiente de arrasto, medida utilizada para medir a eficiência aerodinâmica de um carro, entre 0.28 e 0.29, enquanto o dos principais concorrentes era de 0.32. O nível de ruído a 95 km/h deveria ser de 58 decibéis, enquanto os veículos da concorrência superavam os 60 decibéis nesta velocidade.


Em meados de 1985 foi fabricado o primeiro protótipo, batizado de LS 400. No ano seguinte o protótipo foi testado nas auto-estradas da Alemanha e dos Estados Unidos, tendo seu projeto final aprovado em 1987. Durante todo o projeto foram investidos mais de US$ 4 bilhões, e estiveram envolvidos 1.400 engenheiros, 60 designers e 2.300 técnicos, além de 450 protótipos construídos. Em janeiro de 1988 a marca LEXUS apresentou oficialmente seu logotipo e o modelo LS 400 no salão do automóvel de Los Angeles. Poucos meses depois foram inauguradas as primeiras 81 concessionárias da marca em território americano. Após um rígido programa de testes, onde mais de 100 modelos foram exaustivamente submetidos a testes de colisão, a nova marca iniciou suas vendas no mercado americano no dia 1 de setembro de 1989 ao preço de US$ 38.000. O LEXUS LS 400, equipado com um motor V8 de 4000cc, era um veículo silencioso e sofisticado. Na ocasião, a marca apresentou outro modelo, o LEXUS ES 250 (um sedã menor que o modelo LS), também fruto do projeto.


Devido a uma enorme operação de marketing e ao seu elevado luxo e qualidade, sem esquecer do preço, extremamente competitivo, o LEXUS se tornou um verdadeiro sucesso de vendas entre os americanos: em apenas quatro meses as vendas dos dois modelos atingiram 16.302 unidades. No ano seguinte o LEXUS LS 400 foi eleito o melhor carro importado dos Estados Unidos e chegou ao mercado europeu, sendo lançado inicialmente na Inglaterra. O exigente consumidor britânico ficou impressionado com a qualidade dos modelos LEXUS. Pouco depois os modelos da marca foram introduzidos na Suíça, Canadá e Austrália. Em 1991 a LEXUS já era uma das principais marcas importadas de automóveis de luxo do mercado americano, e no ano seguinte alcançava o primeiro lugar em vendas na categoria de carros de luxo importados, superando as tradicionais BMW e Mercedes-Benz. Vendeu 92.890 unidades, um número espantoso para uma marca recentemente introduzida no mercado.


Em 1994 a segunda geração do LS 400, totalmente reestilizada era lançada no mercado. Neste período, a marca solidificou sua posição de liderança no mercado, sendo o automóvel de luxo importado mais vendido dos Estados Unidos, superando todos os seus concorrentes europeus. A popularidade da LEXUS aumentou ainda mais em meados desta década, com a introdução do primeiro veículo utilitário esportivo da marca, o LEXUS LX 450. Apenas dois meses após seu lançamento, o modelo já era líder de mercado, ultrapassando o Land Rover em unidades vendidas. No final desta década, em 1999, foi criada a TEAM LEXUS, divisão de competição automobilística da montadora japonesa, que conquistou sua primeira vitória em sua temporada de estreia. Ainda neste ano, a LEXUS comemorava a marca de 1 milhão de veículos vendidos nos Estados Unidos. Nesta altura a marca era considerada a mais bem sucedida em sua categoria nos últimos 30 anos.


Em 2003 a LEXUS inaugurou sua primeira fábrica fora do Japão, localizada em Cambridge, Ontário, no Canadá. Somente em 2005 a marca foi introduzida no mercado japonês (antes seus veículos eram comercializados com a marca Toyota). Pouco depois, em 2007, a LEXUS criou a divisão de elevada performance F, aplicando-a no LEXUS IS-F. Com esta nova divisão a montadora passava a poder competir com as suas principais rivais europeias. Em 2008, a marca apresentou um slogan que definia sua principal missão e filosofia: The pursuit of perfection (em português “A busca da perfeição”). Para satisfazer o apetite crescente por carros de luxo em mais um país emergente, a LEXUS apresentou oficialmente sua marca na Índia em 2011.


Nos últimos anos, um dos fatores de grande sucesso da marca atende pelo nome de LEXUS HYBRID DRIVE, uma tecnologia inteligente que combina a potência do motor eléctrico com a do motor a gasolina para obter um desempenho impressionante, com emissões de gases significativamente mais reduzidas. Além disso, ao contrário de outros carros elétricos ou híbridos com conectores, o proprietário nunca precisará carregar um veículo híbrido da LEXUS na tomada - eles são auto-carregáveis e estão sempre prontos para uso. Isto porque, a bateria será carregada durante todo o trajeto, enquanto o condutor se desloca, desacelera ou freia, o sistema inteligente segue recuperando energia e a armazena para uso posterior. No mês de fevereiro de 2019, a LEXUS comemorou 10 milhões de veículos vendidos no mundo desde seu lançamento. Em novembro desse ano, a marca apresentou o UX 300e, o primeiro veículo totalmente elétrico da marca. A bateria de íons de lítio é de 54.3 kWh e proporciona um alcance de 400 km com uma carga.


Atualmente, a LEXUS vai além de sua reputação de veículos de alta qualidade com a integração de tecnologias inovadoras, como a Lexus Hybrid Drive, que conquistou a liderança no segmento de luxo híbrido. Hoje, a marca de luxo japonesa comercializa em todo o mundo diversas versões de 11 modelos. A nomenclatura dos modelos das LEXUS se divide em: sedãs (IS compacto, ES e GS tamanho médio e o LS grande), cupês (RC e LC), utilitários esportivos (NX, UX e RX compacto crossover, GX de tamanho médio e LX tamanho grande) e esportivos de alta performance (sedã GS e cupês RC e LC). Já os modelos híbridos incluem as variantes do GS, LS, LC, NX, UX e RX.


A linha do tempo 
1991 
Lançamento do LEXUS SC 400, um luxuoso cupê de médio porte para quatro pessoas. O sucesso do novo modelo foi imediato no mercado americano. 
1992 
Lançamento do LEXUS ES 300, um sedã executivo top de linha. 
1993 
Lançamento do LEXUS GS 300, um belíssimo sedã esportivo extremamente luxuoso em seu interior. O modelo está em sua quarta geração. 
1996 
Lançamento do LEXUS LX 450, primeiro veículo esportivo utilitário da marca. O potente automóvel, apesar de ser um veículo esportivo utilitário de tamanho grande, era extremamente luxuoso. O modelo está em sua terceira geração. 
1998 
Lançamento do LEXUS RX 300, que foi eleito melhor carro na categoria de utilitários esportivos médio nos Estados Unidos. Voltado para o mercado de luxo este 4x4 vinha equipado com motor V6 de 3 litros. O modelo está em sua quarta geração. 
Lançamento do LEXUS IS 200, um sedã compacto (para os padrões norte-americanos). Apesar de médio por fora (4.4 metros de comprimento), o modelo trazia um interior espaçoso e luxuoso. Foi o primeiro modelo de passeio da LEXUS a ser disponibilizado com motor movido a diesel. O modelo está em sua terceira geração. 
2001 
Lançamento do LEXUS SC 430, um cupê conversível, que recolhia a capota automaticamente em apenas 25 segundos. Suas linhas elegantes e clássicas foram criadas pelo Centro de Desenvolvimento e Designer europeu da LEXUS na Riviera Francesa. 
2002 
Lançamento do LEXUS IS 200 SportCross, uma station wagon (perua) esportiva e arrojada, equipada com um potente motor de seis cilindros. 
Lançamento do LEXUS GX 470, um utilitário esportivo de tamanho grande, que este em sua segunda geração. 
2005 
Introdução do primeiro SUV (veículo utilitário esportivo) híbrido de luxo do mundo, que atendia pelo nome de LEXUS RX 400h. Seria o primeiro híbrido de muitos que a marca viria a lançar no mercado. 
2006 
Lançamento do LEXUS LS 460, quarta geração de seu sedã de luxo, que redefiniu os parâmetros da categoria. O novo modelo incluía tecnologia anticolisão, entre elas um sistema para detectar pedestres e radar no para-choque para medir a distância com os carros de trás. Com um motor V-8 de 4.6 litros com 347cv de potência, 10 air-bags para proteger os passageiros, seu preço superava a marca dos US$ 65 mil, em sua versão mais barata. O modelo está em sua quinta geração. 
2008 
Lançamento do LEXUS LS 600h, um enorme sedã de alto luxo (mais de 5 metros de comprimento) híbrido equipado com um motor V8. O veículo possuía um equilíbrio incomparável entre eficiência ambiental e desempenho. 
2009 
Lançamento do LEXUS HS 250h, um luxuoso sedã compacto oferecido exclusivamente com motorização híbrida, que incluía um motor auxiliar elétrico. O modelo foi baseado no Toyota Prius. Em 2018 o modelo deixou de ser produzido. 
2011 
Lançamento do LEXUS CT 200h, primeiro hatch da marca japonesa, que foi inicialmente desenvolvido para o mercado europeu. O modelo vinha equipado com um motor 1.8 VVT-i a gasolina, ligado a um motor elétrico Toyota Hybrid Synergy Drive e uma transmissão CVT. O modelo saiu de linha em 2017 devido às fracas vendas. 
2014 
Lançamento do crossover LEXUS NX de cinco lugares. O veículo apresentava uma novidade para um veículo da marca: um turbocompressor. 
2015 
Lançamento do LEXUS RC, um cupê esportivo compacto de duas portas com capacidade para quatro pessoas. 
2017 
Lançamento do LEXUS LC, um moderno cupê esportivo de dois lugares com tecnologia híbrida, motor V6 3.5 litros de 354 cv de potência, construído na nova plataforma de tração traseira da marca, a global GA-L. Faz de 0 a 100 km/h em cinco segundos. 
2018 
Lançamento do LEXUS UX, um crossover subcompacto. É o menor veículo da marca japonesa. 
Lançamento da sétima geração de seu sedã compacto LEXUS ES, que pela primeira vez também oferecia a variante esportiva F SPORT.


Em busca da perfeição 
Mais que um slogan, a busca pela perfeição é uma realidade constante para a LEXUS, e isso pode ser visto em cada detalhe de seus automóveis. Seus engenheiros utilizam aparelhos de tomografia para analisar motores e detectar e corrigir qualquer imperfeição encontrada. O acabamento é realizado e inspecionado de forma artesanal por mestres em qualidade que passam por treinamentos e reciclagens constantes. Uma única peça de madeira é utilizada para a confecção de todo o acabamento de um mesmo carro, para garantir que cada veículo da marca seja uniforme visualmente e, ao mesmo tempo, único. A LEXUS busca também a perfeição na segurança de seus veículos. Os bonecos utilizados em testes de colisão geralmente possuem aproximadamente 120 sensores para coleta de dados. Já os utilizados pela marca possuem dois milhões desses sensores, permitindo que os engenheiros tenham em mãos uma quantidade formidável de dados para avaliar os efeitos dos mais diversos testes de colisão e proporcionar o máximo de segurança aos ocupantes de um carro da marca. A LEXUS também desenvolveu o maior simulador automotivo do mundo, onde se pode avaliar, em um ambiente realista, porém controlado, as reações de motoristas comuns em diversas situações de riscos, tudo para garantir a mais prefeita interação possível entre o ser humano e o veículo.


O segredo do sucesso 
A LEXUS não só apostou na qualidade de construção de seus impecáveis automóveis como também na qualidade do serviço pós-venda. Omotenashi é uma palavra japonesa que significa “hospitalidade”. Essa era, e ainda é, a palavra de ordem da LEXUS para sua rede de concessionárias. Não bastava para a marca ter um carro melhor que de seus concorrentes. Também queria triunfar onde as deficiências de seus rivais eram mais visíveis: o serviço. O conceito de serviço da LEXUS vai muito além do atendimento nas concessionárias. Por muitos anos, os proprietários de veículos de luxo tinham que “sofrer pela marca”, como dizia o jargão da indústria automotiva. Atitudes esnobes por parte de vendedores e gerentes era o padrão do mercado de luxo. A LEXUS, porém, estava determinada a ser diferente. Em uma concessionária da marca, os clientes seriam sempre tratados como convidados de honra. E os funcionários não mediriam esforços para resolver qualquer problema que o cliente tivesse, fosse ele mecânico ou não. E assim é até hoje, em qualquer concessionária LEXUS. Essas instalações de serviço apresentam um elevado requinte e conforto, oferecendo máquinas de cappuccino e café, Wi-Fi, mesas com Lego para as crianças e até transporte a aeroportos para executivos ocupados que deixam seus carros para revisão. Por este e outros motivos a LEXUS obteve por várias vezes o primeiro lugar no ranking de satisfação dos clientes.


A divisão de alta performance 
A LEXUS F Marque representa a divisão de alto desempenho dos carros produzidos pela montadora. A marca F refere-se à Fuji Speedway, o principal local de teste do desenvolvimento de veículos de desempenho da LEXUS em Shizuoka, no Japão. Os veículos F Marque dão vida à tecnologia esportiva da marca e à paixão por dirigir. Oferece ao condutor a emoção de um motor de alto desempenho aliado à condução segura que proporcionam uma sensação de potência sem limites. O primeiro veículo da linha a ostentar essa designação foi o LEXUS IS F, anunciado em 2006, seguido pelo conceito de cupê F, LF-A, em 2007, e o carro esportivo LFA. Esses veículos são identificados pela letra F estilizada localizada nos pára-lamas dianteiros. Com recursos desenvolvidos para as pistas e vocação para corridas, os veículos possuem o mais alto nível de desempenho disponível em um LEXUS. Já os veículos F SPORT trazem melhorias relacionadas à performance e esportividade aos modelos, como freios, rigidez do chassi, transmissão, rodas e pneus aprimorados. O controle da carroceria também foi maximizado e a suspensão variável adaptável (SVA) foi incluída.


LFA, máxima esportividade 
A história desta obra-prima começou em 2005 quando a empresa apresentou o carro-conceito LEXUS LFA ROADSTER, um cupê compacto de dois lugares com motor central e design extremamente moderno. O primeiro protótipo do modelo foi mostrado somente em 2009. Era impulsionado por um motor V10 de 4.8 litros que, graças às ligas de alumínio e de magnésio e à construção de liga de titânio, era mais leve que um motor normal deste tipo. Outro cuidado desse supercarro cheio de detalhes era que o piloto ficava posicionado da melhor maneira possível tanto para contribuir com o centro de gravidade do carro quanto para poder sentir todas as reações nas manobras. Um dos componentes mais importantes do conjunto mecânico era o câmbio ASG (Automated Sequential Gearbox) de 6 marchas com paddles no volante. Esse câmbio contava com um sistema que oferecia quatro modos de pilotagem: Auto, Sport, Normal e Wet. Cada um desses modos possuía um programa específico de gerenciamento de controle eletrônico e controle de freios, proporcionando ao condutor total domínio do veículo em quaisquer situações.


Esse supercarro era o máximo de tecnologia e esportividade que a marca japonesa pode criar. Por isso, o modelo era comercializado pelo preço (US$ 375.000) de três Porsche 911 Turbo nos Estados Unidos e tinha conquistado fãs por todas as partes do mundo. Somente 500 unidades do LFA foram vendidas em todo o mundo desde o início da produção, em dezembro de 2010, até o fim, em dezembro de 2012. Para proporcionar ainda mais exclusividade a LEXUS oferecia um configurador virtual para que os clientes pudessem escolher alguns itens: 12 tipos de acabamento em couro e 10 diferentes de Alcantara, com adição de qualquer cor à costura dos bancos; além de oito itens do acabamento interno, como por exemplo, detalhes do volante, acabamento das portas, formato dos bancos, entre outros. Como se não fosse o bastante para os entusiastas, a marca anunciou anos atrás a chegada de uma edição especial chamada SE, que possuía 10 cavalos a mais em relação à versão convencional.


A evolução visual 
Nascida como uma divisão de luxo da Toyota, preservando o DNA de qualidade, confiabilidade e durabilidade da montadora japonesa, a nova marca deveria crescer de forma independente, adquirindo uma identidade própria. Com o lançamento iminente, era chegada à hora de escolher um nome. Uma agência de publicidade apresentou 219 opções de nomes como Vectre, Verone, Chaparel, Calibre e Alexis. Este último rapidamente se tornou a opção preferida de todos. Durante uma reunião, no entanto, George Borst, então gerente de marketing corporativo, levantou uma questão importante. Alexis era o nome de uma polêmica personagem da novela “Dynasty”, que fazia muito sucesso na televisão americana na época. Nesta mesma reunião, o gerente de Projetos John French rabiscava em seu bloco de notas quando eliminou a letra A, chegando a Lexis. Em um rápido processo de brainstorm, o “I” foi trocado por um “U”, chegando finalmente a LEXUS. O nome agradou ao grupo de imediato por remeter tanto ao luxo como à alta tecnologia. Assim, nascia uma nova marca de luxo, que em pouco tempo conquistaria a liderança de seu segmento. E para criar o logotipo da LEXUS a equipe de desenhistas e designers trabalhou muito na evolução até o logotipo final (composta por uma letra L colocada dentro de um círculo ovalado), como mostra a imagem abaixo.


Mais recentemente o logotipo sofreu uma remodelação: trocou o preto por prateado com efeitos 3D.


Os slogans 
Experience Amazing. (2017) 
Amazing in Motion. (2013) 
Engineering amazing. (2014) 
The pursuit of perfection. (2008) 
Persuing perfection. (2004) 
Luxury redefined. (2003) 
The passionate pursuit of perfection. (2000) 
For drivers with a mind of their own. (1997) 
For perfectionists. By perfectionists. (1994) 
The luxury division of Toyota. (1992) 
The relentless pursuit of perfection. (1991)


Dados corporativos 
● Origem: Japão 
● Lançamento: 1 de setembro de 1989 
● Criador: Eiji Toyoda 
● Sede mundial: Nagoya, Japão 
● Proprietário da marca: Toyota Motor Corporation 
● Capital aberto: Não (subsidiária) 
● Presidente: Yoshihiro Sawa 
● Faturamento: US$ 23 bilhões (estimado) 
● Lucro: Não divulgado 
● Vendas globais: 701.078 unidades (2018) 
● Presença global: 70 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Maiores mercados: Estados Unidos, China, Japão e Reino Unido 
● Funcionários: 15.000 
● Segmento: Automobilístico 
● Principais produtos: Automóveis e utilitários de luxo 
● Ícones: O atendimento pós-venda 
● Slogan: Experience Amazing. 
● Website: www.lexus.com.br 

A marca no mundo 
A LEXUS, umas das marcas de automóveis de luxo importado mais vendidos do mercado americano, comercializa seus automóveis em mais de 70 países ao redor do mundo, vendendo mais de 701 mil unidades em 2018, com faturamento estimado de US$ 23 bilhões. Os maiores mercados consumidores da marca são Estados Unidos (que responde por mais de 40% das vendas), China, Japão e Reino Unido. No Brasil, os modelos da marca são comercializados desde 1994, com vendas shop in shop nas concessionárias da Toyota. Os veículos da marca, que englobam desde sedãs, cupês utilitários esportivos de luxo, são produzidos em nove fábricas localizadas no Japão, Canadá e Estados Unidos. 

Você sabia? 
Em 2002 a LEXUS foi responsável pela criação do protótipo 2054 para o filme “Minority Report” que apresentava algumas de suas ideias conceituais para o futuro. Quem estivesse a bordo do LEXUS 2054 não precisaria nem mesmo dirigir. O modelo contava com piloto automático que livrava o motorista até das indesejáveis balizas. Os dispositivos eletrônicos do veículo também esbanjavam tecnologia. Os retrovisores foram trocados por câmeras de vídeo, o vidro do pára-brisa se ajustava automaticamente à luminosidade solar e um computador fazia o trabalho de um concierge indicando os melhores caminhos e até reserva mesa em restaurantes, shows e cinema. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Exame), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 26/11/2019

2 comentários:

Anônimo disse...

A qualidade Toyota com requinte e luxo. Um carro muito bem construído. Adoro meu Lexus 400. Parece novo, zero km, mesmo ap9os 20 anos e quase 90 mil km.

Unknown disse...

Um luxo em 4 rodas, sonho de consumo, realmente requintados e exuberantes!