18.7.06

AT&T

Diariamente milhões de pessoas no mundo inteiro fazem ligações locais e internacionais, acessam a Internet, transmitem dados pelos celulares, se comunicam através de vídeo conferência ou assistem canais de televisão com sinais via satélite. E provavelmente, milhões delas utilizem os serviços da AT&T, a maior empresa de telecomunicação do planeta.

A história
A atual empresa tem suas origens em Alexander Graham Bell e na invenção do telefone, ocorrida em 1876. Ele ofereceu a venda de sua invenção para a Western Union and Telegraph por US$ 100.000, mas a empresa recusou. E então, em julho de 1877, ele e seus sócios, Gardiner Hubbard e Thomas Sanders, fundaram sua própria companhia (The Bell Telephony Company), que antecedeu a atual gigante global das telecomunicações conhecida como AT&T – abreviação para American Telephone and Telegraph Company (Companhia Americana de Telefone e Telégrafo). Em 1878 a primeira casa de vendas de telefone e linhas foi aberta na cidade de New Haven, estado americano de Connecticut, sob licença da Bell Company.


Em 1879, Bell e sua esposa venderam aproximadamente 15% das ações de sua companhia telefônica. Aparentemente eles não perceberam os lucros fantásticos que a companhia iria gerar, porque sete meses depois, eles já haviam vendido a maioria de suas ações ao preço médio de US$ 250 a ação. Em novembro, cada ação da empresa estava sendo vendida ao preço de US$ 1.000. Apesar de terem vendido sua participação a um preço historicamente baixo, em 1883, Bell e sua esposa já haviam lucrado em torno de US$ 1 milhão, valor considerado estratosférico para a época.


Foi neste mesmo ano que os novos sócios mudaram o nome da empresa, no dia 3 de março, para American Telephone and Telegraph, que tinha como objetivo construir e operar a primeira rede telefônica de longa-distância dos Estados Unidos. Somente em 1885 a empresa finalizou a primeira linha telefônica de longa-distância entre as cidades de Nova York e Filadélfia. A capacidade inicial dessa linha era de apenas uma ligação.


A partir deste momento a AT&T iria criar um monopólio (chegou a cobrir 94% do território americano) que duraria por décadas, inaugurando em 1892 sua primeira linha de longa distância, entre a cidade de Nova York e Chicago, com capacidade para uma ligação por vez, ao custo de US$ 9 pelos primeiros cinco minutos; a primeira linha transcontinental em 1915, que conectava os Estados Unidos de costa a costa, estando disponível a todos os consumidores por um preço de US$ 20.70 pelos primeiros três minutos entre Nova York e São Francisco, utilizando para isso o primeiro amplificador elétrico, desenvolvido por Harold Arnold, funcionário da AT&T; instalando em 1919 os primeiros telefones discados na cidade de Norfolk, estado americano da Virginia; iniciando o serviço transatlântico de telefonia (a conversação era transmitida ainda via rádio, somente uma chamada por vez ao preço de US$ 75 por três minutos) entre Nova York e Londres em 1927; inaugurando, em 1934, o serviço trans-pacífico, entre os Estados Unidos e Japão, custando US$ 39 por três minutos de conversação; introduzindo, em 1946, o serviço de telefonia móvel (o sistema era dotado de uma simples antena servindo uma região, com capacidade para no máximo 20 chamadas simultâneas); instalando o primeiro cabo transatlântico submarino, chamado TAT-1, em 1956; lançando o serviço discado para longa distância (antes as chamadas de longa distância precisavam ser feitas com a ajuda da telefonista) na cidade de Englewood, New Jersey, em 1959; lançando o Telstar I, primeiro satélite de comunicação ativo, em 1962; introduzindo o primeiro telefone de tecla, inicialmente instalados nas cidades de Greenburg e Carnegie, estado da Pensilvânia; e introduzindo o famoso 911 como número padrão para chamadas de emergência nacional em 1968.


Depois de décadas de domínio, em 1983, como resultado da lei anti-truste imposta pelo Departamento de Justiça Americano, a American Telephone & Telegraph Company foi dividida em várias empresas regionais, retendo apenas os serviços de longa distância e R&D, passando a adotar o nome de AT&T Corp. Uma dessas novas empresas, batizada de Southwestern Bell Corporation, daria origem a SBC Communications, em 1993, que no ano de 2005 se fundiu com a AT&T Corp. em um negócio avaliado em US$ 16 bilhões, dando origem a nova AT&T. Depois da fusão com a Bellsouth em 2006, a consolidação de proprietária da Cingular Wireless e da YELLOWPAGES.COM (versão on-line das páginas amarelas), a empresa se posicionou como principal líder da indústria de telecomunicações.


O resultado de tudo isso pode ser visto em 2007, quando a AT&T conquistou 9 milhões de assinantes do serviço Wireless (muito em virtude de ser provedora e fornecedora de transmissão de dados e voz oficial do iPhone da Apple), e se tornou a maior empresa de telecomunicação do mundo, líder em vários segmentos como comunicação sem fio, provedor de acesso banda larga a Internet (15 milhões de assinantes somente nos Estados Unidos), voz e dados, televisão por satélite, além de ser uma gigante nos serviços de ligações à longa distância. Após perder a exclusividade na venda de iPhone, em 2011, a AT&T anunciou um acordo com a rival Deutsche Telekom para a compra de sua filial T-Mobile nos Estados Unidos pela quantia de US$ 39 bilhões. Ao combinar a segunda maior operadora de celular do país (AT&T) e a quarta naquele mercado (T-Mobile), a transação, se aprovada pelas autoridades americanas, reunirá os 96 milhões de assinantes de telefonia móvel da AT&T e os 33.7 milhões de clientes da T-Mobile.


Um novo jeito de pensar
Em 2010, a AT&T lançou no mercado uma gigantesca e bilionária campanha publicitária, cujo slogan “Rethink Possible”, demonstrava o novo posicionamento e conceito adotado pela marca, abandonando as disputas diretas, por maior cobertura 3G, que vinha travando nos últimos meses com seu principal concorrente, a Verizon. A intenção era apostar na evolução e inovação tecnológica, aumentar o grau de notoriedade e aproximação com seus clientes, fazendo com que eles vissem a AT&T como uma nova empresa de inovação tecnológica, esquecendo assim o termo telecomunicações. Além disso, a empresa em uma estratégia ousada de branding passou a assinar apenas com o tradicional globo azul e branco, excluindo o nome AT&T.


A evolução visual
Até 1983 a AT&T tinha como logotipo um simbólico sino, clara homenagem ao fundador da empresa, Alexander Graham Bell. Foi neste ano que surgiu um dos logotipos mais conhecidos do mundo: o famoso globo terrestre azul e branco, que rapidamente se tornou parte da cultura capitalista americana.


O atual logotipo da AT&T foi introduzido depois que a empresa foi vendida para a SBC Communications em 2005. O nome AT&T foi adotado definitivamente pela compradora, pois era mundialmente reconhecido como símbolo de inovação em telecomunicações, qualidade e confiabilidade, e o tradicional logotipo, um dos mais reconhecidos símbolos corporativos do mundo, foi completamente modernizado. O novo globo tridimensional representa o alcance e a profundidade dos serviços que a família de empresas da nova AT&T oferecia aos seus clientes, bem como sua presença global. O efeito de transparência agregado ao globo representa clareza e visão. A tipografia com letras minúsculas que é utilizado agora nos caracteres do nome AT&T projeta uma imagem mais acessível e gratificante. O conjunto do novo logo permanece azul por que ambas as marcas, SBC e AT&T, estavam fortemente associadas a essa cor. Recentemente a marca passou a utilizar apenas o tradicional globo azul e branco como seu logotipo.


Os slogans
Rethink Possible. (2010)
Your world. Delivered. (2006)
More bars in more places.
The world’s networking company.
Reach out and touch someone.
(1979)


Dados corporativos
● Origem: Estados Unidos
● Fundação: 3 de março de 1883
● Fundador: Alexander Graham Bell, Gardiner Hubbard e Thomas Sanders
● Sede mundial: Dallas, Texas
● Proprietário da marca: AT&T Inc.
● Capital aberto: Sim
● Chairman, CEO & Presidente:
Randall L. Stephenson
● Faturamento: US$ 124.3 bilhões (2010)
● Lucro: US$ 19.9 bilhões (2010)
● Valor de mercado: US$ 178 bilhões (julho/2011)
● Assinantes: 96 milhões (somente telefonia móvel)
● Presença global: + 220 países
● Presença no Brasil: Não
● Funcionários: 260.700
● Segmento:
Telecomunicações
● Principais produtos:
Telefonia fixa e móvel, Internet
● Principais concorrentes: Verizon e Sprint
● Ícones: O globo azul de seu logotipo
● Slogan: Rethink Possible.
● Website: www.att.com

A marca no mundo
Atualmente a AT&T conta com aproximadamente 96 milhões somente nos serviços de telefonia móvel e outros 4 milhões de consumidores na área de negócios em 22 estados americanos, além de empregar mais de 260 mil pessoas, sendo um gigante das telecomunicações globais, com vantagens competitivas em diversos setores, fazendo frente aos concorrentes nacionais e internacionais, especialmente àqueles que estão sujeitos a leis menos restritivas. A empresa atua, além dos Estados Unidos, na França, Suíça, Alemanha, Argentina, Inglaterra, Bélgica, Holanda, Japão e Austrália, com seus serviços chegando a mais de 220 países. Seus produtos englobam desde serviços de comunicação sem fio e móvel, até cartões telefônicos, ligações locais e internacionais, provedor de acesso a Internet, vídeos conferências, entre outros. Em adição a todos esses serviços a AT&T produz e fornece equipamentos telefônicos, além de ser responsável pela publicação da YELLOW (páginas amarelas) e WHITE PAGES nos Estados Unidos, que são distribuídas para mais de 180 milhões de pessoas. Os maiores mercados da empresa são Califórnia, Illinois e Texas. A AT&T é a décima segunda maior empresa dos Estados Unidos em relação ao faturamento.

Você sabia?
Nos Estados Unidos a AT&T oferece mais de 24.000 Wi-Fi Hot Spots (locais, como cafés, restaurantes, hotéis, parques e aeroportos, onde a tecnologia Wi-Fi está disponível) espalhados em 50 estados do país.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Última atualização em 19/7/2011

Nenhum comentário: