27.7.12

THOMAS COOK


Não importa o destino, a categoria de hotéis, quantos dias, que companhia aérea ou até mesmo se grandes ou pequenos grupos. A agência de turismo THOMAS COOK há mais de 170 anos oferece principalmente aos europeus sempre os melhores pacotes e serviços para atender desde os mais exigentes aos turistas de primeira viagem, que queiram curtir momentos inesquecíveis sem ter preocupações.

A história
No início da década de 1840, apesar da expansão das estradas de ferro na Europa e do crescimento das empresas ferroviárias havia um problema significativo que colocava em risco o desenvolvimento e a qualidade da atividade turística: os horários e as tarifas eram complexos e as acomodações econômicas muito limitadas. Foi em meio a esse cenário que a história da marca mais proeminente no segmento de turismo começou. Em 1841, Thomas Cook, um missionário baptista e vendedor de bíblias, e que iria se tornar o primeiro agente de viagens do mundo, teve que andar 15 milhas para um encontro de uma liga contra o alcoolismo em Leicester na Inglaterra. Visionário que era, para outro encontro, em Loughborough, ocorreu-lhe a idéia de fretar um trem com tarifas reduzidas, o que aumentaria a demanda pela viagem, para levar outros colegas. Juntou 570 pessoas, comprou e revendeu os bilhetes, configurando a primeira viagem agenciada, cuja data de partida foi dia 5 de julho. Já nesta viagem, ele foi pioneiro ao utilizar campanha publicitária para captar clientes. Durante os próximos três verões Thomas organizou sucessivas viagens entre Leicester, Nottingham, Derby e Birmingham. A partir daí, criou as viagens em grupos, iniciando a primeira e mais conhecida agência de viagens do mundo: THOMAS COOK.




No verão de 1845 foi organizada a primeira excursão comercial (visando lucro) para o litoral de Liverpool, que em apenas uma semana vendeu 350 passagens. Não contente em apenas vender as passagens ele publicou um pequeno livro de 60 páginas que continha informações preciosas sobre o roteiro (detalhes geográficos, históricos e até culinários dos lugares visitados), uma espécie de ancestral dos guias turísticos. As inovações de Cook marcaram a entrada do turismo na era industrial, no aspecto comercial. Os negócios foram se ampliando. Iniciaram-se as reservas em hotéis e restaurantes, o aumento dos números de viagens, a distância entre os locais, assim como a venda em grande quantidade. Em 1846, ele organizou uma viagem de Londres para Glasgow na Escócia com 800 pessoas, utilizando os serviços de um guia turístico, que cuidava dos mínimos detalhes. Diante da possibilidade de crescimento dos negócios turísticos, ele criou em 1851 um jornal, The excursionist and Exhibition Advertiser, voltado para orientação em viagens, onde justificava e explicava seus produtos e serviços, visando atingir um público maior.




Em 1855, quando aproveitando a Exposição Internacional de Paris, levou turistas para a capital francesa, organizando assim a primeira excursão turística internacional, ele encontrou resistência das empresas ferroviárias que negaram tarifas especiais. Com isto fundou a mais longa rota para a França, passando pela Holanda via Antuérpia, na Bélgica. Havia ainda facilidades para as pessoas que não falavam francês, principalmente nos contatos com hotéis. Sendo assim a viagem foi um enorme sucesso. Em 1863 iniciou as viagens para a Suíça (quando 64 excursionistas escalaram os Alpes) e no ano seguinte para a Itália. Em 1865 organizou as primeiras viagens para os Estados Unidos. Porém, o turismo de massa organizado por Cook começou a perder importância e passou a ser alvo de críticas por parte das populações e por autoridades locais o que acabou originando as viagens por pacotes.




Algumas críticas começaram a surgir em decorrência do grande número de turistas que visitavam cidades históricas da Itália causando impactos turísticos nos locais visitados. Com a experiência adquirida com os bilhetes de trem, Cook criou em 1868 os cupons de hotel objetivando recuperar o mercado. Foram firmados vários acordos com hotéis nos itinerários dos trens. O hóspede tinha direito à acomodação com pensão completa. A ideia era criar um grupo de hotéis em que o cliente teria condições de escolher qual melhor lhe agradava e com tarifas diferenciadas. A grande dificuldade encontrada era negociar com os hotéis de diferentes países, devido à grande variedade de moedas. Dessa forma, em 1874, seu filho, John Mason, decidiu criar o “circular notes” que seria precedente dos atuais cheques de viagem, onde os clientes adquiriam os cupons (moeda circulante) podendo ser trocadas nos hotéis participantes. Em 1886, a agência THOMAS COOK já tinha levado por todo o continente europeu mais de meio milhão de turistas. Pouco depois passaria a abrir filiais no mundo inteiro, o que lhe permitiu conseguir descontos em diárias de hotéis, navios e trens.




Thomas e seu filho John Mason morreram na década de 1890, e os negócios foram assumidos pelos três netos do fundador: Frank Henry, Ernest Edward e Thomas Albert (conhecido como “Bert”). Até 1925, período em que foram introduzidas as viagens de férias de inverno, as primeiras excursões para o continente africano (incluindo os safaris), tours de carros e motos e viagens aéreas, a agência THOMAS COOK & SON dominou o cenário turístico mundial. Em 1928, de forma inesperada, a família Cook, responsável por tonar as viagens mais acessíveis e motivando cada vez mais as pessoas a conhecerem novos lugares e culturas, vendeu a empresa para uma companhia belga, a Compagnie Internationale des Wagons-Lits et des Grands Express Européens, operadora do famoso Expresso Oriente. Para salvar a empresa do colapso após a Segunda Guerra Mundial, a THOMAS COOK foi estatizada.




Nas décadas seguintes, a empresa soube se aproveitar de um momento favorável, com a reconstrução dos países europeus, o aumento do poder aquisitivo e o grande crescimento da procura por viagens turísticas. Com isso, ampliou consideravelmente os serviços prestados, oferecendo a milhões de turistas o sonho de uma viagem inesquecível, com o lançamento de produtos inovadores como os seguros de viagens, cartões pré-pagos, reservas e compras de pacotes e passagens áreas pela Internet, pacotes específicos para grandes eventos esportivos (através da divisão THOMAS COOK SPORT), até a criação, em 2000, de uma companhia aérea de voos fretados (THOMAS COOK AIRLINES), que em 2011 transportou mais de 7.9 milhões de turistas para 95 destinos através de uma frota de 40 aeronaves.




Como forma de se manter competitiva, a empresa passou os últimos anos (e gastou muito dinheiro) fundindo-se com agências de viagens na Grã-Bretanha (a principal ocorreu em 2007 com a MyTravel Group) e no resto da Europa. E apesar de seu pioneirismo e tradição a THOMAS COOK está enfrentando o seu pior momento em 170 anos de história. A empresa, que começou vendendo excursões de trem na Grã-Bretanha, sofre com a concorrência, especialmente na Internet com reservas de passagens online, com a má gestão, custos extremamente altos e uma enorme dívida. Muitos analistas cogitam a hipótese da empresa ser dividida. Afinal, seus negócios na Alemanha e na Escandinávia são relativamente saudáveis. Por ora, a THOMAS COOK é grande demais para falir.




A evolução visual
A identidade visual da marca THOMAS COOK passou por algumas modificações ao longo dos anos. A última delas ocorreu em 2001, quando um novo logotipo extremamente novo e com mudanças radicais, substituiu ao adotado em 1981.




Os slogans
It’s a wonderful world. Explore it with us. (2012)
Our world revolves around you. (2007)
Don’t just book it. Thomas Cook it. (1984)




Dados corporativos
● Origem: Inglaterra
● Fundação: 1841
● Fundador: Thomas Cook
● Sede mundial: Londres, Inglaterra
● Proprietário da marca: Thomas Cook Group plc
● Capital aberto: Sim (2007)
● Chairman: Frank Meysman
● CEO: Harriet Green
● Faturamento: £9.8 bilhões (2011)
● Lucro: - £520.7 milhões (2011)
● Valor de mercado: £142.2 milhões (julho/2012)
● Agências: 3.200
● Presença global: 22 países
● Presença no Brasil: Não
● Funcionários: 31.000
● Segmento: Turismo
● Principais produtos: Pacotes turísticos e passagens aéreas
● Concorrentes diretos: TUI Travel, Holidaybreak, Carlson Wagonlit e Expedia
● Slogan: It’s a wonderful world. Explore it with us.
● Website: www.thomascook.com

A marca no mundo
Hoje em dia a THOMAS COOK oferece a mais completa linha de serviços turísticos no Reino Unido, Irlanda, Índia, Oriente Médio, Europa e América do Norte, possuindo aproximadamente 3.400 lojas (agências) em 22 países. Anualmente a THOMAS COOK, segunda maior agência de turismo do continente europeu, oferece seus serviços e pacotes para mais de 23.6 milhões de pessoas através de sua rede de agências, sites e call centers.

Você sabia?
A THOMAS COOK foi responsável por tonar acessível as viagens e o turismo para pessoas da classe trabalhadora e da classe média, padronizando-os e produzindo-os em massa, fazendo com que o turismo se tornasse semelhante à produção fordista (Henry Ford – automóveis). Pessoas com um mesmo comportamento, visitando os mesmos lugares e consumindo as mesmas coisas.
Com 64 anos de idade, em 1872, Thomas partiu para seu projeto mais ambicioso: A volta ao Mundo. Em companhia de quatro ingleses (incluindo uma mulher), quatro americanos, um grego e um russo, eles visitaram os Estados Unidos, Japão, China, Índia Sri Lanka e os países árabes. A viagem durou 222 dias e percorreu mais de 25.000 milhas.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Última atualização em 28/7/2012

Um comentário:

Anônimo disse...

voce pode falar da air new zealand por favooor?! quero muito saber da historia dessa empresa!