1.6.06

CALOI


A CALOI está na memória de gerações e gerações de brasileiros. Sejam eles ciclistas profissionais ou não. Uma longa história contada por bicicletas que fizeram e ainda fazem parte do dia a dia de muita gente. Pessoas que, como a CALOI, sabem que pedalar significa mais saúde, mobilidade inteligente, esporte e competitividade. Para a marca, responsável por introduzir a bicicleta no Brasil e que acabou virando sinônimo do veículo no país, vida saudável é uma atitude que associa atividades físicas com saúde mental, relacionamento humano, diversão, prazer e harmonia com a natureza. 

A história 
Em 1898, Luigi Caloi, um italiano cujo sonho era fazer a melhor bicicleta utilizando a tecnologia mais avançada que alguém pudesse imaginar na época, desembarcou no Brasil vindo da Itália juntamente com seu cunhado Agenor Poletti, um mecânico muito hábil. Abriram a Casa Poletti & Caloi, um estabelecimento que alugava, consertava e reformava bicicletas de corrida do tradicional Clube Atlético Paulistano em São Paulo. Quatro anos depois, Luigi se tornou representante exclusivo da fábrica italiana de bicicletas Bianchi no país. Em 1924, ele faleceu e a nova sociedade, agora chamada CASA IRMÃOS CALOI, formada por seus filhos, Henrique, Guido e José Pedro, durou pouco. Guido ficou sozinho com a empresa, que passou a ser conhecida como Casa Luiz Caloi.


Em 1942, as enormes dificuldades de importação em virtude da Segunda Guerra Mundial obrigaram-no a produzir peças de reposição em um barracão no bairro do Brooklin. Anos mais tarde, em 1948, a empresa - agora chamada Indústria e Comércio de Bicicletas Caloi - mesmo com a regularização das importações, manteve sua fabricação, passando a produzir suas próprias bicicletas no Brasil com a inauguração da primeira fábrica de bicicletas do país. Em 1953 ocorreu o lançamento da FIORENTINA, uma bicicleta que vinha equipada com aro 26" (novidade para a época), freio a varão, bagageiro e vinha com uma utilíssima bolsa para ferramentas sob o selim, em couro. 1955 foi o ano em que o Sr. Guido Caloi faleceu, dando lugar à 3ª geração da família na direção da empresa, comandada pelo Sr. Bruno Antônio Caloi.


A bicicleta BERLINETA dobrável lançada no final da década de 1960, possuía aro 20" e se tornou moda nos anos de 1970 entre o público jovem. Suas características compactas, aliadas ao fato de ser dobrável, fizeram dela uma ótima opção para uso urbano. Tinha bagageiro na traseira e guidão alto, para o conforto do ciclista. Na década de 1970 ocorreu a consolidação e expansão da marca no mercado brasileiro e internacional como sinônimo de bicicletas, além de várias novidades, como por exemplo, a famosa e inesquecível CALOI 10, com quadro baseado nas bicicletas Bianchi San Remo. Era a primeira vez que um cidadão comum podia adquirir uma “bicicleta de corrida”, com 10 marchas. Com tantas novidades e o aumento de demanda por suas bicicletas, no ano de 1975, em franca expansão, a CALOI inaugurou mais uma fábrica no país. Localizada em Manaus, a nova unidade industrial destinava-se à produção de bicicletas de alto valor agregado. Outra novidade foi a CALOI BARRA FORTE, uma bicicleta robusta e resistente, que se tornou referência histórica no segmento de transporte no país. Pouco depois surgiu CALOI JOVEM com aro 24". No final desta década foi à vez da CALOI CECI, primeira bicicleta feminina do mercado brasileiro. A cestinha na dianteira sempre foi a marca registrada deste modelo. O comercial de televisão desta bicicleta trazia a atriz Bruna Lombardi como garota-propaganda.


No início da década de 1980, o lançamento da CALOI CROSS EXTRA LIGHT marcou a chegada do BMX ao Brasil. As rodas eram no tamanho 20" com pneus biscoito. As partes de alumínio da CALOI CROSS eram coloridas (fato inédito na época) e tinha rotor na caixa de direção. Essa bicicleta marcou uma geração de milhões de meninos brasileiros. Inovações no design e na funcionalidade das bikes continuaram a conquistar cada vez mais clientes, inclusive nos Estados Unidos, onde a CALOI inaugurou uma subsidiária em 1990, localizada em Jacksonville, no estado da Flórida. Até a abertura do mercado brasileiro, em 1992, a CALOI tinha como única concorrente a Monark. As duas se alternavam na liderança das vendas, mas no fim da década de 1980, a empresa consolidou sua vantagem e chegou ao recorde de produção de 2.2 milhões de unidades. Depois da abertura, o mercado ficou muito mais competitivo e a CALOI passou a enfrentar grandes problemas. Mesmo com uma situação financeira delicada, em 1997 expandiu seus negócios, ingressando no segmento de HOME FITNESS, com o lançamento de uma linha de equipamentos de ginástica como esteiras e bicicletas ergométricas. Em pouco mais de cinco anos, a CALOI assumiu a liderança de mercado no segmento home fitness e reafirmou sua posição de liderança no mercado de bicicletas.


A empresa foi dirigida pela família fundadora até o ano de 1999, quando esta vendeu a maioria acionária para Edson Vaz Musa, respeitado administrador de empresas e ex-presidente da Rhodia no Brasil. A partir de então, a CALOI partiu para um novo desafio: ser sinônimo de bicicletas e também de fitness, agregando saúde, esporte e lazer à marca. Por isso, a CALOI se assumiu como uma marca destinada à vida saudável, e colocou todo o mundo para pedalar: crianças, adultos, esportistas, ciclistas profissionais, amadores e bikers de fim de semana. Em 2006, a CALOI inaugurou uma moderna fábrica em Atibaia, no interior de São Paulo, desativando a antiga unidade da Avenida Guido Caloi. No ano seguinte a CALOI passou a vender suas bicicletas também pela internet. Líder de mercado, em 2008 a CALOI comemorou 110 anos comercializando mais de 700 mil bicicletas e 100 mil unidades de aparelhos para home fitness, e lançando um novo posicionamento da marca com o slogan “Caloi. Movimentando a Vida”. Em agosto de 2013, a empresa brasileira passou a fazer parte da Cannondale Sports Unlimited, a divisão de bicicletas da empresa canadense Dorel Industries, que adquiriu 70% da CALOI. Mais recentemente a CALOI definiu um novo plano de negócios. A estratégia inclui bicicletas elétricas e as produzidas em fibra de carbono, que chegam a custar R$ 20 mil. Como por exemplo, em 2017, quando apresentou a linha E-Vibe, cujas bicicletas são equipadas com um motor elétrico de 250 watts embutido ao movimento central, auxiliando assim na pedalada. As baterias de íons de lítio suportam até 125 km, de acordo com o modo de uso e o terreno, e podem ser recarregadas em tomadas caseiras.


Além disso, a marca anunciou algumas mudanças gerais que abrangem o posicionamento da marca (trazendo à luz que a CALOI é uma marca que mais do que fabricar bicicletas, fabrica ciclistas), assim como a identidade visual e a estratégia de comunicação. A ideia é resgatar tudo o que a marca já fez em quase 120 anos de história, principalmente o quanto ela está presente na formação de vencedores, por isso o ícone “O Vencedor” também foi modernizado e totalmente redesenhado, adquirindo um caráter mais inclusivo, passando de um homem jovem pedalando, tornado-se uma figura sem gênero e sem idade. Afinal, a CALOI atinge um espectro muito grande através de seus produtos, de crianças a adultos, são homens e mulheres, trabalhadores e famílias buscando diversão, são profissionais e entusiastas de speed e mountain bike, são cicloativistas e gente que só quer se transportar de um canto a outro da cidade.


A linha do tempo 
1955 
Lançamento da CALOI TRÊS MARCHAS, uma bicicleta que trazia algumas inovações como o câmbio de três marchas embutido no cubo traseiro, da marca inglesa Sturmey Archer. Tinha ainda esticador de corrente na gancheira, trava antifurto na roda traseira e placa de identificação, como nos automóveis. 
1966 
Lançamento da CALOI CALHAMBEQUE, uma bicicleta infantil, introduzida pelo cantor Roberto Carlos, no auge do movimento Jovem Guarda, em um programa da TV Record. 
1967 
Lançamento da CALOI BERLINETA DOBRÁVEL, que com suas características compactas, aliadas ao fato de ser dobrável, fizeram deste modelo uma ótima opção para uso urbano. Tinha bagageiro na traseira e guidão alto, para mais conforto do ciclista. 
1972 
Lançamento da CALOI 10, a primeira bicicleta de 10 marchas do país, que com seu guidão rebaixado, utilizado para competições, exercício e treinamento, revolucionou toda uma geração de brasileiros. 
Lançamento da CALOICICLE, uma bicicleta ergométrica. 
1975 
Sempre buscando inovação, a marca lançou no mercado a MOBILETTE, um ciclomotor de 49.9 cilindradas, que se tornou um grande sucesso de vendas da empresa. Além disso, um único tanque de gasolina cheio (equivalente a três litros) era suficiente para uma quantidade quase infinita de quilômetros. Com produção encerrada no final da década de 1980, elas tornaram-se um item de nostalgia importante no mercado de colecionadores de motocicletas e ciclomotores. 
1976 
Lançamento da CALOI JOVEM, uma bicicleta com medidas menores do quadro para poder ser utilizada por adolescentes e jovens, tendo inclusive paralamas e suporte para bomba. 
1977 
Lançamento da CALOI BARRA FORTE, uma bicicleta com quadro em aço carbono, desenvolvida para levar o ciclista com segurança e conforto. Extremamente resistente o modelo fez enorme sucesso entre os trabalhadores. Seu alvo eram as pessoas de baixa renda, sobretudo das regiões norte e nordeste. 
1978 
Lançamento da CALOI CECI, primeira bicicleta destinada ao público feminino. Na década seguinte a marca lançou a versão masculina da bike, batizada de CALOI PERI e equipada com paralamas, bagageiro, guidão alto e um câmbio de três velocidades. Além disso, o modelo idealizado para um público mais maduro e esportista vinha com um porta-raquete de tênis, modalidade esportiva para a qual a classe média brasileira começava a ter um interesse especial. 
1983 
Lançamento da CALOI CROSS EXTRA LIGHT, que marcou a chegada do BMX ao Brasil, sendo a primeira bicicleta equipada com componentes de alumínio anodizado do país. 
1989 
Lançamento da CALOI MOUNTAIN BIKE 18, bicicleta especificamente desenvolvida para a prática do esporte. Com quadro claramente inspirado na GT americana, com 18 marchas, freios cantilever, o modelo fez sucesso, mas era impróprio para competições devido a sua fragilidade. 
1990 
A CALOI foi uma das primeiras empresas a comercializar bicicletas com quadros de alumínio no mundo com o lançamento da CALOI ALUMINUM, que possuía 21 marchas. 
1997 
Lançamento do scooter CALOI MONDO
1998 
Lançamento da CALOI 100 em comemoração ao centenário da marca. O modelo inovador foi inspirado nas “beach bikes” californianas, apresentando quadro de alumínio tipo dolphin, pneus lisos com faixa branca e exclusivo selim super macio. 
2002 
Lançamento da CALOI EASY RIDER, em homenagem aos loucos anos de 1960. Por trás do desenho retrô estavam tecnologias das mais avançadas quando o assunto é ciclismo, incluindo amortecedores nas duas rodas, guidão regulável e 21 marchas. 
2006 
Lançamento da CALOI TERRA, que alcançou a marca de 100 mil unidades produzidas em pouco mais de um ano, tornando-se um dos principais produtos da empresa. Bonita e resistente, ela foi desenvolvida buscando o melhor para as práticas esportivas e de lazer, tendo o visual moderno da mountain bike com o conforto de uma bicicleta de transporte. O modelo tinha quadro versátil para homens, mulheres e adolescentes, guidão curvo que proporcionava pedalar com as costas retas, câmbio de 21 marchas, selim confortável, pezinho e preço acessível. 
2007 
Introdução do carbono em sua linha de bicicletas, fazendo com que elas se tornassem ainda mais leves. 
Lançamento das linhas de bicicletas licenciadas da Barbie e Hot Wheels
Introdução da tecnologia Foot Forward, proporcionando que o ciclista pedale com mais facilidade e segurança. O pedal fica posicionado mais próximo ao pneu dianteiro permitindo que o ciclista coloque os pés inteiros no chão sem prejudicar sua postura. 
2011 
Lançamento da CALOI URBE, uma bicicleta desenvolvida especialmente para quem busca praticidade em seus passeios sobre duas rodas. Isto porque a bicicleta pode ser dobrada facilmente, possibilitando que o ciclista tenha um descanso lateral, para apoiar seus pés. Além disso, conta com paralamas para evitar espalhar sujeira na roupa e um bagageiro para levar acessórios junto de uma sacola, para transporte. 
2012 
Lançamento de uma bicicleta referência no segmento de MTB (Mountain Bike), a ELITE CARBON, um modelo de carbono projetada para competições. 
2013 
Lançamento da CALOI ONE, bicicleta infantil com tecnologia Balance Bike que permite o aprendizado sem necessitar de rodinhas. Apoiando os pés no chão, com segurança, a bicicleta permite que as crianças andem através do próprio impulso, o que estimula e desenvolve a coordenação motora, equilíbrio, agilidade e independência.


Campanhas que fizeram história 
O slogan “Não esqueça a minha Caloi”, criado e adotado na campanha publicitária que a marca realizou em 1978, ficou marcado na memória do público brasileiro até os dias de hoje. A campanha, criada pela agência Novo Ciclo, apresentou um dos mais ilustres personagens da publicidade brasileira - Zigbim - que incentivava a garotada a lembrar de um presente especial: uma bicicleta CALOI. A campanha mostrava bilhetinhos direcionados aos pais com a mensagem “Não esqueça a minha Caloi”, escondidos pelos filhos em locais estratégicos da casa. A distribuição dos famosos bilhetinhos pela casa inteira com o tradicional recado acompanhou milhares de crianças em sua incansável batalha para ganhar de presente a sua tão sonhada bicicleta. O sucesso dessa campanha, atualizada a cada dois ou três anos durante as décadas seguintes, aliado a produtos de qualidade à força da marca, sustentaram em alta as vendas da CALOI.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por algumas remodelações ao longo dos anos. Em 1938 o logotipo ganhou o símbolo de um ciclista em uma bicicleta de competição, conhecido como “O Vencedor”. Em 2008, a CALOI apresentou uma nova identidade visual completamente remodelada. O novo logotipo, que tinha como ícone uma roda estilizada, consolidava a nova fase da CALOI, posicionando-se como uma empresa destinada à vida saudável. Porém, em 2017, adotou um novo posicionamento e apresentou uma nova identidade visual com nova tipografia de letra.


Os slogans 
Fabricamos ciclistas. (2010) 
Caloi. Movimentando a Vida. (2008) 
Não esqueça a minha Caloi. (1978)


Dados corporativos 
● Origem: Brasil 
● Fundação: 1898 
● Fundador: Luigi Caloi e Agenor Poletti 
● Sede mundial: São Paulo, Brasil 
● Proprietário da marca: Bicicletas Caloi S.A. 
● Capital aberto: Não (subsidiária da Cannondale Sports Unlimited) 
● Presidente: Cyro Gazola 
● Faturamento: Não divulgado 
● Lucro: Não divulgado 
● Presença global: 10 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 1.000 
● Segmento: Transportes 
● Principais produtos: Bicicletas 
● Concorrentes diretos: Trek, Ox Bike, Sense, Audax, Houston e Brinquedos Bandeirante 
● Ícones: O modelo Caloi 10 
● Slogan: Fabricamos ciclistas. 
● Website: www.caloi.com.br 

A marca no mundo 
A CALOI, maior empresa de bicicleta da América Latina e líder do mercado brasileiro, está presente em mais de 10 países ao redor do mundo, com boa presença na região do Mercosul. Em território nacional, a CALOI tem uma unidade fabril em Manaus (a maior fábrica de bicicletas do mundo fora do sudeste da Ásia, com produção superior à 700 mil unidades por ano) e um centro de tecnologia e logística em Atibaia (SP), que geram aproximadamente mil empregos. A marca vende em média 900 mil bicicletas anualmente. 

Você sabia? 
A CALOI deseja pedaladas cada vez mais fortes e atletas conquistando com seu suor e dedicação cada vez mais vitórias. A marca acredita no potencial do Brasil no ciclismo de competição e patrocina equipes nacionais e incentiva a prática deste esporte. 
Um importante fato para a expansão internacional da marca foi o patrocínio ao heptacampeão do Tour de France, o americano Lance Armstrong, na equipe Motorola/Caloi em 1996. 
Apenas como comparação, uma bicicleta de entrada da marca, produzida em aço e alumínio, custa a partir de R$ 430. O modelo Elite Carbon Team, para atletas de alta performance, chega a R$ 20 mil.  

As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Isto é Dinheiro, Época Negócios e Exame), jornais (Valor Econômico, Folha, Estadão e Meio Mensagem), sites especializados em Marketing e Branding (Mundo do Marketing) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 18/10/2017

7 comentários:

Anônimo disse...

As ciclovias estão surgindo como meio de transporte e lazer.Muitos gostariam de praticar este esporte agradável,porém a dificuldade surge no equilíbrio que muitos mais da >>>"melhor idade",não mais possuem.Sugiro um estudo visando um triciclo.A Caloi seria a primeira.A G.M. lança neste centenário uma opção para futuro.Quanto a`Caloi,torço e aguardo.Zelia.

Anônimo disse...

Meu pai chamava meu irmão de Zigbim. Aí surgiu a campanha da caloi, mandamos o nome e ganhamos. O premio foi uma mobilete para cada membro da familia! Bons tempos!

Leandro Brito disse...

Boa tarde a todos, seria bom se a caloi voltasse com o segmento das extras lights, ou similares, ou entao peças de reposiçoes, principalmente os pneus, acho que ganharia muito com isso ha muitos que curtem e guardam como trofeus assim como eu...

att: Leandro Brito

Anônimo disse...

Vejo postagens dizendo que a Caloi Ceci, foi a primeira Caloi destinada ao público feminino, mas, e a Caloi Fiorentina feminina?? É muito mais antiga, mas acredito que foi esquecida pelo autor do texto.

Anônimo disse...

Mobilete tenho a minha é do ano que nasci 97

Luiz Antonio Martins disse...

Também acho. Tenho uma Caloi Ceci feminina aro 27. Lancada no ano de 1972 na cor amarela. Foi retirada do mercado devido ser muito alta para os padrões brasileiros. Uma excelente Bicicleta.

Clauber disse...

Comecei com minha Caloi Berlinetinha Dobrável, depois tive uma Caloi Berlinetinha, em seguida tive uma Caloi Barra Forte com freio contra-pedal, curti muito mesmo minha Caloi 15, tive também uma Caloi Peri com marcha. Atualmente tenho minha Caloi Aluminium a qual vai completar 30 anos no início do ano que vem, mas pretendo comprar em breve uma Caloi Explorer 30. Adoro a Caloi. Bicicleta, não conheço outra. Bicicleta para mim é sinônimo de Caloi.