7.5.06

LEGO


Os blocos da LEGO além de serem um brinquedo clássico, são objetos cult da nossa sociedade. Construir a Bíblia com peças de LEGO? Filmar cenas de Matrix™ e Star Wars™ com LEGO? Reproduzir a Casa Branca nos mínimos detalhes com os pequenos bloquinhos? Sim, para a marca dinamarquesa não há limites. Milhões de crianças brincam com seus pequenos blocos no mundo todo, estimulando assim sua criatividade, sua imaginação, o desenvolvimento da coordenação motora e o raciocínio lógico. Além disso, as campanhas publicitárias são sempre muito criativas e exploram as infinitas possibilidades do que é possível construir com os coloridos bloquinhos. É sem dúvida o brinquedo lúdico mais divertido que o mundo já conheceu. 

A história 
A empresa surgiu exatamente no dia 10 de agosto de 1932 pelas habilidosas mãos do carpinteiro Ole Kirk Kristiansen, com a ajuda de seu filho Godtfred Kirk, de apenas 12 anos, na pequena vila dinamarquesa de Billund, onde eles começaram a fabricar em uma pequena oficina alguns móveis e brinquedos artesanais de madeira como carrinhos, caminhões e cofrinhos, para sustentar a família durante o período da depressão econômica pelo qual o mundo passava. Na parede da empresa foi pintada a frase: “Only The Best is Good Enough” (“Só o melhor é bom o suficiente”, em português), utilizada até os dias de hoje para definir a filosofia do novo negócio. Em 1934, então com seis funcionários, a empresa adotou oficialmente o nome LEGO, formado a partir das iniciais da frase dinamarquesa LEg GOdt” que significa “Play Well” (algo como Brincar Bem). Coincidentemente a palavra significa algo como “eu monto” ou “eu junto” em latim. Nesta época, pela qualidade e precisão seus brinquedos foram ganhando fiéis consumidores. Em 1935 a empresa criou um brinquedo que se tornaria um ícone: The Wooden Duck, um simpático patinho de madeira com rodinhas que ao ser puxado abria e fechava o bico.
   

No início da próxima década, em 1942, um grande incêndio destruiu a fábrica da empresa. Apesar do trágico incidente, Ole Kirk e seu filho não se deixaram abater e colocaram a empresa no rumo novamente. Em 1947 começaram a produzir brinquedos de plásticos através de uma máquina modeladora. Nesse ano, Ole Kirk conseguiu umas amostras de uns tijolos de plástico que se encaixavam uns nos outros e que eram produzidos pela empresa inglesa Kiddicraft. Esses tijolos tinham sido criados e patenteados pelo britânico Hilary Harry Fischer Page e eram conhecidos como Kiddicraft Self-Locking Building Bricks. Plágio ou não, a verdade é que em 1949, as primeiras pequenas peças em formato de bloco que se encaixavam e formavam figuras e outros objetos foram lançados no mercado pela empresa. A diferença em relação ao modelo britânico era poderem ser presos uns aos outros de uma forma muito mais versátil, devido aos diversos “botões” na sua parte superior que encaixavam perfeitamente na parte inferior de qualquer outra peça da mesma gama. Nascia o princípio básico de um dos brinquedos mais famosos do mundo, na época batizado de Automatic Binding Bricks (Blocos de Ligação Automática, em português).
   

Estes blocos ganhariam o nome “LEGO MURSTEN” (em inglês LEGO BRICKS e, em português, TIJOLOS LEGO) somente em 1953, mesmo ano em que as primeiras bases para encaixar os bloquinhos foram criadas. Foi nesta época que pela primeira vez o nome LEGO foi impresso na parte interna das peças. Somente em 1955 surgia o LEGO SYSTEM OF PLAY, um sistema intercambiável de montagem e encaixe dos blocos criando inúmeras possibilidades de formas. Esse ano também foi marcado pelas primeiras exportações do produto para a Suécia. O sistema LEGO SYSTEM OF PLAY foi oficialmente patenteado no dia 28 de janeiro de 1958 às 1:58 horas. Neste ano morreu Ole Kirk Kristiansen. Com seu filho a frente dos negócios, a empresa cresceu rapidamente através da exportação de seus brinquedos para diversos países da Europa e abertura de filiais pelo continente, como por exemplo, na Alemanha, França, Reino Unido, Bélgica e Suécia. Eis que, em 1960, a empresa sofreu mais uma baixa: outro incêndio destruiu o galpão onde era feito a fabricação e estocagem dos brinquedos de madeira. A empresa resolveu então se dedicar somente a produção de brinquedos de plástico. A partir deste trágico episódio, o sucesso das tais pecinhas não parou mais.
   

Em 1961, a linha já era composta por 50 conjuntos, 15 veículos e diversas peças avulsas. No ano seguinte, ocorreu o lançamento das primeiras rodas de LEGO, um importante acréscimo que expandiu o potencial construtivo do brinquedo permitindo montar carros, caminhões, ônibus e outros veículos com os blocos originais. A primeira grande expansão em sua linha de produtos ocorreu em 1967 com a apresentação do LEGO DUPLO, blocos de montar voltados para as crianças mais jovens poderem se divertir com mais segurança. A principal novidade destas peças era o tamanho, o dobro das originais. O novo produto foi incorporado definitivamente à linha de produtos da marca somente em 1969. Foi divulgado como o primeiro sistema de brinquedos de montar do mundo completamente integrado para crianças em idade pré-escolar.
   

No início da próxima década, em 1973, os produtos da marca começaram a serem vendidos oficialmente no mercado americano e se tornaram um enorme sucesso entre a criançada. Já em 1976 existiam 218 diferentes kits de montar, com variações de cor, vendendo quase 19 milhões de unidades por ano. Essa década ainda assistiria ao surgimento dos pequenos homenzinhos (as famosas mini-figuras) sempre sorridentes com braços e pernas articulados. Iniciava-se então o universo clássico da LEGO. Cidades eram construídas para as figuras, parecia não haver limites de possibilidades. Na década seguinte a marca se expandiu internacionalmente, chegando oficialmente ao Brasil em 1986. No final da década seguinte, em 1999, a marca LEGO lançou no mercado os primeiros sets (conjuntos) licenciados com personagens famosos, aumentando ainda mais seu universo de imaginação e atraindo fãs (incluindo os marmanjos) de grandes filmes, séries e desenhos. A partir deste momento, personagens famosos como o ursinho Pooh™, Star Wars™, Indiana Jones™ e Batman™ ganhariam vida através das coloridas peças de LEGO.
  

A empresa também cresceu rapidamente introduzindo no mercado uma enorme e criativa linha de brinquedos que se tornaram um verdadeiro sucesso no mundo inteiro. Mas a aparição dos videogames e a fracassada tentativa inicial de ingressar nesse mercado, junto com a concorrência de outros fabricantes, colocaram a empresa dinamarquesa em uma situação difícil no início do século XXI, com prejuízos milionários e quase a beira da falência. A LEGO, que continua sendo controlada pela família Kristiansen, tomou medidas drásticas, como a venda de parte de seus parques temáticos, a mudança de parte de sua produção para República Checa e Hungria e a redução de seu quadro de funcionários em um quarto, conseguindo assim frear as perdas. Mas a grande reviravolta aconteceu com a introdução de novos brinquedos, especialmente os kits articulados, extremamente complexos e que criavam um realismo ainda maior. Com isso, a marca atingia também o público adulto.
   

A LEGO também encontrou enorme êxito nos kits temáticos de filmes de sucesso como Star Wars™, Harry Potter™, Homem-Aranha™, Jurassic Park™, Indiana Jones™, Speed Racer™, entre muitos outros. Apesar de enfrentar diversos problemas econômicos em diferentes períodos de sua história, a marca nunca perdeu seu foco e se manteve na vanguarda para não perecer. Assim, foi em 2005 quando se iniciou de forma mais abrangente a produção de jogos para videogames com o universo LEGO. O sucesso foi tamanho que outros jogos baseados em filmes e personagens de sucesso foram lançados, trazendo ganhos enormes aos cofres da empresa.
  

O marketing é uma poderosa ferramenta de vendas. Mas, antes de oferecer um produto, é saudável ajustar a produção à demanda, caso contrário haverá problemas. Que o diga a LEGO. Nos últimos anos, os icônicos bloquinhos de montar se tornaram um sucesso tão grande, que a empresa precisou frear seus ambiciosos planos de expansão. O aumento da visibilidade da marca trouxe até ações de marketing espontâneas com artistas fazendo exposições de obras feitas com blocos da marca dinamarquesa. O resultado foi uma dificuldade em produzir os brinquedos e atender a enorme demanda. Por isso, a empresa expandiu sua fábrica em Monterrey, no México, praticamente dobrando sua capacidade, para atender ao mercado americano; e construiu uma nova unidade de produção na cidade de Jiaxing na China.
   

O resultado dessa enorme demanda pelos bloquinhos coloridos deve-se ao fato que seus negócios e sua marca extrapolaram as lojas de brinquedos. Há alguns anos, a LEGO investe, por exemplo, no cinema. Seu primeiro longa-metragem de animação lançado em 2014 gerou US$ 468 milhões em bilheteria, ficando entre os 15 maiores sucessos do ano, no mundo. Também foram feitos novos investimentos na área de parques temáticos, videogames, desenhos animados e em uma rede de lojas conceituais próprias. Assim, em 2015, o cintilante castelo de gelo de Elsa em Frozen™, a nave Millennium Falcon de Star Wars™ e uma despojada delegacia de polícia, ajudaram a LEGO a lucrar como nunca. Com isso, a empresa continuou construindo, bloco a bloco, uma marca forte e uma empresa que já é a maior produtora de brinquedos do mundo.
  

A LEGO sempre acompanha de perto a evolução de gerações de crianças. E por isso, consegue criar e lançar produtos que satisfaçam a modernidade e precocidade das últimas gerações. Um exemplo disso foi o lançamento em 2017 da LEGO LIFE, primeira rede social segura para crianças com menos de 13 anos. A proposta é oferecer um conteúdo de qualidade e ao mesmo tempo seguro aos pequenos. Um lugar virtual onde as crianças podem compartilhar suas criações com os amigos, sendo possível comentar, curtir e seguir diversos usuários. Um detalhe: as famosas fotos de perfil são reconstruídas e ganham uma versão virtual composta por peças do LEGO. Isso acontece por que fotos não são permitidas. O nome real também não é autorizado e a própria rede social inventa um nome para cada usuário. E para reinterpretar o passado com a visão dessa nova geração de crianças, em 2020, a LEGO lançou como edição especial o icônico The Wooden Duck (um patinho que ao ser puxado com uma corda, abre e fecha o bico, e que foi um dos primeiros produtos da empresa, originalmente feito em madeira), mas agora formado por 621 bloquinhos de plástico e nas cores originais do brinquedo.
   

Hoje em dia, a LEGO oferece brinquedos para crianças desde a idade pré-escolar (de 1 ano e meio a 5 anos) até adolescentes com 16 anos. Apesar de ter maior presença nessa faixa etária, a empresa dinamarquesa tem entre seus fiéis consumidores muitos adultos que acompanharam a história da marca e continuam apaixonados pelos bloquinhos de montar e, hoje, têm verdadeiras relíquias de uma das mais tradicionais marcas de brinquedos que o mundo já conheceu.
   

Desde as peças mais simples, passando pelas figuras humanas com braços articulados e chegando aos trens e naves especiais, os bloquinhos se transformaram em referência no mundo dos brinquedos e um exemplo para os educadores de como incentivar a criatividade das crianças. Hoje em dia os produtos da marca são presença constante em grandes institutos de educação espalhados por vários países, desde a pré-escola, onde as linhas tradicionais divertem as crianças e estimulam a sua concentração e criatividade, até as universidades, onde linhas tecnológicas como a LEGO TECHNIC e a LEGO MINDSTORMS permitem aos estudantes aperfeiçoarem-se em design, robótica e mecatrônica, tamanha sua precisão e realismo.
   

Com funcionamento simples, LEGO não é apenas uma marca de brinquedo que se baseia em partes encaixáveis, mas sinônimo das pecinhas que se moldam conforme o desejo da nossa imaginação. Mesmo tendo sua função educativa como característica principal para adultos incentivarem crianças, é inegável que a fascinação lúdica pelas possibilidades não tem idade. E tudo começa com uma peça. E bilhões de possibilidades. Construir, destruir, reconstruir. Experimentar. Quebrar as regras. Falhar. E tentar de novo. Este é o ciclo da criatividade. Afinal, quem nunca brincou ou quis brincar de LEGO que atire o primeiro bloco.
   

A linha do tempo 
1954 
Introdução das portas e janelas em suas construções, criando mais opções de montagens. 
1961 
Lançamento de uma linha voltada para a pré-escola, sob o nome THERAPY I, THERAPY II e THERAPY III
1963 
Introdução das instruções de montagem em suas embalagens, auxiliando e criando inúmeras possibilidades para o consumidor. Hoje em dia, os manuais de instruções da LEGO, muito admirados pela clareza e a criatividade, são feitos com a ajuda de psicólogos educacionais e crianças que servem como “testadoras de jogo”. 
1964 
Lançamento do LEGO MODEL CARS, primeiros automóveis da linha. 
1966 
Lançamento do LEGO TRAIN, um kit formado pelas famosas locomotivas com vagões, trilhos e acessórios. Ainda neste mesmo ano, as locomotivas passam a ser equipadas com motor de 4.5 volts movidas à bateria. 
1967 
Lançamento das dobradiças, permitindo assim inúmeras possibilidades de montagens. 
1968 
Lançamento dos elementos LEGO com imãs. 
1969 
Lançamento de sets da linha LEGO TRAIN com motor de 12 volts. 
1971 
Lançamento de conjuntos com casas de bonecas e peças de mobiliário, voltados para o público feminino. 
1972 
Introdução da linha de navios e barcos com cascos de blocos que realmente flutuavam. 
1975 
Lançamento dos kits temáticos LEGO EXPERT SERIES, voltados para os amantes do modelismo. 
1977 
Lançamento do LEGO TECHNIC, que se diferenciava das demais linhas por incluir rodas dentadas, eixos, vigas e engrenagens. Esta linha foi desenvolvida para consumidores mais experientes (adultos) devido à alta complexidade de suas peças e montagem. 
1978 
Lançamento da LEGO MINIFIGURES, uma linha inicialmente composta por sete mini-bonecos com braços e pernas articuláveis. 
Lançamento do LEGO SPACE, uma série composta por mini-figuras de astronautas, foguetes espaciais, veículos lunares e espaçonaves tripuladas. 
Lançamento do LEGO TOWN, uma série composta por mini-figuras e elementos que representam a vida na cidade, incluindo serviços de emergência (polícia e bombeiros), aeroporto, trem e construção civil. Em 2005 essa linha adotou o nome de LEGO CITY, sendo uma das mais vendidas da marca. 
Lançamento do LEGO CASTLE, um dos maiores e mais populares sets da marca que explorava o universo de reis, rainhas e cavaleiros. 
1981 
Lançamento dos conjuntos LEGO BASIC para crianças nas faixas etárias de três, cinco e sete anos. 
Lançamento da segunda geração do LEGO TRAIN, agora com uma maior variedade de acessórios, incluindo luzes, desvios, cruzamentos e sinais acionados por controle remoto. 
1982 
Lançamento do LEGO DUPLO MOSAIC e LEGO TECHNIC I, linhas de produtos voltadas para o segmento escolar, com caráter educacional. 
Lançamento dos motores a corda LEGO. 
1983 
Ampliação da linha LEGO DUPLO, que passou a abranger crianças ainda mais novas, particularmente bebês. A linha passou a oferecer chocalhos e figuras com membros ajustáveis. 
1984 
Lançamento dos primeiros sets de castelos mais realistas (como castelos cinza em vez de amarelo) que representavam com mais precisão a Idade Média em comparação com os conjuntos clássicos do final dos anos de 1970 e início dos anos de 1980. Os novos sets apresentavam muitas peças e armas recém-introduzidas, como cavalo, selas de cavalo, novos capacetes de cavaleiro com viseira fixa, plumas de penas (havia três tipos em cinco cores: vermelho, azul, amarelo, branco e preto), bandeiras ondulantes e arcos e flechas. 
1985 
Lançamento dos conjuntos LIGHT & SOUND (luz e som), que incluía uma caixa de pilhas permitindo assim acender luzes e emitir sons, além de outros acessórios que conferiam às construções de LEGO um novo grau de realismo. 
1986 
Lançamento, em parceria com o renomado Massachusetts Institute of Technology (popularmente conhecido como MIT), do LEGO TECHNIC COMPUTER CONTROL, um programa de computador que controlava robôs construídos com peças da LEGO. Tal invenção deu tão certo que foi adotada por muitas escolas que, até hoje, aproveitam esses modelos em salas de aula. 
1987 
Lançamento no mercado americano e em alguns países europeus dos famosos baldes coloridos, que continham vários blocos normais e duplos de LEGO. 
1989 
Inauguração do LEGO DACTA, conhecido como departamento de produtos educacionais, que seria renomeado LEGO TECHNIC LAND alguns anos depois. 
Lançamento da LEGO PIRATES, uma linha de kits temáticos que abordava o misterioso universo dos piratas, incluindo caravela e espadas, disponível em 11 conjuntos diferentes. 
1990 
Lançamento da linha DUPLO ZOO, set que apresentava diversos animais. 
Lançamento do LEGO MODEL TEAM, composto por três conjuntos, incluindo um carro de corrida e um veículo fora de estrada, incorporando um nível de detalhes e realismo até então nunca visto em qualquer uma das linhas da marca dinamarquesa. 
1992 
Lançamento da linha DUPLO TOOLS, composta por conjuntos para montar com o auxílio de uma chave de fenda, parafuso e porcas, direcionada para meninos dos três aos seis anos. 
1993 
Lançamento do BRICKVAC, uma espécie de aspirador manual, em formato de papagaio, que recolhe de forma prática e rápida os blocos de uma superfície depois da brincadeira terminada. 
Lançamento do LEGO DRAGON MASTERS, sets inspirados nos dragões e seu universo mágico. 
Lançamento do bloco transparente cor de laranja. 
1994 
Lançamento da LEGO BELVILLE, uma linha totalmente desenvolvida para meninas que abordava temas como família, princesas, fadas, cavalos e cachorrinhos. 
Lançamento do bloco na cor rosa. 
1995 
Lançamento da LEGO BABY, uma linha segmentada para crianças de 0 a 2 anos, composta por peças grandes e coloridas, com sons e movimentos, destinados à estimulação precoce, essencial ao desenvolvimento psicomotor neste estágio da vida. Esta linha foi comercializada inicialmente com o nome LEGO PRIMO. 
Lançamento do LEGO AQUAZONE, sets compostos por submarinos e animais aquáticos (como polvos, arraias e tubarões), com mini-figuras projetadas para aventuras submarinas, como mergulhadores e escafandristas. 
1996 
Lançamento do LEGO WILD WEST, sets baseados no ambiente do velho oeste americano, com mini-figuras como xerifes, cavalaria americana, bandidos e índios. Além de cavalos, os conjuntos foram os primeiros a incluir revólveres e rifles como acessórios. 
1998 
Lançamento do LEGO MINDSTORMS, uma linha de brinquedos inteligentes. Os kits continham peças tradicionais de blocos de construção da marca adaptadas para o encaixe de engrenagens, sensores e motores que podiam ser controlados por um processador programável, transformando o brinquedo em uma espécie de robô. 
1999 
Lançamento do LEGO ROCK RAIDERS, set baseado em equipamentos de mineração. 
2001 
Lançamento do LEGO BIONICLE, criaturas articuladas, que depois ganhariam vida com o lançamento de jogos para computadores e videogames. 
Lançamento do LEGO CREATOR, uma linha que visa estimular a imaginação para criar novos modelos. Desse modo, os conjuntos têm mais de uma possibilidade de montagem, normalmente de três a oito, variando de nível mais simples até mais avançado. 
2005 
Lançamento do LEGO VIKINGS, sets baseados nos guerreiros nórdicos popularmente conhecidos como vikings, assim como na mitologia nórdica. 
2007 
Lançamento do LEGO EIFFEL TOWER, criado por demanda e após vários pedidos, este kit é um deslumbrante modelo para a construção e visualização, reproduzindo na escala de 1:300 da mais famosa torre do mundo. Desde a bandeira no topo, aos elevadores e outros detalhes realistas, nada foi esquecido. A réplica da famosa torre para montar possui 108 cm, ou seja, mais de um metro de altura. 
2008 
Lançamento do LEGO MINDSTORMS NXT, mais forte e mais intuitivo que nunca, a ferramenta robótica proporciona oportunidades infinitas aos entusiastas, possibilitando construir e programar robôs que fazem o que você quiser. O “cérebro” do robô apresentava um poderoso microprocessador de 32 bits, mais memória programável. 
2009 
Lançamento da LEGO LED LIGHTING, uma nova linha composta por produtos com a imagem das tradicionais mini-figuras LEGO criadas com luz de LED em forma de lanternas, faroletes, chaveiros e até abajur para iluminar áreas ou algum objeto específico. 
Lançamento da LEGO GAMES, uma completa linha de seis jogos onde o consumidor constrói o tabuleiro, os dados e as peças, podendo variar o jogo a cada montagem. 
2010 
Lançamento do LEGO UNIVERSE, primeiro MMO (Massively Multiplayer Online) oficialmente licenciado com base na experiência de jogos LEGO. O título estava disponível tanto através de lojas de varejo online e sites de download. No LEGO UNIVERSE os jogadores devem se aventurar pelo universo da marca para salvar a única fonte de imaginação pura existente. Sozinho ninguém é páreo para derrotar os vilões que invadiram os vários mundos do universo de LEGO, por isso é preciso unir força aos outros jogadores. 
Lançamento do LEGO ATLANTIS, sets baseados no mundo subaquático de Atlântida. 
2011 
Lançamento da LEGO NINJAGO, uma linha que gira em torno do universo das lutas marciais, ninjas, dragões e tradições orientais milenares. Rapidamente a linha se tornou uma das mais rentáveis da empresa. Em janeiro de 2021, a linha Ninjago celebrou seu aniversário de dez anos, mantendo sua popularidade com mais de 375 sets diferentes lançados ao longo desse tempo. 
2012 
Lançamento da LEGO FRIENDS, uma linha de produtos voltada para garotas entre 5 e 8 anos, composta por cinco mini-bonecas, as amigas Mia, Emma, Andrea, Stephanie e Olivia. Os produtos contam com os blocos de montar e podem ser remodelados, o que proporciona inúmeras possibilidades de diversão. Os móveis são ricos em detalhes e podem ser reorganizados diversas vezes e as mini-bonecas contam com diversos acessórios. 
2013 
Lançamento do LEGO MINDSTORMS EV3, uma linha que apresenta 7 modelos diferentes de robôs para construção. Essa linha oferece capacidade aumentada de memória e processamento do robô, possibilitando configurações e programações mais avançadas. Os modelos vêm equipados ainda com sensores que ajudam a identificar o ambiente e a distância dos objetos, dando uma noção espacial aos brinquedos. O EV3 se comunica também com dispositivos móveis Android e iOS e pode ser controlado remotamente por esses sistemas. 
2014 
Lançamento do LEGO JUNIORS, uma linha para crianças entre 4-7 anos. Seus blocos e elementos eram uma transição entre o LEGO DUPLO e o regular. A linha foi descontinuada em 2018. 
2015 
Lançamento do LEGO SPEED CHAMPIONS, sets detalhistas de carros famosos como Ferrari, Porsche e McLaren. 
Lançamento do LEGO CLASSIC, uma linha básica que consiste apenas em placas ou tijolos coloridos e alguns elementos como janelas, portas, olhos e rodas. Não há instruções de montagem, mas apenas ideias de construção (um livro de inspiração). A linha é vendida em caixas ou baús com blocos de até 35 cores diferentes. 
2016 
Lançamento do LEGO NEXO KNIGHTS, uma coleção com sets que misturam cavaleiros medievais, com tecnologia futurista, algo inédito em seus conjuntos. Além dos sets, a marca expandiu a franquia para outros segmentos, como jogos e séries animadas. 
2017 
Lançamento do LEGO BOOST, uma linha que permite as crianças criarem modelos com motores e sensores e, em seguida, deem vida a suas criações por meio de comandos de codificação simples e baseados em ícones. Um aplicativo gratuito para tablet inclui fáceis instruções de construção passo a passo para criar e codificar modelos multifuncionais. 
2020 
Lançamento do LEGO DOTS, um novo conceito de peças que marcou o ingresso da empresa no segmento “Arts and Crafts” (artes e trabalhos manuais). São tiles 2D que oferecem às crianças uma tela para se expressarem. Baseada em múltiplas formas (como expressões faciais, nota musical, patas de gato, noite estrelada) e tiles coloridos, oferece um grande portfólio de adereços para decorar superfícies (incluindo pulseiras) criadas para serem customizadas livremente. 
Lançamento do LEGO SKETCHES, uma nova linha com bloquinhos e instruções para recriar personagens (como Batman, Coringa e os soldados Stormtroopers) como retratos estilizados. 
2021 
Lançamento do LEGO VIDIYO, uma linha que permite que as crianças criem seus próprios videoclipes com os sets de LEGO através de um aplicativo gratuito que usa realidade aumentada. Interessados em provar a experiência completa terão à disposição duas opções de sets: os BandMates, mini-figuras vendidas individualmente; e os BeatBoxes, que incluem uma caixa dedicada a um estilo musical próprio. Cada um deles conta com BeatBits, peças que podem ser escaneadas para adicionar efeitos ou instrumentos ao vídeo. O aplicativo permite estilizar todos os membros da banda, selecionar nomes, criar capas de álbuns, entre outras opções. As músicas não são genéricas, sendo fornecidas a partir de uma parceria com a Universal Music Group (UMG).


As lúdicas mini-figuras 
As icônicas mini-figuras da LEGO tem mais de 40 anos e uma população superior a 4.4 bilhões de bonequinhos habitando o universo criativo da marca dinamarquesa. As mini-figuras foram desenhadas por Jens Nygaard Knudsen, então designer da LEGO, também responsável pela criação de carros, trens e casas maravilhosas, entre outros kits de sucesso. Mas ele sempre nutriu o sentimento de que algo estava faltando. Faltava vida! Foi então, que no começo dos anos de 1970, ele começou a serrar e limar peças de LEGO até que finalmente chegou a uma pequena figura que combinava um tijolo LEGO com uma forma humana. A pequena figura angular tinha cabeça arredondada, não tinha expressão facial nem braços, e suas pernas não eram articuladas. Além disso, eles tinham uma pequena variedade de acessórios de cabeça em várias cores, incluindo bonés, cabelos trançados e chapéus de caubói. Esta primeira versão fez certo sucesso quando foi lançada no mercado em 1975.
   

Mas ele não estava satisfeito com o resultado e continuou trabalhando para dar mais “vida” a suas mini-figuras. Eventualmente havia 50 protótipos, alguns menores e outros um pouco maiores. O então presidente da LEGO ao ver as figuras decidiu que o novo produto, batizado com o nome de Minifigure, iria impulsionar as vendas da marca, que andavam meio em queda na época. A nova mini-figura, formada por seis partes, dobrava o corpo, tinha olhos e boca, os braços se moviam e suas mãos, com formato semelhante a um “U” ou “C”, eram capazes de segurar objetos, o que abriu um novo mercado para acessórios e partes do divertido brinquedo. Além disso, também se conectavam a blocos de LEGO padrão na posição sentada ou em pé. No dia 29 de agosto de 1978 as primeiras mini-figuras LEGO chegaram as lojas da Dinamarca, como parte dos sets temáticos Space (espacial), Town (cidade) e Castle (castelo) e com diferentes tipos, incluindo médico, policial, astronauta, bombeiro, operário da construção e cavaleiro. Dois meses mais tarde, a primeira mini-figura feminina já estreava no mercado. Era uma enfermeira.
  

Inicialmente a cabeça era sólida, mas para evitar risco de asfixia, ela ganhou um furo no meio, de uma ponta a outra. Essa mudança também permitiu que novos acessórios fossem encaixados nela. Os famosos bonequinhos da marca com aproximadamente 5 cm, inicialmente eram fabricados apenas na cor de pele amarela e não tinham gênero ou raça, acreditando que esses fatores seriam determinados pela imaginação e brincadeira da criança. Todas as mini-figuras masculinas vestiam chapéus até 1979, quando os designers resolveram criar os primeiros modelos com cabelo. Para que a criança pudesse decidir o humor da sua mini-figura, nenhuma delas tinha expressão facial, característica que só foi adaptada aos bonequinhos em 1989, quando ganharam expressões de felicidade ou tristeza, com caras de bons ou maus. Ainda este ano os piratas foram as primeiras mini-figuras a terem partes do corpo modificadas: gancho na mão e perna de pau. No ano seguinte surgiram duas novidades: a primeira mini-figura com vestido e uma que representava um fantasma. Nos anos seguintes, as mini-figuras ganharam diferentes expressões faciais, como pelos faciais, tapa-olhos, maquiagem feminina e óculos de sol. A maioria dessas adições faciais iniciais ainda estava centrada em torno dos dois olhos e do sorriso. No entanto, a partir de 1997, com Willa, a Bruxa dos Cavaleiros do Terror, as expressões faciais tornaram-se mais complexas, incluindo bocas abertas e olhos detalhados.
   

Compostas por seis partes (cabeça, torso, quadril, braços, mãos e pernas) que permitem sete pontos de articulação (cabeça giratória, braços giratórios, pulsos giratórios e pernas giratórias), as mini-figuras tiveram uma grande mudança em 1999. Neste ano, a marca começou a fabricar as mini-figuras de Star Wars™ que ganharam características ainda mais exclusivas. Com a linha LEGO Harry Potter™ em 2004, a pele dos bonecos ganhou tonalidades mais naturais. Com isso, um leque de oportunidades se abriu para a empresa, que hoje possui acordos com diversas empresas e parceria com personagens famosos como Indiana Jones™, Batman™, Bob Esponja™, The Simpsons™ e Disney™. Nesta época foram lançadas as mini-figuras do set NBA Basketball, as primeiras a terem pernas com molas, bem como braços e mãos apropriadas para se prenderem no aro ao simularem enterradas. Outras variações de perna incluem pernas curtas para crianças ou anões, ou pernas longas (usadas nos sets de Toy Story™).
   

Em 2010, devido ao enorme sucesso das mini-figuras, praticamente onipresentes no mundo LEGO, a empresa resolveu lançar uma linha colecionável. A série 1, lançada em pacotinhos amarelos, sim, igual a figurinhas, tinha 16 mini-figuras, como enfermeira, boneco de testes, cheerleader (líder de torcida), zumbi, mágico, ninja, mergulhador, arqueiro, skatista, homem das cavernas, palhaço, robô, índio e um personagem que parece ter saído de um filme de ficção científica. A intenção de estimular a coleção dessas simpáticas figuras deu tão certo que outras séries foram lançadas na sequência. Até hoje, já foram lançadas 36 séries com aproximadamente 600 mini-figuras diferentes. As mini-figuras, embaladas individualmente e acompanhadas de uma base de exposição e acessórios, são lacradas e não possuem nomes de identificação, portanto a surpresa está garantida na hora de abrir o pacotinho.
  

Em 2016, a marca apresentou seu primeiro bonequinho de cadeira de rodas. Esta foi a primeira vez em mais de 80 anos de existência que a LEGO desenvolveu modelos com algum tipo de deficiência. Nesse mesmo ano surgiu a primeira mini-figura de um bebê (menor que as tradicionais). Durante mais de quatro décadas, as mini-figuras assumiram vários personagens/profissões como piloto, mergulhador, explorador, bombeiro, caçador, lenhador, mineiro, enfermeiro, cientista, marinheiro, velejador, mecânico, jardineiro, encanador, carpinteiro, açougueiro, cozinheiro, garçonete, aeromoça, cirurgião, professor, engenheiro, juiz, babá, mágico, fazendeiro, veterinário, bailarina, palhaço, jogador de futebol, alpinista, paraquedista, surfista, gangster, pop star, músico, DJ, salva-vidas, soldado romano, esquimó, rei, rainha, xerife, samurai, viking, robô, sereia, elfo, múmia, vampiro, pé grande, lobisomem e até Papai-Noel.
  

Até hoje, foram lançadas mais de 8.000 mini-figuras de personagens diferentes e 650 diferentes designs de rostos. Aproximadamente 12 mini-figuras são produzidas por segundo no mundo. As cabeças das mini-figuras são vazadas para prevenir acidentes por ingestão acidental, assim há uma maior probabilidade do ar passar caso seja ingerida e fique presa na garganta de uma criança. Uma curiosidade: LEGO já lançou mini-figuras de ouro 14 quilates (aconteceu em 2007, quando criou 10 mil mini-figuras cromados do C-3PO para celebrar o 30º aniversário de Star Wars™, bem como duas versões de ouro 14 quilates). Uma segunda curiosidade: Quatro blocos montados um em cima do outro, esta deve ser a altura máxima de cada mini-figura (sem considerarmos seu chapéu ou cabelo). O motivo é simples, elas precisam ter esta altura para que caibam dentro da maioria dos veículos, estruturas e aeronaves da LEGO. Alguns funcionários da empresa utilizam mini-figuras como seu cartão de visitas, que são personalizadas com seus nomes e informações pessoais.
  

Na imagem abaixo é possível acompanhar a evolução do design na mini-figura policial, uma das primeiras e mais populares da LEGO.
  

Clique na imagem abaixo para acompanhar a incrível linha do tempo desses pequenos seres adoráveis.
  

Os divertidos sets 
Nos anos de 1990, a LEGO percebeu o quão lucrativo seria o licenciamento de personagens de filmes, desenhos, animações ou séries de TV para fazer parte de seu lúdico universo. Os primeiros sets com personagens licenciados foram lançados no mercado em 1999: Winnie the Pooh™ (o famoso ursinho da Disney) e LEGO Star Wars™, uma nova linha de construção baseada no conhecido filme Guerra nas Estrelas, que se tornou um dos sets mais vendidos na história da marca, fazendo enorme sucesso entre os adultos e adoradores da série. Nos anos seguintes a marca intensificou o lançamento de sets licenciados e baseados em filmes e personagens, como por exemplo, Mickey Mouse™ (2000), Harry Potter™ (2001), Spider-Man™ (2002), Dora The Explorer™ (2004), Bob Esponja™ (2006), Batman™ (2006), Indiana Jones™ (2008), Speed Racer™ (2008), Toy Story™ (2010), Piratas do Caribe™ (2011), Cars™ (2011), Minecraft™ (2012), Disney Princess™ (2012), O Senhor dos Anéis™ (2012), Tartarugas Ninjas™ (2013), The Simpsons™ (2014), Scooby-Doo™ (2015), Ghostbusters™ (2016), Angry Birds™ (2016), Frozen™ (2016), As Meninas Super Poderosas™ (2018), Stranger Things™ (2019), Minions™ (2020) e Super Mario™ (2020).
    

Um dos mais recentes lançamentos da marca, ocorrido no início de 2021, é um set do Space Shuttle Discovery e do Telescópio Hubble da missão STS-31, feito em conjunto com a NASA e a Agência Espacial Europeia (ESA) para agradar aos fãs de missões espaciais e comemorar o 40º aniversário do lançamento do primeiro ônibus espacial. O kit tem 2.254 peças e é uma maquete em escala 1:70 do Discovery, que é uma das naves mais importantes da NASA. O trem de pouso do Discovery se desdobra e os ailerons se movem, exatamente como o original. Já as portas do compartimento de carga se abrem para revelar o braço robótico, a antena de banda KU e a carga da missão podem ser acessadas. Como o telescópio Hubble foi transportado como carga na missão espacial, ele está incluído no set e também está cheio de detalhes, como os painéis solares e a antena de comunicação.
  

Outra linha popular da marca é a LEGO ARCHITECTURE, lançada em 2008 e composta por produtos (sets) criados em parceria com o arquiteto Adam Reed Tucker, da empresa Brickstructures, que tem como objetivo celebrar o passado, o presente e o futuro da arquitetura usando blocos de LEGO. A série de réplicas de algumas das mais impressionantes obras arquitetônicas do mundo era composta inicialmente por quatro sets: Sears Tower e John Hancock Center em Chicago, a magnífica torre Seattle Space Needle em Seattle e representando Nova York o arranha-céu mais famoso do mundo o Empire State Building. Ao todo a linha já lançou 52 monumentos arquitetônicos históricos, entre os quais Museu Guggenheim (2009), Casa Branca (2010), Rockefeller Plaza (2011), Portão de Brandemburgo (2011), Burj Khalifa (2011), Sydney Opera House (2012), Big Ben (2012), Torre de Pisa (2013), Sede da ONU (2013), Torre Eiffel (2014), Fontana de Trevi (2014), Lincoln Memorial (2015), Flatiron Building (2015), Museu do Louvre (2015), Palácio de Buckingham (2016), Capitólio americano (2016), Arco do Triunfo (2017), Muralha da China (2018) e Estátua da Liberdade (2018).
  

Já os maiores sets da marca disponível para venda são: Coliseu de Roma (2020), composto por 9.036 peças; Star Wars™ Millennium Falcon (2017), com 7.541 peças; Harry Potter™ Hogwarts Castle (2018), com 6.020 peças; Taj Mahal (2008), com 5.923 peças; Ninjago City Gardens (2021), composta por 5.685 peças; Harry Potter™ Diagon Alley (2020), com 5.544 peças; Star Wars™ Ultimate Collection Millennium Falcon (2007), com 5.197 peças; Ninjago City (2017), com 4.867 peças; Star Wars™ Imperial Star Destroyer (2019), com 4.784 peças; Ghostbusters™ Firehouse Headquarters (2016), com 4.634 peças; e Tower Bridge (2010), com exatas 4.287 peças.
  

Laboratórios de ideias 
Desde 2008 o LEGO IDEAS é um projeto inovador da empresa que permite que fãs/construtores enviem sugestões de sets (kits). Caso alguma delas tenha uma boa aceitação do público, e passe pelo rígido setor de análise de empresa, poderá virar um produto de verdade. O processo seletivo tem algumas fases. A primeira é inscrever a ideia, que precisa estar de acordo com os valores da empresa, e ter um protótipo fotografado e descrito. A segunda é uma votação popular que exige pelo menos 10 mil votos. Em seguida, um conselho de designers e marketing da LEGO avalia o projeto do ponto de vista corporativo. Se tudo estiver certo, o projeto entra em produção e é fabricado e comercializado ao redor do mundo, com créditos e royalties para o criador.
  

Já foram lançados mais de 35 sets por sugestões de fãs e construtores, entre os quais, o submarino Shinkai (2011); o carro DeLorean do filme “De Volta para o Futuro” (2013); o veículo de exploração Curiosity Rover da NASA (2014); o robô WALL•E™ do estúdio de animação Pixar (2015); os personagens e a reprodução do apartamento de Sheldon e Leonard da série The Big Bang Theory™ (2015); os bonequinhos de John, Paul, George e Ringo e o famoso submarino amarelo (Yellow Submarine), clássico que aparece como canção, álbum e filme, de 1968, dos Beatles (2016); o foguete Saturno V da NASA (2017); a famosa casa da Árvore (2019); o sexteto de amigos da série Friends™ sentados no sofá do icônico café Central Perk (2019); a estação especial internacional (2020); e os personagens de Vila Sésamo™, incluindo o lúdico edifício no n.º 123 da Rua Sésamo em Nova York (2020).
  

O licenciamento lúdico 
A marca dinamarquesa percebeu na década de 1990 um enorme potencial para expandir o universo criativo e lúdico dos bloquinhos de montar para outras categorias de produtos através de licenciamento. Uma das primeiras iniciativas nesse sentido ocorreu em 1993 com o lançamento da LEGO KIDS’ MIX & MATCH WEAR sob licença entre a LEGO e a empresa de confecções Kabooki. Atualmente conhecida como LEGO WEAR, suas roupas, voltadas para o segmento infanto-juvenil, são comercializadas em uma centena de lojas nos mercados da Dinamarca, Noruega, Suécia, Alemanha, França, Portugal, Espanha, Itália, Reino Unido e Holanda. A partir de então, a marca LEGO começou a estampar sua filosofia extrovertida e criativa em uma infinidade de produtos através de licenciamento, como por exemplo, agendas, mochilas, chaveiros, bonés, chinelos, pantufas, entre outros itens.
   

Além disso, a LEGO também firma parcerias com outras marcas para o lançamento de edições limitadas. Por exemplo, uma parceria da marca dinamarquesa com a Levi’s (saiba mais sobre este ícone americano aqui) resultou em uma coleção de roupas que apresenta a primeira placa de base flexível de silicone de LEGO, na qual os fãs podem criar seus próprios designs personalizados usando LEGO DOTS (pequenos elementos em forma de mosaico). Além disso, os elementos da LEGO também aparecem nos detalhes das roupas, incluindo botões de haste de cores primárias em amarelo, vermelho, verde, azul, branco e preto, e até o patch de couro padrão da Levi’s também foi convertido em um patch de LEGO vermelho flexível. Outro exemplo foi a parceria com a Adidas (saiba essa história aqui) para o lançamento em 2021 do tênis Adidas Ultraboost DNA X Lego Plates, que além do conforto e do estilo peculiar aos calçados da marca alemã, traz também o icônico suporte para encaixar peças da LEGO em seu design. Além da base para prender as peças (justamente no símbolo das três listras que representam a marca alemã), o modelo também vem com bloquinhos para enfeitar o tênis, e alterar seu desenho, suas cores e seu estilo. Até a palmilha do tênis reproduz o suporte de encaixe das peças do LEGO.
  

Ganhando vida nas telas 
Sempre buscando se reinventar, a LEGO fez o que parecia impossível: saiu do mundo físico. Os blocos de montar e seus pequenos bonecos deixaram de ser apenas coisas palpáveis e se tornaram arte digital. E isto ocorreu em dezembro de 1995, no Japão, com o lançamento em pequena escala do primeiro jogo de videogame educacional da SEGA, chamado LEGO Fun to Build. O segundo game, batizado de LEGO ISLAND, foi o primeiro a ser lançado fora do Japão em 1997. A partir de então a LEGO começou a construir uma longa história de videojogos, cuja popularidade explodiu com o primeiro game de propriedade licenciada, o LEGO Creator: Harry Potter™ (2001) e depois com LEGO Star Wars™ (2005), Lego Indiana Jones™: The Original Adventures (2008) e Lego Batman™: The Videogame (2008). Depois vieram jogos inspirados em filmes famosos como Piratas do Caribe™ (2011), O Senhor dos Anéis™ (2012), The Hobbit™ (2014), Jurassic World™ (2015), Os Vingadores™ (2016) e Os Incríveis™ (2018), que trouxeram milhões de dólares para os caixas da empresa dinamarquesa. Com mais de 85 jogos lançados em 25 anos, os games da LEGO são a 9ª maior franquia de videogames na história (em faturamento) e já venderam mais de 200 milhões de exemplares.
  

A marca aproveitou seu enorme sucesso nos videogames para transferir seu universo e personagens para a telona. Com isso, em 2014, foi lançado nos cinemas mundiais The Lego Movie, o primeiro longa-metragem feito usando totalmente os pequenos bonequinhos. O filme conta a história de Emmet, um LEGO comum, até o dia em que é confundido com o Master Builder, o grande criador deste mundo de brinquedo, por ter encontrado a famosa peça de resistência. Este peça, procurada por todos há séculos, seria capaz de desarmar uma poderosa máquina criada pelo presidente do país, o perverso Sr. Negócios, que pretende colar todas as peças e impedir as mudanças no sistema. O filme custou US$ 60 milhões e faturou mais de US$ 460 milhões. Outros filmes foram lançados nos anos seguintes, como The Lego Batman™ Movie (2017), The Lego Ninjago Movie (2017) e The Lego Movie 2: The Second Part (2019).
   

Apostando na educação 
A LEGO EDUCATION foi criada em 1980 como o braço educacional e pedagógico da empresa dinamarquesa, desenvolvida através de uma parceria firmada com o centro universitário norte americano MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts). A LEGO foi um dos primeiros provedores de educação corporativa a projetar e vender produtos não relacionados a livros especificamente para ensino e aprendizagem nas escolas, especialmente nas séries iniciais. Em conjunto com educadores, por mais de 40 anos, essa divisão tem desempenhado um papel decisivo na motivação e envolvimento dos alunos na aprendizagem, proporcionando uma experiência prática que estimula o aprendizado através da criação física e digital. A LEGO EDUCATION, que oferece kits educacionais e de robótica, se esforça para fornecer uma experiência distinta para os educadores e estudantes que combina currículo relevante, o sistema LEGO de blocos, formação de professores e desenvolvimento profissional com seus princípios únicos de aprender fazendo. Através desta abordagem de ensino e aprendizagem, a LEGO EDUCATION auxilia os professores a desenvolver alunos bem sucedidos, que aprendem mais sobre disciplinas do currículo (Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática) e desenvolvem habilidades do século 21, em um ambiente de aprendizagem lúdica.
   

Atualmente a LEGO EDUCATION está presente em mais de 65 países e oferece uma ampla gama de recursos educacionais físicos e digitais que incentivam os alunos a pensar de forma criativa, raciocinar sistematicamente e liberar seu potencial para moldar seu próprio futuro. Afinal, o melhor tipo de aprendizagem acontece quando podemos usar a nossa criatividade no processo, quando temos ideias, podemos explorar experimentar e nos envolver com o que estamos tentando aprender - aproveitando a nossa curiosidade e imaginando “e se...”.
  

A fundação 
Criada no dia 10 de dezembro de 1986, a THE LEGO FOUNDATION (que adotou este nome somente em 1991) tem como missão principal atuar no desenvolvimento de ferramentas para promover o raciocínio, a criatividade e a imaginação das crianças. Com sua fundação a LEGO visa construir um futuro em que a aprendizagem através da brincadeira capacita as crianças a se tornarem alunos criativos, engajados e por toda a vida. Desde colocar a educação infantil de qualidade na agenda global até tornar o aprendizado lúdico uma realidade para milhões de crianças, o objetivo dos Programas Globais da LEGO Foundation é tornar a vida de milhões de crianças melhor - e as comunidades mais fortes - garantindo que o valor fundamental da brincadeira seja compreendido, abraçado e posto em prática. O foco é em crianças de 0-12 anos, com ênfase especial na primeira infância, onde as crianças se desenvolvem mais rapidamente, tanto físico quanto mentalmente. A fundação oferece apoio e patrocínio para projetos de diversas instituições internacionais, como por exemplo, a UNICEF.
  

Por exemplo, no Brasil, a LEGO FOUNDATION em parceria com a Fundação Dorina Nowill desenvolveu o LEGO BRAILLE BRICKS, uma versão inclusiva dos famosos blocos de montar para crianças com deficiência visual. Apresentada oficialmente ao mundo em 2019, nessa nova versão, os pinos das pecinhas representam o alfabeto braille, tornando-se uma poderosa ferramenta para a alfabetização e lazer de crianças com deficiências visuais. Inicialmente testado em dinamarquês, norueguês, inglês e português, a versão final do kit foi lançada em 2020 e distribuída gratuitamente para instituições selecionadas por meio de parceiros participantes. O kit, disponível em mais de 20 países, é composto por aproximadamente 300 peças cobrindo o alfabeto completo (oferece mais de 6 idiomas, incluindo o português), números de 0 a 9, símbolos matemáticos selecionados e sinais de pontuação. Além disso, cada bloco também traz a respectiva letra impressa, justamente para que todas as crianças - com ou sem deficiência - possam aprender e se divertir juntas. É uma ferramenta inovadora, que colabora efetivamente para o aprendizado inclusivo, envolvendo não só as crianças cegas e com baixa visão, mas também os colegas videntes.
  

Os bloquinhos em números 
● Existem 3.700 elementos diferentes de blocos LEGO. 
● Existem 86 peças de LEGO para cada habitante da Terra. 
● Estima-se que mais de 550 milhões de crianças brinquem com seus produtos em todo mundo. 
● Os blocos são tão versáteis que a LEGO calcula que apenas seis tijolos clássicos de 2 x 4 podem ser arrumados em 915.103.765 maneiras diferentes. 
● A LEGO produz mais de 70 bilhões de componentes (blocos) por ano. 
● Os blocos estão disponíveis em mais de 65 cores diferentes. As cores básicas dos famosos blocos são: azul, preto, cinza-escuro, verde, cinza-claro, vermelho, amarelo e branco. 
● Atualmente existem mais de 500 bilhões de blocos de LEGO ao redor do mundo. 
● Crianças do mundo inteiro passam mais de 5 bilhões de horas por ano brincando com os produtos LEGO. 
● Com produção superior a 675 milhões de mini-pneus anualmente, a LEGO é a “maior produtora do segmento”. 
● Hoje, a cada segundo, sete caixas de LEGO são vendidas em todo o planeta. Na época de natal esse número sobe para 28 caixas por segundo. 
● Os blocos LEGO vendidos em um ano dariam a volta ao mundo 5 vezes e 40 bilhões deles empilhados chegariam a lua. 
● Uma busca hoje no Google (conheça essa outra história aqui), retorna mais de 784.000.000 de resultados com a palavra LEGO. 
● LEGO Star Wars™ é a linha mais bem sucedida de toda a história da marca. 
● Aproximadamente 200 designers de 18 nacionalidades projetam e planejam os produtos para todos os diferentes conjuntos da LEGO. 
● 18 em cada 1 milhão de peças não atingem o padrão de qualidade exigido pela LEGO. A margem de erro tolerada na dimensão de um bloco é de 2 milésimos de milímetro. 
● Cada bloco de LEGO pode suportar uma força de mais de 4 mil Newtons, ou seja, quase meia tonelada de peso. 
● Há um pequeno número de três dígitos estampado na parede interna de todos os blocos de LEGO. O número indica qual molde foi usado e onde na linha de produção o bloco estava localizado. Em caso de defeito, a empresa pode rastrear facilmente o erro e corrigir o problema. 
● A temperatura máxima para lavagem dos blocos é de 40 °C. 
● Com US$ 10.000 pode ser possível comprar uma caixa fechada de 2.899 blocos para montar uma réplica da Estátua da Liberdade. Lançada em sua primeira versão no ano de 2000, a coleção foi descontinuada, por isso virou raridade. Preços absurdos também são cobrados por outras coleções amadas pelos aficionados, como Star Wars™, Super Mario™ e Beatles™.
  

As divertidas lojas 
Tudo começou em 1992 quando a LEGO inaugurou uma loja conceitual e interativa no shopping Center Mall of America na cidade de Bloomington, estado americano de Minnesota. Chamada de LEGO IMAGINATION CENTER (LIC), a enorme loja, além de vender os brinquedos da marca, possuía várias esculturas feitas de LEGO expostas em displays e áreas onde as crianças podiam se divertir com os tradicionais blocos, conhecendo as diversas possibilidades e coleções existentes.
   

O sucesso foi tanto que outras lojas conceituais foram inauguradas nos anos seguintes. A mais famosa delas está localizada desde 1997 na cidade de Orlando na Flórida, dentro da Disney Springs (antigo Downtown Disney). Essa loja possui uma enorme variedade de playsets colecionáveis e inspirados em filmes da Disney, além da popular Pick-A-Brick Wall (uma parede repletas de blocos que podem ser comprados avulsos por cores e quantidade), mesas práticas para brincar e a LEGO Minifigure Factory, onde é possível criar uma mini-figura totalmente personalizada da cabeça aos pés. Mas as principais atrações estão do lado externo: esculturas de personagens da Disney (como dos filmes Frozen™ e Star Wars™) feitas inteiramente de pecinhas de LEGO, além de um divertido playground interativo e uma enorme serpente do mar verde, apelidada de Brickley, feita inteiramente com peças de LEGO, localizada em uma enorme lagoa bem em frente à loja. Nos Estados Unidos existem três tipos de lojas: as conceituais, as normais e os outlets. Ao todos são aproximadamente 109 endereços espalhados pelo país e no Canadá.
   

A primeira loja própria da marca na Europa, chamada de LEGO BRAND STORE, foi inaugurada somente em outubro de 2002 na cidade de Colônia na Alemanha, seguida de outras unidades em Milton Keyne na Inglaterra e Moscou na Rússia. O sucesso fez com que outras unidades fossem abertas em cidades como Munique, Oberhausen e Hamburgo na Alemanha; Birmingham, Brighton, Bluewater e Kingston na Inglaterra. Somente no dia 13 de dezembro de 2010 foi inaugurada a primeira loja da marca em seu país natal, a Dinamarca. Já na China, a marca inaugurou sua primeira loja em 2016, na cidade de Xangai, dentro da Shanghai Disneytown. Hoje em dia a LEGO possui uma rede com mais de 600 lojas próprias em países como Estados Unidos, Dinamarca, França, Inglaterra, Suécia, Alemanha, Canadá, Bélgica, China, Áustria e Brasil.
  

No Brasil a marca inaugurou sua primeira loja oficial no mês de abril de 2010, localizada no luxuoso shopping Cidade Jardim, na capital paulista. Em um espaço de 90 m², os consumidores podiam encontrar as principais novidades da marca, incluindo os lançamentos e acessórios, como chaveiros e canetas. Um dos grandes destaques da loja estava do lado de fora: um boneco em tamanho natural feito com peças de LEGO reproduzia um homem sentado em um banco. Com o mobiliário inteiramente formado por peças do famoso brinquedo, a loja-conceito tinha como objetivo estimular a criatividade e a imaginação e também desenvolver o raciocínio lógico e a coordenação motora dos pequenos que visitassem o espaço. Para isso, além de poderem tocar em esculturas feitas com milhares de peças do brinquedo, os pequenos podiam montar o próprio LEGO e também participar de atividades especialmente desenvolvidas pela loja. No Brasil já são 11 lojas da marca dinamarquesa em cidades como São Paulo, Campinas, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife e Curitiba.
  

Centros recreativos lúdicos 
No mês de abril de 2007, a Merlin Entertainments em parceria com a empresa dinamarquesa inaugurou na cidade alemã de Berlim o LEGOLAND DISCOVERY CENTER, um espaço de recreação recheado com todos os produtos da marca que convidava as famílias através de áreas temáticas a explorarem e interagirem de uma forma divertida e educacional as inúmeras possibilidades que os pequenos blocos têm a oferecer. Nestes espaços ainda é possível conhecer como os produtos LEGO são criados e fabricados, passear em pequenas montanhas-russas e brinquedos, observar réplicas perfeitas e detalhistas de cidades feitas com o bloquinhos, assistir incríveis filmes em 4D, montar carrinhos e testá-los, e até pedir para um especialistas ensinar novas maneiras de usar os bloquinhos e vários truques. Além é claro, brincar em divertidas áreas temáticas, como um playground onde as crianças escalam, descem em escorregadores, e se divertem em piscinas de bolinhas.
   

Atualmente existem 20 unidades do LEGOLAND DISCOVERY CENTER localizadas em cidades como Berlin, Chicago, Boston, Atlanta, Dallas, Filadélfia, Kansas City, Xangai, Istambul, Tóquio, Osaka, Melbourne, Toronto e Manchester.
  

Os parques temáticos 
Bem vindo a um mundo no qual a imaginação se torna realidade. Essa é a melhor definição para os parques temáticos da LEGO. O primeiro parque temático da marca, conhecido como LEGOLAND (algo como Terra da Lego), foi inaugurado no dia 7 de junho de 1968 na cidade de Billund na Dinamarca, registrando mais de três mil visitantes em seu primeiro dia de funcionamento. O parque possuía atrações em sua maioria voltada para crianças, e muitas delas construídas com peças de LEGO. Em sua construção foram utilizados mais de 58 milhões de peças do brinquedo, que formavam diferentes tipos de estruturas, figuras e esculturas. Atualmente este parque, dividido em 10 aéreas temáticas, 50 atrações, incluindo 4 montanhas-russas, recebe anualmente mais de 1.6 milhões de visitantes, sendo o destino turístico mais visitado da Dinamarca, depois da cidade de Copenhagen. Mais de 56 milhões de pessoas já visitaram este parque desde a sua inauguração. O segundo parque temático foi inaugurado em 17 de março de 1996 na cidade de Windsor, ao norte de Londres. Entre as atrações destacavam-se: a montanha-russa, o carrossel, viagens em 3-D e espetáculos de lazer ao ar livre. Com as peças de LEGO foram recriadas atrações internacionais famosas como a torre do Big Ben e a roda-gigante London Eye, símbolos londrinos; a Torre Eiffel; a Torre de Pisa; os moinhos holandeses e a Estátua da Liberdade. Existe ainda uma seção chamada Hall da Fama, onde rostos de pessoas famosas, como Marilyn Monroe, foram recriados com peças de LEGO.
   

O sucesso destes dois parques resultou na inauguração de unidades na cidade de Carlsbad, estado da Califórnia, em 20 de março de 1999, com mais de 60 divertidas atrações; e Günzburg na Alemanha no dia 17 de maio de 2002. Devido às graves dificuldades financeiras na época, 70% das operações dos parques foram vendidas em 2005 por aproximadamente €375 milhões para um fundo de investimento. Com isso, inúmeras modernizações e novos investimentos foram feitos nos parques, que ganhou uma nova unidade em Winter Haven (LEGOLAND FLORIDA), a 45 minutos da cidade de Orlando na Flórida, inaugurada no dia 15 de outubro de 2011. Este foi o quinto e segundo maior parque LEGOLAND do mundo. Dividido em dez áreas temáticas, o complexo oferece mais de 50 atrações, de montanha-russa a carros de corrida feitos de LEGO. Sem falar de shows (incluindo um com dublês nas águas do rio Eloise), espetáculos interativos, um jardim botânico com plantas nativas, lojas, restaurantes, 14 tobogãs no parque aquático (LEGOLAND WATER PARK) e 3 hotéis temáticos exclusivos. Entre as principais atrações estão: um cinema 4D, um playground coberto, um trenzinho que dá volta pela fazendinha de LEGO, um simulador de voo, uma torre que leva os visitantes pra cima e pra baixo enquanto gira, uma montanha-russa que tem partes ao ar livre e partes em um ambiente fechado, uma árvore de escalada, uma atração que combina Realidade Virtual com uma montanha-russa de verdade, entre outros.
    

Em setembro de 2012 foi inaugurado o primeiro LEGOLAND no continente asiático, localizado ao sul do estado de Johor na Malásia, que conta com diversas atrações, entre as quais réplicas perfeitas das 17 cidades mais importantes da Ásia feitas com peças de LEGO. Em outubro de 2016, foi inaugurado o LEGOLAND DUBAI, que conta com mais de 60 milhões de peças de LEGO e 40 atrações e brinquedos interativos, incluindo duas montanhas-russas. A principal área do parque é a Miniland, onde mais de 20 milhões de peças de LEGO foram usadas para criar 15.000 modelos em miniatura de diferentes estruturas e pontos turísticos históricos mundiais. No ano seguinte a empresa inaugurou mais uma unidade do LEGOLAND, localizada na cidade de Nagoya no Japão.
   

Atualmente existem 9 parques LEGOLAND, incluindo a unidade que será inaugurada no verão americano de 2021 em Goshen, Nova York; que receberam 15.7 milhões de visitantes em 2019 (os números de 2020 foram severamente afetados, pois os parques passaram boa parte do tempo fechados em virtude da pandemia de COVID-19). A empresa anunciou a inauguração de mais um parque para 2022, localizado em Chuncheon na Coréia do Sul. Além disso, em alguns complexos (como na Califórnia, Flórida, Malásia e Dubai) existem parques exclusivamente aquáticos (LEGOLAND WATER PARK), repletos de tobogãs, piscinas (incluindo com ondas) e rios com correnteza. Existe ainda um parque aquático da LEGO (recém-inaugurado) dentro do parque temático Gardaland Resort, em Verona na Itália. Os parques LEGOLAND são administrados pela empresa britânica Merlin Entertainments, controlada pela família Kristiansen.
   

Adjacente aos parques existe os hotéis LEGOLAND RESORT HOTEL, onde é possível se hospedar em um mundo lúdico e colorido. O primeiro hotel temático da marca foi inaugurado na Dinamarca, ao lado da fábrica original. Entre os diferenciais destes lúdicos hotéis estão balcões, chuveiros e pias mais baixos para atender a altura das crianças, quartos temáticos, lojas (que vendem adivinhe o que?), baús repletos de LEGO espalhados pelo hotel e nos quartos, áreas de lazer com incríveis salas de jogos repletas de brinquedos da marca dinamarquesa, piscinas assim como uma programação de entretenimento para crianças, e restaurantes com um cardápio repleto de alimentos frescos e saudáveis para os pequenos.
   

Geralmente os quartos e os andares são divididos em quatro temas distintos: Adventure (decoração semelhante à Indiana Jones™ e outros filmes de ação), Kingdom (decoração medieval, com cavaleiros e armaduras), Pirates (decoração de piratas) e Friends (algo mais no estilo princesas). Tudo nestes hotéis lembram infância, desde o relógio construído de LEGO na entrada, o carpete que faz barulhos engraçados (de pum) quando você pisa nele até bonecos construídos com pecinhas reais que estão por toda a decoração. Os hóspedes têm acesso direto e privativo aos parques LEGOLAND. Em alguns complexos existem o LEGOLAND CASTLE HOTEL, cuja temática é baseada nos reis, rainhas, princesas e príncipes, e cujos quartos são decorados em detalhes com temas como Cavaleiros e Dragões, Princesa Real ou Mago Mágico.
  

Um lugar lúdico 
Inaugurada no dia 28 de setembro de 2017, a LEGO HOUSE - Home of The Brick é um complexo na cidade de Billund, na Dinamarca, cuja promessa é oferecer uma experiência definitiva aos ávidos fãs da marca. Ocupando uma área de 12.000 m², este centro de experiência recebe um público anual de 300 mil pessoas. O projeto é assinado pelo escritório de arquitetura dinamarquês Bjarke Ingels e foi pensado para se assemelhar a 21 blocos grandes de LEGO empilhados, onde são oferecidas diversas atrações. A construção tem aproximadamente 30 metros de altura e o topo do prédio tem as medidas proporcionais do tradicional tijolo 2x4 da marca, com seis cúpulas imitando seus encaixes e claraboias localizadas dentro dos seus rebites. Por dentro, a instalação contém 25 milhões de peças LEGO. No local o público tem a oportunidade de conhecer melhor a história da marca através de um mini museu, além de encontrar diferentes experiências educativas e inspiradoras, um centro de conferência, três restaurantes e uma completa loja da LEGO.
  

Os visitantes podem explorar duas salas de exibições e brincar em quatro áreas temáticas dividas por cores, cada uma representando um aspecto da brincadeira e aprendizado. O vermelho é para as habilidades criativas, azul para as cognitivas, verde para as sociais e a amarela, as emotivas. Por exemplo, na Zona Amarela os visitantes podem aprender a construir animais e flores com as peças. Na Azul, é possível programar robôs de LEGO e planejar uma cidade.
   

No térreo, está localizada umas das peças mais icônicas da casa: um modelo de árvore de 15 metros, construída com mais de 6.3 milhões de peças. Junto com a estrutura de metal, a “Árvore da criatividade” pesa 20 toneladas e levou mais de 25 mil horas para ser produzida e instalada. Além disso, nos terraços no topo da LEGO HOUSE, há nove playgrounds criativos para crianças de todas as idades. Todas as atividades neste espaço estão relacionadas à filosofia da LEGO de que aprender através do entretenimento promove inovação e criatividade.
  

A nova sede 
A sede mundial e quartel-general da LEGO está situada na pequena Billund, cidade de 6.600 habitantes e situada a 250 quilômetros de Copenhague, onde a terra é plana e o vento é constante, soprando diretamente da Groenlândia e do gélido Atlântico Norte. No mês de outubro de 2019, após quatro anos de planejamento e construção, a LEGO inaugurou a primeira fase de sua nova e moderna sede. Desenhada pelo escritório C.F. Møller Architects, a nova sede tem 54.000 m² e abrigará mais de 2.000 funcionários quando for totalmente concluída em 2021. Um enorme tijolo amarelo chama atenção no topo do edifício principal de escritórios. Isto porque, a empresa deu aos arquitetos total liberdade para adotar uma abordagem mais lúdica no projeto, algo que fica evidente em cada detalhe da estrutura. Isso inclui o uso de tijolos de LEGO nas paredes externas, a colocação de dois tijolos amarelos gigantescos no telhado e uma entrada feita de tijolos amarelos que imitam os tradicionais bloquinhos de montar.
  

Do lado de fora, a construção - batizada de People House - parece uma junção de blocos gigantes, com muitas referências ao design que transformou a LEGO na maior fabricante de brinquedos do mundo. Para capturar a essência da marca, detalhes divertidos fazem parte do conceito do novo campus. O edifício foi projetado especialmente para refletir o espírito da LEGO, mas como um ambiente sofisticado para adultos. Por dentro, o design escandinavo atende às cores da marca e à sustentabilidade - a estrutura gera 50% da energia necessária através de painéis solares -, enquanto a estrutura se divide em “hubs” em que as pessoas podem trabalhar de maneira flexível e interagir umas com as outras. Há salas de reuniões, cabines para chamadas particulares, locais para trabalho em conjunto em plano aberto e um terraço onde é possível almoçar tranquilamente ou jogar mini-golfe em um campo. O telhado é coberto com plantas Sedum que absorvem água e CO2 e a água da chuva utilizada para irrigar os parques verdes na área do campus.
   

Os quatro andares do edifício contam com janelas enormes, com bastante entrada de luz natural, e os pisos circulares permitem uma visão geral de todo o lugar. Isso parte da crença da empresa de que atualmente menos trabalho acontece atrás de um computador e muito mais das conexões casuais entre as pessoas. Praticamente todo o lado externo da sede é um parque público, onde é possível admirar duas esculturas históricas baseadas em peças de LEGO: o “LEGO Symbolik” de Arnold Boutrup construído em 1982 para o 50º aniversário dos bloquinhos de montar e o “LEGO” de Robert Jacobsen, que estava perto do antiga sede desde 1976. Quando totalmente finalizada em 2021, a área central denominada “Casa do Povo” oferecerá um grande auditório, academia, oficina de artes e artesanato, cafés e acomodação para os funcionários que visitarem Billund.
   

A sede também abriga uma espécie de cofre subterrâneo secreto, batizado de Pista da Memória (ou LEGO MEMORY LANE), que armazena um exemplar de cada conjunto LEGO já fabricado. E como não poderia deixar de ser, a sede exibe uma maquete realista feita de peças de LEGO de sua nova sede.
  

Campanhas que fizeram história 
Uma das campanhas mais geniais da publicidade brasileira foi criada para a marca dinamarquesa em 1995 pela DM9, antes mesmo da agência se unir a rede DDB. A campanha, composta por um comercial de televisão e peças de mídia impressa, mostrava o que diversas celebridades faziam com as pequenas peças de LEGO quando crianças. Intitulada de “Famous Childrens” (“Crianças Famosas”), é possível ver nesta campanha o que celebridades como Steven Spilberg, Madonna, Pelé, Bill Gates, David Copperfield, Mike Tyson, Fernando Henrique, Silvio Santos, PC Farias, Boni e Hebe Camargo criavam com as peças de LEGO na infância. Unindo simplicidade e bom humor, a campanha brincava com o próprio produto e com as carreiras dos famosos citados acima. Tudo seguido pelo slogan da campanha “Making Kids Dreams since 1932”.
   

O comercial para televisão ganhou o Leão de Ouro no prestigiado Festival de Cannes em 1995. Toda a campanha foi idealizada pelo publicitário Nizan Guanaes, que esteve na linha de frente de criação deste comercial. A produção do filme ficou por conta da JODAF, uma das produtoras mais reconhecidas no mundo. Clique no ícone abaixo para assistir.
  

Em comemoração aos seus 80 anos, no ano de 2012 a empresa resolveu criar uma fantástica animação - com 17 minutos de duração - para contar a história e o surgimento da LEGO. A animação aborda de forma lúdica o empreendedorismo e explica como os blocos foram criados, bem antes de serem feitos de plástico e qual é o motivo do nome LEGO. A intenção é despertar a nostalgia das “crianças já crescidas” que um dia brincaram com os famosos blocos de montar. Assista a animação clicando no ícone abaixo e entenda um pouco mais a história de uma das marcas mais fortes no imaginário infantil e nas lembranças de milhões de adultos pelo mundo afora.
  

Em 2019, a marca resolveu lançar sua primeira campanha global em 30 anos e apresentou um novo slogan que convidava as novas gerações a “Reconstruir o mundo” (“Rebuild The World”). Com a campanha, a empresa esperava se consolidar como uma marca que ia além da indústria de brinquedos e que representa criatividade, resiliência, solução de problemas e que faz do mundo um lugar melhor para viver. A ideia por trás da campanha era deixar a criança montar o que sua imaginação mandar e não apenas algo que venha com um manual para ser seguido passo a passo. O resultado é a quantidade certa de diversão para as crianças com uma mensagem subjacente mais profunda atraente para os pais.
  

O comercial de TV que compunha a campanha começa como uma mistura de computação gráfica e live action, mostrando uma perseguição por um mundo colorido e lúdico envolvendo dragões que cospem fogo, carros voadores, policiais, tobogãs, entre outras coisas inusitadas. Além do filme, a campanha apresentou peças para mídia digital e outdoors, que abordavam várias questões em alta na sociedade, com referências a mudanças climáticas, transgêneros e mais, bem como algumas imagens simples e alegres.
  

A evolução visual 
O logotipo da LEGO passou por muitas modificações durante a história. Somente em 1954 adotou definitivamente a cor vermelha e um formato oval. Posteriormente, em 1958, esse logotipo ganhou as palavras Lego System. Somente em 1960 o formato retangular foi adotado. Finalmente em 1973 o logotipo aboliu a palavra System, adotou o formato quadrado, uma nova tipografia de letra e o nome da marca (em branco) centralizado com uma leve borda amarela. A última atualização ocorreu em 1998.
  

A identidade visual do LEGO DUPLO, uma linha direcionada para crianças até 5 anos e que tem um coelho vermelho como símbolo, também passou por remodelações ao longo dos anos. O logotipo atual foi adotado em 2013.
   

Os slogans 
Rebuild The World. (2019) 
It’s a new toy every day. (2010) 
Play on. (2002) 
Just Imagine… (1999) 
Making Kids Dreams since 1932. (1995) 
Only the best is good enough. (1932) 
It’s what you make of it. 
Make your world possible.
  

Dados corporativos 
● Origem: Dinamarca 
● Fundação: 10 de agosto de 1932 
● Fundador: Ole Kirk Kristiansen 
● Sede mundial: Billund, Dinamarca 
● Proprietário da marca: Lego System A/S 
● Capital aberto: Não 
● Chairman: Thomas Kirk Kristiansen 
● CEO: Niels Christiansen 
● Faturamento: US$ 7.06 bilhões (2020) 
● Lucro: US$ 1.6 bilhões (2020) 
● Valor da marca: US$ 7.535 bilhões (2020) 
● Lojas: 678 
● Presença global: 130 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 20.460 
● Segmento: Brinquedos 
● Principais produtos: Brinquedos, jogos de videogame, filmes e licenciamento 
● Concorrentes diretos: Playmobil, Mattel, Hasbro, Mega Bloks, Cobi, Sylvanian Families, Lepin, Gibsons e Bandai Namco 
● Ícones: As mini-figuras 
● Slogan: Rebuild The World. 
● Website: www.legobrasil.com.br 

O valor 
Segundo a consultoria britânica Interbrand, somente a marca LEGO está avaliada em US$ 7.535 bilhões, ocupando a posição de número 72 no ranking das marcas mais valiosas do mundo de 2020. 

A marca no mundo 
A LEGO, a maior fabricante de brinquedos do planeta e disparada a mais rentável, vende seus produtos em aproximadamente 130 mil pontos de venda localizados em mais de 130 países, contando ainda com 5 fábricas localizadas na Dinamarca, República Checa, Hungria, México e China, que empregam mais de 20 mil pessoas. Além disso, a marca tem uma rede com mais de 670 lojas próprias e nove parques temáticos. Dona de um faturamento de US$ 7.06 bilhões em 2020, com um kit LEGO vendido a cada 7 segundo ao redor do mundo, a empresa produziu mais de 70 bilhões de peças (blocos) e 750 milhões de mini-personagens, além de vender mais de 130 milhões de conjuntos (sets). Os sets mais vendidos pela marca são LEGO Technic, LEGO Star Wars™, LEGO City, LEGO Classic e LEGO Friends. Em alguns países do oeste europeu, em cada 10 famílias com crianças abaixo de 14 anos de idade, 9 possuem blocos LEGO. Atualmente a linha de brinquedos é composta por 4.200 elementos diferentes, encontrados em mais de 65 cores e 20 diferentes materiais. 

Você sabia? 
Desde sua fundação a LEGO é de propriedade da família Kristiansen, que está na quarta geração no comando da empresa através do bisneto do fundador, Thomas Kirk Kristiansen. 
Os blocos coloridos de LEGO são tão práticos que eles fazem parte de um “sistema universal” que possibilita conectar um bloco de 2021 com um bloco de 1958 sem nenhum problema. 
Em 1992, o maior castelo de LEGO foi montado ao vivo na televisão sueca. Era composto 400.000 peças. Além disto, estudantes da cidade americana de Wilmington ergueram a maior torre de LEGO do mundo, em 2013. Com mais de 500.000 peças, a torre tinha 33.5 metros de altura, o equivalente a um prédio de cinco andares. 
A empresa já possuiu uma fábrica própria em Manaus (AM), inaugurada em 1986 e fechada em 1998. Desde então, toda sua linha de brinquedos, comercializada no mercado brasileiro, passou a ser importada. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Isto é Dinheiro, Newsweek, BusinessWeek, Isto é Dinheiro, Época Negócios, Info Money e Exame), jornais (Valor Econômico, Meio Mensagem, Folha, O Globo e Estadão), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel, Interbrand e Mundo do Marketing), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 18/5/2021

3 comentários:

Michelle Pfaff disse...

A Lego, aproveitando o novo filme da série Indiana Jones, lançou uma coleção temática, com peças evocando o ambiente dos filmes. Fiz um post sobre isso no meu blog...e parece que também vão lançar um jogo para Playstation.
Aliás, alguém já viu o jogo de Star Wars Lego no Nintendo Wii? Muito bonitinho. Todas estas novidades dão vontade de brincar de Lego novamente...
http://marketing-e-inovacao.blogspot.com

Anônimo disse...

LEGO é simplesmente demais. Chega à perfeição de tão mágico que parece ser. Para aqueles que são tão apaixonados como eu por esses tijolinhos, convido a participar do fórum do LUG Brasil, no endereço www.lugbrasil.com. Este ano estivemos participando do evento LEGO Fan Weekend na Dinamarca e tivemos a oportunidade de visitar tanto o parque quanto a fábrica, além do tão sonhado "LEGO vault" onde são guardadas pelo menos uma unidade de cada set que já foi criado! Não deixe de conhecer.

Anônimo disse...

Eu adoro ps brinquedos da lego. São os melhores! Legal mesmo é que os bloquinhos não são limitados para determinada faixa etária. Servem para menino e menina, adulto e criança...basta criar. São fantásticos!