31.10.09

GOYARD


A francesa GOYARD, maior referência de luxo no segmento de malas e bolsas, é um verdadeiro mito nos mercados onde atua. A marca, extremamente exclusiva e seletiva, tem enorme foco na personalização, que existe de várias formas, desde os baús e malas feitos completamente sob encomenda até as iniciais e faixas que são pintadas nos produtos, de forma que os clientes possam ter algo único, o que é o verdadeiro significado do luxo. Responsável por criar acessórios eternos para o estilista Karl Lagerfeld e a Duquesa de Windsor, a marca traz em seus detalhes o melhor da sofisticação e exclusividade francesa. 

A história 
Tudo começou com François Goyard, um jovem artesão de apenas 17 anos que veio da Borgonha para Paris, em 1845, com o objetivo de trabalhar como aprendiz na Maison Morel, fundada em 1792 e então maior e mais prestigiosa fabricante de baús de viagem, caixinhas, cofrinhos e embalagens, que na época era um verdadeiro sucesso entre a nobreza francesa. Em oito anos, ele se transformou no herdeiro profissional do célebre Henri Morel e teve então uma ideia muito original e ousada: abriu uma loja ao público, em 1853, no número 233 da lendária rua Saint-Honoré (onde está até hoje, no mesmo prédio) e começou a oferecer suas sofisticadas e primorosas criações que levavam requinte e luxo na hora de viajar, iniciando um novo negócio, rebatizado como La Maison Goyard, que seria expandido nas três décadas seguintes, por seu filho Edmond. Entre as inovações da GOYARD na época, destacam-se a abertura de filiais nos luxuosos destinos de férias dos ricos, como por exemplo, Bordeaux, Biarritz e Monte Carlo, e de corners dentro das lojas de John Wanamaker, considerado pai do conceito de loja de departamento, nas cidades da Filadélfia e Nova York. A marca sempre optou por utilizar na confecção de seus produtos uma mescla de cânhamo (fibra natural que compõem boa parte de suas peças até hoje), linho e algodão de primeira classe. Além disso, recebia um tratamento final com uma goma, garantindo assim a impermeabilidade e resistência a chuva e a maresia.


Na virada do século, Edmond resolveu participar de várias feiras e exposições internacionais, conquistando inúmeros prêmios e aumentando ainda mais o prestígio da marca. Nesta época, a GOYARD abriu um departamento especificamente para atender aos proprietários de animais de estimação, entre eles cachorros, gatos e até macaquinhos, que queriam seus bichanos vestidos com acessórios da grife francesa como sapatinhos, coleiras e caixas de transporte. Rapidamente a GOYARD se tornou a favorita da aristocracia europeia conquistando também clientes fiéis ao redor do mundo como o bilionário americano John Rockfeller, a atriz francesa Sarah Bernhardt, o escritor escocês Conan Doyle, criador do personagem Sherlock Holmes, a família Rothschild, o Duque e a Duquesa de Windsor, o Marajá de Kapurthala, o pintor Pablo Picasso e Gregory Peck.


No dia 3 de dezembro de 1931 a GOYARD oficialmente obteve a patente do Malle Bureau, um baú de viagem que poderia ser convertido em um pequeno mobiliário, com uma mesa capaz de acomodar uma máquina de escrever. Ao contrário da rival Louis Vuitton, que se tornou um colosso nas mãos de Bernard Arnault, hoje proprietário do maior conglomerado de luxo do mundo, a GOYARD se manteve pequena e fiel às suas origens, fabricando todas as suas malas artesanalmente, inclusive as costuras, e unindo forças com outras marcas tradicionalíssimas, como os caviares da Prunier, para produzir malas e baús de viagem sofisticados para se carregar de tudo, desde escritórios portáteis a equipamentos necessários para jogar pólo (da sela ao chicotinho) ou degustar um champanhe ou um chá a qualquer instante. Apesar de toda a tradição e história, a GOYARD passou por maus momentos, principalmente no período de pós-guerra, quando as lojas de Boston, Biarritz e Monte Carlo foram fechadas.


Na década de 1990 a marca, que havia praticamente caído no esquecimento, ficando restrita a um pequeno nicho de endinheirados, foi adquirida pela família Signoles, que rapidamente começou aos poucos a introduzir bolsas mais modernas e com diferentes colorações e padrões. Além disso, os novos proprietários conseguiram resgatar os valores da marca e o processo de fabricação original, além de conservar o espírito familiar, fórmula que faria com que a GOYARD retornasse ao seu posto de marca de luxo. O sucesso foi crescente e nas duas décadas seguintes a Maison francesa caiu no gosto das celebridades mundiais por oferecer produtos práticos e extremamente exclusivos. Todas as peças podem ganhar listras e as iniciais de sua proprietária através dos serviços de personalização. Redescoberta por celebridades e fashionistas, a GOYARD voltou às páginas das revistas de moda graças à bolsa-fetiche Saint Louis Tote, vendida em três tamanhos e com uma exuberante cartela de cores. Outro modelo de sucesso é a shopping bag, que vem acompanhada com uma carteira pendurada, e tem várias opções de cores como verde, amarelo, laranja, azul, vinho e vermelho.


Devido ao enorme sucesso de seu exclusivo monograma (batizado de Chevron, que significa viga, em francês, e data de 1892), clássica estampa com espécies de galhos entrelaçados em forma de Y e em tons de preto, bege e marrom, que remete à atividade ancestral da família, o transporte de madeira no Rio Sena (os pontos imitam troncos empilhados), a grife francesa expandiu suas operações para os Estados Unidos, Hong Kong e Japão, mercados ávidos por produtos luxuosos e sofisticados. No ano 2000, a marca alcançou grande popularidade ao iniciar uma parceria bem sucedida para venda de seus exclusivos produtos com a badalada loja de departamentos de luxo Barneys New York.


Uma das últimas e mais brilhantes criações da marca foi a Lancôme/Goyard Vanity Case, uma pequena maleta de maquiagens com itens da sofisticada Lancôme, vendida ao preço de US$ 18.000. Além disso, buscando atrair novos consumidores a Maison contratou o artista plástico Toland Grinnell para capturar a essência da marca, só que desta vez para um novo público. O artista criou um baú que no seu interior possuía um sistema de som com 1.000 watts de potência, integrado a um iPod, mini-bicicletas com a marca GOYARD em seus assentos e acessórios, mini-refrigerador para cervejas, grelhas da marca George Foreman, skates desenhados e conversor de energia, para que o baú mágico possa funcionar em qualquer lugar do planeta, sem deixar os festeiros na mão. A marca apresenta ainda uma linha de produtos para animais que inclui entre outros itens pratos para viagem e coleiras. Em 2010 ocorreu outro grande lançamento: um livro de 200 páginas sobre a história da Maison que traz imagens de modelos criados ao longo dos anos, com edição de apenas 233 cópias, que vinha em uma mala própria, numerada. O preço? €6.000 e quem quisesse comprar, tinha que marcar um horário para ver a disponibilidade.


O que faz a marca ser tão desejada é justamente não lançar coleções, e sim manter o espírito tradicional, baseado no que já foi produzido no passado. O máximo que se faz, de vez em quando, é lançar novas cores. Como é o caso da linha de produtos na cor cinza, introduzida recentemente. Já no Brasil a marca inaugurou seu primeiro ponto de venda em 2008 dentro da Villa Daslu em São Paulo, para vender suas bolsas, malas e acessórios em couro. Em 2012 a GOYARD inaugurou sua primeira loja localizada no hemisfério sul no shopping Iguatemi JK, também em São Paulo. A unidade é a única no mundo a oferece um atelier com uma artesã que faz o marquage, marcação das iniciais da cliente nos acessórios e que pode ser acompanhado pela consumidora. Isto vale para qualquer produto da marca, seja ele recém-adquirido, herdado ou trazido do exterior. As paredes da loja são idênticas às da loja original na rua Saint Honoré em Paris. A loja com 120 m² vende as coleções de bolsas (incluindo modelos consagrados como Saigon, Vendome, St. Honoré e Montecarlo), malas, baús e outros pequenos acessórios como carteiras.


Dados corporativos 
● Origem: França 
● Fundação: 1853 
● Fundador: François Goyard 
● Sede mundial: Paris, França 
● Proprietário da marca: Goyard Saint Honore S.A. 
● Capital aberto: Não 
● Chairman & CEO: Jean-Michel Signoles 
● Faturamento: Não divulgado 
● Lucro: Não divulgado 
● Lojas: 18 
● Presença global: 30 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 350 
● Segmento: Acessórios de luxo 
● Principais produtos: Bolsas, frasqueiras, malas e acessórios em couro 
● Concorrentes diretos: Louis Vuitton, Moynat, Bottega Veneta, Bally, Chanel, Longchamp e Hermès 
● Ícones: As bolsas coloridas St. Louis Tote 
● Slogan: Malletier depuis 1853. 
● Website: www.goyard.com 

A marca no mundo 
A GOYARD, sofisticada grife francesa marcada pela exclusividade, possui apenas 18 lojas ao redor do mundo espalhadas por cidades como Paris, Nova York, São Paulo, Hong Kong, Londres, Seul, Kyoto, Osaka, Tóquio, Xangai, Beijing, Boston, Beverly Hills e São Francisco. Os produtos ainda são encontrados em poucas e exclusivas lojas de departamento, entre as quais Bergdorf Goodman e Barneys Nova York. Hoje em dia, a GOYARD produz pedidos especiais e peças sob encomenda, feita na pitoresca cidade de Carcassonne no interior da França. 

Você sabia? 
Dizem que o “grand chef” Alain Ducasse tem vários baús contendo todos seus utensílios de cozinha e que Karl Lagerfeld é cliente da marca desde os 11 anos de idade (que desenvolveu, juntamente com a grife francesa, baús em formato de malas para seu uso pessoal que acomodam até cinco ternos pendurados). Curiosidades à parte, a verdade é que a GOYARD é exclusiva e chique demais, cujas malas são usadas pelo estilista Valentino e pela cantora Madonna. 
Ao longo desses mais de 160 anos, a GOYARD se transformou no supra-sumo do que se pode ter em malas, bolsas e congêneres, acima até dos padrões de seus igualmente célebres concorrentes Louis Vuitton e Hermès. 
Segundo pesquisas internas da empresa, a brasileira é a segunda maior compradora da marca, perdendo apenas para a francesa. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 22/1/2015

3 comentários:

BlogDenker disse...

Boa Tarde amigo, represento o Blog Denker www.denker.com.br e curti seu blog. Sera que poderia entrar em contato por msn para trocarmos uma ideia? victorconti@msn.com nossos seguimentos são parecidos, podemos nos ajudar...

obrigadi

Jú :) disse...

Olá, descobri seu blog através de uma pesquisa sobre all star no google. Gostei muito do seu post sobre o tênis e gostaria de sua permissão para linká-lo em meu blog.
A propósito, adorei o blog.
No Aguardo
Muito Obrigado

Kadudias disse...

Jú, primeiro obrigado pelos elogios. Claro que vc tem minha total permissão para postar ou linkar em seu blog. Fique a vontade.

bjs

Kadu Dias
Publisher e fundador do Mundo das Marcas