20.6.06

NISSAN


Os veículos da NISSAN podem ser vistos rodando em fazendas, participando de ralis e andando pelas ruas de cidades cosmopolitas. Adaptados, independente do terreno e do clima, para sempre rodar em alta performance, chamam a atenção não somente por sua versatilidade, mas também pela sua moderna e arrojada linha de design. 

A história 
A história da NISSAN começou em 1911 quando nasceu a Kwaishinsha Motor Car Company, em um bairro de Tóquio chamado Azabu-Hiroo, pelas mãos de Masujiro Hashimoto e com o suporte financeiro de três parceiros de negócio, Kenjiro Den, Rokuro Aoyma e Meitaro Takeuchi. Três anos mais tarde, a empresa já produzia o Modelo 41, batizado com o nome de DAT (“lebre” em japonês), retirado das primeiras letras dos nomes dos financiadores do projeto: Den, Aoyma e Takeuchi. O DAT 41 era um carro simples e convencional, mas luxuoso para a época. Tinha motor de um cilindro com 15 cavalos de potência e transportava confortavelmente cinco pessoas. Em 1917 a empresa foi comprada pela sua própria rede de revendas, tornando-se a Dat Motor Vehicle Co. A nova empresa produziu a segunda geração de automóveis DAT, batizado de Modelo 51.


No ano seguinte alteraria o seu nome para Kwaishinsha Motorcar Co., lançando no mercado os primeiros caminhões DAT para fins militares. Em 1925 voltaria a alterar o seu nome para DAT Motorcar Co. e um ano mais tarde devido às fracas vendas dos seus caminhões, começava uma longa série de fusões. Em agosto de 1931, a DAT introduziu um novo modelo de automóvel equipado com um motor de quatro cilindros. A sua concepção se baseava na economia, confiabilidade e facilidade de utilização e o novo DAT integrava-se na classe dos mini-carros. Por isso, o novo automóvel foi chamado de DATSON, do inglês Son, “o filho de DAT”. No ano seguinte, o sufixo “Son” é alterado para “Sun”, nascendo assim a marca DATSUN.


No dia 23 de dezembro de 1933, como resultado das inúmeras fusões, a última delas entre a Tobata Imono Co. e a Jidosha Seizo Kabushiki-Kaisha Co. (Fabricante de Automóveis, em japonês) surgiu a Nihon Sangyo Co., uma empresa cujo propósito era produzir e distribuir os veículos e peças DATSUN da Tobata Imono Co. Somente no dia 1 de junho do ano seguinte nascia oficialmente a NISSAN (palavra que significa “indústria japonesa”). Assim a empresa adotou o nome de Nissan Motor Company. Consta que NISSAN era a abreviação na Bolsa de Valores de Tóquio para a empresa NIppon SANgyo, divisão de peças automotivas Tobata Casting. Ainda neste ano foram exportadas as primeiras unidades do modelo DATSUN para a Austrália, em um total de 44 automóveis. Em 1935 foi iniciada a operação na fábrica de Yokohama, a primeira no Japão a montar automóveis em grande escala.


Em 1941, após ter atingido um pico de 20.000 veículos comercializados, a montadora interrompeu a produção comercial devido a Segunda Guerra Mundial, período no qual fabricou motores, caminhões e aviões para o exército japonês. Somente com o fim do conflito, em 1947, a produção de veículos de passageiros DATSUN foi retomada. Foi neste mesmo ano que a montadora desenvolveu e construiu seu primeiro veículo elétrico batizado de Tama, fruto do programa governamental de desenvolvimento de fontes energéticas alternativas. Alguns anos depois, em 1951, a NISSAN serviu-se da sua experiência na manufatura de veículos militares – adquirida durante a Segunda Guerra Mundial – para criar uma lenda, o PATROL, fruto da necessidade do exército japonês em dispor de um veículo para todo terreno, potente e ágil, com tração nas quatro rodas. O veículo 4X4 de 85 cv e 6 cilindros superava o americano Jeep Willys em termos de capacidade de carga e potência. No ano seguinte tem início uma greve de trabalhadores das fábricas da NISSAN que teria duração de dois anos. Este longo período de inatividade quase levou a empresa à falência.


Em 1958, os veículos DATSUN despertaram a atenção dos visitantes do “Los Angeles Imported Car Show”. São então firmados contratos de concessão nas cidades de Los Angeles e Nova York, dando-se assim início às exportações para os Estados Unidos. A primeira fábrica a ser montada fora do país do sol nascente foi em Taiwan, em 1959. Pouco depois, em 1960, foi fundada a NISSAN MOTOR CORPORATION nos Estados Unidos, com sede na cidade de Los Angeles, expandindo-se no ano seguinte para o México e logo depois para a Europa. Pouco depois, em 1963, o modelo de luxo, conhecido como President, foi lançado no mercado. Em 1966 a NISSAN arquitetou uma fusão com a Prince Motor Company. Isto acrescentou ao grupo, um brilhante conjunto de engenheiros assim como os modelos de renome “Skyline” (introduzido em 1957) e “Gloria”. Ainda nesse ano foi exportado o primeiro automóvel para a Europa, com destino à Noruega. Em 1969 foi introduzido no mercado o lendário 240Z. O motor 2.4 litros de 6 cilindros em linha com 150 cv oferecia a esse automóvel o desempenho de um Porsche pela metade do preço. Nesta década, os modelos Bluebird, o Cedric (1960) e Sunny (1966) ajudaram a impulsionar as suas vendas no Japão e no exterior, e a empresa teve um crescimento fenomenal.


A década de 1970 tem início com o desenvolvimento de motores marítimos, ingressando em um grande segmento de mercado no Japão. Com a crise petrolífera de 1973, a NISSAN aumentou as suas vendas nos Estados Unidos, muito em virtude dos pequenos carros utilitários com ares de esportivo como o NISSAN SUNNY (já em sua terceira geração), que alcançou altos índices em testes de consumo de combustível, dirigidos pela agência americana de proteção ambiental. Em 1976 o sucesso internacional da NISSAN levou-a a alcançar o primeiro lugar do mundo em exportações. No mês de janeiro de 1980, a empresa adquiriu participação na Motor Ibérica, em Barcelona, estabelecendo assim a sua primeira fábrica em solo europeu. Somente em 1983, após terem sido vendidos com a marca DATSUN por muitas décadas no exterior, os veículos comercializados em todo mundo unificam-se sob a marca NISSAN. No início da década de 1990, a subsidiária inglesa iniciou a produção do modelo Primera em solo europeu, que viria a conquistar numerosos prêmios, nomeadamente o de “Carro do Ano” em diversos países, entre os quais Portugal. Outra novidade desta década foi o início, em 1997, pela primeira vez, da comercialização de um veículo elétrico, o Prairie Joy EV, destinado exclusivamente ao mercado japonês.


Em março de 1999, a história da empresa registrou um momento decisivo com a assinatura de uma aliança estratégica com a Renault, representando a primeira parceria industrial e comercial envolvendo uma empresa francesa e japonesa. A sinergia de expertise tecnológica, das estruturas operacionais de produção e a venda combinada de veículos posicionaram a Aliança Renault-Nissan como o quarto construtor mundial de automóveis da atualidade e abriu novas perspectivas de crescimento quer para a NISSAN, quer para a sua parceira francesa. O brasileiro Carlos Ghosn, visto como um detalhista pragmático assumiu o cargo de CEO e resgatou a NISSAN da beira da falência. Nesse mesmo ano o milionésimo Primera foi vendido na Europa.


Em 2006 a NISSAN anunciou que sua produção mundial acumulada alcançava a marca histórica de 100.140.000 de veículos no final de junho, convertendo-se na segunda empresa japonesa do mercado automobilístico a ultrapassar a cifra, depois da rival Toyota. Desse total, 76.640.000 veículos foram produzidas no Japão - sendo as 23.500.000 unidades restantes nas fábricas da montadora espalhadas pelo mundo. Em 13 de maio de 2008 a montadora anunciou seu plano estratégico para o período de 2008 a 2012, batizado Nissan GT 2012. “G” significa crescimento (growth em inglês) e “T”, confiança (em inglês, trust). Suas três principais metas eram liderança em qualidade, liderança em modelos de emissão zero e crescimento médio de 5% nas receitas a cada ano. Hoje, quase um século depois, a empresa é um dos mais abrangentes construtores de automóveis do mundo, com fábricas e operações comerciais nos cinco continentes, oferecendo uma linha completa de produtos, começando com veículos de entrada, passando pelos 4X4 e veículos de alta performance como o GT-R.


Em 2010, a NISSAN apresentou seus dois pilares da estratégia para reduzir as emissões de CO2: ZERO EMISSIONS (veículos que utilizam sistemas e tecnologias com emissão zero de CO2) e PURE DRIVE (um conjunto de tecnologias empregadas em seus automóveis voltadas a preservação do meio ambiente, com baixa emissão de poluentes, maior eficiência e menor gasto de combustível). Os mercados emergentes, como Índia, Rússia, Indonésia e África do Sul, têm papel-chave na estratégia de crescimento da NISSAN no mundo e, por isso, a empresa japonesa resolveu relançar a marca DATSUN em 2012, direcionada para consumidores de entrada que encontram nesta divisão global opções de modelos econômicos, confortáveis e com excelente custo x benefício.


A linha do tempo 
1957 
Início da produção de empilhadeiras. Hoje em dia as empilhadeiras com a marca NISSAN são produzidas em quatro fábricas (Japão, Estados Unidos e Suécia), vendidas em 85 mercados mundiais, com produção anual superior a 35.000 unidades. 
Lançamento do sedã médio DATSUN BLUEBIRD, revelando-se de imediato um sucesso no mercado japonês. Fabricado até 2001, este foi um dos modelos de maior sucesso da montadora em toda sua história. 
1969 
Lançamento do NISSAN SKYLINE GT-R, um esportivo com motor 6 cilindros em linha com 24 válvulas de 2 litros, ligado a uma transmissão manual de 5 velocidades. Os 160 cavalos produzidos levavam o carro de 0 a 100 km/h em 7.8 segundos. 
Lançamento do cupê 240Z, que dominou o mercado americano aliando visual moderno e alto desempenho com excelente relação custo-benefício. O modelo transformou-se em um sucesso de vendas. 
1976 
Lançamento do NISSAN MAXIMA, um sedã de porte médio-grande desenvolvido especialmente para o mercado americano. O modelo era uma versão mais luxuosa do famoso Datsun Bluebird. A oitava geração do modelo foi lançada em 2015. 
1982 
Lançamento do NISSAN SENTRA, que inicialmente oferecia carrocerias sedã de duas e quatro portas, hatchback de três e perua de cinco, todas com formas sóbrias e retilíneas. Acessível (menos de US$ 5 mil na versão de entrada) e bastante econômico, o modelo agradou aos americanos, tornando-se rapidamente o carro importado mais vendido e o quarto na classificação geral de automóveis. O modelo, em sua sétima geração, já vendeu mais de 16 milhões de unidades desde o lançamento. 
Lançamento do mini carro NISSAN MARCH, conhecido na Europa, Japão e Canadá como NISSAN MICRA. O veículo compacto e popular, atualmente em sua quarta geração, é fabricado hoje em dia em quatro países e comercializado em 100 mercados, sendo um dos modelos de maior sucesso da empresa, já tendo vendido mais de 7 milhões de unidades. 
1985 
Lançamento da NISSAN PATHFINDER, um utilitário esportivo de luxo, inicialmente oferecido somente na versão duas portas. Atualmente em sua 4ª geração, lançada recentemente, teve sua capacidade aumentada para 7 pessoas, incluindo o motorista. 
1988 
Lançamento da caminhonete LIFEGUARD, um grande sucesso da marca japonesa. 
1990 
Lançamento do NISSAN PRIMERA, um sedã médio-grande desenvolvido especialmente para o mercado europeu e japonês. O modelo foi retirado do mercado em 2008. 
1992 
Lançamento da NISSAN QUEST, minivan de porte grande desenvolvida especialmente para o mercado americano. Atualmente o modelo está na quarta geração. 
Lançamento do NISSAN ALTIMA, um sedã de porte médio desenvolvido especialmente para o mercado americano. O modelo está em sua quinta geração. 
1995 
Lançamento da NISSAN ALMERA, um veículo compacto produzido até 2006. 
1997 
Lançamento da NISSAN FRONTIER, picape de porte médio desenvolvida visando especialmente o mercado americano. Comercializada em alguns mercados como NISSAN NAVARA, se tornou uma das picapes mais conhecidas do mercado mundial. A picape, que no Brasil ficou conhecida pelo slogan “Picape forte de verdade”, está na sua terceira geração. 
Lançamento da NISSAN ELGRAND, uma van de luxo disponível nas versões de 7 ou 8 lugares. O modelo é muito utilizado nos países asiáticos para transportar celebridades. Em 2010 foi lançada a terceira geração do modelo. 
1998 
Lançamento da NISSAN CUBE, uma mini-van compacta. Atualmente só é comercializada no mercado japonês. 
2000 
Lançamento do utilitário esportivo NISSAN X-TRAIL, um veículo leve, compacto e com excelente dirigibilidade. 
2002 
Lançamento do NISSAN 350Z, dando continuidade à linhagem de carros esportivos da marca. Considerado um mito entre os carros esportivos, este modelo de dois lugares resgatou a tradição da NISSAN em produzir veículos que aliam tecnologia, design e desempenho. Sua produção foi encerrada em 2009. 
Lançamento do luxuoso utilitário esportivo de porte médio NISSAN MURANO, desenvolvido especialmente para o mercado americano. O modelo está em sua terceira geração. 
2003 
Lançamento da caminhonete de porte grande NISSAN TITAN. A picape, grandalhona e truculenta, faz enorme sucesso no mercado americano, onde é oferecida em cinco versões de acabamento e pelo menos três opções de comprimento para a caçamba. 
Lançamento do NISSAN ARMADA, utilitário esportivo de porte grande desenvolvido especialmente para o mercado americano com base na picape TITAN. 
2004 
Lançamento do NISSAN VERSA (conhecido também como NISSAN TIIDA), um hatch médio, disponibilizado também na versão sedã. O modelo é uma peça importante dentro da estratégia da marca, pois reúne amplo espaço interno em uma carroceria compacta, acabamento primoroso, confiabilidade mecânica e desenho moderno por um custo-benefício atraente. 
2006 
Lançamento no Japão do caminhão híbrido ATLAS 20
Lançamento do NISSAN LIVINA GENISS, um mono-volume de 7 lugares apresentado pela empresa em parceira com a Dongfeng Nissan Passenger Vehicle Company da China. Atualmente a família, composta pelo modelo de sete lugares e uma versão menor de apenas cinco lugares (NISSAN LIVINA) é comercializada com muito sucesso em mercados em franco crescimento como China, Indonésia, África do Sul, Tailândia, Filipinas, Malásia e Taiwan. 
Lançamento do crossover compacto NISSAN QASHQAI (comercializado como NISSAN DUALIS no Japão, NISSAN ROUGE nos Estados Unidos e NISSAN CCUV na China). O modelo apresenta um interior prático e funcional, sem deixar de lado o estilo esportivo, com aplicações cromadas no desenho do volante e painel de instrumentos. Assim como nos jipes, oferece um assento elevado para se dirigir, aumentando a sensação de segurança e robustez. O porta-malas oferece uma capacidade de 410 litros. 
2007 
Lançamento do NISSAN GT-R, ícone dos superesportivos no mundo, que acelera de 0 a 100 km/h em apenas 3.5 segundos impulsionado por um motor V6 Biturbo de 483 cv. Apresentado no Salão de Tóquio e lançado comercialmente em junho, a quinta geração deste legendário superesportivo traduz com perfeição o DNA dos produtos NISSAN: paixão por dirigir, inovações amigáveis e um design que emociona. Em 2016 ganhou a preparação especial feita pela divisão esportiva da marca japonesa. Com o sobrenome Nismo, o GT-R chega aos 600 cavalos de potência, o que justifica ainda mais o apelido carinhoso de “Godzilla”. 
Lançamento do NISSAN MICRA na versão conversível. 
2009 
Lançamento do NISSAN 370Z, nova geração de seus automóveis esportivos. 
2010 
Lançamento do NISSAN JUKE, um moderno crossover compacto com design extremamente arrojado aliado a alta tecnologia da marca japonesa. Oferece tração nas quatro rodas, ampla visibilidade e posição elevada de dirigir. 
Lançamento do NISSAN LEAF, primeiro veículo 100% elétrico a ser produzido e comercializado em grande escala. O veículo compacto de cinco portas é equipado com motor elétrico de 80 kW e um grupo de baterias de lítio com capacidade de 24 kWh, que podem ser recarregadas em uma tomada comum de 220 V, com um alcance de 160 km e uma velocidade máxima de 140 km/h. A palavra LEAF é abreviação de “Leading, Environmentally Friendly, Affordable, Family Car”. O modelo é o carro elétrico mais vendido do mundo, com mais de 220.000 unidades comercializadas até abril de 2016. 
2011 
Lançamento do NISSAN NV, uma van comercial de grande porte comercializada nos mercados americano e canadense. 
2016 
Lançamento do NISSAN KICKS, um SUV compacto com design extremamente moderno e agressivo. A nova geração do motor 1.6L com transmissão XTRONIC CVT de última geração (continuamente variável), alinhadas com a engenharia e tecnologia inteligente da marca japonesa, garantem o melhor consumo da categoria no Brasil. O modelo foi escolhido para ser o carro oficial dos Jogos Olímpicos, patrocinados pela NISSAN, e que acontecem na capital carioca.


As robustas picapes 
Desde 1934, quando surgiu sua primeira picape, a NISSAN vem evoluindo a cada ano com constantes estudos e pesquisas de novos projetos e avançadas tecnologias. Ao longo destes anos a empresa sempre foi reconhecida mundialmente por sua vocação no segmento de veículos 4x4. Foi a NISSAN que em 1959 popularizou as chamadas “picapes compactas” no mercado americano com o lançamento da DATSUN 1000. Era equipada com um motor de 1.000cc, 4 cilindros com 37 cavalos de potência e capacidade de carga de um quarto de tonelada. No ano seguinte ganhou um motor com 1.200cc e 60 cavalos de potência. Os consumidores descobriam que as picapes pequenas eram fáceis de manobrar, agradáveis de dirigir e poderiam ser utilizadas para lazer e trabalho. Sua aceitação cresceu enormemente. A remodelada DATSUN 320 chegou ao mercado americano em 1961, mas foi o lançamento da picape DATSUN 520 em 1965 que causou um aumento expressivo de vendas, passando de algumas centenas de unidades por ano para mais de 15.000. No primeiro ano de vendas a DATSUN 520 se tornou a mais vendida picape importada nos Estados Unidos - título que a empresa conquistou por mais de uma década.


Nas quatro décadas seguintes, a NISSAN continuou liderando o segmento, introduzindo um grande número de inovações nas picapes compactas: em 1969, foi a primeira picape compacta com capacidade de carga de meia tonelada; em 1975, a primeira picape compacta com caçamba estendida; em 1977, a primeira com cabine estendida; em 1983, a primeira picape compacta a ser produzida em solo americano por uma empresa estrangeira; e em 2001, a primeira montadora a utilizar supercharger (turbo) de fábrica em picapes compactas. Um dos modelos mais famosos, a NISSAN PATHFINDER, foi lançada em 1985 como uma ofensiva da montadora japonesa no mercado americano: os alvos do novo modelo eram o Jeep Cherokee, o Toyota 4Runner, o Chevrolet Blazer e o Ford Bronco II, todos pertencentes ao então crescente segmento dos utilitários esportivos. Com DNA do modelo PATROL, um utilitário criado em 1951, a PATHFINDER era equipada com motor V6 3.0 de 140 cv de potência e câmbio manual de cinco marchas (o automático de quatro velocidades era opcional). A princípio, só era oferecida na configuração duas portas e tração 4x2. Só em 1990 seria apresentada a carroceria com quatro portas. Outro modelo de enorme sucesso, a NISSAN FRONTIER, foi introduzida em 1997. Ela possui a maior caçamba da categoria (cabine dupla), contando nos Estados Unidos com uma potente versão equipada com um motor V6 (210hp) e tração 4x4. Atualmente produzida nos Estados Unidos, Japão, Tailândia, África do Sul e Brasil, as vendas da NISSAN FRONTIER, superam as 275.000 unidades por ano no mundo.


Mais recentemente, em 2016, a marca apresentou a TITAN WARRIOR, baseada na picape convencional, embora tenha um visual muito mais intimidador. A suspensão reforçada e os pneus fora-de-estrada de 37 polegadas com rodas de 18 polegadas fizeram a altura total aumentar de 1.99 metros para 2.07 metros. O porte avantajado não é o único “fator intimidador”: a picape tem uma chamativa pintura chumbo, simulando uma armadura, com direito a detalhes pintados de preto e laranja. Além disso, faróis e lanternas de LED foram redesenhados, os paralamas foram alargados, o capô ganhou entradas de ar funcionais e LEDS auxiliares foram instalados no teto. O motor que impulsiona a picape é um 5.0 V8 turbodiesel, acoplado a uma transmissão automática de seis marchas.


Atuação no segmento de luxo 
A NISSAN começou a pensar em ingressar no segmento de automóveis de luxo no ano de 1985 quando resolveu formar uma divisão chamada Horizon Task Force para estudar o mercado americano neste segmento. Com o resultado dos estudos em mãos e vislumbrando uma ótima oportunidade, a montadora resolveu formar uma divisão para a produção de carros luxuosos. Em 1987 a divisão passou a se chamar Infiniti e começou o desenvolvimento do modelo batizado de Q45. Finalmente no dia 8 de novembro de 1989 a Infiniti abriu as portas de 51 concessionárias para vender ao público americano dois modelos de automóveis: o Q45, um sedã extremamente luxuoso, e o M30 um cupê também luxuoso. Era um início de uma marca de sucesso para acirrar a briga com a Cadillac, Audi, BMW e Mercedes-Benz. Em 2015 a marca Infiniti vendeu 215.250 veículos em mais de 15 países. Atualmente a marca é comercializada através de 270 concessionárias em países como Estados Unidos, Rússia, Canadá, Oriente Médio, Coréia do Sul e Japão. A marca Infiniti é icônica nesses mercados e se tornou sinônimo para alta sofisticação, design avançado e performance exclusiva.


Design e tecnologia 
Um dos principais motivos para o sucesso dos modelos da montadora japonesa é o forte investimento em design, que se tornou fundamental para a identidade da marca NISSAN. Localizado nas dependências do NISSAN TECHNICAL CENTER, inaugurado no ano de 2005 em Atsugi, município de Kanagawa, o estúdio que concentra as atividades globais de design da NISSAN é um enorme e moderno complexo que ocupa uma área de 42.000m². Instalado em uma colina com florestas densas, escondida da estrada, o centro de design totalmente branco se parece com um daqueles redutos habitados pelos vilões dos filmes de James Bond. Mais de 600 designers e outros profissionais das mais variadas disciplinas ocupam estúdios conectados por um corredor de aproximadamente 300 metros de comprimento e largura suficiente para a passagem de dois carros. A estrutura do centro de design tem como objetivo estreitar as relações entre áreas de design, planejamento de produtos, engenharia e fornecedores.


Há poucos quilômetros está localizado o novo Centro de Tecnologia Avançada (conhecido pela sigla NATC), inaugurado em 2007. Seu interior possui um átrio com sete andares de altura que permite uma visão sem obstáculos do térreo, onde os próximos veículos a serem lançados são analisados pelos fornecedores. O centro de tecnologia está organizado com ênfase em duas áreas principais de pesquisa: tecnologia voltada para a sustentabilidade ambiental (motores primariamente elétricos e híbridos, estudos para redução de CO2) e segurança (carros por comando remoto, que serão dirigidos automaticamente, para proteger os passageiros, pedestres e outros motoristas). Em um esforço para elevar o moral dos empregados, é exigido que todos os dois mil trabalhadores do centro de tecnologia não permaneçam no prédio depois das oito da noite. Além disso, a NISSAN tem estúdios de design, onde estão envolvidos mais de 900 profissionais, em cinco locais: um no Japão (Atsugi), um nos Estados Unidos (na cidade de San Diego, inaugurado em 1979), um no Reino Unido (Londres), um na China (Pequim) e um no Brasil (Rio de Janeiro, inaugurado em 2014), todos eles movidos pelo desafio de antever a evolução do mercado automotivo mundial.


A relação com o automobilismo 
A divisão de automobilismo da marca, conhecida como Nissan Motorsports International (NISMO), é destaque pelas pistas dos quatro cantos do mundo. Fundada no dia 17 de setembro de 1984, a NISMO produz peças e componentes para os carros esportivos e também para diversos outros modelos, como automóveis compactos, SUVS, mini-vans, ente outros. A NISMO surgiu da fusão de duas divisões distintas que a NISSAN mantinha desde a década de 1950: a Publication Division 3, que atendia a donos de equipes independentes, e a Special Car Testing Division, que tomava conta da equipe de fábrica no automobilismo. O sucesso do R32 nas corridas acabou inspirando a volta do Skyline GT-R para as ruas em 1989. Sendo assim, não demorou muito para que a NISMO lançasse algumas edições especiais para as ruas.


Hoje em dia, a NISMO realiza a preparação e afinação dos motores com o apoio de um time de mecânicos qualificados, que trabalham para conseguir a maior relação de potência e torque nos veículos, com total garantia de segurança para os pilotos. A empresa participa de diversas modalidades do automobilismo com o ícone da marca, o NISSAN GT-R. No Japão, por exemplo, a empresa participa do campeonato Super GT. Internacionalmente concorre no campeonato FIA GT1, nas 24 Horas de Le Mans e, nos Estados Unidos, compete em uma série limitada chamada World Challenge. Além dos campeonatos, a marca mantém o Nissan Driver Development Pilot (NDDP), uma verdadeira escola de preparação de pilotos. Trata-se de um programa de bolsas que tem com o objetivo ajudar jovens pilotos a se tornarem bem-sucedidos na carreira. A escola começou em 2006, mesmo ano de criação da Fórmula Challenge Japan (FCJ), idealizada e apoiada pelas três maiores montadoras japonesas.


O conceito SHIFT_ 
A filosofia que define a NISSAN como líder organizacional é descrita numa só palavra: SHIFT_, que em português significa transformar. É uma palavra que representa a paixão e compromisso da NISSAN em transformar tudo o que toca em sucesso. SHIFT_ capta a paixão e o compromisso que ressuscita e conduz ao futuro. Tudo na NISSAN segue o conceito SHIFT_: o modo de olhar para aquilo que a princípio está certo, mas que pode melhorar. SHIFT_ é o conceito de ter a liberdade de mudar radicalmente para uma direção melhor. É olhar o mundo de uma maneira diferente. SHIFT_ com a NISSAN. Esta é a filosofia da empresa para as relações entre colegas, clientes, parceiros de negócios, acionistas, e para com a sociedade e ambiente.


Campanhas que fizeram história 
A NISSAN é uma das poucas montadoras que trabalha com maestria a comunicação de seus modelos, especialmente sua linha de utilitários. Com campanhas criativas e conceituais transformou sua divisão de utilitários em um verdadeiro ícone da comunicação mundial. Inúmeras campanhas publicitárias criativas foram criadas, como por exemplo, em 2002 quando utilizando o slogan “Pense Grande” (THINK BIGGER) para o lançamento da nova linha de picapes, deu um significado totalmente novo e criativo a esse conceito. São de duas palavras simples como “Think Bigger” que derivam todo o conceito e espírito irreverente dos anúncios desta campanha. Satirizando situações que mostram o homem e seus pequenos e delicados bichos de estimação, os anúncios nos mostram que o proprietário de uma picape NISSAN é alguém que pensa grande.


Outra campanha, criada pela agência TBWA de Paris para os modelos da marca chamados Four Wheel Drive que englobam os veículos Patrol, X-Trail, Pathfinder, Navara e Murano, fez enorme sucesso. Para mostrar toda versatilidade destes modelos o filme apresenta cada um deles superando obstáculos naturais. Porém, ao superarem esses obstáculos os veículos se transformam em animais como puma, aranha, cobra e crocodilo, que possuem capacidades naturais para transpor com tremenda facilidade os obstáculos que aparecem pela frente. O comercial é encerrado com a frase “Nissan 4X4s - Naturally Capable”.


Já no Brasil, em 2011, a marca lançou uma campanha polêmica para sua picape FRONTIER. Batizada de “Pôneis Malditos”, a sarcástica campanha, que chegou a ser investigada pelo Conar (o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) por fazer a associação de figuras infantis - no caso, os pôneis em desenho animado - com a palavra “malditos”, fazia uma sátira à potência dos motores rivais da montadora, comparando-os aos animaizinhos. Por fim, o comercial apresentava a maldição: “É o seguinte, se você não passar esse vídeo agora para 10 pessoas, você vai sofrer a maldição do pônei. Ou seja, vai ficar o resto da vida com essa música na cabeça”. A grande indagação da campanha era: Você quer uma picape que tenha potência de cavalos ou pôneis? Para assistir ao vídeo clique no ícone baixo. 

      

A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por acentuadas remodelações ao longo dos anos. Até o início da década de 1980 a NISSAN era uma marca utilizada apenas no Japão e sua identidade visual passou por remodelações.


Em meados de 1981 foi estabelecido um novo programa de identidade corporativa. O nome NISSAN passaria a ser utilizado em todos os novos produtos fabricados pela empresa, sendo abolida a designação DATSUN. Em dezembro de 1982, um novo logotipo da marca foi apresentado e introduzido oficialmente no mercado no ano seguinte. A moldura azul (cor do céu e do sucesso na cultura japonesa) e um círculo vermelho ao fundo (que representam a luz do sol e a sinceridade) remetiam ao provérbio “sinceridade leva ao sucesso”. Antes disso, os veículos eram comercializados sob a marca DATSUN nos mercados internacionais. Nos anos seguintes, o logotipo ganhou variações com um design prateado, que começou a ser utilizado em 1988. Em 1990 e 1998, a identidade visual continuou sendo modernizada. A alteração do antigo design 2D (vermelho e azul) para o 3D (prateado) seguiu uma tendência mundial das montadoras de veículos. A atual identidade visual da marca pôde ser vista pela primeira vez na nova geração do sedã CIMA, lançado em 12 de janeiro de 2001. Este logotipo combina um círculo representando o sol nascente atravessado por uma faixa significando a honestidade. Todo este simbolismo tem o sentido de “honestidade encontra o céu”, ou seja, se você der o melhor de si e for sempre honesto em seu trabalho, suas boas intenções alcançarão os céus, abrindo o caminho para o sucesso. Ela também adiciona um design forte e ousado a toda essa tradição. No Brasil, o modelo PATHFINDER SE 3.5L foi o primeiro a utilizar o novo logotipo em 2002.


Em 2012 o logotipo também passou a ser aplicado sob um fundo vermelho-escuro com o atual slogan da marca “Innovation that excites”.


Os slogans 
Innovation that excites. (2012) 
Innovation For All. (2010) 
Shift_the way you move. (2008) 
Shift_expectations. (2002) 
Shift_the future. (2001) 
Driven. (1999) 
There’s more to Nissan. (1997) 
Enjoy the ride. (1996) 
Life Together (1991) 
You can with a Nissan. 
Just wait you drive it.


Dados corporativos 
● Origem: Japão 
● Fundação: 26 de dezembro de 1933 
● Fundador: Masujiro Hashimoto, Kenjiro Den, Rokuro Aoyma e Meitaro Takeuchi 
● Sede mundial: Yokohama, Japão 
● Proprietário da marca: Nissan Motor Company Ltd. 
● Capital aberto: Sim 
● Chairman & CEO: Carlos Ghosn 
● Faturamento: US$ 101.4 bilhões (2015) 
● Lucro: US$ 4.4 bilhões (2015) 
● Valor de mercado: US$ 42.2 bilhões (julho/2016) 
● Valor da marca: US$ 9.082 bilhões (2015) 
● Fábricas: 45 
● Vendas globais: 5.421.804 de veículos (2015) 
● Presença global: 200 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Maiores mercados: China, Estados Unidos, Japão e México 
● Funcionários: 149.000 
● Segmento: Automobilístico 
● Principais produtos: Automóveis, utilitários esportivos e picapes 
● Concorrentes diretos: Honda, Toyota, Mazda, Mitsubishi, Volkswagen, Chevrolet, GMC, Ford, Fiat, Kia e Hyundai 
● Slogan: Innovation that excites. 
● Website: www.nissan.com.br 

O valor 
Segundo a consultoria britânica Interbrand, somente a marca NISSAN está avaliada em US$ 9.082 bilhões, ocupando a posição de número 49 no ranking das marcas mais valiosas do mundo. 

A marca no Brasil 
Após assumir a importação e comercialização de seus produtos no país em 2000, a NISSAN escolheu o Brasil como base estratégica para se estruturar na região. Essa definição foi reforçada após a aliança com a francesa Renault, que passou a dar suporte local para que a montadora consolidasse sua estratégia de expansão neste mercado. Em dezembro de 2001, a NISSAN inaugurou, em conjunto com a Renault, a primeira fábrica da aliança no mundo, situada no Complexo Ayrton Senna em São José dos Pinhais, estado do Paraná. Nesta planta iniciou a produção das versões cabine dupla e simples da picape FRONTIER e do utilitário esportivo Xterra. A empresa fechou o ano de 2001 com 1.554 unidades comercializadas. No processo de implantação de sua rede de concessionárias no país, a NISSAN saiu dos 17 pontos de vendas em 2000 para uma cobertura em todo o território nacional atingindo mais de 165 pontos de venda nos dias atuais.


Outro importante acontecimento no país foi o anuncio do plano SHIFT_mercosul, que previa o lançamento de 6 novos modelos até 2009, além da duplicação da rede de concessionárias e de investimentos da ordem de US$ 150 milhões durante o período. Desde o anúncio do Plano, a empresa lançou o MURANO, o novo NISSAN SENTRA, o novo X-Trail, a nova FRONTIER, o TIIDA (2007), o NISSAN LIVINA (2009) e o MARCH (2011). A construção de uma moderna fábrica em Resende (RJ), inaugurada oficialmente no dia 15 de abril de 2014, e o lançamento do primeiro carro produzido nesta unidade industrial, o New March, representam uma nova etapa na história da empresa no Brasil. A linha de produtos oferecidos aos clientes pela subsidiária brasileira é constituída hoje pelos modelos FRONTIER, SENTRA, VERSA, MARCH, o luxuoso ALTIMA e a SUV compacta KICKS. A NISSAN foi a primeira marca automotiva a oferecer o câmbio CVT em um veículo Flex Fuel, o sedã médio SENTRA. Na FRONTIER, a marca oferece a exclusiva transmissão automática de cinco velocidades e o sistema 4X4 Shift-On-The-Fly, que permite ao motorista acionar eletronicamente a tração com o veículo em movimento.


A marca no mundo 
A NISSAN é a segunda maior montadora japonesa, atrás apenas da Toyota, vendendo em 2015 mais de 5.4 milhões de automóveis e veículos comerciais em 200 países, empregando mais de 149 mil funcionários e alcançando faturamento superior a US$ 101 bilhões. As 45 fábricas espalhadas ao redor do mundo produzem dezenas de modelos globais e regionais que brilham nas vitrines das mais de seis mil concessionárias da marca. A NISSAN ainda conta com 11 centros de Pesquisas e Desenvolvimento e cinco estúdios de design. Os maiores mercado da marca são China, Estados Unidos, Japão, México, Reino Unido, Canadá e Rússia. 

Você sabia? 
Após a aliança com a francesa Renault em 1999, a NISSAN produziu quase 45 milhões de veículos, confirmando o sucesso da união. 
A liderança da NISSAN em veículos elétricos a coloca como uma das empresas mais verdes do mundo de acordo com o relatório Best Global Green Brands. 
A NISSAN é a marca japonesa de automóvel líder na China, Rússia e México. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, BusinessWeek, Isto é Dinheiro, Época Negócios, Exame e Quatro Rodas), jornais (Valor Econômico, Meio Mensagem, Folha e Estadão), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 24/7/2016

Um comentário:

beneditorlando_md33@yahoo.com.br disse...

Sou proprietãrio de um NISSAN-PRIMEA-GXE, ANO 1997-1998. Atualmente estou com um enorme problema, posto que necessito substituir peçcas, tais como, pastilhas de freio,amortecedores e uma lanterna traseira. apõs diversos contatos com a fabrica em São Jose dos pinhais, o atendente sugerio que eu procurasse o revendedor em Rondônia, a Tapajos, em Porto Velho, tendo que moro na Cidade de Cacoal-RO, em contato telefônico com a referida revendedora, o Sr. Marlon, funcionario da mesma, dissera-me que aguardasse retorno. passados muitos dias, sem o esperado retorno, recontatei-os, ocasião que dissera-me que aguardasse, posto que havia informado a fabrica de São Jose dos Pinhais, e que esta pediu que aguardasse instruções para importar as peças, so que isso ja faz alguns meses e o meu problema reclama urgencia, visto tratar de veiculo de uso de possoa portadora de deficiencia e so disponho dele para me locomover para o trabalho.

favor me ajude resolver este problemã.

Cacoal,14-01-2007

Benedito Orlando de Oliveira