9.6.06

VICTORINOX


Durante muito tempo, o canivete era o presente inevitável de milhões de turistas que visitavam a Suíça. Em todas as formas, cores e tamanhos, eles eram, e ainda são, expostos nas lojas de lembranças em todo país. E a marca VICTORINOX foi quem inventou a fórmula mágica de colocar, em um objeto do tamanho da palma da mão, um punhado de ferramentas: de cortador de unha e saca-rolhas a navalhas e chave de fenda. Com isso, a VICTORINOX, que hoje é uma marca de estilo de vida, se tornou conhecida por milhões de pessoas em todo o mundo, que à associam aos típicos valores suíços, como inventividade, confiabilidade, funcionalidade e qualidade. 

A história 
Karl Elsener, o fundador da empresa, nasceu no dia 9 de outubro de 1860 em Schwyz na Suíça. Após anos de aprendizado em Paris, onde trabalhou como jornaleiro, e no distrito de Tuttlingen, no sul da Alemanha, voltou para casa com o objetivo de abrir seu próprio negócio no pequeno vilarejo de Ibach, localizado no cantão de Schwyz, próximo aos belos Alpes Suíços. Naquele tempo havia muito pouca atividade industrial no distrito de Schwyz, fazendo com que muitos jovens lavradores tivessem que imigrar para a América do Norte, Austrália e Nova Zelândia. Procurando criar novas oportunidades de empregos, tomou a iniciativa, em 1884, de fundar uma pequena empresa de cutelaria. Nessa época, a energia para operar as máquinas era obtida utilizando a correnteza do pequeno rio Tobelbach. Pouco depois, em 1891, organizou a Associação de Cuteleiros Suíços (Swiss Cutlers Association) cujo principal objetivo era produzir canivetes para o exército suíço, principalmente ao perceber que as facas de bolso usadas pelos soldados do seu país eram feitas na Alemanha.


Ele estava procurando um canivete compacto e firme, que oferecesse várias funções combinadas em uma única ferramenta. Desenvolveu então um rudimentar utensílio (uma faca grande de madeira), embrião dos cobiçados canivetes, e integrou a ele diversas ferramentas, além da lâmina: uma chave de fenda, um abridor de latas e um perfurador. Em outubro de 1891 foi feita a primeira entrega aos soldados suíços. Porém, empresas alemãs conseguiam produzir canivetes mais baratos em suas fábricas, fazendo com que todos os outros membros da associação de cuteleiros abandonassem o projeto após um ano. Mesmo perdendo sua fortuna, Elsener perseverou, focando suas energias na produção de outros canivetes multifuncionais, como por exemplo, o Canivete do Estudante, Canivete do Fazendeiro e o Canivete do Cadete. Para ampliar o negócio, ele aperfeiçoou seu principal produto.


Em 1897, criou uma maneira de utilizar uma mola para dobrar as lâminas. Isso permitiu adicionar mais instrumentos. Surgiram os modelos com abridor de latas, chave de fenda, saca-rolhas, serra, alicate, abridor de garrafas, palito de dente, pinça, gancho de pesca, lente de aumento e até uma pequena bússola. Em 12 de junho, registrou o projeto do “Offiziermesser”, em alemão algo como “Canivete dos Oficiais Suíços”, que seria responsável por seu sucesso e sua fortuna. Este era mais leve e elegante, utilizando talas de fibra e seis ferramentas com apenas duas molas (lâmina, punção, abridor de latas, chave de fenda, lâmina pequena e saca-rolhas).


O exército suíço não adotou o canivete, mas muitos oficiais que reconheciam seus méritos, o compravam em inúmeras cutelarias onde o canivete também estava disponível. Esta útil ferramenta multifuncional se tornou rapidamente popular. Mais e mais vendas foram feitas para o exterior. Elsener utilizou-se de constantes inovações e altíssima qualidade para combater as inúmeras imitações que começaram a surgir. Em 1909, por exemplo, conseguiu distinguir definitivamente seu produto das imitações, pois o governo suíço lhe permitiu utilizar a cruz suíça com um escudo – conhecida como Cross and Shield - em seus canivetes. Após a morte de sua mãe, no mesmo ano, decidiu utilizar seu nome de batismo VICTORIA como marca registrada. Em 1918, Karl Elsener faleceu, deixando a fábrica sob o controle dos filhos Carl e Alois. Após a criação do aço inoxidável em 1921 e sua consequente utilização na fabricação das lâminas e funções dos canivetes, a palavra INOX acabou sendo adicionada à marca VICTORIA, formando um acrônimo que mesclava o nome da sua mãe ao novo material, surgindo assim a VICTORINOX.


O produto popularizou-se ainda mais depois da Segunda Guerra Mundial, com as unidades militares americanas, e tornou-se um símbolo da própria Suíça, ao lado dos relógios e dos chocolates. Foi neste período que surgiu a expressão “canivete suíço”. Isto porque seu nome original (Offiziermesser) era praticamente impronunciável para os soldados americanos que compraram o objeto para levar como presente no retorno para casa. Sabendo que a arma vinha da Suíça, eles passaram a chamá-la de SWISS ARMY KNIFE (em português, Faca do Exército Suíço). E a empresa percebeu que ali tinha um mercado enorme a ser explorado. E rapidamente iniciou seu processo de internacionalização. A partir de 1969, alguns produtos da linha de cutelaria doméstica e profissional passam a serem produzidos na nova fábrica da empresa. Na década de 1990 a empresa começou a diversificar sua linha de produtos, até então compostas por facas, canivetes e alicates, além de uma pequena linha de relógios. Ainda durante este período inaugurou subsidiárias no Japão, México, Brasil, Polônia, Hong Kong/China, Vietnã e Chile.


Com a chegada do novo milênio tudo mudou. A história da VICTORINOX pode ser dividida em duas fases: de 1884 a 2001 e de 2002 até agora. Explica-se: durante os primeiros 117 anos, a VICTORINOX foi sinônimo de canivete. Afinal, foi a empresa quem inventou a fórmula mágica de colocar, em um objeto do tamanho da palma da mão, um punhado de ferramentas com várias funcionalidades. Mas aí, aconteceu a tragédia de 11 de setembro de 2001, o ataque terrorista ao WTC (World Trade Center), a paranoia americana com objetos cortantes e a empresa acusou duramente o golpe. Da noite para o dia, a venda de canivetes despencou 30%, e a empresa perdeu dois dos seus mais importantes canais de comercialização, os aeroportos e as aeronaves. Isto porque, surgiu a proibição de embarque de objetos cortantes nos aviões. Para ter uma ideia, as lojas de souvenires em aeroportos respondiam por quase 70% do faturamento da empresa. E pior: os Estados Unidos eram os grandes consumidores do produto. Segundo dados das autoridades americanas, nos 14 meses após os atentados foram confiscadas, nos aeroportos do país, 1.8 milhões de facas, na maioria canivetes vermelhos. Para piorar, muitas corporações que compravam o produto como presente ou brinde suspenderam suas encomendas.


A empresa, então, para enfrentar seu período mais difícil, se dedicou à estratégia de se tornar uma marca global de estilo de vida e diversificar suas atividades. Acertou em cheio, principalmente na linha de relógios, que havia surgido de uma associação com a Swiss Army, anos antes. Hoje, os relógios já respondem por mais de 20% do faturamento mundial da VICTORINOX. Além disso, a empresa lançou inúmeros novos produtos, incluindo os itens de cutelaria, antes em menor escala, que ganharam uma divisão para chefs de cozinha. Atualmente sua gama de produtos oferece facas profissionais e de cozinha, utensílios de cozinha (saca-rolhas, descascador, afiador de facas, abridor de latas, tesoura, espátula multiuso, raspador e cutelo), alicates (conhecidos como SwissTool Spirit com trinta e nove funções e design arrojado para quem aprecia uma ferramenta de altíssima qualidade, pesando apenas 205 gramas), perfumes e colônias, roupas, malas para viagem, carteiras e bolsas, entre outros itens, como cadeados. A marca também cresceu no segmento promocional com presentes corporativos. Além de sua comprovada qualidade, estão disponíveis a um custo bastante atrativo.


E durante este período, a VICTORINOX inaugurou algumas lojas conceitos em cidades como Nova York, Londres e Genebra. Outro fato marcante desse período ocorreu no dia 26 de abril de 2005, com a aquisição da tradicional empresa Wenger, fundada em 1893, o que proporcionou a VICTORINOX se tornar novamente a fornecedora oficial de canivetes do Exército Suíço. Além disso, a marca lançou novidades para seu principal e icônico produto: canivete Spartan Lite, com luz branca muito mais potente e econômica que a tradicional vermelha, e o Voyager Lite, que trazia relógio, alarme e cronógrafo digital embutidos em seu revestimento transparente. Em 2013, a VICTORINOX inaugurou seu primeiro espaço próprio em São Paulo, no badalado Shopping Cidade Jardim. O quiosque conta com diversos produtos da marca, como os famosos canivetes, relógios, perfumes e artigos da linha de cutelaria.


Há décadas a empresa manteve uma marca que virou objeto de desejo dos homens. A constante atualização e a diversificação de seus produtos mantêm a empresa faturando alto. E não só com canivetes, mas também relógios, roupas, perfumes, carteiras, pastas e malas de viagem. Tudo isso voltado essencialmente para os homens. Porém, recentemente, a divisão Travel Gear resolveu mirar o público feminino. Isto porque, apesar de 80% de seus produtos serem usados por homens, 50% deles são comprados por mulheres. Um exemplo disso é a atenção especial dedicada à variedade de formas e cores das malas, que antes se limitavam a praticamente três opções (preto, vermelho e bege) e outros utensílios de viagem. Nos Estados Unidos, celebridades femininas da música e do cinema já descobriram as malas da VICTORINOX, como a cantora Madonna e a atriz Renée Zellweger.


A linha do tempo 
1989 
Lançamento de uma pequena linha de relógios no mercado americano. 
1996 
Lançamento de sua primeira colônia chamada SWISS ARMY
1997 
Lançamento do VICTORINOX SWISS CARD, um canivete no formato de um cartão de crédito feito de plástico transparente com lâmina, alfinete, tesoura, caneta, pinça, lente de aumento, uma chave de fenda com 4 pontas (2 sendo tipo Phillips), uma lanterna de LED vermelha e duas réguas, uma em polegadas e outra em centímetros. 
1999 
Lançamento de uma linha de mochilas, bolsas e malas de viagens. 
2001 
Licenciamento de uma linha de roupas especialmente voltada para o mercado americano. 
Lançamento do perfume ALTITUDE
Inauguração da primeira loja conceito da marca no badalado bairro do Soho em Nova York. 
2002 
Lançamento do SWISS ARMY FOR HER, primeiro perfume feminino da marca. 
2004 
Lançamento do canivete SwissMemory, que além de ser equipado com as tradicionais ferramentas continha ainda memória USB (pen-drive), permitindo assim carregar uma infinidade de arquivos em seus 1 GB de memória. Nos anos seguintes novas versões com capacidade de memória maior foram lançadas no mercado. 
2009 
Lançamento do perfume masculino VICTORINOX SWISS UNLIMITED
Lançamento do VICTORINOX SwissCard 125, uma prática ferramenta de 10 funções: abridor de cartas (lâmina), tesoura, alfinete, lixa de unha, chave de parafusos, palito, caneta esferográfica, pinça e réguas em centímetros e polegadas. O produto, cujas dimensões são semelhantes à de um cartão de crédito, cabe perfeitamente na carteira.


Os canivetes 
Hoje, o Canivete dos Oficiais existe em mais de 100 diferentes combinações, sendo o mais notório o modelo SwissChamp, com 33 diferentes funções: uma verdadeira caixa de ferramentas (inclui até lente de aumento e caneta) que pesa apenas 185 gramas e cabe confortavelmente na palma da mão. O SwissChamp, lançado no mercado em 1996, é feito de 64 partes separadas e passa por mais de 450 processos durante sua produção. O museu de arte moderna de Nova York escolheu o modelo da VICTORINOX CHAMPION, precursor do SwissChamp e com 24 funções, para fazer parte de sua coleção de excelente design. Um dos mais complexos canivetes da marca agrega 35 ferramentas: lâmina grande, lâmina pequena, serra, lixa de metal, lixa de unha, limpador de unha, tesoura, serra de madeira, escamador de peixe, retirador de anzol, régua, alicate, cortador de fios, crimpador, lente de aumento, chave de fenda Phillips, abridor de garrafa, chave de fenda 6 milímetros, desencapador de fios elétricos, abridor de lata, chave de fenda pequena 3 milímetros, saca-rolha, formão, raspador, gancho multifuncional, chave de fenda fina 2 milímetros, punção, escariador, agulha, argola, pinça, palito de dente, caneta pressurizada, alfinete e mini chave de fenda.


Ao longo dos anos, as necessidades dos clientes e a tecnologia mudaram. O Canivete do Exército Suíço evoluiu respondendo a essas necessidades, enquanto permaneceu como uma ferramenta essencial na qual milhões de clientes podem confiar. A partir de 2004, os canivetes foram modernizados e ganharam formas inovadoras, como em alguns modelos que incluem pen-drive, sensores bluetooth e laser para apresentações corporativas. Outros ainda passaram a ser assinados por grandes artistas, surgindo assim edições limitadas e originais. Outra inovação que buscou estar em consonância com as necessidades do mercado foram as novas opções da roupagem dos canivetes: a marca, que tinha como “pretinho básico”, a tradicional cor vermelha, ganhou coleções diferenciadas, com mais cores, materiais e sofisticação, visando o público feminino.


O que tornou o canivete VICTORINOX um ícone foram inúmeras histórias que clientes experimentaram nas quais esses objetos desempenharam um papel fundamental: histórias sobre momentos memoráveis de aventuras e expedições na terra, no céu e no espaço. Histórias dramáticas nas quais contribuíram com soluções e salvaram vidas. Mais de um século de reputação de qualidade e conceito em todo mundo, a empresa oferece ao canivete, seu principal produto, garantia vitalícia.


Uma joia rara 
A VICTORINOX lançou dois modelos de canivetes cravejados de diamantes para comemorar os 120 anos da marca. Um deles, em ouro, vendido por US$ 50 mil. Já o outro modelo, em platina, sai por US$ 70 mil. Os dois modelos possuem 430 diamantes cravejados no canivete de 7.4 cm. Todos possuem número de fabricação. Os canivetes comemorativos estão longe da funcionalidade dos produtos menos luxuosos da marca, que contam com inúmeras opções de ferramentas. Ambos têm apenas sete ferramentas.


A identidade visual 
A identidade visual da VICTORINOX passou por grandes alterações ao longo dos anos. Apesar de utilizar em seus canivetes desde 1909 a cruz suíça com um escudo – Cross and Shield – este tradicional símbolo passou a fazer parte do logotipo da marca décadas mais tarde.


O principal símbolo do logotipo da marca pode ser aplicado de formas diferentes (imagem abaixo).


Os slogans 
Companion for life. (2010) 
125 years - Your Companion for Life. (2009) 
Made like you. (2003) 
Makers of the Original Swiss Army Knife. 
Com um canivete Victorinox você daria um jeito. (Brasil)


Dados corporativos 
● Origem: Suíça 
● Fundação: 1884 
● Fundador: Karl Elsener 
● Sede mundial: Ibach, Suíça 
● Proprietário da marca: Victorinox AG 
● Capital aberto: Não 
● Chairman & CEO: Carl Elsener Jr. 
● Faturamento: US$ 550 milhões (2012) 
● Lucro: Não divulgado 
● Lojas: 10 
● Presença global: 130 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 1.700 
● Segmento: Estilo de vida e Cutelaria 
● Principais produtos: Canivetes, facas, lanternas, relógios, perfumes, malas e roupas 
● Concorrentes diretos: Corneta, Samsonite, Breitling, Swiss Military, Zwilling e Screwpull 
● Ícones: A cor vermelha de seus canivetes 
● Slogan: Companion for life. 
● Website: www.victorinox.com.br 

A marca no mundo 
A empresa, que mantém 11 filiais ao redor do mundo, comercializa seus produtos em mais de 130 países, tendo nos Estados Unidos e na Alemanha seus maiores mercados. O Brasil é o terceiro mercado entre os países latinos. O primeiro é a Venezuela, seguida do México. A marca possui uma pequena rede de lojas próprias em cidades como Nova York, Londres, Düsseldorf, Tóquio e Genebra, além de quiosques em diversos centros de compras sofisticados. Aproximadamente 35 mil canivetes são produzidos diariamente, alcançando uma produção de 25 milhões de unidades anuais (incluindo as facas), sendo 90% dela direcionada para o mercado exterior. A VICTORINOX comercializa seis linhas distintas de produtos, além de facas e canivetes (que respondem por 40% do faturamento), relógios, malas, roupas e perfumes. 

Você sabia? 
Desde seu lançamento, há mais de 120 anos, foram vendidos mais de 440 milhões de unidades desse símbolo helvético reconhecido no mundo todo. 
Na Suíça, a VICTORINOX e seus canivetes são um verdadeiro símbolo da cultura local. Dizem que cada menino suíço carrega no bolso um canivete da marca. E o homem que serve o exército recebe junto com seu uniforme um canivete VICTORINOX. 
O canivete original de soldado tem o corpo de alumínio com a cruz suíça. Já o canivete de oficiais tem o corpo em vermelho e ainda oferece um saca-rolha. 
A agência espacial americana (NASA) utilizou o canivete suíço VICTORINOX como equipamento padrão entre as ferramentas em todas as missões do programa espacial Columbia. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Isto é Dinheiro), jornais (Valor Econômico), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Mundo Marketing) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 23/1/2014

Nenhum comentário: