29.5.06

BARDAHL


O esforço para que o seu carro apresente sempre o melhor desempenho possível mereceu um reconhecimento inquestionável: a preferência do consumidor pela BARDAHL tornou-a líder absoluta no competitivo mercado de aditivos e lubrificantes. E esse esforço é traduzido com perfeição no slogan “Tudo anda bem com BARDAHL”

A história 
A BARDHAHL foi fundada como uma pequena empresa química no dia 12 de setembro de 1939 pelo imigrante norueguês Ole Bardahl que chegou aos Estados Unidos com apenas US$ 32 nos bolsos em 1922. A pequena fábrica estava localizada na comunidade de imigrantes noruegueses, suecos e finlandeses de Ballard, na cidade de Seattle, estado de Washington. Rapidamente Ole Bardahl, que era um grande apaixonado por automóveis, teve a visão do enorme potencial de mercado do aditivo para óleo. Poucos poderiam prever, mas nessa pequena empresa estava o embrião de uma revolução na indústria automobilística. Na verdade, Ole Bardahl melhorou um produto já existente. A Boeing estava trabalhando neste “aditivo”, mas os primeiros resultados não foram satisfatórios, o que levou o químico que desenvolveu a fórmula original a vendê-la. Insatisfeito com o desempenho dos motores da época resolveu aplicar seus conhecimentos de química fina e mecânica na busca de novas soluções tecnológicas, utilizando como base o tal aditivo.


Ao se debruçar sobre o capô, ou melhor, problema, concluiu que a lubrificação oferecida pelos óleos utilizados no “carter” era insuficiente para atender às necessidades do motor. Essa deficiência causava um estrangulamento do desempenho: como não conseguiam reduzir o atrito entre as partes móveis do motor, os óleos eram incapazes de prevenir que o movimento dos pistões, com o tempo, alargasse a circunferência das camisas, o que provocava a redução da compressão e o consequente aumento do gasto de combustível e perda de potência. Depois de intermináveis pesquisas e experiências, Ole produziu um novo produto, minuciosamente desenvolvido para criar uma película protetora nas superfícies metálicas que diminuía o atrito, dessa forma aumentando a vida útil do óleo lubrificante e diminuindo o desgaste das peças. Surgiu assim o aditivo para óleo BARDAHL.


Nos primeiros anos de existência a empresa registrou vendas abaixo do esperado. As vendas em seu primeiro ano totalizaram meros US$ 188, e a Segunda Guerra Mundial manteve o crescimento em um patamar baixo, devido às restrições impostas pelo conflito. Mas o conflito mundial também serviu como estratégia de marketing para a empresa. Afinal, a eficiência do aditivo BARDAHL fez com que os aviões utilizados pela Força Aérea Americana passassem por manutenção após 1.500 horas, e não 800 horas como acontecia antes. Era uma eficiência e tanto. Após o fim do conflito a história começou a mudar, e o produto se tornou campeão de vendas, em 1947, faturando aproximadamente US$ 220 mil, fazendo com que a empresa crescesse em um ritmo acelerado. Somente deste momento em diante a novidade foi rapidamente incorporada aos hábitos de manutenção dos amantes de automóveis como uma efetiva e econômica maneira de economizar combustível, prolongar a vida e maximizar a força de seus motores. Nesta época, Ole Bardahl decidiu expandir seu negócio e, mais uma vez, de modo incomum, por meio de licenças. Em 1952, a marca já se consolidava como a terceira do mercado americano em seu segmento, e passou a exportar para outros países seus principais produtos, o aditivo para lubrificante e o aditivo para gasolina.


Novos produtos com a tecnologia BARDAHL foram surgindo e se espalhando por todo o mundo. Era a hora certa para que o “Detetive Bardahl” passasse a oferecer sua proteção também no Brasil. Foi então que BARDAHL desembarcou oficialmente em terras brasileiras em meados dos anos de 1950. Nas décadas seguintes a empresa desenvolveu produtos específicos que atendiam as necessidades de cada tipo de motor, levando também em consideração o clima de cada lugar. Além disso, a BARDAHL se expandiu internacionalmente e ganhou popularidade devido ao seu relacionamento estreito com várias categorias do automobilismo mundial.


Um trabalho incansável de mais de oito décadas transformou a marca BARDAHL em sinônimo de qualidade, tecnologia e eficiência em lubrificantes e aditivos de última geração que atendem e superam todas as exigências das principais montadoras do mundo. A BARDAHL continua desenvolvendo produtos inovadores e formulações “ultraconcentradas”, que incluem volumes menores de soluções químicas e, ainda assim, apresentam níveis mais altos de eficácia por um custo menor. Com isso, a marca foi alimentando um hábito de milhões de consumidores: cuidar de carros com BARDAHL.


A ligação com os esportes 
O automobilismo está no DNA da BARDAHL – o marketing esportivo foi uma das estratégias usadas por Ole Bardahl para disseminar a sua marca pelo mundo afora. Por isso, a marca sempre manteve uma forte ligação com as competições automobilísticas, que começou entre as décadas de 1940 e 1950 nos Estados Unidos. O senhor Bardahl era um competidor de respeito nas corridas de carros, assim como nos negócios. Sentiu que os motores com maior compressão eram bons campos de teste para seus produtos. A empresa então começou a patrocinar carros, aviões de corridas e até lanchas velozes. Por exemplo, na tradicional prova das 500 Milhas de Indianápolis, a BARDAHL passou a ser uma presença constante. Além disso, em 1957 a BARDAHL marcou presença também nos campeonatos norte-americanos de motonáutica. A lancha Miss Bardahl (foto abaixo) se tornou uma lenda nas competições de velocidade sobre a água, vencendo diversos torneios e estabelecendo inúmeros recordes mundiais entre 1957 a 1969.


No Brasil a BARDAHL fez parte da história gloriosa do automobilismo do país. Com seu apoio decisivo a pilotos como Chico Landi, no automobilismo, e Denísio Casarini, no motociclismo, a marca construiu uma tradição que vem desde 1956, quando patrocinou o projeto do barão Wilson Fittipaldi, as Mil Milhas Brasileiras, que se tornou a prova mais importante do automobilismo nacional nas décadas de 1950 e 1960; ou quando patrocinou o início da carreira do “rato”, apelido de Emerson Fittipaldi, que se tornaria bicampeão mundial de Fórmula 1; até as categorias que hoje abrigam os novos talentos do automobilismo brasileiro. Hoje em dia a BARDAHL patrocina equipes e está totalmente envolvida com a STOCK CAR, principal categoria do automobilismo brasileiro.


Uma turma divertida 
Os famosos personagens BARDAHL, que formavam uma gangue de malfeitores responsáveis por acabar com o motor de qualquer automóvel, nasceram nos anos de 1950 criados pela produtora americana Miller, Mackay, Hoeck & Hartung. A gangue era formada por Black Carbon, Dirty Sludge, Gummy Rings e Sticky Valves. E para combater essa gangue barra-pesada (batizada de Grimer Gang) foi criado o famoso Detetive Bardahl. Segundo consta, o detetive Bardahl foi criado com base no personagem Joe Friday (interpretado por Jack Webb), detetive da série Dragnet (termo que indica batida policial) e que era muito popular nos Estados Unidos. Os personagens ganharam vida em desenhos animados e em branco e preto, já que a TV não tinha cores ainda. O conceito da campanha era bem simples e objetivo: o Detetive Bardahl protegia o motor do carro contra os terríveis ataques dessa gangue. Não demorou muito para ficarem conhecidos e populares entre o público americano e tornarem a marca BARDAHL ainda mais famosa.


No Brasil essa gangue chegou apenas em 1956, inicialmente com peças impressas e com o nome de Turminha Brava, formada por Chico Válvula Presa, Carvãozinho, Antônio Sujo e Zé dos Anéis Presos, e durante anos ficou conhecida por boa parte da população brasileira por tentar atacar os “desprotegidos” motores dos veículos. Os comerciais de TV só passaram a ser divulgados no Brasil a partir de 1957. Eram os mesmos que passavam no mercado americano, mas com uma dublagem brasileira. Os comerciais tinham inicialmente a assinatura “Com Bardahl tudo anda bem” e posteriormente “Tudo anda bem com Bardahl”. Em 1963 a turma ganhou uma aliada brasileira, a estonteante Clarimunda, capaz de desviar a atenção do Detetive Bardahl e também dos motoristas com seu corpo curvilíneo. Já na década de 1980, mais um novo mau elemento integrou a turma, o Kidsgaste, que atacava os motores a álcool. Uma grande mudança no jeito de utilizar a Turminha Brava na propaganda aconteceu no começo dos anos de 1990. O Detetive Bardahl, que também era desenho, ganhou vida e começou a aparecer em carne e osso na televisão e nas revistas.


De acordo com o estilo de moda dos anos de 1990, o detetive deixou de lado sua capa preta tradicional para vestir um amarelo vivo. Afinal, amarelo e preto são as cores oficiais da BARDAHL. O detetive e sua indefectível capa bem ao estilo Giorgio Armani, estrelou uma série de filmes onde aparecia sozinho. Mas Detetive Bardahl que se preza precisa de inimigos bem maus. E a velha turma voltou. Agora eles se chamavam Motor Gang, como nos Estados Unidos. Essa turma da pesada era composta por Motor Killer, Crazy Water, Drag Car, Kid Smoke e Bad Oil.


Para assistir essa turminha em ação clique no ícone abaixo.

    

A evolução visual 
A identidade visual da marca americana sofreu algumas remodelações ao longo dos anos.


No Brasil a identidade visual da marca também passou por algumas acentuadas modificações, até incorporar ao nome a palavra “Promax”, empresa responsável pela fabricação dos produtos da marca no país.


Os slogans 
Everything Around the World Runs Better with Bardahl. 
A World Without Friction. 
A Name You Can Trust. 
Everything runs better with BARDAHL. 
Add it to your motor oil. 
Tudo anda bem com BARDAHL. (Brasil)


Dados corporativos 
● Origem: Estados Unidos 
● Fundação: 12 de setembro de 1939 
● Fundador: Ole Bardahl 
● Sede mundial: Seattle, Washington, Estados Unidos 
● Proprietário da marca: Bardahl Manufacturing Corporation 
● Capital aberto: Não 
● Chairman: Evelyn Bardahl McNeil 
● CEO: Hugh McNeil 
● Faturamento: Não divulgado 
● Lucro: Não divulgado 
● Presença global: 90 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 3.000 
● Segmento: Automotivo 
● Principais produtos: Aditivos e lubrificantes 
● Concorrentes diretos: STP, Valvoline, Pennzoil, Castrol, Red Line, Rislone, Militec e Lubrax 
● Ícones: O detetive Bardahl 
● Slogan: Everything Around the World Runs Better with Bardahl. 
● Website: www.bardahl.com.br 

A marca no Brasil 
O primeiro produto BARDAHL, aditivo de gasolina e óleo, chegou ao Brasil em 1953 pelas mãos do Sr. Rubens Moreira, então proprietário de um posto Texaco, em Pelotas (Rio Grande do Sul), antes mesmo do nascimento da indústria automobilística nacional. No dia 1 de dezembro de 1954 foi criada oficialmente a BARDAHL LUBRIFICANTES DE SÃO PAULO, distribuidora dos produtos da marca para todo o Estado de São Paulo. Rapidamente seus diretores perceberam que o potencial do mercado justificava a construção de uma fábrica. O local escolhido para receber tal investimento foi um distante e quase abandonado bairro da cidade de São Paulo da década de 1950: o Morumbi. Em 1957, começava a funcionar a única fabricante dos produtos BARDAHL no Brasil, que eliminava a necessidade de importação dos produtos. Neste mesmo ano, começaram a surgir os primeiros carros fabricados no país. A BARDAHL participou deste momento prestando auxílio e assessoria na busca de soluções adaptadas para a nossa realidade. Os produtos da marca não tinham concorrentes e trouxeram uma nova tendência mundial, que era a questão do tratamento dos combustíveis, da melhora da performance dos óleos lubrificantes, e do fluido de arrefecimento com propriedades antifervura, anticongelante e anticorrosiva.


Naturalmente, a marca contribuiu, a seu modo, para esse surto de progresso, inaugurando uma nova fábrica, mais ampla e moderna, em 1962. Pouco depois, em 1966, deixou de trabalhar apenas com os mesmos produtos da matriz norte-americana e, para isso, criou uma nova razão social: Promax Produtos Máximos S/A. Sempre respeitando a filosofia de investir em infraestrutura, em 1978, a empresa parte em busca de novos espaços e muda-se para Cajamar, a 40 km da capital paulista.


Os laboratórios da Promax Bardahl no Brasil jamais param de desenvolver pesquisas, tanto para aprimorar as fórmulas atuais como para criar novos produtos. Exemplo disso aconteceu em 1968 com o lançamento do Maxoil Long Life, que introduziu no mercado nacional o conceito long life; e o Bardahl B12, introduzido em 1979 e hoje o principal aditivo da linha automotiva da marca. Mas talvez o maior exemplo desse trabalho de adaptação às particularidades do clima e condições locais foi o desafio lançado pelo governo federal na década de 1970, com a criação do Programa Nacional do Álcool. Devido às características desse combustível, que exige mais dos componentes metálicos do motor, a empresa imediatamente lançou-se a uma extensiva pesquisa para buscar formas de diminuir o processo de corrosão provocado pelo álcool. O resultado foi o Proal, aditivo aprovado e recomendado pela Ford e Volkswagen. Além disso, foi a primeira empresa do segmento de lubrificantes e aditivos a envasar seus produtos em embalagens plásticas, na década de 1980. Já em 2004, a empresa lançou o Bardahl Flex (desenvolvido especialmente para motores flex) e das linhas Moto, Agrícola e Náutica.


A marca no mundo 
A marca BARDAHL está presente em todos os continentes através de 8 fábricas e vende seus produtos em mais de 90 países. Sua linha de produtos composta por aproximadamente 400 itens é embalada em 16 idiomas diferentes. A empresa fabrica óleos e aditivos para as linhas automotiva, náutica, agrícola e motocicleta. 

Você sabia? 
No Brasil é comercializada a Grife Bardahl, uma coleção de peças exclusivas esportivas (como camisas e jaquetas), para um público diferenciado, que gosta de carros e velocidade, cuida e faz manutenção preventiva do seu veículo, e confia na marca BARDAHL. 

As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Exame), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 15/8/2018

3 comentários:

KK disse...

Quando eu era criança, via as comerciais e nos jornais as propagandas da Bardhal e achava um barato.

ana disse...

Achei muito interessante e merecido este histórico da Bardahl. Realmente é uma marca que está presente há muito tempo no nosso meio e continua viva, com certeza pela ótima qualidade de seus produtos!Parabéns pelo blog!

Anônimo disse...

ola muito boa esta postagem, já viram o blog da Bardahl?
http://bardahlbr.blogspot.com.br/