31.5.06

HERING


A HERING inaugurou o conceito “o básico que é fashion”, vestindo e traduzindo o comportamento de pelo menos três gerações de brasileiros. Durante muitos anos, no Brasil e em boa parte do mundo, o nome HERING foi sinônimo imediato de camiseta básica. E não foi por acaso que surgiu essa identificação. Ao longo de sua história, fabricou e vendeu no mercado mais de 6 bilhões de camisetas. Para se uma ideia da grandeza desse número, considerando a atual população brasileira, isso daria mais 30 camisetas para cada habitante do país. Transformar uma marca em sinônimo de um produto é certamente um feito reservado à poucos. Mas a HERING também se tornou sinônimo de conforto e estilo, traduzindo-se em moda causal, descolada e acessível. A marca é capaz de se reinventar mantendo sempre a sua identidade e tradição sem perder a sintonia com as tendências, cores e formas do mundo da moda. 

A história 
A história da empresa une-se de forma inseparável à saga dos Hering, uma família de imigrantes alemães que, como tantas outras que vieram para a América, escreveu um importante capítulo no desenvolvimento do Vale do Itajaí e do estado de Santa Catarina. Com a grande crise vivida no continente europeu, após um violento período de guerras, Hermann Hering ouvira falar de uma nova colônia, fundada, em 1850, pelo Dr. Hermann Bruno Otto Blumenau, no estado de Santa Catarina, onde a agricultura e a pequena indústria começavam a prosperar. Ainda sem infraestrutura, Blumenau despontava como um povoado que se dedicava ao trabalho e valorização da educação, cultura e arte. Entusiasmado com a oportunidade, Hermann aportou na colônia em 1878.


Recém-chegado da Alemanha, os primeiros momentos não foram nada fáceis para ele. Porém, após algum tempo, ele perceberam uma grande chance de explorar um mercado promissor: não havia ainda nenhuma tecelagem na região e roupas e tecidos estavam entre os produtos importados mais caros. Em 1879, Hermann comprou um tear circular e um caixote de fios, em seguida escreveu à esposa, Minna, pedindo que ela encaminhasse ao Brasil seus filhos mais velhos, Paul e Elise, juntamente com seu irmão Bruno. Sua mulher e os outros filhos viriam pouco depois. Assim, em 1880 teve início à produção de roupas em uma pequena tecelagem chamada “Tricotwaren Fabrik Gerbrüder Hering”, que fabricava basicamente camisetas de algodão. Mesmo com recursos técnicos rudimentares, a tecelagem contava com um fator decisivo para sua sobrevivência e crescimento: a família Hering vinha de uma longa tradição de tecelões, nascida, séculos antes, na cidade de Hartha, interior da Alemanha. 

Hering é a palavra alemã que designa o arenque (tipo de peixe semelhante à sardinha), daí o logotipo da empresa ter sido composto por dois peixinhos, cada um deles simbolizando um dos irmãos. 

A produção de camisetas de malha de algodão aumentou com a aquisição de novas máquinas, contratação de funcionários, ampliação das instalações e a vinda definitiva de toda a família para o Brasil. Enquanto Hermann coordenava a parte produtiva, seu irmão Bruno vendia os produtos em toda a colônia, indo até Itajaí, distantes 50 quilômetros. Em 1882, a qualidade das camisetas costuradas por Johanna e Nanny - filhas de Hermann – garantiu à HERING uma medalha de prata em uma exposição do Rio Grande do Sul. Em 1893, o negócio assumiu juridicamente o porte de empresa registrada com a denominação de Comercial Gebrüeder Hering.


A empresa crescia e, às vésperas da primeira guerra mundial, em 1915, foi adquirida uma fiação completa com 2.600 fusos. Além disso, nesta época a empresa já contava com 90 teares e 100 máquinas de costura. Isto proporcionou à HERING independência do mercado externo de fios de algodão e uma passagem segura pelos tempos de recessão ocorridos durante a guerra, onde as matérias-primas eram racionadas e escassas. Quando Hermann morreu, em 1918, a empresa já era a maior malharia brasileira. Devido à essa escassez de mão-de-obra instaurada em 1929, já com a denominação de Companhia Hering, se iniciou a descentralização da costura, com a aquisição de uma fábrica em Indaial, localizada também em Santa Catarina. A medida ia ao encontro com as aspirações e necessidades de atingir novos municípios e estabelecer o desenvolvimento das regiões através da geração de milhares de novos empregos.


A segunda geração da família assumiu os negócios e dinamizou ainda mais a empresa: complementaram suas atividades empresariais ampliando e construindo novas unidades fabris dentro e fora do município de Blumenau. A Cia. Hering foi a primeira exportadora de vestuário do Brasil. O início das exportações se deu em 1966, estabelecendo parcerias de longo prazo com países com os quais negociava. Na década de 1960, adotando uma filosofia empresarial avançada, voltada para a valorização do trabalho e atualização permanente do seu parque industrial, a empresa passou por sucessivas etapas no seu processo de crescimento, tornando-se a maior malharia da América Latina. Já nos anos de 1970, chegou aos catálogos da marca a tradicional camiseta básica HERING ORIGINAL. Na década de 1980 a empresa comemorou seu centenário firmando-se como uma das marcas mais consagradas do país e presença constante nos guarda-roupas de milhões de brasileiros. O público consumidor evoluiu, se atualizou, ficando cada vez mais exigente e buscando produtos e serviços com alto valor agregado. No início dos anos de 1990, o destaque ficou por conta da “Hering World T-Shirt”, quando a camiseta branca, 100% algodão, era conhecida como o “carro-chefe” da empresa. Ao longo de 1991, o modelo ganhou outras opções de cores e, consequentemente, a preferência dos consumidores.


Com o objetivo de criar pontos de referência e destaque para marca e apresentar, de forma inovadora, a ampla variedade de produtos HERING em regiões nobres e formadoras de opinião, em 1993, foi implantada na cidade do Rio de Janeiro, no Shopping Via Parque, a primeira loja HERING FAMILY STORE (atualmente chamada apenas de HERING STORE). Este conceito evoluiu para tornar-se uma grande rede de franquias nacional no segmento de vestuário e moda. Ao longo de sua história, a empresa fabricou e colocou no mercado bilhões de camisetas. Esse volume grandioso se consagrou em 1997, quando a HERING alcançou o número de 5 bilhões de camisetas fabricadas e distribuídas ao mercado. A partir de 2002, a empresa deu início a um novo projeto, com lojas mais compactas de até 100 m², contemplando o mesmo mix de produtos e comunicação visual. A empresa também expandiu seu portfólio de produtos, além de peças básicas, passou a oferecer acessórios (bolsas, bonés, mochilas, cintos) e itens mais elaborados que exigiam maior desenvolvimento, desde a modelagem, acabamento, maior exigência de qualidade e lotes menores. Outra mudança foi a adoção do modelo fast fashion, ou seja, a troca rápida de coleções. Em julho de 2008, a marca inaugurou sua loja online, vendendo produtos da HERING e HERING KIDS pela internet.


2010 foi um ano muito especial para a HERING: tudo porque a empresa, que é a maior franquia de vestuário do Brasil, comemorou 130 anos de uma história cercada de grandes conquistas, crescimento e a certeza da construção de uma marca que é reconhecida por mais de 90% dos brasileiros em todas as classes sociais. Para marcar as comemorações, muitas ações foram realizadas. A principal delas foi a criação do Museu Hering, que resgatava os 130 anos de trajetória da empresa, cuja história está ligada ao desenvolvimento industrial do país. O espaço foi criado em um imóvel tombado como patrimônio histórico do estado de Santa Catarina. A casa, construída em enxaimel, tradicional técnica arquitetônica de influência alemã, tem 435 m² e está localizada na entrada da sede da empresa em Blumenau. O museu foi inaugurado em agosto deste ano e rapidamente se tornou parte do circuito turístico da cidade catarinense. Além de um centro de memória representado por equipamentos, peças de roupas, tecidos e aviamentos, estampas, embalagens, documentos, fotografias, o museu conta ainda com um espaço cultural que pode ser utilizado para diversas atividades com o objetivo de democratizar a educação e o lazer à todas as camadas sociais da população.


Em 2014, além de lançar no mercado a HERING FOR YOU, marca voltada totalmente ao público feminino, apresentou um novo projeto arquitetônico de suas lojas. O novo conceito utiliza materiais contemporâneos e apresenta exposição diferenciada dos produtos, divididos por categorias. A fachada mais clara deixa o ambiente leve e limpo, valorizando ainda mais os produtos e a comunicação. A iluminação também garante mais eficiência energética ao ponto de venda: aproximadamente 70% das lâmpadas são de LED. A partir desta evolução arquitetônica, os clientes contam com um lounge decorado com elementos que remetem à história da marca dos dois peixinhos. Os manequins são na cor cinza para valorizar os produtos expostos e contribuem para o layout mais moderno da loja. A marca também apresentou uma nova identidade visual, um novo conceito e posicionamento. Em tempos onde as pessoas se rendem aos padrões e regras, a HERING levanta a bandeira da autenticidade e da liberdade de se vestir com conforto sem perder estilo através da campanha “Roupas não vivem sem você”. Manter-se bem sucedida no mercado, conquistar e encantar cada vez mais clientes e consumidores é um desafio constante. Por isso, a empresa investe em suas marcas, inovando e surpreendendo, sempre. Apresentando um estilo casual, alegre, descontraído e democrático, sendo amplamente aceita por todas as faixas etárias e classes sociais.


A linha do tempo 
1965 
Início do licenciamento de uma linha com personagens Disney. 
1979 
Lançamento da marca PUC, com roupas alegres, descontraídas e coloridas voltadas para um público infantil. A marca foi a primeira a transportar o universo fashion para a moda infantil com valor agregado. 
1992 
Lançamento da marca HERING KIDS, criada para proporcionar conforto, beleza e liberdade para as crianças e adolescentes (de 4 a 16 anos). São roupas e acessórios cheios de vida, criados com muitas cores. Cada coleção traz desenhos e detalhes que transmitem alegria e modernidade. A marca conta também com a linha baby. A marca inaugurou sua primeira loja própria em 2010. 
1994 
Implantação do SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor). 
Início de um ciclo de mudanças que introduziu um novo posicionamento estratégico: as lojas franqueadas. 
1998 
Lançamento da DZARM, marca jeanswear para o público jovem, principalmente feminino. 
Inauguração da primeira loja no novo conceito HERING STORE. 
2004 
Início de um projeto de expansão que englobou a criação do cartão de crédito Hering Store. Atualmente existem mais de 210 mil cartões ativos. 
2006 
Inauguração da primeira HERING STORE dentro do novo modelo arquitetônico, modelo flagship (loa âncora), no Shopping Higienópolis em São Paulo. 
2008 
Inauguração de sua loja de número 200, localizada na cidade de Curitiba no Paraná. 
2010 
Lançamento de uma nova coleção Fitness composta por peças confortáveis e modernas fabricadas em diversas matérias-primas, com cós anatômico, que modelam sem apertar. 
2012 
Inaugurada a loja de número 500 na cidade de São Carlos, interior de São Paulo. 
2014 
Lançamento da HERING FOR YOU, que oferece produtos confortáveis, que vestem bem e valorizam o corpo da mulher. As opções são divididas em cinco linhas: sleepwear (pijamas e camisolas), activewear (roupas esportivas e de ginástica), underwear (moda íntima), beachwear (moda praia) e loungewear (casual confortável). A nova marca foi lançada com o conceito “Transforme o tempo em momentos”.


Empresa do bem 
Seguindo os princípios da inovação, responsabilidade social e respeito ao meio ambiente, a HERING sempre adotou em todos os processos de fabricação a consciência voltada à sustentabilidade. Em 1995, a empresa foi a primeira parceira no Brasil do IBCC - Instituto Brasileiro de Controle do Câncer – através da campanha “O Câncer de Mama no Alvo da Moda”. Em 2002, recebeu o prêmio em Nova York do CFDA - Council of Fashion Designers of America - pelo sucesso de arrecadação da campanha, ultrapassando o número de 8 milhões de camisetas vendidas e contribuindo para o tratamento gratuito de mais de 850 mil mulheres. A marca foi a primeira, no país, autorizada a licenciar produtos do conhecido alvo azul.


Em cada edição do São Paulo Fashion Week, um estilista cria uma nova camiseta especial para a campanha. Já participaram grandes e influentes nomes do mundo da moda como Marcelo Sommer, Alexandre Herchcovitch, Fause Haten, Walter Rodrigues, Cavalera, Valdemar Iódice, Amir Slama por Rosa Chá, Ricardo Almeida, Oskar Metsavaht por Osklen, Lino Villaventura, Isabela Capeto e Ronaldo Fraga. Além disso, a campanha utiliza personalidades para divulgar ato tão nobre.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por pequenas modificações ao longo dos anos. Em 2007 foi adotada uma nova tipografia da letra. Em outubro de 2014 a marca apresentou uma nova identidade visual que adotou uma tipografia de letra levemente arredondada e moderna. Os tradicionais peixinhos foram redesenhados, a partir de proporções harmônicas. Outra mudança foi a retirada da elipse que envolvia os peixes, demonstrando expansão e liberdade, em um azul mais atual. A identidade visual pode ser aplicada na vertical e horizontal ou até mesmo dentro de um fundo azul.


Os slogans 
Roupas não vivem sem você. (2014) 
Desde sempre. (2008) 
Eu uso HERING desde sempre. (2007) 
O básico que é fashion. (2005) 
Aqui também tem Hering. 
O Básico do Brasil. (1998) 
Transforme o tempo em momentos! (Hering For You) 
Conforto com estilo para a criançada. (Hering Kids)


Dados corporativos 
● Origem: Brasil 
● Fundação: 1880 
● Fundador: Hermann e Bruno Hering 
● Sede mundial: Blumenau, Santa Catarina, Brasil 
● Proprietário da marca: Cia Hering 
● Capital aberto: Sim (2007) 
● Presidente do conselho: Ivo Hering 
● CEO: Fábio Hering 
● Faturamento: R$ 2.01 bilhões (2013) 
● Lucro: R$ 318.1 milhões (2013) 
● Valor de mercado: R$ 3.7 bilhões (outubro/2014) 
● Valor da marca: R$ 616 milhões (2013) 
● Fábricas: 11 
● Lojas: 606 
● Presença global: 35 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 9.342 
● Segmento: Indústria têxtil e moda 
● Principais produtos: Camisetas, moletons, vestidos, calças, bermudas e pijamas 
● Concorrentes diretos: Malwee, Siberian, Lojas Renner, Riachuelo, Marisa e C&A 
● Ícones: As camisetas básicas e os peixinhos do logotipo 
● Slogan: Roupas não vivem sem você. 
● Website: www.hering.com.br 

O valor 
Segundo a consultoria britânica Interbrand, somente a marca HERING está avaliada em R$ 616 milhões, ocupando a posição de número 18 no ranking das marcas mais valiosas do Brasil. 

A marca no mundo 
A sede e principais fábricas da Cia. Hering, uma das maiores empresas de varejo e design de vestuário do mercado brasileiro, estão localizadas na cidade de Blumenau, estado de Santa Catarina, constituindo o maior grupo privado empregador da região. Atualmente a empresa conta com mais de 782 lojas - a grande maioria franquias - e 18.200 pontos de venda em lojas multimarcas em todo o Brasil. No exterior, a empresa conta com 17 lojas franqueadas no Uruguai, Paraguai, Bolívia e Venezuela. No Brasil, as lojas, presentes em todos os estados, estão localizadas em sua grande maioria (80%) em shopping centers, ficando as demais em corredores comerciais ou ruas. Atualmente, são seis coleções anuais e mais de mil itens, como jeans, moletons, blusas, bermudas, camisas, camisetas, peças íntimas e acessórios, com as etiquetas HERING (606 lojas), HERING KIDS (76 lojas), HERING FOR YOU (1 loja), PUC (82 lojas) e DZARM. A marca HERING representa 75% do faturamento da empresa. A empresa possui 11 unidades produtivas: cinco em Santa Catarina, cinco em Goiás e uma no Rio Grande do Norte. 

Você sabia? 
Em 2013 a HERING produziu anualmente 65 milhões de peças de roupas. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Veja, Exame, Época Negócios e Isto é Dinheiro), jornais (Valor Econômico e Meio Mensagem), sites especializados em Marketing e Branding (Mundo do Marketing) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 28/10/2014

Um comentário:

Zarah Gontijo disse...

Falta abrir uma franquia em Santiago do Chile! O que vcs acham?