22.9.06

CODORNÍU

Na França eles são chamados de champanhes. Na Espanha utilizam a denominação Cava. E a CODORNÍU, especialista na elaboração de cavas de alta qualidade, é a marca espanhola mundialmente conhecida por seus espumantes borbulhantes de sabores únicos através da seleção cuidadosa de uvas procedentes de vinhedos da região de Barcelona.

A história
A história começou no ano de 1551 quando Don Juame Codorníu passou suas adegas, prensas, barris e cortes de uva, em Sant Sadurní de Noya, um vilarejo situado no Alto Penedès na região da Catalunha, aos seus sucessores. Mais de um século depois, em 1659, Dona Maria Anna De Codorníu, última a carregar o sobrenome que se tornaria famoso, se casou com o vinicultor Don Miguel Raventós. Foi somente no ano de 1872 que surgiu a primeira garrafa de um vinho espumante de qualidade e com identidade própria com a marca CODORNÍU, uma grande inovação implantada por Don Josep Raventós depois de uma viagem a região francesa de Champagne. A partir deste momento, ele aplicou o método tradicional francês (a formação das borbulhas é realizada pelo método clássico desenvolvido na região francesa de Champagne, em que a segunda fermentação acontece na garrafa) na produção de champanhes e espumantes combinando as variedades de uvas Macabeo, Xarel-lo e Parellada. A marca CODORNÍU foi pioneira no mercado espanhol na produção de champanhes e espumantes.


Em 1885, Don Manuel Raventós expandiu o grande trabalho feito até então por seu pai além das fronteiras espanholas, elevando a marca CODORNÍU e seus espumantes, produzidos utilizando o método tradicional francês, à um reconhecimento internacional. Recebendo conselhos de vários produtores de vinhos franceses decidiu que a empresa deveria dedicar-se apenas a produção de vinhos espumantes. A partir de 1888, a CODORNÍU começou a ganhar várias medalhas e prêmios em exposições ao redor do mundo. Mas foi somente, em 1894, quando os champanhes da marca começaram a serem exportados para Cuba e Argentina, que a marca CODORNÍU conquistou grande reconhecimento internacional. No ano seguinte, a empresa construiu uma nova Cava, que elevou, não somente a quantidade de garrafas produzidas, na época 100 mil unidades, como também a qualidade dos champanhes e espumantes.


Pouco depois, em 1897, a rainha regente, María Cristina, outorgou à marca CODORNÍU o título de Provedor da Casa Real Espanhola, e, desde então, a empresa elabora reservas especiais e exclusivas para o Palácio de La Zarzuela. Em 1904, a CODORNÍU já era umas das principais exportadoras agrícolas da Espanha, apesar de comercializar mais da metade de sua produção no mercado interno. Uma década mais tarde, em 1914, uma nova geração da família começou a comandar os negócios, e com uma visão ousada, permitiu que a produção alcançasse 300.000 garrafas anualmente, aplicando as tecnologias mais modernas disponíveis da época.


Nos anos 20 e 30, a empresa se consolidou definitivamente no mercado espanhol, e a marca CODORNÍU viveu momentos de esplendor e expansão. A partir de 1949, para suprir a demanda, a empresa passou a produzir cavas mais populares, mas manteve consolidada sua posição de produtor de cavas “premium”. Em 1972, a CODORNÍU comemorou o centenário do surgimento da primeira garrafa de espumante produzido pela empresa. Pouco depois, em 1976, as cavas CODORNÍU receberam o reconhecimento máximo ao serem declaradas “Monumento Histórico Artístico Nacional” pelo Rei Don Juan Carlos I. Em 1986, muito em virtude da CODORNÍU, os espumantes e champanhes que repousam na escuridão e silêncio das “cavas” subterrâneas nesta região espanhola receberam oficialmente a denominação Cava.


Em 2001, em comemoração os 450 anos de tradição da marca, o Rei Don Juan Carlos I visitou as cavas CODORNÍU e, em um ato simbólico, fixou o rótulo na maior garrafa de champanhe do mundo produzido até então, a GRAN CAVIT PRIMATO, de impressionantes 26 litros. Também neste ano foi lançado a Magnum Jaume Codorníu. Pouco depois, introduziu o primeiro champanhe rose feito exclusivamente com uvas Pinot Noir da Espanha. Entre 2004 e 2005, a marca voltou a revolucionar o mercado com o lançamento de dois novos produtos: Vinya Codorníu, um champanhe brut natural e moderno indicado para acompanhar as novas tendências gastronômicas; e o Gran Reserva Gran Codorníu, primeiro champanhe com denominação de Grande Reserva da empresa.


Atualmente compõe a linha de cava CODORNÍU: Codorníu Clásico Brut, que tem em sua composição Macabeo (45%), Xarel-lo (45%) e Chardonnay (10%), e depois da segunda fermentação, envelhece por 18 meses na garrafa; Anna de Codorníu Reserva Brut, em que predomina as uvas Chardonnay (85%), entrando as outras uvas brancas locais com o restante do corte; Codorníu Rose, feito exclusivamente com uvas Pinot Noir, é um rose de grande personalidade; Cuvée Raventós, um espumante macio com aromas delicados de cítricos e frutos secos, moldado com uvas Chardonnay (50%), Xarel-lo (25%) e Macabeo (25%), que envelhece na garrafa por dois longos anos; e o Rondel Brut, um espumante de qualidade com bastante frescor e um leve amargor final, elaborado pelo método tradicional, produzido nas adegas de Rondel com as castas Parellada (40%), Macabeo (40%) e Xarel-lo (20%), e um campeão de vendas da marca na Europa, especialmente na Alemanha. Todos os champanhes e espumantes da marca espanhola são produzidos e envelhecidos pelo método tradicional e a marca é longamente reconhecida por utilizar uvas Chardonnay e Pinot noir em sua linha, agregando aroma e qualidade excepcional ao vinho.


Dados corporativos
● Origem:
Espanha
● Lançamento:
1872
● Criador:
Don Josep Raventós
● Sede mundial:
Barcelona, Espanha
● Proprietário da marca:
Codorníu, S.A.
● Capital aberto:
Não
● CEO:
Xavier Pages
● Faturamento: €190 milhões (estimado)
● Lucro:
Não divulgado
● Vinhedos: 9
● Presença global:
120 países
● Presença no Brasil:
Sim
● Funcionários:
1.800
● Segmento:
Bebidas alcoólicas
● Principais produtos:
Champanhes e espumantes
● Principais concorrentes:
Freixenet
● Slogan:
Codorníu. The Culture of Pleasure.
● Website: www.codorniu.com

A marca no mundo
O grupo catalão CODORNÍU tem quase 500 anos de história na elaboração de vinhos, espumantes e champanhes, que são comercializados em mais de 120 países ao redor do mundo. A CORDONÍU tem hoje 3 mil hectares de terras cultivadas e 9 bodegas espalhadas pelas principais regiões da Espanha, Argentina e Estados Unidos. CODORNÍU é a marca n° 1 na Espanha com massiva distribuição, tendo 95% de presença em importantes redes de supermercado. A produção anual supera 60 milhões de garrafas.

Você sabia?
Embora seu nome esteja intimamente ligado aos champanhes e espumantes, a CODORNÍU também produz vinhos de mesa brancos e tintos.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek, Time e Isto é Dinheiro), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Última atualização em 19/1/2012

Nenhum comentário: