18.9.06

JAL (JAPAN AIRLINES)


A JAL, também conhecida como JAPAN AIRLINES, é reconhecida pelo setor de aviação e passageiros pela excelência de seus serviços, tanto em terra como a bordo, além de ser considerada uma das companhias aéreas mais seguras do mundo. A companhia aérea é um dos maiores símbolos do Japão no mercado internacional, refletindo toda a cultura milenar do país.

A história
A primeira empresa japonesa a adotar o nome JAL, abreviação de JAPAN AIR LINES, foi fundada no dia 1 de agosto de 1951, quando o governo japonês necessitava criar uma empresa nacional para ajudar na reconstrução do país após a Segunda Guerra Mundial. Tratava-se de uma empresa privada, sucessora da Greater Japan Airlines, que havia encerrado suas atividades em 1945. Os primeiros voos, na rota Tóquio-Osaka, foram iniciados no dia 25 de outubro utilizando uma aeronave Martin 2-0-2 arrendada da companhia americana Northwest Airlines. Pouco depois, a empresa acrescentou voos de Tóquio para Fukuoka e Sapporo. Em outubro de 1952 foram entregues os primeiros Douglas DC-4 e ao mesmo tempo encomendados cinco Douglas DC-6A/B para voos internacionais.


Em 1953, surge uma nova JAL, desta vez com apenas 50% do seu controle nas mãos do governo japonês. Neste ano foram entregues os primeiros DC-6 e após alguns voos de teste entre Tóquio e San Francisco via Honolulu e Ilha Wake, no dia 2 fevereiro de 1954 um voo que transportou 18 passageiros inaugurou este serviço transpacífico como a primeira linha internacional da empresa, seguindo-se Hong Kong (1955), Bangkok (1956) e Cingapura (1958). Era o início de uma forte expansão internacional. Ainda em 1954, no dia 23 de agosto, o Imperador do Japão e sua mulher voam pela JAL pela primeira vez em um vôo de Sapporo para Tóquio, que além de atrair grande publicidade gerou enorme credibilidade para a marca. Em 1960, através de um acordo com a Air France, foram iniciados os voos transpolares entre Tóquio e Paris, com equipamento da empresa francesa, até a entrada dos primeiros aviões a jato na frota da JAL, o que aconteceria com o recebimento do primeiro Douglas DC8, permitindo assim a inauguração de dois novos destinos (Seattle e Hong Kong).


Em 1965, a JAPAN AIRLINES deu uma pequena amostra de sua ousadia, que acabaria por caracterizar a empresa nos anos seguintes, ao comprar, de uma única vez, 151 aviões modelo Boeing 747, avançadíssimos para a época, deixando surpreso o mundo da aviação. Durante esta década novos destinos internacionais foram estabelecidos, incluindo Londres, Moscou e Nova York. Ainda durante os anos 70 a frota foi completamente renovada com a compra de aviões Boeing 727, Boeing 747, Convair 880 e McDonnell Douglas DC-10, que tinham capacidade de transportar um maior número de passageiros, fazendo com que a JAL incrementasse enormemente sua capacidade e seu faturamento.


A década de 80 foi marcada pelos voos especiais que a JAL realizou para transportar o Príncipe Akihito e Princesa Michiko, o Papa João Paulo II e os principais ministros japoneses. Isso gerou enorme credibilidade internacional a JAL. Em 1987, a empresa voltou a ser privatizada, com o governo vendendo a totalidade de sua participação, que foi dividida em três unidades de negócios: serviço internacional de passageiros, serviço doméstico de passageiros e serviços cargueiros. A JAL tornou-se a companhia aérea oficial da filial da Disneylândia em Tóquio em 1992. Nesta década, com a crise do mercado doméstico de aviação japonês, a JAL foi praticamente obrigada a criar uma companhia aérea de baixo custo (JAL EXPRESS) em 1997, responsável por algumas rotas domésticas e bem como voos internacionais de curta distância entre o Japão e a China, e transferir as operações turísticas para sua subsidiária JALways.


No final de 2001, a JAL anunciou sua fusão com a terceira maior empresa aérea japonesa, a JAS (Japan Air System). Este anúncio gerou imediatamente enormes e fervorosos protestos por parte da companhia aérea ANA, que temia o poderio da nova gigante dos ares. O início das operações foi no segundo semestre de 2002, com uma nova identidade visual e os jatos das duas empresas anteriores, JAL e JAS ostentando o tradicional nome: JAPAN AIRLINES. A empresa resultante dessa união era a quinta maior companhia aérea do mundo. Por causa da excelência dos seus serviços, a JAPAN AIRLINES foi eleita a companhia aérea do ano de 2002 pela revista americana Air Transport World. Entre as inúmeras qualidades presentes na JAL, a publicação destacou a competitividade e o caráter inovador da empresa.


No dia 1 de abril de 2007, a JAL oficialmente passou a fazer parte da aliança global Oneworld, expandindo assim suas rotas e destinos. Entre 2008 e 2009, a companhia aérea incrementou suas rotas internacionais com dez novos destinos, mas também cancelou quatro rotas deficitárias. Domesticamente, 14 rotas foram canceladas como medida para tentar reduzir a grande crise que assolava a JAL. Era o prenúncio de que algo estava muito errado com a gigante japonesa dos ares. No final de janeiro de 2010, com o agravamento de sua situação financeira e uma pesada dívida de US$ 25 bilhões, que fizeram com que o valor da companhia na Bolsa de Valores fosse reduzido a US$ 150 milhões, menos do que o preço de um Boeing 747, a JAL enfim pediu concordata, considerada a quarta maior na história do Japão. Durante o período de recuperação a empresa cortou mais de 15.000 empregos, encerrou o transporte de carga depois de 30 anos, reduziu o número de aeronaves, renovou sua frota com aviões menores e mais econômicos e cancelou inúmeras rotas, especialmente internacionais (incluindo São Paulo, Amsterdã e Milão), além de contar com uma enorme injeção de dinheiro do governo japonês. Em março de 2011 a JAL saiu da concordata, agora como uma empresa mais enxuta, ágil, moderna e lucrativa, reativando recentemente alguns importantes destinos internacionais.


Atualmente a JAL oferece a seus passageiros em voos internacionais três classes: Primeira Classe, Classe Executiva e Classe Econômica. Uma classe de economia superior foi introduzida recentemente, junto com uma primeira classe doméstica. Além disso, a JAL oferece um moderno sistema de entretenimento de bordo chamado MAGIC III e lounges luxuosos em alguns dos principais aeroportos internacionais para passageiros da Primeira Classe e Executiva.


Marketing nos ares
A JAL também é muito conhecida pelas pinturas especiais de alguns de seus aviões, que funcionam como uma eficiente ferramenta de marketing. Os mais populares são aviões pintados com personagens da Tokyo Disneyland e Tokyo DisneySea, parques temáticos dos quais a empresa é a transportadora oficial. Em 2003, a companhia pintou um Boeing 747 (apelidado de Matsui Jet) com a figura de Hideki Matsui, jogador japonês de baseball mais famoso da época. Em 2008, um avião modelo Boeing 777, apelidado de “Eco JET”, recebeu detalhes em verde, incluindo um origami na fuselagem, representando o comprometimento da empresa em reduzir o impacto ambiental no segmento da aviação. Por ser uma das mais fortes parceiras da UNICEF, em todos os seus aviões existem adesivos com a frase “We Support UNICEF”.


A evolução visual
O logotipo da JAL passou por grandes reformulações em toda sua história. O logotipo original da companhia aérea era formado apenas pelas letras da palavra JAL esticadas para formar uma asa. Em 1954, o famoso logotipo batizado de tsurumaru, criado por Jerry Huff e representado por um pássaro vermelho (grou-japonês) originário e muito popular no país, foi utilizado pela primeira vez. Em 1959 o tsurumaru foi registrado como marca e passou a ser o logotipo oficial da empresa. Em 1989 um novo logotipo mais moderno foi apresentado. Ele seria utilizado até 2002, quando o famoso “Arc of the sun” (“Arco do Sol”) passou a ser utilizado como identidade corporativa da empresa. No início de 2011 a companhia aérea anunciou que voltaria a utilizar a tradicional identidade visual representada pelo tsurumaru, agora estilizado. O novo logotipo, que também passou a utilizar o nome JAPAN AIRLINES escrito por extenso, era uma espécie de resgate de suas raízes e origens após a grave crise que viveu.


As pinturas de seus aviões também sofreram modificações. Até 2002, os aviões da companhia aérea ostentavam na cauda a pintura do tsurumaru, que foi substituído por uma bola vermelha representando o sol. Em 2011, o tsurumaru voltou a estampar as caudas de seus aviões.


Dados corporativos
● Origem: Japão
● Fundação: 1 de agosto de 1951
● Fundador: Aiichiro Fujiyama
● Sede mundial: Tóquio, Japão
● Proprietário da marca: Japan Airlines Co., Ltd.
● Capital aberto: Sim (cancelado em virtude da concordata)
● Chairman & CEO: Masaru Onishi
● Presidente: Yoshiharu Ueki
● Faturamento: US$ 16 bilhões (estimado)
● Lucro: Não divulgado
● Destinos: 103
● Frota: 121 aeronaves
● Hubs principais: Aeroporto Internacional de Narita e Aeroporto de Haneda
● Programa de milhagem: JAL Mileage Bank
● Passageiros transportados: 35.412.800 (2011)
● Presença global: 25 países
● Presença no Brasil: Sim
● Funcionários: 32.000
● Segmento: Aviação
● Principais produtos: Companhia aérea comercial
● Concorrentes diretos: ANA, Thai Airways, Cathay Pacific, Air Asia e China Southern Airlines
● Ícones: O grou-japonês
● Slogan: Dream Skyward.
● Website: www.jal.com

A marca no mundo
Hoje em dia a JAL é a maior transportadora internacional do Japão e uma das mais importantes do continente asiático, oferecendo mais de 103 destinos (se contar com suas subsidiárias esse número sobe para 220) em 25 países, além de uma extensa malha doméstica, servida também por empresas coligadas como a JAL EXPRESS, J-AIR, JALways e Japan Transocean Air. Em 2011 a JAL, que possui uma frota de 121 aviões, transportou mais de 35 milhões de passageiros. Contando suas subsidiárias, a frota da empresa é de aproximadamente 210 aeronaves, que juntas realizam mais de 900 voos diários. A JAL tem 66% de participação de mercado internacional no Japão e 40% doméstico.

Você sabia?
No Brasil, a JAL inaugurou suas atividades no ano de 1954. No entanto, os vôos regulares de São Paulo para Tóquio só tiveram início em 1978.
A JAL já possuiu a maior frota de Boeing 747 do mundo, chegando a operar mais de 40 aeronaves deste modelo.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Última atualização em 12/7/2012

Um comentário:

Vicente disse...

Parabéns pela rapidez na atualização das informações.
O resto do site tb é muito comleto.