2.5.07

SANTANDER


O SANTANDER, um verdadeiro colosso financeiro mundial, tem construído um modelo de negócio próprio que se sustenta com foco em uma enorme quantidade de agências, diversificação geográfica, prudência na gestão de riscos, tecnologia de ponta, disciplina de capital e respeito incondicional aos seus clientes. Quer transmitir que não é apenas um banco que oferece os melhores produtos e serviços, mas que tem uma forma de fazer um banco simples e pessoal, uma grande instituição na qual confiar, ajudando seus clientes a atingir seus próprios objetivos. E tudo isso com a fúria e paixão espanhola, representadas devidamente pela cor vermelha. 

A história 
A história do tradicional banco teve início no dia 15 de maio de 1857, na cidade costeira de Santander, situada ao norte da Espanha, através do decreto da Rainha Isabel II, que autorizou a constituição do BANCO de SANTANDER. Desde seu início o banco foi voltado aos negócios no exterior, inicialmente ligado ao comércio do porto de Santander e região. A partir de 1900, o SANTANDER cresceu em um ritmo forte, dobrando seus balanços e ampliando consideravelmente seu capital e principalmente lucro. No mês de fevereiro de 1920, Emilio Botín y López foi nomeado presidente fixo do banco. Sob seu comando, nos anos seguintes, o SANTANDER mudou sua sede e iniciou a abertura de sucursais fora da região, a primeira inaugurada em 1923 na cidade de Astillero. Em 1934, Emilio Botín Sanz de Sautuola y López assumiu o comando do SANTANDER, impulsionando um grande processo de crescimento pelo território espanhol, ingressando na capital financeira do país, Madri, através da compra do Banco de Ávila em 1942; com a aquisição de seu maior rival, Banco Mercantil; e, a partir de 1947, com a inauguração de seu primeiro escritório em Cuba (na capital Havana), iniciando uma consistente expansão internacional para países como Argentina, México e Venezuela.


Em 1957, ao completar cem anos de existência, o SANTANDER havia se convertido na sétima maior instituição financeira da Espanha. Na década seguinte, o SANTANDER continuou crescendo através de aquisições de bancos locais na Espanha. Com a compra, em 1976, de um banco em Porto Rico, e outro, em 1982, no Chile, o SANTANDER se transformou no primeiro banco comercial de varejo ibero-americano. A década de 1980 foi marcada pela inauguração, em 1985, do banco de investimento do grupo SANTANDER, a compra de um banco alemão com mais de três décadas de experiência na área de financiamento de veículos, além da formação de uma aliança estratégica com o tradicional The Royal Bank of Scotland em 1988. Pouco depois, em 1989, lançou no mercado a SUPERCUENTA SANTANDER, uma conta remunerada e um dos produtos mais inovadores da história bancária espanhola, principal responsável pela alta popularidade da marca.


No início da década seguinte, em 1994, a compra do Banco Español de Crédito (Banesto), se converteu em um marco histórico, fazendo com que o SANTANDER assumisse a liderança no mercado espanhol. Pouco depois, em 1995, tem início uma segunda fase de expansão nos países ibero-americanos, permitindo ao banco desenvolver ainda mais seus negócios no Brasil, Argentina, Chile, México, Colômbia, Peru, Venezuela e Uruguai. Em janeiro de 1999 foi anunciada a fusão entre o SANTANDER e os bancos Central Hispanoamericano (fundado em 1900 com dinheiro de cubanos repatriados), Banco Central Hispano (fundado em 1991) e Banco Central (fundado em 1919, como resultado da fusão de oito pequenas instituições financeiras). Essa negociação causou forte impacto no cenário mundial e principalmente Europeu, criando um verdadeiro colosso financeiro com sangue espanhol. Pouco depois, o banco comprou o grupo financeiro português Totta e Açores (atual SANTANDER TOTTA).


Em 2000, com a aquisição de outros bancos no Brasil, Chile e México, o SANTANDER se tornou o maior grupo financeiro da América Latina. Pouco depois o grupo constituiu o banco SANTANDER CONSUMER (voltado para o financiamento de bens de consumo, especialmente automóveis) em 12 países europeus e nos Estados Unidos. Em 2004, mudou sua sede mundial (batizada de La Ciudad Santander) para a cidade de Madri, onde trabalham aproximadamente 7.000 pessoas. Nesse mesmo ano, no mês de novembro, ocorreu a incorporação do Abbey National, sexto maior banco do Reino Unido, assumindo posição de destaque em uma das mais importantes economias da Zona do Euro. No ano seguinte, após a aquisição do controle acionário do banco americano Sovereign Bancorp, passou a contar com milhões de clientes nos Estados Unidos.


Pouco depois, participou da maior operação do setor financeiro mundial: a compra, por €71 bilhões, do banco holandês ABN AMRO pelo consórcio formado pelo SANTANDER e pelos bancos Fortis e RBS. Com isso, assumiu o banco italiano Antonvenetta (vendido meses depois) e o Banco Real no Brasil. O grupo espanhol ganhou ainda mais musculatura no mercado brasileiro, se transformando em um dos maiores conglomerados financeiros do mundo. Atualmente, o SANTANDER é o principal grupo financeiro na Espanha e na América Latina, e desenvolve uma importante atividade de negócios na Europa, com destacada presença no Reino Unido, assim como em Portugal, onde é o quarto maior grupo financeiro. No dia 9 de setembro de 2014 o banco sofreu um duro golpe: vítima de um infarto fulminante morre Emilio Botín, aos 79 anos. Nascido no dia 1 de outubro de 1934, ele foi herdeiro da tradição financeira de sua família, já que seu avô e seu pai também foram presidentes do banco, e começou a dirigir a entidade bancária em 1986, sendo um dos responsáveis pela sua expansão internacional.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por inúmeras e radicais mudanças ao longo dos anos. De 1857 a 1986 a marca passou por três acentuadas alterações, ainda quando se chamava BANCO de SANTANDER. Foi justamente a partir de 1986 que mudanças radicais ocorreram. Primeiro, adotou um novo nome (BANCO SANTANDER), as cores verde e cinza e um novo logotipo, que continha um símbolo do lado esquerdo. A tradicional cor vermelha seria incorporada ao logotipo (primeiramente somente no símbolo) em 1989. Depois de passar por mais duas alterações, o atual logotipo da marca foi adotado em 2007.


Os slogans 
Un banco para tus ideas. (Espanha, 2013) 
El Valor de las Ideas. (Espanha) 
Value from ideas. (Inglaterra) 
Um banco para suas ideias. (Brasil, 2013) 
Sua vez. Sua voz. Seu Banco. (Brasil, 2012) 
Banco do Juntos. (Brasil, 2011) 
Vamos fazer juntos. (Brasil, 2010) 
Valorizando ideias por uma vida melhor. (Brasil, 2009) 
O Valor das Ideias. (Brasil, 2007) 
Inovando para você crescer. (Brasil) 
Pásion por darle más. (Colômbia)


Dados corporativos 
● Origem: Espanha 
● Fundação: 15 de maio de 1857 
● Fundador: Decreto da Rainha Isabel II 
● Sede mundial: Madri, Espanha 
● Proprietário da marca: Banco Santander S.A. 
● Capital aberto: Sim 
● Chairman: Ana Patricia Botín 
● CEO: José Antonio Alavarez 
● Faturamento: €32 bilhões (2014) 
● Lucro: €5.82 bilhões (2014) 
● Valor de mercado: €90.7 bilhões (fevereiro/2015) 
● Valor da marca: US$ 5.382 bilhões (2014) 
● Agências: 14.800 
● Clientes: 106.6 milhões 
● Presença global: + 40 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Maiores mercados: Brasil, Reino Unido, Espanha e Estados Unidos 
● Funcionários: 185.400 
● Segmento: Financeiro 
● Principais produtos: Serviços bancários, investimentos, empréstimos, financiamentos e seguros 
● Concorrentes diretos: HSBC, Citibank, BBVA, Itaú, Bradesco e Banco do Brasil 
● Slogan: Um banco para suas ideias. 
● Website: www.santander.com.br 

O valor 
Segundo a consultoria britânica Interbrand, somente a marca SANTANDER está avaliada em US$ 5.382 bilhões, ocupando a posição de número 75 no ranking das marcas mais valiosas do mundo. 

A marca no Brasil 
Somente em 1982 foi instalado o primeiro escritório de representação do banco espanhol no Brasil e, nove anos depois, começaram as operações do Santander Investment, ramo de investimento do grupo. O processo de forte crescimento de seus negócios em território brasileiro foi iniciado em 1997 com a aquisição do Banco Geral do Comércio S.A. Nos anos seguintes, ocorreram mais três aquisições, que fizeram o banco conquistar posição importante entre os maiores grupos financeiros no país. Pouco depois, em 1998, o SANTANDER comprou o Banco Noroeste S.A. Já em janeiro de 2000, foi anunciada a aquisição do Conglomerado Financeiro Meridional - formado pelos bancos Meridional e Bozano Simonsen, e, em novembro do mesmo ano, o SANTANDER adquiriu o controle do Banco do Estado de São Paulo (conhecido como BANESPA). Essa última aquisição gerou enorme ganho ao banco espanhol, tanto em número de clientes como de agências espalhadas pelo país.


Mas foi em 2008 que o SANTANDER realizou sua mais importante aquisição, ao assumir a operação do holandês ABN Amro Bank na América Latina, controlador do Banco Real, se tornando no Brasil, o terceiro maior banco em ativos. Pouco depois, em outubro de 2009, o banco espanhol fez seu lançamento primário de ações (IPO - Initial Public Offering) na BOVESPA com extremo sucesso. No final de 2010, o processo de integração do Banco Real e do SANTANDER avançou e a marca e as cores do banco espanhol substituíram todas as agências do banco brasileiro. Com isso, o SANTANDER uniu as práticas, hábitos e valores do Banco Real às suas inovações, para construir um banco cada vez melhor para seus clientes. Em 2013 o banco lançou um novo segmento de clientes de alta renda, o SANTANDER SELECT, voltado a correntistas com renda mensal superior a R$ 10 mil mensais e que possuam investimentos acima de R$ 30 mil, ou para clientes com investimentos de, no mínimo, R$ 200 mil, ainda que a renda seja menor. Com isso passou a ter quatro segmentos: Pessoa Física, direcionado a clientes com renda de até R$ 4 mil; Van Gogh, para clientes com renda entre R$ 4 mil e R$ 10 mil (ou com investimentos acima de R$ 40 mil); e o Private Banking, para clientes com saldo de aplicações acima de R$ 3 milhões.


Atualmente, o SANTANDER se consolidou como o terceiro banco privado por volume de ativos e primeiro entre os bancos internacionais, possuindo mais de 3.700 agências e postos de atendimento, 18.000 caixas eletrônicos, mais de 30 milhões de clientes, 20 milhões de contas ativas e uma base de cartões de crédito e débito superior a 36 milhões. A operação brasileira respondeu em 2014 por 19% dos lucros do grupo espanhol no mundo.


A marca no mundo 
O SANTANDER, 8º maior banco do mundo e o primeiro na Zona do Euro em capitalização em bolsa, conta com mais de 106 milhões de clientes, 3.2 milhões de acionistas, 14.800 agências e presença em mais de 40 países. Por áreas geográficas, a América Latina concentra o maior número de clientes (44%), seguida da Europa continental (30.5%), Reino Unido (23.9%) e Estados Unidos (1.6%). Tendo como atividade principal o banco de varejo, o SANTANDER, quarto maior do mundo em lucratividade, atua também nas áreas corporativas e de investimentos, gestão de ativos, financiamentos e seguros. É o principal grupo financeiro da Espanha e da América Latina, com posições de liderança no Reino Unido e Portugal e conta com uma ampla presença na Europa por meio de sua unidade Santander Consumer Finance

Você sabia? 
Atualmente o SANTANDER é patrocinador oficial da equipe Ferrari. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Isto é Dinheiro), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 20/2/2015

2 comentários:

Anônimo disse...

Alguém tem um panorama geral das marcas das financeiras do grupo Santander nos países nos quais esse negócios se aplica? No Brasil, a marca escolhida pelo Santander para operar sua financeira é a Olé.
Obrigado!

Mario G Andrade Jr disse...

Muito bom seu material. Ajudou bastante na introdução de um trabalho da pós.
Obrigado e PARABÉNS pelo site, sempre repleto de informações úteis e PRINCIPALMENTE, confiáveis.

Abraço,
Mário