30.4.09

SPANX

Esconder as gordurinhas saltitantes da região abdominal. Modelar e diminuir as imperfeições e gorduras dos seios e costas. Afinar a cintura. Ou até mesmo modelar as pernas e firmar as coxas. Não, não é preciso fazer cirurgias plásticas, mas sim usar alguma peça da SPANX, marca americana produtora de roupas íntimas modeladoras (aquelas em estilo cinta ou bermuda que apertam e ajeitam as gordurinhas) que se tornou uma verdadeira febre entre as mulheres interessadas em esconder imperfeições, saliências indesejadas e quilinhos a mais.

A história
Tudo começou em 1998 quando a americana Sara Blakely, uma de vendas de impressoras e comediante nas horas vagas, quis usar uma calça branca justa com sapatos abertos nos dedos e percebeu que qualquer lingerie que usasse ficaria “marcando” por baixo. Foi então que a jovem teve uma brilhante percepção: passou a tesoura em uma meia calça, que tinha reforço na barriga, recortando as partes dos pés. A jovem percebeu que a meia-calça por baixo da calça branca, escondia as imperfeições e deixava a silhueta com aspecto mais regular. Do improviso da moça nasceu a idéia central para criar uma marca de roupas íntimas modeladoras. O nome SPANX surgiu por acaso: Sara reconhecia que o som da letra K era extremamente forte para uma marca, mas no último momento achou que a letra X no final ficaria mais apelativa.


Em pouco mais de um ano, Sara conseguiu a patente do novo produto (meia-calça sem ponta de pés), depois investiu US$ 5.000 de suas economias e deu início a uma pequena produção de meias-calças modeladoras feitas de nylon e lycra em seu próprio apartamento, na cidade de Clearwater, na Flórida. Depois de muito estudo e pesquisar todos os tipos de lingeries já fabricados, além de garimpar bons tecidos, ela desenvolveu um produto que não somente escondia imperfeições dando uma silhueta perfeita, mas como também fosse confortável para usar. Criou também embalagens revolucionárias utilizando uma coloração vermelho escarlate, bem diferentes das opacas e beges do mercado de meia-calça. Descontente também com as fotos de mulheres seminuas nas embalagens, ela contratou um designer para criar ilustrações coloridas de três mulheres utilizando suas meias-calças. Foi criado também um slogan para a marca: “Don’t worry, we’ve got your butt covered!” (algo como “Não se preocupe, nós manteremos seu bumbum coberto”).


Trabalhando também como vendedora da marca, ela percebeu que a revolucionária meia-calça modeladora aberta nos pés tinha boa aceitação, utilizando amigas e conhecidas como teste de mercado. Foi então, que no ano de 2000, depois de achar um produtor que fabricasse suas meias-calças, ela fundou oficialmente a empresa SPANX, dando início a produção de roupas íntimas modeladoras. Sua primeira grande venda foi feita para a Neiman Marcus, uma das lojas de departamento mais descoladas do país. As meias-calças, chamadas Spanx FOOTLESS BODYSHAPING PANTYHOSE, e vendidas a US$ 20 o par, se esgotaram rapidamente das prateleiras de sete lojas da rede e um novo pedido foi feito. Neste momento, as vendas nas lojas da Neiman Marcus foram estendidas para 32 unidades da rede. Em três meses foram vendidos mais de 50.000 pares das meias-calças SPANX.


Apesar do sucesso inicial, poucos meses depois, o destino da empresa e da marca mudaria radicalmente quando Sara foi entrevistada pela poderosa apresentadora Oprah Winfrey que rasgou elogios ao novo produto. Rapidamente as peças da SPANX começaram a se tornar as favoritas de algumas celebridades de Hollywood, fazendo com que a marca explodisse em popularidade e virasse mania entre as mulheres americanas. No final deste ano as vendas dos produtos com a marca SPANX foram estendidas para outras famosas lojas de departamento, incluindo Saks, Bloomingdale’s, Nordstrom, Von Maur, Marshall Field’s, Lord & Taylor e Bergdorf Goodman. No ano seguinte, sem orçamento para fazer uma campanha publicitária, Sara resolveu apresentar seu produto no QVC, um canal de compras da operadora de televisão Comcast. Em sua primeira aparição no canal, em maio, apenas 8 minutos foram suficientes para vender mais de 8.000 pares da meia-calça SPANX.


O sucesso de suas meias-calças fez com que a empresa lançasse outros produtos de roupas íntimas modeladoras como a SUPER SPANX, uma meia-calça com reforço maior na barriga, proporcionando um efeito ainda maior que o produto original. Apelando para suas veias humorísticas, Sara criou o slogan “No more grid butt”, que descrevia com muito humor a principal característica de seu produto. Em 2002, a linha de produtos foi ampliada com o lançamento da SPANX POWER PANTIES, uma calcinha com reforço na região abdominal, reduzindo assim as imperfeições e pequenas saliências da região, além de ressaltar os contornos das coxas; da Two Timin, uma meia-calça reversível com duas opções de cores em uma só peça; da Topless Trouser Socks (meias normais que disfarçavam imperfeições e varizes nas pernas); e da MAMA SPANK, uma linha especialmente desenvolvida para mulheres grávidas.


Em 2003, os produtos da marca foram introduzidos no mercado inglês, e em pouco tempo se espalharam por outros países da Europa. A novidade desse ano foi o lançamento da Turbo Tights, meias-calças sem pés mais grossas, que esquentavam mais no inverno mantendo o mesmo efeito delineador. Em 2004, a SPANX criou o Bra-llelujah (em português, é mais ou menos algo como “sutiã-leluia”), que se tornou uma espécie de salvador da espécie feminina. Porém, o novo produto era muito mais que um nome espirituoso. Ao contrário do Wonderbra, o sutiã-maravilha feito para turbinar os seios, o Bra-llelujah prometia diminuir, não os seios, mas sim a inconvenientes gordurinhas. O sutiã era produzido com nylon e elastano e tinha tiras especiais que disfarçavam a gordura das costas. Além disso, o design reduzia as marcas visíveis do sutiã, deixando as formas lisas, sem tirar o conforto. Introduzido nas prateleiras da rede de loja de departamento Dillard’s, o novo produto virou um enorme sucesso de vendas nos Estados Unidos. Lançado em dois modelos, um mais básico, que custava US$ 36 e um mais robusto e com fecho frontal, no valor de US$ 62, o sutiã agradou em cheio as americanas, conhecidos pelos seios fartos.


Nos anos seguintes, a SPANX, além de lançar uma infinidade de roupas íntimas modeladoras, introduziu linhas específicas para cada tipo de mulher e ocasião: HIDE & SLEEK (uma completa linha de roupas íntimas modeladoras, composta por calcinhas, meias-calças inteiras, meias-calças abertas, bodysuits e até camisolas), BOD-a-BING! (coleção composta por saias, calças e tops que utilizados por debaixo das roupas normais causavam um efeito delicado, permitindo assim um perfeito caimento das vestimentas), ASSETS (uma linha de meia-calça com preços mais acessíveis, vendida desde 2006 nas lojas de desconto Traget), e até uma linha de peças íntimas modeladores para noivas (brancas e em várias formas e decotes, são finalizadas com renda). Mais recentemente, em 2010, a marca lançou sua primeira coleção moda praia, composta por maios e saídas de praia.


Atualmente a fundadora da empresa comanda uma equipe de 125 funcionários, dos quais apenas 16 são homens. Nas reuniões da diretoria, ela fica de topless e experimenta as criações. Nesses encontros, as mulheres opinam sobre sutiãs e calcinhas e criam nomes para as peças. Até o público masculino já ganhou as suas, nesse caso, coletes emagrecedores, semelhantes aos espartilhos femininos. Foi com métodos de gestão assim que a bela Sara (foto abaixo) transformou um pequeno negócio em uma potência da moda íntima. E, de quebra, em 2012 entrou pela primeira vez na lista dos bilionários da revista Forbes, com patrimônio pessoal superior a US$ 1 bilhão.


Endossada por celebridades
Hoje em dia a marca SPANX tem como principais divulgadoras as principais celebridades americanas. Nove em cada dez famosas usam SPANX por baixo dos vestidos apertadíssimos. Afinal, estas beldades também tem celulite. E ninguém quer nada balançando quando está percorrendo o famoso tapete vermelho na cerimônia de premiação do Oscar. Oprah Winfrey já se declarou apaixonada pelo efeito. Jessica Alba e Gwyneth Paltrow confessaram que usaram os modeladores por meses depois do parto. Beyoncé e Eva Longoria (Desperate Housewives) já foram até flagradas utilizando as roupas modeladoras da SPANX por baixo dos vestidos. Sara Blakely, a criadora da marca, também trabalha como garota-propaganda, aparecendo nas campanhas utilizando os produtos por ela desenvolvidos, sem vergonha alguma de mostrar suas belas pernas.


Dados corporativos
● Origem:
Estados Unidos
● Fundação:
15 de fevereiro de 2000
● Fundador:
Sara Blakely
● Sede mundial:
Atlanta, Geórgia
● Proprietário da marca:
Spanx, Inc.
● Capital aberto:
Não
● Chairman & Presidente:
Sara Blakely
● CEO: Laurie Ann Goldman
● Faturamento: US$ 280 milhões (estimado)
● Lucro:
Não divulgado
● Presença global:
40 países
● Presença no Brasil:
Não
● Funcionários: 125
● Segmento:
Roupas íntimas modeladoras
● Principais produtos:
Calcinhas, sutiãs, cintas elásticas e meias-calças
● Concorrentes diretos:
Hanesbrands, Danskin e Maidenform
● Ícones: As ilustrações divertidas de suas embalagens
● Slogan:
Don’t worry, we’ve got your butt covered.
● Website: www.spanx.com

A marca no mundo
Atualmente a SPANX vende seus produtos nos Estados Unidos através de sofisticadas lojas de departamento (incluindo as renomadas Nordstrom, Neiman Marcus, Saks e Bloomingdales), além de exportá-los para o Canadá, Reino Unido, alguns países europeus, Austrália e região asiática, estando presente em mais de e mais de 11.500 pontos de venda. A SPANX também vende seus produtos online para mais de 60 países ao redor do mundo. A empresa fatura mais de US$ 250 milhões anualmente vendendo uma linha de produtos composta por mais de 200 modelos, entre os quais body modelador, corpete, calcinhas, sutiãs, maiô com shorts. Hoje em dia, mais de 6 milhões de mulheres utilizam os produtos da marca.

Você sabia?
Uma típica meia-calça SPANX leva aproximadamente 8 horas para ser produzida e envolve 40 pessoas durante esse processo.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Última atualização em 23/3/2012

4 comentários:

Gabi disse...

POCHA AQUI NO BRASIL TEM QUE TER LOJAS PRA VENDER ESSA MARAVILHA.

ana disse...

Onde posso comprar estas meias aqui no Brasil?

Anônimo disse...

Não tem nenhuma loja no Brasil que venda essa marca?

ieda leones disse...

Quero comprar, onde encontro essa maravilha. Estou em Goiânia,como devo proceder para comprar?