10.5.06

CNN


É um dos principais símbolos culturais americano, que certamente já foi sintonizado por qualquer viajante em algum quarto de hotel. Depois do surgimento da rede de televisão CNN qualquer acontecimento relevante, aconteça onde quer que seja, vira notícia em tempo real. Seus correspondentes espalhados por lugares inimagináveis transformaram o jeito de comunicar acontecimentos e fatos mundiais. E fez muito mais: transformou o jornalismo. Sem medo de contestação, a CNN pode afirmar eternamente que mudou o cenário das notícias na televisão. Por isso tudo, a marca virou símbolo da globalização e da notícia ao vivo. 

A história 
A história da mais poderosa rede de televisão do mundo começou quando o empresário Ted Turner (na imagem a direita), com seu jeito rude e simpático de fazendeiro, ficou surpreso com a falta de notícias nacionais disponíveis no mercado americano. Nesta época os produtores das três principais redes americanas determinavam quando os americanos receberiam suas notícias. Foi pensando nisso que no dia 1º de junho de 1980, exatamente ás 18:00 horas da tarde de um domingo, a empresa Turner Broadcasting System, juntamente com o jornalista americano Reese Schonfeld, lançou um canal de televisão chamado CNN (abreviação de Cable News Network) na cidade de Atlanta, estado da Geórgia. A primeira transmissão do novo canal foi com David Walker e Hart Lois, que eram casados na vida real, após um pronunciamento de Ted Turner, que recitou um poema do escritor Ed Kessler. Resultado de uma fusão de novas tecnologias e da visão apurada de Ted Turner, a nova emissora, que custou US$ 40 milhões para ser implantada e colocada no ar, foi pioneira ao transmitir notícias 24 horas por dia, com reportagens ao vivo e análises, mudando para sempre a maneira de fazer jornalismo. Além disso, foi o primeiro canal exclusivamente jornalístico dos Estados Unidos. Por isso, hoje em dia o modelo da CNN é seguido amplamente por emissoras do mundo todo.


Quando foi lançada a CNN contava com 200 funcionários espalhados em escritórios localizados em nove cidades, incluindo Londres (Inglaterra) e Roma (Itália). Começou a ser um pouco mais conhecida exatamente seis meses após sua estreia, quando muitos americanos sintonizaram a emissora pela primeira vez para acompanhar as notícias do ex-Beatle John Lenon, que havia levado um tiro em Nova York. Os fãs, pelo menos aqueles nas 1.7 milhões de casas então capazes de receber o canal de notícias, descobriram que podiam obter atualizações sobre o trágico acontecimento sempre que quisessem. Para aqueles acostumados a receber notícias pela televisão somente quando as principais redes decidiam transmiti-las, aquilo se mostrou uma alegre e viciante descoberta. Porém, isso não foi o suficiente para colocar a CNN no mapa das comunicações. As despesas eram tão altas, que os tetos dos cenários muitas vezes despencavam durante reportagens e jornais ao vivo. Os equipamentos baratos falhavam constantemente. Nessa época a grande maioria dos telespectadores nem sabia da existência da emissora, que chegou a ser ridicularizada pelos críticos como “Chicken Noodle Network” (algo como “Rede Canja de Galinha”), em referência ao nome de um prato típico da região de Atlanta.


Mas tudo mudou conforme a CNN melhorou seus equipamentos e recursos técnicos, além de uma série de eventos que levaram a emissora a ter uma boa audiência, como por exemplo, em 1981 quando transmitiu ao vivo os reféns americanos sendo libertados pelos iranianos; ou quando um avião da Air Florida deslizou no gelado rio Potomac em Washington em 1982; ou ainda quando o ônibus espacial Challenger literalmente explodiu sobre o estado da Flórida no dia 28 de janeiro de 1986. A CNN finalmente passava a ser conhecida como a emissora que cobria ao vivo e em tempo real acontecimentos que se desenrolavam em qualquer ponto do mundo, adiantando-se na maior parte das vezes às grandes redes de televisão. Com isso, mais e mais americanos sintonizaram a CNN e muitos descobriram uma fonte confiável de cobertura 24 horas das histórias e acontecimentos sobre os quais todos estavam falando.


A grande afirmação da CNN ocorreu na década de 1990. Isto porque, em janeiro 1991, conseguiu a incrível façanha de colocar nada menos que um quinto da população do mundo sintonizado na emissora. Isso mesmo: única emissora a transmitir ao vivo os intensos bombardeios americanos a Bagdá durante a operação militar americana chamada Tempestade no Deserto, desencadeada para derrubar o então presidente iraquiano Saddam Hussein. Com seus intrépidos correspondentes, Peter Arnett e Bernard Shaw, a CNN teve a audiência simultânea de aproximadamente 1 bilhão de pessoas em todos os fusos horários possíveis. As forças americanas forneceram à CNN imagens captadas por câmeras acopladas na cabeça de mísseis que eram disparados por aviões militares, transformando a transmissão de uma guerra devastadora em uma espécie de show televisivo. Pela primeira vez na história da TV, o mundo via a transmissão ao vivo de um conflito de grande envergadura. E a partir de então a CNN virou sinônimo de notícia com sua ampla cobertura em pleno olho do furacão, consolidando-se como uma rede global. E outro motivo para o número de telespectador aumentar consideravelmente foi a crescente popularidade da TV a cabo nos Estados Unidos nesta década.


Um dos momentos mais marcantes da emissora aconteceu no dia 11 de setembro de 2001 nos terríveis atentados terroristas contra o World Trade Center, quando as câmeras da CNN foram as primeiras a enviar as imagens impressionantes que chocaram o mundo, em um lance de rapidez que fez superar todas as expectativas de audiência e cobertura jornalística. Possuir um jornalista em todo canto do mundo para trazer as notícias o mais rápido possível para uma emissora seria impraticável. Foi pensando nisso que a CNN lançou no dia 2 de agosto de 2006 o iReport, uma iniciativa que permitia tirar vantagem da capacidade de pessoas comuns gerarem notícias. Pouco depois, em março de 2008, a rede social com o mesmo nome foi ao ar, permitindo à audiência publicar conteúdo (vídeo, fotos, áudios e textos) assim que os fatos ocorressem. Ao longo dos anos, a CNN revolucionou a cobertura jornalística e testemunhou momentos históricos que marcaram a passagem do milênio. Fruto do sucesso expandiu-se em inúmeros novos canais e diversas plataformas como rádio, internet e comunicação móvel. Apesar da CNN INTERNATIONAL passar por um reposicionamento, que contou com o lançamento de seis novos programas em 2009; e a abertura de um novo e moderno centro de produção em Abu Dabi nos Emirados Árabes Unidos, a essa altura a CNN já era sinônimo de notícias e acontecimentos em tempo real.


Nos últimos anos a CNN investiu pesado em outras plataformas, como por exemplo, disponibilizar através de dispositivos móveis seu vasto conteúdo, sendo possível ler notícias atualizadas minuto a minuto com fotos coloridas, assistir ao vivo, transmitir vídeos e receber alertas de texto da CNN Breaking News. Além disso, lançou novos serviços como o CNNgo (introduzido em 2014), uma plataforma de streaming onde é possível assistir programas ao vivo, episódios inteiros de programas e clipes de notícias.


A linha do tempo 
1982 
Lançamento no dia 1 de janeiro da CNN HEADLINE NEWS, um canal de notícias atualizado a cada 30 minutos, mostrando o que acontecia nos Estados Unidos e no mundo. Nasceu como CNN2 e passou a adotar esse nome somente em 1984. Em 2008 o canal mudou de nome novamente para HLN e está presente em mais de 90 milhões de casas e 600 mil quartos de hotel nos Estados Unidos e Canadá. 
Lançamento da CNN RADIO em língua inglesa. Atualmente a rádio é distribuída em quase 10 países, além dos Estados Unidos. 
1985 
Lançamento no dia 1 de janeiro da CNN INTERNATIONAL, primeira televisão internacional 24 horas no ar, vista atualmente por 370 milhões de casas e hotéis em 212 países. O canal está disponível em sete línguas diferentes. 
1987 
Lançamento no dia 19 de outubro do CNN ImageSource (agora conhecido como CNN Collection), o banco de imagens e vídeos do canal americano. Atualmente é o braço de licenciamento de conteúdo da CNN Worldwide e inclui mais de 3 milhões de recursos de vídeo, incluindo imagens. Já o CNN Newsource é o recurso de coleta de notícias mais poderoso do segmento, fornecendo às organizações de notícias locais o vídeo, o texto e as fotos necessárias para produzir matérias e reportagens atraentes em todas as plataformas. Além disso, oferece distribuição de conteúdo digital 24 horas por dia, sete canais ao vivo, cobertura ao vivo das últimas notícias dos correspondentes da CNN e relatórios ao vivo sobre tópicos importantes, como política e economia. 
1992 
Lançamento no dia 20 de janeiro da CNN AIRPORT NETWORK, um canal com cobertura exclusiva dos maiores aeroportos americanos, voltado para passageiros e turistas transmitindo notícias, meteorologia e economia. A partir de 2010 o canal foi renomeado para CNN AIRPORT. Hoje em dia está disponível em mais de 2.000 áreas de embarque em 50 dos principais aeroportos americanos, atingindo mais de 469 milhões de viajantes todos os anos.
1993 
Lançamento no dia 29 de março da CNN en ESPAÑOL RADIO, uma emissora de rádio em língua espanhola lançada na Espanha e na América Latina. 
1995 
Lançamento da CNNfn, emissora que transmitia ao vivo notícias do mercado financeiro o dia todo, além de fornecer análises e debates sobre finanças e economia. Teve suas atividades encerradas no ano de 2004 em virtude da baixa audiência. Somente o site CNN MONEY (atual CNN BUSINESS), lançado em 2001, continua no ar. 
Lançamento no dia 30 de agosto do site CNN.COM, que atualmente recebe mais de 200 milhões de visitantes únicos todos os meses. Posteriormente foram introduzidas as versões: internacional em 1997; japonesa (CNN JAPANESE) em 2000; árabe (CNN ARABIC) em 2002; e mexicana (CNN MÉXICO) em 2010. O site da CNN está entre os três mais visitados da internet no segmento de notícias. 
1996 
Lançamento da CNN SPORTS ILLUSTRATED, um canal que continha somente programação esportiva em parceria com a renomada revista Sports Illustrated. O canal foi desativado em 2002 por causa da forte concorrência da ESPNEWS e National Sports Report. 
1997 
Lançamento da CNN en ESPAÑOL, um canal que estreou no dia 17 de março oferecendo notícias e informações em língua espanhola, com foco em um seleto público cujo idioma principal é o espanhol. Foi a primeira rede independente da CNN produzida com 24 horas de notícias em um idioma que não o inglês, sendo atualmente vista em mais de 40 milhões de casas na América Latina e por uma audiência de 7.4 milhões nos Estados Unidos e Porto Rico. 
1999 
Lançamento no dia 11 de outubro da CNN TÜRK, versão turca do canal mais popular do mundo, transmitida exclusivamente na Turquia. Atualmente atinge mais de 13 milhões de lares. 
Lançamento no dia 27 de janeiro do CNN+ (ou CNN Plus) na Espanha, uma sociedade entre a Sogecable e a Turner Broadcasting. O canal encerrou suas atividades em 2010. 
Lançamento do CNN MOBILE, primeiro serviço a disponibilizar notícias via telefone celular e, posteriormente, dispositivos móveis. 
2002 
Lançamento no dia 19 de janeiro do site de notícias CNN ARABIC. Escrito em árabe, o site fornece notícias internacionais através de uma perspectiva árabe, com atualizações contínuas sobre os desenvolvimentos regionais e internacionais. 
2003 
Lançamento no dia 1 de março da CNNJ, canal que transmite notícias exclusivamente para o Japão. Atualmente o canal, com programação de 18 horas em inglês com serviço de tradução em japonês, está disponível em mais de 6.6 milhões de casas e hotéis. 
2005 
Lançamento da CNN PIPELINE, que estreou no dia 5 de dezembro transmitindo 24 horas de notícias pela internet. O serviço pago foi encerrado em junho de 2007. 
Lançamento no dia 16 de dezembro da CNN-IBN (Cable News Network-Indian Broadcasting Network), um canal que transmite notícias em inglês para a Índia. O canal, agora chamado CNN-News18, está presente em mais de 45 milhões de residências. 
2007 
Lançamento no dia 1 de setembro do CNN HD, canal que transmite a programação normal da emissora em alta definição. 
2008 
Lançamento no dia 4 de dezembro da CNN CHILE, canal baseado na cidade de Santiago que transmite programação exclusiva para o país. 
2012 
Formação da CNN FILMS, uma divisão para produção e distribuição de documentários para televisão. 
2015 
Lançamento da CNN PHILIPPINES, um canal local para a Filipinas. 
Lançamento da CNN INDONESIA, um canal local para a Indonésia. 
2017 
Lançamento da CNN TRAVEL, um canal multimídia abastecido por uma equipe global de mais de 800 colaboradores em todo o mundo, com dicas de viagem (incluindo restaurantes, hotéis, compras, atrações, pontos turísticos, entre outros), relatadas através de histórias fascinantes, experiências de vídeo e fotos fantásticas.


A imponente sede 
O CNN Center, enorme edifício localizado na cidade de Atlanta, próximo ao Centennial Olympic Park (parque olímpico), é a sede mundial da emissora de televisão e também onde está localizado seu principal estúdio. Construído em 1976, o complexo foi ocupado pela CNN somente no dia 13 de julho de 1987. O prédio ainda abriga um grande átrio, o sofisticado hotel Omni, algumas lojas (incluindo a CNN STORE, que vende artigos interessantes e lembranças relacionadas ao canal de TV, como camisetas, canecas e bonés) e uma enorme praça de alimentação com mais de 15 restaurantes e cafés. Além disso, diversos artefatos usados durante as transmissões históricas da CNN, como um jipe modificado da guerra do golfo, estão expostos pelo prédio.


É possível fazer uma visita guiada (batizada de CNN Inside Tour), com 55 minutos de duração e ao custo de US$ 16, pelos estúdios da emissora conhecendo as principais tecnologias utilizadas em suas transmissões e boletins meteorológicos, os estúdios onde são gravados programas consagrados, a redação principal (que funciona 24 horas por dia, sete dias por semana, com uma equipe de 150 pessoas), a sala de controle (considerada o centro vital das transmissões da CNN) e os principais segredos de seu sucesso em passar informações em tempo real e de forma realista. É possível ver roteiristas, pesquisadores e equipes de estúdios realizarem seus trabalhos. Os visitantes são separados dos profissionais por janelas de vidro. O complexo é ligado ao ginásio State Farm Arena, a casa do time de basquete da NBA Atlanta Hawks. O edifício possui a maior escada rolante em vão livre do mundo, com 60 metros de altura e oito andares, localizada na área central do prédio, de onde é possível avistar o famoso Globo da CNN e as janelas dos escritórios da emissora.


Presença global 
A rede CNN mantém mais de 35 Bureau (como são conhecidos seus escritórios e sedes) em muitas cidades espalhadas pelos seis continentes. Nos Estados Unidos, além de sua sede mundial em Atlanta, possui escritórios importantes nas cidades de Chicago, Dallas, Denver, Los Angeles, Miami, Nova York, San Francisco e Washington, D.C. Vários outros escritórios estão espalhados pelo mundo: 
● Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos (sede para o Oriente Médio) 
● Amã, Jordânia 
● Bangkok, Tailândia 
● Beijing, China 
● Beirute, Líbano 
● Berlim, Alemanha 
● Buenos Aires, Argentina 
● Cairo, Egito 
● Dubai, Emirados Árabes Unidos 
● Havana, Cuba 
● Hong Kong, China (sede para a Ásia) 
● Islamabad, Paquistão 
● Istambul, Turquia 
● Jerusalém, Israel 
● Johanesburgo, África do Sul 
● Cabul, Afeganistão 
● Lagos, Nigéria 
● Londres, Inglaterra (sede para a Europa) 
● México City, México 
● Moscou, Rússia 
● Nairóbi, Quênia 
● Nova Déli, Índia 
● Paris, França 
● Roma, Itália 
● Santiago, Chile 
● Seul, Coréia do Sul 
● Tóquio, Japão


A evolução visual 
O tradicional logotipo da CNN passou por pequenas atualizações ao longo da história. Originalmente em preto, a partir de 1984 passou a ser aplicado também na cor vermelha. Em 2014 o vermelho ganhou um tom mais escuro.


A identidade visual da CNN INTERNATIONAL também passou por algumas modificações ao longo dos anos. Depois de passar por uma pequena remodelação em 1992, três anos mais tarde em 1995 a palavra “international” foi retirada do logotipo. Além disso, adotou como símbolo um globo terrestre, posicionado ao lado direito do nome. Depois de passar por uma remodelação em 2006, a CNN apresentou em 2009 um novo logotipo e slogan de seu canal internacional, conhecido como CNNi, durante a estreia do seu novo programa de entrevistas global “Amanpour”, transmitido ao vivo de Nova York. Com o slogan “Go Beyond Borders” (“Muito além das fronteiras”, em português), o canal fazia referência ao interesse da rede de colocar o telespectador em contato com as notícias ao redor do mundo, onde ela ocorrer. Em 2014, o logotipo foi unificado com o da CNN americana, adotando assim uma identidade igual no mundo inteiro.


Além disso, outros canais da marca também passaram por reformulações em suas identidades visuais, como, por exemplo, o CNN en Español, que ao ser relançado, em 2010, com novos programas, apresentadores e slogan (“Vive la noticia”), adotou um novo logotipo, que manteve a icônica cor vermelha, porém com um til sobre as duas letras “N”, um símbolo que sugeria movimento, a natureza dinâmica das notícias, sendo uma referência ao idioma que une sua audiência. O CNN Airport também adotou uma nova identidade em 2010.


Os slogans 
Facts first. (2017) 
Go there. (2014) 
This is CNN. (2013) 
Go Beyond Borders. (2009) 
Be the first to know. (2001) 
The Most Trusted Name in News. 
The Worldwide Leader in News. 
The World’s news leader. 
Allá vamos. (CNN en Español) 
Vive la noticia. (CNN en Español) 
Reporting from around the world. 
Whatever it takes. (CNN-IBN) 
News that hits home. (HLN)


Dados corporativos 
● Origem: Estados Unidos 
● Fundação: 1 de junho de 1980 
● Fundador: Ted Turner e Reese Schonfeld 
● Sede mundial: Atlanta, Geórgia, Estados Unidos 
● Proprietário da marca: Turner Broadcasting System Inc. 
● Capital aberto: Não (subsidiária da Warner Media LLC) 
● Presidente: Jeff Zucker 
● Faturamento: US$ 1.7 bilhões (estimado) 
● Lucro: Não divulgado 
● Presença global: 200 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 4.000 
● Segmento: Mídia 
● Principais produtos: Canais de notícias, rádios, publicações e sites de notícias 
● Concorrentes diretos: Fox News, BBC, Reuters, MSNBC, Al Jazeera e The Huffington Post 
● Slogan: Facts first. 
● Website: www.cnn.com 

A marca no mundo
Mundialmente a CNN está disponível para aproximadamente 2 bilhões de pessoas em mais de 200 países e territórios por meio de 38 satélites. Somente nos Estados Unidos está disponível em mais de 96 milhões de lares e em mais de 890 mil quartos de hotéis. No mundo, a CNN está disponível em mais de 370 milhões de casas. A rede opera mais de 35 escritórios (Bureau) mundiais, além de contar com 4.000 funcionários. Desde o seu lançamento a CNN cresceu cada vez mais. Hoje, já são mais de 1.000 afiliadas locais, rádios, mais de 12 websites e vários canais de TV a cabo e via satélite. 

Você sabia? 
A CNN é a rede de notícias número 1 do mundo, com 9 dos 10 mais bem classificados programas de notícias na televisão à cabo americana. Atualmente, CNN é o canal de notícias mais visto dos Estados Unidos superando o Fox News. 
Até 1981, a CNN focava as notícias nacionais. Esta característica mudou depois que Ted Turner fez uma visita ao ditador cubano Fidel Castro. Ele lhe confidenciou que assistia a CNN porque captava um sinal do sul da Flórida e sugeriu que a rede fosse transmitida para todo o mundo. Turner acabou convencendo Fidel a fazer uma façanha: gravar um comercial promocional sobre o canal. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek, Exame e Isto é Dinheiro), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 12/11/2018

3 comentários:

clebson disse...

oq mais me estranha é saber que a rede globo de televisão fatura 7,5 bilhoes por ano e eles quase 2 bilhoes só sendo que eles saum a maior teevisão do planeta ..pq hein???

Thiago disse...

o fato é que a cnn é um canal fechado!! e não produz conteúdo para venda, ex:novelas e seriados!! a globo é uma emissora aberta e que produz e vende conteúdo!! por isso seu faturamento é maior!!

Anônimo disse...

essa tv me encanta ! : )
eu amo S2 ** a " cnn americana U.S.A " a " cnn international " que e' a cnn Britanica rss a " cnn en Espanhol " da Espanha rs e a " cnn Arabi " mas nao gosto da " cnn Chile " e nem da " cnn Turkia "