6.5.06

JEEP


Lama e asfalto. Árvores e edifícios. Poluição e ar puro. Aclives e declives. Assim são compostos os “habitats” naturais da marca JEEP, inventora da categoria de automóveis Off Road (conhecidos como Fora de Estrada), sendo sinônimo de durabilidade, força e potência. Tanto em terrenos naturais como em urbanos, seus automóveis dão um verdadeiro show de maleabilidade, resistência e desempenho, atendendo as necessidades dos mais exigentes motoristas e aventureiros. 

A história 
Sua saga começou no final da década de 1930, quando as hostilidades começaram a esquentar na Europa Ocidental. No verão de 1940, o exército americano tinha a necessidade de um veículo de uso geral que substituísse as tradicionais motos com side car usadas por mensageiros, que deveria ser leve, manobrável, robusto, confiável e extremamente ágil, com capacidade de superar terrenos difíceis e obstáculos, e espaço para transportar homens e armamentos. O pedido feito para 135 fabricantes estipulava um prazo de entrega de um protótipo deste veículo em somente 49 dias e um total de 75 dias para a entrega de 70 veículos. As especificações originais do governo eram as seguintes: veículo com tração 4x4 em aço estampado de fácil fabricação; capacidade para três passageiros e metralhadora (modelo .30); peso máximo de 600 quilos (depois alterado para 625 quilos); carga útil de no mínimo 300 quilos; potência do motor de no mínimo 40 hp; velocidade máxima de no mínimo 80 km/h; entre outras características. Foi então que apenas três empresas aceitaram o desafio. A Ford, a Bantam e a Willys-Overland, trabalharam intensamente até que cada uma tivesse produzido 1.500 modelos para testes de campo. Em última análise, foi o modelo da Willys-Overland, chamado de QUAD (batizado assim por causa do sistema 4x4 que usava), que ganhou a aprovação em primeira instância (especialmente pelo baixo preço de apenas US$ 738.74), com umas poucas melhorias adaptadas dos modelos apresentados pela Ford e Bantam.


Assim, depois de muita polêmica, o JEEP começou sua jornada oficialmente no dia 23 de julho de 1941, quando a Willys-Overland, situada na cidade de Toledo, estado americano de Ohio, e fundada no início de 1900, conseguiu um contrato com o exército americano através de um pedido inicial de 16.000 veículos para produzir o Willys MB durante a Segunda Guerra Mundial. O primeiro modelo possuía grade dianteira feita com barras de aço soldadas, que mais pareciam uma grelha. Por isso, esses modelos ficaram conhecidos como “Slatt Grill” e foram fabricados 25.808 veículos, restando aproximadamente 200 unidades nos dias atuais. Não demorou muito para o veículo conquistar as tropas no campo de batalha. O famoso correspondente Ernie Pyle disse: “Eu não acho que poderíamos continuar na guerra sem o JEEP. Ele faz tudo. É como um cão fiel, tão forte como uma mula, e ágil como um cabrito. Ele carrega duas vezes mais carga do que foi projetado e vai embora”.


O veículo era usado por todos os militares americanos e grandes números foram também enviados às Forças Aliadas do Canadá, Inglaterra, Austrália e Nova Zelândia. O JEEP era tão versátil que novos usos para o veículo e suas várias partes estavam sempre sendo encontrados. O veículo serviu em todos os teatros da Segunda Guerra Mundial, atuando como suporte de metralhadoras, veículo de reconhecimento, carro de resgate, veículo da frente de batalha, transportador de munição, distribuidor de arame farpado e até táxi. Os veículos carregavam os feridos em segurança e transportavam canhões anti-tanques 37 mm para as áreas de tiro. O testemunho deste sucesso pode ser atestado pelo fato que durante o período da guerra, mais de 600.000 veículos foram produzidos. Ou pela declaração do general George C. Marshall, Chefe de Estado Maior do Exército Americano durante o conflito, que considerou o JEEP como “a maior contribuição da América à guerra moderna”. O robusto e simplório JEEP 4x4 se tornou o melhor amigo do soldado - perdendo apenas para o seu rifle. Um MB foi até condecorado com uma medalha e mandado de volta para casa.


Com o fim do conflito, a empresa começou a desenvolver uma versão para aplicação civil, que pudesse ser utilizado por famílias e principalmente na aérea da agricultura, nos árduos trabalhos em fazendas. Foi então que em agosto de 1945 a primeira versão civil, batizada de CJ2A (abreviação de Civilian Jeep) foi lançada no mercado americano ao preço de US$ 1.090. Os anúncios de lançamento proclamavam: “Uma usina de força sobre rodas”. A versão civil possuía uma porta traseira, estepe montado lateralmente, faróis maiores, limpador de pára-brisas automático, tampa do tanque de combustível externa, assentos mais confortáveis, melhores amortecedores e outros detalhes não disponíveis em seus antecessores militares. O CJ-2A foi comercializado pela Willys-Overland, como “O versátil cavalo de trabalho da fazenda”. Podia fazer o trabalho de dois cavalos de tiro pesados, operando a uma velocidade de quatro milhas por hora, dez horas por dia, sem superaquecimento do motor.


Em 1949, foi oficialmente lançado o modelo CJ3A, similar ao CJ2A, mas com uma transmissão e caixa de transferência mais robusta, além de um para-brisas inteiriço com ventilação inferior e limpadores duplos montados na parte inferior. Os proprietários da Willys-Overland já diziam, naquela época, “que o JEEP do futuro estará em constante evolução e continuará a evoluir à medida que sejam encontradas novas utilizações para ele”. Isso vem sendo comprovado, ao longo dos anos até hoje. Em abril de 1953, a Willys-Overland foi vendida para a Kaiser Motors por US$ 60 milhões. Dois anos mais tarde, a nova proprietária introduziu no mercado o modelo CJ-5, que possui o design de JEEP mais conhecido por todos e seria produzido até a década de 1980. Melhorias constantes no motor, eixos, transmissões e conforto de assento, fizeram do CJ5 um veículo ideal para o público em geral.


Em 1970, depois de duas décadas de crescimento e expansão internacional, a JEEP foi comprada pela American Motors Corporation (AMC). A primeira decisão foi dividir e separar a produção civil e militar, o que provou ser uma decisão acertada, pois, os veículos 4x4 se tornaram mais populares no mercado civil. Foi em 1974, que a marca utilizou pela primeira vez o nome “Cherokee” para o lançamento de uma versão esportiva, de duas portas, do JEEP Wagoneer, que e vinha com bancos esportivos, volante esportivo e detalhes ousados destinados aos usuários mais jovens e mais aventureiros. Em 1978, a produção total estava em 600 veículos por dia, mais de três vezes o que tinha sido alcançado no começo da década.


A JEEP começou a escrever uma nova parte em sua história em 1984 com o lançamento do veículo utilitário esportivo CHEROKEE CHIEF. Pronto, estava criada uma lenda no setor automobilístico e um ícone da marca. Somente em 1987 a montadora foi adquirida pela Chrysler Corporation, então comandada pelo lendário executivo Lee A. Iacocca. Desde então JEEP se tornou mais conhecido e respeitado dentro do segmento de veículos utilitários esportivos, muito em virtude da introdução de modelos como GRAND CHEROKEE e do jipinho WRANGLER, que nada mais é que uma espécie de “bisneto” do venerável JEEP de 1941. Enquanto cada vez mais fabricantes acrescentam novos modelos de utilitários esportivos (conhecidos em inglês pela sigla SUV – Sport Utility Vehicle) à sua linha de produtos, a JEEP ainda se destaca como a única marca americana que está produzindo veículos esportivos com tração nas quatro rodas por mais de sete décadas.


A grave crise econômica que assolou o mundo nos últimos anos foi devastadora para a marca. Sua proprietária Chrysler, à beira da falência acabou sendo adquirida pelo grupo italiano Fiat e as vendas de seu principal veículo, o JEEP GRAND CHEROKEE, no mercado americano, que em 1999 atingiu mais de 300.000 unidades, despencaram para pouco mais de 50.000 veículos em 2009. Sob o comando dos italianos foi montado um verdadeiro plano de salvação e crescimento para a marca JEEP. Com isso, a linha de veículos foi completamente remodelada com os modelos ganhando atualizações e novas versões. A marca passou a investir em mercados promissores como Brasile China. A JEEP também inaugurou novas fábricas, como por exemplo, no Brasil. Além disso, a marca apostou em um novo lançamento, o JEEP RENEGADE, um veículo utilitário esportivo compacto. O resultado de todo esse investimento pode ser visto em 2014, quando a marca vendeu mais de 1 milhão de veículos, um recorde em sua história, e se transformou em salvação para a Fiat.


A linha do tempo 
1946 
Lançamento em julho do JEEP STATION WAGON 463, primeiro modelo station wagon totalmente feito de aço dos Estados Unidos. O modelo apresentava uma pintura de três tonalidades que simulava a aparência das carrocerias “woodie” de madeira. O veículo utilitário de aço não era afetado pelo tempo, não descascava e nem fazia o barulho das carrocerias de madeira. 
1953 
Lançamento do JEEP CJ-3B, primeiro modelo com mudanças notáveis na carroceria de seu antecessor militar, incluindo capô e grade dianteira mais altos para acomodar o novo motor de 4 cilindros Hurricane F-Head, mais robusto que seu antecessor, o popular “Go Devil”. Permaneceu em produção até 1968, e um total de 155.494 unidades foram fabricadas nos Estados Unidos. 
1962 
Lançamento do JEEP WAGONEER, provavelmente o veículo mais revolucionário e o antecessor de todos os modelos da categoria. O modelo tinha o primeiro motor de 6 cilindros, além de outras inovações como a primeira caixa de velocidade automática em um veículo de tração 4x4 e a suspensão dianteira independente. O modelo foi projetado para proporcionar estilo, conforto e conveniência de carro de passeio com as vantagens da tração nas quatro rodas. O veículo foi considerado o primeiro Utility-Wagon do mundo. 
1963 
Lançamento do JEEP GLADIATOR, picape construída com base na mesma plataforma do Wagoneer, tendo inclusive a mesma frente e motor. Estava disponível em uma larga gama de versões, com diferentes tipos de área de carga e tração nas duas ou quatro rodas. As configurações disponíveis incluíam: Thriftside (caçamba estreita), Townside (caçamba grande), chassi com cabine, plataforma com estacas, veículo-guincho, ou carrocerias para camping montadas sobre chassi com entre-eixos alongados. 
1965 
Lançamento do JEEP SUPER WAGONEER, um modelo que associava requinte e elegância à tradicional polivalência dos veículos JEEP. O modelo ostentava muitas características de top de linha, incluindo: ar condicionado, tampa traseira com assistência hidráulica, freios hidráulicos assistidos, direção hidráulica, ajuste de volante em sete posições, vidros escurecidos, pintura em três tonalidades, teto de vinil, bagageiro de teto cromado, calotas de roda inteira e laterais de pneu brancas. 
1967 
Lançamento do JEEPSTER COMMANDO, primeiro veículo pequeno 4x4 com transmissão automática. 
1976 
Lançamento do CJ-7, a sétima geração do veículo original e a primeira grande alteração no design do JEEP em 20 anos. Pela primeira vez, o modelo oferecia uma capota de plástico moldado e portas de aço. 
1978 
Lançamento do JEEP WAGONEER LIMITED, que introduziu um novo conceito de luxo no segmento 4x4, trazendo equipamentos como banco de couro, ar-condicionado e rádio estéreo AM/FM. 
1980 
Lançamento do JEEP LAREDO, oferecido na linha CJ e cujo pacote típico de configuração incluía grade, para-choques, rodas e emblema do capô cromados, assim como os detalhes de acabamento. 
1984 
Lançamento do JEEP CHEROKEE, veículo que começou a moderna revolução dos utilitários esportivos no mundo, continuando a tradição JEEP de robustez e capacidade off road. Oferecia dois sistemas de tração 4x4: Command Trac (somente quando engatado) ou Selec Trac (permanente). A concorrência demorou seis anos para alcançar essa tecnologia. Foi o modelo de maior sucesso comercial da marca, fora dos Estados Unidos, e nomeado o melhor “Four Wheeler” do Ano, pela renomada revista “Four Wheel”. Até 1988, o Cherokee era o único SUV compacto que oferecia versões de duas e quatro portas. 
1986 
Lançamento do JEEP COMANCHE, uma nova geração de picape com o DNA da marca. Na verdade era uma versão picape do Cherokee. 
1987 
Lançamento do JEEP WRAGLER, um descendente direto do JEEP “original” que possuía uma linhagem muito rica, única na marca - há muito imitada, nunca igualada. Ligeiramente menor, os faróis retangulares proporcionavam um visual mais moderno ao novo veículo. O modelo se tornou um ícone da marca JEEP, mantendo sua popularidade com uma imagem jovial de alegria e liberdade. 
1993 
Lançamento do JEEP GRAND CHEROKEE, apresentado quando o presidente da Chrysler, Bob Lutz, atravessou uma janela de vidro dirigindo o novo automóvel no Salão do Automóvel de Detroit. Estava devidamente apresentando outro ícone revolucionário da marca americana. O veículo foi um sucesso mundial e conquistou dezenas de prêmios, inclusive o de “Veículo do Ano” pela revista Motor Trend. O modelo, um SUV de tamanho médio, inovou ao modernizar o lendário Sistema Quadra-Trac 4X4 e os tipos de acessórios que redefiniram o conceito de luxo no mercado de utilitários esportivos. O premiado Grand Cherokee foi rejuvenescido em 2013 com muitos novos detalhes de estilo junto com um novo motor 3.0L EcoDiesel e uma transmissão automática de oito velocidades. 
2002 
Lançamento do JEEP GRAND CHEROKEE OVERLAND, versão mais luxuosa da Grand Cherokee. Além dos detalhes cromados ao longo da carroceria, com destaque para rodas de aro 18”, essa versão apresentava molduras dos vidros, frisos laterais e capa dos retrovisores, oferecendo requintes internos de acabamento. O nome Overland é uma homenagem à antiga montadora Willys-Overland. 
Lançamento do JEEP LIBERTY, uma versão da CHEROKEE SPORT para o mercado americano. 
2003 
Lançamento do JEEP WRANGLER RUBICON, veículo mais capacitado de sua lendária história. Devia seu nome à lendária trilha de off-road na Califórnia. Este Wrangler especial foi projetado especificamente para os verdadeiros entusiastas de off-road. Era equipado com bloqueio dos diferenciais dianteiro e traseiro acionados por botão, freios a disco nas quatro rodas, revestimento de proteção no interior dos para-lamas e componentes reforçados em todo o veículo. 
2004 
Lançamento do JEEP WRANGLER UNLIMITED, versão alongada do tradicional modelo, com mais 52 cm de comprimento do que o original. Dois anos mais tarde foi introduzida a versão quatro portas com o slogan “A new species from Jeep Brand”
2006 
Lançamento do JEEP COMMANDER, um clássico em estilo e primeiro veículo da marca a oferecer três fileiras de assentos com espaço para sete passageiros. 
2007 
Lançamento do JEEP COMPASS, primeiro utilitário esportivo crossover compacto da marca JEEP. Com a mesma plataforma do Dodge Caliber, o novo modelo apresentava uma imagem a meio caminho entre um carro e um jipe. 
Lançamento do JEEP PATRIOT, utilitário esportivo compacto que proporciona liberdade, utilidade e tecnologia JEEP 4x4. É uma moderna interpretação do clássico estilo da marca, combinando o equipamento e a flexibilidade interior de um SUV (Sport Utility Vehicle) com o desempenho, economia de combustível e preço de um carro do segmento C. 
2014 
Lançamento do novo JEEP CHEROKEE, que substitui o modelo Liberty. A marca voltou ao passado e resgatou o nome Cherokee para o lançamento deste veículo com visão de futuro. O modelo redefine o segmento de médio porte com a melhor capacidade 4x4 de sua classe, uma aparência atual, excelente eficiência, versatilidade incomum e modos refinados para uso diário. 
Lançamento do JEEP RENEGADE, um veículo utilitário esportivo compacto cujo design combina pontos do robusto Wrangler com o estilo mais ousado e dinâmico da Cherokee. O Brasil foi o segundo país a produzir o jipinho (na fábrica de Goiana, em Pernambuco), depois de Itália, que o exporta inclusive para os Estados Unidos, e antes de China e Índia.


O nome 
Muitos acreditam que a palavra JEEP derive das iniciais GP, abreviatura de General Propose, veículos utilitários para realização de qualquer função. Isto porque, as letras G e P pronunciadas em inglês soam como “gee pee”. Outros ainda afirmam que o termo Jeep era utilizado pelos mecânicos do exército para designar qualquer novo veículo motorizado recebido para testes. O nome JEEP foi trazido ao público por Katherine Hillyer no jornal Washington Daily News no dia 16 de março de 1941. Foi durante uma demonstração na qual, no final, alguém da plateia perguntou a Irvin Hausmann, piloto de teste da Willys, como ele chamava aquele veículo e ele respondeu: “It’s a Jeep” (É um Jeep, em português). Até então esses veículos eram chamados por outros nomes como Bug, Blitz Buggy, Puddle Jumper, Peep ou Quad. O nome na verdade foi inspirado no personagem de histórias em quadrinhos chamado “Eugene the Jeep”, criado em 1936 pelo cartunista E. C. Segar como bicho de estimação de Olívia Palito, namorada do marinheiro Popeye. O veículo possuía características semelhantes aos do personagem, um animalzinho esperto que tinha o poder de ir e vir a toda parte (como andar pelas paredes e teto) e de resolver todos os tipos de problemas. A ligação entre o nome JEEP e 4x4 é creditada ao próprio Hausmann, que escolheu o nome para o seu veículo em 1940 durante testes para o exército americano. O nome JEEP tornou-se tão forte que, no dia 13 de junho de 1950, a Willys-Overland registrou-o como marca nos Estados Unidos e no mundo.


Campanhas que fizeram história 
O Wrangler, lançado em 1987, é o ícone da marca JEEP, mantendo sua popularidade com uma imagem jovial de alegria e liberdade. Um descendente direto do JEEP “original”, ele possui uma linhagem muito rica que é única na marca - há muito imitado, nunca igualado. E para o lançamento da nova linha 2007 na New York Auto Show, a agência de publicidade BBDO de Detroit criou uma gigantesca campanha onde o modelo, totalmente remodelado e na novíssima versão quatro portas, chamada Wrangler Unlimited, foi catalogado como uma nova espécie de inseto. Através de uma impecável direção de arte a imagem do novo Wrangler se funde com o conceito de uma nova espécie para dar vida ao inseto “four-dooricus rockcrawlerus”. Os anúncios impressos e pôsteres imitavam insetos mortos catalogados contendo o slogan “A new species from Jeep Brand” (“Uma nova espécie da marca Jeep”).


Além disso, a campanha contava também com comerciais de televisão. Clique no ícone abaixo para assistir um desses filmes.

   

A evolução visual 
O tradicional logotipo da marca JEEP sofreu algumas alterações ao longo de sua história. Depois de ganhar uma nova tipografia de letra e o símbolo da American Motors Corporation, na década de 1970, e posteriormente da Chrysler, no final dos anos de 1980, o logotipo atual da marca é simples e limpo, e pode ser aplicado em várias cores.


Os slogans 
Go anywhere, Do anything®. 
Make History. (2014, Brasil) 
The Things We Make, Make Us. (2010) 
Have fan out There. (2007) 
If it isn’t Trail Rated, it isn’t a Jeep. (2000) 
Jeep, There’s only one. (1990) 
Only in a Jeep. (1984) 
The Sun Never Sets On The Mighty Jeep. (anos de 1940)


Dados corporativos 
● Origem: Estados Unidos 
● Lançamento: 23 de julho de 1941 
● Criador: Willys-Overland 
● Sede mundial: Auburn Hills, Michigan, Estados Unidos 
● Proprietário da marca: Fiat Chrysler Automobiles N.V. 
● Capital aberto: Não 
● CEO: Mike Manley 
● Faturamento: Não divulgado 
● Lucro: Não divulgado 
● Vendas globais: 1.017.019 unidades (2014) 
● Presença global: 100 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Segmento: Automobilístico 
● Principais produtos: Veículos utilitários esportivos 
● Concorrentes diretos: Land Rover, Volkswagen, Ford, Chevrolet, Buick, Honda, Subaru e Nissan 
● Ícones: A grade frontal dos veículos 
● Slogan: Make History. 
● Website: www.jeep.com.br 

A marca no mundo 
Hoje em dia, a marca JEEP comercializa sua linha de veículos (composta por oito modelos e aproximadamente 30 versões) em mais de 100 países ao redor do mundo. Em 2014, a JEEP vendeu mais de um milhão de veículos em todo o mundo, um verdadeiro recorde em sua história. Somente o modelo JEEP GRAND CHEROKEE vendeu mais de 279 mil unidades, seguido pelo JEEP CHEROKEE com mais de 236.000 veículos e JEEP WRANGLER com mais de 234.000 unidades. Esses modelos foram responsáveis por quase 70% das vendas globais da marca. O maior mercado da JEEP é os Estados Unidos. 

Você sabia? 
Desde o lançamento do JEEP CHEROKEE em 1984, mais de 8 milhões de veículos deste modelo (em todas as versões) foram vendidos mundialmente. 
O maior símbolo da marca JEEP, sua grade frontal com sete barras verticais, no início possuía nove barras. 
O Museu de Arte Moderna de Nova York inclui um JEEP 4x4 militar em sua exposição de oito automóveis e o considera “uma das poucas expressões genuínas da arte em máquinas”. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, BusinessWeek, Exame, Época Negócios e Isto é Dinheiro), jornais (Valor Econômico e Meio Mensagem), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Mundo do Marketing) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 1/7/2015

Um comentário:

Anônimo disse...

Gosto de mais do jeep wrangler! Estou tentando comprar um jeep wrangler usado que encontrei neste site. Esta legal! A verdad, não há carro que se compare com o jeep... São carrãos!