20.6.06

CATERPILLAR


Caminhões gigantes, chamados de fora-de-estrada, com capacidade para 400 toneladas de carga e pneus com 4 metros de altura. Tratores e ceifadeiras que colhem e plantam alimentos que o planeta produz. Motoniveladoras, carregadeiras de rodas, retro-escavadeiras e escavadeiras vistas nas principais obras de infraestrutura pelo mundo afora. E todas essas máquinas possuem duas coisas em comum: a cor amarela e o nome CAT, abreviação de CATERPILLAR, marca líder no setor de máquinas pesadas para as áreas de construção civil, florestal e mineração, e que há mais de 90 anos vem colaborando com a construção da infraestrutura mundial. Afinal, seus equipamentos são criados e testados para suportar as condições mais extremas. Em um dia, suas máquinas embarcam na jornada mais gelada do planeta pela Antártica. No outro, movimentam toneladas de dejetos no maior aterro sanitário do mundo ou sobem uma geleira a caminho de uma mina de carvão. 

A história 
Enormes ceifadeiras debulhadoras, puxadas às vezes por 40 cavalos, eram um espetáculo comum nos campos de cereais da Califórnia, durante o século XIX. Os lavradores precisavam de força para puxar aquelas gigantescas máquinas, mas a força dos cavalos era insuficiente. A necessidade de mais força surgiu na idade das pitorescas “máquinas de tração”. Começava então a história da CATERPILLAR. Em 1890, os americanos Benjamin Holt e Daniel Best começaram a fazer experimentos com vários tratores a vapor utilizados em propriedades agrícolas. Trabalhando separadamente, para suas respectivas empresas, eles foram pioneiros em tratores do tipo esteira e motores à base de petróleo. Naquele tempo, os motores de tração a vapor eram enormes e não raramente acabavam atolados em solos muito macios - desatolar a máquina podia levar dias. Para aumentar a área de contato do motor de tração com o terreno, Benjamin Holt teve a ideia de substituir as rodas por esteiras.


Em 24 de novembro de 1904, o protótipo do trator de esteiras movido a vapor e projetado por Holt foi testado. Em pouco tempo, ele começou a ser usado para arar o solo ao redor de sua fábrica em Stockton, no estado da Califórnia, e foi considerado um enorme sucesso. Depois de mais alguns testes, o primeiro trator de esteira – com um novo e aprimorado conjunto de esteiras – foi enviado ao sítio da família Holt para que arasse o solo durante o inverno. Depois de mudar de alimentação a vapor para alimentação a petróleo, em 1909, seus tratores de esteira já estavam sendo literalmente “arrancados de suas mãos” pelos clientes. Logo após, em 1910, ele registrou a marca CATERPILLAR. Enquanto isso, o filho de Daniel Best, C.L. Best, fundava sua própria empresa e, em 1910, começava a fabricar tratores de pneus alimentados por petróleo. Quase imediatamente, o jovem começou a trabalhar em um trator experimental do tipo esteira. O trator de esteira “CBL” de 75 cv foi lançado no início de 1913, sendo a primeira máquina a carregar a marca registrada “Tracklayer”. Esse trator já apresentava um grande número de inovações importantes no projeto. Entre elas é possível destacar as melhorias na oscilação das esteiras, para reduzir as cargas de choque sobre a estrutura, e o motor, além da metalurgia aprimorada por todo o trator.


Com o início da Primeira Guerra Mundial, os tratores de Holt tiveram grande procura por parte das Forças Aliadas. No final do conflito, Harry H. Fair, um investidor da cidade californiana de San Francisco, que conhecia as empresas Holt Manufacturing Company, localizada em Stockton na Califórnia e que possuía boa reputação e grandes fábricas; e a C.L. Best Tractor Company, localizada em San Leandro, também na Califórnia, e que tinha melhor situação financeira e necessitava de mais espaço para expansão de suas fábricas; enxergou as vantagens de efetuar a uma fusão entre ambas. Isto ocorreu no dia 15 de abril de 1925 para formar oficialmente a Caterpillar Tractor Co. A nova empresa rapidamente iniciou a produção de dois modelos Best e outros três da Holt. No primeiro ano de operações, realizou vendas no valor de US$ 13.8 milhões. Em 1927, o trator de esteiras Modelo 20 foi o primeiro produto projetado pela nova empresa. As décadas de 1920 e 1930 trouxeram grande expansão aos mercados da construção de estradas, indústria madeireira e assentamento de oleodutos. E com isso, as máquinas da CATERPILLAR foram requisitadas com maior frequência.


Desde então, a empresa tem sido a protagonista de uma história de desenvolvimento contínuo de produtos. Três grandes inovações marcaram a história da CATERPILLAR: o lançamento da primeira motoniveladora, em 1931; a introdução do motor a diesel à linha de montagem, no trator Diesel Sixty, também em 1931; e a invenção da esteira lubrificada e hermética. O motor diesel com maior potência e menores custos de operação levou a empresa a alcançar o primeiro lugar na indústria da terraplanagem, lugar esse que mantém até os dias de hoje. Já a esteira lubrificada e hermética ajudou a reduzir os custos de manutenção do chassi. Os pinos das esteiras ficavam permanentemente revestidos com lubrificante, o que reduzia o contato entre os metais e prolongava a vida útil dos pinos e buchas. Outras melhorias realizadas com o passar dos anos incluem a troca de controles por cabos pelos comandos hidráulicos, sistemas de monitoramento computadorizados, divisores de torque, transmissões de potência por sistemas planetários, diferenciais, entre outras.


Nos anos seguintes a CATERPILLAR esteve presente em importantes e grandes obras dos Estados Unidos: em 1936, os tratores de esteiras da marca ajudaram na conclusão da construção da represa Hoover, localizada entre os estados de Nevada e Arizona; e no ano de 1937 suas máquinas ajudaram na conclusão da construção da ponte Golden Gate, que liga a cidade de San Francisco a Sausalito, na Califórnia. Com o início da Segunda Guerra Mundial, o governo americano pediu a CATERPILLAR para dedicar toda a sua estrutura à produção de tratores e motoniveladoras. As máquinas apareceram então pintadas de verde-azeitona, em substituição ao tradicional amarelo. Nesta época, a linha de produtos incluía: motoniveladoras, niveladoras de lâmina, niveladoras elevadoras, plainas e geradores. Com o fim do conflito mundial, no começo da década de 1950 foi inaugurada uma subsidiária na Inglaterra, a primeira de muitas operações no exterior criada para ajudar a gerenciar as faltas de intercâmbio, as tarifas, os controles de importação e melhor servir os clientes em todo o mundo. Em 1962 a empresa introduziu seu primeiro caminhão fora-de-estrada para uso em mineradoras, o modelo 769. No final desta década, em 1969, os motores CATERPILLAR forneceram energia e potência para a missão Apollo 11 à Lua. No ano seguinte, as vendas no exterior foram superiores as do mercado americano pela primeira vez.


A década de 1980 foi extremamente difícil para a empresa: de 1981 a 1983, a recessão mundial teve enorme impacto sobre a CATERPILLAR, custando à empresa o equivalente a US$ 1 milhão por dia e forçando-a a reduzir drasticamente os níveis de emprego. Foi então que o gigante começou seu processo de recuperação, diversificando sua linha de produtos para atender a uma variedade maior das necessidades de seus clientes (hoje em dia são aproximadamente 400 produtos oferecidos, mais que o dobro do que em 1981); iniciou um programa de modernização de fábricas no valor de US$ 1.8 bilhões para aperfeiçoar os processos de produção; descentralizou sua arcaica estrutura; e reorganizou-se em unidades de negócios responsáveis pelo retorno sobre os ativos e a satisfação do cliente. Isto foi o suficiente para a recuperação da empresa, que nos últimos anos se tornou um gigante dominante de seu setor. Passada a última crise mundial, período em que a empresa foi afetada duramente, a CATERPILLAR apostou suas fichas nos geradores e sistemas de propulsão diesel-elétricos para atender clientes dos setores marítimos e de petróleo, um investimento feito de olho especialmente nos negócios que foram criados com a exploração do pré-sal no Brasil.


Hoje em dia, no segmento da mineração, a CATERPILLAR é praticamente onipresente. Seja nas minas de carvão subterrâneas da China, nas minas de superfície de Mali ou nas areias betuminosas do Canadá, seus produtos trabalham pesado. Além disso, a empresa oferece uma ampla gama de soluções para ajudar os agricultores a melhorarem a produtividade e a eficiência visando manter as margens de lucro. Além de fornecer equipamentos agrícolas confiáveis e com menor consumo de combustível que são mais econômicos para os agricultores em termos de propriedade e de operação, a CATERPILLAR também se compromete com a segurança dos operadores, o que também ajuda a controlar os gastos com seguro. Nenhuma máquina é individualmente perfeita para cada aplicação ou condição local. Quer você precise de pás-carregadeiras, buldôzeres, escavadeiras, escrêiperes ou caminhões, o revendedor CAT pode montar o sistema certo, utilizando a maior seleção de opções de equipamentos já existente. A empresa também oferece máquinas para os setores de demolição e reciclagem de entulhos; florestal; geração de energia elétrica; indústria de resíduos; marítimo; pavimentação; terraplanagem, tubulação, entre outros.


A linha do tempo 
1931 
Criação de um grupo separado de vendas para comercializar motores a diesel para outros fabricantes de equipamentos. Este grupo foi substituído em 1953 por uma divisão de vendas e marketing separada para melhor atender às necessidades de uma ampla gama de clientes de motores. As vendas de motores são atualmente responsáveis por cerca de um terço das vendas e receitas totais da empresa. 
1941 
Lançamento do primeiro trator de rodas da marca. 
1945 
Lançamento de sua primeira escavadeira. 
1949 
A marca CAT (abreviação de CATERPILLAR) foi utilizada pela primeira vez, e posteriormente registrada, em 1952, quando começou a aparecer estampada em suas máquinas. 
1952 
Lançamento da primeira pá-carregadeira de esteira integrada. 
1972 
Lançamento da primeira escavadeira hidráulica. 
1983 
A CATERPILLAR LEASING COMPANY foi ampliada para oferecer opções de financiamento de equipamentos aos seus clientes em todo o mundo, passando a se chamar oficialmente Caterpillar Financial Services Corporation.
1985 
Lançamento de sua primeira retroescavadeira. 
1987 
Lançamento do trator CHALLENGER, em conjunto com seu sistema patenteado Mobil-trac. O sistema foi um grande avanço na direção de uma maior capacidade de tração e flutuação, menor compactação do solo e maior versatilidade para diminuir custos e aumentar a produtividade da propriedade agrícola. 
Criação da CATERPILLAR LOGISTICS SERVICES, uma subsidiária que oferecia soluções e serviços de cadeia de abastecimento à empresa mãe, e a mais de 65 outras empresas líderes em todo o mundo. A subsidiária oferece sua total capacidade de serviços a empresas nos setores de mercado que incluem peças de serviço automotivos, industriais e aeroespaciais, bens duráveis para consumidores, tecnologia, eletrônicos e logística de fabricação. 
1997 
A empresa continua a se expandir, adquirindo a Perkins Engines sediada na Inglaterra. Com a adição da alemã MaK Motoren no ano anterior, a CATERPILLAR se tornou líder mundial na fabricação de motores diesel. 
1998 
O maior caminhão de mineração de comando mecânico do mundo na época – o modelo 797 - inicia suas atividades no campo de provas da empresa no estado do Arizona. 
Apresentação de sua nova linha de equipamentos compactos para construção na CONEXPO, a maior feira de equipamentos para construção, em resposta às mudanças de necessidades dos clientes para equipamentos de construção menores e mais versáteis. 
2001 
Primeira empresa a lançar globalmente o 6 Sigma, um programa projetado para impulsionar a eficiência e eliminar desperdício, definindo falhas no processo de produção. 
2003 
A empresa se torna a primeira fabricante de motores a oferecer uma linha completa de motores diesel limpos em total conformidade e certificados pela Agência de Proteção Ambiental (EPA) dos Estados Unidos. A tecnologia revolucionária de controle de emissões da CATERPILLAR, conhecida como ACERT® (desenvolvida em 2001), é projetada para atender aos padrões EPA sem sacrificar o desempenho, a confiabilidade ou a economia de combustível. 
2008 
Lançamento do primeiro trator de esteiras de acionamento elétrico. 
2010 
Apresentação do primeiro modelo da linha completa de Caminhões Vocacionais Cat®. A primeira linha de caminhões rodoviários da empresa oferecia soluções personalizadas para diversas aplicações de trabalho, desde remoção de pedras e o transporte de lixo ao corte de madeira e o derramamento de concreto. Porém, em 2016, devido à forte concorrência no setor, a empresa encerrou a produção destes caminhões nos Estados Unidos.


O gigante 
É da CATERPILLAR o título de segundo maior caminhão do mundo (só perde para o 75710 do fabricante bielorrusso BelAZ): o CAT 797F, modelo fora-de-estrada (off-higway, em inglês) para mineração da classe ultra. E não é para menos. Só para começar, vazio, este verdadeiro titã pesa mais de 600 toneladas (623.690 kg, para ser mais exato). E não pára por aí: 7.7 metros de altura vazio (que pode passar dos 15 metros em operação), 15 metros de comprimento, 9.7 metros de largura. Capaz de transportar 400 toneladas de carga útil, graças a suas dimensões gigantescas e seu motor CAT C175-20 106 litros quad turbo charger que desenvolve 4.000 cavalos de potência e vai a 67.6 km/h (completamente carregado) – o que não é pouco, para um caminhão de mais de 600 toneladas. O CAT 797F tem transmissão eletromecânica planetária de sete velocidades com um poderoso conversor de torque que faz com que ele dê conta do recado. Além disso, o motor é controlado eletronicamente via ECM (Módulo de Controle Eletrônico), que utiliza um avançado software de administração para supervisionar, controlar e proteger a motorização via sensores eletrônicos de diagnóstico automático.


Em serviço desde 2009, para dirigir este monstro é preciso ir até a cabine de comando, que fica no lado esquerdo da plataforma de sustentação principal do caminhão. Esse trajeto é feito por meio de uma escada com 18 degraus. Para facilitar o trabalho do operador, esse caminhão é equipado com direção hidráulica. Destaque ainda para a velocidade dos cilindros de levantamento da caçamba: 25 segundos para subir e 19 segundos para descer. E tem mais. Olha só a capacidade de combustível da fera: 3.785 litros. Para se ter uma ideia, o 797F é tão grande que não pode rodar em nenhuma estrada. Ou seja, tem que ser montado no próprio local onde irá operar. E se ele tem esse tamanho todo, imagina o pneu: 4 metros de altura, sendo que cada um deles não custa menos do que US$ 42.5 mil. E o preço do CATERPILLAR 797F também é gigante: US$ 5.6 milhões. Apesar do alto preço independentemente da carga transportada, seja cobre, carvão, ouro, minério de ferro ou entulho, o 797F oferecerá o melhor custo por unidade de produção do setor.


As revendedoras 
A rede mundial de revendedores da CATERPILLAR, composta por mais de 200 concessionárias, proporciona uma vantagem competitiva, afinal os clientes tratam com pessoas que eles conhecem e confiam. Quase todos os revendedores são empresas independentes e de propriedade de pessoas locais. Muitos têm relacionamentos com seus clientes que duram há pelo menos duas gerações. Os revendedores atendem as necessidades em equipamentos, serviços e financiamento de clientes em mais de 200 países, oferecendo uma completa linha com mais de 400 tipos de máquinas e tratores. Os serviços de aluguel são oferecidos através de mais de 1.600 pontos em todo o mundo. Além disso, a empresa oferece aos seus clientes os Técnicos de Serviço de Campo, cuja experiência e as ferramentas para diagnosticar avarias rapidamente prestam serviços emergenciais. Sua primeira prioridade é manter as máquinas em constante funcionamento. Seus caminhões estão cheios de ferramentas com tecnologia de ponta e equipamentos de diagnóstico. Eles trazem programas com especificações para todas as máquinas CATERPILLAR, incluindo uma lista de peças originais, manuais de serviço e atualizações em cada máquina desde 1978 até hoje. Mas mais que todas essas ferramentas, o conhecimento que cada um traz para o trabalho mantém os equipamentos em operação.


A expansão da marca 
CATERPILLAR para ir ao trabalho, passear, jogar golfe, presentear uma filha, proteger-se do frio ou assinar um cheque. Obviamente, não se está falando de retroescavadeiras e tratores que fazem o nome da mais famosa fabricante de máquinas pesadas do mundo. Mas dos produtos promocionais e licenciados que nasceram na década de 1980 para ajudar a divulgar a sua marca, acabaram virando uma grife de prestígio. O primeiro brinde foi uma bota. Para fazer algo bonito, a empresa pediu ao fornecedor que desenvolvesse um solado que tivesse os sulcos similares aos dos pneus de seus tratores. Pediu também que fizessem uma bota que lembrasse a durabilidade e robustez de suas máquinas. O brinde foi distribuído aos motoristas e engenheiros que utilizavam suas máquinas. Mas o brinde fez muito sucesso entre os filhos deles, que gostaram do estilo das botas e passaram a ir com elas para a universidade, a usá-las em público, gerando nos colegas e amigos um forte desejo de ter um calçado igual. Desse modo, nasceu uma demanda entre os jovens americanos por esse tipo de calçado. A empresa então se viu pressionada: ou dava gratuitamente uma enorme quantidade dessas botas como brinde, ou passava a fabricar e comercializar as botas através de empresas de forma licenciada, o que acabou acontecendo. Mas a CATERPILLAR foi além e encomendou uma pesquisa de branding, onde acabou descobrindo o verdadeiro significado da marca, não apenas entre os seus clientes e usuários de seus produtos. A empresa descobriu o que realmente significava a marca para toda população americana, principalmente para as pessoas que nunca iriam comprar e nunca iriam dirigir um trator ou uma escavadeira da marca. Apesar das pessoas associarem a marca a grandes tratores e a escavadeira, ia muito além disso. A pesquisa descobriu que a marca, para o público americano, significava três atributos: FORÇA, ROBUSTEZ e DURABILIDADE.


Hoje em dia, são bonés, canetas, chaveiros, canivetes, lanternas, livros, relógios, malas, mochilas, ursos de pelúcia, telefones celulares, jogos infantis, camisetas, jaquetas, calças, camisas, veículos em miniaturas, tênis, sandálias e as cobiçadas botas todo-terreno (que é a joia da coroa e conta com mais de 60 modelos masculinos e femininos). Os calçados CAT seguem o mesmo conceito das máquinas na qualidade das matérias primas, na fabricação do produto que oferece resistência, durabilidade e alta tecnologia sem abrir mão do conforto. No mundo inteiro, existe um único licenciado para produzir as botas e os tênis da CAT. É a empresa americana Wolverine Worldwide, que desde 1994 produz a famosa linha de calçados CAT. Atualmente, CATERPILLAR é uma grife forte na Europa, nos Estados Unidos e em muitos outros países. Os produtos licenciados são vendidos em lojas próprias da marca (são mais de 200 unidades) e em espaços exclusivos dentro de grandes lojas de departamento. Sem falar, é claro, que eles geram faturamento de US$ 950 milhões ao ano para a empresa. Já no Brasil, as vendas desses artigos chegam a R$ 500 mil.


O nome 
Segundo reza a história, em 1866, um francês chamado Clément Ader, inspirado em uma máquina de locomoção por arrasto, apoiada em rolos, concebeu um mecanismo para deslocação por intermédio de uma corrente, o que resultou em um avanço por rasto contínuo semelhante ao modo de deslocamento de uma lagarta (em inglês “caterpillar”). A descoberta do princípio do sistema, por ter tido somente aplicações práticas, e o consequente merecido reconhecimento depois da invenção ter sido desenvolvida e resultado na locomoção de máquinas, acabou posteriormente com o mérito a pertencer a Benjamin Holt. E, como pioneiro do feito designado por rasto contínuo, que perdura até os dias de hoje e continua a existir com a mesma concepção original, figuram Benjamin Holt e Daniel Best, os quais se encontram na origem das raízes da fundação da CATERPILLAR - e, daí, com toda a justiça, o nome “caterpillar” significar na língua original inglesa “lagarta”.


A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por inúmeras remodelações, algumas radicais, no decorrer dos anos. O logotipo original (em vermelho) representava o movimento de uma lagarta. Em 1931 foi adotada uma nova tipografia de letra e, no ano seguinte, a cor preta. Depois de passar por outras remodelações, em 1967 o logotipo passou a conter um C como símbolo. A atual identidade visual da marca foi adotada em 1989.


A marca também utiliza a abreviação CAT como identidade visual, aplicada em suas máquinas e principalmente nos produtos licenciados.


Os slogans 
Cat is Built For It. (2014) 
Today’s work. Tomorrow’s world. (2005) 
The difference counts. (2005) 
Get an edge. (2001) 
Construída para fazer. (Brasil)


Dados corporativos 
● Origem: Estados Unidos 
● Fundação: 15 de abril de 1925 
● Fundador: C.L. Best e Benjamin Holt 
● Sede mundial: Deerfield, Illinois, Estados Unidos 
● Proprietário da marca: Caterpillar Inc. 
● Capital aberto: Sim 
● Chairman & CEO: Jim Umpleby 
● Faturamento: US$ 45.4 bilhões (2017) 
● Lucro: US$ 754 milhões (2017) 
● Valor de mercado: US$ 87.2 bilhões (março/2018) 
● Valor da marca: US$ 4.868 bilhões (2017) 
● Presença global: 200 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 98.400 
● Segmentos: Agricultura e construção civil 
● Principais produtos: Máquinas agrícolas, veículos pesados e equipamentos para construção civil 
● Concorrentes diretos: John Deere, New Holland, Hitachi, Belaz, Komatsu, Liebherr, Massey Ferguson, Kubota, Komatsu e JCB 
● Ícones: Os tratores e caminhões amarelos 
● Slogan: Cat is Built For It. 
● Website: www.cat.com/pt_BR.html 

O valor 
Segundo a consultoria britânica Interbrand, somente a marca CATERPILLAR está avaliada em US$ 4.868 bilhões, ocupando a posição de número 89 no ranking das marcas mais valiosas do mundo. A empresa também ocupa a posição de número 74 no ranking da revista FORTUNE 500 de 2017 (empresas de maior faturamento no mercado americano). 

A marca no Brasil 
A presença da CATERPILLAR no Brasil começou em 1954 com um armazém, no bairro da Lapa, para comercialização, fabricação e estocagem de peças e componentes. No ano seguinte a empresa realizou seu segundo investimento fora dos Estados Unidos, comprando uma área de 164.000 m² na cidade de São Paulo e lá instalou sua fábrica, que começou a produzir em 1960. A primeira máquina produzida foi a motoniveladora 12E. Em 1976, inaugurou uma segunda fábrica em Piracicaba, no interior de São Paulo. Como líder do setor em vendas domésticas e de exportação de equipamentos de terraplenagem, a empresa produz atualmente mais de 40 modelos de máquinas que incluem entre escavadeiras hidráulicas, compactadores, carregadeiras de rodas, motoniveladoras, retroescavadeiras e tratores de esteiras, além de ferramentas e acessórios especiais para seus equipamentos. Em outubro de 2001, a empresa ingressou no mercado de energia, com a produção de geradores. Todos estes produtos são exportados para mais de 160 países. Hoje, a subsidiária brasileira emprega 5.000 pessoas e se classifica entre as 20 maiores empresas exportadoras do país. Além disso, a CATERPILLAR tem contribuído ativamente para o desenvolvimento do país, investindo e participando na construção de obras de grande escala, como usinas hidrelétricas, rodovias, ferrovias e aeroportos, assim como em projetos de florestas sustentáveis, mineração, agricultura e geração de energia.


A marca no mundo 
A CATERPILLAR, líder do setor de máquinas para as áreas de construção civil, florestal e mineração, tem mais de 110 fábricas espalhadas por 24 países ao redor do mundo, comercializando seus produtos em 200 países e faturando mais de US$ 45 bilhões em 2017. A área de veículos industriais é a divisão mais conhecida da empresa, mas está longe de ser a única estrela do grupo. Silenciosamente, a CATERPILLAR invadiu o setor elétrico com a divisão de geradores de energia. Em 2017 a empresa, que emprega mais de 98.000 pessoas, investiu US$ 1.9 bilhões em pesquisa e desenvolvimentos de novos produtos. O histórico da CATERPILLAR envolve tudo sobre como criar, construir, resolver problemas, inovar, testar, fazer manutenção e melhorar. 

Você sabia? 
Foi somente em 1931 que a CATERPILLAR mudou a cor da pintura padrão de suas máquinas de cinza com acabamento vermelho para “Hi-Way Yellow” (amarelo) com acabamento preto. Em 1979, a marca interrompeu o uso dessa pintura e adotou uma nova cor, a “Caterpillar Yellow”
A empresa oferece o Cat Connect, que faz uso inteligente da tecnologia e serviços para melhorar a eficiência do local de trabalho. Utilizando dados das máquinas equipadas com tecnologia, é possível obter mais informações sobre o equipamento e operações do que nunca antes. 
O trator modelo D9, introduzido em 1954, tem sido adaptado para uso militar especialmente pelas Forças de Defesa de Israel. Estes equipamentos são utilizados para destruição de residências e limpeza de terreno mesmo sob ataque de pedras e armas. Apesar de Israel ver esta medida como defesa os danos que ela tem causado aos palestinos tem gerado enorme controvérsia. Por isso, em 7 de fevereiro de 2006 a igreja da Inglaterra decidiu se desfazer de aproximadamente US$ 2.2 bilhões em ações da empresa. Esta ação foi vista como forma de se afastar das alegações que o exército de Israel utiliza as escavadoras da CATERPILLAR para destruição de residências palestinas. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek, Isto é Dinheiro e Exame), jornais (Valor Econômico, Folha e Estadão), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers). 

Última atualização em 29/3/2018

16 comentários:

Anônimo disse...

Parabens pelas informacoes !!! Gostei muito.

Anônimo disse...

Também gostei muito,estou fazendo um trabalho da faculdade sobre a Caterpillar e essas informações me ajudaram muito...

Anônimo disse...

Adorei mesmo, meu pai trabalha nessa fabrica e ele disse qe ela é a industria qe mais vende motores, retroescavadeira etc.

Joacir disse...

Muito bom o seu trabalho, mostra que você também é um fã da Cat.

Eu alem de ser um fã incondicional sou um vendedor desta marca aqui no Sul do Brasil - SC e tambem um colicionador das miniaturas.

Sds

Joacir.

Anônimo disse...

OLA , MEU NOME É ANGELO
EU SOU MECANICO HA 15 ANOS,
SOU FÃ DA CATERPILLAR TRABALHO COM ESSAS MAQUINAS HA MUITO TEMPO GOSTEI DE VER A MATERIA SOBRE O CAMINHÃO FORA DE ESTRADA 797 B
GOSTARIA DE RECEBER MAIS DETALHES DESSE EQUIPAMENTO E OUTROS NO MEU E-MAIL : alyamankau@hotmail.com
obrigado

djdown disse...

Joacir vove poderia me informar um site onde consigo miniaturas do 797b.


obrigado.

Anônimo disse...

puxa, eu sempre admirei as máquinas da Cat, fiquei chateada de saber que eles vendem para o estado de israel oprimir os palestinos!!! : (

cobraguimaraes@hotmail.com disse...

sou fan n 1 da marca e gostei
muito das informacoes. a cat poderia desenvolver uma colhedora de cana para termos mais opcoes no mercado

José Santana disse...

Muito bom os comentários trabalho em revendedora no Rio mais de 20 anos tinha informações que eu desconhecia quanto ao fabricante.

betrono alves soares disse...

eu sou fã deste quando me emtendo no mundo.meu pai falava muito em motoniverladora 120B e motoscrepe e eu ja admirava cada equipamento caterpillar. tenho 40 anos hoje tem hora que eu penso que o meu sangue e amarelo mas o equipamento da CAT que eu admiro muito hoje e a motoniverladora seri M. e mas conpleta. eu tive a portunidade de trabalhar com fora de estrada 775 771 depos que conheso o SIS e o CAT ET admiro muito o motores eletronico. prisipamente o de 6 e 12 cilidro.

Anônimo disse...

trabalhei muito em volta destas maquinas e sao realmente incriveis!
o simbolo da CAT faz jus para quem conheçe estas maquinas admiro muito os tratores d6,8,9,11

Wellington Monteiro disse...

Parabéns... Gostei bastante.

Jose Livramento disse...

Fsntastico oque se pode conseguir com competencia e meios para utiliza-la

Anônimo disse...

Gostei muito pois sou fa da caterpillar parabéns

Anônimo disse...

Meu nome é Mauro Nogueira, sou aposentado Trabalhei na Metal Leve na unidade de Santo Amaro fabricando Pistões para toda linha de motores Caterpila, fiz esse comentário por que admiro muito as maquinas Caterpila, trabalhei 15 anos com ela fico feliz por isso.

Jucileide disse...

Parabéns pelas informações estou fazendo um trabalho sobre a CaterPillar e me auxiliou muito