27.1.10

RIEDEL

Para quem gosta de um bom vinho, a busca por taças apropriadas faz toda diferença na hora de apreciar o “néctar dos deuses”. Por isso, as taças da austríaca RIEDEL são vistas por enólogos como as mais perfeitas para apreciar as boas safras de vinhos. Considerada a “Rolls-Royce” das taças, elas fazem história, já que são desenvolvidas por profissionais que passam por treinamentos de, no mínimo, 20 anos. Tudo isso para chegar ao formato e composição ideais de cada peça. O cuidado é tanto, que no segmento, essas taças são consideradas uma obra de arte.
-
A história
A história da tradicional fabricante começou com Johann Christoph Riedel, nascido em 1673, que viajava por países da Europa como Portugal e Espanha comercializando objetos em cristais e vidros. Em 1723 ele foi assassinado quando retornava de uma viagem onde tinha ido negociar vidros, e Johann Carl Riedel, 2ª geração da família, deu continuidade a arte de fabricação de objetos em vidro e cristal abrindo uma pequena fábrica na região norte da Bohemia, onde hoje estão localizados a República Checa e a Polônia. Durantes os próximos dois séculos, o sobrenome RIEDEL estaria associado a arte de fabricar finos objetos em vidros. Johann Leopold, neto do fundador, provou ser um empreendedor nato e conduziu a RIEDEL para as linhas do que seria a empresa nos dias de hoje. Depois de sua morte, seu filho, Anton Leopold, 4ª geração da família, continuou a tradição dos Riedel na arte de fabricar vidros. Sob seu comando, a pequena e familiar empresa experimentou novos métodos de fabricação do vidro, além de novas formas de distribuição.
-
-
Com sua morte em 1821, seu filho, Franz Xaver Anton, guiou a empresa para mais uma nova fase de crescimento. Combinando uma rara mistura de talento artístico e administrativo, ele conduziu a empresa para a era da produção industrial. Neste período, a demanda por objetos finos e jóias em vidro era muito alta, e rapidamente a empresa estava produzindo em sua capacidade total. A melhor qualidade do vidro e o desenvolvimento de cores novas tais como o vidro de urânio amarelo e verde colocou definitivamente a RIEDEL na ponta da indústria deste segmento.
-
-
A 6ª geração da família, comandada por Josef Riedel e que assumiu os negócios em 1844, expandiu a empresa com aquisições de outras fabricantes de vidros. Com a ajuda de seus quatro filhos, ele introduziu novos métodos de fabricação, como as fornalhas a gás. Chamado de “O Rei do Vidro”, Josef não parou de trabalhar até sua morte em 1894, quando seu filho Josef Junior assumiu o comando. Apesar da maneira diferente de conduzir a empresa em relação a seu pai, ele mostrou o mesmo prazer e amor na fabricação de objetos em vidro, além de uma grande criatividade para inovação, criando novos métodos de produção que revolucionariam o segmento. Com sua morte em 1924, Walter Riedel assumiu a empresa em um difícil período no qual o mundo vivia, onde a grande depressão americana e a crise econômica limitaram o crescimento.
-
-
Com a invasão russa da região na Segunda Guerra Mundial, a RIEDEL teve que praticamente fechar as portas em maio de 1945. Com o fim da guerra, na década de 50, Claus Riedel praticamente reconstruiu a empresa, começando do zero com a ajuda da família Swarovksi, uma das principais e mais renomadas produtoras de cristais do mundo. Sob seu comando, agora com a empresa fixada definitivamente na Áustria, ele deu prosseguimento a arte da família na fabricação de objetos em vidro. Com a construção de uma nova fábrica, localizada no pequeno vilarejo de Kufstein, próximo a Innsbruck, a empresa retomou a produção e arte de fabricar verdadeiras obras-primas em vidro. Mas, com uma grande diferença: agora a RIEDEL era especialista na arte de fabricar taças para vinho.
-
-
Em 1957, começou a estudar e pesquisar a correlação entre cada uma das características do vinho e o formato e tamanho das taças. Descobriu que formato, tamanho e material das taças influenciavam diretamente na percepção das qualidades da bebida. Cada tipo de vinho exigia uma taça diferente, mais alta, mais baixa, bocal maior, bocal menor, e tudo isso influenciava no aroma e no sabor na hora de apreciar um vinho. No ano seguinte, criou a taça Sommeliers Burgundy Grand Cru, considerada a maior do mundo na época. No catálogo de 1961, Claus mostrava pela primeira vez sua visão em fabricar taças feitas especialmente para realçar os estilos específicos de diferentes tipos de vinhos. Além de um formato específico para cada tipo de vinho, que concentra em maior ou menor escala os aromas da bebida, cada taça tinha outra característica singular: despejava o líquido em pontos diferentes da língua, tentando realçar as qualidades (ou mascarar fraquezas) do vinho a que se destinava.
-
-
Com o lançamento da linha Sommeliers, taças de vinhos feitas artesanalmente em dez tamanhos diferentes, em 1973, ele revolucionou o segmento e o universo do vinho no mundo inteiro. Ao longo dos anos nomes como os dos produtores Christian Moueix e Robert Mondavi, e as publicações Wine Advocate, Wine Spectator e a Decanter Magazine, contribuíram para que a RIEDEL alcançasse o status de luxo em seu segmento. Afinal, o motivo desta veneração está no modo como as peças são produzidas. O bojo, a haste e a base respeitam medidas milimétricas. Georg Riedel, 10ª geração da família, assumiu a empresa no final da década de 80 e deu continuidade a “teoria de Claus” em produzir taças específicas para cada tipo de vinho. Além disso, em sua gestão a RIEDEL conheceu uma enorme explosão em seu crescimento internacional, exportando seus produtos para muitos países.
-
-
Em 2004, a empresa comprou a F.X. Nachtmann AG e se tornou uma das maiores e mais especializadas fabricantes de cristais e taças do mundo. Neste mesmo ano a RIEDEL lançou no mercado o copo “O”, especialmente desenvolvido para o consumo de saquê; além da primeira coleção de xícaras de café feitas de vidro. Uma das mais recentes novidades da marca é a Blind Blind Tasting Glass, uma taça negra usada na degustação às cegas, aquela na qual a pessoa prova o vinho sem saber qual é o tipo ou o rótulo. Com a nova taça, os sentidos dos degustadores tendem a ser mais apurados.
-
-
Atualmente as taças da RIEDEL são consideradas as melhores por vários conhecedores experientes do mundo. O formato de cada taça é desenhado para direcionar o fluxo do líquido para a zona correta da língua, a “zona do paladar”, assegurando uma prova perfeitamente balanceada. Essa brilhante inovação deu uma nova dimensão ao prazer dos apreciadores de vinho. Para apreciar plenamente os diferentes tipos de castas e as características individuais do vinho, é essencial que a taça tenha um formato adequado ao seu uso. “O conteúdo determina a forma”. Esta é a célebre frase que acompanha o trabalho e o sucesso da marca RIEDEL.
-
-
A marca da garantia
A assinatura em cada taça produzida pela RIEDEL auxilia os consumidores a distinguirem as peças feitas a mão e artesanalmente (1) ou confeccionadas a máquina (2).
-
-
Dados corporativos
● Origem: Áustria
● Fundação: 1756
● Fundador: Johann Christoph Riedel
● Sede mundial: Kufstein, Áustria
● Proprietário da marca:
Riedel Glas Austria
● Capital aberto: Não
● Chairman & CEO: Georg Riedel
● Presidente: Maximilian J. Riedel
● Faturamento: US$ 500 milhões (estimado)
● Lucro: Não divulgado
● Fábricas: 1
● Presença global: 100 países
● Presença no Brasil:
Sim
● Funcionários:
1.900
● Segmento: Vidros e cristais
● Principais produtos: Taças para vinhos e saquês, xícaras de café e objetos em vidro
● Ícones: O design das taças
● Website:
www.riedel.com
-
A marca no mundo
A RIEDEL, que possui mais de 1.900 funcionários, comercializa sua linha de produtos, composta além das famosas taças por acessórios como decantadores de vinhos e xícaras para café, em mais de 100 países ao redor do mundo. A fábrica, situada em Kufstein, na Áustria, produz atualmente cerca de 6 milhões de peças de vidro por ano. A RIEDEL já desenvolveu mais de 400 coleções diferentes para tornar marcantes as melhores características de vinhos distintos.
-
Você sabia?
Para se ter uma idéia do prestígio da marca, alguns exemplares RIEDEL (para ser mais exato 126 taças) estão expostos no Museu de Arte Moderna de Nova Iorque.
Confeccionada artesanalmente, a taça Sommelier, a mais badalada de todas da marca austríaca, custa aproximadamente R$ 225.
-
-
As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).
-
Última atualização em 27/1/2010

4 comentários:

Ana's things disse...

Amei, muito inteligente.
Tenho uma dica escreva agora sobre o Mona vie. Vc vai gostar.
thank you

Anônimo disse...

Para um amante do vinho, como eu, foi enriquecedor a tua matéria. Sempre achei que o cristal enriquece o paladar da bebida a ser apreciada. Há pouco tempo li uma matéria não sei onde que dizia que tanto faz um copo de vidro ou uma taça de cristal para se apreciar a bebida. A diferença está no cérebro... Grato por esta matéria.

Leonor disse...

Bom dia, parabéns pelo blog, as postagens são interessantes e inteligentes, tenho aprendido bastante...

Saúde!!!

Anônimo disse...

Gostaria de saber se esse texto é de sua autoria.