28.2.10

CHLOÉ


Ela é charmosa, delicada, feminina, jovem e audaciosa. Não, ela não é nenhuma celebridade, e sim a marca francesa CHLOÉ, considerada uma das grifes favoritas do universo jovem no segmento de luxo. Hoje, beldades caem de amores por esta nova forma de elegância, assim como as estrelas de Hollywood do passado também fizeram antes delas. 

A história 
A história começou em 1952 quando Gabrielle Aghion, uma parisiense nascida em Alexandria no Egito, de beleza negra inesquecível, resolveu lançar uma marca que representasse um “prêt-à-porter de luxo” e libertasse as mulheres dos rígidos padrões da moda da época. Juntamente com seu sócio, o empresário Jacques Lenoir, ela criou a marca CHLOÉ, nome escolhido pelo caloroso apelo feminino. A grife foi responsável por introduzir o comércio de roupas prontas (o tão conhecido prêt-à-porter). Aliás, a própria Gaby, como era conhecida carinhosamente, criou um novo termo para descrever seu estilo, o “luxury prêt-à-porter” (do inglês e do francês, algo como “pronta entrega luxuosa”), pois, até então, a ideia de luxo era associada à alta costura, feita sob medida. Gaby cuidou de cada detalhe da produção de sua primeira coleção feminina, desde pregar botões a sair para fazer as vendas.


Quatro anos mais tarde, em 1956, aconteceu o desfile de estreia no famoso Café de Flore, reduto dos existencialistas e artistas da capital francesa, quando a grife apresentou peças com tecidos finos, delicadamente femininas, leves e românticas que rejeitavam a rígida formalidade da moda da década de 1950. Desde a sua criação, a marca sempre contratou para assinar suas coleções jovens estilistas talentosos como Christiana Bailly, Michèle Rosier, Maxime de la Falaise, Graziella Fontana, Tan Giudicelli, Guy Paulin e Carlos Rodriguez.


Nos anos de 1960, a CHLOÉ fez parte da geração que definiu o que viria a ser o prêt-à-porter francês, apostando em roupas jovens e modernas, com um espírito delicadamente audacioso. Principalmente depois que um jovem de 28 anos chamado Karl Lagerfeld assumiu a direção criativa da marca em 1966, e transformou a CHLOÉ na marca preferida de grandes celebridades como a ex-primeira-dama dos Estados Unidos Jackie Kennedy, a diva do canto lírico Maria Callas Maria Callas e as estrelas Brigitte Bardot e Grace Kelly. A grife inaugurou sua primeira loja própria somente em 1971 na Rua Gribeauval em Paris e lançou seu primeiro perfume em 1975. Nesta década, a marca com suas blusas românticas de gaze e longas saias, definiu o visual de uma geração. Na década de 1980, talentosos estilistas, incluindo Martine Sitbon, mantinham suas coleções em constante mudança, reiterando a capacidade de CHLOÉ ser feita para vestir na hora e para ser atemporal ao mesmo tempo.


No ano de 1985 a marca francesa foi adquirida pelo grupo Dunhill Holding (atual Richemont) e sua notoriedade mundial aumentou ainda mais. Os anos 1990 foram marcados pelo lançamento de vários perfumes de sucesso como o Narcisse (1992) e o Innocence (1996). No final desta década, já com uma imagem desgastada e antiga no universo da moda, a marca francesa resolveu dar uma enorme reviravolta apostando no rejuvenescimento de sua marca, principalmente com a estilista Stella McCartney, que a partir de 1997 assumiu a direção criativa e reinventou a marca mais uma vez com uma mistura romântica, criando uma coleção de lingerie vintage, que impulsionou a CHLOÉ para um novo nível de sucesso. Até hoje, as estampas de abacaxis da coleção do verão de 2001 são uma forte referência na história da CHLOÉ.


Com a saída da herdeira de Paul McCartney ainda em 2001, sua ex-assistente, Phoebe Philo, assumiu o comando criativo da marca. Rapidamente a jovem estilista imprimiu um toque pessoal e sensual nas coleções da CHLOÉ, que atraíram jovens celebridades como Kirsten Dunst, Natalie Portman e Lou Doillon. Em 2002, a marca lançou no mercado sua primeira coleção de bolsas, sapatos e artigos de couro. Rapidamente a bolsa Paddington, com seu inconfundível cadeado, se tornou um dos ícones da CHLOÉ e um enorme sucesso de venda no mundo inteiro.


Pouco depois, em 2004, a marca lançaria no mercado a See By Chloé, uma linha mais acessível caracterizada pelos desenhos e traços românticos, modernos e juvenis de tops, shorts, mini-saias, calças, vestidos e blusas. No dia 11 de outubro de 2006, Paulo Melim Andersson assumiu as rédeas e passou a ser o diretor artístico da marca. No ano seguinte a CHLOÉ foi a primeira marca de luxo a oferecer uma versão estilizada do iPhone através de sua loja na internet. Pouco depois, em 2008, após uma estreita colaboração no desenvolvimento de fragrâncias, Hannah MacGibbon assumiu o cargo de diretora artística, apresentando sua primeira coleção no mês de março de 2009, que apostava em tons de nude, cintura alta e capas em silhuetas sofisticadas, elegantes e fluídas.


Em 2011, a escocesa Clare Waight-Keller assumiu o cobiçado posto de diretora criativa da grife francesa, assinando as linhas de moda feminina e infantil, moda praia, lingerie, acessórios, jeans, óculos e perfumes. Clare se formou em Moda no Ravensbourne College of Art, em Londres, e iniciou sua carreira na italiana Gucci, sob a direção de Tom Ford. Em 2012, para comemorar os 60 anos da marca, a CHLOÉ inaugurou sua nova flagship na Rue Saint-Honoré, uma das mais badaladas da capital francesa, além de lançar uma coleção cápsula baseada nos 16 maiores hits da marca, criados por estilistas como a própria Gaby Aghion, Karl Lagerfeld, Stella McCartney, Phoebe Philo e Hannah MacGibbon. Pouco depois, em 2014, a marca lançou Roses Chloé, um novo perfume inspirado nas rosas.


Nesses últimos a CHLOÉ tenta atrair jovens celebridades para renovar a imagem da marca, apostando em peças casuais (embora os preços continuem nas alturas). Liv Tyler é uma das entusiastas da marca: certa vez ela comprou três pares dos jeans que têm detalhes trançados e fez aparições públicas com todos eles enquanto promovia o filme Jersey Girl. Foi um verdadeiro sucesso. Além disso, a CHLOÉ está passando por uma rápida expansão internacional com aberturas de novas lojas em importantes cidades cosmopolitas.


Dados corporativos 
● Origem: França 
● Fundação: 1952 
● Fundador: Gaby Aghion e Jacques Lenoir 
● Sede mundial: Paris, França 
● Proprietário da marca: Chloé SAS 
● Capital aberto: Não (subsidiária da Compagnie Financière Richemont S.A.) 
● CEO: Geoffroy De La Bourdonnaye 
● Diretor criativo: Clare Waight-Keller 
● Faturamento: Não divulgado 
● Lucro: Não divulgado 
● Lojas: 125 
● Presença global: 65 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 350 
● Segmento: Moda de luxo 
● Principais produtos: Moda prêt-à-porter, acessórios e perfumes 
● Concorrentes diretos: Céline, Carolina Herrera, Cacharel, Chanel, DVF, Gucci, Prada e Christian Dior 
● Ícones: A bolsa Paddington 
● Website: www.chloe.com 

A marca no mundo 
A CHLOÉ, que comercializa moda prêt-à-porter, acessórios e perfumes, possui atualmente mais de 120 lojas próprias espalhadas pelas principais cidades do mundo (Paris, Londres, Tóquio, Hong Kong, Xangai, Los Angeles, Nova York, Dubai, Marbella e Las Vegas), incluindo corners dentro de renomadas lojas de departamento como Saks, Bloomingdale’s, Neiman Marcus, Nordstrom, Harrods, Bon Marché, Harvey Nichols e Selfridges. Aproximadamente 40% da receita internacional da marca é gerada na Europa e 25% nos Estados Unidos. A CHLOÉ está presente em mais de 65 países ao redor do mundo, incluindo o Brasil. 

Você sabia? 
De acordo com seu idioma natal, o francês, o “É” de “Chloé” torna-se fechado: “clô-Ê” é a pronúncia certa. 
Em 2013, aos 92 anos, Gaby Aghion compareceu pessoalmente a uma homenagem a seu legado, na cidade de Paris, ocasião em que foi condecorada como Cavaleira da Legião de Honra da França pelo ministro da cultura, Aurélie Filippetti. Nas palavras do ministro, Gaby tirou a moda do pedestal elitista e a tornou acessível com a criação do prêt-à-porter. Gaby morreu em 27 de setembro de 2014. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, BusinessWeek, Isto é Dinheiro, Exame e View), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 25/4/2016

2 comentários:

Anônimo disse...

Marca muito boa!!! Deixo um link para um artigo que discute as mudanças que ocorreram recentemente: http://modaeluxo.com/mudancas-na-gigante-chloe.html
Abraços!

Anônimo disse...

salut moi c,est chloé la chaussure qui respire !