2.4.11

Bloomberg Businessweek

A BusinessWeek é uma importante organização de mídia empresarial que se transformou nas últimas décadas em um ícone do mundo dos negócios, proporcionando visão e análise sem paralelo a um público de líderes empresariais no mundo todo. Presença indispensável nas mesas dos principais executivos, banqueiros e nos corredores do alto escalão de governos no mundo inteiro, a revista sucumbiu à crise econômica recente, foi vendida e adotou um novo nome, Bloomberg Businessweek. Apesar deste turbilhão, a revista não perdeu seu maior ativo: a credibilidade.

A história
A história de uma das mais importantes e tradicionais revistas econômicas do mundo começou no final dos anos de 1920 quando Malcolm Muir, presidente da editora McGraw-Hill Publishing, resolveu criar a The Business Week, na época escrita assim. A revista que abordaria informações econômicas, financeira e do mundo dos negócios, teve sua primeira edição publicada no dia 7 de setembro de 1929, poucos dias antes do devastador crash da Bolsa de Valores de Nova York, que mergulhou o país em uma grave crise econômica. Inicialmente a revista abordava assuntos como marketing, mercado de trabalho, economia e administração. A nova revista foi a primeira a retratar em primeira mão o colapso do sistema financeiro americano que resultou na pior crise econômica do século XX, conhecida como a Grande Depressão. Nos anos seguintes, com opiniões e reportagens de alto nível e credibilidade, a revista se transformou em um valioso veículo de informação para grandes executivos e homens tomadores de decisões, incluindo governantes das principais nações do mundo.


Em 1984, Stephen B. Shepard, assumiu como editor chefe da revista, cargo que ocuparia por mais de vinte anos. Ele foi o responsável por atrair novos leitores, abordar novos assuntos, implantar as edições internacionais e expandir o interesse global da BusinessWeek. A revista ficou ainda mais conhecida e respeitada em 1988, quando divulgou pela primeira vez o ranking das instituições americanas com os melhores cursos de MBA. Em 1994 a revista lançou seu site na Internet, que não demorou muito para se transformar em um destacado fornecedor diário de notícias, informações e serviços empresariais essenciais a tomadores de decisões no mundo dos negócios.


Com a chegada do novo milênio, a revista começou a sentir os efeitos da transformação dos tempos modernos, enfrentando sérios problemas financeiros e perda de audiência, que culminaram em 2005, com o cancelamento das edições européias e asiáticas. Ao mesmo tempo, lançou sua edição em árabe. Em 2006, a revista iniciou a publicação anual de rankings dos cursos de graduação em administração. No ano seguinte apresentou um novo projeto gráfico. Nesta época, a revista estava lutando para se adaptar ao redemoinho de informação da Internet.


Por ironia do destino foi justamente o principal assunto abordado pela revista que faria com que a BusinessWeek fosse vendida no final de 2009 para a Bloomberg, tradicional empresa de informações financeiras fundada pelo atual prefeito de Nova York, Michael Bloomberg. Em um negócio avaliado em US$ 5 milhões, a revista que vinha amargando enormes perdas, tanto financeiras como de circulação, publicidade (o total de páginas de anúncio caiu de 6 mil no ano 2000 para menos de 1.900) e audiência, passou a se chamar oficialmente Bloomberg Businessweek. A revista permitirá à Bloomberg atingir um público diferente dos investidores profissionais que consomem seus produtos por meio do aluguel de terminais de informações de mercado. Afinal, a revista tem grande audiência entre diretores e presidentes de grandes corporações, assim como nos altos escalões do governo dos Estados Unidos. A nova fase da revista começou com um incremento de 20% no número de páginas e novas colunas que abordam ssuntos mais abrangentes.


A evolução visual
O logotipo da revista passou por algumas alterações ao longo dos anos. A mais recente ocorreu em 2010 quando o nome BLOOMBERG foi acrescentado, marcando o fim do tradicional retângulo vermelho que havia se transformado em um dos ícones da Businessweek.

Também ao longo dos anos a revista sofreu inúmeras alterações em seus projetos gráficos.


Dados corporativos
● Origem: Estados Unidos
● Lançamento: 7 de setembro de 1929
● Criador: Malcolm Muir
● Sede mundial: New York City, New York
● Proprietário da marca: Bloomberg L.P.
● Capital aberto: Não (subsidiária)
● Chairman: Norman Pearlstine
● Presidente: Paul Bascobert
● Editor chefe: Josh Tyrangiel
● Faturamento: US$ 130 milhões (estimado)
● Lucro: Não divulgado
● Assinantes: 900.000
● Leitores: 5 milhões
● Presença global: 140 países
● Presença no Brasil: Sim
● Funcionários: 350
● Segmento: Comunicação
● Principais produtos: Revista de economia e negócios
● Principais concorrentes: Forbes, The Economist e Fortune
● Ícones: O ranking de cursos de MBA

A marca no mundo
A tradicional revista Bloomberg Businessweek é líder de mercado com aproximadamente 5 milhões de leitores a cada semana em 140 países ao redor do mundo. Além disso, seu site é acessado por aproximadamente 8 milhões de pessoas. Semanalmente a revista possui tiragem superior a 920.000 exemplares no mundo inteiro.

Você sabia?
A Bloomberg Businessweek mantém edições regionais na China, Indonésia, Tailândia e Turquia, além de sua versão em árabe.


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Última atualização em 2/4/2011

Um comentário:

Raquel Pires Bijoux disse...

Olá,
Adorei o seu blog. Eu tenho uma marca de acessórios e bijuterias em Goiânia ( Raquel pires Bijoux) e por isso estou sempre atenta ao mundo da moda. Gostaria que você seguisse o meu blog, participando e deixando os seus comentários.
Abs!!
www.raquelpiresbijoux.blogspot.com