23.5.06

BRADESCO


No Brasil, em qualquer cidade, por menor que seja sempre existe um BRADESCO por perto. Considerada uma das marcas mais fortes do mercado brasileiro, o BRADESCO conseguiu fixar uma marca forte e segura perante milhões de consumidores, sempre se mantendo à frente como um banco moderno, acessível, em sintonia com o mundo contemporâneo. Além da excelência em serviços, destaca-se por ser um dos melhores gestores de recursos do mercado, com resultados construídos sobre bases sustentáveis. 

A história 
A história do banco começou no dia 10 de março de 1943, na cidade de Marília, no interior de São Paulo, quando o jovem e ambicioso Amador Aguiar, que possuía o projeto de virar banqueiro, junto com alguns amigos, adquiriu a Casa Bancária Almeida. A instituição ganhou de imediato um novo nome: Banco Brasileiro de Descontos S.A., que depois viria a ser conhecido como BRADESCO (junção das iniciais das palavras “Brasileiro” e “Descontos”). No dia da inauguração, a morte repentina do sócio escolhido para dirigir o novo negócio fez de Amador Aguiar o diretor-gerente. Ele modelou o perfil do banco como uma instituição que democratizou o acesso a serviços e produtos financeiros. Ao contrário da tendência de mercado da época, na qual eram priorizados os grandes proprietários rurais, empresários e pessoas de posses, sua estratégia inicial consistia em atrair lavradores, pequenos comerciantes, funcionários públicos e as pessoas de poucos recursos, numa demonstração de seu esforço para abranger o maior número de brasileiros.
   

Pioneirismo é a palavra chave na trajetória do BRADESCO. Os gerentes, que antes se escondiam em suas salas, foram enviados para frente das agências na área de atendimento ao público. Foi um dos primeiros bancos a estimular o uso de cheques por seus correntistas. Em vez de devolver cheques preenchidos de forma errada, o banco chamava os clientes para ensiná-los a usar o talão da forma correta. Além disso, foi pioneiro ao lançar a primeira Conta Corrente Popular e Juvenil. Em 1946, a matriz foi transferida para a capital paulista, na Rua Álvares Penteado, no centro da cidade. Suas agências passaram a receber pagamento de contas de luz e declarações de imposto de renda, uma inovação no país. Com apenas oito anos de existência, em 1951, tornou-se o maior banco privado do Brasil. Naquela década, já alcançava o norte rural do Paraná, com sete agências. Decidiu também erguer sua nova sede em Osasco, conhecida como a Cidade de Deus, cuja construção iniciou em 1953 e foi concluída seis anos mais tarde.
  

Em 1955, o BRADESCO importou as primeiras autenticadoras de caixa da Burroughs, que se tornariam padrão de mercado nas três décadas posteriores. No ano seguinte, foi criada a Fundação São Paulo de Piratininga, instituição filantrópica precursora da Fundação Bradesco, com o objetivo de levar educação gratuita às crianças, jovens e adultos carentes. O BRADESCO foi uma instituição pioneira em separar a administração das agências. A ideia era afastar os altos executivos dos problemas corriqueiros das agências. Com isso, sobraria tempo para eles se dedicarem aos grandes negócios do banco. Amador Aguiar tornou-se notável por descobrir soluções simples para problemas aparentemente complexos. Com sua visão aguçada, ele transformou o BRADESCO, já em 1959, no maior banco privado da América Latina. A década também foi marcada por um fato importante: a matriz e cinco agências foram interligadas por código Morse. A década de 1960 foi marcada pela chegada da informática ao banco. Com isso, em 1962 o BRADESCO reafirmou o seu pioneirismo, ao ser a primeira empresa da América Latina a adquirir um computador de grande porte, possibilitando o acesso a extratos diários pelos clientes, prestação de serviço inédita para a época.
   

Nesta década a inovação se estendeu também a produtos e serviços de atendimento ao cliente, como os Caixas Executivos - que facilitavam pagamentos e recebimentos - além do início da microfilmagem de cheques. Seguindo a estratégia de oferecer serviços inovadores, lançou em 1968 o Cartão de Crédito Bradesco, o primeiro do sistema bancário brasileiro. Nos anos de 1970, época do chamado “milagre econômico brasileiro”, o país registrava taxas de crescimento anuais acima de 10%. Nesse contexto, o BRADESCO atuou fortemente no segmento de crédito, principalmente no financiamento de veículos, e expandiu sua presença nacionalmente. Nessa década, o banco incorporou 17 outras instituições de crédito e, ao inaugurar duas novas unidades em 1978, uma no Oiapoque (Amapá), outra no Chuí (Rio Grande do Sul), pontos extremos do país, chegou à milésima agência. Esta década foi marcada pela implantação do débito automático de contas de água, luz e telefone para empresas; a interligação de todas as agências do banco por uma rede de telefonia particular; e o início da atuação em projetos agropecuários. Além disso, pela primeira vez, os brasileiros podiam retirar dinheiro a qualquer hora do dia ou da noite, com o SOS Bradesco.
  

Em 1981, foi constituído oficialmente a Bradesco Vida e Previdência, especializada em seguros de vida e em planos de previdência privada. Desde então, desenvolve e administra planos individuais e empresariais de aposentadoria, pensão e pecúlio, bem como seguros de vida. Pouco depois, em 1983, surgiria a Bradesco Seguros. Nos anos seguintes a Bradesco Seguros criaria uma série de produtos capazes de proteger milhões de pessoas e famílias em várias circunstâncias e em diversos segmentos, como Seguro Auto, Plano de Saúde, Dental, Capitalização, Seguros de Vida, Planos de Previdência Privada e Ramos Elementares (onde se inclui Seguro Residencial e todo o patrimônio acumulado tanto pessoa física como jurídica).
   

A década também foi marcada pelo lançamento do primeiro serviço telefônico automático de saldo, a popularização do uso do cartão magnético entre os clientes e implantação do conceito de operações em tempo real e o primeiro banco automático - o Bradesco Instantâneo Dia e Noite, no aeroporto de Congonhas. Em 1988, incorporou suas subsidiárias de financiamento imobiliário, banco de investimento e financiadora, tornando-se um banco múltiplo, além de mudar a denominação para Banco Bradesco S.A. Além disso, o BRADESCO criou suas primeiras representações internacionais com Agências em Nova York e Grand Cayman (Caribe) e um escritório em Londres, Inglaterra.
   

No início da década de 1990, todas as agências BRADESCO passaram a trabalhar online (em tempo real) e o autoatendimento se expandiu por todo o Brasil, com máquinas automáticas de saques, recolhimento de depósitos e emissão de cheques. Além disso, o banco ofereceu os primeiros cartões nacionais e internacionais da bandeira Visa (para conhecer sua história clique aqui), acesso à imagem de cheques via internet e lançou a primeira poupança com várias datas de aniversário. O sistema de Internet Banking, pioneiro no Brasil, também conquistou os clientes e passou a ser um dos mais importantes canais de atendimento, com milhões de usuários cadastrados. Foi implantado o Bradesco Mobile Banking, que permitia operações de consulta de saldos e extratos e até pagamento de algumas contas pelo celular.
   

Na primeira década do século 21, o BRADESCO reafirmou sua vocação para o varejo. Criou o Banco Postal, em parceria com os Correios. Em linha com os seus objetivos de inclusão bancária, a iniciativa viabilizou o acesso a produtos e serviços financeiros, principalmente em localidades até então desprovidas de serviços bancários. Durante a década, o BRADESCO implantou a segmentação no atendimento aos seus clientes pessoa física e jurídica. Com isso se posicionou entre os líderes em diferentes segmentos como: Prime (direcionado a clientes de alta renda do banco e que oferece uma série de produtos diferenciados), Corporate, Private e no atendimento à micro, pequenas e médias empresas. Além disso, em 2004, foi criado o BRADESCO AUTO/RE para atuar na área de seguros de automóveis e ramos elementares (seguros residenciais), que hoje está presente em 40 dos 100 maiores grupos do país como seguradora de seus patrimônios. Nos anos seguintes o banco continuou inovando, como por exemplo, ao adotar o dispositivo de biometria (Palm Secure) para abertura de contas nas agências.
   

Nos últimos anos o BRADESCO tem sofrido forte concorrência dos bancos digitais e fintechs, além de seus eternos rivais. Mas o banco reagiu à concorrência com o desenvolvimento e lançamentos de novos e inovadores serviços. Primeiro lançou o banco digital Next em 2017 para atrair um público que não se identifica com as marcas tradicionais. O banco digital oferece conta-corrente, cartão de crédito e débito, opções de investimentos, cashback, carteiras digitais e muito mais - além dos serviços grátis e ilimitados como transferências e saques. Depois, em 2018, apresentou BIA (acrônimo de Bradesco Inteligência Artificial), uma assistente virtual que além de tirar dúvidas é capaz de realizar consultas e transações bancárias. A assistente virtual foi lançada com uma agressiva campanha de publicidade com o mote “Ela ainda não sabe tudo. Mas, a cada pergunta, ela aprende com você”. E não parou por aí. O BRADESCO lançou produtos inovadores onde a tecnologia é o pilar central, como por exemplo, o pagamento por aproximação ou a carteira digital Bitz (permite efetuar e receber pagamentos e transferências, realizar recargas de celular e emitir boletos), que facilitam o dia a dia de milhões de seus clientes.
  

Nessa longa, inovadora e rica trajetória, em nenhum momento o BRADESCO perdeu de vista as legítimas expectativas de seus acionistas e investidores quanto aos resultados e muito menos a consciência de seu papel de agente do crescimento econômico do país. Um dos pilares centrais da estratégia da organização para dar sustentabilidade e impulsionar os negócios, foi desde muito cedo o uso da tecnologia da informação. Caracterizada pelo pioneirismo, possibilita aos clientes o acesso a serviços seguros, inovadores, de qualidade e de fácil utilização.
  

As inovações 
1979 
Introdução no segmento das operações bancárias dos leitores de código dos cheques (chamados “CMC-7”), sendo o primeiro no mundo a desenvolver tais sistemas. 
1981 
Lançamento do primeiro cartão magnético da América Latina, na agência da Praça Panamericana em São Paulo. Este lançamento significou nada menos que uma das bases para que no futuro o BRADESCO e outros bancos percebessem o valor da tecnologia como elemento essencial para a expansão geográfica, geradora de escala e de lucratividade. 
Instalação do primeiro terminal de operação eletrônica na agência da Praça Panamericana, em São Paulo, isto em uma época em que não havia linhas de telecomunicação para tal fim. 
1984 
Criação da BRADESCO CAPITALIZAÇÃO, cuja trajetória conquistou uma posição de destaque no mercado de capitalização, e resultou no reconhecimento de mais de 3 milhões de clientes ativos em todo o território nacional pelo alto nível dos serviços prestados. 
1985 
Instalação do primeiro terminal, para o que na época ainda se chamava “telecompras”, criando um dilema: não havia experiência no sistema bancário de como creditar numa conta e debitar em outra em tempo real. A resposta estratégica mais uma vez foi rápida, com a compra da Digilab, empresa de eletrônica e computação, que chegou a produzir mais de 40 mil terminais.  
1986 
Lançamento do serviço Telesaldo (depois conhecido como FONE FÁCIL BRADESCO). 
1998 
Lançamento do BRADESCO NET - Comércio Eletrônico, disponibilizando meios de pagamento seguros pela internet. 
2000 
Criação em outubro do BRADESCO PRIVATE BANK, que tinha como objetivo gerenciar o relacionamento entre banco e clientes com alto poder aquisitivo. 
2002 
Lançamento dos cartões com chips, microcircuito eletrônicos que armazenam uma série de informações e funções diferentes, permitindo assim a inclusão de créditos para tíquete-refeição, vale-transporte, currículo escolar e histórico médico, para citar alguns exemplos. O cartão com chip também era mais seguro, sendo mais difícil cloná-lo por causa de um sistema de proteção criptografado de números ou códigos - e exigindo o uso de uma senha. 
2003 
Criação da BRADESCO CONSÓRCIOS para oferecer cotas de consórcio acessíveis a todas as classes da sociedade. Os planos permitem aquisição de imóveis, automóveis, caminhões, tratores, implementos agrícolas e ônibus, com a segurança e tranquilidade que a marca BRADESCO proporciona. 
2008 
Lançamento do primeiro cartão de crédito confeccionado em plástico reciclado do mercado brasileiro. A matéria-prima utilizada era oriunda de garrafas PET descartadas. Com bandeira Visa, o novo cartão integrava o conjunto de produtos financeiros sustentáveis do banco e tinha o objetivo de apoiar os esforços de preservação da floresta amazônica. Parte da receita resultante da venda desses cartões era revertida para financiar as atividades da Fundação Amazonas Sustentável, uma parceria entre o governo do Estado do Amazonas e o BRADESCO. 
2009 
Em novembro, com a inauguração da agência na cidade de Novo Santo Antônio, Estado de Mato Grosso, o BRADESCO passou a manter agências em 100% dos municípios brasileiros. Foi o primeiro banco privado a realizar essa façanha.


As aquisições 
Durante sua história de sucesso o BRADESCO cresceu e se modernizou também através de fusões e aquisições de outros bancos e instituições financeiras. As mais importantes foram: 
1997 
● Em novembro adquiriu o Banco de Crédito Nacional - BCN, presente no mercado brasileiro desde 1929. 
1998 
● Aquisição do Banco do Estado da Bahia (por R$ 260 milhões), conhecido como BANEB. 
2000 
● Aquisição do BEA, Banco do Estado do Amazonas (por R$ 183 milhões). 
● Incorporou as 73 agências bancárias do Banco Boavista. 
2001 
● Aquisição do Banco Continental, tradicionalmente focado no Crédito Direto ao Consumidor. 
2002 
● Em fevereiro, através do BCN, incorporou o Banco Cidade, criado em 1965. Foram acrescentados naquele momento mais 50 mil clientes, 24 agências no Brasil, com R$ 2.1 bilhões em ativos e R$ 500 milhões em depósitos, além de R$ 740 milhões em fundos de investimento e carteiras administradas. 
● Em março, após longas negociações, adquiriu por R$ 1.36 bilhões a tradicional FINASA, uma marca do Banco Mercantil de São Paulo, fundado em 1938. Passam a ser administradas as empresas controladas pela Finasa no Brasil e exterior como a Finasa Seguradora e Finasa Crédito, Financiamento e Investimento. 
● Também foram adquiridos os ativos do Deutsche Bank Investimentos e a carteira de Crédito Direto ao Consumidor da Ford Credit. 
2003 
● Novas ações estratégias envolvendo ao mesmo tempo uma fusão parcial e mais uma aquisição: em janeiro, adquiriu as operações do Banco Bilbao Vizcaya, pertencentes ao espanhol Banco Bilbao Vizcaya Argentaria, por R$ 2.7 bilhões; e, em novembro, comprou a totalidade do capital social do Grupo Zogbi, pelo valor de R$ 650 milhões. A Zogbi atuava no segmento de financiamento, mantendo forte presença nas áreas de crédito direto ao consumidor, pessoal, cartão e veículos. 
2004 
● Aquisição do controle acionário do Banco do Estado do Maranhão S.A (BEM). 
● Uniu as marcas Finasa e Zogbi sob a bandeira FINASA, com o abandono da marca Zogbi, e também da BCN. Com essa integração, a financeira do BRADESCO passou a ter 121 filiais nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Paraná; e 28.7 mil pontos de venda no varejo de automóveis e outros tipos de comércio. 
● No fim do primeiro semestre, adquiriu as atividades de gestão de recursos do centenário grupo norte-americano JP Morgan, envolvendo a transferência de recursos administrados da ordem de R$ 7 bilhões. 
2005 
● Em dezembro adquiriu em leilão o BEC (Banco do Estado do Ceará) por R$ 700 milhões. 
2006 
● Desembolsou US$ 490 milhões para assumir as operações brasileiras da empresa de cartões de crédito American Express, especializada no nicho de cartões pessoais para pessoas de alta renda e cartões corporativos para grandes empresas. 
2009 
● Aquisição do Banco Ibi, ligado à rede varejista holandesa C&A, em um negócio de R$ 1.4 bilhões. 
2011 
● Arrematou por R$ 1.8 bilhões o Banco do Estado do Rio de Janeiro (BERJ) e com isso passou a operar por três anos, a partir de 2012 a folha de pagamento dos servidores ativos e inativos do Governo do Estado. 
2016 
● Aquisição da operação brasileira do HSBC por R$ 16 bilhões. Com isso, o BRADESCO passou a ter um ativo total de R$ 1.277 trilhões, base de depósitos de R$ 245.4 bilhões, 30.6 milhões de correntistas e 5.360 agências. 
2020 
● Aquisição do banco americano BAC Florida por US$ 500 milhões. O objetivo do negócio é ampliar a oferta de investimentos nos Estados Unidos a clientes de alta renda e de private bank, além de poder expandir negócios ligados clientes corporativos e institucionais. A aquisição trouxe 10 mil clientes, que se somam à base de 13 mil clientes de private banking do banco brasileiros.


A força da marca 
A força da marca BRADESCO será sempre sua maior vantagem competitiva. Em 2020, segundo a consultoria britânica Interbrand, a marca BRADESCO está avaliada em R$26.293 bilhões, ocupando a posição de número 2 no ranking das marcas mais valiosas do Brasil. A proposta de ajudar e facilitar a vida dos clientes a também ser completa foi sintetizada pela marca no conceito “Banco Completo”, posicionamento adotado há anos atrás na estratégia de marketing. Foram significativos os resultados obtidos com o alinhamento da comunicação institucional, dos segmentos e de produtos e serviços, como crédito, investimentos e cartões, consolidando a imagem positiva no competitivo mercado financeiro. Nesse contexto, o BRADESCO lançou o livro “120 Razões para Ser Cliente Completo”, uma materialização das qualidades e ações da organização e ferramenta para abertura de contas, relacionamento com clientes e treinamento dos funcionários. Abrangência, qualidade dos serviços, acessibilidade, variedade de opções - tudo isso e muitas outras qualidades operacionais contribuem para fazer do BRADESCO uma marca tão valorizada.
  

A fundação 
Paralelamente ao crescimento dos lucros, o BRADESCO investiu no desempenho do seu papel social, afirmando no consenso de que educar é transformar vidas e abrir caminhos. A fundação foi criada no dia 22 de novembro de 1956 com o nome de Fundação São Paulo de Piratininga e inaugurou sua primeira escola em 29 de junho de 1962, na Cidade de Deus (Osasco, SP), com 289 alunos e sete professores. Somente em 1967 seria renomeada como FUNDAÇÃO BRADESCO. A atual missão da fundação é promover a inclusão social por meio da educação e atuar como multiplicador das melhores práticas pedagógico-educacionais em meio à população brasileira socioeconomicamente desfavorecida. Hoje em dia são 40 unidades instaladas em regiões de acentuada carência socioeconômica. É a maior rede privada de ensino gratuito do país e atende mais de 90 mil alunos. Com recursos próprios e também da Organização Bradesco, a fundação oferece educação infantil, ensinos fundamental e médio, educação profissional básica e técnica e educação de jovens e adultos. Além do ensino, os alunos dos cursos regulares têm material didático, alimentação, uniforme e assistência médico/odontológica totalmente gratuitas. Desde a sua criação, proporcionou ensino gratuito e de qualidade a mais de 4 milhões de alunos.
   

A sede 
A Cidade de Deus, nomeada assim em referência à obra literária de Santo Agostinho, é um complexo onde funciona a matriz do BRADESCO. Diversos prédios abrigam a Diretoria e Departamentos do banco, em uma grande área verde. Boa parte dos equipamentos de informática responsáveis pelo processamento das operações bancárias também está localizada na sede, que comporta ainda o Museu Bradesco (inaugurado no dia 10 de março de 1983, quando o BRADESCO comemorou o 40º aniversário de sua fundação) e a primeira Escola da Fundação Bradesco. A Cidade de Deus começou a ser construída em 1953, no município de Osasco, e foi inaugurada seis anos mais tarde, em 1959. Em uma das entradas da Cidade de Deus, Amador Aguiar mandou colocar a estátua de um burro de carga como símbolo de humildade e trabalho.
   

A gigante Cidade de Deus de hoje, onde trabalham 13.000 funcionários - encravada na Vila Yara, no município de Osasco - pouco lembra àquela dos anos de 1950. A sede administrativa do BRADESCO é composta por 13 prédios administrativos, que estão distribuídos em uma área com 340 mil metros quadrados, entre jardins, bosques, árvores frutíferas, lago, campo de futebol, pista de atletismo, piscina e quadras de tênis. Em 2019, o site corporativo ganhou áreas coletivas de bem-estar - academia, spa, lavanderia, clínica, salão de beleza, praça de alimentação, drogaria e até mesmo uma barbearia. Além de um moderno auditório com 300 lugares para eventos corporativos. A sustentabilidade foi o pilar que ancorou as obras de renovação, incluindo telhados verdes (com grama e árvores que parecem ganhar ainda mais destaque em decks e jardins) e até ônibus elétricos (todos os dias aproximadamente 5 mil pessoas se movem na Cidade de Deus com a ajuda deste meio de transporte sustentável). A área do complexo tem 12 mil árvores catalogadas de várias espécies. É uma verdadeira reserva preservada.
   

O gênio por trás da marca 
Amador Aguiar, ao fundar o BRADESCO, em 1943, ajudou a construir parte importante da história do país. Ao contrário da maioria de seus concorrentes, ele começou de baixo. Nascido em 11 de fevereiro de 1904, em Ribeirão Preto (interior de São Paulo), menino pobre que fugiu de casa aos 16 anos, ele trabalhou como contínuo e tipógrafo e parou de estudar antes de concluir o primário. Em 1926, aos 22 anos, era office-boy na filial de Birigui (São Paulo) do Banco Noroeste do Estado de São Paulo. Foi nessa época que começou a considerar a ideia de subir na vida e, algum dia, tornar-se poderoso. Dois anos depois, numa carreira fulminante, ele já ocupava o cargo de gerente de uma agência. Depois seguiu para a Casa Bancária Irmãos Almeida, uma espécie de subsidiária do Banco do Brasil na cidade de Marília. Foi então, que na década de 1940, ele, juntamente com alguns amigos, fundou o BRADESCO. Amador Aguiar levou seu estilo de vida simplista para dentro do banco. Por muito tempo, funcionários que quisessem subir tiveram de assinar uma “declaração de princípios” concordando com as ideias do chefe. Até hoje o BRADESCO é dirigido por executivos que começaram a trabalhar em funções modestas nas agências do banco e lutaram muito para chegar ao topo. Na fachada do prédio do BRADESCO em Osasco ainda hoje se lê a frase que sempre inspirou Aguiar: “Só o trabalho pode produzir riquezas”. Quando o assunto era seu negócio, ou sua receita para lucrar no mundo das finanças, ele declarava: “Nunca empreste muito a poucos, e sim pouco a muitos”. Amador Aguiar faleceu no dia 24 de janeiro de 1991 aos 86 anos.
  

As campanhas publicitárias 
O BRADESCO sempre foi um dos maiores anunciantes do mercado brasileiro veiculando campanhas publicitárias memoráveis. Nos últimos anos a marca trouxe temas lúdicos para sua linha de comunicação. Como por exemplo, o personagem CHIP, um simpático camundongo, em analogia ao mouse do computador, que passou a ser o ícone do serviço online (Internet Banking) do banco em 2002. Desenvolvido, em conjunto com a agência Salles D’Arcy, a partir de modernas técnicas de animação e computação gráfica, utilizadas em grandes sucessos do cinema, o simpático personagem buscava tornar mais simples os comandos do Bradesco Internet Banking, aumentando o uso dos serviços pelos clientes do banco, e assumindo o papel de criar uma interface amigável entre o cliente e o computador.
   

Já em 2018, o BRADESCO lançou uma campanha de final de ano protagonizada por um carismático vaga-lume chamado Lúcio. A campanha tinha como essência os valores de inclusão e respeito às diferenças. A peça central da campanha era uma animação em 3D de dois minutos e meio, que partia do conceito “2019. Você faz acontecer”. A irretocável animação gira em torno de um vaga-lume que sai do campo, onde brilhava, e vai para a cidade grande. Ao chegar lá, entre tantas luzes, perde o seu lugar de destaque e passa despercebida pelas pessoas. Até que ocorre um blackout na cidade exatamente na hora em que as luzes de uma árvore de Natal se acenderia. O vaga-lume então se une a outros para fazê-la brilhar e alegrar as comemorações de fim de ano.
   

A produção foi desenvolvida com o cuidado de encantar, e, acima de tudo, se prestar a oferecer uma mensagem de inspiração para o fim de ano com ingredientes tipicamente brasileiros. A animação em 3D representa uma celebração coletiva na rua com 20 personagens que refletem a pluralidade do povo brasileiro. Os cenários são inspirados em locações brasileiras. Já a trilha sonora é “Beautiful”, de Christina Aguilera, que incentiva cada um a ser o que é. Assista ao filme abaixo.
  

Os vaga-lumes fizeram tanto sucesso que, em 2019, voltaram a estrear a campanha de final da marca, que tinha como mote “Em 2020, Brilhe do Seu Jeito”. A campanha desejava um Brasil e um mundo mais inclusivos, em que o respeito às diferenças seja uma constante. O curta-metragem deu continuidade à fábula do vaga-lume que emocionou os brasileiros no ano anterior e que saiu premiada de festivais internacionais. O filme é protagonizado por Luna, uma vaga-lume que não acende e sofre por ser diferente. Ao longo da história, porém, ela recebe o apoio de Vitinho, um menino com síndrome de Down que a ajuda a se tornar uma heroína, salvando um grupo de vaga-lumes que haviam sido capturados. O filme é embalado pela música Hero, de Mariah Carey, interpretada pela cantora e compositora brasileira Ráae.
   

Outra curiosidade é que os personagens do primeiro filme também aparecem nesta história, como o próprio vaga-lume Lúcio, que no comercial anterior sai do interior para tentar brilhar na cidade grande. Em um exercício de metalinguagem, o comercial traz ainda referências ao próprio banco, com a presença sútil de uma agência do BRADESCO e de diversas mascotes que ajudaram a construir a história da marca: o robô Link 237, o ratinho Chip, a abelha da Poupança Fácil Bradesco e o Max, coelho da Bradesco Capitalização. A animação pode ser assistida abaixo.
   

No final de 2020 o BRADESCO resgatou os vaga-lumes Lúcio e Luna em sua campanha institucional de final de ano e conclui a trilogia dos personagens iniciada em 2018. A animação 3D queria traduzir um olhar de esperança para o novo ano e trazia o mote “Em 2021, volte a brilhar”. O filme é estrelado por personagens que já apareceram nas histórias dos anos anteriores, passa por pontos da cidade e por temas que ficaram marcados pelo contexto da pandemia da COVID-19, como os restaurantes fechados, a atuação dos profissionais de saúde e o personagem principal, Seu Oswaldo, que perdeu a esposa. A trilha sonora era embalada pelo clássico “Heal the World”, de Michael Jackson. O filme pode ser assistido aqui.
  

Recorrer à memória afetiva do público parece ser a linha de comunicação que a marca BRADESCO adotou nos últimos anos. Seguindo essa proposta, em fevereiro de 2020 a marca resgatou o clássico desenho animado “Os Jetsons”, dos estúdios Hanna-Barbera, para falar sobre o futuro e promover as ferramentas e serviços tecnológicos do banco. A campanha “Experimente o Futuro com o Bradesco”, utiliza o desenho futurista que marcou gerações, onde pessoas se locomovem em aeronaves, vivem em cidades suspensas, trabalham em espaços totalmente automatizados e ainda contam com robôs para as atividades domésticas. O filme (assista abaixo), uma releitura da abertura do desenho, mostra que a mãe da família Jetsons, Jane, na versão original uma dona de casa que usa o dinheiro do marido para fazer compras no shopping, é agora a CEO de uma empresa. É ela quem dirige a aeronave que leva o marido George ao trabalho, o filho Elroy ao colégio e a filha Judy aos seus afazeres. A sua auxiliar doméstica, a robô Rosie, também aparece no filme. Ao longo do filme, ações descrevem diferentes inovações do BRADESCO que facilitam o dia a dia dos clientes e que estão muito além do que se previa na versão original dos Jetsons, como recomendações personalizadas de investimentos por videochamada, depósito em dinheiro no autoatendimento que cai na hora na conta, pagamento por aproximação e a BIA, Inteligência Artificial do Bradesco.
  

Sete meses após o início da pandemia, a marca trouxe a família do futuro de volta à sua comunicação, porém, no contexto atual e com o mote “Pros desafios do presente, experimente o futuro com o Bradesco”. O mundo mudou completamente em poucos meses e a necessidade de experimentar o futuro agora se tornou ainda mais latente. Com o BRADESCO, isso é possível. O filme quer mostrar como as soluções do BRADESCO têm ajudado as pessoas a se adequarem à nova realidade em que vivemos. Valores como inovação e representatividade são os alicerces da atuação da marca e naturalmente reverberam para a sua comunicação, o que acontece mais uma vez nesta campanha. Neste no filme, a família do futuro mostra como soluções do BRADESCO têm ajudado as pessoas a se adequarem à nova realidade em que vivemos. Em um comercial com linguagem leve e sensível, Jane, George e seus filhos interagem com tecnologias como a BIA (Inteligência Artificial do Bradesco), usam videoconferências para tirar dúvidas com o gerente e realizam pagamentos por aproximação. Assim, a família resolve questões financeiras em qualquer lugar, seguindo todos os protocolos de saúde e segurança. Para assistir ao filme clique aqui.
  

A evolução visual 
A identidade visual da marca passou por algumas remodelações ao longo dos anos. Somente em 1975 adotou o nome BRADESCO (uma junção das iniciais de Banco Brasileiro de Descontos) e apresentou o logotipo com o nome escrito em vermelho, cor que ficaria extremamente associada à marca. Esse logotipo ganhou uma nova tipografia de letra em 1980 e passou por uma pequena modernização em 1988.
   

Em 1997 o BRADESCO apresentou uma nova identidade visual. Até então sua logomarca era all type, ou seja, constituída apenas pela tipografia usada na escrita do nome do banco. O novo logotipo apresentou, além de uma nova tipografia de letra, um símbolo estilizado, na forma de um tronco e a copa de uma árvore. Era uma mudança radical na identidade visual da marca. Esse logotipo passaria por duas modernizações, em 2009 e 2012. No ano de 2018 a marca apresentou uma nova identidade visual que apresentou um novo ângulo (o tronco da árvore apresenta um corte em um ângulo de 30 graus), uma nova tipografia de letra (agora com o “b” em minúsculo), cores mais vibrantes e a retirada do box em volta da árvore símbolo da marca.
    

O logotipo da marca BRADESCO, adotado em 1997 e criado pela renomada agência de comunicação americana Landor Associates, é repleto de simbolismo. Sua marca corporativa incorpora elementos geométricos que dão forma ao tronco e à copa de uma árvore. Símbolo de vida, crescimento, abrigo e suporte, é o melhor modo de traduzir o inabalável relacionamento do BRADESCO com seus clientes, criando elos que se renovam com o tempo. Cada elemento gráfico da marca tem um significado, como mostra a imagem abaixo.
   

Os slogans 
Reinvente o futuro. (2020) 
Experimente o Futuro com o Bradesco. (2019) 
Pra Frente. (2017) 
Presença é estar lado a lado. (2010)
Bradesco presença. (2009) 
Bradesco, completo. (2005) 
Colocando você sempre à frente. (2000) 
Sempre à frente. (1998)
  

Dados corporativos 
● Origem: Brasil 
● Fundação: 10 de março de 1943 
● Fundador: Amador Aguiar 
● Sede mundial: Osasco, São Paulo, Brasil 
● Proprietário da marca: Banco Bradesco S.A. 
● Capital aberto: Sim 
● Presidente do conselho: Luiz Carlos Trabuco 
● Presidente: Octavio de Lazari Jr. 
● Faturamento: R$ 99.2 bilhões (2019) 
● Lucro: R$ 25.8 bilhões (2019) 
● Valor de mercado: R$ 208.1 bilhões (janeiro/2021) 
● Valor da marca: R$ 26.293 bilhões (2011) 
● Agências: 4.000 
● Clientes: 99.5 milhões 
● Presença global: 15 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Funcionários: 97.300 
● Segmento: Financeiro 
● Principais produtos: Banco de varejo, seguros, gestão de ativos e serviços financeiros 
● Concorrentes diretos: Itaú, Santander, Banco do Brasil, Caixa, Nubank, Inter, BMG, PicPay e fintechs  
● Slogan: Reinvente o futuro. 

O valor 
Segundo a consultoria britânica Interbrand, somente a marca BRADESCO está avaliada em R$ 26.293 bilhões, ocupando a posição de número 2 no ranking das marcas mais valiosas do Brasil em 2020. 

A marca no mundo 
Presente em todas as regiões do Brasil, o BRADESCO dispõe de uma ampla rede de atendimento ao cliente. São mais de 4.000 agências, 4.000 postos de atendimento bancário, mais de 56.000 terminais de autoatendimento BRADESCO Dia & Noite e Rede Banco 24 Horas, 65 mil pontos Bradesco Expresso e mais de 250 milhões de cartão de débito e crédito, além de ser um dos maiores empregadores privado do país com mais de 97 mil funcionários. Ao todo, são mais de 99 milhões de clientes (conglomerado), incluindo mais de 1.5 milhões com atendimento Prime, mais de um milhão de empresas e 3.2 milhões de clientes digitais. Além disso, o banco possui 2 milhões de participantes individuais de previdência complementar, aproximadamente 40 mil planos empresariais, mais de 10 milhões de seguros de vida (incluindo 70 mil empresas clientes), 3.7 milhões de beneficiários do Bradesco Saúde, 1.7 milhões de veículos cobertos e 1.7 milhões de residências seguradas. Os ativos totais do banco chegaram ao fim de 2019 em R$ 1.4 trilhões, além de uma carteira de crédito de R$ 604.9 bilhões. No exterior, o BRADESCO opera bancos, corretoras e subsidiárias nos Estados Unidos, Inglaterra, Argentina, Chile, Colômbia, Japão, Ilhas Cayman, Luxemburgo, Hong Kong e Emirados Árabes Unidos. 

Você sabia? 
Em 2001, o BRADESCO estreou suas ações no pregão da Bolsa de Nova York (NYSE). Assim, seus papéis passam a ser negociados em três moedas: real, euro e dólar. 
O BANCO BRADESCO é uma das maiores instituições financeiras do Brasil, considerando o total de ativos, número de agências e clientes. Atende no Brasil e no exterior a diversos perfis de públicos, pessoa física, empresas de todos os portes e importantes sociedades e instituições nacionais e internacionais. O banco oferece serviços e produtos que incluem operações de crédito e captação de depósitos, emissão de cartões de crédito, consórcio, seguros, arrendamento mercantil, cobrança e processamento de pagamentos, planos de previdência complementar, gestão de ativos e serviços de intermediação e corretagem de valores mobiliários. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Isto é Dinheiro, Época Negócios, Exame e Veja), jornais (Valor Econômico, Folha, Estadão e Meio Mensagem), sites especializados em Marketing e Branding (Mundo do Marketing), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Última atualização em 27/1/2021

7 comentários:

Anônimo disse...

Presados senhores venho por meio desse e-mail,diser-lhes que não tenho casa,nem carro,pois perdi o meu papai quando eu tinha dois anos de idade;não tive estudo nen sei escrever direito peco perdão pelas falhas,portanto não tive o previlegio de poder possuir bems materiais como casa;carro e outros,tenho 6 filhos que e a minha alegria, as veses minhas filhas vê um carro em uma revista e falam que vai ser do papai,e eu dou risada;tive três carros de tão velho nen um dos três andaram,sempre gostei do Bradesco e tive conta no mesmo hoje tenho uma comta na agencia 407 poa 71262 0 quase sempre sem saúdo mais luto para manter a comta aberta apesar de estar desempregado pagando aluguel água luz aprendi amar o Bradesco e desejo-lher toda sorte do mundo;mais quero vos dar parabems por vosso disimpenho,em administrar um dos banco mais completo do mundo que e o Bradesco que conheci com o shr amador;cheguei ate penssar que com a partida do shr amador o Bradesco cairia, mas quero parabenisar o atual e copetente presidente pelo seu grande gabarito e grande talento,veio para ficar, ,ao presidente brandao,diretoria,atodos funcionários pelo empenho união companheirismo,poque so assim se constrói coisas tão bela como a fundação bradesco, ;ass:jose Teixeira do nascimento

Anônimo disse...

Seu Teixeira, quem diria. Um cara sem estudo quase fudido na vida, a não ser pelas belas crianças que tem.
Adimiravel é o senhor por ter pouco conhecimento e ainda saber falar palavras dificeis engrandecendo um homem e saber que sua morte poderia afetar diretamente nos valores materias da empresa. Quem diria que sairiam palavras bontas e motivadoras de uma pessoa que além de se considerar um cara sem bens, ainda faz parte de uma selecionada minoria de brasileiro que possuem computador e ainda com internet.
Meus parabéns vai para o Sr.

Anônimo disse...

Realmente o Sr. José Teixeira é um exemplo!
Por mais miseravel que seja mantem-se um louvavel politico e de conhecimentos coorporativos que poucos gerentes do Bradesco possuem.

Parabéns pelo esforço em escrever errado!

Abraços do seu novo fã!

Anônimo disse...

Srº José Teixeira, Eu fico mui orgulhoso, por saber que ainda existem pessoas como você. porém não tem vergonha de falar sua origem, pois o srº é um grande homem que nunca desiste de seus objetivos, portanto com a sua sinceridade lhe faz ser um homem bastante sábio, por que a sabedoria estar dentro de você só basta correr atrás para alcança a vitória.

Diego Marcell² disse...

Realmente esse banco tem em todas as cidades que já pisei quando viajei pelo país.

Maria Cláudia Abrahão disse...

Sr. Teixeira,

São para clientes como o Sr que temos satisfação em dedicar todo o nosso carinho, atenção e prestatividade.
Acredite nos seus sonhos, torço para que sejam realizados!

Obrigada pelo carinho!


Maria Cláudia Abrahão (ag. 0779-0)

Amanda Gabrielly disse...

Kkk realmente ele se esforçou para escrever errado 😁😂😂😂