29.5.06

BACI


Eles têm sido vendidos internacionalmente por mais de 90 anos como símbolo de amor. Os deliciosos bombons recheados de avelã são envoltos em um romântico papel que traz internamente uma mensagem de amor e paixão. BACI é muito mais que um simples chocolate, é a mais pura tradução do doce sendo transformado em afeto e amor à moda italiana. Apreciá-lo é como dar gosto à alma e render-se ao beijo. Perfeito para dizer “eu te amo” a maneira italiana. 

A história 
O tradicional bombom italiano BACI foi introduzido no mercado pela empresa Perugina, fundada em 30 de novembro de 1907 por Francesco Buitoni, que inicialmente se limitava a produzir amêndoas açucaradas. A criação do famoso e romântico bombom teria sido resultado de um tórrido amor entre dois jovens: Luisa Spagnoli, uma confeiteira e esposa de um dos fundadores da empresa; e Giovanni Buitoni, filho de um dos sócios do marido de Luisa e que ocupava o cargo de gerente de inspeção na empresa, que viviam na cidade medieval de Perugia, na região italiana de Úmbria. Ambos mantiveram seu romance em segredo, enquanto criavam chocolates para a tradicional fábrica. Ela enviava os chocolates que criava embrulhados com recados e beijos ao seu amado Giovanni. Passado alguns anos desse amor secreto, Luisa resolveu criar um bombom, originalmente batizado de “cazzotto” (soco ou murro, em português), porque sua forma evocava um punho fechado (era arredondada e desigual), em homenagem ao seu amado e também para reduzir custos de produção e aproveitar as avelãs inteiras, derivadas da fabricação de outros produtos da empresa. O bombom era feito de chocolate escuro com recheio de avelã cremoso e uma avelã perfeitamente torrada.


O produto foi lançado no mercado italiano no ano de 1922 em pleno Dia dos Namorados contando como uma inteligente jogada de marketing. Pouco depois, um dos empresários da Perugina pensou ser muito mais agradável presentear o consumidor com um beijo ao invés de um murro, e foi assim que nasceu o BACIO, que significa “beijo” em italiano. Rapidamente o bombom se tornou sinônimo de romance e amor por toda a Itália. O sucesso foi tamanho, que em 1927, a empresa já havia vendido cem milhões de bombons. Na década de 1930, surgiu a ideia de introduzir, através do invólucro do bombom, uma mensagem de amor em cada um deles. Foi então, que o papel de alumínio, decorado com estrelinhas azuis, que revestia cada bombom, passou a ter um bilhetinho com uma linda mensagem de sonho, paixão e amor (que hoje em dia vêm escritas em sete idiomas diferentes (italiano, inglês, alemão, francês, grego, espanhol e português). Nos anos seguintes o produto começou a ser exportado para vários outros países europeus, chegou aos Estados Unidos em 1939 e se transformou em um presente popular entre casais que queriam demonstrar amor e paixão em sua relação. Para o mercado internacional a marca adotou o nome BACI.


Nos anos de 1940 foi criada a caixa com a imagem de um casal se beijando sob uma chuva de estrelas em homenagem ao quadro “The Kiss” (“O Beijo”) do pintor romântico Francisco Hayes (1791-1882); e desde então a Perugina firmou parcerias com grandes estrelas do cinema para serem os personagens de suas sofisticadas propagandas, como Rodolfo Valentino, Clark Gable e Frank Sinatra. Nos anos DE 1950 foram criados os bombons em tamanhos menores, chamados de BACETTI.


As inovações também ocorreram em relação às embalagens: em 1981 surgiu a Tubiamo (um tubo de papelão que contém 4 ou 7 bombons), depois viriam latas e caixas em formato de coração e bola, e saquinhos, sempre recheados de bombons deliciosos. E novos produtos foram sendo incorporados para atingir não somente casais de apaixonados como também toda a família: surgiu então o BACI em barras, o ovo de páscoa (incluindo a versão mini) e até o panetone com sabor e recheio dos famosos bombons.


A empresa empreendeu diversas ações para reforçar a aura romântica de seu famoso chocolate. Por exemplo, nos anos de 1960 lançou a Festa dos Namorados. Também patrocinou inúmeras exposições de quadros com o mesmo tema, assinados por diferentes pintores. A companhia aérea Alitalia participou da campanha. Em 1997, pintou um avião com as cores da embalagem tubo dos bombons BACI. Pouco depois, em 1999, a empresa exibiu na cidade de Perugia o maior bombom do mundo, pesando 400 quilos, saboreado festivamente por 28 mil pessoas.


As últimas inovações da marca aconteceram com o lançamento no mercado do BACI in ROSSO, o mesmo bombom original com uma cereja no recheio, em 2006; do BACI LATTE, feito com o mais puro chocolate ao leite, em 2009; do BACI BIANCO, o tradicional bombom feito com chocolate branco, em 2011; e do BACI FONDENTISSIMO, feito com chocolate amargo 70% cacau (lançado em 2015). Essa é a história de um bombom que virou um verdadeiro fenômeno, e como diz um dos bilhetinhos que envolvem o chocolate, de autor anônimo, “o amor geralmente produz bons frutos”. Neste caso feito de avelã e chocolate.


Em 2015, a lendária marca italiana de bombons e chocolates Premium inaugurou uma loja no shopping Cidade Jardim e um quiosque no Morumbi Shopping, na cidade de São Paulo. Além dos bombons mais famosos da Itália e cujo apelo romântico inclui mensagens de amor, uma extensa e variada linha da famosa Perugina também está disponível, entre chocolates, caramelos e balas. Os delicados bombons seduzem o paladar e o coração dos amantes do chocolate. Cada BACI oferece uma experiência sublime onde se combina o prazer gustativo com o espírito romântico que transportam notas de amor: um gesto de afeto para compartilhar entre namorados, amigos e familiares. Para dizer “Te amo”, comemorar um aniversário ou para permitir-se um capricho. Sempre há uma boa razão para presentear com BACI. Afinal, BACI representa a excelência da confeitaria italiana. Um bombom onde os mestres chocolateiros empregaram todo o seu conhecimento e paixão na criação do verdadeiro símbolo do amor.


O diferencial 
Apesar dos bombons BACI serem de excelente qualidade e sabor marcante, seu enorme sucesso pelo mundo afora muito se deve aos versinhos de amor escritos no papel prateado em que são envoltos. São aforismos, provérbios, reflexões banais ou simplesmente pensamentos profundos. A maioria falava, e ainda fala de amor. O beijo é várias vezes citado. Algumas palavras estão vetadas. Jamais se menciona a morte, por exemplo. Os bilhetinhos, hoje em dia, constituem objeto de culto e coleção. Chegam a fanatizar pessoas. Alessandra Miglio, uma moça que vive na pequena cidade de Ostia, perto de Roma, e trabalha na Telecom, é um exemplo. Seu arquivo de bilhetinhos foi catalogado para entrar em um site. Em 2010, reunia 111 frases criadas por poetas, 104 por escritores, 86 por anônimos, 18 por filósofos, 18 por autores vários, 16 eram provérbios e 9 cantos. Os autores famosos vão de Catulo a Kant, de Doris Lessing a Prevert, de Ovídio a Dante, de Wagner a Proust, de William Shakespeare a Fernando Pessoa, de Goethe a Leopardi. Desde setembro de 2009 a marca permite que seus consumidores mandem citações e frases que podem aparecer nos bilhetinhos de seus bombons. Esses bilhetes de amor são uma lenda e tornam BACI único e inimitável.


A evolução visual 
O tradicional logotipo da marca italiana passou por pequenas modificações ao longo dos anos, mas sempre manteve a tradicional tipografia de letra tão associada à BACI. Uma curiosidade: em 1859 o pintor italiano Francesco Hayez criou o quadro que inspirou Federico Seneca, então diretor artístico da Perugina, para a criação do logotipo da marca. Além disso, a identidade da marca ganhou como símbolo um casal elegantemente trajado e um tom de azul mais forte.


Os slogans 
Chi ama, Baci. (Itália) 
Say I love you the Italian way. (Estados Unidos) 
Diamoci un mondo di Baci. (1989) 
The Baci are Words. (1973)


Dados corporativos 
● Origem: Itália 
● Lançamento: 1922 
● Criador: Luisa Spagnoli 
● Sede mundial: Perugia, Itália 
● Proprietário da marca: Nestlé S.A. 
● Capital aberto: Não 
● CEO: Paul Bulcke 
● Faturamento: Não divulgado 
● Lucro: Não divulgado 
● Presença global: + 65 países 
● Presença no Brasil: Sim 
● Segmento: Chocolates 
● Principais produtos: Bombons e chocolates 
● Concorrentes diretos: Ferrero Rocher, Hershey’s Kisses e Sonho de Valsa (Brasil) 
● Ícones: Os recados amorosos escritos em suas embalagens  
● Slogan: Say I love you the Italian way. 

A marca no mundo 
O BACI se tornou o chocolate mais famoso da Itália, sendo exportado para mais de 65 países ao redor do mundo. Suas vendas disparam na época em que é comemorado o Dia dos Namorados, Páscoa, Dia das Mães e Natal, se tornando o chocolate mais vendido e apreciado pelos casais italianos. Hoje em dia são produzidos mais de 1.500 bombons BACI por minuto e vendidas mais de 500 milhões de unidades por ano. Atualmente a marca pertence à suíça Nestlé, que comprou a Perugina em 1988. 

Você sabia? 
Apesar de em todas as embalagens do produto aparecer a marca BACI, no papel que envolve o bombom está escrito BACIO, como a marca é comercializada na Itália. 
Em 2003, BaciOne entrou para o Livro dos Recordes Guinness como o maior bombom do mundo: 2.15 metros de altura, 7.26 metros de largura e 5.980 kg de peso. 
Suas embalagens são em tom azulado lembrando uma linda noite de céu estrelado. 


As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Exame), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand) e Wikipedia (informações devidamente checadas). 

Última atualização em 26/3/2016

3 comentários:

Camilíssima disse...

só arruma ali: baci = beijos em italiano ;) no resto, sensacional o site!

Ana Lourenço disse...

Achei sensacional a história! Hoje em dia já não existem romãnticos destes. =)

Anônimo disse...

Sandra
Amo esse chocolate, pena não ser muito fácil de encontrar. Comi na Itália e nunca mais encontrei.